Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 14 de 14
Filtrar
Mais filtros










Filtros aplicados

Tipo de estudo
Intervalo de ano de publicação
1.
Braz. dent. sci ; 21(3): 351-356, 2018. tab, ilus
Artigo em Inglês | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-911692

RESUMO

Osteogenesis Imperfecta leads to alterations in type 1 collagen fiber, apart from causing bone fracture, blue sclera and other related deformities. As few medical records are available in the field of dentistry regarding these alterations, having a better understanding of this medical disorder and its dental management has become a matter of extreme relevance if one is to provide adequate treatment for patients suffering from this medical condition. This paper reports the case of a 2-year old patient with Osteogenesis Imperfecta who received treatment as part of the Acolher Project ­ PNE run by the Federal Fluminense University in Rio de Janeiro, Brazil. (AU)


Osteogênese Imperfeita leva a alteração na fibra colágena tipo I, ocasiona fraturas ósseas, escleras azuladas e outras deformidades. Essa alteração apresenta poucos registros científicos no ramo da odontologia sendo extremamente importante para as áreas de Pacientes Especiais, Odontopediatria e Odontologia Hospitalar no entendimento dessa desordem e o manejo odontológico. Este estudo relata o caso de uma paciente de 2 anos de idade com Osteogênese Imperfeita atendida no Projeto AcolherPNEUFF.(AU)


Assuntos
Humanos , Pré-Escolar , Doenças do Desenvolvimento Ósseo , Fraturas Ósseas , Osteogênese Imperfeita , Patologia Bucal , Odontopediatria
2.
Dent. press endod ; 7(2): 32-38, May-Aug. 2017.
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-859390

RESUMO

Introdução: a displasia cemento-óssea periapical (DCOP) é uma lesão idiopática benigna mais prevalente na região de incisivos centrais inferiores, em mulheres negras, na faixa etária dos 30 aos 50 anos. Apresenta características radiográficas que podem levar o cirurgião-dentista a um diagnóstico e plano de tratamento equivocados, por ser confundida com periapicopatias. Objetivo: o objetivo do presente artigo foi, por meio de uma revisão de literatura, descrever essa patologia. Métodos: essa revisão foi feita por meio de buscas em duas das principais bases de dados mundiais: PubMed e SciELO. Para isso, foram usados os descritores "periapical cementoosseus dysplasia" e "displasia cemento-óssea periapical", com o objetivo de se avaliar o conteúdo sobre essa temática na literatura atual. Resultados: foram coletados 24 artigos científicos que obedeciam aos seguintes critérios de inclusão: ser uma revisão de literatura ou caso clínico; escrito em língua portuguesa ou inglesa, nos períodos de 1989 a 2016; contemplando a etiologia, características clínicas e radiográficas, diagnóstico, plano de tratamento e prognóstico referentes à displasia cemento-óssea periapical. Conclusão: é importante para o profissional reconhecer os aspectos relevantes da DCOP, a fim de elucidar o diagnóstico diferencial e tratamento e, assim, evitar procedimentos iatrogênicos, tais como terapias endodônticas desnecessárias.


Assuntos
Humanos , Doenças do Desenvolvimento Ósseo/diagnóstico , Diagnóstico Bucal , Endodontia , Displasia Fibrosa Óssea/diagnóstico , Doenças Maxilares/diagnóstico , Patologia Bucal
3.
Dent. press endod ; 6(2): 7-15, May-Aug. 2016. ilus
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-846944

RESUMO

Apesar da afirmação dogmática de que "se o dente tem lesão periapical, não existe mais vitalidade pulpar", isso não corresponde à realidade, pois existem periapicopatias em que os dentes portadores permanecem com vitalidade pulpar. Para fundamentar esse raciocínio, será discutido no presente artigo: 1) O conceito de periapicopatia verdadeira, 2) As diferenças entre ápice e periápice, 3) A distinção entre pericemento apical e periodonto apical, e 4) Considerações sobre a classificação das periapicopatias verdadeiras. Entre as quatro situações clínicas em que o dente com lesão periapical mantém a vitalidade pulpar, escolheu-se, para este primeiro trabalho de uma série, a Displasia Cemento-Óssea Periapical, que não requer qualquer tratamento, apenas controle ao longo do tempo.


Assuntos
Humanos , Doenças do Desenvolvimento Ósseo , Cementoma/diagnóstico , Doenças Periapicais/classificação , Periodontite Periapical
4.
Odonto (Säo Bernardo do Campo) ; 20(40): 95-100, jul.-dez. 2012. ilus
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-790184

RESUMO

Objetivo: Os autores relatam um caso clínico de Displasia Cemento-Óssea Florida em mulher negra, 71 anos, desdentada, portadora de prótese total, com áreas hipercompressivas refletindo reação inflamatória no rebordo alveolar inferior. Descrição do caso: O tecido mole das áreas mucosas de rebordo se mostrava tumefacto difusamente, sugerindo fibromatoses localizadas. Radiograficamente, áreas radiopacas regulares e difusas eram observadas ao longo dos ossos maxilares. Biópsia em uma dessas áreas evidenciou, à microscopia óptica, quadro histopatológico compatível com displasia cementária, o que possibilitou o diagnóstico final de displasia cemento óssea florida, chamada também de cementoma gigantiforme, apesar de não representar uma verdadeira neoplasia. Conclusão: Os autores consideram, ainda, que não há relação com alterações sistêmicas de natureza hormonal ou metabólica e que na proposição do diagnóstico definitivo concorrem as características clínicas, radiográficas e histopatológicas.


Aim: The authors describe a clinical case of Florid Cemento-Osseous Dysplasia in black woman, 71 years old, edentous, bearer of total prosthesis, with areas hipercompressives reflecting inflammatory reaction in the inferior alveolar edge. Case description: The soft tissue of the mucous areas of edge was shown diffuse tumescent, suggesting located fibromatoses. Regular and diffuse radiopac radiographic areas were observed along the bones maxillaries. Biopsy in one of those areas evidenced, to the optical microscopy, histopathological images compatible with cementous dysplasia, what made possible the final diagnosis of Florid Cemento-Osseous Dysplasia, also called gigantiform cementoma, in spite of not representing a true neoplasm. Conclusion: The authors consider also that there is no relation with systemic hormonal or metabolic and the proposition that the definitive diagnosis is based in the clinical, radiographic and histopathologic features.


Assuntos
Humanos , Feminino , Idoso , Doenças Maxilares/patologia , Doenças do Desenvolvimento Ósseo/patologia , Biópsia , Doenças Maxilares , Doenças do Desenvolvimento Ósseo , Mucosa Bucal/patologia , Processo Alveolar/patologia
5.
Rev. odonto ciênc ; 27(2): 166-169, 2012. ilus
Artigo em Inglês | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-649744

RESUMO

PURPOSE: To report a case of florid cemento-osseous dysplasia (FCOD) and chronic diffuse sclerosing osteomyelitis (CDSO) in a simultaneous presentation, emphasizing the significance of differential diagnosis and appropriate management of these conditions. CASE DESCRIPTION: A female, 69 years old, black patient had a complaint of itching and pain in posterior left mandibular region. The patient had a yellowish hard mass throughout all quadrants of the jaws. A panoramic radiograph showed a lobular, diffuse and irregular radiopaque lesion. Based on clinical and histopathological findings, the diagnosis was FCOD associated with secondary osteomyelitis. CONCLUSION: This report reinforces the need of accurate assessment of clinical, radiographic and histopathological aspects for the diagnosis and correct selection of treatment in cases of combined lesions.


OBJETIVO: relatar um caso de displasia cemento-óssea florida (DCOF) e osteomielite esclerosante difusa crônica (OEDC) em uma apresentação simultânea, enfatizando a importância do diagnóstico diferencial e adequado manejo dessas condições. DESCRIÇÃO DO CASO: Uma paciente do sexo feminino, 69 anos de idade, de cor negra, tinha uma queixa de dor e coceira na região esquerda da mandíbula. A paciente apresentava uma massa dura amarelada envolvendo todos os quadrantes dos maxilares. Foi obtida uma radiografia panorâmica, revelando lesão radiopaca lobular, difusa e irregular. Com base nos aspectos clínicos e histopatológicos, o diagnóstico foi de DCOF associada com osteomielite secundária. CONCLUSÃO: esse relato reforça a necessidade de uma avaliação precisa dos aspectos clínicos, radiográficos e histopatológicos para o diagnóstico e seleção correta de tratamento em casos de lesões combinadas.


Assuntos
Humanos , Feminino , Idoso , Doenças do Desenvolvimento Ósseo , Osteomielite
6.
Rev. fac. odontol. Univ. Fed. Bahia ; 35: 39-43, jul.-dez.2007. ilus
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-858077

RESUMO

A displasia cemento-óssea florida é uma lesão multifocal e benigna dos maxilares que consiste na formação de massa calcificada semelhante a osso e cemento, resultando em uma imagem radiográfica radiopaca e irregular, com aparência de vidro despolido. Exibe marcante predileção por mulheres negras de meia idade e, comunmente, envolve os segmentos posteriorews dos maxilares bilateralmente. A presenca de dor só será observada quando houver infecção da lesão, evoluindo o caso para osteomielite. O objetivo deste presente trabalho é revisar a literatura e relatar dois casos de mulheres negras de meia idade com displasia cemento-óssea florida, abordando seus aspectos clínicos,achados radiográficos e descrevendo as condutas terapêuticas adotadas


Assuntos
Humanos , Feminino , Pessoa de Meia-Idade , Doenças do Desenvolvimento Ósseo , Mandíbula/anormalidades , Osteomielite
7.
Rev. ciênc. méd. biol ; 4(2): 167-173, maio-ago. 2005. ilus
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-472245

RESUMO

A Displasia Cemento Óssea Florida (DCOF) é uma lesão controvertida em relação ao seu diagnostico, pelos seus aspectos clínicos e radiográficos muito semelhantes a outras lesões ósseas esclerosantes. Acomete principalmente a mandíbula de mulheres negras com idade acima de quarenta anos. Apresenta um aspecto radiográfico de massas densamente radiopacas, entremeadas por faixas radiolúcidas, sem limite definido. Pode desenvolver expansão óssea alveolar, supuração e fistulação, caso esteja associada à infecção secundaria (osteomielite), que ocorre devido à exposição da massa óssea avascular à cavidade bucal.


Assuntos
Humanos , Feminino , Adulto , Doenças do Desenvolvimento Ósseo , Mandíbula/patologia , Esclerose
8.
J. bras. ortodon. ortop. facial ; 9(54): 574-580, nov.-dez. 2004. ilus
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-518313

RESUMO

O tratamento precoce da displasia microrrínica, bem como da displasia leptóide, vem a ser de enorme valor terapêutico, pois o prognóstico cirúrgico na adolescência ou vida adulta é muitíssimo desconfortável para pacientes, pais e Ortodontistas. Possibilita o equilíbrio sagital e transversal das basais ósseas, e ainda propicia o fechamento da mordida aberta anterior. Neste artigo pretendemos demonstrar que a associação de técnicas ortopédicas funcionais e ortodônticas é capaz de resultados profícuos na solução clínica das referidas displasias.


Assuntos
Humanos , Feminino , Criança , Doenças do Desenvolvimento Ósseo , Mordida Aberta/diagnóstico , Aparelhos Ortodônticos Removíveis , Aparelhos Ativadores , Postura
9.
Rev. bras. patol. oral ; 2(4): 18-23, out.-dez. 2003. graf
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-404228

RESUMO

A designação "lesão fibro-óssea" descreve apenas um processo que inclui um grande grupo de lesões onde se fazem presentes hamartomas, processos displásicos e reativos, bem como neoplasmas, possuindo como aspecto comum à substituição do osso por tecido conjuntivo fibroso, contendo quantidades variáveis de tecido mineralizado. O objetivo deste trabalho foi verificar a prevalência das lesões fibro-ósseas benignas e a sua distribuição quanto ao sexo, raça, localização e faixa etária, diagnosticadas no período entre os anos de 1971 e 1997 no laboratório de Patologia Bucal da FOUSP. Os nossos resultados demonstraram que as LFOB foram as que tiveram maior incidência correspondendo à metade de todas as lesões ósseas, devido à falta de informações adicionais no momento do diagnóstico histopatológico. Na nossa amostra a lesão mais freqüente no grupo de LFOB foi o FCO. Em relação ao grupo de LFOB são mais freqüentes em pacientes do sexo feminino da raça branca com idades variando entre a 1a e a 5a década de vida. No que diz respeito à localização anatômica a mandíbula é mais acometida nos casos diagnosticados como LFOB, FCO, enquanto que a maxila é o sitio anatômico de maior ocorrência nos casos de DF


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Doenças do Desenvolvimento Ósseo , Displasia Fibrosa Óssea/etiologia , Displasia Fibrosa Óssea/patologia , Epidemiologia , Fibroma Ossificante
10.
BCI ; 7(25): 33-5, abr.-jun. 2000. ilus
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-296722

RESUMO

A displasia cemento-óssea florida afeta preferencialmente os ossos maxilares de mulheres negras, acima dos quarenta anos. Esta patologia é caracterizada por ser assintomática e radiograficamente apresentar-se como uma massa radiopaca difusa, geralmente bilateral, podendo estar presente tanto na maxila quanto na mandíbula. Quando infectada, apresenta-se sintomática e necessita de tratamento cirúrgico. O objetivo deste trabalho é discutir as características clínicas, radiográficas, histológicas e a conduta cirúrgica adotada


Assuntos
Humanos , Feminino , Adulto , Doenças do Desenvolvimento Ósseo , Cementoma/diagnóstico , Cementoma/cirurgia , Osteomielite
11.
In. Freitas, Aguinaldo de; Rosa, José Edu; Souza, Icléo Faria e. Radiologia odontológica. Säo Paulo, Artes Médicas, 4 ed; 1998. p.475-536, ilus.
Monografia em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-246562
12.
J. Health Sci. Inst ; 12(1): 31-4, jan.-jun. 1994. ilus
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-851084

RESUMO

Relato de um caso de síndrome de Kniest, ressaltando os aspectos de ordem geral, bucal, psicológicos, como ainda a conduta ao tratamento odontológico


Assuntos
Humanos , Masculino , Criança , Doenças do Desenvolvimento Ósseo/diagnóstico , Nanismo/complicações , Dente Decíduo , Perda de Dente/complicações
13.
Rev. odontol. UNICID ; 5(2): 105-10, jul.-dez. 1993. ilus
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-150347

RESUMO

Os autores apresentam um caso de displasia cementiforme periapical, descrevendo suas características clínicas e radiográficas. De etiologia desconhecida, esta patologia é a mais comum dos cementomas, podendo ser confundida, na sua fase inicial, com processos periapicais de origem endodôntica


Assuntos
Humanos , Feminino , Adulto , Cementoma/diagnóstico , Doenças do Desenvolvimento Ósseo/fisiopatologia , Doenças Periapicais/complicações
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA