Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 20 de 27
Filtrar
Mais filtros










Filtros aplicados

Intervalo de ano de publicação
1.
Journal of Oral Investigations ; 7(2): 69-78, jul.-dez. 2018. tab
Artigo em Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-915383

RESUMO

A articulação temporomandibular (ATM) possibilita a mastigação, deglutição e a fonética, faz parte do sistema estomatognático, e é capaz de múltiplos movimentos. A DTM (disfunção temporomandibular) representa certas condições musculares e articulares na região crânio orofacial que podem causar problemas nos músculos da mastigação e na ATM e suas estruturas associadas, sendo a cefaleia e a dor orofacial alguns dos principais sintomas relatados pelos pacientes. Objetivo: analisar a relação da DTM à dor orofacial e cefaleia através de uma revisão narrativa. Métodos: para a realização deste estudo, foram feitas buscas nas bases de dados Scielo e Pubmed, utilizando as palavras chave: Dor Orofacial, Disfunção Temporomandibular, Articulação Temporomandibular, Dor de Cabeça e Cefaleia. Conclusão: a partir dos artigos analisados na presente revisão foi possível concluir que existe relação entre dor na região orofacial e cefaleia com a DTM, porém ainda não é claro o mecanismo dessa correlação, sendo necessários mais estudos para elucidar esse quadro clínico(AU)


The temporomandibular joint (TMJ) enables mastication, swallowing and phonetics, is part of the stomatognathic system, and is capable of multiple movements. DTM (temporomandibular dysfunction) represents certain muscular and articular conditions in the orofacial cranial region that can cause problems in the masticatory muscles and on TMJ and associated structures, with headache and orofacial two of the main symptoms pointed by patients. Objective: to analyze the relationship of TMD to orofacial pain and headache through a narrative review. Method: for this study, research was done in the databases Scielo and Pubmed, using the key words: Orofacial Pain, Temporomandibular Dysfunction, Temporomandibular Joint, Headache and Headache. Conclusion: from the articles analyzed in the present review it was possible to conclude that there is a relationship between orofacial pain and headache with TMD, but the mechanism of this correlation is not yet clear, and further studies are needed to elucidate this clinical case(AU)


Assuntos
Dor Facial , Cefaleia , Transtornos da Articulação Temporomandibular , Articulação Temporomandibular
2.
Full dent. sci ; 5(19): 487-491, jul. 2014. ilus
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-726532

RESUMO

Este estudo teve como objetivo relatar um caso de bruxismo e cefaleia matinal, o qual foi tratado com placa estabilizadora para impedir o desgaste dentário e reduzir a dor orofacial de origem muscular. A paciente procurou a disciplina de Clínica Integrada com queixa de dores de cabeça e na face frequentes logo ao acordar. Após anamnese, exame físico intraoral e palpação muscular, a paciente foi diagnosticada com cefaleia matutina e dor facial de origem muscular relacionadas com bruxismo noturno (atividade parafuncional). Como tratamento, foi proposta a confecção de uma placa estabilizadora para uso noturno. No primeiro retorno após uma semana, a paciente relatou melhora na cefaleia matutina, e após um mês, os sintomas praticamente desapareceram. A mesma foi instruída a continuar usando a placa para dormir com o objetivo de proteger seus dentes de um desgaste maior, mesmo que as dores cessassem ompletamente. Recomendou-se retorno após 3 meses para acompanhamento dos sinais e sintomas. Apesar da inexistência de tratamento curativo, o tratamento com placa estabilizadora apresenta-se como uma importante opção terapêutica no controle da dor muscular e prevenção dos desgastes dentários.


This study aimed to report a clinical case of bruxism and morning headaches in which the patient was treated with a stabilization splint to prevent tooth wear and reduce muscular orofacial pain. The patient complained of frequent headaches and facial pain upon waking. After anamnesis, intraoral examination, and muscle palpation, the patient was diagnosed with morning headaches and muscular orofacial pain caused by nocturnal bruxism (parafunctional activity). The patient was treated with a stabilization splint for nocturnal use. One week after the insertion of the splint, the patient reported relief in morning headache, and after a month the symptoms had almost completely disappeared. The patient was instructed to keep using the splint to sleep in order to prevent tooth wear, even if the pain ceased completely. An appointment at 3 months post-insertion was scheduled for follow-up of signs and symptoms. Despite the lack of curative treatment for sleeping bruxism, the stabilization splint therapy is an important therapeutic option for pain control and prevention of tooth wear


Assuntos
Adulto Jovem , Bruxismo do Sono/diagnóstico , Bruxismo do Sono/prevenção & controle , Cefaleia/etiologia , Cefaleia/prevenção & controle , Dor Facial/diagnóstico , Placas Oclusais , Transtornos da Articulação Temporomandibular/diagnóstico , Radiografia Dentária/instrumentação
3.
Rev. Clín. Ortod. Dent. Press ; 13(3): 44-45, jun.-jul. 2014.
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-855991

RESUMO

As cefaleias são as desordens neurológicas mais prevalentes, entre as quais a enxaqueca é uma de suas formas primárias mais comuns, afetando cerca de 12% da população adulta de países ocidentais¹. Assim como as disfunções temporomandibulares (DTM) — também as mais frequentes das condições dolorosas crônicas orofaciais-, a enxaqueca acomete, comumente, mulheres em idade reprodutiva, e sua prevalência cai fortemente com o avanço da idade². Ambas as desordens causam impacto significativo na qualidade de vida dos pacientes, podendo chegar à manifestação de comportamentos profundamente incapacitantes, com interferências significativas nas atividades diárias de quem as sofre...


Assuntos
Odontólogos , Cefaleia , Transtornos da Articulação Temporomandibular
4.
Bauru; s.n; 2013. 130 p. ilus, tab, graf.
Tese em Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-866620

RESUMO

Dores miofasciais mastigatórias (DMF) frequentemente encontram-se associadas com cefaleia. Porém, é incerto se esta relação acontece com cefaleias primárias ou secundárias. O objetivo do presente estudo foi descrever as características da cefaleia secundária à DMF considerada como tal aquela que melhorou após o tratamento da DMF. O efeito de diferentes tipos de tratamento na melhora da cefaleia associado à DMF, e o impacto da presença da cefaleia na melhora da intensidade de dor facial e limiar de dor à pressão (LDP) também foram avaliados. A amostra foi composta por adultos com DMF segundo o RDC/TMD, com (n=60) e sem (n=20) queixa de cefaleia. Os 60 participantes com cefaleia foram divididos em 2 grupos (1a e 1b). O grupo 1a recebeu tratamento que envolvia orientações para mudanças de hábitos. Os grupos 1b e 2 (sem cefaleia), além das orientações, receberam placa oclusal. O período de acompanhamento foi de 5 meses, com avaliações no início, após 2 meses e ao final do 5o mês. As intensidades das dores faciais e da cefaleia (EAV), além do limiar de dor a pressão (LDP) dos músculos temporal anterior, masseter e antebraço, foram analisados. ANOVA de medidas repetidas, teste de Friedman e de Wilcoxon foram usados para as comparações intra e intergrupos considerando um nível de significância de 5%. Ocorreu uma redução significativa da intensidade e frequência da cefaleia em ambos os grupos. A média inicial foi de 7,55 ± 2,24 para o grupo 1a e de 6,52 ± 1,63 para o grupo 1b. Ao final essa média foi, respectivamente, 3,13 ± 2,19 e 2,5 ± 2,33. Não houve diferença entre os grupos. Houve também uma redução na frequência da cefaleia entre o início e o final do tratamento nos grupos 1a e 1b, porém sem diferença entre os grupos. Ocorreu uma redução na intensidade da dor facial em todos os grupos. A média inicial foi de 6,34 ± 2 no grupo 1a, 6,14 ± 1,94 para o grupo 1b e 4,77 ± 1,57 para o grupo 2. Ao final os valores foram, respectivamente...


Masticatory myofascial pain (MMF) is often associated with headache. Nevertheless, it is unclear whether this relationship occurs with primary or secondary headaches. The purpose of this study was to describe the characteristics of headache attributed to MMF, considered as such, one that improved after treatment of muscle condition. The effect of different treatments types in the improvement of headache associated with MMF, and the impact of the presence of headache on the improvement of facial pain intensity were also evaluated. The sample was comprised of MMF adults according to the RDC / TMD, with (n = 60) and without (n = 20) headache complaints. The 60 subjects with headache were divided into two groups (1a and 1b). The first group received only counseling for behavioral changes. Groups 1b and 2 (without headache), besides counseling, also received occlusal splint. Evaluations were done at baseline, 2 months and after the end of the 5th month. The intensities of facial pain and headache (VAS), and the pressure pain threshold (PPT) of the anterior temporalis, masseter and forearm were recorded. Repeated measures ANOVA, Friedman test and Wilcoxon test were used for comparisons within and between groups considering a 5% significance level. There was a significant reduction in headache intensity and frequency in both groups. The baseline mean was 7.55 ± 2.24 for the group 1a and 6.52 ± 1.63 for group 1b. In the final evaluation these values was respectively, 3.13 ± 2.19 and 2.5 ± 2.33. There was not difference between groups. There was also a reduction in headache frequency between baseline and final evaluation in groups 1a and 1b. There was a reduction in facial pain intensity in all groups. The baseline mean was 6.34 ± 2 in group 1a, 6.14 ± 1.94 for group 1b and 4.77 ± 1.57 for group 2. In the final evaluation these values were 1.66 ± 1.29, 2.3 ± 2.53 and 2.17 ± 1.17 with no difference between groups. There was an increase in the anterior temporalis PPT...


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Cefaleia/etiologia , Cefaleia/terapia , Músculos da Mastigação/fisiopatologia , Síndrome da Disfunção da Articulação Temporomandibular/complicações , Síndrome da Disfunção da Articulação Temporomandibular/terapia , Limiar da Dor , Fatores de Tempo , Resultado do Tratamento
5.
Araraquara; s.n; 2011. 164 p. ilus.
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-866369

RESUMO

O Bruxismo do Sono (BS) é uma atividade oral caracterizada pelo ranger e/ou apertar dos dentes durante o sono, usualmente associado com microdespertares. Muitos estudos têm investigado a relação entre Bruxismo do Sono e Disfunção Temporomandibular (DTM), mas os resultados não são conclusivos e a inter-relação entre as duas entidades ainda não foi explicada. Além disso, os estudos também mostram forte associação entre Bruxismo do Sono e Cefaleias, mas ainda não há conclusão definitiva. O objetivo do presente estudo foi estimar o risco da ocorrência de DTM dolorosa e cefaleias primárias em pacientes com ou sem bruxismo do sono. A amostra foi composta por 301 indivíduos (253 mulheres e 48 homens), com a idade variando de 18 a 76 anos (Média de idade de 37,45 anos). O Research Diagnostic Criteria for Temporomandibular Disorders (RDC/TMD) foi usado para o diagnóstico e classificação da DTM. O Bruxismo do Sono foi diagnosticado de acordo com os critérios clínicos propostos pela American Academy of Sleep Medicine e a cefaleia foi diagnosticada por meio de um questionário baseado na Classificação Internacional de Cefaléias (CIC, 2004). A amostra foi dividida em 4 grupos: 1) Pacientes sem DTM dolorosa e sem BS (15,9%); 2) Pacientes sem DTM dolorosa e com BS (6,3%); 3) Pacientes com DTM dolorosa e sem BS (24,6%); 4) Pacientes com DTM dolorosa e com BS (53,2%). Os resultados mostraram que os pacientes com bruxismo do sono apresentam um risco aumentado para a ocorrência de DTM dolorosa quando comparado aos pacientes sem bruxismo do sono (OR=5,5 95% IC: 3,3-9,9, p<0,001), sendo esse risco significativo somente para dor miofascial (OR= 5,4 95% IC: 1,6-18,2, p=0,0047). Houve um risco aumentado para migrânea nos grupos 3 (p=0,0003, OR= 5,3, IC: 2,2-12,9) e 4 (p<0,0001, OR=11,7, IC: 5,0-27,3). Para cefaleia do tipo tensional houve risco aumentado somente para o grupo...


Sleep bruxism is an oral activity characterized by grinding or clenching of the teeth during sleep, usually associated with sleep arousals. Many studies have investigated the relationship between sleep bruxism and Temporomandibular Disorders (TMD), but the findings are not conclusive and their inter-relationship is still far from being explained. Furthermore, studies also show a strong association between BS and headaches, but were not yet established any definitive conclusions. The aim of this study was to estimate the risk of occurrence of painful temporomandibular disorders and primary headaches in patients with or with no sleep bruxism. The sample consisted of 301 individuals (253 women and 48 men), with ages varying from 18 to 76 years (average of 37.45 years). The Research Diagnostic Criteria for Temporomandibular Disorders (RDC/TMD) were used to diagnose TMD patients, SB was diagnosed by clinical criteria proposed in the literature and HA were diagnosed based on the International Classification of Headache Disorders. The sample was divided into four groups: 1) Patients without painful TMD and without SB (15,9%); 2) Patients without painful TMD and with SB (6,3%); 3) Patients with painful TMD and without SB (24,6%) and 4) Patients with painful TMD and SB (53,2%). The results showed that patients with sleep bruxism had an increased risk for the occurrence of painful temporomandibular disorders compared to patients with no sleep bruxism (OR=5.5, 95% CI: 3.0-9.9, p<0,001), this risk was significant only for miofascial pain (OR= 5.4, 95% CI: 1.6-18.2, p=0,0047). There was an increased risk for migraine in groups 3 (OR= 5.3, 95% CI: 2.2-12.9, p=0.0003) and 4 (OR=11.7, 95% CI: 5.0-27.3, p<0.0001). For tension type headache had an increased risk only for group 4 (OR=5.9, 95% CI: 2.2-15.8, p=0.0007). Unable to establish a cause and effect relationship between sleep bruxism, temporomandibular...


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto Jovem , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Idoso , Dor Facial , Cefaleia , Bruxismo do Sono , Cefaleia do Tipo Tensional
6.
Araraquara; s.n; 2011. 158 p. ilus.
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-866373

RESUMO

Disfunção temporomandibular (DTM) representa a condição mais comum de dor músculo-esquelética crônica orofacial e abrange vários problemas clínicos que envolvem a musculatura da mastigação, a articulação temporomandibular (ATM) e estruturas associadas ou ambas. As cefaleias, principalmente as primárias, aparecem frequentemente associadas à DTM. Estudos apontam que estas condições dolorosas crônicas podem comprometer diferentes aspectos da qualidade de vida dos pacientes, no entanto, ainda não existem pesquisas que avaliem o impacto na qualidade de vida nos pacientes que apresentam DTM e cefaleias primárias. O objetivo do presente estudo foi avaliar os pacientes que apresentam DTM dolorosa e cefaleias primárias, assim como as cefaléias episódicas e crônicas e o comprometimento na qualidade de vida dos pacientes. Para o presente estudo, a amostra foi composta por 293 indivíduos com idade entre 18 e 76 anos (média de 37,57 anos), sendo 245 (83,6%) pacientes do sexo feminino. Foram formados quatro grupos de estudo: grupo Controle (n=34), grupo DTM (n=25), grupo DTM/Cefaleia (n=203) e grupo Cefaleia (n=31). O Research Diagnostic Criteria for Temporomandibular Disorders (RDC/TMD) foi utilizado para confirmação do diagnóstico de DTM dolorosa. Para o diagnóstico de cefaleias primárias foram utilizados os critérios propostos pela International Headache Society, 2ª edição (CIC64, 2006) e o critério proposto por Silberstein e Lipton26. A avaliação da qualidade de vida foi feita por meio do questionário Medical Outcome Study 36 – Item Short- Form Helth Survey SF-36. Os resultados mostraram que houve diferençasestatisticamente significantes para todos os domínios do SF-36 (p<0,001) em relação aos grupos estudados. Em relação ao domínio Dor, o grupo Controle...


Temporomandibular disorders (TMD), according to the American Academy of Orofacial Pain (AAOP) is a collective term that embraces several clinical problems that involve the masticatory muscles, the temporomandibular joint (TMJ) and the associated structures. Headaches, especially the primary headache syndromes, are frequently associated with TMD. Studies have shown that these pain conditions can affect different aspects of patient’s quality of life. However, there is a lack of data regarding the impact of primary headache associated with TMD on patient´s quality of life. The present study aimed to evaluate the quality of life of patients presenting painful TMD and primary headache disorders. The sample was composed by 293 individuals (83.6% women) aged between 18 to 76 years old (mean 37.57). The sample was stratified in control group (n = 34), TMD (n = 25), TMD/Headache (n = 203) and Headache only (n=31). The Research Diagnostic Criteria for Temporomandibular Disorders (RDC / TMD) was applied to confirm the TMD diagnosis. Primary headaches were diagnosed based on the International Classification of Headache Disorders-2nd edition and the criteria proposed by Silberstein and Lipton for chronic daily headaches. The assessment of quality of life was made through the Medical Outcomes Study 36 - Item Short-Form Health Survey SF-36. Differences statistically significant was found among groups in all domains of the SF-36 (p <0.001). Regarding the bodily pain domain, the control group differed significantly (p <0.05) of the other three groups, the group TMD/Headache was significantly different (p <0.05) of the TMD group and of the Headache group. The domains physical functioning, role physical and vitality, presented lower scores on TMD/Headache group when compared to others groups...


Assuntos
Humanos , Feminino , Adulto Jovem , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Idoso , Dor Facial , Cefaleia , Transtornos da Cefaleia , Qualidade de Vida , Articulação Temporomandibular
7.
Araraquara; s.n; 2009. 127 p. ilus.
Tese em Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-865412

RESUMO

Disfunção temporomandibular (DTM) é um termo coletivo para os problemas clínicos que envolvem a musculatura da mastigação, articulação temporomandibular (ATM) e estruturas associadas. A cefaléia é um sintoma que aparece freqüentemente associado à DTM. Estudos epidemiológicos indicam forte associação entre dor de cabeça e DTM, porém essa interação ainda é passível de discussões. O objetivo do presente estudo foi investigar a prevalência de cefaléias primárias e sua associação com a dor orofacial em pacientes que procuraram atendimento na Clínica de Dor Orofacial e Disfunção Temporomandibular da Faculdade de Odontologia de Araraquara – UNESP, Brasil. A amostra foi constituída por 158 pacientes selecionados consecutivamente. A DTM e a presença de cefaléia foram avaliadas respectivamente por meio do Research Diagnostic Criteria for Temporomandibular Disorders (RDC/TMD) e por um questionário desenvolvido por especialistas do ambulatório de cefaléia da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto – USP, baseado nos critérios propostos pela Classificação Internacional de Cefaléias (CIC, 2004). Os resultados demonstraram que: a maioria dos pacientes era do gênero feminino (84,2%); a freqüência de DTM mista foi maior para o gênero feminino, enquanto a de DTM somente articular foi maior para o masculino (p=0.009); não houve associação estatisticamente significativa entre a faixa etária dos pacientes e a presença de DTM (p=0,177); a maior prevalência de cefaléia foi para a migrânea (53,2%), seguida pela cefaléia do tipo tensional (29,1%), ausência de cefaléia (13,9%) e outras cefaléias (3,8%); a presença e o tipo de cefaléia não mostraram associação com o gênero (p=0,139; p=0,177), idade (p=0,897; p=0.564), ou cronicidade da DTM (p=0,115; p=0,126). Pôde-se constatar uma possível associação entre cefaléias primárias e DTM, especialmente para a migrânea.


Temporomandibular disorder (TMD) is a collective term that encloses clinical problems involving masticatory muscles, temporomandibular joint (TMJ) and associated structures. Headache (HA) is a common symptom related to TMD. However, the association between both conditions still remains unclear. The aim of this study was to investigate the prevalence of primary HA and its association with the orofacial pain in patients who seek for TMD treatment at Araraquara Dental School (São Paulo State University, Brazil). The sample was composed by 158 TMD patients selected consecutively. TMD and HA were evaluated respectively by Research Diagnostic Criteria for Temporomandibular Disorders (RDC/TMD) and a HA questionnaire based on the International Classification for Headache Disorders – (ICHD-2), created by specialists School of Medicine at Ribeirão Preto (University of São Paulo, Brazil). The results demonstrated that: most patients were women (84.2%); the frequency of both – muscular and joint – TMD diagnoses was higher for women, whereas the frequency of joint TMD diagnoses was higher for men (p=0.009); there was not statistically significant association between TMD diagnoses and patients’ age (p=0.177); HA prevalence was higher for migraine (53.2%), followed by tension type headache (29.1%), no HA (13.9%) and others HA (3.8%); HA presence and subsequent diagnoses were not associated with gender (p=0.139; p=0.177); age (p=0.897; p=0.564); nor influenced by TMD pain chronicity (p=0.115; p=0.126). It was verified a possible association between primary HA and TMD, especially for migraine.


Assuntos
Cefaleia/epidemiologia , Dor Facial , Prevalência , Síndrome da Disfunção da Articulação Temporomandibular , Articulação Temporomandibular
8.
Rev. ciênc. méd. biol ; 7(3): 220-227, set.-dez. 2008. tab
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-545787

RESUMO

Disfunção temporomandibular (DTM) caracteriza-se por um conjunto de sinais e sintomas, sendo a cefaléia um dos sintomas mais comuns. O objetivo deste estudo é estimar a prevalência de cefaléia entre portadores de disfunçãotemporomandibular. Para isso, foi realizada a revisão de prontuários de pacientes com DTM, e observado relatos de queixa de cefaléia, sua localização e forma de apresentação, presença de dor à palpação muscular, idade e sexo dos pacientes. Dos 232 prontuários analisados, 163 (70,25 por cento) apresentaram cefaléia, sendo 143 (74,87 por cento) do sexo feminino. A faixa etária mais acometida pela cefaléia foi de 33 a 83 anos, com 87 (75,65 por cento) pacientes. Dos pacientes com cefaléia, 74, 61 por cento apresentaram dor em musculatura mastigatória e (ou) cervical, e 78, 72 por cento tinham dor em um músculo. Na localização da dor muscular e da cefaléia, 76,07 por cento tinham dor em músculo temporal e 58,28 por cento cefaléia em região temporal; 59,33 por cento apresentam cefaléia em apenas uma região da cabeça. Quanto à forma de apresentação da cefaléia, 80, 90 por cento caracterizam a cefaléia de uma forma, sendo a forma de aperto mais ocorrente (12,26 por cento). Os resultados obtidos indicam que é alta a prevalência de cefaléia entre portadores de DTM, sendo relevante a realização de mais estudos explicativos sobre essa temática.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Criança , Adolescente , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Idoso de 80 Anos ou mais , Cefaleia , Articulação Temporomandibular , Transtornos da Articulação Temporomandibular
9.
RPG rev. pos-grad ; 15(3): 191-197, jul. -set. 2008. graf, tab
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-543742

RESUMO

O objetivo deste trabalho foi avaliar a relação entre o posicionamento dos discos articulares e o levantamento dos dados clínicos relativos à queixa de cefaleia generalizada e à presença de ruído ou "click" em um grupo de 74 pacientes, sendo 51 do gênero feminino e 23 do gênero masculino, com idade entre 19 e 78 anos de idade, portadores de manifestações compatíveis a processos de degeneração interna das articulações têmporo-mandibulares e correspondentes imagens em ressonância magnética. As imagens foram adquiridas com a utilização de aparelho com potência de campo magnético de 1.5 Tesla e bobina de superfície dupla para captação de sinais, segundo protocolo indicado para aquisição multiplanar; com ênfase na série definida como intensidade de prótons, posteriormente manipuladas em uma estação de imagem independente (workstation) de alta resolusão utilizando-se ferramentas eletrônicas em quatro situações de amplitude de abertura bucal (repouso, 10 mm; 20 mm; 30 mm) para ambos os lados. As análises foram realizadas por dois observadores em tempos distintos e transferidas para tabelas de identificação para elaboração das análises estatísticas. Procurou-se destacar a importância desse método de imagem como base para diagnóstico de distúrbios dessas articulações, pois em muitas situações as informações clínicas obtidas durante a anamnese não estavam de acordo com os dados imaginológicos. Os dados obtidos foram dispostos em tabelas e gráficos os quais permitiram concluir que não houve vínculo entre o fenômeno de cefaléia e a topografia dos discos. No que se refere à presença de ruído, a associação foi positiva.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Cefaleia , Espectroscopia de Ressonância Magnética , Articulação Temporomandibular , Articuladores Dentários , Dor , Análise Estatística
10.
In. Paiva, Helson José de. Noções e conceitos básicos em oclusão, disfunção temporomandibular e dor orofacial. São Paulo, Santos, 2008. p.205-213. (BR).
Monografia em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-871997
11.
In. Paiva, Helson José de. Noções e conceitos básicos em oclusão, disfunção temporomandibular e dor orofacial. São Paulo, Santos, 2008. p.233-257. (BR).
Monografia em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-871999
12.
Ciênc. odontol. bras ; 9(4): 84-91, out.-dez. 2006. tab, graf
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-462888

RESUMO

O objetivo deste estudo foi avaliar a evolução do limiar de dor muscular, através da algometria de pressão (LDP) e palpação manual (PM), dos músculos masseter e temporal em 20 pacientes portadores de disfunção temporomandibular (DTM). Todos participantes apresentavam queixa de cefaléia por mais de 6 meses, com características de cefaléia tensional e foram avaliados antes e dois meses após receberem como terapêutica, uma placa oclusal. A intensidade da cefaléia foi avaliada pela escala analógica visual (EAV) e a freqüência, pelo relato do número de episódios de dor por semana. Os resultados evidenciaram redução estatisticamente signifi cante (p<0,05) para intensidade e freqüência das dores de cabeça. Houve elevação do limiar de dor a pressão (LDP) dos músculos temporal direito (p = 0,027), temporal esquerdo (p=0.004) e masseter esquerdo (p= 0,025). Não foi encontrada diferença estatisticamente signifi cante para palpação manual dos quatro músculos avaliados. A análise dos dados permitiu concluir que apesar da redução considerável da intensidade e freqüência dos episódios de cefaléia após utilização de placas oclusais, foram encontrados resultados diferentes quando avaliado o limiar de dor dos músculos masseter e temporal com a algometria de pressão e com palpação manual.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Cefaleia , Músculo Masseter , Medição da Dor/métodos , Placas Oclusais , Limiar da Dor , Palpação , Músculo Temporal , Transtornos da Articulação Temporomandibular , Cefaleia do Tipo Tensional
13.
J. Health Sci. Inst ; 24(2): 103-108, abr.-jun. 2006. tab, graf, CD-ROM
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-873581

RESUMO

Os autores realizaram levantamento dos dados clínicos com especial ênfase à dor e sua localização preferencial num grupo de 74 pacientes sintomáticos sendo 51 do gênero feminino e 23 do gênero masculino, nas faixas etárias entre 19 a 78 anos de idade. Material e Métodos - Foram analisadas imagens sagitais em arquivos digitais das articulações temporomandibulares adquiridas por meio de Ressonância Magnética (RM) e os respectivos laudos destes pacientes, onde foi possível avaliar as posições dos discos articulares durante a dinâmica dos movimentos mandibulares. Resultados - Os valores encontrados são pormenorizados nas Tabelas 1, 2 e 3. Conclusões - A dor generalizada na cabeça ocorreu em 100% dos casos de deslocamentos anteriores dos discos, e por volta de 95% dos casos de não deslocamento em comparação com outras regiões da face não sendo assim um dado que possa determinar com exatidão a tops discos articulares não permitindo portanto desconsiderar as imagens


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Idoso , Disco da Articulação Temporomandibular , Dor Facial , Imagem por Ressonância Magnética , Cefaleia , Estudos de Casos e Controles , Síndrome da Disfunção da Articulação Temporomandibular
14.
Rev. bras. odontol ; 63(3/4): 167-170, 2006. graf
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-541665

RESUMO

Disfunção Têmpero-mandibular (DTM) pode acometer várias faixas etárias, prevalecendo entre 20 e 45 anos, e vem se manifestando com frequência em crianças e adolescentes. Este estudo objetivou verificar a prevalência de sintomas de DTM em crianças, adultos e idosos. Foram entrevistadas mães de 90 crianças de 3 -7 anos de idade (Grupo I), 107 universitários entre 17-38 anos (Grupo II) e 105 indivíduos com 50-85 anos (Grupo III). Observou-se prevalência de sintomas de disfunção em todos os grupos, sendo mais constatado no Grupo III. Foi possível sugerir que a presença de sintomas de DTM foi mais frequente nos idosos.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Criança , Adolescente , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Cefaleia/epidemiologia , Dor Facial/epidemiologia , Sinais e Sintomas , Síndrome da Disfunção da Articulação Temporomandibular/epidemiologia , Prevalência
15.
Rev. odontol. UNESP ; 34(1): 31-36, jan.-mar. 2005. ilus
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-519050

RESUMO

As dores de cabeça são sintomas usualmente apontados pelos pacientes que sofremde desordens temporomandibulares (DTM). Alguns estudos recentes demonstraram uma relaçãosignificativa entre cefaléia e sinais e sintomas de desordens temporomandibulares, especificamentecom dor miofascial. Quando essa associação ocorre, o tratamento deve ser direcionado para a causado problema (dor miofascial) ou, com certeza, resultará em insucesso e prejuízos para o paciente. Éapresentado o caso clínico da paciente E.P.S., 30 anos, gênero feminino, que compareceu à clínicade Desordens Temporomandibulares da FOAr-UNESP, com queixa principal de dor de cabeça, quese estendia até o pescoço, com intensidade 10 na escala numérica de 1 a 10, freqüência 6x/semanae duração de 2 a 24 horas por dia. Após anamnese e exame físico, foi diagnosticado que a dor decabeça era atribuída a ôtrigger-pointsõ localizados nos músculos temporal e esternoclidomastóideo.Foram apresentados a seqüência clínica de diagnóstico e o tratamento do caso em questão, queenvolveu aconselhamento, fisioterapia, farmacoterapia e injeção nos ôtrigger-pointsõ, com orestabelecimento da qualidade de vida da paciente.


Headaches are symptoms usually reported by patients that suffer of tempomandibulardisorders (TMD). Some recent studies demonstrated a significant relationship between headachesand signs and symptoms of tempomandibular disorders, specifically with myofascial pain.When this association is present, the treatment should be addressed to the cause of the problem(myofascial pain) or it will certainly result in failure and injuries to the patient. It is presented aclinical case report of a female patient, E.P.S., 30 years-old, that presented to the FOARûUNESPTemporomandibular Disorders Clinic, with a chief complaint of headache, that extended to theneck, with an intensity of 10, in a numerical scale ranging from 0-10, frequency of 6 days a week,and duration of 2 to 24 hours a day. After anamnesis and clinical examination it was diagnosed thatthe headache was referred of trigger-points in the temporalis and styernocleidomastoid muscles.We present the complete clinical sequence of diagnosis and treatment of the case, which consistedof counseling, physiotherapy, farmacoteraphy and trigger-points injection, with the recovering ofthe patientÆs quality of life.


Assuntos
Diagnóstico , Dor Facial , Cefaleia
16.
Rev. dent. press ortodon. ortop. maxilar ; 8(2): 49-56, mar.-abr. 2003. tab, graf
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-351475

RESUMO

A prevalência das Cefaléias Primárias, das Desordens Temporomandibulares e da ocorrência simultânea destas patologias numa população adulta do campus da FOB/USP, na cidade de Bauru, SP foi investigada através de questionários para auto-entrevista, com perguntas e opções de resposta acerca das patologias citadas. Os resultados referentes à DTM e à Cefaléia Primária estiveram em concordância com a literatura, sendo de, aproximadamente 34 por cento a prevalência para as cefaléias e 60 por cento para a DTM. O relacionamento dessas informações foi o grande objetivo do trabalho. Encontrou-se que a ocorrência conjunta das duas patologias é freqüente, cerca de 54 por cento dos portadores de DTM têm também Cefaléia Primária, relacionamento este, estatisticamente significante quando aplicado o teste do qui-quadrado (p<0.01). O sexo feminino e a tensão emocional também se mostraram estatisticamente associados com tais patologias (p<0.01). Ainda se conseguiu detectar que a cefaléia do tipo tensional foi a mais freqüente, seguida das enxaquecas com aura e sem aura, com 61,61 por cento, 20,2 por cento e 18,2 por cento, respectivamente. As duas patologias embora com etiologias distintas são moduladas pelo mesmo sistema trigeminal, e portanto, necessitam de um diagnóstico preciso antes de qualquer procedimento irreversível


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto , Cefaleia
17.
JBA, J. Bras. ATM Oclusão Dor Orofac ; 3(9): 21-5, jan.-mar. 2003. CD-ROM
Artigo em Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-851481

RESUMO

Disfunções temporomandibulares podem apresentar sintomas com características semelhantes às de outras causas, o que nos obriga conhecer quais são estas peculiaridades. Elas são caracterizadas por dor, desconforto e por sinais na presença de disfunções musculoesqueletais no sistema mastigatório, agravados pela mastigação e disfunção da mandíbula. Este artigo apresenta um caso clínico de maloclusão em que a paciente cita como queixa principal zumbido nos ouvidos, além de freqüente dor de cabeça e dor nas costas (região dorsal) ao praticar esportes (jogar vôlei). Após o diagnóstico, o caso foi conduzido com o objetivo de dar à paciente uma oclusão equilibrada, promovendo-lhe bem-estar com a ausência da sintomatologia mencionada


Assuntos
Humanos , Feminino , Criança , Dor nas Costas/etiologia , Cefaleia/etiologia , Má Oclusão/complicações , Zumbido/etiologia , Transtornos da Articulação Temporomandibular/complicações , Ajuste Oclusal
18.
RFO UPF ; 7(2): 47-50, jul.-dez. 2002.
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-404328

RESUMO

Os autores apresentam uma revisão da literatura sobre a relação existente entre a cefaléia e a presença de terceiros molares retidos. A importância da discussão sobre essa relação está no fato de que muitos pacientes, após terem investigado as causas possíveis de cefáleias, procuram o cirurgião dentista para verificar a possibilidade de sua dor estar relacionada a patologias dentárias ou a terceiros molares retidos


Assuntos
Cefaleia , Dente Serotino
19.
Pesqui. bras. odontopediatria clín. integr ; 2(2/3): 103-7, maio-dez. 2002. graf
Artigo em Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-853693

RESUMO

O objetivo dessa pesquisa foi descrever a prevalênciadas desordens temporomandibulares e dores bucofaciaisem pacientes do Centro Odontológico de Estudos e Pesquisas - COESP. Os dados foram obtidos através de prontuários de 60 pacientes com sinais e sintomas no Sistema Estomatognático. Os resultados indicaram que 22 (36,6 porcento) eram portadores de disfunções temporomandibulares (DTMs), 4 (6,76 porcento) de dores bucofaciais e 34 (56,6 porcento) apresentavam ambas patologias. A principal queixa 45 (75 porcento) foi dor de cabeça, 44 (73,3 porcento) dor facial e 15 (25 porcento) barulhos articulares sem sintomas. As frequências das queixa foram 45 (75 porcento) diarias, 12 (20 porcento) semanais e 3 (5 porcento) mensais. A automedicação foi utilizada por 50 (83,3 porcento) individuos e apenas 10 (16,6 porcento) procuraram auxílio de especialistas. Concluiu-se que as desordens temporomandibulares podem acometer individuos em qualquer idade, sendo o gênero feminino o mais predominante, e que a dor de cabeça é a queixa mais comum dentre os pacientes portadores de desordens no sistema estomatognático


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Idoso , Pessoa de Meia-Idade , Adulto , Adolescente , Criança , Articulação Temporomandibular/patologia , Dor Facial/etiologia , Má Oclusão , Transtornos da Articulação Temporomandibular/diagnóstico , Transtornos da Articulação Temporomandibular/etiologia , Cefaleia/etiologia , Inquéritos e Questionários
20.
Rev. Fac. Odontol. Porto Alegre ; 43(2): 35-40, dez. 2001.
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-329119

RESUMO

Este trabalho aborda estudos dentro da problemática cefaléia e desordem crânio-mandibular (DCM) enfocando o aspecto dos mesmos carecerem de delineamentos apropriados para que se possa estabelecer relaçöes mais precisas entre as variáveis oclusais, musculares e/ou articulares e as cefaléias, ao mesmo tempo que apresenta estudos relacionando a oclusäo com problemas de DCM. Os possíveis mecanismos fisiopatológicos da cefaléia crônica do tipo migrânea (enxaqueca) säo citados, valorizando o fato de que sua sintomatologia ocorre em região do sistema trigêmino-vascular. Apresentamos a classificaçäo das cefaléias e apontamos a importância do estabelecimento de um diagnóstico odontológico adequado pelo cirurgiäo-dentista através de exames oclusais, musculares e articulares para que a sua área de competência seja plenamente exercida


Assuntos
Cefaleia/classificação , Cefaleia/diagnóstico , Cefaleia/fisiopatologia , Transtornos Craniomandibulares , Oclusão Dentária , Transtornos da Cefaleia , Diagnóstico Diferencial
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA