Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 2 de 2
Filtrar
Mais filtros










Filtros aplicados
Intervalo de ano de publicação
1.
São José dos Campos; s.n; 2019. 88 p. il., tab, graf..
Tese em Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-1015821

RESUMO

Este trabalho teve como objetivo avaliar os efeitos da aplicação tópica de fármacos bloqueadores adrenérgicos (AR) sobre o processo de reparo periodontal de dentes reimplantados em ratos. Inicialmente, cultura de fibroblastos do ligamento periodontal humano foi utilizada para avaliar qualitativamente a citotoxicidade de soluções etanólicas de fentolamina (bloqueador α-AR) e propranolol (bloqueador ßAR) em diferentes doses (0,75 µg/mL, 2,5 µg/mL, 10 µg/mL e 100 µg/mL), após 24 horas de exposição. Posteriormente, modelo animal de avulsão e reimplante dentário foi utilizado para avaliar o potencial antirreabsortivo do bloqueio adrenérgico local com géis de fentolamina (F) ou propranolol (P), em excipiente de carboximetilcelulose (CMC). Incisivos superiores direitos foram extraídos de 48 ratos Wistar machos, armazenados em guardanapo de papel por 30 minutos, e distribuídos aleatoriamente em oito grupos (n=6) de acordo com a medicação intracanal: F0.75, F10 e F100 receberam gel de fentolamina nas concentrações 0,75 µg/mL, 10 µg/mL e 100 µg/mL, respectivamente; P2.5, P10 e P100 receberam gel de propranolol nas concentrações 2,5 µg/mL, 10 µg/mL e 100 µg/mL, respectivamente; HC e CMC receberam pasta de hidróxido de cálcio e gel de carboximetilcelulose, respectivamente. Os animais foram eutanasiados 30 dias após o reimplante e as seguintes análises foram realizadas: microtomografia (volume, superfície, proporção e densidade de tecido mineralizado), histomorfometria (áreas de reabsorção radicular inflamatória, reabsorção por substituição, anquilose e reparo periodontal) e histoquímica (atividade osteoclástica). Os dados foram analisados estatisticamente por meio de ANOVA e teste de Tukey ou Kruskal Wallis e teste de Dunn, de acordo com sua normalidade (α=5%). A análise qualitativa da viabilidade celular demonstrou que a dose de 100 µg/mL dos fármacos apresentou alta citotoxicidade, com 100% das células inviáveis, e as demais doses propiciaram viabilidade celular semelhante. As análises microtomográfica e histomorfométrica das amostras in vivo não revelaram qualquer diferença estatística significante entre os fármacos testados e suas diferentes doses (p>0,05). No entanto, P10 e F10 apresentaram qualitativamente um melhor resultado, pois foram os únicos grupos classificados com áreas de intenso reparo periodontal (P10) e de discreta reabsorção radicular inflamatória (F10 e P10). O tratamento com F10 e P10 diminuiu significativamente o número de osteoclastos em comparação com as outras medicações tópicas (p<0,05). Concluiu-se que a aplicação tópica de géis de fentolamina e propranolol na dose de 10 µg/mL diminuiu significativamente a atividade osteoclástica sem causar efeitos citotóxicos.(AU)


This study aimed to evaluate the effects of topical application of adrenergic (AR) blocking drugs on the periodontal repair process of replanted teeth in rats. First, culture of human periodontal ligament fibroblasts was used to qualitatively assess the cytotoxicity of ethanolic solutions of phentolamine (α-AR blocker) and propranolol (ßAR blocker) at different doses (0.75 µg/mL, 2.5 µg/mL, 10 µg/mL and 100 µg/mL) after 24 hours of exposure. Then, animal model of tooth avulsion and replantation was used to evaluate the anti-resorptive potential of local adrenergic blockade with phentolamine (Ph) or propranolol (Pr) gels, in carboxymethylcellulose excipient (CMC). Maxillary right incisors were extracted from 48 male Wistar rats, stored in paper napkins for 30 minutes, and randomly distributed into eight groups (n = 6) according to intracanal medication: Ph0.75, Ph10 and Ph100 received phentolamine gel at concentrations of 0.75 µg/mL, 10 µg/mL and 100 µg/mL, respectively; Pr2.5, Pr10 and Pr100 received propranolol gel at concentrations of 2.5 µg/mL, 10 µg/mL and 100 µg/mL, respectively; CH and CMC received calcium hydroxide paste and carboxymethylcellulose gel, respectively. The animals were euthanized 30 days after replantation and the following analyzes were performed: microtomography (volume, surface, proportion and density of mineralized tissue), histomorphometry (areas of inflammatory root resorption, replacement root resorption, ankylosis and periodontal repair) and histochemistry (osteoclastic activity). Data were analyzed statistically by means of ANOVA and Tukey's test or Kruskal Wallis and Dunn's test, according to their normality (α = 5%). The qualitative analysis of cell viability demonstrated that the dose of 100 µg/mL of the drugs presented high cytotoxicity, with 100% of the cells non-viable, and the other doses provided similar cell viability. Microtomographic and histomorphometric analyzes of in vivo samples did not reveal any significant statistical difference between the tested drugs and their different doses (p>0.05). However, Pr10 and Ph10 presented qualitatively a better result, as they were the only groups classified with areas of intense periodontal repair (Pr10) and discrete inflammatory root resorption (Ph10 and Pr10). Treatment with Ph10 and Pr10 significantly decreased the number of osteoclasts compared to the other topical medications (p<0.05). It was concluded that topical application of phentolamine and propranolol gels at a dose of 10 µg/mL significantly decreased osteoclastic activity without causing cytotoxic effects(AU)


Assuntos
Humanos , Avulsão Dentária/complicações , Fentolamina/efeitos adversos , Reimplante Dentário/classificação , Reabsorção de Dente/prevenção & controle , Antagonistas Adrenérgicos/efeitos adversos
2.
São José dos Campos; s.n; 2017. 70 p. il., tab., graf..
Tese em Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-905840

RESUMO

Os objetivos deste estudo são: 1) Esclarecer a possível associação entre o estresse crônico e a estimulação do Sistema Nervoso Simpático (SNS) e investigar sua interferência no desenvolvimento e progressão da lesão periapical; 2) Avaliar a quantidade de receptores para os neurotransmissores na região periapical; 3) Elucidar uma via farmacológica de modulação inflamatória através do uso de bloqueadores adrenérgicos. Trinta e dois ratos Wistar foram submetidos à modelo animal de lesão periapical através da exposição da cavidade pulpar e em seguida foram aleatoriamente divididos em 4 grupos: sem estresse (NS); estresse + solução salina (SS); estresse + ß-bloqueador (Sß); estresse + α-bloqueador (Sα). Os grupos SS, Sß e Sα foram submetidos à modelo animal de estresse crônico durante 28 dias e receberam injeções diárias de solução salina, propranolol (ß bloqueador adrenérgico) e fentolamina (α bloqueador adrenérgico), respectivamente. Após 28 dias os animais foram eutanasiados e procedeu-se as seguintes análises: a) dos níveis séricos de corticosterona através de Radioimunoensaio; b) histomorfométrica por coloração com hematoxilina e eosina; c) da estrutura óssea periapical através de microtomografia computadorizada (micro-CT); d) expressão de receptores ß e α adrenérgicos; e) da atividade osteoclástica através de histoquímica para fosfatase ácida resistente ao tartarato (TRAP). Os resultados obtidos mostram um aumento do nível sérico de corticosterona dos animais do grupo SS sendo estatisticamente significante comparados aos animais do grupo NS (sem estresse) (p<.05). Nenhuma diferença estatística foi observada a nível histológico uma vez que todos os animais apresentaram infiltrado inflamatório moderado e área de lesão periapical similares. A análise por micro-CT também mostrou similaridade da área e volume da lesão periapical em todos grupos. Através da histoquímica para TRAP verificou-se uma quantidade significativamente menor de osteoclastos nos grupos que receberam bloqueadores adrenérgicos (Sß e Sα) (p<.05). Conclui-se que não houve influência significativa do estresse crônico no desenvolvimento e progressão da lesão periapical e a administração de bloqueadores adrenérgicos apesar de não ter sido capaz de modular a resposta inflamatória, diminuiu significativamente o número de osteoclastos na região periapical(AU)


The objectives of this study are: 1) To clarify the possible association between chronic stress (CS) and stimulation of the Sympathetic Nervous System (SNS) and to investigate its interference in the development and progression of periapical lesion; 2) To evaluate the amount of receptors for neurotransmitters in the periapical region; 3) To elucidate a pharmacological pathway of inflammatory modulation through the use of adrenergic blockers. Thirty- two Wistar rats were submitted to animal model of periapical lesion through exposure of the pulp cavity and were then randomly divided into 4 groups: no stress (NS); stress + saline solution (SS); stress + ß-blocker (Sß); stress + α-blocker (Sα). The SS, Sß and Sα groups were submitted to animal model of CS for 28 days and received daily injections of saline solution, propranolol (ß blocker adrenergic) and phentolamine (α adrenergic blocker), respectively. After 28 days the animals were euthanized and the following analysis were carried out: a) serum corticosterone levels through Radioimmunoassay; b) histomorphometric by staining with hematoxylin and eosin; c) periapical bone structure through micro computed tomography; d) expression of ß and α adrenergic receptors; e) osteoclast activity by histochemistry for tartrate resistant acid phosphatase (TRAP). The results obtained show an increase in the seric corticosterone level of the animals of the SS group being statistically significant compared to the NS group animals (without stress). No statistical difference was observed histologically since all animals had moderate inflammatory infiltrate and similar periapical lesion area. Micro-CT analysis also showed similarity of the area and volume of the periapical lesion in all groups. Through histochemistry for TRAP, a significantly lower amount of osteoclasts was observed in the groups receiving adrenergic blockers (Sß and Sα). It was concluded that there was no significant influence of chronic stress on the development and progression of the periapical lesion and the administration of adrenergic blockers despite not being able to modulate the inflammatory response, significantly decreased the number of osteoclasts in the periapical region(AU)


Assuntos
Humanos , Propranolol/uso terapêutico , Antagonistas Adrenérgicos , Abscesso Periapical , Fentolamina/uso terapêutico
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA