Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 20 de 38
Filtrar
Mais filtros










Filtros aplicados
Intervalo de ano de publicação
1.
Rev. Odontol. Araçatuba (Impr.) ; 41(3): 61-64, set./dez. 2020. ilus
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-1121762

RESUMO

A displasia cemento-óssea florida (DCOF) é uma condição não neoplásica, esclerosante limitada aos ossos maxilares, relacionada ao osso do processo alveolar e, na maioria dos casos envolvendo bilateralmente a mandíbula. É uma condição rara que se apresenta nos maxilares, de forma autolimitante, evoluindo de um estágio osteolítico para osteoblástico, com prevalência pelo gênero feminino, de meia idade a idosas, melanoderma. Dessa forma, o objetivo do trabalho é relatar o caso clínico de uma paciente portadora de displasia cemento-óssea florida apresentando osteomielite local após exodontia.Paciente de 57 anos de idade, melanoderma, compareceu ao ambulatório do Hospital Manoel Victorino (Salvador, BA) do serviço de Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial, referindo histórico de exodontia do dente 47 há aproximadamente 02 anos, sem cicatrização local e presença de supuração e odor fétido. Ao exame intrabucal notou- se a presença fístula na região do dente 47 com secreção purulenta espontânea e presença de tecido necrótico. Ao exame de imagem (radiografia panorâmica), foi observado presença de lesões radiopacas multifocais das áreas posteriores mandibulares. Foi submetida a cirurgia, sob anestesia geral, para curetagem de sequestro ósseo e fechamento primário do defeito por primeira intenção e acompanhamento. O objetivo do trabalho foi relatar um caso clínico de um sequestro ósseo mandibular em uma paciente com displasia cemento- óssea florida(AU)


Flowery cementum-bone dysplasia (DCOF) is a non-neoplastic, sclerosing condition limited to maxillary bones, related to the alveolar process bone and, in most cases, bilaterally involving the mandible. When infected can lead to suppuration and kidnapping, resulting in a picture of osteomyelitis. It is a rare condition that occurs in the jaws, in a selflimiting way, evolving from an osteolytic stage to osteoblastic, with prevalence by the female gender, from middle age to the elderly, melanoderma. Therefore, the aim of this paper is to report a diagnosed case of florid cemento-ousseous dysplasia, presenting local osteomyelitis after a extraction. Patient 57 years old, melanoderma, attended the outpatient clinic of the Hospital Manoel Victorino (Salvador, BA) of the Bucomaxillofacial surgery and traumatology department, referring to a history of the right mandible exodontia for approximately 2 years, without local scarring and presence of odor and suppuration fetid The intraoral examination revealed the presence of a fistula in the region distal to the tooth 47 with spontaneous purulent secretion and necrotic tissue. At the imaging examination (panoramic radiography), the presence of multifocal radiopaque lesions of the mandibular posterior areas was observed. She underwent surgery under general anesthesia for curettage of bone sequestration and primary closure of the defect by first intention and follow-up. The objective of this study was to report a clinical case of a mandibular bone sequestration in a patient with florid cementoosseous dysplasia(AU)


Assuntos
Cementoma , Cementoma/cirurgia , Osteomielite , Cirurgia Bucal , Doenças do Desenvolvimento Ósseo , Cementoma/diagnóstico , Fístula Bucal , Displasia Fibrosa Óssea
2.
Braz. dent. j ; 31(5): 557-561, Sept.-Oct. 2020. graf
Artigo em Inglês | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-1132330

RESUMO

Abstract Lesions denominated fibro-osseous lesions of the jaw constitute a diversified group of disorders, in which the normal bone architecture is replaced by fibroblasts, collagen fibers and immature bone. At present, the World Health Organization recognizes four variants of these lesions, namely: bone-cement dysplasia, fibrous dysplasia, ossifying fibroma and Familial gigantiform cementoma. Fibrous dysplasia may present in the monostotic form, affecting one single bone or an isolated craniofacial region; and in the Polyostotic form, involving two or more bones of the skeleton, and eventual association with syndromic conditions. The patient, C.P.G., 43 years old, sought attendance due to symptomatic increase in the region of the mandibular body on the right side. Imaging exams revealed craniofacial areas with ground-glass aspect, beyond the extensive mandibular radiolucent lesion. During the physical exam, spots of the Café au lait type disposed on the right side of the body were identified, in addition to uncoordinated gait with distinct shortening of the right leg. Additional radiographic exams showed evidence of skeletal dissemination of the disease. The patient denied any sexual precocity, and the final diagnosis was fibrous dysplasia, expressed by means of the Jaffe-Lichtenstein syndrome, in association with a simple bone cyst.


Resumo As denominadas lesões fibro-ósseas dos maxilares constituem um grupo diversificado de desordens nas quais a arquitetura óssea normal é substituída por fibroblastos, fibras colágenas e osso imaturo. Atualmente a Organização Mundial de Saúde reconhece quatro variantes destas lesões, sendo elas: a displasia cemento-óssea, a displasia fibrosa, o fibroma ossificante e cementoma gigantiforme familiar. A displasia fibrosa pode ser apresentar na forma monostótica, acometendo um único osso ou a região craniofacial isoladamente, e a forma poliostótica, envolvendo dois ou mais ossos do esqueleto, com eventual associação com condições sindrômicas. Paciente C.P.G., 43 anos, procurou atendimento devido aumento volumétrico sintomático na região de corpo mandibular do lado direito. Exames imaginológicos revelaram áreas craniofaciais com aspecto de vidro fosco ou despolido, além de extensa lesão radiolúcida mandibular. Durante o exame físico foram identificadas manchas do tipo café com leite dispostas do lado direito do corpo, além de marcha descoordenada com nítido encurtamento da perna direita. Novos exames radiográficos evidenciaram a disseminação esquelética da doença. O paciente negou qualquer precocidade sexual e o diagnóstico final foi de displasia fibrosa, expressa por meio da síndrome de Jaffe-Linchtenstein, em associação com um cisto ósseo simples.


Assuntos
Humanos , Adulto , Cistos Ósseos , Cementoma , Neoplasias Maxilomandibulares , Displasia Fibrosa Óssea , Facies , Síndromes de Imunodeficiência , Neutropenia
3.
Belo Horizonte; s.n; 2019. 154 p. ilus, tab.
Tese em Inglês, Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-1049734

RESUMO

As lesões fibro-ósseas (LFOs) caracterizam-se pela substituição do osso normal por tecido conjuntivo fibroso e material mineralizado. Displasia fibrosa, fibroma ossificante e displasia cemento-óssea (DCO) compõem este grupo, que além da semelhança histopatológica, pode sobrepor características radiográficas. A correlação de dados clínicos, radiográficos e histopatológicos é necessária para o diagnóstico definitivo. Este trabalho teve como objetivo descrever e avaliar exames odontológicos de imagem de indivíduos diagnosticados com LFOs. Foram desenvolvidos três estudos com metodologias independentes. O primeiro estudo avaliou os efeitos da displasia cemento-óssea em estruturas anatômicas adjacentes por meio de tomografia computadorizada de feixe cônico (TCFC). Foram avaliados 60 casos de DCO, com 244 áreas de lesão envolvendo 426 dentes. A maioria das lesões apresentou aproximadamente 10 mm de diâmetro. Afilamento (n=80) expansão (n=62) e perfuração (n=60) foram os efeitos comuns na cortical óssea. A lâmina dura e o espaço do ligamento periodontal foram descontínuos em todos os dentes. No segundo estudo, 50 radiografias panorâmicas de mulheres com diagnóstico de DCO foram pareadas por idade com 50 radiografias panorâmicas de mulheres sem DCO. Os grupos DCO e não-DCO foram comparados através do índice de espessura da cortical mandibular (ECM), a dimensão fractal (DF) da região de osso trabecular e cortical e o índice cortical mandibular (ICM). O índice de ECM do grupo DCO foi de 3,12 mm (2,15-4,55) e do grupo não-DCO foi 3,52 mm (1,90- 4,70) com diferença estatística entre os grupos (p=0,034). A DF do trabeculado ósseo alveolar normal foi semelhante nos dois grupos, enquanto que menores médias de DF no osso cortical foram encontradas no grupo DCO (p=0,046). A classificação C3 do ICM foi mais comum no grupo DCO (p=0,009). O terceiro foi um estudo preliminar que avaliou a DF em imagens bidimensionais e tridimensionais de TCFC de seis casos de displasia fibrosa e seis de fibroma ossificante. Cortes de reconstrução panorâmica, axial, coronal e sagital foram selecionados em quatro espessuras: 0,25; 5; 15 e 25 mm, e avaliados em 3 formatos de regiões de interesse (RI). Duas metodologias compararam quatro formatos de volumes do interior das lesões. A média de DF das imagens bidimensionais de reconstrução panorâmica e axiais, com 0,25 mm de espessura mostrou diferença significativa entre displasia fibrosa e fibroma ossificante (p<0.05), independente do formato da RI (p>0,05). A média da DF de imagens tridimensionais foi diferente entre os grupos de lesões para a maioria das comparações (p<0.05), independente da metodologia usada. Informações detalhadas sobre a lesão e o envolvimento de estruturas adjacentes podem ser visualizadas em TCFC. Métodos não invasivos como os índices radiomorfométricos e análise fractal podem ser úteis na detecção de baixa densidade mineral óssea, ou mesmo como possível ferramenta de estudo da complexidade de imagens de LFOs.


Fibro-osseous lesions (FOLs) are characterized by the replacement of normal bone with fibrous connective tissue and mineralized material. The group includes the fibrous dysplasia, ossifying fibroma and cemento-osseous dysplasia (COD). These three lesions show similar histopathological and radiographic features. Clinical, radiographic and histopathological data correlation is necessary for the definitive diagnosis. This study aimed to describe and to evaluate dental imaging exams of individuals diagnosed with FOLs. Three studies with independent methodologies were developed. The first study evaluated the effects of COD on the adjacent anatomical structures by means of cone beam computed tomography (CBCT). Sixty cases of COD were evaluated. The assessment of the 60 cases involved 244 lesion areas and 426 teeth. Most lesions presented nearly 10 millimeters (mm) of diameter. Thinning (n=80), expansion (n=62) and perforation (n=60) were common effects on the cortical bone. All 426 teeth presented discontinuation of the lamina dura and of the periodontal ligament space. In the second study, 50 panoramic radiographies of women diagnosed with COD were matched with 50 panoramic radiographies of women without COD according to the individuals' age. Comparisons between groups regarding the mandibular cortical width index (MCW), the fractal dimension (FD) of the region of the trabecular and the cortical bone and the mandibular cortical index (MCI) were carried out. The MCW of the COD group was 3.12 mm (2.15-4.55) and the MCW of the non-COD group was 3.52 mm (1.90-4.70). A significant difference between groups was observed (p=0.034). FD of the normal trabecular alveolar bone was similar in both groups. For the cortical bone, a lower mean FD was observed in the COD group (p=0.046). The MCI C3 was more common in the COD group (p=0.009). The third was a preliminary study, in which the FD was evaluated on twodimensional and three-dimensional CBCT images of six cases of fibrous dysplasia and six cases of ossifying fibroma. Panoramic reconstruction, axial, coronal and sagittal slices were selected in four thicknesses (0.25, 5, 15 and 25 mm) and evaluated in three shapes of regions of interest (ROI). Two methodologies compared four volume formats from inside the lesions. A significant difference between fibrous dysplasia and ossifying fibroma was observed for the mean FD of the twodimensional images of panoramic reconstruction and axial slices with a thickness of 0.25 mm (p<0.05), regardless of the ROI shape (p>0.05). The mean DF of threedimensional images was different between lesion groups for most comparisons (p <0.05), regardless of the methodology used. Detailed information on lesions and involvement of adjacent structures can be viewed in CBCT. Non-invasive methods, such as radiomorphometric indices and fractal analysis may be useful in the detection of low bone mineral density or as a helpful tool for the differentiation of distinct types of FOLs.


Assuntos
Radiografia Panorâmica , Cementoma , Fibroma Ossificante , Tomografia Computadorizada de Feixe Cônico , Displasia Fibrosa Óssea , Osso Esponjoso , Osso Cortical , Processamento de Imagem Assistida por Computador , Estudos Retrospectivos
4.
Rev. cir. traumatol. buco-maxilo-fac ; 18(3): 26-30, jul.-set. 2018. ilus
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-1254651

RESUMO

A displasia óssea florida (DOFL) é uma lesão fibro-óssea relativamente incomum dos maxilares, que acomete, principalmente, mulheres melanodermas de meia idade e geralmente é diagnosticada em radiografias de rotina. O presente trabalho tem como objetivo relatar o caso de uma paciente de 50 anos de idade, melanoderma, encaminhada ao Curso de Odontologia da Universidade Federal do Ceará para avaliação imaginológica. Clinicamente, não foi observada nenhuma alteração de volume de estruturas faciais ou intraorais. A radiografia panorâmica evidenciou imagens radiopacas circunscritas por halos radiolúcidos, localizadas bilateralmente em região edêntula de corpo mandibular, sugestivas de DOFL. Na tomografia computadorizada de feixe cônico (TCFC), observaram se áreas hiperdensas em regiões mandibulares edêntulas, sem expansão de corticais ósseas vestibulares e linguais, e recobertas por fina espessura de tecido ósseo, típicos da displasia. Diante do diagnóstico clínico-imaginológico de DOFL, a paciente foi encaminhada para tratamento odontológico multidisciplinar. Por meio da TCFC, foi possível se estabelecer um plano de tratamento que consistiu em procedimentos minimamente intervencionistas, considerando os aspectos clínicos e imaginológicos das lesões observadas. Em sumário, o presente trabalho reforça a importância do exame clínico meticuloso aliado à avaliação por meio de TCFC, com fins de embasar um plano de tratamento adequado em casos de DOFL assintomáticos... (AU)


Florid osseous dysplasia (FOD) is a fibrous lesion relatively uncommon of maxillary bones, mainly affects middle-age black women and generally is diagnosed on routine radiographs. This paper aims to report a case of black woman, aged 50 years, referred to Dentistry Faculty of Federal University of Ceará for imaging evaluation. Clinically, there were no facial or intraoral structures alterations. Panoramic radiography showed radiopaque images circumscribed by radiolucent halos, located bilaterally in the edentulous mandibular body region suggestive of FOD. Cone beam computed tomography (CBCT) showed hyperdense areas in edentulous mandibular regions, with no expansion of buccal and lingual cortical bone, and covered by fine thickness of bone tissue, characteristic of FOD. After the clinical-imaging diagnosis of FOD, the patient was referred for multidisciplinary dental treatment. Through the CBCT, it was possible to establish a treatment plan that consisted of minimally interventional procedures considering the clinical and imaging limits of the observed lesions. In summary, the present case emphasizes a meticulous clinical examination along with an evaluation by means of CBCT allowing an adequate treatment plan for asymptomatic FOD... (AU)


Assuntos
Humanos , Feminino , Pessoa de Meia-Idade , Cementoma , Diagnóstico Clínico , Diagnóstico Diferencial , Tomografia Computadorizada de Feixe Cônico , Displasia Fibrosa Óssea , Ferimentos e Lesões , Radiografia Panorâmica , Assistência Odontológica , Arcada Osseodentária , Maxila
5.
Dent. press endod ; 7(2): 32-38, May-Aug. 2017.
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-859390

RESUMO

Introdução: a displasia cemento-óssea periapical (DCOP) é uma lesão idiopática benigna mais prevalente na região de incisivos centrais inferiores, em mulheres negras, na faixa etária dos 30 aos 50 anos. Apresenta características radiográficas que podem levar o cirurgião-dentista a um diagnóstico e plano de tratamento equivocados, por ser confundida com periapicopatias. Objetivo: o objetivo do presente artigo foi, por meio de uma revisão de literatura, descrever essa patologia. Métodos: essa revisão foi feita por meio de buscas em duas das principais bases de dados mundiais: PubMed e SciELO. Para isso, foram usados os descritores "periapical cementoosseus dysplasia" e "displasia cemento-óssea periapical", com o objetivo de se avaliar o conteúdo sobre essa temática na literatura atual. Resultados: foram coletados 24 artigos científicos que obedeciam aos seguintes critérios de inclusão: ser uma revisão de literatura ou caso clínico; escrito em língua portuguesa ou inglesa, nos períodos de 1989 a 2016; contemplando a etiologia, características clínicas e radiográficas, diagnóstico, plano de tratamento e prognóstico referentes à displasia cemento-óssea periapical. Conclusão: é importante para o profissional reconhecer os aspectos relevantes da DCOP, a fim de elucidar o diagnóstico diferencial e tratamento e, assim, evitar procedimentos iatrogênicos, tais como terapias endodônticas desnecessárias.


Assuntos
Humanos , Doenças do Desenvolvimento Ósseo/diagnóstico , Diagnóstico Bucal , Endodontia , Displasia Fibrosa Óssea/diagnóstico , Doenças Maxilares/diagnóstico , Patologia Bucal
6.
Belo Horizonte; s.n; 2016. 102 p.
Tese em Inglês, Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-947837

RESUMO

As lesões fibro-ósseas benignas (LFOBs) são condições raras caracterizadas pelo desenvolvimento de doenças neoplásicas, reativas ou displásicas, nas quais o osso normal é substituído por tecido conjuntivo composto por colágeno, fibroblastos e diferentes materiais mineralizados semelhantes ao osso ou cemento. Os principais tipos são: displasia fibrosa (DF): monostótica (DFM) ou poliostótica (DFP); displasia óssea (DO): periapical (DOP), focal (DOFoc) ou florida (DOFlor); e o fibroma ossificante (FO): convencional (FOC) ou juvenil (FOJ). O objetivo deste estudo foi descrever o perfil epidemiológico das LFOBs dos maxilares diagnosticados no serviço de referência em Patologia, Estomatologia e Radiologia da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Minas Gerais e comparar com os resultados encontrados em outros estudos. Os dados foram obtidos dos arquivos dos serviços clínico e laboratorial, no período de 26 anos (1990-2015). Informações de gênero, idade, raça dos pacientes e principais características clínicas e radiográficas da lesão foram coletadas. Foi realizada a análise estatística descritiva das variáveis e teste de associação entre os grupos de lesões e o gênero, faixa etária, aumento de volume e osteomielite. Entre todos os diagnósticos do período avaliado (27998 prontuários), as LFOBs representaram 1,36% (n=383). As DOs (n=187, 48,8%) foram as mais frequentes, seguidas pela DF (n=103, 26,9%) e FO (n=93, 24,3%). Quanto aos subtipos de LFOBs, as mais frequentes foram a DOFlor e a DFM, ambas com 101 casos (26,4%). As mulheres foram a maioria no estudo, com frequência de 82,0% (n=314), assim como os pacientes não negros (59,0%, n=226). Entre todas as LFOBs a média de idade foi de 38,52 ± 17,54, acometendo mais a 4ª e 5ª décadas. As características radiográficas mais comuns foram imagens mistas: radiopaca e radiolúcida (51,7%). A mandíbula foi a região mais acometida (n=247, 64,5%), exceto para DF que envolveu mais a maxila (n=68, 66,0%). A DF foi observada mais entre os homens que em mulheres, assim como entre os pacientes mais jovens. DOs foram mais comuns em mulheres e em pacientes mais velhos. Enquanto que no FO não foi observada diferença significativa entre o gênero. A associação entre a presença de osteomielite e DO foi estatisticamente significante (p=0,0001). O aumento de volume foi significante na DF e FO (p=0,0001). A frequência de LFOB é semelhante à previamente reportada na literatura no mesmo país, mas difere dos dados observados em outras populações. É importante considerar a correlação de dados clínicos, radiográficos e histopatológico para o diagnóstico definitivo de LFOBs. Estudos epidemiólogicos podem orientar o clínico sobre a perfil do paciente acometido por uma doença. Nossos resultados são importantes para auxiliar no diagnóstico e manejo clínico das lesões fibro-ósseas benignas


Benign fibro-osseous lesions (BFOLs) are rare conditions characterized by the development of neoplastic, reactive or dysplastic disease, in which is observed replacement of the normal bone by collagen, fibroblasts and different mineralized materials like bone and cementum. The main types are: fibrous dysplasia (FD): monostotic (MFD) or polyostotic (PFD); osseous dysplasia (OD): periapical (POD), focal (FocOD) or florid (FlorOD); and ossifying fibroma (OF): conventional (COF) or juvenile (JOF). The aim of this study was to describe the epidemiological profile of BFOLs of the jaws diagnosed in the reference service in oral pathology at the Universidade Federal of Minas Gerais and compare it with the results found in other studies. Data were obtained from the archives of clinical and laboratory services in the period of 26 years (1990-2015). Gender, age, race and main clinical and radiographic characteristics of the lesion were collected. Descriptive statistical analysis of each variable and associations test between groups of lesions and gender, age, swelling and osteomyelitis were made. Among all diagnoses in the period (n=27998 records), the BFOLs represented 1.36% (n=383). The ODs (n=187, 48.8%) were the most frequently diagnosed, followed by FD (n=103, 26.9%) and OF (n= 93, 24.3%). Regarding the subtypes, the most common were FlorOD and MFD, both with 101 cases. Women were the majority in the study, with frequency of 82.0% (n=314), as well as non-black patients with (n=226, 59.0%). Among all LFOBs the average age was 38.52 ± 17.54, affecting more the 4th and 5th decades. The most common radiographic features were mixed images: radiopaque and radiolucent (51.7%). The mandible was the most affected region (n=247, 64.5%), except for DF involving more maxilla (n=68, 66.0%). The DF was observed more in men than in women, as well as among younger patients. DOs were more common in women and older patients. The FO was no significant difference between genders. The association between the presence of osteomyelitis and OD was statistically significant (p=0.0001). The swelling was significant in FD and FO (p=0.0001). The frequency of LFOB is similar to that previously reported in the literature in the same country, but differs from data observed in other populations. It is important to consider the correlation of clinical, radiographic and histopathologic for definitive diagnosis of LFOBs. Epidemiological studies can guide the clinician on the patient's profile affected by a disease. Our results are important to assist in the diagnosis and clinical management of benign fibro-osseous lesions


Assuntos
Fibroma Ossificante/diagnóstico , Displasia Fibrosa Óssea/diagnóstico , Doenças Maxilares/classificação , Neoplasias Maxilares/classificação , Neoplasias Maxilares/diagnóstico , Neoplasias Maxilares/epidemiologia , Interpretação Estatística de Dados , Perfil de Saúde
7.
Braz. j. oral sci ; 11(4): 513-517, Oct.-Dec. 2012. ilus
Artigo em Inglês | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-668680

RESUMO

Cemento-osseous dysplasia is a group of disorders known to originate from periodontal ligament tissues. Florid cemento-osseous dysplasia clearly appears to be a form of bone and/or cementoid tissues restricted to jaw bones. This lesion is usually asymptomatic and is incidentally detected during routine radiographic examination. The diagnosis is made by clinical and radiographic examinations, and biopsy is not necessary. The patient must manifest the typical changes in atleast two quadrants. An asymptomatic individual requires only a periodic follow-up to ensure that there is no change in the disease behavior. Surgical management is indicated only for a progressive lesion that produces orofacial disfigurement. This paper presents a rare case of a 60-year-oldfemale who was clinically and radiographically diagnosed as having florid cemento-osseous dysplasia in the maxilla and mandible. Discussion is presented with emphasis on clinical and radiographic manifestations.


Assuntos
Humanos , Feminino , Displasia Fibrosa Óssea , Mandíbula/patologia , Maxila/patologia
8.
São Paulo; s.n; 2012. 96 p. ilus, tab, graf. (BR).
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-668579

RESUMO

A displasia fibrosa é uma alteração de desenvolvimento caracterizada pela substituição do osso normal por tecido conjuntivo denso e trabéculas ósseas imaturas, geralmente encontrada em adolescentes e adultos jovens. Uma alteração genética que envolve a proteína Gs-alfa parece ser a base do processo. A exata incidência e prevalência são difíceis de estabelecer, mas as lesões representam cerca de 5% a 7% dos tumores ósseos benignos. Nos ossos craniofaciais tem predileção pela maxila, podendo causar deformidade grave e assimetria, afetando igualmente ambos os sexos. Radiograficamente, pode apresentar diferentes padrões de imagem dependendo do grau de mineralização e maturação da lesão. .A avaliação da displasia fibrosa nas radiografias da região craniofacial pode ser difícil por causa das aparências variáveis e das estruturas que se sobrepõem, de modo que a tomografia computadorizada é um recurso relevante para o seu correto diagnóstico e planejamento de tratamento. O objetivo deste estudo foi caracterizar a displasia fibrosa através da análise da lacunaridade, um método multiescala para descrever padrões de dispersão espacial. Foram avaliados 10 pacientes (6 homens e 4 mulheres) comprometendo a maxila em sua grande maioria.


Para a análise da lacunaridade, empregou-se cortes tomográficos axiais e coronais e, posteriormente, selecionou-se as regiões de interesse das áreas displásicas e do osso normal contralateral por meio do software MATLAB®. Após testes e análises estatísticas, concluiu-se que os cortes coronais, com ampliação de 3x do seu tamanho original, mostraram superioridade em relação aos axiais e, que a lacunaridade foi menor nas áreas da região displásica em relação ao osso normal, ou seja, a primeira apresentou uma maior homogeneidade de textura que a segunda. Mediante isso, pela técnica da validação cruzada leave-one-out é possível separar os grupos com uma alta acurácia (94,75%) concluindo-se que a lacunaridade é um método de análise de imagens contributivo na caracterização da displasia fibrosa.


Fibrous dysplasia is an alteration of development characterized by replacing normal bone for dense connective tissue and immature trabecular bones, typically found in teenagers and young adults. Genetic modification which involves alpha-Gs protein appears to be the basis of the process. The exact incidence and prevalence are difficult to be established, but injuries represent about 5% to 7% of benign bone tumors. On the craniofacial bones, the tumors have a predilection for the maxilla and often can cause severe deformity and asymmetry affecting both sexes equally. Radiographically, it may have different patterns depending on the image degree of mineralization and maturation of the lesion. The evaluation of radiographs of fibrous dysplasia in the craniofacial region can be difficult because of the different appearances and structures that overlaps, however, CT is an important resource for proper diagnosis and treatment planning.


The aim of this study was to characterize the fibrous dysplasia by analyzing the lacunarity which is a multiscale method to describe patterns of spatial dispersion. We evaluated 10 patients (6 males and 4 females) and the maxillary was the most affected area. To the lacunarity analysis, we used an axial and coronal view and then were selected the regions of interest in the areas of dysplastic and contralateral normal bone by means of MATLAB® software. After tests and statistical analysis can be conclued that the coronal magnification 3x its original size showed superiority compared to thrust, and that the lacunarity was lower in the areas of dysplastic region in relation to normal bone, namely the first presented a more uniform texture than the second. Through this, the technique of cross-validation "leave-one-out" is possible to separate the groups with a high accuracy (94.75%) concluding that the lacunarity is a method of image analysis to characterize the contributory fibrous dysplasia.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Displasia Fibrosa Óssea/diagnóstico , Odontodisplasia/diagnóstico , Tomografia Computadorizada Espiral , Tomografia
9.
Belo Horizonte; s.n; 2012. 134 p. ilus.
Tese em Inglês, Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-671238

RESUMO

A displasia fibrosa (DF), o fibroma ossificante (FO) e o osteossarcoma (OS) são considerados lesões ósseo-relacionadas, que possuem uma patogênese incerta. O gene HRPT2 codifica uma proteína de 531 aminoácidos denominada parafibromina. Recentemente, foram descritas mutações no gene supressor de tumor HRPT2 em FO. Neste estudo, pela primeira vez, foi levantada a hipótese se estas alterações também não poderiam participar da patogênese da DF e do OS, além fod FO. Em amostras de lesões ósseo-relacionadas, foram investigadas alterações no gene HRPT2/parafibromina em nével de DNA ( por meio de análise da perda de heterozigosidade - LOH), do trancrito mRNA (por meio do RT-PCR, do sequenciamentodireto e PCR quantitativo em tempo real) e da proteína (por meio de imunoistoquímica)...


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Displasia Fibrosa Óssea/patologia , Fibroma Ossificante/patologia , Osteossarcoma Justacortical/patologia , Ciclina D1/administração & dosagem
11.
Rev. ABRO ; 12(01): 15-26, 2011. ilus
Artigo em Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-855332

RESUMO

Várias lesões podem acometer os ossos do complexo maxilo-facial, as quais apresentam comportamento e caracterísitcas clínico-radiográficas distintas dependendo da natureza de cada uma delas. Nesses ossos ocorrem lesões neoplásicas e não neoplásicas, como os cistos e tumores odontogênicos, cistos e neoplasias não-odontogências, lesões fibro-ósseas, reativas e do desnvolvimento. Nesta revisão, por reapresentarem lesões de relevância clínico-radiográfica, foram discutidas as caracterísitcsa clínico-epidemiológicas, radiográficas e diagnóstico diferencial das lesões fibro-ósseas (displasia fibrosa, displasias ósseas e fibroma ossificante) além de outras patologias não neoplásicas como lesão central de células gigantes, cisto ósseo aneurismático, cavidade óssea idiopática e defeito ósseo de Stafne.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Displasia Fibrosa Óssea/diagnóstico , Displasia Fibrosa Óssea , Fibroma Ossificante/diagnóstico , Fibroma Ossificante , Traumatismos Maxilofaciais , Anormalidades Maxilofaciais/diagnóstico , Anormalidades Maxilofaciais
12.
Rev. ABRO ; 12(01): 27-36, 2011. ilus
Artigo em Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-855333

RESUMO

A displasia fibrosa é uma condição patológica benigna onde ocorre a proliferação e substituição do tecido ósseo por tecido fibroso. Existem duas categorias primárias da doença: displasia fibrosa monostótica, que envolve somente um osso, e displasia fibrosa poliostótica, que acomete múltiplos ossos, ocorrendo mais frequentemente no esqueleto crânio-facial. Geralmente esta condição patológica tem início na infância e progride até a puberdade e adolescência, podendo estar relacionada com a chamada Síndrome de McCune-Albright. Neste trabalho, realizou-se uma revisão de literatura a apresenta-se um caso clínico, enfocando os aaspectos etiológicos, clínicos, imaginológicos e o respectivo tratamento da displasia fibrosa crânio-facial.


Assuntos
Humanos , Feminino , Adulto , Displasia Fibrosa Óssea/diagnóstico , Displasia Fibrosa Óssea/etiologia , Displasia Fibrosa Óssea , Displasia Fibrosa Óssea/terapia , Displasia Fibrosa Monostótica/diagnóstico , Displasia Fibrosa Poliostótica/diagnóstico
14.
J. Health Sci. Inst ; 26(2): 254-257, abr.-jun. 2008.
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-873788

RESUMO

O Querubismo é uma doença óssea rara, não neoplasica, de caráter hereditário, que acomete crianças com predileção pelo gênero masculino cujas características clínicas são aumento da mandíbula e maxila de maneira bilateral e indolor, que tende a progredir até a puberdade, quando acontece o processo de remissão espontânea. O tratamento para a doença depende do curso clínico, porém não existe nenhum protocolo definindo qual é o melhor tipo de tratamento para cada caso. Sendo assim, fica a critério do cirurgião-dentista avaliar o melhor procedimento para seu paciente


Assuntos
Diagnóstico Diferencial , Displasia Fibrosa Óssea , Querubismo/etiologia , Doenças Ósseas , Osso e Ossos/lesões , Radiografia
15.
Rev. ABO nac ; 14(4): 215-219, ago.-set. 2006. ilus
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-544734

RESUMO

As lesões-fibro ósseas se caracterizam pela substituição da estrutura óssea presente por tecido fibroso. As características clínicas, radiográficas e histopatológicas são importantes para o diagnóstico final da lesão. Os autores discutem quais as indicações da tomografia computadorizada (TC) no diagnóstico, tratamento e acompanhamento das displasias fibrosas, realçando as características radiográficas observadas na TC, ilustrando um estudo de caso clínico.


Fibrous-osseous lesions are characterized of the replacement of osseous structures by the current fibrous tissues. The clinical, radiographic, and histopathological characteristics are important for the final diagnosis of the lesion. The authors discuss which indications of computed tomography (TC) for the diagnosis, treatament and evaluation of fibrous dysplasias, emphazising the radiographic characteristics seen in CT, and showing a case report.


Assuntos
Humanos , Masculino , Adulto , Ossos Faciais , Displasia Fibrosa Óssea , Tomografia Computadorizada por Raios X
16.
Rev. fac. odontol. Univ. Fed. Bahia ; 32: 45-50, jan.-jun. 2006. ilus
Artigo em Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-858054

RESUMO

A displasia fibrosa é definida como processo patológico benigno em que ocorre a substituição gradativa, do tecido ósseo normal por tecido fibroso e trabéculas ósseas neo-formadas. A lesão pode acometer um ou mais ossos que compõem o esqueleto. Clinicamente pode se observar que a lesão tem acometimento precoce, atingindo indivíduos entre a primeira e a segunda década de vida, sendo rara a ocorrência tardia. Acometem ambos os gêneros com a mesma freqüência e tem se observado que a progressão da lesão ocorre durante o período de crescimento ósseo é alcançada. Caracteristicamente a displasia fibrosa apresenta crescimento lento, o sinal clínico inicial é um aumento de volume ou abaulamento indolor dos maxilares, o que pode levar a uma assimetria facial e poderá haver, ainda, mau alinhamento dentário devido à expansão da lesão, normalmente sem rompimento da cortical óssea. A tumefação é recoberta por mucosa oral íntegra de coloração normal sendo rara a presença de ulceração. A aparência radiográfica da lesão é variável, pode se encontrar tanto uma imagem radiolúcida normalmente em pacientes jovens, quanto uma área densamente radiopaca, comum em pacientes com idade avançada. Contudo uma imagem classicamente observada é a que apresenta uma área fracamente radiopaca com o aspecto de vidro despolido" sendo que os limites entre osso sadio e a lesão são indefinidos. Este trabalho tem como objetivo apresentar o relato de caso de uma paciente portadora de displasia fibrosa craniofacial.


Assuntos
Adulto , Humanos , Feminino , Displasia Fibrosa Óssea/diagnóstico , Ossos Faciais , Crânio
17.
Odontol. clín.-cient ; 3(1): 25-29, jan.-abr. 2004. graf
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-413517

RESUMO

Neste estudo foram obtidos dados epidemiológicos da displasia fibrosa dos maxilares no Hospital Santa Casa de Misericórdia do estado de São Paulo, Brasil. Foram investigados casos de lesões benignas por meio de arquivos de pacientes que freqüentaram o hospital de 1995 a 2001. Foram diagnosticados 154 casos de lesões ósseas benignas após exame clínico, por imagem e histopatológico. Destas, 19% correspondiam a displasia fibrosa, no qual a forma monostótica (79%) demonstrou maior prevalência. A maxila (55%) foi mais envolvida que a mandíbula (35%). A doença afetou mais pacientes da 2a, 3a e 4a décadas de vida. Houve maior predileção para pacientes do sexo feminino (63%) e da cor branca (74%). Houve prevalência significante da displasia fibrosa dentre as lesões benignas dos maxilares. Em relação ao sexo, idade e ossos, os dados estão de acordo com os relatos da literatura. Em relação a cor, esta pode ser um dos fatores predisponentes para a displasia fibrosa


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Displasia Fibrosa Óssea/epidemiologia
18.
Rev. bras. patol. oral ; 2(4): 18-23, out.-dez. 2003. graf
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-404228

RESUMO

A designação "lesão fibro-óssea" descreve apenas um processo que inclui um grande grupo de lesões onde se fazem presentes hamartomas, processos displásicos e reativos, bem como neoplasmas, possuindo como aspecto comum à substituição do osso por tecido conjuntivo fibroso, contendo quantidades variáveis de tecido mineralizado. O objetivo deste trabalho foi verificar a prevalência das lesões fibro-ósseas benignas e a sua distribuição quanto ao sexo, raça, localização e faixa etária, diagnosticadas no período entre os anos de 1971 e 1997 no laboratório de Patologia Bucal da FOUSP. Os nossos resultados demonstraram que as LFOB foram as que tiveram maior incidência correspondendo à metade de todas as lesões ósseas, devido à falta de informações adicionais no momento do diagnóstico histopatológico. Na nossa amostra a lesão mais freqüente no grupo de LFOB foi o FCO. Em relação ao grupo de LFOB são mais freqüentes em pacientes do sexo feminino da raça branca com idades variando entre a 1a e a 5a década de vida. No que diz respeito à localização anatômica a mandíbula é mais acometida nos casos diagnosticados como LFOB, FCO, enquanto que a maxila é o sitio anatômico de maior ocorrência nos casos de DF


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Doenças do Desenvolvimento Ósseo , Displasia Fibrosa Óssea/etiologia , Displasia Fibrosa Óssea/patologia , Epidemiologia , Fibroma Ossificante
19.
Rev. bras. patol. oral ; 2(4): 37-42, out.-dez. 2003. ilus, tab
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-404232

RESUMO

A displasia fibrosa é uma alteração óssea benigna do grupo das lesões displásicas na qual ocorre a substituição de tecido ósseo normal por tecido fibroso imaturo. O tipo monostótica consiste no surgimento da lesão em apenas um dos ossos da face, sendo esta forma a mais freqüente e menos severa desta condição. Dos ossos faciais a maxila é a mais afetada. Procedimento cirúrgico conservador e acompanhamento clínico são indicados para o tratamento. O cirurgião deve considerar o período de crescimento ósseo do paciente com o objetivo de evitar as recidivas, que são freqüentes em pacientes tratados precocemente. O presente trabalho relata um caso de paciente do gênero feminino, apresentando a doença na maxila direita, a qual foi submetida a duas cirurgias; a primeira aos 12 anos por desconforto estético, e a segunda, aos 20 anos, por motivo funcional. Os autores propõem estas duas situações como justificativa para o tratamento cirúrgico precoce visto que a recidiva é freqüente, principalmente em pacientes submetidos à cirurgia durante seu estágio de maturação óssea. O tratamento conservador para esses pacientes, sem envolvimento estético grave ou funcional, ainda é o preconizado. Quimioterapia e radioterapia não se apresentam eficazes no controle da lesão


Assuntos
Humanos , Masculino , Doença , Displasia Fibrosa Monostótica/etiologia , Displasia Fibrosa Monostótica/patologia , Displasia Fibrosa Monostótica/terapia , Displasia Fibrosa Óssea/etiologia , Displasia Fibrosa Óssea/patologia , Displasia Fibrosa Óssea/terapia , Maxila
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA
...