Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 7 de 7
Filtrar
Mais filtros










Filtros aplicados

Intervalo de ano de publicação
1.
ImplantNewsPerio ; 2(3): 521-525, mai.-jun. 2017. ilus
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-847268

RESUMO

A síndrome de Peutz-Jeghers é uma associação de polipose no trato gastrointestinal do tipo familiar e pigmentação melânica mucocutânea, particularmente nos lábios, mucosa bucal e polpa digital. Há poucas décadas, algumas centenas de casos haviam sido descritos na literatura, o que torna a doença não tão rara. O objetivo deste trabalho foi relatar casos clínicos em que os pacientes eram portadores da síndrome. Em um dos casos, tia e sobrinha evidenciaram a implicação genética da doença. Dados clínicos, bases moleculares e resultados histopatológicos, com a utilização de anticorpos (Ac) monoclonais, mostram a relevância do trabalho. Portadores crônicos da síndrome após décadas, ainda não diagnosticados, procuram o cirurgião-dentista para tratamentos diversos, dando-lhe oportunidade e responsabilidade na detecção da doença, devido ao risco de desenvolvimento de tumores malignos no trato gastrointestinal.


The Peutz-Jeghers syndrome is a familiar association of polyposis in the gastrointestinal tract and melanic mucocutaneous pigmentation, particularly in the lips, oral mucosa and fi ngertips. A few decades few hundred cases had been described in the literature wich makes the disease not so rare. The objective of this study is to report clinical cases where patients were carriers of the syndrome. In one of the cases the aunt and nice showed the genetic implication of the disease. Clinical data, molecular basis and histopathological results with monoclonal antibodies (Ac), show the relevance of this work. Chronic carriers of the syndrome after decades, still undiagnosed, seek the dentist for various treatments giving him the opportunity and responsibility to detect the disease due to the risk of development of malignant tumors in the gastrointestinal tract.


Assuntos
Humanos , Feminino , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Anticorpos Monoclonais/uso terapêutico , Hamartoma , Polipose Intestinal , Melaninas , Síndrome de Peutz-Jeghers , Pigmentação/efeitos da radiação
2.
Ciênc. odontol. bras ; 10(02): 30-35, Abr./jun.2007.
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-850608

RESUMO

Neste trabalho foi realizada uma análise, in vitro, da capacidade do anticorpo monoclonal (Acmo) 56G anti-Streptococcus mutans de impedir ou interferir na aderência e colonização de S.mutans (cepa GS5) à superfície de corpos de prova confeccionados com Resina Composta Híbrida TPH (Dentsply). Vinte corpos de prova foram preparados, desinfetados com gluconato de clorexidina ou esterilizados por radiação gama com cobalto 60 e incubados em tubos de ensaio contendomeio sacarosado e um inóculo de S. mutans. Metade dos corpos de prova constituiu o grupo tratado e, por isso,recebeu uma alíquota do Acmo; a outra metade destinou-se ao grupo controle. As películas bacterianas aderidas sobre as pastilhas de resina dos grupos tratado e controle foram quantificadas e comparadas através da dosagem de carboidratos e proteínas presentes nas mesmas, além da determinação do número de UFC/ml. Verificou-se que não havia diferença entre a desinfecção com clorexidina e a esterilização por radiação gama, e que o biofilme bacteriano formado na presença doAcmo não diferia daquele formado na sua ausência, tanto nas dosagens de carboidratos e proteínas (p=0,577 e p=0,705, respectivamente) quanto na microbiológica (p=0,488). Conclui-se que o Acmo 56G não foi efetivo na prevenção da colonização da superfície dos corpos de prova confeccionados em resina pelo S. mutans.


Assuntos
Anticorpos Monoclonais , Aderência Bacteriana , Resinas Compostas , Streptococcus mutans
3.
Ciênc. odontol. bras ; 10(2): 30-35, abr.-jun. 2007.
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-518111

RESUMO

Neste trabalho foi realizada uma análise, in vitro, da capacidade do anticorpo monoclonal (Acmo) 56G anti-Streptococcus mutans de impedir ou interferir na aderência e colonização de S.mutans (cepa GS5) à superfície de corpos de prova confeccionados com Resina Composta Híbrida TPH (Dentsply). Vinte corpos de prova foram preparados, desinfetados com gluconato de clorexidina ou esterilizados por radiação gama com cobalto 60 e incubados em tubos de ensaio contendomeio sacarosado e um inóculo de S. mutans. Metade dos corpos de prova constituiu o grupo tratado e, por isso,recebeu uma alíquota do Acmo; a outra metade destinou-se ao grupo controle. As películas bacterianas aderidas sobre as pastilhas de resina dos grupos tratado e controle foram quantificadas e comparadas através da dosagem de carboidratos e proteínas presentes nas mesmas, além da determinação do número de UFC/ml. Verificou-se que não havia diferença entre a desinfecção com clorexidina e a esterilização por radiação gama, e que o biofilme bacteriano formado na presença doAcmo não diferia daquele formado na sua ausência, tanto nas dosagens de carboidratos e proteínas (p=0,577 e p=0,705, respectivamente) quanto na microbiológica (p=0,488). Conclui-se que o Acmo 56G não foi efetivo na prevenção da colonização da superfície dos corpos de prova confeccionados em resina pelo S. mutans.


Assuntos
Anticorpos Monoclonais , Aderência Bacteriana , Resinas Compostas , Streptococcus mutans
4.
Ciênc. odontol. bras ; 9(4): 67-75, out.-dez. 2006. ilus, tab, graf
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-462886

RESUMO

O anticorpo monoclonal (Acmo) anti-Streptococcus mutans 56G foi analisado quanto ao efeito na aderência e crescimento da placa bacteriana in vitro, e quanto ao crescimento em caldo e no comprimento da cadeia do estreptococo. O Acmo foi purifi cado em proteína A - Sepharose e testado em ELISA frente a quatro cepas de S. mutans (ATCC 35668, SP, GS5, CD28A). O Acmo reconheceu com maior intensidade a cepa GS5. As placas bacterianas formadas in vitro na presença do Acmo apresentou menos carboidrato total (polissacarídeo extracelular) que o grupo controle e essa diferença foi signifi cante (p>0,001). A placa bacteriana do grupo tratado, formada sobre uma lamínula de vidro, era diferente da placa controle e apresentava agregados menores que cobriam a lamínula quase completamente. O Acmo 56G não infl uenciou o crescimento bacteriano, nem o comprimento da cadeia de S. mutans.Os resultados desse trabalho sugerem que o Acmo testado deve reconhecer a glicosiltransferase (GTF) de S. mutans presente na superfície bacteriana, interferindo na síntese de glucano por essa enzima.


Assuntos
Anticorpos Monoclonais , Cárie Dentária , Streptococcus mutans , Streptococcus mutans/crescimento & desenvolvimento , Análise de Variância
5.
Ciênc. odontol. bras ; 9(1): 62-68, jan.-mar. 2006. ilus, graf
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-457196

RESUMO

Nesse trabalho estudou-se a reatividade de dois anticorpos monoclonais (Acmo) anti-Streptococcus mutans (24A e 56G) desenvolvidos no Laboratório de Imunologia da Faculdade de Odontologia de São José dos Campos-UNESP, frente às cepas de estreptococos orais (S. salivarius, S. mutans e S. pyogenes) pelo ELISA e Western blot. Estes anticorpos eram da classe IgG2b e foram purificados em proteína A. O Acmo 56G mostrou ser o mais reativo com S. mutans. Testado no Western Blot (WB) com o antígeno citoplasmático (AgC) de S.mutans, 56G marcou uma única banda de 53kDa. Com o antígeno de superfície (AgSu) e com células inteiras dos microrganismos estudados, 56G reagiu com componentes de pesos moleculares mais elevados como 116 e 155 kDa. Foi detectada reatividade cruzada do Acmo 56G, no WB, com outros estreptococos orais (S. pyogenes, S. salivarius, S. sobrinus), constatando o compartilhamento de antígenos entre as espécies testadas, o que pode ser um fator importante no desenvolvimento de doenças, como a febre reumática.


Assuntos
Animais , Camundongos , Anticorpos Monoclonais , Streptococcus mutans , Ensaio de Imunoadsorção Enzimática
6.
Pós-Grad. Rev ; 2(1): 54-60, jan.-jun. 1999. CD-ROM
Artigo em Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-853995

RESUMO

A utilização de técnicas imuno-histoquímicas, usando marcadores biológicos de proliferção celular, aplicados a análise histopatológica, permite a compreensão das alterações morfo-funcionais que ocorrem no processo de transformação neoplásica. Estas técnicas aliadas aos dados clínicos e histopatológicos fornecem informações úteis sobre o comportamento biológico e possível prognóstico das neoplasias, além de auxiliar no estabelecimento de terapias a serem aplicadas. Neste estudo analisamos, numa breve revisão, os resultados obtidos em alguns trabalhos realizados utilizando os marcadores PCNA e Ki-67 em diferentes tipos de neoplasias, indicando quais as vantagens que podem ser obtidas com sua utilização


Assuntos
Anticorpos Monoclonais , Biomarcadores
7.
Rio de Janeiro; s.n; 1986. 88 p. ilus, tab.
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-187564

RESUMO

Cinco casos de líquen plano oral foram submetidos a biópsia, e o tecido estudado por uma técnica de imunofluorescência utilizando anticorpos monoclonais para subpopulaçöes de linfóticos T e células de Langerhans. Em quatro casos, os resultados evidenciaram uma predominância de linfócitos T supressores/citotóxicos tanto no epitélio como no infiltrado sub-epitelial, embora células OKT4-positivas também estivessem presentes em ambas as localizaçöes. No quinto caso, um líquen plano erosivo-bolhoso, linfócitos auxiliadores/indutores predominaram no infiltrado su-epitelial. As células de Langerhans encontravam-se concentradas no epitélio de todas as amostras estudadas, sendo baixo o seu número na lâmina própria. Essas observaçöes apoiam a opiniäo de que o sistema imune celular seja importante para a patogênese do líquen plano


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Anticorpos Monoclonais , Biópsia , Imunofluorescência , Líquen Plano Bucal , Subpopulações de Linfócitos T , Epitélio , Células de Langerhans
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA