Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 14 de 14
Filtrar
Mais filtros










Filtros aplicados
Intervalo de ano de publicação
1.
Braz. dent. sci ; 22(3): 408-412, 2019. ilus
Artigo em Inglês | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-1009549

RESUMO

Objective: The present work aimed to correlate the levels of IgA antibodies reactive with Streptococcus mutans antigens in the saliva and/or in the breast milk and the oral health of lactating. Material and Methods: Breast milk and whole saliva samples were collected from 29 lactating. The oral health was verified using Decayed, Missing, Filled (DMF) scores and the volunteers were separated in three groups: 1) low DMF score; 2) high DMF score with active caries and 3) high DMF score without active caries. The IgA antibodies anti-Streptococcus mutans were analyzed in the samples using ELISA technique. Results: The results showed similar levels of IgA antibodies in all groups, both in milk and saliva. No correlation could be confirmed between the levels of IgA in the saliva and in the breast milk with the oral health of lactating studied. Conclusion: The results suggest that, independently of mother's oral health, the newborn receive the same amounts of anti-Streptococcus mutans IgA by breastfeeding. (AU)


Objetivo: O presente trabalho objetivou correlacionar os níveis de anticorpos IgA reativos com antígenos de Streptococcus mutans na saliva e / ou no leite materno com a saúde bucal de mulheres em lactação. Material e Métodos: Amostras de leite materno e saliva total foram coletadas de 29 lactantes. A saúde bucal foi analisada utilizando os índices de CPO e os voluntários foram separados em três grupos: 1) baixo escore de CPO; 2) alto escore de CPO com cárie ativa e 3) alto escore de CPO sem cárie ativa. Os anticorpos IgA anti-Streptococcus mutans foram analisados pela técnica de ELISA. Resultados: Os resultados mostraram níveis semelhantes de anticorpos IgA em todos os grupos, tanto no leite como na saliva. Nenhuma correlação pôde ser confirmada entre os níveis de IgA na saliva e no leite materno com a saúde bucal das mulheres estudadas. Conclusão: Os resultados sugerem que, independentemente da saúde bucal da mãe, o recém-nascido recebe as mesmas quantidades de IgA anti-Streptococcus mutans pela amamentação. (AU)


Assuntos
Saliva , Streptococcus mutans , Imunoglobulina A , Leite Humano
2.
Rio de Janeiro; s.n; 2016. 77 p. tab, graf.
Tese em Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-905136

RESUMO

A saliva atua diretamente na modulação da ocorrência e progressão da cárie dentária; entretanto a relação entre os níveis de alguns de seus componentes e a doença ainda permanece controversa. Logo, o objetivo do presente estudo foi avaliar os níveis salivares da imunoglobulina A secretória (IgA-s) em pacientes com cárie de acometimento precoce (GC) e livres de cárie (GLC), e verificar esses níveis em um período de acompanhamento após tratamento restaurador no GC. Foram selecionadas crianças sistemicamente saudáveis em período de dentição decídua completa, usando-se os seguintes critérios de exclusão: uso de antibióticos sistêmicos nos 3 meses anteriores, realização de tratamento odontológico restaurador prévio, uso de aparelhos ortodônticos, presença de dentes com necessidade de tratamento pulpar ou exodontia, sangramento gengival espontâneo ou lesão bucal. Os participantes foram alocados em dois grupos: GC (n = 23), com lesões cavitadas em dentina (ceo-s > 0); e GLC (n = 23), com ausência de histórico de doença (ceo-s = 0), inclusive sem presença de mancha branca. Foram obtidas amostras de 1 mL de saliva total não estimulada e o tempo requerido foi registrado para calcular o fluxo salivar. Foi realizada quantificação de proteínas totais, IgA-s, Lactobacillus sp e Streptococcus mutans. Os pacientes do GC receberam tratamento restaurador com resina composta, sendo realizadas coletas de acompanhamento em períodos de 7 dias, 1, 2 e 3 meses pós-tratamento. Observou-se que a média de idade e a distribuição dos gêneros foi similar entre os grupos (p > 0,05, teste Mann­Whitney). O fluxo salivar e a concentração de proteínas totais não diferiram entre os grupos nem durante o acompanhamento no GC (p > 0,05, testes Mann­Whitney e Wilcoxon). Os níveis de IgA-s foram estatisticamente mais elevados no GC (46,89 ± 41,94 µg/mL) do que no GLC (25,40 ± 15,44 µg/mL) (p = 0,03, teste Mann-Whitney). No GC, houve redução da IgA-s durante o acompanhamento, porém essa diferença não foi estatisticamente significativa (p > 0,05, teste Wilcoxon). Foram obtidas amostras de acompanhamento em alguns participantes do GLC, aonde foram observados níveis similares de IgA-s (p > 0,05, teste Wilcoxon). A concentração de Lactobacillus sp foi estatisticamente menor no GLC (p < 0,01, teste Mann-Whitney), havendo redução durante o acompanhamento no GC (p < 0,01, teste Wilcoxon). Houve grande variação interindividual nos níveis de Streptococcus mutans; entretanto, no acompanhamento no GC observou-se redução apenas nos indivíduos que apresentaram diminuição da concentração de IgA-s. Diante do exposto, conclui-se que crianças com cárie de acometimento precoce apresentam níveis mais elevados de IgA-s do que as livres de cárie. Além disso, verificou-se que a redução da IgA-s no período de acompanhamento pós-tratamento no grupo com cárie esteve associada à diminuição dos níveis de Streptococcus mutans (AU)


Saliva acts directly modulating the occurrence and progression of dental caries; however, the relationship between the levels of some components and the disease remains controversial. Therefore, the aim of this study was to evaluate the salivary levels of secretory immunoglobulin A (s-IgA) in children with early childhood caries (ECC) and caries-free (CF), and verify these levels in a followup period after restorative treatment in ECC participants. It were selected systemic health children in complete primary dentition period, with the following exclusion criteria: use of systemic antibiotics in the previous three months, previous restorative dental treatment, use of any orthodontic appliance, presence of tooth with need of pulp treatment or extraction, spontaneous gingival bleeding or oral lesion. The participants were divided into two groups: ECCG (n = 23), with cavitated lesions in dentin (dmf-s > 0); and CFG (n = 23), with no history of dental caries (dmf-s = 0), including without any whit spot. Samples of 1 mL of unstimulated whole saliva were obtained and the required time was recorded to calculate the salivary flow rate. It was quantified the total protein, s-IgA, Lactobacillus sp and Streptococcus mutans. Participants from ECCG received restorative treatment with composite resin, being conducted follow-up collections in 7 days, 1, 2 and 3 months after the treatment. It was observed that mean age and gender distribution were similar in both groups (p > 0.05, Mann-Whitney test). The flow rate and total protein concentration did not differ between groups or between follow-up samples in ECCG (p > 0.05, MannWhitney and Wilcoxon tests). It was found that the s-IgA levels were significantly higher in ECCG (46.89 ± 41.94 µg/mL) than in CFG (25.40 ± 15.44 µg/mL) (p = 0.03, Mann-Whitney test). In ECCG, s-IgA levels decreased during the follow-up, but it was not statistically significant (p > 0.05, Wilcoxon test). Follow-up samples from some patients of CFG were obtained and was verified similar levels of s-IgA (p > 0.05, Wilcoxon test). The concentration of Lactobacillus sp was statistically lower in CFG (p < 0.01, Mann-Whitney test), with a reduction during follow-up in the ECCG (p < 0.01, Wilcoxon test). There were wide interindividual variation in salivary levels of Streptococcus mutans; however, it was observed a reduction during follow-up only in ECC participants that showed a decrease in the concentrations of s-IgA. Thus, it is concluded that early childhood caries children have higher levels of s-IgA than caries-free. Furthermore, it was found that the reduction of s-IgA during follow-up in early childhood caries group was associated with the decrease of Streptococcus mutans levels (AU)


Assuntos
Humanos , Pré-Escolar , Cárie Dentária , Imunoglobulina A/análise , Saliva/imunologia , Estudo Comparativo , Lactobacillus/isolamento & purificação , Streptococcus mutans/isolamento & purificação
3.
Pesqui. bras. odontopediatria clín. integr ; 11(01): 139-143, jul. 2011.
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-874378

RESUMO

Introdução: As superfícies mucosas mantêm contato direto com o meio externo, sendo expostas a uma grande variedade de antígenos. Essas superfícies possuem relativa vulnerabilidade e a secreção de anticorpos pelo sistema imune de mucosa constitui sua principal defesa, mantendo os antígenos desconhecidos e/ou potencialmente patogênicos fora do organismo. Entre esses anticorpos, o mais abundante é uma IgA polimérica, denominada IgA secretora, que é produzida por plasmócitos associados às mucosas e glândulas exócrinas. A sIgA possui uma estrutura capaz de resistir à degradação proteolítica de enzimas bacterianas e digestivas, o que a torna ideal para proteção do trato gastrointestinal. Na mucosa bucal a sIgA representa a mais importante barreira imunológica, impedindo a aderência e a penetração de microorganismos, sendo utilizada como parâmetro do status imunológico dessa mucosa. Objetivo: Realizar uma revisão de literatura a respeito da imunoglobulina A secretora liberada na saliva, enfocando sua formação, secreção e as principais funções imunológicas na proteção da mucosa bucal. Conclusão: A imunoglobulina A secretora possui ótimas características para a proteção da mucosa bucal, atribuídas à sua estrutura e ação específica e inespecífica. Os resultados de estudos clínico/laboratoriais associados a sua grande quantidade salivar, sugerem uma participação relevante da sIgA nos processos etiológicos e fisiopatológicos de lesões na mucosa bucal, evidenciando a necessidade de uma maior atenção às funções dessa imunoglobulina em estudos posteriores.


Introduction: Mucosa surfaces are in direct contact with the external environment, being exposed to a great variety of antigens. These surfaces have relative vulnerability and the secretion of antibodies by the mucosal immune system is the main defense mechanism, maintaining unknown and/or potentially pathogenic antigens out of the organism. Among these antibodies, the most abundant is a polymeric IgA, denominated secretory immunoglobulin A (sIgA), which is produced by plasmocytes associated with mucosas and exocrine glandules. A sIgA has a structure capable of resisting to the proteolytic degradation of bacterial and digestive enzymes, which makes it ideal for protecting the gastrointestinal tract. In the oral mucosa, sIgA represents the most important immunological barrier, impeding the adherence and penetration of microorganisms and being used as a parameter of immunological status of the mucosa. Objective: This paper presents a literature review on the sIgA released in the saliva, focusing on its formation, secretion and the main immunological functions on the protection of the oral mucosa. Conclusion: sIgA has excellent characteristics for protecting the oral mucosa, which are attributed to its structure and specific and unspecific actions. The results of clinical/laboratorial studies associated with its great amount in the saliva suggest a relevant participation of sIgA in the etiologic and physiopathological processes of oral mucosa injuries, demonstrating the necessity of a greater attention to the functions of this immunoglobulin in further studies.


Assuntos
Imunoglobulina A Secretora , Imunoglobulina A/imunologia , Mucosa Bucal/imunologia , Sistema Imunitário , Sistemas de Secreção Bacterianos/imunologia
4.
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-614386

RESUMO

Introdução: As superficies mucosas mantem contato direto com o meio externo, sendo expostas a uma grande variedade de antigenos. Essas superficies possuem relativa vulnerabilidade e a secreção de anticorpos pelo sistema imune de mucosa constitui sua principal defesa, mantendo os antigenos desconhecidos e/ou potencialmente patogenicos fora do organismo. Entre esses anticorpos, o mais abundante ‚ uma IgA polimerica, denominada IgA secretora, que ‚ produzida por plasmócitos associados as mucosas e glandulas exocrinas. A sIgA possui uma estrutura capaz de resistir adegradação proteolitica de enzimas bacterianas e digestivas, o que a torna ideal para proteção do trato gastrointestinal. Na mucosa bucal a sIgA representa a mais importante barreira imunol¢gica, impedindo a aderencia e a penetração de microorganismos, sendo utilizada como parametro do status imunologico dessa mucosa. Objetivo: Realizar uma revisão de literatura a respeito da imunoglobulina A secretora liberada na saliva, enfocando sua formação, secreção e as principais funções imunológicas na proteção da mucosa bucal. Conclusão: A imunoglobulina A secretora possui ótimas caracteristicas para a proteção da mucosa bucal, atribuidas a sua estrutura e ação especifica e inespecifica. Os resultados de estudos clinico/laboratoriais associados a sua grande quantidade salivar, sugerem uma participação relevante da sIgA nos processos etiológicos e fisiopatológicos de lesões na mucosa bucal, evidenciando a necessidade de uma maior atenção as funções dessa imunoglobulina em estudos posteriores.


Introduction: Mucosa surfaces are in direct contact with the external environment, being exposed to a great variety of antigens. These surfaces have relative vulnerability and the secretion of antibodies by the mucosal immune system is the main defense mechanism, maintaining unknown and/or potentially pathogenic antigens out of the organism. Among these antibodies, the most abundant is a polymeric IgA, denominated secretory immunoglobulin A (sIgA), which is produced by plasmocytes associated with mucosas and exocrine glandules. A sIgA has a structure capable of resisting to the proteolytic degradation of bacterial and digestive enzymes, which makes it ideal for protecting the gastrointestinal tract. In the oral mucosa, sIgA represents the most important immunological barrier, impeding the adherence and penetration of microorganisms and being used as a parameter of immunological status of the mucosa. Objective: This paper presents a literature review on the sIgA released in the saliva, focusing on its formation, secretion and the main immunological functions on the protection of the oral mucosa. Conclusion: sIgA has excellent characteristics for protecting the oral mucosa, which are attributed to its structure and specific and unspecific actions. The results of clinical/laboratorial studies associated with its great amount in the saliva suggest a relevant participation of sIgA in the etiologic and physiopathological processes of oral mucosa injuries, demonstrating the necessity of a greater attention to the functions of this immunoglobulin in further studies.


Assuntos
Imunoglobulina A Secretora , Imunoglobulina A/imunologia , Sistemas de Secreção Bacterianos/imunologia
5.
Rev. ciênc. méd. biol ; 7(3): 294-300, set.-dez. 2008. tab
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-545797

RESUMO

Pacientes pediátricos imunodeprimidos, ou seja, aqueles que não têm a capacidade de responder adequadamente a um estímulo antigênico, estão mais sujeitos a desenvolver infecções oportunistas, tais como as infecções fúngicas. Dentre elas, pode-se citar a candidíase bucal, causada pelas Candida spp, comumente encontrada em crianças infectadas pelo HIV. Este trabalho teve como objetivo realizar uma revisão da literatura sobre a relação entre imunoglobulinas salivares, que constituem o principal agente na linha de defesa da mucosa bucal, com as Candida spp em pacientes pediátricos infectados pelo HIV, ressaltando a importância desses anticorpos.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Criança , Síndrome de Imunodeficiência Adquirida , Candidíase Bucal , Criança , HIV , Imunoglobulina A , Infecções Oportunistas
6.
Periodontia ; 17(03): 30-34, set.2007.
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-853458

RESUMO

A doença periodontal é uma entidade infecciosa com resposta inflamatória crônica. Tem início com uma inflamação no periodonto de proteção e pode evoluir para a destruição dos ossos e tecidos de suporte. A imunoglobulina A (IgA) atua como anticorpo neutralizante em membranas secretoras, prevenindo a adesão de bactérias ou de toxinas às células epiteliais, funcionando como importante barreira na instalação do processo infeccioso. Essa revisão pretendeu avaliar a relação entre a concentração salivar de IgA e o aparecimento e desenvolvimento de doenças periodontais.


Assuntos
Sistema Imunitário , Imunoglobulina A , Doenças Periodontais
7.
Periodontia ; 17(3): 30-34, set. 2007.
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-524090

RESUMO

A doença periodontal é uma entidade infecciosa com resposta inflamatória crônica. Tem início com uma inflamação no periodonto de proteção e pode evoluir para a destruição dos ossos e tecidos de suporte. A imunoglobulina A (IgA) atua como anticorpo neutralizante em membranas secretoras, prevenindo a adesão de bactérias ou de toxinas às células epiteliais, funcionando como importante barreira na instalação do processo infeccioso. Essa revisão pretendeu avaliar a relação entre a concentração salivar de IgA e o aparecimento e desenvolvimento de doenças periodontais.


Assuntos
Sistema Imunitário , Imunoglobulina A , Doenças Periodontais
8.
Rev. Assoc. Paul. Cir. Dent ; 60(4): 324-327, jul.-ago. 2006. ilus
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-539280

RESUMO

Fungos do gênero Candida fazem parte da microbiota bucal nos seres humanos caracterizados pelo oportunismo. Podem tornar-se patológicos quando os mecanismos de defesa do hospedeiro estão comprometidos, como nos indivíduos imunossuprimidos, portadores de endocrinopatias (principalmente diabete melito) e estressados. Condições sistêmicas como má nutrição, antibioticoterapia, quimioterapia e corticoterapia, também predispõem o organismo a esta infecção. A alcalinização do pH bucal e uso de medicamentos antifúngicos são condutas efetivas, freqüentemente adotadas no tratamento e controle da afecção.


Fungi of the genus Candida are part of the human oral microbiota and are opportunistic microorganisms. These fungi can become pathologic when the defense mechanisms of the host are compromised as occurs in immunosuppressed individuals, patients with endocrinopathies (mainly diabetes mellitus) and individuals who are under stress. Systemic conditions such as malnutrition, antibiotic therapy, chemotherapy and corticosteroid therapy also predispose the organism to this infection. Alkalinization of oral pH and antifungal drugs are effective therapeutic approaches that are frequently adopted in the treatment and control of this disease.


Assuntos
Humanos , Candida albicans , Candidíase Bucal , Diabetes Mellitus , Tratamento Farmacológico , HIV , Imunoglobulina A , Salivação
10.
Rev. odontol. Univ. Säo Paulo ; 13(3): 211-7, jul.-set. 1999. ilus, tab
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-256059

RESUMO

A cárie dentária é uma doença infecciosa crônica que necessita pelo menos quatro componentes para desenvolver-se: hospedeiro suscetível, microbiota patogênica, dieta rica em sacarose e tempo. Este trabalho estuda as correlaçöes existentes entre estreptococos salivares do grupo mutans, placa bacteriana e anticorpos IgA anti-Streptococcus mutans em crianças com e sem experiência de cárie. Para tanto, utilizou-se o meio Mitis Salivarius (DIFCO) para determinar o número de Unidades Formadoras de Colônias (UFC/ml), o Indice de Higiene Oral Simplificado (IHOS) para mensurar a quantidade de placa bacteriana e a técnica ELISA para detectar anticorpos anti-S. mutans. Os resultados obtidos mostraram que näo existe uma correlaçäo entre os níveis salivares de estreptococos (UFC/ml) e IgA anti-S. mutans na populaçäo estudada. No grupo com cárie, uma correlaçäo positiva, estatisticamente, foi observada entre o Indice de placa e IgA específica


Assuntos
Criança , Cárie Dentária , Imunoglobulina A , Streptococcus mutans
11.
Rev. odontol. Univ. Säo Paulo ; 12(2): 129-36, abr.-jun. 1998.
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-222426

RESUMO

Amostras de saliva total estimulada e dos níveis salivares de estreptococos mutans e de lactobacilos foram obtidas de 40 crianças para a quantificaçäo da IgA-S pela técnica de imunodifusäo radial simples. Os resultados revelaram que as concentraçöes da imunoglobulina apresentam correlaçäo positiva estatisticamente significante no nível de 5 por cento com os níveis salivares de lactobacilos para as crianças com índices CPO-S e ceo-s iguais a 0


Assuntos
Criança , Humanos , Masculino , Feminino , Cárie Dentária , Imunoglobulina A , Lactobacillus , Característica Quantitativa Herdável , Saliva , Streptococcus mutans , Patologia Bucal
12.
Periodontia ; 4(1): 185-90, jan.-jun. 1995. ilus
Artigo em Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-853557

RESUMO

Foi realizado tratamento periodontal integrado em uma adolescente de 12 anos de idade, portadora da Síndrome de Papillo-Lefèvre, a qual é caracterizada por hiperqueratose das palmas das mãos e planta dos pés, além de periodontite de estabelecimento precoce e rápida progressão que leva à perda prematura dos dentes decíduos e permanentes. Após os exames clínico, radiográfico, microbiológico e imunológico, que confirmaram o diagnóstico definitivo, foram realizadas as exodontias dos dentes condenados, seguidas do tratamento periodontal composto pela motivação quanto a uma técnica adequada de higiene bucal e raspagem, aplainamento, alisamento e polimento dos dentes remanescentes, com antibioticoterapia complementar. Diante dos resultados clínicos e microbiológicos bastantes satisfatórios, observados na fase de controle e manutenção periódicos, procedeu-se a reabilitação bucal que devolveu o equilíbrio oclusal necessário para o desenvolvimento e funcionamento adequado do aparelho estomatognático, bem como integrou a paciente física e psicologicamente no seu meio social


Assuntos
Humanos , Feminino , Criança , Doenças Periodontais/diagnóstico , Doenças Periodontais/terapia , Manifestações Bucais , Periodontite/terapia , Perda de Dente , , Imunoglobulina A , Monoaminoxidase , Perda do Osso Alveolar , Periodontite/genética
13.
Rev. Fac. Odontol. Bauru ; 1(1/4): 18-21, jan.-dez. 1993. tab
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-179785

RESUMO

O portador jovem de diabetes mellitus insulino-dependente (DMID), apesar da restriçäo alimentar, tem a mesma suscetibilidade à cárie dos indivíduos normais, o que pode ser em parte atribuído à reduçäo do fluxo salivar, mas näo à secreçäo deficiente de imunoglobulinas na saliva


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Criança , Adolescente , Adulto , Cárie Dentária/epidemiologia , Diabetes Mellitus Tipo 1 , Imunoglobulinas/análise , Saliva/imunologia , Diabetes Mellitus Tipo 1/complicações , Índice CPO , Imunoglobulina A/análise , Imunoglobulina G/análise , Imunoglobulina M/análise , Salivação
14.
Säo Paulo; s.n; 1993. 89 p. ilus, tab.
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-138495

RESUMO

A infecçäo pelo vírus HIV induz profundas alteraçöes no sistema imune do hospedeiro, incluindo perda dos linfócitos T CD4+, supressäo das respostas a antígenos T-dependentes e ativaçäo anormal dos linfócitos B. Diversas entidades patológicas säo observadas durante o curso da infecçäo por este vírus, sendo que algumas destas, como a doença periodontal inflamatória (DPI), apresentam alto grau de morbidade. Alguns estudos clínicos e microbiológicos demonstram importantes diferenças entre a gengivite-HIV e a gengivite inespecífica (pacientes HIV-negativos), embora a nível histopatológico näo exista nenhum estudo comparativo entre elas. O objetivo deste trabalho foi avaliar quantitativamente o número de linfócitos T, linfócitos T "auxiliares", linfócitos B, macrófagos, células de Langerhans, neutrófilos, plasmócitos secretores de IgG, IgM, IgE e IgA na gengivite-HIV comparado com a gengivite inespecífica. Esta avaliaçäo foi baseada na identificaçäo imunohistoquímica pela Técnica da Streptavidina-Biotina dos seguintes antígenos: CD3 (linfócitos T), OPD4 (linfócitos T "auxiliares"), CD20 (linfócitos B), CD68 (macrófagos), S-100 (células de Langerhans), elastase (neutrófilos), IgG, IgM, IgE e IgA (plasmócitos secretores de IgG, IgM, IgE e IgA, respectivamente). Os resultados mostraram maior percentual de linfócitos T, linfócitos T "auxiliares" e macrófagos na gengivite inespecífica. O número de células intraepiteliais S-100 positivas ( células de Langerhans) por campo foi maior também na gengivite inespecífica comparado com a gengivite-HIV. A gengivite-HIV apresentou percentuais maiores de plasmócitos IgG positivos e neutrófilos em relaçäo à gengivite inespecífica. Estes resultados indicam que a severidade da DPI em pacientes HIV-positivos deve estar relacionada com a própria imunodepressäo celular presente na doença e enfatizam a importância dos linfócitos T na defesa do periodonto. Os dados encontrados sugerem também que a predominância de plasmócitos e neutrófilos no infiltrado inflamatório periodontal constitui um quadro mais compatível com lesäo destrutiva


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Gengivite/imunologia , Imunoglobulina A/química , Imunoglobulina A/imunologia , Imunoglobulina E/química , Imunoglobulina E/imunologia , Imunoglobulina G/química , Imunoglobulina G/imunologia , Imunoglobulina M/química , Imunoglobulina M/imunologia , Síndrome de Imunodeficiência Adquirida/imunologia , Neutrófilos/imunologia , Neutrófilos/química , Interações Hospedeiro-Parasita , Linfócitos T/química , Linfócitos T/imunologia
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA