Your browser doesn't support javascript.
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 4 de 4
Filtrar
Mais filtros










Filtros aplicados

Tipo de estudo
Intervalo de ano de publicação
1.
Bauru; s.n; 2014. 106 p. ilus, tab, graf.
Tese em Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-867115

RESUMO

Os carcinomas de cabeça e pescoço representam um problema na saúde pública, sendo a oitava causa no mundo de morte por câncer. A taxa de crescimento do tumor, o seu local de expansão, bem como a metástase das células cancerígenas depende muito da vascularização do tumor, sendo que esta é a responsável pelo fornecimento constante de nutrientes e de oxigênio para o crescimento tumoral. Sendo assim a angiogênese é considerada um processo essencial dentro do processo neoplásico. A avaliação dos vasos sanguíneos tumorais neoformados em carcinomas espinocelulares de boca, usando o anticorpo CD105, mostra um crescimento significativo da densidade microvascular. Baseado nestes, o objetivo do trabalho é avaliar através da imunoistoquímica a possível correlação de aumento no número de vasos sanguíneos correlacionando com diferentes grupos de processo inflamatório divididos em: pouco, moderado e intenso infiltrado inflamatório no front tumoral. Na literatura os autores de um modo geral correlacionam infiltrados inflamatórios e angiogênese, neste trabalho tentamos correlacionar se um maior ou menor infiltrado inflamatório tem influência nessa angiogênese. As lâminas foram avaliadas microscopicamente por dois profissionais de forma que eles não sabiam da classificação dada pelo outro e só quando ambos estavam em comum acordo essas lâminas foram classificadas. Para a análise estatística foi realizado a comparação múltipla entre os 03 grupos através da Análise de variância (comparação das três médias) e também o teste de Tukey, onde se observou diferença entre os grupos I e III e nos grupos II e III, porém entre os grupos I e II não houve diferença significativa. Com isso os resultados nos mostram uma correlação positiva entre a presença de maior quantidade de vasos sanguíneos, onde se encontra maior quantidade de infiltrado inflamatório, quando comparado com áreas de menor infiltrado inflamatório.


Carcinomas of the head and neck represent a public health problem, being the eighth leading cause of worldwide cancer deaths. The growth rate of the tumor, its location expansion and metastasis of cancer cells depends greatly on tumor vascularity, and this is responsible for the constant supply of oxygen and nutrients for tumor growth. Thus angiogenesis is considered an essential process within the neoplastic process. The evaluation of newly formed tumor blood vessels in oral squamous cell carcinoma using the CD105 antibody, shows a significant increase in microvascular density. Based on these, the goal is to evaluate by immunohistochemistry the possible correlation of an increased number of blood vessels correlate with different groups of inflammatory process divided into: minor, moderate and intense inflammatory infiltrate in the tumor front. In the literature, authors generally correlated angiogenesis and inflammatory infiltrates, in this work we try to correlate to a greater or lesser inflammatory infiltrate that affects angiogenesis. The slides were evaluated microscopically by two professionals so that they did not know the rating given by others and only when both were in agreement these slides were classified. For statistical analysis, the multiple comparisons between the three groups was performed by analysis of variance (comparison of three average) and also the Tukey test, where a difference was observed between groups I and III and groups II and III, but between groups I and II significativa.Com that there was no difference in the results show a positive correlation between the presence of a larger amount of blood vessels, where it is most inflammatory infiltrate when compared to areas of lesser amounts of inflammation.


Assuntos
Humanos , Carcinoma de Células Escamosas/patologia , Neoplasias Bucais/patologia , Neovascularização Patológica/patologia , Análise de Variância , Antígenos CD/análise , Biópsia , Imuno-Histoquímica , Biomarcadores Tumorais , Processos Neoplásicos , Receptores de Superfície Celular/análise
2.
Bauru; s.n; 2012. 117 p. ilus, tab, graf.
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-673693

RESUMO

O processo de diferenciação e ativação de osteoclastos, essencial para a manutenção da homeostasia do tecido ósseo e também envolvido na patogênese de diversas patologias caracterizadas pela atividade osteolítica, depende de um sistema central de controle que envolve a ligação das moléculas RANK/RANKL. Além do sistema RANK/RANKL, moléculas co-estimulatórias de osteoclastos, tais como os complexos DAP-12, TREM-2 e SIRP1, e FcR, OSCAR e PIR-A, também apresentam um papel importante na geração e ativação de osteoclastos. Entretanto, a possível contribuição de tais moléculas para a progressão da doença periodontal (DP) permanece desconhecida, assim como o possível impacto de citocinas na modulação de sua expressão no microambiente periodontal. Nosso objetivo foi investigar, por RealTimePCR, o padrão de expressão de moléculas co-estimulatórias de osteoclastos (DAP-12, TREM-2 e SIRP1, e FcR, OSCAR e PIR-A) na periodontite crônica em humanos, além de avaliar a cinética de expressão destas moléculas e a sua modulação por citocinas (TNF-, IFN-, IL-17 e IL-10) ao longo do curso da DP em camundongos em camundongos C57Bl/6 wild-type (WT) e geneticamente modificados (TNFp55KO, IFNKO, IL17KO, IL10KO. Nossos resultados demonstram que nas lesões periodontais crônicas a expressão de todas as moléculas co-estimulatórias de osteoclastos apresentaram-se significativamente aumentadas quando comparadas às amostras controle. Com relação à periodontite experimental, verificamos que todas as moléculas co-estimulatórias alvo apresentavam aumento em sua expressão após a indução de doença quando comparado aos controles. Nos camundongos para TNFp55KO, IFNKO e IL17KO, observamos uma redução na severidade da DP (reabsorção óssea e quantidade de células inflamatórias) e na expressão de moléculas co-estimulatórias, ao contrário do observado nos camundongos IL10KO. Entretanto, ao normalizarmos os níveis...


The osteoclast differentiation and activation are essential to bone tissue homeostasis and in the development of bone pathologies, which RANK/RANKL signaling molecules are the major osteoclastogenic factor. However, osteoclast co-stimulatory molecules, such as DAP-12, TREM-2, SIRP1, FcR, OSCAR and PIR-A, also present an important role in the osteoclastogenesis. However, the exact role and regulation of these molecules in human and mice periodontal diseases (PD) development have not completely known. Our aim was to investigate the pattern of osteoclast co-stimulatory expression (DAP-12, TREM-2, SIRP1, FcR, OSCAR and PIR-A) in human chronic periodontitis (CP), apart from analyze the kinetic of these molecules and their regulation by cytokines (TNF-, IFN-, IL-17 and IL-10) in the development of experimental periodontal disease in mice C57Bl/6 and knockout. Our results demonstrated that all osteoclast co-stimulatory molecules presented highly expressed in CP patients when compared with control. Similar results are presented about experimental PD, where all co-stimulatory molecules was presented highly expressed in infected mice when compared with control mice. We observed in TNFp55KO, IFNKO and IL17KO mice a decrease in PD scores and co-stimulatory molecules expression, the opposite of IL10KO mice. However, when we standardized the co-stimulatory molecules levels by the number of inflammatory cells, we found that TNF- and IL-17 are associated with increased expression of co-stimulatory molecules, while IFN- and IL-10 appear to negatively regulate the expression of such molecules. In conclusion, we demonstrated that osteoclast co-stimulatory molecules shown increased in human and experimental PD, and cytokines appear to modulate their expression by direct and indirect mechanisms, such as inflammatory cells migration to the PD infected tissue.


Assuntos
Humanos , Animais , Camundongos , Citocinas/metabolismo , Doenças Periodontais/patologia , Osteoclastos/patologia , Osteoprotegerina/farmacocinética , Receptores de Superfície Celular , Fatores de Tempo
3.
Bauru; s.n; 2012. 117 p. ilus, tab, graf.
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-866222

RESUMO

O processo de diferenciação e ativação de osteoclastos, essencial para a manutenção da homeostasia do tecido ósseo e também envolvido na patogênese de diversas patologias caracterizadas pela atividade osteolítica, depende de um sistema central de controle que envolve a ligação das moléculas RANK/RANKL. Além do sistema RANK/RANKL, moléculas co-estimulatórias de osteoclastos, tais como os complexos DAP-12, TREM-2 e SIRP1, e FcR, OSCAR e PIR-A, também apresentam um papel importante na geração e ativação de osteoclastos. Entretanto, a possível contribuição de tais moléculas para a progressão da doença periodontal (DP) permanece desconhecida, assim como o possível impacto de citocinas na modulação de sua expressão no microambiente periodontal. Nosso objetivo foi investigar, por RealTimePCR, o padrão de expressão de moléculas co-estimulatórias de osteoclastos (DAP-12, TREM-2 e SIRP1, e FcR, OSCAR e PIR-A) na periodontite crônica em humanos, além de avaliar a cinética de expressão destas moléculas e a sua modulação por citocinas (TNF-, IFN-, IL-17 e IL-10) ao longo do curso da DP em camundongos em camundongos C57Bl/6 wild-type (WT) e geneticamente modificados (TNFp55KO, IFNKO, IL17KO, IL10KO. Nossos resultados demonstram que nas lesões periodontais crônicas a expressão de todas as moléculas co-estimulatórias de osteoclastos apresentaram-se significativamente aumentadas quando comparadas às amostras controle. Com relação à periodontite experimental, verificamos que todas as moléculas co-estimulatórias alvo apresentavam aumento em sua expressão após a indução de doença quando comparado aos controles. Nos camundongos para TNFp55KO, IFNKO e IL17KO, observamos uma redução na severidade da DP (reabsorção óssea e quantidade de células inflamatórias) e na expressão de moléculas co-estimulatórias, ao contrário do observado nos camundongos IL10KO. Entretanto, ao normalizarmos os níveis...


The osteoclast differentiation and activation are essential to bone tissue homeostasis and in the development of bone pathologies, which RANK/RANKL signaling molecules are the major osteoclastogenic factor. However, osteoclast co-stimulatory molecules, such as DAP-12, TREM-2, SIRP1, FcR, OSCAR and PIR-A, also present an important role in the osteoclastogenesis. However, the exact role and regulation of these molecules in human and mice periodontal diseases (PD) development have not completely known. Our aim was to investigate the pattern of osteoclast co-stimulatory expression (DAP-12, TREM-2, SIRP1, FcR, OSCAR and PIR-A) in human chronic periodontitis (CP), apart from analyze the kinetic of these molecules and their regulation by cytokines (TNF-, IFN-, IL-17 and IL-10) in the development of experimental periodontal disease in mice C57Bl/6 and knockout. Our results demonstrated that all osteoclast co-stimulatory molecules presented highly expressed in CP patients when compared with control. Similar results are presented about experimental PD, where all co-stimulatory molecules was presented highly expressed in infected mice when compared with control mice. We observed in TNFp55KO, IFNKO and IL17KO mice a decrease in PD scores and co-stimulatory molecules expression, the opposite of IL10KO mice. However, when we standardized the co-stimulatory molecules levels by the number of inflammatory cells, we found that TNF- and IL-17 are associated with increased expression of co-stimulatory molecules, while IFN- and IL-10 appear to negatively regulate the expression of such molecules. In conclusion, we demonstrated that osteoclast co-stimulatory molecules shown increased in human and experimental PD, and cytokines appear to modulate their expression by direct and indirect mechanisms, such as inflammatory cells migration to the PD infected tissue.


Assuntos
Humanos , Animais , Camundongos , Citocinas/metabolismo , Doenças Periodontais/patologia , Osteoclastos/patologia , Osteoprotegerina/farmacocinética , Receptores de Superfície Celular , Fatores de Tempo
4.
RPG rev. pos-grad ; 14(3): 205-210, jul.-set. 2007. ilus, graf
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-529452

RESUMO

Bisfosfonatos são medicamentos que inibem a reabsorção óssea e são utilizados para o tratamento da osteoporose, interferindo na ação dos osteoclastos. O objetivo deste trabalho foi avaliar a influência do alendronato sódico durante a indução de periodontite em ratas com presença ou ausência de hormônios ovarianos. Foram utilizados 40 animais, com três meses, sendo que na metade deles foi realizada ovariectomia, e o restante foi falso-operado (sham). Aos quatro meses, as ratas sofreram indução de periodontite, através da inserção de fio de algodão ao redor dos segundos molares superiores. A partir de então, os grupos foram subdivididos em: tratado, que recebeu via oral 2 mg/kg/dia de alendronato, e controle, que recebeu o mesmo volume de água filtrada, diariamente. Após cinco semanas de tratamento, os animais foram sacrificados, e as maxilas esquerdas radiografadas. Após as medidas radiográficas das distâncias entre o ápice da raiz e a ponta da cúspide; entre o ápice da raiz e o fundo do defeito e do ângulo entre esses dois segmentos, foi calculada a porcentagem de suporte ósseo da raiz distal do segundo molar. As medidas foram tomadas três vezes e as médias, submetidas à ANOVA, (p< 5%). Não houve diferença significante entre os valores de suporte ósseo dos grupos, porém os animais que receberam alendronato tiveram valores numericamente maiores que aqueles que receberam placebo. Não houve diferença entre os animais ovariectomizados ou não. Concluiu-se que o alendronato não inibiu significantemente a perda óssea alveolar induzida nos animais, com presença ou ausência de hormônios ovarianos.


Assuntos
Animais , Ratos , Alendronato , Osteoporose , Periodontite , Perda do Osso Alveolar , Análise de Variância , Hormônios , Maxila , Ovário , Receptores de Superfície Celular
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA