Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 20 de 116
Filtrar
Mais filtros










Filtros aplicados

Intervalo de ano de publicação
1.
Dent. press endod ; 9(1): 72-81, jan.-mar. 2019.
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-1024254

RESUMO

Introdução: um dos objetivos da terapia endodôntica é a redução dos fatores microbianos no interior dos canais radiculares, o que pode ser conseguido por meio do preparo químico-mecânico (PQM). O PQM tem como finalidade criar um ambiente propício à condição de reparo, por meio da limpeza e modelagem do sistema de canais radiculares (SCR), que associa a ação mecânica dos instrumentos ao uso de substâncias químicas auxiliares. Em relação ao limite apical desse preparo e ao diâmetro apical final da instrumentação, podemos observar que não há consenso entre os profissionais. Introdução: o objetivo do presente estudo foi avaliar, por meio de uma revisão de literatura, a eficiência de duas técnicas no preparo e desinfecção do terço apical do SCR: a técnica de ampliação foraminal e a técnica de batente apical com manutenção da patência foraminal. Métodos: foi realizada uma busca nas bases de dados PubMed, Medline, BBO, Lilacs e SciELO, usando os seguintes termos: canal radicular, forame apical, endodontia, lima de patência, tamanho apical, lima apical final, preparo biomecânico, ampliação foraminal, comprimento de trabalho, anatomia dental, tratamento endodôntico, patência foraminal, preparo do canal radicular e batente apical. Cada um desses termos foi combinado utilizando os operadores booleanos E/OU. Após leitura dos resumos, 65 artigos foram selecionados e incluídos nessa revisão. Resultados: os resultados demonstraram que o alargamento do terço apical, seja com ou sem ampliação foraminal, parece favorecer o prognóstico do tratamento endodôntico, devido à redução do conteúdo infeccioso em toda a extensão do SCR. A manutenção da patência foraminal é um fator essencial para um PQM adequado quando a técnica de batente apical é realizada. Conclusão: conclui-se que preparos apicais mais amplos promovem resultados mais previsíveis, e que a ampliação foraminal possibilita o melhor debridamento e desinfeção do SCR (AU).


Introduction: Endodontic therapy should reduce the microbial load within the root canals, which can be achieved during chemomechanical preparation (CMP). The purpose of CMP of the root canal system (RCS) is to create a favorable environment for healing. CMP associates the mechanical action of instruments with the use of auxiliary chemical substances. There is no consensus among professionals about what should be the diameter of the apical foramen after CMP. This literature review evaluated the efficiency of two apical preparation techniques: foraminal enlargement and apical stop with maintenance of foraminal patency. Material and methods: A literature search was conducted in PubMed, Medline, BBO, Lilacs and Scielo using the following terms: root canal, apical foramen, endodontics, patency file, apical size, master apical file, biomechanical preparation, foraminal enlargement, working length, dental anatomy, endodontic treatment, foraminal patency, root canal preparation, and apical stop. All terms were combined using the Boolean operators AND/OR. After the abstracts were analyzed, 65 full texts were selected and included in this review. Results: The enlargement of the apical third, with or without foraminal enlargement, seems to improve endodontic treatment prognosis due to the reduction of infectious contents throughout the RCS. Foraminal patency is essential for adequateCMP when the apical stop technique is performed. Conclusion: Apical preparations with a greater diameter have more predictable results, and foraminal enlargement ensures better debridement and disinfection of the RCS (AU).


Assuntos
Tratamento do Canal Radicular , Preparo de Canal Radicular , Doenças Periapicais , Ápice Dentário
2.
Araçatuba; s.n; 2019. 96 p. ilus, tab.
Tese em Inglês | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-1051421

RESUMO

Objetivo: O objetivo do presente estudo foi avaliar o efeito da administração sistêmica de probióticos nos parâmetros hematológicos, microbiológicos do canal radicular e da saliva e no desenvolvimento da periodontite apical (PA) induzida em ratos. Material e Métodos: Foram utilizados 24 ratos Wistar machos. PA foi induzida nos primeiros molares inferiores e superiores (lado esquerdo e direito). Os animais foram divididos em 3 grupos: controle, Lactobacillus rhamnosus e Lactobacillus acidophilus. Os probióticos foram administrados por gavagem (109 unidades formadoras de colônias (CFU)) diluídas em 5 mL de água durante o período de desenvolvimento da PA (30 dias). No trigésimo dia, foi realizada punção cardíaca para análise de hemograma, cálcio, fósforo e concentração de fosfatase alcalina no sangue. Além disso, foi realizada análise microbiológica do conteúdo do canal radicular e da saliva. Em seguida, os animais foram eutanasiados e a mandíbula e maxila foram removidas para análise da PA através da microtomografia computadorizada; análises histopatológicas (hematoxilina - H&E) e de imunomarcação para interleucina 10 (IL-10), interleucina 1 beta (IL-1ß), interleucina 6 (IL-6), ligante do recetor ativador do fator nuclear kappa B (RANKL), osteoprotegerina (OPG) e fosfase ácida resistente ao tataráto (TRAP). Os dados foram estatisticamente analisados com nível de significância de 5%. Resultados: A fosfatase alcalina foi maior nos grupos que consumiram probióticos (p>0.05). A contagem total de microrganismos no canal radicular/saliva, o infiltrado inflamatório e a imunomarcação para IL-1ß e IL-6 no PA foram menores nos grupos probióticos quando comparados ao controle (p<0.05). Observou-se que a IL-10 foi mais imunomarcada nos grupos probióticos do que no grupo controle (p<0.05). Menor volume de reabsorção óssea foi observada nos grupos que consumiram probióticos (p<0.05). A imunomarcação para RANKL e TRAP foram menores nos grupos probióticos quando comparados ao controle (p<0.05). Observou-se que a OPG foi mais imunomarcada no grupo Lactobacillus acidophilus do que no grupo Lactobacillus rhamnosus e controle (p<0.05). Não houve diferença estatística na contagem de lactobacilos no canal radicular/saliva bem com no perfil hematológico, cálcio e fósforo entre os grupos (p>0.05)(AU)


Aim: The objective of the present study was to evaluate the effect of systemic administration of probiotics on haematological, microbiological parameters of the root canal and saliva and on the development of apical periodontitis (AP) induced in rats Materials and Methods: Twenty-four male Wistar rats were used. PA was induced in the lower and upper first molars (left and right side). The animals were divided into three groups: control, Lactobacillus rhamnosus and Lactobacillus acidophilus. Probiotics were administered by gavage (109 colony forming units (CFU)) diluted in 5 mL of water during the developmental period of PA (30 days). On the thirtieth day, cardiac puncture was performed for hemogram, calcium, phosphorus and alkaline phosphatase concentration in the blood. In addition, a microbiological analysis of the root canal and saliva contents was performed. Afterwards, the animals were euthanized and the mandible and maxilla were removed for analysis of PA by computerized microtomography; interleukin 10 (IL-10), interleukin 1 beta (IL-1ß), interleukin 6 (IL-6), receptor activator of NF-κB ligand (RANKL), osteoprotegerin (OPG) and tartrate-resistant acid phosphatase (TRAP). The data were statistically analyzed with significance level of 5%. Results: Alkaline phosphatase was higher in the groups that consumed probiotics (p>0.05). The total count of microorganisms in the root canal/saliva, inflammatory infiltrate and immunolabeling for IL-1ß and IL-6 in BP were lower in the probiotic groups when compared to the control group (p<0.05). It was observed that IL-10 was more immunolabelled in the probiotic groups than in the control group (p<0.05). Lower volume of bone resorption was observed in the groups that consumed probiotics (p<0.05). Immunoblotting for RANKL and TRAP were lower in probiotic groups when compared to control (p<0.05). It was observed that OPG was more immunolabelled in the Lactobacillus acidophilus group than in the Lactobacillus rhamnosus group and control (p<0.05). There was no statistically significant difference in the lactobacillus count in the root canal / saliva as well as in the hematological profile, calcium and phosphorus between the groups (p>0.05). Conclusion: Supplementation with probiotics (Lactobacillus rhamnosus and Lactobacillus acidophilus) had a significant effect on the reduction of PA severity in rats, as well as the reduction of total root canal/saliva microorganisms concomitantly with increased alkaline phosphatase blood, demonstrating the capacity of probiotics in modulating the development of PA(AU)


Assuntos
Animais , Ratos , Periodontite Periapical , Probióticos , Lactobacillus rhamnosus , Lactobacillus acidophilus , Doenças Periapicais , Saliva , Ratos Wistar , Cavidade Pulpar
3.
Rev. Rede cuid. saúde ; 12(1): 22-41, 15/07/2018.
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-998960

RESUMO

Objetivo: O objetivo deste trabalho foi revisar a literatura científica pertinente, dando enfoque ao tratamento endodôntico e dentes portadores de necrose pulpar associados à periodontite apical como fator de risco às manifestações sistêmicas, desde a teoria da infecção focal até os dias atuais. Metodologia: Empregou-se fontes de catalogação bibliográfica identificadas eletronicamente pelo MEDLINE, até setembro de 2018. Os artigos relacionados pela busca eletrônica foram selecionados, por três revisores independentes, avaliando os critérios de inclusão e exclusão. Resultados: A busca apresentou 107 artigos, sendo que destes, 17 estudos satisfizeram os critérios de inclusão, o que possibilitou a análise dos dados. Conclusão: Muitos dos preceitos da teoria da infecção focal estão sendo reerguidos por pesquisas que mostram cada vez mais a existência de associações entre patologias endodônticas e sistêmicas.


Objective: The aim of this work was to review the pertinent scientific literature, focusing on endodontic treatment and teeth with pulp necrosis associated with apical periodontitis as a risk factor for systemic manifestations, from the focal infection theory to the present day. Methodology: The sources of bibliographic cataloging electronically identified by MEDLINE were used until September 2018. Articles related to the electronic search were selected by three independent reviewers, evaluating the inclusion and exclusion criteria. Results: The search presented 107 articles, of which, 17 studies met the inclusion criteria, which made it possible to analyze the data. Conclusion: Many of the precepts of the focal infection theory are being reinstated by research that increasingly shows the existence of associations between endodontic and systemic pathologies.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Idoso , Doenças Periapicais , Pulpite , Cavidade Pulpar , Infecção Focal Dentária
4.
Dent. press endod ; 8(1): 8-16, Apr-Jun. 2018. ilus
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-883673

RESUMO

Muitos profissionais ficam confusos quando um dente tem lesão periapical e mantém a vitalidade pulpar. Muitas lesões imitam imagiologicamente as lesões periapicais crônicas inflamatórias e os dentes permanecem com vitalidade pulpar. Sempre devemos lembrar que: 1) dentes com vitalidade pulpar não devem ser abertos sem um diagnóstico prévio das lesões que são portadores; tratamento endodôntico não deve ser aplicado como meio de diagnóstico ou teste terapêutico de lesões periapicais em dentes com vitalidade pulpar. 2) Realizar tratamentos endodônticos em dentes com vitalidade pulpar e com lesões que imitam periapicopatias pode prolongar o tempo de uma abordagem adequada e piorar em muito o prognóstico da lesão. 3) Em dentes com vitalidade pulpar e lesões periapicais de origem a determinar, é muito importante a inter-relação clínica, imagiológica e microscópica para a troca de experiências e conhecimento, visando um diagnóstico seguro e terapêutica eficaz. 4) As lesões relacionadas devem ser mentalizadas ou anotadas para que se aplique sempre frente a dentes com lesões periapicais e com vitalidade pulpar!


Assuntos
Humanos , Polpa Dentária , Doenças Periapicais/diagnóstico , Doenças Periapicais/terapia , Coroa do Dente
5.
Araçatuba; s.n; 2018. 39 p. tab.
Tese em Inglês | BBO - Odontologia | ID: biblio-1051712

RESUMO

O objetivo deste estudo clínico foi avaliar a eficácia de dois sistemas rotatórios: HyFlex CM e ProTaper Next na remoção de bactérias cultiváveis e endotoxinas de canais radiculares infectados. Vinte e quatro canais radiculares de molares e pré-molares com necrose pulpar e lesão periapical foram selecionados e divididos aleatoriamente em 2 grupos: HyFlex CM (n = 12); e ProTaper Next (n = 12). As amostras foram coletadas antes e após o preparo biomecânico e inoculadas em frascos específicos. A irrigação foi realizada com hipoclorito de sódio a 2,5%. Um teste turbidimétrico LAL (Pyrogent 5000 ­ Lonza, Walkersville, MD, EUA) foi utilizado para quantificar endotoxinas. Cultura microbiológica foi utilizada para determinar a contagem de unidades formadoras de colônias bacterianas (UFC/mL). Os dados coletados foram analisados estatisticamente usando SigmaPlot 12.0 para Windows (Systat Software Inc., San Jose, CA). Foi realizado o teste estatístico de Two-Way ANOVA e o nível de significância foi de 5%. Nas coletas antes do preparo biomecânico, bactérias cultiváveis e endotoxinas foram evidenciadas em 100% das amostras. A análise de cultura revelou que não houve uma diferença estatisticamente significativa na redução bacteriana entre os dois sistemas de instrumentação. As endotoxinas estavam presentes em 100% dos canais após a instrumentação e não houve diferença estatística entre os dois sistemas na redução de endotoxinas. Assim, concluímos que ambos os sistemas de instrumentação foram eficazes na redução de bactérias e endotoxinas de canais radiculares com infecção endodôntica primária e que não houve diferença estatística entre eles. Contudo, nenhum sistema foi capaz de eliminar 100% das bactérias e seus subprodutos(AU)


The aim of this clinical study was to compare the effectiveness of two rotary systems: HyFlex CM and ProTaper Next on the removal of cultivable bacteria and endotoxins from primarily infected root canals. Twenty-four root canals of molars and premolars with pulp necrosis were selected and randomly divided into 2 groups: HyFlex CM (n = 12); and ProTaper Next (n = 12). Samples were collected before and after the biomechanical preparation and inoculated in specific flasks. Irrigation was performed using 2.5% sodium hypochlorite. A kinetic turbidimetric lysate assay of limulus amoebocytes was used to quantify endotoxins. Microbiological culture was used to determine the count of bacterial colony forming units (CFU/mL). Data collected were statistically analyzed using SigmaPlot 12.0 for Windows (Systat Software Inc, San Jose, CA). The TwoWay ANOVA statistical test was performed and the level of significance was 5%. In the samples before the biomechanical preparation, cultivable bacteria and endotoxins were evidenced in 100% of the cases. The culture analysis revealed that there was no statistically significant difference in the bacterial reduction between the two instrumentation systems. Endotoxins were present in 100% of the canals after instrumentation, and there was no statistical difference between the two systems in endotoxin reduction. Thus, it was concluded that both instrumentation systems were effective in reducing root canal bacteria and endotoxins with primary endodontic infection and that there was no statistical difference between them. However, no system was able to eliminate 100% of the bacteria and their by-products(AU)


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Tratamento do Canal Radicular , Bactérias , Desinfecção , Endotoxinas , Doenças Periapicais , Pulpite , Necrose da Polpa Dentária
6.
Belo Horizonte; s.n; 2018. 75 p. ilus, graf, tab.
Tese em Inglês, Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-912474

RESUMO

A progressão e desenvolvimento de patologias pulpares e periapicais estão intimamente relacionados à presença de microrganismos e seus subprodutos nos sistema de canais radiculares (SCR), que induzem uma resposta de defesa adjacente ao ápice radicular. A angiogênese é apontada como fator essencial na patogênese das alterações periapicais crônicas, estando relacionada ao seu estabelecimento e manutenção, por ser fonte constante de citocinas, quimiocinas e proteases. A angiogênse também está relacionada ao reparo tecidual que segue à resolução das alterações perirradiculares após a realização da terapia endodôntica. Neste estudo, avaliou-se a expressão de fatores pró-angiogêncios e citocinas relacionadas, em amostras coletadas de pacientes (n=20) com dentes portadores de Periodontite Apical Crônica imediatamente após a instrumentação dos SCR e 7 dias após os procedimentos de desinfecção. As amostras foram analisadas por meio de reação em cadeia da polimerase em tempo real (PCR-RT). Verificou-se a expressão gênica de fatores pró-angiogênicos e citocinas Angiopoetina-1 (AGT1), Fator de crescimento endotelial vascular-A (VEGF-A), Fator de crescimento fibroblástico básico (FGF-ß), Proteína quimiotática de monócitos (CCL2/MCP-1), Proteína inflamatória de macrófagos-1ß (CCL4), C-X-C Receptor de quimiocina tipo 4 (CXCR4), C-C Receptor de quimiocina tipo 6 (CCR6), TNF-α, IFN-γ, IL-17, IL-10, IL6, RANK-L e MMP-9. A expressão do mRNA dos mediadores avaliados revelou aumento significativo nos níveis de AGT1, CCL2/MCP-1, CCL4, CCR6, TNF-α, IFN- γ, IL-10, RANK-L e MMP-9 no dia 7 quando comparado com o dia 0 (P <0,05). Para VEGF-A, FGF-ß, CXCR4, IL-17 e IL-6 as expressões de mRNA foram semelhantes em ambos tempos mensurados (P> 0,05). Pode-se concluir que, após desinfecção do SCR, houve aumento nos níveis de expressão de mRNA de importantes mediadores envolvidos nos fenômenos angioproliferativos e osteogênicos.(AU)


The progression and development of pulpal and periapical pathologies are closely related to the presence of microorganisms and their by-products in the infected root canal system (RCS), which induces a defense response adjacent to the root apex. Angiogenesis has been identified as an essential factor in the pathogenesis of chronic periapical alterations, being related to its establishment and maintenance, being a constant source of cytokines, chemokines and proteases. Angiogenesis is also related to the tissue repair that follows the resolution of the periradicular alterations after the implementation of endodontic therapy. In this study, was evaluated the expression of pro-angiogenic factors and correlated cytokines in samples collected from patients (n = 20) on teeth with Chronic Apical Periodontitis immediately after RCS instrumentation and 7 days after disinfection procedures. Samples were analyzed by real-time polymerase chain reaction (RT-PCR). The gene expression of pro-angiogenic factors and cytokines Angiopoetin-1 (AGT1), Vascular endothelial growth factor-A (VEGF-A), Basic fibroblast growth factor (FGF-ß), Monocyte Chemoattractant Protein-1 (CCL2/MCP-1), Macrophage inflammatory protein-1ß (CCL4), C-X-C chemokine receptor motif 4 (CXCR4), C-C chemokine receptor motif 6 (CCR6), TNF-α, IFN-γ, IL-17, IL-10, IL-6, RANK-L and MMP-9. The mRNA expression of the mediators evaluated revealed a significant increase in levels of AGT1, CCL2/MCP-1, CCL4, CCR6, TNF-α, IFN-γ, IL-10, RANK-L and MMP-9 on day 7 when compared to day 0 (P <0.05). As for VEGF-A, FGF-ß, CXCR4, IL-17 and IL-6 their mRNA expressions was similar at both observed times (P> 0.05). In conclusion, after cleaning and shaping procedures of the RCS, there was an increase in mRNA expression levels of important mediators involved in angioproliferative and osteogenic phenomenon.(AU)


Assuntos
Humanos , Indutores da Angiogênese , Citocinas , Necrose da Polpa Dentária , Expressão Gênica , Pulpite , Receptores de Quimiocinas , Endodontia , Doenças Periapicais
7.
Belo Horizonte; s.n; 2018. 134 p. ilus, tab.
Tese em Inglês, Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-1102261

RESUMO

Os povos indígenas compõem 305 etnias, distribuídas por todas as unidades federativas do Brasil. Esta diversidade cultural consiste em uma das maiores riquezas do país, mas, ao mesmo tempo, é também um grande desafio para a elaboração e implementação de políticas públicas específicas e diferenciadas. O objetivo deste estudo foi analisar o perfil epidemiológico de saúde bucal e a necessidade de tratamento endodôntico de indígenas das etnias SATERÉ MAWÉ, que vivem em Barreirinha-AM, e TIKUNA, residentes na zona urbana de MANAUS-AM. Após determinar a necessidade de tratamento endodôntico, este estudo comparou as respostas perirradiculares de infecções endodônticas entre membros de uma civilização ocidental, residentes em Belo Horizonte MG, e indígenas não miscigenados da etnia TIKUNA. Para a análise epidemiológica participaram do estudo 138 indivíduos, sendo 98 pertencentes à etnia TIKUNA e 40 SATERÉ-MAWE; distribuídos nos grupos etários de 7 a 50 anos ou mais. Para a analise imunológica das alterações perirradiculares das populações selecionas, coletaram-se as amostras clínicas em dentes portadores de necrose pulpar. Os indígenas da etnia Tikuna foram atendidos na Clínica de Endodontia da UNIP (Universidade Paulista), campus Manaus. Os membros da população ocidental foram atendidos nas clínicas da Faculdade de Odontologia da UFMG. As amostras foram coletadas imediatamente após a instrumentação do SCR, introduzindo-se cones absorventes nos SCR, 1 mm além do ápice radicular. Subsequentemente, as amostras foram transferidas para um tubo estéril, e mantidas na temperatura de - 70 º C até a sua análise. Utilizando-se o PCR em tempo real, avaliou-se a expressão das citocinas e quimiocinas TNF-, IL-1-, IL-9, INF-, IL-17, IL-10, CXCR-4, CCL-2/MCP-1 e CCR-6. Os resultados demonstram que, em relação à etnia SATERÉ-MAWÉ, na faixa etária de 7 a 12 anos, o CPO-d apresentou valor médio de 3.17. Comparando-se o índice CPO-d e a necessidade de tratamento endodôntico em cada uma das etnias, verificou-se que estas variáveis estão correlacionadas, uma vez que, à medida que o CPO-d aumentou, verificou-se um aumento na necessidade de tratamento endodôntico. Os molares prevaleceram dentre os os dentes mais acometidos por cárie e com necessidade de tratamento endodôntico. Quanto à análise imunológica, observou-se um aumento significativo na expressão gênica de TNF, CCL-2/MCP-1, CXCR4, e CCR6, após os procedimentos de limpeza e formatação dos SCR apenas na população ocidental. Os níveis de INF- aumentaram na 2a coleta na população indigena, enquanto, em ambas as populações, houve um aumento significativo na expressão de IL-10 e IL-17 após os procedimentos de limpeza e formataçao. Não observaram-se diferenças significativas entre as expressões de IL-1 , IL-9, e CCL4, entre a 1ª e 2ª coleta, em ambas as populações. Conclui-se que as populações indígenas encontram-se desasistidas, visto que o CPO-d de ambas as etnias se encontram acima dos padrões recomendados pela OMS, principalmente na faixa etária de 07 a 12anos. Ademais, o nível de escolaridade ainda é muito baixo nas populações indígenas analisadas, mesmo na comunidade Tikuna, situada na zona urbana de Manaus/AM. Finalmente, observaram-se padrões imunes distintos quando se comparou as respostas das comunidades ocidentais e Tikuna, sugerindo que os determinantes genéticos e ambientais devem ser mais bem avaliados no futuro.


The indigenous peoples comprise 305 ethnic groups, distributed by all the federative units of Brazil. This cultural diversity is one of the most significant assets of the country, but at the same time, it is also a great challenge for the elaboration and implementation of specific and differentiated public policies. The objective of this study was to analyse the epidemiological profile of oral health and the need for endodontic treatment of SATERÉ MAWÉ indigenous people living in Barreirinha-AM, and TIKUNA, living in the urban area of MANAUS-AM. After determining the need for endodontic treatment, this study compared the perirradicular responses of endodontic infections among members of western civilisation, living in Belo Horizonte - MG, and no - mixed indigenous TIKUNA. For the epidemiological analysis, the study consisted of 138 individuals, of whom 98 were TIKUNA ethnicity, and 40 were SATERÉ-MAWE ethnics; aged between 7 and 50 years or more. For the immunological analysis of the perirradicular alterations of the selected populations, the clinical samples were collected in teeth with pulp necrosis. The Tikuna Indians were treated at the Endodontics Clinic of UNIP (Universidade Paulista), Manaus campus. The members of the western population were attended in the clinics of the Faculty of Dentistry of UFMG. Samples were collected immediately after SCR instrumentation, introducing absorbent cones in the SCR, 1 mm beyond the root apex. Subsequently, the samples were transferred to a sterile tube and maintained at -70 ° C until analysed. Using the real-time PCR, the expression of cytokines and chemokines TNF-, IL-1-, IL-9, INF-, IL-17, IL-10, CXCR- 2 / MCP-1 and CCR-6. The results show that, concerning the ethnicity SATERÉ-MAWÉ, in the age group of 7 to 12 years, the CPO-d presented a mean value of 3.17. Comparing the CPO-d index and the need for endodontic treatment in each of the ethnicities, these variables were correlated, since, as CPO-d increased, there was an increase in the demand for endodontic treatment. The molars prevailed among the teeth most affected by caries and in need of endodontic treatment. As for the immunological analysis, a significant increase in the gene expression of TNF, CCL-2 / MCP-1, CXCR4, and CCR6 was observed after the SCR cleaning and formatting procedures only in the western population. INF- levels increased in the second collection in the Indian community, while in both people, there was a significant increase in the expression of IL-10 and IL-17 after the cleaning and shaping procedures. There were no significant differences between IL-1, IL-9, and CCL4, between the 1st and 2nd collection, in both populations. It is concluded that the indigenous people are disassociated, since the CPO-d of both ethnic groups is above the standards recommended by the WHO, especially in the age group from 07 to 12 years. Besides, the educational level is still shallow in the indigenous populations analysed, even in the Tikuna community, located in the urban area of Manaus / AM. Finally, distinct immune patterns were observed when comparing Western societies and Tikuna responses, suggesting that genetic and environmental determinants should be better evaluated in the future. Keywords: endodontic treatment, epidemiology, indigenous, cytokines, chemokines, periapical lesion.


Assuntos
Doenças Periapicais/epidemiologia , Expressão Gênica , Saúde Bucal , Citocinas , Quimiocinas , Cárie Dentária/epidemiologia , Povos Indígenas , Endodontia
8.
Dent. press endod ; 7(1): 20-25, Jan-Apr. 2017. ilus
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-846721

RESUMO

A presença de uma alteração óssea periapical na região anterior da maxila, mais precisamente entre os incisivos superiores, pode ser erroneamente confundida com uma periodontite apical (AP) ou um cisto do ducto nasopalatino (CDNP). O diagnóstico diferencial é de suma importância para definir o tratamento adequado. O exame clínico, mais especificamente o teste de sensibilidade pulpar, é de suma importância, pois dentes portadores de periodontite apical não respondem ao teste, diferentemente dos casos de cisto do ducto nasopalatino. Uma paciente com 48 anos de idade, sexo feminino, compareceu à clínica de Endodontia com inchaço na região de palato e fundo de sulco anterior, relatando dor aguda ao redor dos incisivos centrais, sendo submetida a exames clínicos e radiográficos. Os exames clínicos mostraram ausência de vitalidade pulpar e as radiografias evidenciaram uma área radiolúcida simétrica na região de linha média, que poderia ser uma lesão endodôntica ou um CDNP. Durante o tratamento endodôntico, foi observada comunicação entre o canal radicular e a lesão periapical, sugerindo uma lesão de origem endodôntica. O tratamento endodôntico foi realizado e, após oito meses de acompanhamento, foi possível observar regressão da lesão. Este caso evidencia a importância de um diagnóstico diferencial preciso entre PA e CDNP, para planejar o tratamento adequado e favorecer o reparo dos tecidos periodontais.


Assuntos
Humanos , Feminino , Pessoa de Meia-Idade , Diagnóstico Bucal , Endodontia , Cistos não Odontogênicos , Doenças Periapicais , Periodontite Periapical
9.
Belo Horizonte; s.n; 2017. 142 p. ilus.
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-908571

RESUMO

Esta Tese reporta dois estudos distintos relacionados à terapia de manutenção periodontal (TMP): achados microbiológicos longitudinais de 6 anos relacionados à cooperação dos indivíduos e efeito do tabagismo na perda dental. A justificativa para estes estudos é baseada em dois aspectos pontuais: (1) Embora a associação do tabagismo como fator de risco para a periodontite e pior resposta à TMP tenha sido demonstrada em muitos estudos, o efeito isolado deste sobre a perda dental em indivíduos submetidos a TMP ainda não foi reportado em revisões sistemáticas; (2) Poucos estudos têm sido conduzidos avaliando mudanças longitudinais na microbiota subgengival de indivíduos em TMP e, até o momento, nenhum estudo relacionou níveis de bactérias associadas à periodontite com o grau de cooperação dos indivíduos em TMP. Neste sentido, os objetivos deste estudo são apresentados em dois artigos científicos: (1) realizar uma revisão sistemática e meta-análise do efeito do tabagismo na perda dental em indivíduos em TMP, com a seguinte questão focal: ¿Qual é o efeito do tabagismo na perda dental em indivíduos em terapia de manutenção periodontal?¿; (2) avaliar longitudinalmente, durante 6 anos, o efeito da cooperação em TMP na frequência das bactérias Actinomyces naeslundii, Porphyromonas gingivalis, Tanerella forsythia e Treponema dentícola. Na revisão sistemática as bases de dados MEDLINE, WEB OF SCIENCE, COCHRANE LIBRARY e SCOPUS foram pesquisadas, incluindo artigos até fevereiro de 2017. A estratégia de busca identificou 728 referências. Após a remoção das duplicatas, restaram 591 para a seleção baseada nos títulos e resumos, e desses, foram selecionados 36 para leitura completa do texto. Após a leitura, foram incluídos 10 artigos para revisão sistemática e 3 artigos para meta-análise. A qualidade da evidência científica foi moderada para indivíduos tabagistas em TMP apresentarem maior chance de perda dental que indivíduos não tabagistas. A metodologia do estudo microbiológico englobou um total de 56 indivíduos, todos recrutados de um coorte prospectivo com 212 participantes de um programa de TMP. Estes indivíduos foram acompanhados durante 6 anos, em 5 tempos de avaliações: T1 (anterior à terapia periodontal ativa), T2 (após a terapia periodontal ativa), T3 (última visita à TMP em 2 anos), T4 (última visita à TMP em 4 anos) e T5 (última visita à TMP em 6 anos). Assim, 28 indivíduos cooperadores regulares (CR) foram randomizados e pareados, pelo gênero e idade, a 28 indivíduos cooperadores irregulares (CI). Durante a TMP, os exames periodontais avaliaram os parâmetros clínicos: índice de placa (IP), profundidade de sondagem (PS), nível clínico de inserção (NCI) e sangramento à sondagem (SS). A quantificação de bactérias em carga total e dos níveis de A. naeslundii, P. gingivalis, T. forsythia e T. dentícola foi executada pela reação em cadeia da polimerase quantitativa (qPCR). Este estudo concluiu que CI apresentaram piores parâmetros clínicos periodontais e maiores níveis de carga bacteriana total que CR, refletindo o papel benéfico da cooperação na TMP em manter a estabilidade da condição periodontal


This Thesis report two distinct issues related to periodontal maintenance therapy (PMT): microbiological findings of 6 years related to compliance of individuas and effect of smoking on tooth loss. The rattionale for these studies is based on two specific aspects: (1) Although the association of smoking as a risk factor for periodontitis and worse response to PMT has been demonstrated in many studies, the isolated effect of smoking on tooth loss in patients undergiong PMT has not been reported in systematic reviews; (2) Few studies have been conducted on longitudinal changes in the subgingival microbiota of individuals in PMT and to date, no study related levels of bacteria to the degree of cooperation of individuls in PMT...


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Doenças Periapicais/terapia , Doenças Periodontais/microbiologia , Tabagismo/fisiopatologia , Perda de Dente/prevenção & controle , Bactérias , Microbiota/efeitos dos fármacos , Periodontite/prevenção & controle , Fatores de Risco
10.
Belo Horizonte; s.n; 2017. 131 p. ilus, tab, graf.
Tese em Inglês, Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-908672

RESUMO

A doença periapical inflamatória é uma sequela da infecção e necrose pulpar. Ela representa a resposta de defesa do hospedeiro à agressão proveniente do canal radicular. Assim, lesões periapicais crônicas se desenvolvem como resposta à manutenção da inflamação e à reabsorção óssea. As células T reguladoras (Treg) e células T helper (Th) 17 (Th17) têm papel fundamental na regulação da resposta imunológica. Forkhead box P3 (FoxP3) é o fator de transcrição para as células Treg, mas a diferenciação e maturação das células T naive em Treg ou Th17 depende também de citocinas específicas como o fator transformador de crescimento ß (TGF-ß), interleucina 10 (IL-10), interleucina 17 (IL-17), interleucina 6 (IL-6) e interleucina 21 (IL-21). Outras citocinas participam na modulação da atividade de Treg e Th17 como as quimiocinas CCL4 e CCL20 com função de recrutamento destas células para atuação no processo inflamatório. O papel de Treg e Th17 tem sido muito estudado em doenças autoimunes, mas ainda pouco avaliado na patogenia das lesões inflamatórias periapicais crônicas. Para este estudo foram utilizadas oitenta e sete amostras de tecido periapical humano para realização de análises morfológicas e dosagem de citocinas por meio de ensaio imunoenzimático (ELISA) (TGF-ß, IL10, IL-17, CCL4, CCL20). As amostras de tecido periapical foram coletadas de três grupos: grupo controle (dentes hígidos), grupo de dentes com necrose pulpar e lesão periapical e grupo de dentes com necrose pulpar sem lesão periapical. Observamos alta expressão de CCL4 e TGF-ß no grupo com lesão periapical quando comparado com os grupos sem lesão e uma correlação positiva entre CCL20 e IL-17, além de um aumento na expressão de CCL20 no grupo com lesão periapical quando comparado ao controle. Nossas observações implicam que essas duas características, tanto pró-inflamatórias quanto imunossupressoras, estão presentes na lesão periapical crônica, ocorrendo de maneira simultânea e com características de co-estimulação, como resultado do intenso trabalho da resposta imunológica do hospedeiro contra o processo inflamatório proveniente das bactérias intracanais e seus subprodutos.(AU)


Inflammatory periapical disease is a sequel of the infection and pulp necrosis. It represents the host defense response to aggression from the root canal. Chronic periapical lesions are developed in response to the maintenance of inflammation and bone resorption. Regulatory T cells (Tregs) and Th17 cells play a key role in regulating the immune response with opposite functions. Forkhead box P3 (FoxP3) is the master transcription factor for Treg cells, but differentiation and maturation of naive T cells in Treg or Th17 also depend on specific cytokines such as transforming growth factor ß (TGFß), interleukin 10 (IL -10), interleukin17 (IL-17), interleukin-6 (IL-6) and interleukin-21 (IL-21). Other cytokines participate in the modulation of the Treg and Th17 activity, as the chemokines CCL4 and CCL20 with function of recruitment of these cells to act in the inflammatory process. The role of Treg and Th17 has been better studied in autoimmune diseases, but sparsely evaluated in the pathogenesis of chronic periapical inflammatory lesions. Eighty-six human samples were used to perform histologic analysis and the cytokine dosage by enzyme-linked immunosorbent assay (ELISA) (TGF-ß, IL-10, IL-17, CCL4, CCL20) in the periapical tissue of three groups: control group, group of teeth with pulp necrosis and periapical lesion and group of teeth with necrosis without periapical lesion. We observed high expression of CCL4 and TGF-ß in the group with periapical lesion in comparison with the groups without lesion and demonstrated increased expression of CCL20 in the group with periapical lesion when compared to control. Our findings imply that these two characteristics, pro-inflammatory and immunosuppressive, are present in the chronic periapical lesion, occurring simultaneously and with co-stimulation characteristics, as a result of the intense actionof the host's immune response against the inflammatory process coming from intracanal bacteria and their by-products.(AU)


Assuntos
Quimiocinas , Citocinas , Doenças Periapicais , Periodontite Periapical , Tecido Periapical , Células Th17 , Necrose da Polpa Dentária
11.
Braz. j. oral sci ; 15(2): 119-123, Apr.-June 2016. tab
Artigo em Inglês | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-848191

RESUMO

Aim: To determine the prevalence of pulp and periradicular diseases in a Brazilian subpopulation, correlating the prevalence with sex, age and most affected teeth. Methods: Data collected from medical records of patients treated at the Clinic of Specialization in Endodontics of the Federal University of Pernambuco between 2003 and 2010. The following variables were recorded for each patient: sex, age, affected teeth and diagnosed endodontic disease. Using Pearson's chi-square and Fisher's exact tests, the collected data analysis was set at a 5% significance level. Results: From all the treated teeth, 57% were diagnosed with pulp diseases, with the symptomatic irreversible pulpitis being the most prevalent (46.3%), while among the diagnosed periradicular diseases (43%), chronic apical periodontitis was the most prevalent (81%). Pulp diseases were detected in men and women in an unequal mode (p=0.008). Subjects under 40 years old had higher prevalence of pulp disease (p=0.286), and patients over 50 years were most affected by periradicular diseases (p=0.439). Maxillary incisors and mandibular first molars were the most affected teeth by endodontic diseases. Conclusions: In the evaluated subpopulation, the endodontic diseases were more prevalente in the maxillary incisive, affected indiscriminately individuals of different age groups and chronic apical periodontitis was the most prevalent diagnosed disease (Au)


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Distribuição por Idade e Sexo , Periodontite Crônica/epidemiologia , Polpa Dentária , Doenças da Polpa Dentária/epidemiologia , Incisivo , Doenças Periapicais/diagnóstico , Periodontite Periapical/epidemiologia , Pulpite/epidemiologia , Radiografia Dentária , Doenças da Polpa Dentária/diagnóstico , Endodontia , Periodontite Periapical/diagnóstico , Pulpite/diagnóstico
12.
Dent. press endod ; 6(2): 7-15, May-Aug. 2016. ilus
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-846944

RESUMO

Apesar da afirmação dogmática de que "se o dente tem lesão periapical, não existe mais vitalidade pulpar", isso não corresponde à realidade, pois existem periapicopatias em que os dentes portadores permanecem com vitalidade pulpar. Para fundamentar esse raciocínio, será discutido no presente artigo: 1) O conceito de periapicopatia verdadeira, 2) As diferenças entre ápice e periápice, 3) A distinção entre pericemento apical e periodonto apical, e 4) Considerações sobre a classificação das periapicopatias verdadeiras. Entre as quatro situações clínicas em que o dente com lesão periapical mantém a vitalidade pulpar, escolheu-se, para este primeiro trabalho de uma série, a Displasia Cemento-Óssea Periapical, que não requer qualquer tratamento, apenas controle ao longo do tempo.


Assuntos
Humanos , Doenças do Desenvolvimento Ósseo , Cementoma/diagnóstico , Doenças Periapicais/classificação , Periodontite Periapical
13.
Araçatuba; s.n; 2016. 134 p. ilus, graf.
Tese em Inglês, Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-867940

RESUMO

Entre as consequências da forma de ação do MTA e seus produtos encontra-se a participação na indução da mineralização nos tecidos onde é aplicado e a redução da inflamação ali presente. Sendo a hipertensão arterial uma desordem crônica de cunho inflamatório que parece agir negativamente na mobilização do cálcio e nas estruturas ósseas do organismo, pode-se inferir que o desenvolvimento da lesão periapical e o seu tratamento por meio do uso do MTA podem ser alterados pela presença do estado hipertensivo. Dessa forma, o objetivo do presente trabalho foi de estudar a influência da hipertensão arterial no padrão fenotípico da lesão periapical, na diferenciação dos osteoclastos, na resposta inflamatória tecidual e na capacidade de mineralização dos cimentos reparadores à base de MTA. Para isso o trabalho foi dividido em três artigos. O artigo 1 comparou aspectos potenciais da formação da lesão periapical nas condições de hipertensão e normotensão, tendo como hipóteses nulas que a hipertensão não altera a quantidade de osteoclastos diferenciados, o tamanho da lesão periapical e a expressão das citocinas inflamatórias IL1α, IL1β e TNFα da lesão periapical. Esse artigo teve como resposta que, apesar de não haver diferenças estatisticamente significantes entre o tamanho da lesão periapical e a expressão de citocinas inflamatórias, ratos hipertensos apresentaram um elevado número de osteoclastos diferenciados. Já o artigo 2 investigou se a hipertensão afeta a resposta tecidual do MTA branco e cinza implantados subcutaneamente em ratos, bem como a capacidade dessas substâncias para induzir a mineralização, sendo a hipótese nula testada que a hipertensão não altera a resposta tecidual e capacidade de mineralização do MTA. Por meio dos resultados para as análises histológicas com as colorações Hematoxilina e Eosina e Von Kossa e sob luz polarizada, observou-se que a hipertensão exacerba a resposta inflamatória e diminui a capacidade de mineralização, prejudicando, dessa...


Among MTA and its products consequences, it is found the participation in mineralization induction in tissue where it is applied and reduction of inflammation maybe present. High blood pressure is a chronic inflammatory disorder that seems acting negatively on calcium mobilization and bone structures of the body. So it can be inferred that periapical lesion development and its treatment using MTA can be altered by the presence of a hypertensive state. Thus, the objective of this research was to study the influence of hypertension in periapical lesion phenotypic, in osteoclast differentiation, in tissue inflammatory response and mineralization ability of MTA repair cements. For this, work was divided into three articles. Article 1 compared potentials aspects of periapical lesion formation in hypertensive and normotensive conditions. Null hypothesis was high blood pressure does not change the number of differentiated osteoclasts, periapical lesion size and expression of IL1α, IL1β and TNFα inflammatory cytokines in apical periodontitis. Among results, although there was no statistically significant difference between periapical lesion size and inflammatory cytokines expression, hypertensive mice showed a large number of differentiated osteoclasts. Article 2 investigated whether hypertension affect tissue response and mineralization ability of white and grey MTA implanted subcutaneously in rats. Null hypotheses were that high blood pressure did not alter tissue response and mineralization capacity against MTA. Through histological analyzes with Hematoxylin and Eosin and Von Kossa stains and under Polarized Light was observed hypertension exacerbates inflammatory response and decrease mineralization capacity, damaging both tissue repair and mineralization. In turn, article 3 investigated whether hypertension affects white and gray MTA mineralization response when they were implanted subcutaneously in rats through osteoblast biomarkers RUNX-2, OPN and OCN. Null...


Assuntos
Animais , Ratos , Hipertensão , Inflamação , Osteoclastos , Doenças Periapicais
14.
Bauru; s.n; 2016. 112 p. ilus, graf.
Tese em Inglês | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-881928

RESUMO

A patogênese das lesões periapicais é determinada pelo equilíbrio entre a resposta imune pró-inflamatória do hospedeiro e a resposta anti-inflamatória/reparo. Diferentes subtipos de linfócitos e seus produtos têm sido implicados na patogênese dessas lesões, tais como as células T reguladoras (Tregs) e Th17. Enquanto as Tregs parecem ser potenciais agentes imuno-reguladores, Th17 parece estar associada à maior severidade da doença. Neste estudo, foram investigados o envolvimento de Tregs e Th17, além do impacto de diferentes terapias na progressão de lesões periapicais experimentais. Para isso, lesões periapicais foram induzidas (exposição pulpar e inoculação bacteriana) em camundongos C57BL/6, IL- 17KO e CCR4KO tratados com anticorpos anti-GITR (inibe a função de Treg) ou com CCL22p, partículas de ácido poliláctico-glicólico (induz a migração de Tregs). Além disso, os camundongos WT foram tratados com anti-RANKL utilizando protocolos contínuos ou intermitentes, ou com anti-TNF como controle. Posteriormente, analisou-se o fluxo e fenótipo de Tregs e Th17, perda óssea periapical e expressão de citocinas inflamatórias/imunológicas e marcadores de reparo (RealTimePCRarray, ELISA). A inibição de Tregs (depleção de CCR4 ou terapia anti-GITR), aumentou significantemente a severidade da lesão, associada com o aumento da expressão de citocinas pró-inflamatórias, Th1, Th17 e mediadores de destruição tecidual em paralelo com a diminuição dos marcadores de Treg e de reparo. A liberação local de CCL22 no canal radicular resultou na migração de Treg, dependente de CCR4, levando à modulação da lesão periapical, associada com a diminuição da expressão de marcadores pró-inflamatórios e de destruição tecidual em paralelo com o aumento dos marcadores de Tregs e de reparo. O tratamento anti-RANKL impediu o desenvolvimento da lesão, mas provocou uma resposta inflamatória contínua caracterizada pela elevada expressão de citocinas pró-inflamatórias e mediadores de destruição tecidual e diminuição da expressão dos marcadores de Tregs e de reparo. Este tratamento levou à recidiva da lesão e foi associado com o aumento da razão células TCD4 efetoras/supressoras e com o perfil de expressão gênica de lesões ativas. O tratamento anti-TNF limitou a progressão das lesões e não promoveu sua recidiva após o término da terapia, estando associado à resposta do hospedeiro atenuada. Por fim, a ausência de IL-17 resultou em lesões menos severas, associadas com o aumento da expressão de marcadores de reparo e citocinas anti-inflamatórias, em paralelo com a menor expressão de marcadores de destruição tecidual e citocinas pró-inflamatórias. De fato, observou-se menor concentração de osteoclastos, neutrófilos e células inflamatórias, na ausência de IL-17. Conclui-se, portanto, que as células T reguladoras são essenciais no controle da lesão periapical, enquanto as células Th17 acentuam a severidade dessas lesões. Comparando com outras estratégias clínicas, tais como a terapia anti-RANKL que perpetua a resposta inflamatória do hospedeiro levando a recidiva da lesão, a quimioatração de Treg bem como a inibição de Th17 podem ser estratégias promissoras para o manejo clínico das lesões periapicais.(AU)


The pathogenesis of periapical lesions is determined by the balance between host proinflammatory immune response and counteracting anti-inflammatory and reparative responses. In this context, different subtypes of lymphocytes and their products have been implicated in periapical lesion pathogenesis, such as regulatory T cells (Tregs) and Th17. While Tregs has been demonstrated as potential immunoregulatory agents, Th17 has been correlated with greater severity of disease. In this study, we investigated (in a cause-and-effect manner) the involvement of Tregs and Th17, besides the impact of different therapies in the progression of experimental periapical lesions. With this aim, periapical lesions were induced (pulp exposure and bacterial inoculation) in C57Bl/6 (wild-type), IL-17KO and CCR4KO mice and treated with anti­glucocorticoid-induced TNF receptor family regulated gene (anti-GITR) to inhibit Treg function or alternatively with CCL22-releasing, poly lactic-glycolic acid particles to induce site-specific migration of Tregs. Furthermore, WT mice were treated with anti-RANKL using continuous or intermittent protocols, and with anti-TNF therapy as a control. After treatment, lesions were analyzed for Treg or Th17 influx and phenotype, overall periapical bone loss, and inflammatory/immunologic and wound healing marker expression (RealTimePCRarray, ELISA). Treg inhibition by anti-GITR or CCR4 depletion results in a significant increase in periapical lesion severity, associated with upregulation of proinflammatory, Th1, Th17, and tissue destruction markers in parallel with decreased Treg and healing marker expression. The local release of CCL22 in the root canal system resulted in the promotion of Treg migration in a CCR4-dependent manner, leading to the arrest of periapical lesion progression, associated with down regulation of proinflammatory and tissue destruction markers in parallel with increased Treg and healing marker expression. Anti-RANKL treatment arrested lesion development, but prompted a continuous inflammatory response characterized by unremitting elevated expression of proinflammatory cytokines and tissue destructive mediators, and decreased expression of Tregs and wound healing markers levels. This treatment triggered lesion development relapse and was associated with high TCD4 effector/suppressor cells ratio and active lesions gene expression signature. Anti-TNF treatment limits lesions progression and does not drives lesions relapse upon cessation, being associated with attenuated host response. Finally, the absence of IL-17 results in a significant decrease in periapical lesions severity, associated with upregulation of healing markers and antiinflammatory cytokines, in parallel with decreased expression of tissue destruction markers and proinflammatory cytokines. Indeed, histomorphometric analysis showed lower concentration of osteoclasts, neutrophils and mononuclear cells in periapical lesions without IL-17. Therefore, we concluded that regulatory T cells are essential in the control of apical periodontitis, while Th17 cells accentuate the lesions severity. Compared with other clinical strategies, such as anti-RANKL therapy, which perpetuates the host inflammatory response prompting lesion relapse, chemoattraction of Treg as well as inhibition of Th17 may be promising strategies for the clinical management of periapical lesions.(AU)


Assuntos
Animais , Masculino , Camundongos , Imunomodulação/fisiologia , Doenças Periapicais/patologia , Linfócitos T Reguladores/fisiologia , Células Th17/fisiologia , Progressão da Doença , Ensaio de Imunoadsorção Enzimática , Camundongos Endogâmicos C57BL , Doenças Periapicais/imunologia , Ligante RANK/antagonistas & inibidores , Reação em Cadeia da Polimerase em Tempo Real , Linfócitos T Reguladores/patologia , Células Th17/patologia , Fatores de Tempo
15.
Araçatuba; s.n; 2016. 134 p. ilus, graf.
Tese em Inglês, Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-870138

RESUMO

Entre as consequências da forma de ação do MTA e seus produtos encontra-se a participação na indução da mineralização nos tecidos onde é aplicado e a redução da inflamação ali presente. Sendo a hipertensão arterial uma desordem crônica de cunho inflamatório que parece agir negativamente na mobilização do cálcio e nas estruturas ósseas do organismo, pode-se inferir que o desenvolvimento da lesão periapical e o seu tratamento por meio do uso do MTA podem ser alterados pela presença do estado hipertensivo. Dessa forma, o objetivo do presente trabalho foi de estudar a influência da hipertensão arterial no padrão fenotípico da lesão periapical, na diferenciação dos osteoclastos, na resposta inflamatória tecidual e na capacidade de mineralização dos cimentos reparadores à base de MTA. Para isso o trabalho foi dividido em três artigos. O artigo 1 comparou aspectos potenciais da formação da lesão periapical nas condições de hipertensão e normotensão, tendo como hipóteses nulas que a hipertensão não altera a quantidade de osteoclastos diferenciados, o tamanho da lesão periapical e a expressão das citocinas inflamatórias IL1α, IL1β e TNFα da lesão periapical. Esse artigo teve como resposta que, apesar de não haver diferenças estatisticamente significantes entre o tamanho da lesão periapical e a expressão de citocinas inflamatórias, ratos hipertensos apresentaram um elevado número de osteoclastos diferenciados. Já o artigo 2 investigou se a hipertensão afeta a resposta tecidual do MTA branco e cinza implantados subcutaneamente em ratos, bem como a capacidade dessas substâncias para induzir a mineralização, sendo a hipótese nula testada que a hipertensão não altera a resposta tecidual e capacidade de mineralização do MTA. Por meio dos resultados para as análises histológicas com as colorações Hematoxilina e Eosina e Von Kossa e sob luz polarizada, observou-se que a hipertensão exacerba a resposta inflamatória e diminui a capacidade de mineralização, prejudicando, dessa...


Among MTA and its products consequences, it is found the participation in mineralization induction in tissue where it is applied and reduction of inflammation maybe present. High blood pressure is a chronic inflammatory disorder that seems acting negatively on calcium mobilization and bone structures of the body. So it can be inferred that periapical lesion development and its treatment using MTA can be altered by the presence of a hypertensive state. Thus, the objective of this research was to study the influence of hypertension in periapical lesion phenotypic, in osteoclast differentiation, in tissue inflammatory response and mineralization ability of MTA repair cements. For this, work was divided into three articles. Article 1 compared potentials aspects of periapical lesion formation in hypertensive and normotensive conditions. Null hypothesis was high blood pressure does not change the number of differentiated osteoclasts, periapical lesion size and expression of IL1α, IL1β and TNFα inflammatory cytokines in apical periodontitis. Among results, although there was no statistically significant difference between periapical lesion size and inflammatory cytokines expression, hypertensive mice showed a large number of differentiated osteoclasts. Article 2 investigated whether hypertension affect tissue response and mineralization ability of white and grey MTA implanted subcutaneously in rats. Null hypotheses were that high blood pressure did not alter tissue response and mineralization capacity against MTA. Through histological analyzes with Hematoxylin and Eosin and Von Kossa stains and under Polarized Light was observed hypertension exacerbates inflammatory response and decrease mineralization capacity, damaging both tissue repair and mineralization. In turn, article 3 investigated whether hypertension affects white and gray MTA mineralization response when they were implanted subcutaneously in rats through osteoblast biomarkers RUNX-2, OPN and OCN. Null...


Assuntos
Animais , Ratos , Hipertensão , Inflamação , Osteoclastos , Doenças Periapicais
16.
Natal; s.n; fev. 2012. 129 p. ilus, tab, graf. (BR).
Tese em Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-867326

RESUMO

Lesões periapicais crônicas são condições inflamatórias dos tecidos perirradiculares consideradas sequelas diretas de processos infecciosos resultantes da necrose pulpar e consequente progressão para a região periapical. A participação da resposta imunológica e da reabsorção óssea na formação destas lesões tem sido bastante investigada, de modo que diversos tipos celulares e citocinas foram apontados como colaboradores deste processo. Nesta perspectiva, o presente estudo objetivou avaliar a expressão imuno-histoquímica da IL- 17, TGF-β1 e FoxP3 em granulomas periapicais (GPs), cistos radiculares (CRs) e cistos radiculares residuais (CRRs), buscando um melhor entendimento sobre a etiopatogênese destas periapicopatias. Para tanto, foram selecionados 20 casos de GPs, 20 de CRs e 10 de CRRs para serem submetidos à análise morfológica e imuno-histoquímica para os biomarcadores supracitados, sendo esta última realizada quantitativamente através de escores e percentuais médios de imunomarcação para a análise da IL-17 e do TGF-β1, enquanto que para o FoxP3 foram contados apenas os linfócitos positivos. Os resultados demonstraram diferenças estatisticamente significativas entre as imunoexpressões do TGF-β1 e do FoxP3 em relação as lesões periapicais pesquisadas (p = 0,002; p < 0,001, respectivamente), mas não entre a IL-17 e estas (p = 0,355).


Além disso, a análise dos linfócitos FoxP3-positivos revelou diferenças estatísticas significativas no que se refere à intensidade do infiltrado inflamatório (p = 0,003) e também quanto à espessura do revestimento epitelial (p = 0,009). Por fim, observou-se nos casos de GPs, forte correlação positiva entre a quantidade de linfócitos FoxP3-positivos e a imunoexpressão do TGF-β1 (r = 0,755; p < 0,001), assim como moderada correlação positiva entre as imunoexpressões da IL-17 e do TGF-β1 (r = 0,503; p = 0,024). Destarte, pode-se concluir que interações entre células Th17 e Treg parecem ser estabelecidas no local da agressão, sugerindo a participação de citocinas tanto próinflamatórias como imunorregulatórias na patogenia das lesões periapicais


Periapical lesions are chronic inflammatory conditions of periradicular tissues considered direct consequences of infectious diseases resulting from pulp necrosis and subsequent progression to periapical region. The participation of the immune response and bone resorption in the formation of these lesions has been investigated, so that different cell types and cytokines have been identified as contributors to this process. In this perspective, this study aimed to evaluate the immunohistochemical expression of IL-17, TGF-β1 and FoxP3 in periapical granulomas (PGs), radicular cysts (RCs) and residual radicular cysts (RRCs), seeking a better understanding of the etiopathogenesis these periapicopatias. To this end, we selected 20 cases of GPs, 20 CRs and 10 RRCs to undergo morphological analysis and immunohistochemistry for biomarkers above, the latter being performed quantitatively using scores and average percentages of immunostaining for the analysis of IL-17 and TGF- β1, while for the FoxP3 were counted only the positive lymphocytes. The results showed statistically significant differences between TGF-β1 and FoxP3 imunoexpressions, in relation to the periapical lesions studied (p = 0.002, p <0.001, respectively) but not between IL-17 and these (p = 0.355).


Furthermore, the analysis of lymphocytes FoxP3-positive revealed significant statistical differences in that refers to the intensity of inflammatory infiltrate (p = 0.003) and also regarding thickness of the epithelial lining (p = 0.009). Finally, it was observed in the case of PGs, strong positive correlation between the amount of FoxP3- positive lymphocytes and the immunohistochemical expression of TGF-β1 (r = 0.755, p<0.001), as well as moderate positive correlation between IL-17 and TGF-β1 imunoexpressions (r = 0.503, p = 0.024). Thus, we can conclude that interactions between Th17 and Treg cells seem to be established at the site of injury, suggesting the involvement of both pro-inflammatory and immunoregulatory cytokines in the pathogenesis of periapical lesions


Assuntos
Citocinas , Cisto Radicular/etiologia , Granuloma Periapical/patologia , Imuno-Histoquímica/métodos , Linfócitos , Doenças Periapicais/diagnóstico , Estudos Retrospectivos , Estatísticas não Paramétricas
17.
Dent. press endod ; 4(2): 88-93, maio-ago. 2014. ilus
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-724357

RESUMO

Introdução: lesões periapicais extensas associadas a dentes desvitalizados são tratadas por meio de tratamento endodôntico com posterior complementação cirúrgica. Entretanto, meios mais conservadores estão sendo empregados para resolução desses casos. Relato dos casos: o primeiro caso se refere a uma paciente com 21 anos de idade, que procurou atendimento odontológico por razão ortodôntica. Na radiografia panorâmica, constatou-se a ocorrência de uma grande área radiolúcida na região periapical das unidades 12, 11, 21, 22 e 23. O tratamento realizado limitou-se à terapia endodôntica, que consistiu na pulpectomia, esvaziamento do conteúdo séptico, preparo biomecânico e medicação intracanal; e, em uma segunda sessão, a obturação do sistema de canais dos 5 dentes. O controle radiográfico após dois e cinco anos mostrou reparação completa da área radiolúcida e áreas de neoformação óssea. O segundo caso é de um paciente com 84 anos de idade, diabético, que procurou atendimento odontológico por razões protéticas. No exame intrabucal, foi constatada expansão da cortical vestibular na região anteroinferior. Na tomada radiográfica panorâmica, foi visualizada extensa área radiolúcida nos dentes 32, 31, 41, 42 e 43. O tratamento consistiu em tratamento endodôntico conservador, sem necessidade de cirurgia parendodôntica, semelhante ao primeiro caso. O controle radiográfico de um ano mostrou diminuição da área radiolúcida e cicatrização óssea. Conclusão: a cirurgia parendodôntica nem sempre está recomendada para os casos de lesões periapicais grandes, em que o acompanhamento clínico e radiográfico é de suma importância para o sucesso do tratamento


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto , Idoso , Endodontia , Doenças Periapicais , Periodontite Periapical , Preparo de Canal Radicular
18.
Araçatuba; s.n; 2014. 81 p. ilus, graf.
Tese em Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-867475

RESUMO

Atualmente, há certo consenso dentro da área odontológica relacionado ao fato de que inflamações crônicas nos dentes, podem eventualmente ocasionar desordens sistêmicas. A Lesão Periapical (LP) é caracterizada como uma inflamação oral e está associada ao aumento da quantidade de citocinas pró-inflamatórias, tais como, IL-6 e TNF-α, que possivelmente induzem resistência insulínica. A resistência à insulina pode ser definida como o estado no qual existe uma menor captação tecidual de glicose em resposta ao estímulo insulínico; no entanto, os mecanismos que causam resistência à insulina não são totalmente compreendidos. Estudos anteriores do nosso laboratório demonstraram que ratos adultos com LP apresentam alterações na etapa inicial da via do sinal insulínico e menor sensibilidade à insulina. Baseado nisto, mais estudos são necessários para verificar se estas alterações também estão presentes na continuidade da cascata insulínica e na expressão da proteína transportadora de glicose 4 (GLUT4). Os objetivos do presente estudo foram avaliar em ratos com LP: 1) glicemia e insulinemia (n=10); 2) sensibilidade à insulina por meio do índice de HOMA-IR (n=10); 3) grau de fosforilação em serina/treonina da Akt em tecido muscular esquelético gastrocnêmio (GM) (n=6); 4) conteúdo de GLUT4 e seu índice de translocação para membrana plasmática em GM (n=5). Para tanto, foram utilizados 32 ratos Wistar (2 meses de idade) distribuídos em dois grupos: a) ratos do grupo controle, sem a LP; b) ratos com LP induzida em molares superiores direito empregando-se broca em aço carbono dotada de esfera na extremidade com 0,1 mm. A partir dos resultados pôde-se observar que os ratos com LP apresentaram: 1) nenhuma diferença na glicemia e insulinemia; 2) redução na sensibilidade à insulina, avaliado pelo índice de HOMA-IR; 3) diminuição no grau de fosforilação em serina da Akt após estímulo insulínico em GM, mas nenhuma diferença no grau de fosforilação da Akt em treonina; 4) redução do...


Currently, there is some consensus in the dental area related to the fact that chronic inflammation in teeth may eventually lead to systemic disorders. Periapical lesion (PL) is characterized as an oral inflammation and it is associated to the increase of proinflammatory citokines, such as IL-6 and TNF-alpha, that can possibly induce insulin resistance. Insulin resistance can be defined as the state in which there is a glucose uptake decrease by tissue in response to insulin stimulation, however, the mechanisms that cause insulin resistance are not totally understood. Former studies from our laboratory demonstrated that adult rats with periapical lesion showed changes in the initial stage of insulin signaling and lower insulin sensitivity. Based on that, more studies are needed in order to verify whether these changes are also present in the continuity of the insulin signaling cascade and glucose transporter protein 4 (GLUT4) expression. The aims of this study were to evaluate in rats with PL: 1) plasma glucose and insulin levels (n=10); 2) insulin sensitivity by the HOMA-IR index (n=10); 3) serine/ threonine phosphorylation status of Akt in skeletal muscle gastrocnemius (GM) (n=6); 4) content of GLUT4 protein and its translocation index for plasma membrane in GM (n=5). Therefore, 32 Wistar rats (2 months old) were used and divided into two groups: a) control rats without PL b) rats with PL induced in right upper molars by using a carbon steel drill fitted with ball 0.1 mm. From the results it was observed that rats with PL showed: 1) no difference in blood glucose and insulin; 2) decrease in insulin sensitivity assessed by HOMA-IR index; 3) decrease in the serine phosphorylation status of Akt in GM after insulin stimulation, but no difference in the phosphorylation status of Akt in threonine; 4) decrease in the GLUT4 content in the plasma membrane, but no change in the microsome. From these results we conclude that the PL promoted insulin resistance...


Assuntos
Animais , Ratos , Inflamação , Resistência à Insulina , Doenças Periapicais , Ratos Wistar
19.
Araçatuba; s.n; 2014. 81 p. ilus, graf.
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-870097

RESUMO

Atualmente, há certo consenso dentro da área odontológica relacionado ao fato de que inflamações crônicas nos dentes, podem eventualmente ocasionar desordens sistêmicas. A Lesão Periapical (LP) é caracterizada como uma inflamação oral e está associada ao aumento da quantidade de citocinas pró-inflamatórias, tais como, IL-6 e TNF-α, que possivelmente induzem resistência insulínica. A resistência à insulina pode ser definida como o estado no qual existe uma menor captação tecidual de glicose em resposta ao estímulo insulínico; no entanto, os mecanismos que causam resistência à insulina não são totalmente compreendidos. Estudos anteriores do nosso laboratório demonstraram que ratos adultos com LP apresentam alterações na etapa inicial da via do sinal insulínico e menor sensibilidade à insulina. Baseado nisto, mais estudos são necessários para verificar se estas alterações também estão presentes na continuidade da cascata insulínica e na expressão da proteína transportadora de glicose 4 (GLUT4). Os objetivos do presente estudo foram avaliar em ratos com LP: 1) glicemia e insulinemia (n=10); 2) sensibilidade à insulina por meio do índice de HOMA-IR (n=10); 3) grau de fosforilação em serina/treonina da Akt em tecido muscular esquelético gastrocnêmio (GM) (n=6); 4) conteúdo de GLUT4 e seu índice de translocação para membrana plasmática em GM (n=5). Para tanto, foram utilizados 32 ratos Wistar (2 meses de idade) distribuídos em dois grupos: a) ratos do grupo controle, sem a LP; b) ratos com LP induzida em molares superiores direito empregando-se broca em aço carbono dotada de esfera na extremidade com 0,1 mm. A partir dos resultados pôde-se observar que os ratos com LP apresentaram: 1) nenhuma diferença na glicemia e insulinemia; 2) redução na sensibilidade à insulina, avaliado pelo índice de HOMA-IR; 3) diminuição no grau de fosforilação em serina da Akt após estímulo insulínico em GM, mas nenhuma diferença no grau de fosforilação da Akt em treonina; 4) redução do...


Currently, there is some consensus in the dental area related to the fact that chronic inflammation in teeth may eventually lead to systemic disorders. Periapical lesion (PL) is characterized as an oral inflammation and it is associated to the increase of proinflammatory citokines, such as IL-6 and TNF-alpha, that can possibly induce insulin resistance. Insulin resistance can be defined as the state in which there is a glucose uptake decrease by tissue in response to insulin stimulation, however, the mechanisms that cause insulin resistance are not totally understood. Former studies from our laboratory demonstrated that adult rats with periapical lesion showed changes in the initial stage of insulin signaling and lower insulin sensitivity. Based on that, more studies are needed in order to verify whether these changes are also present in the continuity of the insulin signaling cascade and glucose transporter protein 4 (GLUT4) expression. The aims of this study were to evaluate in rats with PL: 1) plasma glucose and insulin levels (n=10); 2) insulin sensitivity by the HOMA-IR index (n=10); 3) serine/ threonine phosphorylation status of Akt in skeletal muscle gastrocnemius (GM) (n=6); 4) content of GLUT4 protein and its translocation index for plasma membrane in GM (n=5). Therefore, 32 Wistar rats (2 months old) were used and divided into two groups: a) control rats without PL b) rats with PL induced in right upper molars by using a carbon steel drill fitted with ball 0.1 mm. From the results it was observed that rats with PL showed: 1) no difference in blood glucose and insulin; 2) decrease in insulin sensitivity assessed by HOMA-IR index; 3) decrease in the serine phosphorylation status of Akt in GM after insulin stimulation, but no difference in the phosphorylation status of Akt in threonine; 4) decrease in the GLUT4 content in the plasma membrane, but no change in the microsome. From these results we conclude that the PL promoted insulin resistance...


Assuntos
Animais , Ratos , Inflamação , Resistência à Insulina , Doenças Periapicais , Ratos Wistar
20.
Rev. clín. ortodon. Dental Press ; 12(3): 123-128, jun.-jul. 2013.
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-707655

RESUMO

Para colaborar com a compreensão e fundamentação do porquê dos dentes endodonticamente tratados poderem ser movimentados ortodonticamente, discorremos sobre o assunto dividindo-o em três tópicos: 1) dentes endodonticamente tratados sem lesão periapical; 2) dentes endodonticamente tratados com lesão periapical inflamatória; e 3) dentes endodonticamente tratados com necrose pulpar asséptica por raumatismo dentário. Ressalta-se que todos os dentes endodonticamente tratados a serem movimentados ortodonticamente devem ser submetidos a uma avaliação criteriosa sobre as condições adequadas ou inadequadas do tratamento endodôntico por parte do endodontista. Nos casos de insucesso, deve-se Considerar que as forças ortodônticas não modificaram a composição e a virulência da microbiota envolvida. Os insucessos endodônticos nesses casos devem ser atribuídos às mesmas causas dos insucessos que envolvam dentes com tratamento endodônticos e que nunca foram movimentados ortodonticamente.


Assuntos
Endodontia , Técnicas de Movimentação Dentária , Ortodontia , Doenças Periapicais , Traumatismos Dentários , Dente não Vital
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA