Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 3 de 3
Filtrar
Mais filtros










Filtros aplicados

Intervalo de ano de publicação
1.
RGO (Porto Alegre) ; 57(1)jan.-mar. 2009.
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-509338

RESUMO

Devido à coexistência de sinais e sintomas não específicos com outros bem estabelecidos no contexto das desordens temporomandibulares,torna-se difícil para o clínico decidir o que realmente deve ser incluído no diagnóstico e plano de tratamento. Este trabalho teve por objetivo avaliar, por meio de uma revisão da literatura, a importância da ocorrência dos sintomas aurais de otalgia, zumbido, vertigem e hipoacusia em pacientes com desordem temporomandibular. Ainda que muitas teorias tenham sido relatadas para explicar a relação entre os sintomas aurais e as desordens temporomandibulares, a ampla variação entre os resultados dos estudos revisados dificulta o estabelecimento da prevalência desses sintomas concomitantemente às desordens temporomandibulares. Além disso, essa ocorrência não necessariamente implica em uma relação de causa-efeito. Devido às dificuldades de diagnóstico da relação entre os achados, diferentes tipos de tratamentos devem ser considerados para que os sintomas não específicos das desordens temporomandibulares também sejam efetivamente controlados. É imprescindível que o cirurgião-dentista conheça as possíveis etiologias dos sintomas aurais para saber se há uma provável associação com as desordens temporomandibulares e, assim, incluí-los no plano de tratamento.


Because nonespecific symptoms and signs are associated with others well-established in the temporomandibular disorders, it is difficult for the clinician to decide what symptoms and signs should be considered during the diagnosis and the treatment plan. Therefore, the aim of this literature review was to evaluate the prevalence of aural symptoms (otalgias, tinnitus, dizziness and deafness) in patients with orofacial pain. Although several hypotheses have been proposed to explain the association between aural symptoms and temporomandibular disorders, the results of the previous studies differed in magnitude. For this reason, it is difficult to establish the prevalence of these aural symptoms concomitantly with temporomandibular disorders. Moreover, such relationship does not necessarily imply a cause-effect relationship. Because of the diagnosis complexity, different treatments must be considered, so the nonespecific symptoms of temporomandibular disorders can be effectively controlled as well. It is crucial for the the clinician to be aware of the possible etiology of aural symptoms, so he should determine if such symptoms may be associated with temporomandibular disorders and thus include them in the treatment.


Assuntos
Perda Auditiva/etiologia , Síndrome da Disfunção da Articulação Temporomandibular/complicações , Vertigem/etiologia , Zumbido/etiologia
2.
RGO (Porto Alegre) ; 57(1): 107-115, jan.-mar. 2009.
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-873748

RESUMO

Devido à coexistência de sinais e sintomas não específicos com outros bem estabelecidos no contexto das desordens temporomandibulares,torna-se difícil para o clínico decidir o que realmente deve ser incluído no diagnóstico e plano de tratamento. Este trabalho teve por objetivo avaliar, por meio de uma revisão da literatura, a importância da ocorrência dos sintomas aurais de otalgia, zumbido, vertigem e hipoacusia em pacientes com desordem temporomandibular. Ainda que muitas teorias tenham sido relatadas para explicar a relação entre os sintomas aurais e as desordens temporomandibulares, a ampla variação entre os resultados dos estudos revisados dificulta o estabelecimento da prevalência desses sintomas concomitantemente às desordens temporomandibulares. Além disso, essa ocorrência não necessariamente implica em uma relação de causa-efeito. Devido às dificuldades de diagnóstico da relação entre os achados, diferentes tipos de tratamentos devem ser considerados para que os sintomas não específicos das desordens temporomandibulares também sejam efetivamente controlados. É imprescindível que o cirurgião-dentista conheça as possíveis etiologias dos sintomas aurais para saber se há uma provável associação com as desordens temporomandibulares e, assim, incluí-los no plano de tratamento.


Because nonespecific symptoms and signs are associated with others well-established in the temporomandibular disorders, it is difficult for the clinician to decide what symptoms and signs should be considered during the diagnosis and the treatment plan. Therefore, the aim of this literature review was to evaluate the prevalence of aural symptoms (otalgias, tinnitus, dizziness and deafness) in patients with orofacial pain. Although several hypotheses have been proposed to explain the association between aural symptoms and temporomandibular disorders, the results of the previous studies differed in magnitude. For this reason, it is difficult to establish the prevalence of these aural symptoms concomitantly with temporomandibular disorders. Moreover, such relationship does not necessarily imply a cause-effect relationship. Because of the diagnosis complexity, different treatments must be considered, so the nonespecific symptoms of temporomandibular disorders can be effectively controlled as well. It is crucial for the the clinician to be aware of the possible etiology of aural symptoms, so he should determine if such symptoms may be associated with temporomandibular disorders and thus include them in the treatment.


Assuntos
Perda Auditiva/etiologia , Síndrome da Disfunção da Articulação Temporomandibular/complicações , Vertigem/etiologia , Zumbido/etiologia
3.
Rev. Cons. Reg. Odontol. Pernamb. ; 1(1): 44-8, abr. 1998. tab
Artigo em Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-856219

RESUMO

A associação entre as desordens craniomandibulares e o sistema auditivo é de grande importância clínica. O presente estudo teve como objetivo verificar os sintomas otológicos mais freqüentes em pacientes portadores de desordens craniomandibulares (DCMs), correlacionando-os com a presença de parafunção, ruídos articulares e severidade da dor associada às DCMs. Com essas finalidades, foram selecionados 86 pacientes do Centro de Controle da Dor Orofacial da Faculdade de Odontologia de Pernambuco (CCDO), de ambos os sexos e idade média de 36,84 anos. Os achados indicaram que a otalgia é o sintoma mais freqüente em ambos os sexos e idades, seguido do zumbido, vertigem e redução da auidade auditiva. Foi possível constatar, ainda, que há uma correlação estatisticamente significante entre a vertigem e a presença de parafunção noturna (p<0,05)


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adolescente , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Idoso , Articulação Temporomandibular/anormalidades , Transtornos Craniomandibulares/complicações , Dor de Orelha/etiologia , Síndrome da Disfunção da Articulação Temporomandibular/complicações , Zumbido/etiologia , Vertigem/etiologia
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA