Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 3 de 3
Filtrar
Mais filtros










Filtros aplicados

Intervalo de ano de publicação
1.
Bauru; s.n; 1991. 248 p. ilus, graf.
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-222755

RESUMO

A inflamaçäo aguda constitui-se em uma resposta tecidual inicial a todas as formas de agressäo, qualquer que seja o agente etiológico, sendo as suas principais características a exsudaçäo de líquidos e de proteínas plasmáticas do sangue para o interstício e a transmigraçäo de células, principalmente de leucócitos polimorfonucleares neutrófilos. A cura do processo inflamatório ocorre após a eliminaçäo do agente etiológico através do processo de reparo. Entretanto, quando certos agentes nocivos näo podem ser destruídos ou eliminados, a inflamaçäo persiste e tenta isolá-los do organismo formando o granuloma. Existem muitas condiçöes inflamatórias de origem ainda desconhecida, como a artrite reumatóide, onde se manifestam tanto os fenômenos exsudativos como os proliferativos da inflamaçäo, que determinam alteraçöes funcionais e deformidades articulares irreversíveis, em geral acompanhadas de notáveis manifestaçöes sistêmicas. Embora as drogas antiinflamatórias sejam utilizadas para modificar a resposta inflamatória nas doenças de etiologia desconhecida, a terapêutica näo é curativa, pois muitas vezes estäo envolvidos mecanismos etiopatogenéticos complexos e ainda obscuros da doença, o que torna a droga inespecífica. O seu efeito acha-se fundamentalmente dirigido ao tratamento sintomático da inflamaçäo, ou seja, diminuindo ou bloqueando os sinais e sintomas locais e sistêmicos dessa inflamaçäo. Os antiinflamatórios näo esteróides säo também analgésicos e antipiréticos e, recentemente, tem-se observado também atividade antimitótica. Entretanto, como a sua atividade antimitótica näo tem sido estudada de modo sistêmico, propusemo-nos a determinar in vivo, além da atividade antiinflamatória, também a sua atividade antimitótica em quatro drogas antiinflamatórias näo esteróides, bem como estabelecer a correlaçäo existente entre os dois efeitos (antiinflamatório e antimitótico). As drogas testadas foram: naproxen, ibuprofen, sulindac e glucametacina. Neste estudo foram utilizados 321 ratos adultos, da linhagem Wistar (Rattus novergicus, var. albino), com peso médio de 250 gramas, cujos animais experimentais foram medicados com doses diárias de 33,34mg/kg de naproxen, 80mg/kg de ibuprofen, 13,34mg/kg de sulindac e 14mg de glucametacina. Os animais controles receberam apenas água destilada em substituiçäo às drogas. A administraçäo das drogas ou da água destilada foi feita por intubaçäo gástrica...


Assuntos
Animais , Masculino , Feminino , Adulto , Ratos , Anti-Inflamatórios não Esteroides/farmacologia , Granuloma/etiologia , Inflamação/complicações , Granuloma Periapical/etiologia , Parede Celular/efeitos dos fármacos , Ibuprofeno/análise , Ibuprofeno/farmacologia , Naproxeno/análise , Naproxeno/farmacologia , Patologia Bucal , Placa Dentária/microbiologia , Sulindaco/análise , Sulindaco/farmacologia
2.
Rev. odontol. Univ. Säo Paulo ; 2(2): 120-6, abr.-jun. 1988. tab
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-80413

RESUMO

Neste trabalho procurou-se avaliar os efeitos dos antiinflamatórios näo esteróides: Indometacina (indocid), Butazona (Fenilbutazona), Clinoril (Sulindac), Naprosin (Naproxen), Benflogin (Cloridrato de Benzidamina) e Inflaril (Acido neflúmico) nos leucogramas de ratos portadores de um processo inflamatório crônico provocado pela introduçäo intradérmica de lamínulas de vidro nos períodos de 3, 12 e 18 dias. O sangue para a contagem total dos leucócitos, eletrônica e diferencial, esfregaço, foi obtido por punçäo intracardíaca (Burhoe). A Indometacina, o Clinoril e a Butazona indicaram diminuiçäo de linfócitos e eosinófilos e aumento de monócitos e neutrófilos em todos os períodos e observaçäo em todos os períodos; o Inflaril reduziu o número de linfócitos, neutrofilia e eosinopenia em todos os períodos; o Inflaril reduziu o número de linfócitos e eosinófilos de aumentou os monócitos, com exceçäo de 3§ período, e os neutrófilos nos três períodos; e o Benflogin elevou os linfócitos na 1ª e 3ª fases, e os monócitos nos três períodos, e reduziu os neutrófilos nos dois primeiros, e os eosinfófilos nos dois últimos períodos. Todas as drogas usadas provocaram reduçäo de leucócitos em todos os períodos de tratamento, exceçäo feita ao Naprosin no 3§, ao Benflogin no 2§ e ao Inflaril no 1§ e 2§ períodos


Assuntos
Ratos , Animais , Anti-Inflamatórios não Esteroides/sangue , Ácido Niflúmico/administração & dosagem , Ácido Niflúmico/sangue , Benzidamina/administração & dosagem , Benzidamina/sangue , Indometacina/administração & dosagem , Indometacina/sangue , Naproxeno/administração & dosagem , Naproxeno/sangue , Fenilbutazona/administração & dosagem , Fenilbutazona/sangue , Sulindaco/administração & dosagem , Sulindaco/sangue
3.
Bauru; s.n; 1985. 172 p. ilus, tab, graf.
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-246753

RESUMO

A inflamaçäo é uma reaçäo do organismo caracterizada por reaçöes vasculares e teciduais, cuja magnitude depende da intensidade do agente agressor. Inevitavelmente os agentes flogógenos provocam agressöes que conduzem às alteraçöes periódicas da permeabilidade vascular desenvolvidas nas áreas da lesäo inflamatória, À expressividade dessas reaçöes estäo ligadas a maior atuaçäo do agente flogógeno no local. Tomam parte desse episódio tanto os capilares como as vênulas, que aumentam a permeabilidade vascular, surgindo no local extravasamento de proteína plasmática liberada ao nível tecidual configurando o edema. É sabido que através de modelos experimentais com a carregenina obtém-se o aumento da permeabilidade vascular em torno de uma hora (imediata) e o edema atinge uma configuraçäo máxima na 4ª hora. Conclui-se que a reaçäo inflamatória aguda (exsudativa) manifesta-se em duas fases distintas. Com a finalidade de observar os efeitos das drogas antiinflamatórias näo-esteróides nas fases imediata (1 hora) e tardia (3 horas) da inflamaçäo aguda, utilizou-se como agentes flogógenos (placa bacteriana dental) de estímulos fracos (0,07 mg) e médios (0,7 mg). Os estímulos fortes foram descartados para evitar uma rotura maciça dos vasos locais afetados...


Assuntos
Animais , Masculino , Adulto , Ratos , Anti-Inflamatórios não Esteroides/farmacologia , Inflamação/fisiopatologia , Placa Dentária/imunologia , Antineoplásicos , Benzidamina , Contagem de Células/métodos , Granuloma de Células Gigantes/fisiopatologia , Indometacina , Leucócitos/imunologia , Macrófagos , Naproxeno , Ácido Niflúmico , Sulindaco
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA