Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 11 de 11
Filtrar
Mais filtros










Filtros aplicados
Intervalo de ano de publicação
2.
J. appl. oral sci ; 12(2): 144-148, Apr.-Jun. 2004. ilus
Artigo em Inglês | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-363059

RESUMO

O objetivo deste estudo foi avaliar as características de obliteração dos túbulos dentinários de três agentes dessensibilizantes: produto a base de oxalato de potássio / Oxa-Gel (OX), produto a base de HEMA e glutaraldeído / Gluma Desensitizer (GD) e produto a base de flúor-fosfato acidulado / Nupro Gel (AF). A região vestibular e cervical de vinte e quatro terceiros molares humanos extraídos foi planificada e polida com lixas de SiC e pastas de diamante para simular superfícies vestibulares dentinárias cervicais com hipersensibilidade. Os dentes foram aleatoriamente divididos em quatro grupos (n=6), de acordo com os seguintes tratamentos superficiais da dentina: G1: sem tratamento; G2: OX; G3: GD; G4: AF. Os espécimes foram fraturados no sentido línguo-vestibular e preparados para microscopia eletrônica de varredura (MEV). OX promoveu oclusão pela deposição de cristais no interior dos túbulos. Enquanto, GL criou uma camada delgada sobre a superfície da dentina, a aplicação do AF produziu a formação de precipitados que ocluíram os túbulos. De acordo com a análise em MEV, todos agentes dessensibilizantes testados foram capazes de obliterar túbulos dentinários.


Assuntos
Humanos , Sensibilidade da Dentina , Fluoreto de Fosfato Acidulado , Glutaral , Dente Serotino , Oxalatos
3.
Bauru; s.n; 2002. 197 p. ilus. (BR).
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-329364

RESUMO

O presente trabalho teve como objetivo avaliar in vitro e in vivo, através de uma técnica de réplica associada à microscopia eletrônica de varredura (MEV), as características e modificaçöes da superfície da dentina hiperestésica e tratada com um agente dessensibilizante à base de oxalato de potássio. O estudo in vitro foi realizado utilizando-se discos de dentina, cuja superfície foi condicionada com ácido cítrico a 6 por ecnto, coberta com smear layer artificial e dividida em 4 quadrantes. A smear layer foi mantida no quadrante 1, considerado o controle para a dentina näo exposta. Os quadrantes 2, 3 e 4 de cada disco foram recondicionados com ácido cítrico a 6 por cento, e o oxalato de potássio foi aplicado nos quadrantes 3 e 4. O quadrante 4 foi, entäo, novamente condicionado com ácido cítrico a 6 por cento. Feita a moldagem com Aquasil ULV, removeu-se o disco do molde após 6 minutos. Decorridas 24 horas, uma resina epóxica de baixa viscosidade foi vazada sobre o molde, e deixada polimerizar por outras 24 horas. Os discos de dentina, moldes e réplicas de resina epóxica foram metalizados para análise no MEV. No estudo in vivo, os pacientes, cujos dentes caninos e pré-molares apresentavam lesöes cervicais näo cariosas e sensíveis aos estímulos sonda e/ou jato de ar conforme a Escala Visual Analógica (EVA), foram selecionados e divididos em 2 grupos. No baseline, após o registro da sensibilidade em ambos os grupos, a superfície de dentina foi limpa com hipoclorito de sódio a 1 por cento, e 3 moldagens consecutivas foram realizadas, sendo a primeira para remoçäo de debris, e as outras, para obtençäo das réplicas positivas e negativas. Os moldes foram armazenados por um período de 24 horas em local fechado, seco e limpo, e a resina epóxica foi, entäo, vazada. O Grupo 1 (16 dentes) recebeu 4 aplicaçöes de Oxa-Gel© em intervalos de 7 dias. No Grupo 2 (7 dentes), nenhum agente anti-hiperestésico foi aplicado. Após 4 semanas, reavaliou-se o grau de sensibilidade


Assuntos
Humanos , Sensibilidade da Dentina , Técnicas In Vitro , Oxalatos , Dentina , Hiperestesia , Técnicas de Réplica
4.
Rev. Fac. Odontol. Bauru ; 9(3/4): 123-130, jul.-dez. 2001. tab
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-321816

RESUMO

Devido à alta incidência e à diversidade de tratamentos para a hipersensibilidade dentinária, novos produtos devem ser testados quanto ao efeito e aplicabilidade. O objetivo deste estudo clínico foi avaliar a resposta de dentes hipersensíveis após a aplicaçäo de três formulaçöes à base de oxalato de potássio. Noventa e quatro caninos e pré-molares que apresentavam algum grau de sensibilidade aos estímulos sonda e jato de ar (de acordo com a Escala de Medida Verbal) foram tratados com as seguintes formulaçöes: Oxa-Gel® (23 dentes), Soluçäo Experimental 1 (27) e Soluçäo Experimental 2 (27), tendo um placebo (17) como controle. Cada uma das formulaçöes e o placebo foram aplicados passivamente por três minutos sobre a dentina ligeiramente úmida, sendo os excessos removidos. O grau de sensibilidade foi avaliado antes (baseline), após quatro aplicações (resultados imediatos) e também após 6 meses e 1 ano (resultados mediatos). Os escores foram submetidos à análise estatística pelos métodos Kruskal-Wallis e Friedman two-way ANOVA (p < 0,05). A aplicaçäo de todas as formulaçöes, incluindo o placebo, independente do tempo e do estímulo utilizado, resultou em diminuiçäo estatisticamente significante dos graus de hipersensibilidade dentinária, a qual permaneceu após 6 meses e 1 ano. O resultado positivo obtido com o uso do placebo sugere a necessidade da realizaçäo de novas pesquisas e de uma padronizaçäo dos protocolos para o estudo da hipersensibilidade dentinária


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Sensibilidade da Dentina , Oxalatos , Dentina , Oxalatos
5.
Bauru; s.n; 2000. 288 p. ilus, tab. (BR).
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-271838

RESUMO

O oxalato de potássio tem sido utilizado no tratamento da hiperestesia dentinária através da precipitaçäo de cristais de oxalato de cálcio intra e extracanaliculares, obstruindo os túbulos dentinários e reduzindo o deslocamento de fluido. O objetivo desse estudo foi analisar in vitro quantitativa e qualitativamente a permeabilidade da dentina tratada com três diferentes formulaçöes à base de oxalato de potássio e um gel fluoretado, sob cinco diferentes pré-tratamentos superficiais. O grau de oclusäo dos túbulos dentinários foi avaliado por meio de microscopia eletrônica de varredura, observando a precipitaçäo cristalina, e pela mediçäo da conditividade hidráulica da dentina após a aplicaçäo dos agentes anti-hiperestésicos. A natureza dos elementos químicos que compöem os cristais e os compostos formados foram identificados por meio da microanálise de raios X e da difraçäo de raios X, respectivamente. Para o ensaio de condutividade hidráulica, realizado por meio de um dispositivo específico, foram preparados 200 discos de dentina com 1 mm de espessura, obtidos de terceiros molares humanos extraídos. Os espécimes foram divididos em 20 grupos de dez espécimes, correspondentes a três géis derivados do oxalato de potássio: Oxa-Gel, pH 4,10; Experimental 1, pH 4,02; Experimental 2, pH 2,52, e um gel de fluoreto de sódio acidulado a 1,23 por cento - Nupro (Dentsply) - pH 3,6 a 3,9. Esses materiais foram aplicados na dentina sob as seguintes condiçöes de pré-tratamento: seca com ar; seca com papel absorvente; mantida molhada; acidificada e seca com ar; acidificada e seca com papel. Os ensaios foram realizados na seguinte sequência experimental: na presença de smear layer, após condicionamento com EDTA 0,5 M, por um minuto; após a aplicaçäo dos materiais-teste e após o desafio com ácido cítrico a 6 por cento, por um minuto...


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Permeabilidade da Dentina/efeitos dos fármacos , Técnicas In Vitro , Oxalatos/classificação , Oxalatos/farmacologia , Dentina/efeitos dos fármacos , Dentística Operatória/métodos , Hiperestesia/classificação , Hiperestesia/tratamento farmacológico , Dente Serotino/efeitos dos fármacos , Oxalatos/uso terapêutico
8.
Rev. odontol. Univ. St. Amaro ; 3(2): 50-3, jul.-dez. 1998. ilus
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-247302

RESUMO

A hipersensibilidade dentinária é uma ocorrência clínica comum, dolorosa, de difícil tratamento, e de recidivas constantes. Tem-se procurado um tratamento que seja eficaz de longa duraçäo. Neste trabalho nos propomos a observar, através de microscopia eletrônica de varredura, as alteraçöes morfológicas que säo causadas na superfície dentinária quando säo utilizadas substâncias para tratamento da hipersensibilidade. Utilizou-se discos de dentina sobre os quais foi preparado "smear layer" padronizado e aplicadas substâncias, uma à base de glutaraldeído e outra de oxalato, conforme instruçöes dos fabricantes. Manteve-se discos sem tratamento e em outros foi aplicado ácido fosfórico a 35 por cento, como grupo controle. Dos resultados obtidos concluiu-se que os espécimes: sem tratamento mantiveram a camada de "smear layer"; tratados com ácido mostraram exposiçäo dos túbulos dentinários; tratados com as substâncias dessensibilizantes mostraram formaçöes semelhantes a cristais causando obstruçäo da entrada dos túbulos dentinários


Assuntos
Sensibilidade da Dentina/tratamento farmacológico , Ácidos Fosfóricos/uso terapêutico , Glutaral/uso terapêutico , Microscopia Eletrônica de Varredura , Oxalatos/uso terapêutico
9.
Rev. odontol. Univ. Säo Paulo ; 9(3): 217-24, jul.-set. 1995. ilus, tab
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-168197

RESUMO

Verificou-se, por meio de testes de resistência ao cisalhamento, a efetividade de retençäo da resina composta Herculite XR ao esmalte dental, conseguida pelo condicionamento ácido, e a influência da contaminaçäo pela saliva durante 1 minuto. Cento e quarenta dentes permanentes humanos extraídos foram condicionados durante 15, 30 e 60 segundos com ácido fosfórico a 37 por cento em gel e durante 1 e 2 minutos com o oxalato de potássio a 3 por cento em gel e em soluçäo. Dos resultados obtidos e com base na análise estatística aplicada, pôde-se concluir que: o ácido fosfórico a 37 por cento apresentou melhor comportamento, com valores de resistência ao cisalhamneto significativamente maiores que o oxalato de potássio a 3 por cento; o tempo de aplicaçäo de 60 segundos do ácido fosfórico a 37 por cento, dentre todos os grupos, foi o que melhor resultado apresentou; dentre as formulaçöes, as que melhor se comportaram foram o ácido fosfórico a 37 por cento em gel, e o oxalato de potássio a 3 por cento, em soluçäo; a contaminaçäo salivar dos espécimes interferiu no poder de uniäo da resina composta ao esmalte, embora näo determinando significância estatística; o teste de Tukey-Kramer demonstrou que os valores médios, em MPa, foram menores quando se usou o oxalato de potássio a 3 por cento


Assuntos
Condicionamento Ácido do Dente , Resinas Compostas/análise , Esmalte Dentário/anatomia & histologia , Técnicas In Vitro , Saliva/química , Ácidos Fosfóricos/efeitos adversos , Ácidos Fosfóricos/química , Adesividade , Géis , Oxalatos/efeitos adversos , Oxalatos/química , Fatores de Tempo
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA