Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 20 de 88
Filtrar
Mais filtros










Filtros aplicados

Intervalo de ano de publicação
1.
Rev. Odontol. Araçatuba (Impr.) ; 41(1): 30-33, jan.-abr. 2020. ilus
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-1102370

RESUMO

As próteses removíveis são consideradas facilitadoras em potencial da estomatite protética, caracterizada por aspectos hiperplásicos e eritematosos na mucosa de suporte. Este trabalho tem como objetivo relatar as principais manifestações orais da estomatite protética em um paciente geriátrico associada a candidíase oral pseudomembranosa. Paciente do gênero masculino, setenta e quatro anos, apresentava uma lesão exofítica, na região de palato com dois centímetros de extensão, além da presença de candidíase pseudomembranosa, fazia o uso de uma prótese parcial superior removível há aproximadamente dez anos. Foi levantada a hipótese diagnóstica de estomatite protética associada a candidíase pseudomembranosa. A terapêutica instituída consistiu no uso de antifúngico por um período de quinze dias e biópsia incisional. O exame histopatológico confirmou o diagnóstico de hiperplasia fibrosa inflamatória. Foi recomendado a confecção de uma nova prótese para que fosse evitado a recorrência da lesão, e o paciente também foi instruído quanto a sua higiene oral evitando-se desta forma a recorrência da candidíase. O cirurgião-dentista deve ser capaz de reconhecer e diagnosticar a estomatite protética em sua prática diária e tratar o paciente de acordo com a sua etiologia, oferecendo desta forma para o paciente um maior conforto e melhores condições de vida(AU)


Removable total dentures are considered potential facilitators of prosthetic stomatitis, characterized by hyperplastic and erythematous aspects in the supporting mucosa. This paper aims to report the main oral manifestations of prosthetic stomatitis in an elderly patient associated with pseudomembranous oral candidiasis. A seventyseven-year-old male patient presented with an exophytic lesion in the palate region of two centimeters in length, in addition to the presence of pseudomembranous candidiasis, and had been using a removable upper partial denture for approximately ten years. The diagnostic hypothesis of prosthetic stomatitis associated with pseudomembranous candidiasis was raised. The therapy instituted consisted of the use of antifungal for a period of fifteen days and incisional biopsy. Histopathological examination confirmed the diagnosis of inflammatory fibrous hyperplasia. It was recommended to make a new prosthesis to avoid recurrence of the lesion, and the patient was also instructed as to its oral hygiene, thus avoiding the recurrence of candidiasis. The dentist should be able to recognize and diagnose prosthetic stomatitis in his daily practice and treat the patient according to its etiology, thus offering the patient greater comfort and better living conditions(AU)


Assuntos
Humanos , Masculino , Idoso , Estomatite sob Prótese , Prótese Dentária , Estomatite , Estomatite sob Prótese/diagnóstico , Estomatite sob Prótese/terapia , Candidíase Bucal
2.
Periodontia ; 29(1): 53-64, 2019. ilus, tab
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-994645

RESUMO

Atualmente, a busca por saúde permeia desde o bem estar físico até conceitos estéticos, para se alcançar os parâmetros pessoais de cada indivíduo. Para um correto planejamento reabilitador, devemos considerar várias possibilidades para evitar falhas funcionais e estéticas. Dentre as falhas tardias observamos as doenças peri-implantares, como por exemplo a Mucosite Peri-implatar e a Peri-implantite. Considerando a complexidade e importância da compreensão das doenças Peri implantares, este trabalho tem como objetivo, através de uma revisão da literatura, discutir os aspectos inerentes à etiologia, diagnóstico e classificação das doenças peri-implantares. O tecido peri-implantar e o tecido periodontal possuem estruturas anatômicas similares, mas possuem diferenças estruturais também. Estes fatos também determinam semelhanças e diferenças nas doenças periodontais e peri-implantares. Sabe-se que o principal fator etiológico das doenças periodontais é o biofilme bacteriano, e nas doenças peri-implantares este também é o principal fator etiológico. O mesmo padrão prevalece para alguns fatores etiológicos secundários ou modificadores. Várias são as propostas de classificação das doenças e condições peri-implantares baseadas na gravidade dos comprometimentos clínicos, nos fatores etiológicos, na associação com outras enfermidades e até com fatores iatrogênicos determinantes. Mas nenhuma contempla estes fatores etiológicos juntos e sabe-se que um correto diagnóstico é determinante para um bom plano de tratamento e determinação de sucesso e longevidade das reabilitações peri-implantares (AU)


Currently, the pursuit for health permeates from the physical well-being to aesthetic concepts, in order to achievethe personal parameters of each individual. For a correct rehabilitation planning we must consider several possibilities to avoid functional and aesthetic failures. Among late failures, there are peri-implant diseases, such as Periimplantar Mucositis and Peri-implantitis. Considering the complexity and importance of the understanding of periimplant diseases, this paper aims, through a literature review, to discuss the inherent aspects of the etiology, diagnosis and classification of these peri-implant diseases. Although they have similar anatomical structure, periodontal and peri-impant tissues have some structural diferences. These facts determine similarities and diferences between periodontal and periimplant diseases. It is known that the main etiological factor of periodontal diseases is bacterial biofilm, and in peri-implant diseases this is also the main etiological factor. The same pattern prevails for some secondary or modifiers etiological factors. There are several suggestions for the classification of peri-implant conditions and diseases based on theseverity of clinical complications, etiological factors, association with other diseases and even iatrogenic factors. But none considers these factors together and it is knownthat a correct diagnosis is determinant for a good treatment plan and determination of success and longevity of the peri-implant rehabilitations (AU)


Assuntos
Estomatite , Diagnóstico , Mucosite , Peri-Implantite
3.
Arq. odontol ; 55: 1-10, jan.-dez. 2019. ilus, tab
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-1052248

RESUMO

Objetivo: O presente estudo tem por objetivo relatar as características da mucosite oral e o efeito da fototerapia no tratamento desta condição. Métodos: Realizou-se uma pesquisa bibliográfica nas bases de dados eletrônicas Web of Science, Scopus, PubMed e Scielo. A estratégia de busca foi baseada na pesquisa dos descritores "LLLT", "Low-Level Laser Therapy", "Light, phototherapy", "phototherapy", "Photobiomodulation Therapy" "Photobiostimulation Laser Irradiation", "Laser", "Mucositis" e "Oral Mucositis". Resultados:Após a análise dos artigos completos, 22 artigos foram considerados adequados para serem incluídos na revisão, sendo um publicado em 2012 (4,5%), um em 2013 (4,5%), dois em 2015 (9,1%), dois em 2016 (9,1%), quatro em 2017 (18,2%), nove em 2018 (40,9%) e três em 2019 (13,7%). Conclusão: Pode-se concluir que a laserterapia é eficaz na prevenção e tratamento da mucosite oral induzida por quimioradioterapia, reduzindo a dor e promovendo a cicatrização tecidual. (AU)


Aim: This study aims to report the characteristics of oral mucositis and the effect of phototherapy in the treatment of this condition. Methods: A bibliographic search was done in the electronic databases Web of Science, Scopus, PubMed, and Scielo. The search strategy was based on the research of the following descriptors: LLLT, Low-Level Laser Therapy, Light, phototherapy, phototherapy, Photobiomodulation Therapy, Photobiostimulation Laser Irradiation, Laser, Mucositis, and Oral Mucositis. Results:After reviewing the full articles, 22 articles were considered adequate to be included in the review, with one published in 2012 (4.5%), one in 2013 (4.5%), two in 2015 (9.1%), two in 2016 (9.1%), four in 2017 (18.2%), nine in 2018 (40.9%), and three in 2019 (13.7%). Conclusion: It can be concluded that laser therapy is effective in the prevention and treatment of oral mucositis induced by chemoradiotherapy, reducing pain and promoting tissue healing. (AU)


Assuntos
Fototerapia , Estomatite , Terapia com Luz de Baixa Intensidade , Terapia a Laser , Lasers , Revisão , Mucosa Bucal
4.
São Paulo; s.n; 20180000. 96 p.
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-997357

RESUMO

O bussulfano (BU) é um quimioterápico amplamente utilizado para o tratamento de doenças hematológicas e para o condicionamento de transplante de células hematopoiéticas (TCH). As doses plasmáticas desse medicamento são altamente citotóxicas, causando mucosite oral (MO) com alta frequência e gravidade. O BU exibe concentrações na saliva que são similares às encontradas no plasma; porém, ainda não foi confirmado se essa concentração salivar também é citotóxica para queratinócitos, fato que poderia constituir um risco a mais para ocorrência de MO. A prevenção e o tratamento da MO têm sido realizados com laserterapia de baixa intensidade (LTBI), em que a fotobiomodução (FBM) favorece a redução da frequência e da duração das lesões. O objetivo deste trabalho foi verificar se o BU encontrado na saliva é citotóxico e genotóxico para queratinócitos em cultura, bem como se a FBM minimiza esses efeitos. Foram estabelecidos os seguintes grupos experimentais: Grupo Controle (C) - queratinócitos sem nenhum tratamento; Grupo Controle Saliva (CS)- queratinócitos expostos a saliva artificial; Grupo Controle Irradiado (CI) - queratinócitos expostos a LTBI; Grupo Controle Saliva Irradiado (CSI) - queratinócitos expostos a saliva e a LTBI; Grupo BU (BU) - queratinócitos expostos a BU veiculado em saliva; Grupo BU Irradiado (BUI) - queratinócitos expostos a BU salivar e concomitantemente a LTBI. Inicialmente testou-se se a saliva artificial formulada não causava modificações na viabilidade dos queratinócitos cultivados. Em seguida, essas células foram expostas ao BU veiculado em saliva ou inserido diretamente no meio, em concentrações que variaram de 4,0?g/mL a 5,5?g/mL. Nesse ensaio, avaliou-se a viabilidade celular tanto no BU veiculado em saliva quanto do BU inserido no meio de cultura. Foi padronizado também um protocolo de LTBI para ser realizado nas células cultivadas, que incluiu três sessões de laserterapia (660nm, 100mW, 0,028 cm² área do spot, 20 segundos de tempo de irradiação, 8J/cm², 3571mW/cm2) com intervalo de 4h entre elas. Após essas padronizações, a concentração salivar de 5,5?g/mL de BU, que provocou menor viabilidade celular, foi utilizada em outros ensaios, que incluíram avaliação da taxa de morte celular pelo teste de TUNEL, do estresse oxidativo (quantificação da porcentagem de sequestro do radical DPPH, quantificação da superóxido dismutase e da catalase e nível de peroxidação lipídica) e da presença de danos no DNA por intermédio do ensaio cometa. A saliva artificial formulada não alterou a viabilidade celular quando comparada ao grupo controle, porém induziu menor taxa de sequestro do DPPH e níveis discretos de dano no DNA. O BU veiculado na saliva provocou maior redução da viabilidade celular quando comparado ao BU inserido diretamente no meio de cultura (p<0.001), sugerindo que a saliva potencializou o efeito tóxico do BU. Comparando com o grupo controle saliva, o Grupo bussulfano exibiu maior frequência de células TUNEL positivas (p<0.05), menor taxa de sequestro do radical DPPH (p<0.05), maior atividade da catalase (p<0.01) e maior taxa de peroxidação lipídica (p<0.01); não houve, contudo, diferenças em relação à presença da superóxido dismutase. Em comparação ao Grupo BU, o Grupo BU Irradiado exibiu menor quantidade de células TUNEL positivas (p<0.05), maior potencial de sequestro do radical DPPH (p<0.05), menor atividade da catalase (p<0.01) e menor taxa de peroxidação lipídica (p<0.01). Na análise de cometa, o Grupo BU exibiu maior porcentagem de DNA fragmentado em relação ao Grupo BUI (p<0.05). Concluiu-se que a concentração salivar do BU é tóxica para queratinócitos, induzindo estresse oxidativo e danos no DNA, porém a LTBI foi eficaz para a redução da citotoxicidade e da genotoxicidade do BU.


Assuntos
Estomatite , Dano ao DNA , Bussulfano , Estresse Oxidativo
5.
São Paulo; s.n; 20180000. 97 p.
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-982222

RESUMO

A mucosite oral é uma doença que afeta pacientes em tratamento oncológico resultando em diminuição da qualidade de vida para os mesmos. O objetivo desta pesquisa foi realizar a adaptação transcultural do Oral Mucositis Quality of Life (OMQoL), que é um instrumento que avalia a qualidade de vida em saúde bucal e é específico para pacientes com mucosite oral. Para o processo de adaptação transcultural, seis etapas foram seguidas de acordo com um protocolo específico, e são elas: a tradução inicial que compreende a tradução do questionário, do inglês para o português, por dois tradutores diferentes; a síntese das traduções em apenas uma versão em português; a tradução "de volta" que significa traduzir, do português para o inglês, a síntese das traduções; a etapa do comitê de especialistas, que analisou todos os instrumentos das etapas anteriores, inclusive o original, e decidiu quais questões fariam parte da versão pré-final; o teste da versão pré final que aconteceu no Hospital Israelita Albert Einstein, com 40 participantes que opinaram sobre compreensão e dúvidas nas questões; e a realização da versão final realizada a partir das sugestões feitas pelos pacientes. A maioria dos participantes era casado, possuíam nível superior completo e boa condição socioeconômica. Eles estavam distribuídos de forma semelhante entre os grupos analisados (neoplasias malignas de cabeça e pescoço, neoplasias malignas hematológicas, tumores sólidos), e a quimioterapia exclusiva como fonte de tratamento foi a mais utilizada. Grande parte dos participantes desenvolveu mucosite oral (60%), e 25% desenvolveram mucosite oral grau II. A questão 22, da subescala "função social" apresentou menos impacto na qualidade de vida dos participantes, e a com maior impacto foi a questão 19, da subescala "dieta". As questões que mais geraram dúvidas foram a 18 e 29, e por isso foram alteradas para a versão final. O instrumento OMQoL foi traduzido e adaptado e sua versão brasileira refletiu adequadamente o instrumento original, sendo também de fácil aceitação pelos participantes.


Assuntos
Qualidade de Vida , Estomatite , Inquéritos e Questionários
6.
Braz. dent. sci ; 21(1): 111-118, 2018. ilus
Artigo em Inglês | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-881935

RESUMO

Objective: The aim of this study was to evaluate the effect of ozonized olive oil (OZ) on the oral levels of Candida spp. in patients with denture stomatitis. Material and Methods: In vitro tests were performed to validate antifungal activity and to standardize OZ conditions. Antifungal activity was screened against C. albicans and five non-albicans species (C. tropicalis, C. dubliniensis, C. krusei, C. guilliermondii, and C. parapsilosis). Also, the effects on C. albicans planktonic and biofilm were evaluated. After validation, OZ was included in a therapeutic protocol of denture stomatitis in vivo. Thirty patients used OZ and 20 used sodium bicarbonate (SB) for 14 days. After 7 and 14 days, clinical evaluation, isolation and identification of yeasts were performed. Isolates were identified by phenotypic and genotypic tests. Ozonated oil showed in vitro antifungal activity against all species of Candida. Ozonated oil reduced the number of viable cells in C. albicans biofilms. Oral candidal levels were lower in relation to baseline both after after 14 days of treatment with SB and OZ. Results: A total of 493 Candida spp. isolates was obtained and 80% were identified as C. albicans. Remission of denture stomatitis was observed in all patients after 7 days of treatment in both groups. Conclusion: Within the limits of the study we can conclude that ozonized olive oil can be a new alternative for the control of biofilm in patients with denture stomatitis. (AU)


Objetivo: O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito do óleo ozonizado (OZ) sobre os níveis orais de Candida spp. em pacientes com estomatite protética. Material e Métodos: Testes in vitro foram realizados para validar a atividade antifúngica e padronizar as condições do OZ. A atividade antifúngica foi avaliada contra C. albicans e cinco espécies não-albicans (C. tropicalis, C. dubliniensis, C. krusei, C. guilliermondii e C. parapsilosis). Além disso, os efeitos sobre C. albicans planctônico e biofilme foram avaliados. Após validação, o OZ foi incluído em um protocolo terapêutico de estomatite protética in vivo. Trinta pacientes usaram OZ e 20 usaram bicarbonato de sódio (SB) por 14 dias. Após 7 e 14 dias, foram realizadas avaliações clínicas, isolamento e identificação de leveduras. Os isolados foram identificados por testes fenotípicos e genotípicos. O óleo ozonizado mostrou atividade antifúngica in vitro contra todas as espécies de Candida. O óleo ozonizado reduziu o número de células viáveis em biofilmes de C. albicans. Os níveis orais de candidíase foram menores em relação aos valores basais após 14 dias de tratamento com SB e OZ. Resultados: Um total de 493 Candida spp. isolados foram obtidos e 80% foram identificados como C. albicans. A remissão da estomatite protética foi observada em todos os pacientes após 7 dias de tratamento em ambos os grupos. Conclusão: Dentro dos limites do estudo podemos concluir que o óleo de oliva ozonizado pode ser uma nova alternativa para o controle do biofilme em pacientes com estomatite protética.(AU)


Assuntos
Antifúngicos , Candida , Prótese Total , Ozônio , Estomatite
7.
Pesqui. bras. odontopediatria clín. integr ; 17(1): e3822, 13/01/2017. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-914474

RESUMO

Objective: To identify the predictive factors for the appearance of oral mucositis (OM) in pediatric oncology patients based on their motor alterations. Material and Methods: This study was an observational, cross-sectional study with 2-19-year-old patients undergoing treatment at the pediatric oncology outpatient service of the Napoleão Laureano Hospital in João Pessoa, Brazil. The convenience sample consisted of 42 patients aged 2 to 19 years with a first diagnosis of cancer and under treatment. The instruments used were a questionnaire with sociodemographic questions - the modified Oral Assessment Guide (OAG) - and some categories of the International Classification of Functioning Disability and Health (CIF), applied by a calibrated examiner (Kappa>0.65). The data were organized in Excel spreadsheet and analyzed descriptively and inferentially using logistic regression (α=5%). Results: Most patients were female (52.4%, n=22), mean age of 11.6 years, median 12.0 years, self-declared as non-white (61.9%, n=26), non-white (66.7%, n=28), family monthly income of up to 2 Brazilian minimum wages (88.1%, n = 37). Most patients presented hematologic neoplasia (54.8%, n=23) with acute lymphoid leukemia (36.6%; n=15) and most of them were subjected to chemotherapy (45.2%; n = 19). OAG identified oral mucositis in a few cases (23.8%, n=10). Logistic regression and odds ratio showed that individuals with moderate and mild difficulty in changing basic body position had, respectively, 19.7 and 30.8 times more chances of developing oral mucositis. In patients with severe motor impairment, this risk is 17.3 times greater and those with mild difficulty in taking care of the bodily parts had an increase of 33.4 times the risk for oral mucositis. Conclusion: The deficit in motor activities increased the chances of developing oral mucositis.


Assuntos
Humanos , Feminino , Pré-Escolar , Criança , Adolescente , Adulto , Criança , Oncologia , Neoplasias/patologia , Estomatite/patologia , Brasil , Modelos Logísticos , Estudos Observacionais como Assunto/métodos , Inquéritos e Questionários
8.
Bauru; s.n; 2017. 98 p. ilus, tab, graf.
Tese em Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-879888

RESUMO

Estima-se que no Brasil para os anos de 2016 e 2017, o diagnóstico de câncer em região de boca e laringe atingirá mais de 22 mil pessoas. Os principais tratamentos para esta doença são quimioterapia, cirurgia e radioterapia realizados de forma associada ou não. O tratamento antineoplásico gera diversos efeitos colaterais que prejudicam muito a qualidade de vida do paciente. Avaliando a radioterapia, os principais efeitos colaterais são: a mucosite oral, disgeusia e trismo, além do desenvolvimento de hipossalivação, cáries de radiação e osteorradionecrose. A Radioterapia de Intensidade Modulada de Feixe (IMRT) possibilita o tratamento oncológico com diferentes isodoses de radiação conforme a necessidade da região, possibilitando emitir menor quantidade de radiação em tecido livre do tumor próximo ao foco principal de tratamento, diferente dos tratamentos radioterápicos convencionais mais antigos. Nosso objetivo foi desenvolver um dispositivo intraoral confeccionado com resina acrílica para afastar tecido sadio do foco principal de radioterapia por IMRT, separando mecanicamente o palato, língua e assoalho bucal em pacientes com câncer em região de boca e orofaringe. Os pacientes foram divididos em dois grupos: controle (GC) sem uso do dispositivo intraoral e análise (GA) com uso do dispositivo intraoral. Os pacientes do GC foram avaliados através da retrospectiva de seus prontuários, o GA foi acompanhado durante planejamento e todo o tratamento radioterápico por IMRT. Foram avaliados grau de mucosite oral seguindo critérios da OMS (GC e GA) e OMAS (GA), questionário sobre impacto da saúde bucal na qualidade de vida antes e depois (GA) das sessões de radioterapia, sexo, idade, tratamentos antineoplásicos concomitantes, doses de radiação (GC e GA), desenvolvimento de disgeusia (GA) e trismo (GA). Ocorreu maior tendência na gravidade de mucosite oral para pacientes do GC. Os testes estatísticos foram significantes com p < 0,05 para menor grau de desenvolvimento de eritema e úlceras em mucosa bucal em GA. Todos os pacientes do GA desenvolveram disgeusia no período entre 7 e 14 dias após a última sessão de radioterapia. A capacidade de abertura bucal pós tratamento radioterápico no GA foi diminuída em média 8,35%. A avaliação do impacto da saúde bucal na qualidade de vida antes e após tratamento foi significativo em três dimensões e na avaliação geral do questionário. O planejamento de distribuição das isodoses em região de tumor e áreas adjacentes através de tomografia computadorizada foi facilitado pelo uso de dispositivo intraoral devido afastamento mecânico de estruturas bucais não comprometidas pelo câncer. A diminuição dos efeitos colaterais causados pela radioterapia melhoram a qualidade de vida durante e após o tratamento. A estabilização da posição de boca e língua durante a radioterapia deixou o tratamento mais confortável para os pacientes, além de beneficiar o trabalho do médico radioterapeuta e físico médico. (AU)


In Brazil, between 2016 and 2017, the cancer diagnosis in the mouth and larynx region is estimated to reach more than 22,000 people. The main treatment for this disease are chemotherapy, surgery and radiotherapy done in a conjunct way or not. The antineoplastic treatment generates several side effects that do much harm to the patient welfare. In radiotherapy, the main side effects are oral mucositis, dysgeusia and trismus, besides the salivation development, radiation cavities and osteoradionecrosis. The radiotherapy by IMRT allows the cancer treatment with different radiation isodoses according to the region allowing a reduced amount of free tumor region emission close to the main focus treatment, different from the older conventional radiotherapeutic treatment. Our goal was to develop an intraoral device using acrylic resin to put away healthy tissue from the IMRT treatment main focus, separating mechanically palate, tongue and mouth floor in mouth and oropharynx neoplasm region patients. The patients compused two groups: control (CG) without intraoral stent and analysis (AG) with intraoral stent usage. The CG patients were evaluated throughout their medical records historic; the AG was accompanied during planning and all the IMRT radiotherapeutic treatment. The oral mucositis degrees were evaluated according WHO (CG and AG) and OMAS (AG) criteria, survey about mouth health impact on welfare before and after (AG) the radiotherapy sessions, gender, age, concomitant antineoplastic treatment, radiation doses (CG and AG), dysgeusia treatment (AG) and trismus (AG). Higher incidence of oral mucositis severity to CG patients occurred; the statistic tests were significant with p < 0.05 to minor erythema and ulcer development degree in mouth mucosa in AG. In all AG patients developed dysgeusia in the period between 7 and 14 days after the last radiotherapy session. The mouth opening after radiotherapeutic treatment diminished a mean of 8.35%. The impact of mouth health on welfare before and after treatment was not significant. The isodoses distribution planning in tumor and nearby areas regions throughout computed tomography was eased by the intraoral stent usage due to mechanically spacing from the mouth structures not harmed by cancer. The side effects diminishing caused by radiotherapy improve welfare during and after the treatment and the mouth and tongue position stabilization during the radiotherapy left the treatment more comfortable for the patients, besides benefitting the medical radiotherapist and the medical physicist work. (AU)


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Pessoa de Meia-Idade , Idoso , Disgeusia/prevenção & controle , Desenho de Equipamento , Protetores Bucais , Lesões por Radiação/prevenção & controle , Radioterapia de Intensidade Modulada/efeitos adversos , Estomatite/prevenção & controle , Trismo/prevenção & controle , Boca/efeitos da radiação , Saúde Bucal , Reprodutibilidade dos Testes , Índice de Gravidade de Doença , Estomatite/etiologia , Inquéritos e Questionários , Resultado do Tratamento
9.
Braz. dent. sci ; 20(1): 70-79, 2017. ilus, tab
Artigo em Inglês | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-836752

RESUMO

A estomatite por prótese (EP) é uma condição multifatorial que acomete frequentemente usuários de prótese total e geralmente é relacionada com Candida albicans. Devido aos efeitos tóxicos da terapia antifúngica, novas terapias para EP são necessárias. Objetivos: O objetivo deste estudo foi avaliar a eficácia do extrato aquoso de Buchenavia tomentosa e bicarbonato de sódio frente a C. albicans em um modelo de EP em ratos. Material e Métodos: Um aparelho de resina acrílica simulando a base da prótese total foi fixado cobrindo o palato de 48 ratos machos seguido por indução da candidose. Os ratos foram divididos em 4 grupos (n=12): controle, bicarbonato de sódio, B. tomentosa e nistatina (controle positivo). Cada grupo foi subdividido de acordo com o período de tratamento; 24 horas (n=6) e 48 horas (n=6). Os animais foram sacrificados e os aparelhos foram removidos para contagem de C. albicans e análise por microscopia eletrônica de varredura. Resultados: Após 24 horas de tratamento, observou-se redução significativa da contagem de C. albicans tanto B. tomentosa quanto nistatina (nistatina x controle, p<0,01; B. tomentosa x controle, p=0,03). Os resultados foram confirmados pela análise histológica. Conclusão: Tanto o extrato aquoso de B. tomentosa e o bicarbonato de sódio foram capazes de reduzir significativamente as contagens de C. albicans em modelo experimental de EP (AU)


Background: Denture stomatitis (DS) is a multifactorial condition that commonly affects denture users and is mainly caused by Candida albicans. Due to the toxic effects of antifungal therapy, new therapies for DS are claimed. Objective: The aim of the study was to evaluate the efficacy of aqueous extract of Buchenavia tomentosa and sodium bicarbonate against C. albicans in a model of DS in rats. Material and Methods: An acrylic resin device simulating a denture base was fixed covering the palate of forty-eight male rats followed by candidiasis induction. Rats were divided into 4 groups (n = 12): Control, sodium bicarbonate, B. tomentosa and nystatin (positive control). Each group was subdivided according to the period of treatment; 24 h (n = 6) and 48 h (n = 6). Animals were sacrificed and had their devices removed for C. albicans counts and SEM analysis. The palate mucosa was removed and processed for histopathologic analysis. Results: After 24 h of treatment, both B. tomentosa and nystatin groups reduced significantly C. albicans counts when compared to control (nystatin x control, p < 0.01; B. tomentosa x control, p = 0.03). The results were confirmed by the histologic analysis. Conclusion: Both the aqueous extract of B. tomentosa and sodium bicarbonate was able to significantly decrease C. albicans counts in an experimental model of DS (AU)


Assuntos
Animais , Ratos , Candida albicans , Estomatite , Tratamento Farmacológico
10.
Periodontia ; 27(3): 37-43, 2017. ilus
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-868197

RESUMO

Apesar dos avanços na implantodontia, os pacientes submetidos à instalação de implantes osseointegrados não estão livres de doenças peri-implantares. Dentre estas patologias, a peri-implantite e a mucosite peri-implantar são as mais prevalentes. O objetivo do presente trabalho é realizar uma revisão de literatura sobre parâmetros clínicos periodontais e peri-implantares, evidenciando as diversas metodologias empregadas para a detecção destas doenças. Foi realizada uma busca nas bases de dados PUBMED, PUBMED CENTRAL e MEDLINE e encontrados 127 artigos que abordaram esta temática. Destes, 20 passaram a compor a presente revisão de literatura. Foi demonstrado que a maioria dos autores aqui apresentados investigam estas patologias por meio do uso de profundidade de sondagem, sangramento à sondagem e índice de placa, de maneira que os outros parâmetros apresentados nesta revisão são utilizados de forma não padronizada. Sendo assim é sugerida uma padronização destes parâmetros utilizados para avaliar as condições peri-implantares, bem como os critérios de diagnóstico levando em consideração o 7° Workshop Europeu de Periodontia. Concluiu-se que a diversidade de parâmetros utilizados afeta a reprodutibilidade e pode inferir em erro na prevalência das doenças estudadas (AU)


Despite advances in implantology, patients submitted to installation of dental implants are not free of peri-implant disease. Among these pathologies are periimplantitis and peri-implant mucositis, which are the most prevalent. Thus, the purpose of this article is to review the literature on periodontal and peri-implant clinical parameters, showing the different methods used for the detection of these diseases. A search was conducted in PUBMED, PUBMED CENTRAL and MEDLINE databases, and were found 127 articles that address this topic. Of these articles, 20 were included in this literature review. It was shown that most of the authors presented here investigates these conditions through the use of pocket depth, bleeding on probing and plaque index, so that the other parameters presented in this review are used in non-standard form. Therefore, it is suggested a standardization of these parameters used to evaluate the peri-implant conditions, as well as the diagnostic criteria, taking into account the Seventh European Workshop on Periodontology. It was concluded that diversity parameters used affect the reproducibility and can infer error in the prevalence of the diseases studied.(AU)


Assuntos
Implantes Dentários , Peri-Implantite , Estomatite
11.
Braz. j. oral sci ; 15(4): 280-285, Oct.-Dec. 2016. ilus
Artigo em Inglês | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-875804

RESUMO

Radiation-induced oral mucositis (RIOM) is aimed at evaluating the expression of NF-κß, IL-1α, IL-6, IL-8 and TNF-α in patients with RIOM so as to validate their role in the pathobiology of the disease. Blood samples were collected and serum of 45 patients isolated with clinical signs and symptoms of mucositis and 10 healthy controls were also included in the study. The expression level of NF-κß, IL-1α, IL-6, IL-8, TNF-α was investigated using ELISA. Mann Whitney U test was applied to find the significance of the expression of these markers in RIOM patients as compared to normal healthy controls and significant expression (P< 0.05) for NF-κß, IL-6, TNF-α and non-significant expression (P > 0.05) IL-1α and IL-8 was found. No significant change in the expression level of the cytokines was observed for patients undergoing chemotherapy and radiation therapy as well as those receiving only the radiation therapy as a part of their treatment. We have also found less expression in grade 1 of mucositis as compared to grade 4. Pro- inflammatory cytokines indeed play a vital role in the pathogenesis as well as progression of RIOM (AU)


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Citocinas , NF-kappa B , Radioterapia , Estomatite
12.
Bauru; s.n; 2016. 85 p. tab, ilus, graf.
Tese em Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-881397

RESUMO

A quimioterapia e a radioterapia são modalidades terapêuticas não cirúrgicas aplicadas a pacientes com neoplasias malignas. A mucosite oral (MO) é uma inflamação da mucosa oral decorrente destas terapias antineoplásicas, manifestando-se por atrofia, inchaço, eritema e úlcera, comprometendo a qualidade de vida. A patogênese da mucosite oral envolve uma cascata de eventos de natureza inflamatória que culminam em alterações no epitélio e no tecido conjuntivo. Dentre estas modificações destacam-se as alterações na microvascularização, as quais precedem as alterações epiteliais na mucosa oral induzida por radiação e pelos agentes quimioterápicos. A Fluxometria Laser Doppler é um método não invasivo que permite avaliar parâmetros clínicos da microcirculação através do monitoramento do fluxo continuamente, em tempo real. O objetivo deste estudo foi avaliar a fluxo sanguíneo na região geniana em pacientes sob radioterapia de cabeça e pescoço ou quimioterapia através da técnica de Fluxometria Laser Doppler e comparar a graduação de mucosite oral e dor com dados obtidos na avaliação do fluxo sanguíneo. Este estudo observacional e prospectivo teve uma amostra de 14 pacientes oncológicos que foram avaliados antes do início da terapia antineoplásica e durante a fase intensiva da radioterapia de cabeça e pescoço ou quimioterapia, em 7 momentos. Para esta avaliação foi utilizado o Fluxômetro Laser Doppler para o registro do fluxo sanguíneo; as escalas da OMS (Organização Mundial da Saúde) e OMAS (Oral Mucositis Assessment Scale) para a avaliação do grau de mucosite; e Escala Visual Analógica (EVA) para a avaliação da dor em mucosa oral. Ao se comparar o fluxo sanguíneo nos tempos T1, T2, T3, T4, T5 e T6 com o T0, para os pacientes submetidos a radioterapia de cabeça e pescoço, não houve diferença estatística (p>0,05). Para os pacientes sob quimioterapia, houve diferença estatística nos tempo T1 (p=0,033) e T6 (p=0,043). Houve correlação positiva fraca entre as escalas para avaliação de mucosite oral (OMS (p=0,031) e OMAS (p=0,009)) e o fluxo sanguíneo. Não houve grau de relação entre dor induzida por mucosite oral e fluxo sanguíneo (p>0,05). A Fluxometria Laser Doppler permitiu a observação da dinâmica microvascular da região geniana da face em pacientes sob terapia antineoplásica e com risco de desenvolvimento de mucosite oral. Nos pacientes sob quimioterapia, houve aumento de perfusão cutânea na face nos tempos iniciais da MO, com progressiva redução do fluxo no decorrer do ciclo de quimioterapia.(AU)


Chemotherapy and radiotherapy are non surgical therapeutic modalities to malignancies. Oral mucositis is a inflammation of the oral mucosa due to these cancer therapy, typically manifesting as atrophy, swelling, erythema and ulceration compromising the quality of life. The pathogenesis of oral mucositis (OM) involves a cascade of inflammation events that result in changes in the epithelial layer and connective tissue, including microvascular modifications. These modifications precede epithelial changes induced by radiation therapy and chemotherapeutic agents, thereby modifications in blood flow may be a predictive factor of the severity of oral mucositis. Laser Doppler flowmetry (LDF) is a non invasive method enabling the monitoring of microvascular blood flow continuously in real time. The aim of this study was to evaluate the blood flow in the genius region in patients undergoing head and neck radiation and/or chemotherapy by Laser Doppler Flowmetry and compare the degree of oral mucositis and pain with data obtained in the evaluation of blood flow. This prospective observational study had a sample of 14 oncologic patients who were evaluated before and during the intensive phase of head and neck radiotherapy or chemotherapy in 7 times. For this evaluation, we used the Laser Doppler Flowmeter to measure blood flow; WHO scale (World Health Organization) and OMAS (Oral Mucositis Assessment Scale) for assessing the severity of mucositis; and Visual Analogue Scale (VAS) for pain assessment in oral mucosa. When we compare blood flow in T1, T2, T3,T4, T5 and T6 with T0, for patients undergoing radiotherapy for head and neck, there was no statistical difference (p> 0.05). For patients undergoing chemotherapy, there was a statistical difference in time T1 (p = 0.033) and T6 (p = 0.043). There was a weak positive correlation between the scale for assessing oral mucositis (WHO (p = 0.031) and OMAS (p = 0.009)) and blood flow. There was no relation degree pain induced oral mucositis and blood flow (p>0.05). Laser Doppler flowmetry allowed the observation of microvascular dynamics in the genian region of the face in patients undergoing antineoplastic therapy and risk of developing mucositis. In patients undergoing chemotherapy, there was an increase of skin perfusion in the face in the early days of the OM, with progressive reduction in flow during the course of chemotherapy.(AU)


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Idoso , Antineoplásicos/efeitos adversos , Neoplasias de Cabeça e Pescoço/tratamento farmacológico , Neoplasias de Cabeça e Pescoço/radioterapia , Fluxometria por Laser-Doppler/métodos , Radioterapia/efeitos adversos , Estomatite/etiologia , Estomatite/patologia , Mucosa Bucal/irrigação sanguínea , Mucosa Bucal/efeitos dos fármacos , Mucosa Bucal/efeitos da radiação , Estudo Observacional , Medição da Dor , Estudos Prospectivos , Índice de Gravidade de Doença
13.
Rio de Janeiro; s.n; 2016. 62 p. ilus.
Tese em Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-908717

RESUMO

A mucosite oral é uma das complicações mais comuns e dolorosas induzidas por radioterapia e/ou quimioterapia e pode gerar sérias complicações no quadro clínico do paciente. A utilização da terapia com laser de baixa potência para o tratamento e prevenção da mucosite oral (MO) tem apresentado excelentes resultados clínicos, por ser bem tolerada, e não apresentar desconforto, toxicidade e efeitos colaterais. No entanto, são necessárias mais pesquisas para melhorar a utilização do laser e assim, obter a melhor biomodulação de reações teciduais. O objetivo geral dessa pesquisa foi avaliar a incidência de MO nos pacientes com LLA que receberam laser profilático. Trata-se de um estudo piloto tipo ensaio clínico controlado, aleatorizado, duplo cego e prospectivo. Foram avaliados 21 pacientes com diagnóstico de Leucemia Linfoblástica Aguda (LLA) submetidos à quimioterapia no período de março até novembro de 2015. Os pacientes foram aleatorizados previamente ao início do estudo entre receber tratamento com laser de baixa potência com comprimento de onda de 660nm ou 808nm ambos com 100 mW, 4J/cm2, 1J e um "spot size" de 0,24 cm2. Os pacientes foram avaliados durante o período de internação, diariamente, do D 0 ao D +5 e posteriormente no controle ambulatorial. As análises estatísticas foram realizadas por pacientes e por blocos de quimioterapia e foi possível notar que em ambos os grupos a incidência de MO foi baixa, nenhum paciente desenvolveu mucosite oral grau 4 na escala da OMS, nenhum paciente precisou usar opioide para controlar a dor de MO e não foram registrados casos de interrupção ou atraso do tratamento quimioterápico devido à mucosite grave. Além disso, o tempo máximo para a resolução da mucosite foi de quatro dias e não ocorreram casos de reinternação com motivo primário de MO. A aplicação do laser foi bem tolerada por todos os pacientes e não houve qualquer efeito colateral derivado de seu uso. O grupo 1, que recebeu a profilaxia com laser vermelho, apresentou maior incidência de Mucosite oral sem diferença significante e com maior tempo de duração das lesões na análise por pacientes em relação ao grupo 2, que recebeu a profilaxia com o laser infravermelho. Esses resultados sugerem que o cuidado na prevenção da MO com as duas fontes de laser, associados com a higiene oral foi eficaz. E que a profilaxia para a prevenção da mucosite associada ao cuidado imediato, ao primeiro sintoma dos pacientes, pode ser fundamental para a rápida resolução das lesões.


Oral mucositis (OM) is one of the most common and painful complication induced by radiotherapy and / or chemotherapy and may induce serious complications in the patient's condition. The use of low-power laser therapy for the treatment and prevention of OM has shown excellent clinical results, to be well tolerated and presents no discomfort toxicity and side effects. However, further studies are necessary to improve the use of the laser and to get the best biomodulation of tissue reactions. The aim of this study was to evaluate the incidence of OM grade 2, 3 and 4 in patients with acute lymphoblastic leukemia (ALL) who received prophylactic laser. This is a pilot prospective, randomized, double-blind, clinical trial. We evaluated 21 patients diagnosed with ALL undergoing chemotherapy from March to November 2015. Patients were randomized prior to the start of the study to receive either low level laser treatment with a wavelength of 660nm or 808nm both with 100 mW, 4 J / cm2, 1J and a "spot size" of 0.24 cm2. Patients were evaluated during hospitalization, daily from D 0 to D +5 and later in the outpatient control. Statistical analyzes were calculated using the patients and chemotherapy blocks as unit of analysis. The results showed that both groups presented low incidence of OM, no patient developed oral mucositis grade 4 on the WHO scale, no patient had to use opioids to control OM pain and there were no reported cases of interruption or delay chemotherapy treatment due to severe mucositis. In addition, the maximum time for the resolution of mucositis was four days and there were no cases of readmission with primary reason OM. The laser application was well tolerated by all patients and there was no side effect derived from its use. Group 1 showed higher incidence of oral mucositis not significantly different and with longer duration of lesions in the analysis by patients, as compared to group 2. These results suggest that care in the prevention of OM with two laser sources associated with the oral hygiene was effective. Moreover, the prophylaxis to prevent mucositis associated with immediate care, the first symptom of patients, can be critical to the rapid resolution of the lesions.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Pré-Escolar , Criança , Adolescente , Adulto , Terapia com Luz de Baixa Intensidade/métodos , Periodontia , Leucemia-Linfoma Linfoblástico de Células Precursoras/tratamento farmacológico , Estomatite/radioterapia , Estomatite/terapia
14.
Belo Horizonte; s.n; 2016. 126 p. ilus.
Tese em Inglês, Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-916403

RESUMO

Objetivos: Avaliar, em um estudo longitudinal de 5 anos, a associação entre o diagnóstico da doença peri-implantar (DPi) e a contagem de patógenos na presença e ausência de terapia de manutenção periodontal/peri-implantar (TMPP). Realizar uma revisão sistemática de estudos observacionais para avaliar se dados presentes na literatura indicam uma maior prevalência de peri-implantite (PI) em indivíduos com diagnóstico ou histórico de periodontite (PE). Métodos: O estudo longitudinal microbiológico foi realizado avaliando-se, através da técnica da reação em cadeia da polimerase em tempo real, as seguintes espécies bacterianas: T. forsythia, T. denticola, P. gingivalis, P. intermedia, F. nucleatum e A. naeslundii em 80 indivíduos com mucosite peri-implantar (MP) que realizavam consultas para manutenção periodontal/peri-implantar regular (GTP, n = 39) comparados aos que não realizavam (GNTP, n = 41). Para a revisão sistemática uma busca eletrônica foi conduzida até março de 2016. Foram encontrados 1330 estudos, 17 artigos foram incluídos na análise final (PROSPERO CRD42015009518). A meta-análise foi realizada para presença ou ausência de PI. Medidas de efeito sumário e taxas de razão de chances (OR) com 95% IC foram calculadas. Resultados: Os resultados do estudo longitudinal mostraram que, após 5 anos, houve uma diminuição da carga bacteriana total (CBT), na frequência das bactérias analisadas do complexo laranja (p = 0.013) e nas frequências isoladas de T. forsythia (p = 0.000), P. gingivalis (p = 0.003) e P. intermedia (p = 0.013) no GTP. Indivíduos com PI apresentaram maiores frequências de P. gingivalis (GNTP: p = 0,030; GTP: p = 0,000), T. denticola (GNTP: p = 0,017) e F. nucleatum (GTP e GNTP; p = 0.002) comparados aos com MP. Indivíduos que desenvolveram PI apresentaram um aumento na CBT (GTP: p = 0.047; GNTP: p = 0,055) e na frequência isolada de P. gingivalis (GNTP: p = 0,002) e F. nucleatum (GTP e GNTP; p = 0.000). Não houve diferenças estatisticamente significativas intergrupos em relação aos patógenos do complexo vermelho (p > 0,05). Tanto nos indivíduos com MP (T1 e T2: p = 0,000), quanto nos indivíduos com PI (T2: p = 0,000), a frequência do complexo laranja foi significativamente menor no GTP. A meta-análise dos estudos coorte mostrou que indivíduos (OR = 7.22), e implantes (OR = 5.63) apresentaram maior risco de desenvolver PI. Nos estudos transversais, em análises não ajustadas, indivíduos com PE apresentaram maior chance de ter PI (OR = 3.18). Quando a análise foi ajustada para tabagismo e diabetes não houve aumento estatisticamente significativo no risco para PI (OR = 1.73; IC 95% 0.86- 3.45). Conclusões: Pôde-se concluir que a ausência de consultas regulares para manutenção periodontal/peri-implantar foi associada com pior condição clínica periimplantar, maior incidência de PI e um aumento significativo na CBT. Adicionalmente, indivíduos com diagnóstico de PI apresentaram maiores frequências de P. gingivalis, T. denticola e F. nucleatum e maior CBT. A revisão sistemática permitiu concluir que indivíduos com diagnóstico ou histórico de PE podem apresentar um risco aumentado para PI. Mais estudos prospectivos são necessários para confirmar a evidência, principalmente os ensaios clínicos controlados randomizados


Aims: Evaluate, in a 5-year longitudinal study, the association between peri-implant disease's (DPi) diagnosis and the count of pathogens in the presence and absence of periodontal/peri-implant maintenance therapy. Conduct a systematic review of observational studies to evaluate whether data in the literature indicates a higher prevalence of peri-implantitis (PI) in subjects with diagnosis or history of periodontitis (PE). Methods: the microbiologic study was performed evaluating, through polymerase chain reaction in real time technique, the following bacterial species: T. forsythia, T. denticola, P. gingivalis, P. intermedia, F. nucleatum and A. naeslundii in 80 patients with peri-implant mucositis (PM) that were queries for periodontal/periimplant regular maintenance (GTP, n = 39) compared to those who were not (GNTP, n = 41). For the systematic review an electronic search was conducted until March 2016. It was found 1330 studies, 19 articles were included in the final analysis (PROSPERO CRD42015009518). The meta-analysis was performed for presence or absence of PI. Summary measures and odds ratio (OR) with 95% IC were calculated. Results: the results of the longitudinal study showed that, after 5 years, there was a decrease in the total bacterial load (TBL), the frequency of bacteria analyzed in the orange complex (p = 0.013) and in the frequencies of T. forsythia (p = 0.000), P. gingivalis (p = 0.003) and P. intermedia (p = 0.013) in the GTP. Individuals with PI had higher frequencies of P. gingivalis (GNTP: p = 0.030; GTP: p = 0.000), T. denticola (GNTP: p = 0.017) and T. nucleatum (GTP and GNTP; p = 0.002) compared to those with PM diagnosis. Individuals who have developed PI showed an increase in TBL (GTP: p = 0047; GNTP: p = 0.055) and in the isolated frequencies of P. gingivalis (GNTP: p = 0.002) and F. nucleatum (GTP and GNTP; p = 0.000). There were no statistically significant differences intergroups in relation to red complex pathogens (p > 0.05). Both in individuals with PM (T1 and T2: p = 0.000), as in individuals with PI (T2: p = 0.000), the frequency of orange complex was significantly lower in the GTP. The meta-analysis of cohort studies showed that individuals (OR = 7.22), and implants (OR = 5.63) presented a higher risk of developing PI. In the cross-sectional studies, in unadjusted analyses, individuals with PE presented a higher chance of having PI (OR = 3.18). When the analysis was adjusted for smoking and diabetes, there was no statistically significant increase in risk for PI (OR = 1.73; 95% CI 0.86-3.45). Conclusions: it might be concluded that the absence of regular periodontal/peri-implant maintenance was associated with worse peri-implant clinical condition, higher incidence of PI and a significant increase in TBL. Additionally, individuals diagnosed with PI showed greater frequencies of P. gingivalis, T. denticola and F. nucleatum and largest TBL. The systematic review showed that individuals diagnosed or with PE's history may have an increased risk for PI. More prospective studies are needed to confirm this evidence, especially the randomized controlled clinical trials


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Noxas/efeitos adversos , Peri-Implantite/diagnóstico , Peri-Implantite/epidemiologia , Periodontite/patologia , Periodontite/terapia , Reação em Cadeia da Polimerase em Tempo Real/estatística & dados numéricos , Estomatite/epidemiologia , Estudo Comparativo , Interpretação Estatística de Dados , Estudos Longitudinais , Metanálise em Rede , Fatores de Risco
15.
São Paulo; s.n; 2016. 91 p. ilus, tab. (BR).
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-867901

RESUMO

A radioterapia para tratamento das neoplasias malignas em região de cabeça e pescoço é acompanhada de diversas complicações, decorrentes do comprometimento dos tecidos radiossensíveis localizados próximos ao tumor. Entre essas complicações a mucosite é a que merece maior destaque. A mucosite é uma reação tóxica inflamatória da mucosa oral causada pelo tratamento citorredutivo induzido pela radioterapia (RT) ou pela quimioterapia (QT). Ela manifesta-se com sinais de edema, eritema, úlcera e formação pseudomembrana, resultando em sintomas de ardência, que pode progredir para dor intensa e consequente prejuízo na alimentação e comunicação verbal. Infecções bacterianas, fúngicas ou virais podem acometer a mucosa bucal irradiada e exacerbar a manifestação da mucosite oral por meio da ativação de fatores de transcrição da resposta inflamatória. Existem poucos dados na literatura sobre a participação dos herpesvirus humanos na mucosite oral induzida pela radioterapia. A proposta desse trabalho foi avaliar a excreção oral dos herpesvirus humanos (HSV-1, HSV-2, EBV, CMV, VZV, HHV6, HHV7 e HHV8) e sua possível associação com o desenvolvimento e agravamento da mucosite oral, em pacientes diagnosticados com carcinoma epidermoide (CEC) de boca e orofaringe, submetidos à radioterapia associado à quimioterapia. Nesse estudo foram analisadas 158 amostras de lavado bucal, de 20 pacientes, submetidos à radioterapia para CEC em região de cabeça e pescoço, coletadas semanalmente, durante todo o tratamento. Foi realizada a extração do DNA dessas amostras e em seguida sua amplificação através da PCR utilizando dois conjuntos de primers: HSVP1/P2 para os subtipos HSV-1, HSV-2, EBV, CMV e HHV-8 e o VZVP1/P2 para os subtipos VZV, HHV-6 e HHV-7


As amostras positivas foram submetidas à digestão enzimática com enzimas de restrição BamHI e BstUI para determinação específica de cada um dos oito herpesvirus. Foi também avaliada clinicamente, a mucosite oral, em cada uma das coletas, seguindo os critérios da OMS e NCIC. As análises da amostra mostraram a excreção do EBV, HHV-6 e HHV-7, em todas as semanas de tratamento radioterápico, enquanto que a excreção do HSV1 não pode ser observada no momento da triagem. Considerando-se todos os períodos em conjunto (Triagem, semanas de radioterapia e Controle), a maior frequência foi de pacientes que excretaram EBV (55,0%), seguida daqueles que excretaram HHV-7 (20,5%). A frequência de excreção de EBV foi significativamente maior do que a dos demais vírus (Teste ?2, p<0.001 para todos os cruzamentos). A frequência de excreção de HHV-7 foi significativamente maior do que a de HSV-1 (5,9%) e HHV-6 (5,5%) (Teste ?2, p=0.001 para ambos os cruzamentos). Não houve diferenças estatísticas significantes entre as frequências de HSV-1 e HHV-6. Como conclusão, verificou-se uma correlação positiva entre a excreção oral do EBV e a presença de mucosite induzida pela associação de radioterapia e quimioterapia com graus >=2, sobretudo se considerarmos as três últimas semanas de radioterapia, período este em que a severidade da mucosite foi estatisticamente maior. Esses achados nos possibilitam inferir que o ambiente inflamatório local de mucosites com grau >=2 seja mais favorável para excreção oral do EBV.


The radiotherapy (RT) treatment for head and neck tumors is accompanied by various complications resulting from the damage of the radiosensitive tissues located close to the tumor. Among these complications, mucositis is the one that deserves a special attention. Mucositis is an inflammatory toxic reaction of the oral mucosa caused by cytoreductive treatment induced by radiotherapy (RT) or chemotherapy (QT). The clinical manifestations of mucositis are: edema, erythema, ulcers and pseudo membrane formation, resulting in symptoms of burning, which may progress to severe pain and consequent loss in deglutition and verbal communication. The development of bacterial, fungal or viral infections, may affect the oral mucosa that has been irradiated, exacerbating the manifestation of oral mucositis through the activation of transcription factors of the inflammatory response. There are few data in the literature on the participation of human herpesvirus in oral mucositis caused by radiotherapy treatment. The aim of this study is to evaluate the oral excretion of human herpesvirus (HSV-1, HSV-2, EBV, CMV, VZV, HHV6, HHV7 and HHV-8) and its possible association with the development and aggravation of oral mucositis, in patients diagnosed with squamous cell carcinoma (CEC) of oral cavity and oropharynx, undergoing radiotherapy treatment associated with chemotherapy. On our study, we analyzed 158 oral rinsing samples, collected weekly, from 20 patients during the whole radiotherapy treatment for squamous cell carcinoma in head and neck. From these samples, we extracted the DNA and afterwards we amplified them with PCR using two sets of primers: HSVP1/P2 for the subtypes HSV-1, HSV-2, EBV, CMV, and HHV-8 and VZVP1/P2 for the subtypes VZV, HHV 6, and HHV-7.


The positive samples were subjected to enzymatic digestion with BamHI and BstUI restriction enzymes for specific determination of each one, of the eight's herpesvirus. It has also been clinically evaluated in each time, the oral mucositis, following the WHO and NCIC criteria. The analysis of the sample showed the excretion of EBV, HHV-6 and HHV-7, in all the weeks of radiotherapy, whereas the excretion of HSV-1 could not be observed during screening. Considering all periods together (Screening, weeks of radiotherapy and Follow up), the highest frequency was of patients with EBV excretion (55.0%), followed by those with HHV-7 excretion (20.5%).


Assuntos
Carcinoma de Células Escamosas/complicações , Carcinoma de Células Escamosas/diagnóstico , Estomatite/complicações , Estomatite/diagnóstico , Herpesvirus Humano 1/crescimento & desenvolvimento , Herpesvirus Humano 1/fisiologia , Radioterapia/métodos , Radioterapia
16.
ImplantNews ; 12(6): 750-754, nov.-dez. 2015.
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-850948

RESUMO

O objetivo deste trabalho foi realizar uma revisão da literatura sobre os parâmetros clínicos e moleculares como marcadores de doenças peri-implantares e periodontais. Uma busca eletrônica foi realizada entre os anos de 2000 e 2014, apenas em periódicos de língua inglesa, utilizando-se as palavras-chave “dental implants”, “interleukin-1” e “peri-implantitis” no site Medline/PubMed. Parâmetros clínicos – sangramento (SS), profundidade de sondagem (PS), índice gengival (IG) e índice de placa (IP) –, bem como as diversas citocinas pró-inflamatórias, foram analisados em estudos com seres humanos com mucosite e, ou peri-implantite. Foram recuperados 325 artigos com 45 destes inicialmente selecionados e, após a avaliação dos textos completos, foram incluídos 20 trabalhos. Pôde-se concluir que: 1) As citocinas pró-inflamatórias são utilizadas como marcadores das doenças peri-implantar e periodontal; 2) Os trabalhos apresentam diversos parâmetros clínicos e moleculares como meio de diagnóstico; 3) Estes achados clínicos mostram a doença peri-implantar apenas em seu estágio atual; 4) Os resultados são variados pela natureza transversal dos estudos e das populações; e 5) Novas avaliações deverão ser feitas com o intuito de reforçar estas informações e torná-las úteis à prática clínica diária.


The aim of this paper was to make a literature review on the clinical and molecular parameters as biomarkers of the peri-implant and periodontal diseases. An electronic search was made between the 2000 and 2014 in the English language journals at the Medline/PubMed site. Clinical parameters - bleeding on probing (BoP), pocket depth (PD), gingival index (GI), and the plaque index (PI), as well as proinfl ammatory cytokines were analyzed in human models with mucositis and peri-implantitis. Overall, 325 references were retrieved, 45 initially selected, but only 20 papers included. it can be concluded that: 1) the proinfl ammatory cytokines are used as markers of peri-implant and periodontal diseases; 2) several clinical and molecular parameters were used for diagnostic purposes; 3) The clinical fi ndings show the peri-implant disease on its early stages; 4) The results varied due to its cross-sectional nature and targeted populations; and 5) New evaluations need to be made with the aim to reinforce these information and make them useful at the clinical practice.


Assuntos
Humanos , Citocinas , Implantação Dentária , Interleucina-1beta , Peri-Implantite , Índice Periodontal , Estomatite
17.
São Paulo; s.n; 2015. 62 p. ilus, tab. (BR).
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-867375

RESUMO

A mucosite oral é um dos efeitos adversos mais frequente e debilitantes em pacientes submetidos ao transplante de medula óssea (TMO). O Laser de Baixa Potência (LBP) tem sido estabelecido como importante ferramenta na prevenção de mucosite, durante o condicionamento com quimioterapia de altas doses no TMO. No entanto, protocolos que suportam tais intervenções variam e os fatores de riscos para mucosite em pacientes com diferentes tipos de neoplasias e condicionamentos mesmo recebendo a prevenção com o LBP são ainda desconhecidos. Este trabalho teve como objetivo avaliar a prevalência de mucosite, sua relação com os parâmetros clínicos e fatores preditivos em pacientes submetidos ao TMO e que receberam a prevenção com LBP. Foi realizada uma análise retrospectiva de 374 pacientes consecutivos que foram submetidos ao TMO no A.C. Camargo Cancer Center, entre o período de janeiro de 2006 a janeiro de 2013. Todos os pacientes receberam profilaxia para mucosite oral com LBP, utilizando protocolo único, desde o primeiro dia do condicionamento até o D+2 (2 dias após a infusão da medula óssea). Os pacientes continuaram a receber o LBP nos casos de mucosite oral >= grau 2 até a remissão completa das lesões. Os dados clínicos como neutropenia febril, dor em boca, uso de alimentação parenteral e o uso de morfina foram coletados diariamente através dos prontuários dos pacientes desde o primeiro dia de internação até a alta hospitalar. As variáveis clínicas como idade, peso e função renal foram coletadas no dia da internação para o condicionamento. Dos 374 pacientes selecionados para este estudo, 37 (9%) pacientes foram excluídos, totalizando assim, 337 pacientes. Destes, 43 (12,76%) não apresentaram mucosite, 166 (49,25%) manifestaram mucosite grau 1, 84 (24,93%) grau 2, 32 (9,50%) grau 3 e 12 (3,56%) grau 4.


Os pacientes com mucosite grau ? 2, apresentaram uma média de 1,4 dias de dor em boca comparado com 9,2 dias nos pacientes com mucosite ? 3 (p<0,0001). Em relação ao tempo de hospitalização, nos pacientes com mucosite grau ? 2, a média foi de 27,16 dias comparado com 36,07 nos com mucosite grau ?3 (p<0,0001). Através do modelo de regressão logística, observou-se que a cada aumento em uma unidade de creatinina a chance de ocorrer mucosite grau ? 3 foi 4,3 vezes maior (RC= 4,37; 95% IC: 1,68 - 11,32; p=0,0024). Além disso, os pacientes submetidos ao transplante alogênico apresentaram cerca de 5,97 vezes mais chance de apresentar mucosite grau ? 3 comparado com os pacientes submetidos ao transplante autólogo (RC= 5,97; 95% IC: 3,02 - 11,99; p<0,001). O estudo concluiu que a incidência e intensidade da mucosite oral severa foi baixa nos pacientes submetidos ao TMO, provavelmente devido à profilaxia com o LBP. Além disso, quanto maior a severidade da mucosite oral, maior o tempo de dor em boca, uso de alimentação parenteral, uso de morfina e período de internação. O transplante alogênico e o aumento no nível sérico de creatinina foram considerados fatores de risco para ocorrência de mucosite oral severa. Novos estudos são necessários para definir protocolos específicos para o LBP nestes pacientes com maior risco para o desenvolvimento de mucosite severa.


Oral mucositis is one of the most common and debilitating adverse effects in patients undergoing bone marrow transplantation (BMT). The low-power laser (LBP) has been established as an important tool in the prevention of mucositis, during conditioning with high-dose chemotherapy in BMT. However, protocols that support such intervention vary and risk factors for mucositis in patients with different types of neoplasms and conditioning protocols are still unknown. This study aimed to assess the prevalence of mucositis, its relationship with clinical parameters and predictive factors in patients undergoing BMT and receiving prevention with LBP. A retrospective analysis was performed concerning 374 patients who were submitted consecutively to BMT at the AC Camargo Cancer Center, from January 2006 to January 2013. All patients received prophylaxis for oral mucositis with LBP using only protocol from the first day of conditioning until D + 2 (2 days after the infusion of the bone marrow). Patients continued to receive the LBP in the case of oral mucositis grade >= 2 until the complete remission of the lesions. Clinical data, such as febrile neutropenia, mouth pain, parenteral nutrition usage and the use of morphine were collected daily through the medical records of patients from the first day of admission until discharge. The clinical variables such as age, weight and renal function data were collected on the day of admission for conditioning. Of the 374 patients selected for this study, 37 (9%) were excluded, totaling 337 patients...


Assuntos
Estomatite/complicações , Estomatite/diagnóstico , Terapia a Laser/métodos , Terapia a Laser , Transplante de Medula Óssea/métodos , Transplante de Medula Óssea
18.
Bauru; s.n; 2015. 94 p. ilus, tab, graf.
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-867435

RESUMO

Neste estudo avaliou-se a ação do gel de Plaquetas e da Glutamina no processo de cicatrização de lesões bucais causadas por mucosite induzida por quimioterapia em ratos Wistar. Foram utilizados 50 animais divididos em 05 grupos: um Grupo A (Gel de Plaquetas), Grupo B (Glutamina tópica), Grupo C (Glutamina gavagem), Grupo D (Glutamina + Gel de plaquetas) e Grupo E (controle +). A partir do 7o dia após a quimioterapia, avaliou-se os graus de mucosite e iniciou-se a aplicação dos medicamentos propostos para cada grupo. O sacrifício dos animais ocorreu em 5 e 10 dias após o início de aplicação dos medicamentos. Foram realizadas as biópsias da mucosa jugal e língua para análise do exame histopatológico onde se avaliou a quantidade de macrófagos, linfócitos e queratinização. Os graus de mucosite desenvolvidos na 1a e 2a fase do experimento apresentaram variação numérica importante, mas sem diferenças estatísticas significantes. Na análise histológica, resultados estatisticamente significativos foram obtidos (Fase 1) para linfócitos em mucosa jugal, onde o grupo B (glutamina) foi maior que o do grupo D (gel de plaquetas + glutamina) (p = 0,032); os linfócitos em língua do grupo A (gel de plaquetas) (p = 0,000) foi superior quando comparado com todos os outros grupos. A queratinização em mucosa jugal no grupo D (Fase 1) apresentou resultados significativamente superiores quando comparada com a queratinização dos demais grupos. A queratinização em língua no grupo D apresentou diferenças estatisticamente significantes (p = 0,000) e maior em relação aos outros grupos. Na fase 2, os macrófagos em língua tiveram resultados significantes entre os grupos A e C (p = 0,031) e A e E (p = 0,006), onde A foi maior. Diante dos resultados encontrados, concluiu-se que os biocurativos utilizados neste estudo promoveram uma maior reação inflamatória no conjuntivo e maior queratinização no epitélio. Entretanto, clinicamente, nas lesões observadas, o tempo de cicatrização foi...


Among bio-curatives there are those derived from the addition "in vitro" of thrombin and calcium gluconate to the platelet rich human plasma that stimulate its degranulation to releasing of growth factors acting on the healing process. Glutamine is the amino acid present in plasma and muscle tissue being considered an important energetic source for the immune system cells. Mucositis is a denomination for the changes that occur in the oral mucosa, mainly due to the cancer treatments. In this study, the action of platelet gel and Glutamine was evaluated in the oral lesions healing process caused by mucositis induced by chemotherapy in Wistar rats. 50 animals divided into 05 groups were used: A Group (Platelet Gel), B Group (Topical glutamine), C Group (Glutamine gavage), D Group (Glutamine + Platelet Gel) and E Group (control +). From the 7th day after chemotherapy, the degree of mucositis was evaluated and the proposed drug application began for each group. The animal sacrifice occurred within 5 to 10 days after the medicine application beginning. Jugal and tongue mucosa biopsies for histopathological examination analysis were carried out which evaluated the macrophages amount, lymphocytes and keratinization. The mucositis degrees developed in the 1st and 2nd phase of the experiment showed important numerical variation, but without meaningful statistical differences. In the histological analysis, statistically meaningful results were obtained (Phase 1) for lymphocytes in the jugal mucosa where the B group (glutamine) was higher than D group (platelet gel + glutamine) (p = 0,032); lymphocytes in tongue in A group (platelet gel) (p = 0,000) was higher when compared to all other groups. Keratinization in the jugal mucosa in D group (Phase 1), showed meaningfully superior results when compared to the keratinization of the other groups. The Keratinization in tongue in D group showed meaningful statistical differences (p = 0,000) and higher compared to the other...


Assuntos
Animais , Masculino , Ratos , Estomatite/induzido quimicamente , Estomatite/tratamento farmacológico , Glutamina/farmacologia , Mucosa Bucal , Plasma Rico em Plaquetas , Cicatrização , Géis , Glutamina/uso terapêutico , Mucosa Bucal/patologia , Ratos Wistar , Reprodutibilidade dos Testes
19.
Belo Horizonte; s.n; 2015. 120 p. ilus, tab, graf.
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-790333

RESUMO

Os efeitos colaterais mais conhecidos em cavidade bucal, durante a radioterapia para o tratamento de câncer em região da cabeça e pescoço, são a mucosite e a candidose. Essas alterações são potencializadas pela hipossalivação em decorrência de alterações nas glândulas salivares. Existem diversos protocolos para o controle da mucosite, hipossalivação e candidose bucais nesses pacientes, entretanto, nenhum deles é totalmente eficaz. A Própolis possui atividade analgésica, anti-inflamatória, antifúngica e cicatrizante. Essas características farmacológicas conferem à Própolis um grande potencial para prevenir as alterações na cavidade bucal dos pacientes que serão submetidos à radioterapia. O objetivo deste trabalho foi avaliar a efetividade do Gel contendo Própolis na prevenção da mucosite e candidose em comparação com o cloridrato de benzidamina. Vinte e seis pacientes foram incluídos no estudo. Os pacientes foram aleatorizados em dois grupos, sendo que o grupo 1 usou o cloridrato de benzidamina e o grupo 2 o gel de Própolis. Tanto os pacientes do grupo 1 , como os pacientes do grupo 2 usaram os produtos 3 (três) vezes ao dia, durante todo o período da radioterapia e duas semanas após o término do tratamento e todos foram avaliados semanalmente. Os resultados obtidos mostraram que 84,6% dos pacientes eram do sexomasculino e que 19,2% dos pacientes mantinham o hábito de fumar e consumir bebidas alcoólicas. A dose média de radioterapia foi 6466,1 Gys. Após a análise final dos dados, observou-se que o Gel de Própolis apresentou melhor efetividade na prevenção da mucosite, a partir da 17a sessão de radioterapia, quando comparado ao grupo cloridrato de benzidamina. Setenta e oito por cento (78,6%) dos pacientes avaliaram o produto como bom, enquanto 85,7% o indicariam para pacientes com a mesma condição. O estudo mostrou que o controle da inflamação na mucosa bucal pelo Gel contendo Própolis foi melhor...


The best known side effects in the oral cavity during radiotherapy for the treatment of cancer in the head and neck, are mucositis and candidiasis. These changes are enhanced by hyposalivation due to changes in the salivary glands. There are many protocols for the control of mucositis, hyposalivation, and oral candidiasis in these patients however, none iscompletely effective. Propolis has analgesic, anti-inflammatory, antifungal and healing activity. These pharmacological characteristics give propolis great potential to prevent changes in the oral cavity of patients undergoing radiotherapy. The aim of this study was to evaluate the effectiveness of the gel containing propolis in preventing mucositis and candidiasis compared with benzydamine hydrochloride. Twenty-six patients were included in this study. Patients were divided into two groups with group 1 used the benzydamine hydrochloride and group 2 gel propolis. Both group used the products three times a day during the whole period of radiotherapy and two weeks after the end of treatment and all patients were evaluated weekly...


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Anti-Infecciosos/uso terapêutico , Anti-Inflamatórios/uso terapêutico , Benzidamina/uso terapêutico , Estomatite/prevenção & controle , Mucosite/terapia , Própole/uso terapêutico , Neoplasias de Cabeça e Pescoço/tratamento farmacológico , Neoplasias de Cabeça e Pescoço/radioterapia
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA