Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 3 de 3
Filtrar
Mais filtros










Filtros aplicados

Tipo de estudo
Intervalo de ano de publicação
1.
Rev. Assoc. Paul. Cir. Dent ; 58(1): 425-428, jan.-fev. 2004. ilus
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-393019

RESUMO

A fibromatose gengival, caracterizada pelo aumento dos tecidos gengivais, pode ser decorrente do uso de certos medicamentos. Dentre essas drogas, destacam-se fenitoína, bloqueadores de canais de cálcio e ciclosporina. O crescimento gengival poderá repercutir em alterações na erupção dentária, maior predisposição à cárie, xerostomia e dores na articulação temporomandibular. O diagnóstico é feito por meio do exame clínico e pelo histórico de uso das drogas predisponentes, sem subestimar o exame histopatológico. O tratamento consiste em profilaxia periódica e, em estágios mais críticos, gengivectomia. É importante que o cirurgião-dentista esteja habilitado a fazer o diagnóstico do processo e a motivar o paciente no que diz respeito à manutenção da higiene bucal, uma vez que a fibromatose gengival medicamentosa é intensificada pela presença de biofilme dentário


Assuntos
Anormalidades Induzidas por Medicamentos , Bloqueadores dos Canais de Cálcio , Ciclosporina , Fibromatose Gengival , Crescimento Excessivo da Gengiva , Fenitoína
2.
Rev. ABO nac ; 11(1): 28-32, fev.-mar. 2003. tab
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-351796

RESUMO

A utilizaçäo dos bloqueadores de canais de cálcio, para hipertensos e cardiopatas, tem provocado ocorrência de efeitos secundários, como a hiperplasia gengival. Este estudo teve como objetivo pesquisar a frequência das hiperplasias gengivais em pacientes que fazem uso de nifedipina. Foram atendidos quarenta e oito pacientes do Núcleo de Cardiologia do Hospital Universitário da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, dez edêntulos e trinta e oito dentados, destes 22 (57,9 por cento) foram näo-reativos e 16 (42,1 por cento)ativos, ocorrendo maior frequência no gênero masculino 14 (56 por cento) em relaçäo ao feminino 2 (15,4 por cento). Quanto à localizaçäo, a maior frequência foi na regiäo anterior inferior, sendo que em pacientes edêntulos näo foi observado nenhum reativo. Quanto ao tempo de utilizaçäo da medicaçäo, 10 dos pacientes, 8 homens e 2 mulheres apresentaram lesäo nos três primeiros meses de tratamento. No que diz respeito à frequência e a técnicas de higienizaçäo, näo houve diferença entre os dois grupos. Observou-se relaçäo direta entre à dosagem da droga e o desenvolvimento das lesöes, principalmente no gênero masculino e concluiu-se que há relaçäo direta entre o uso da nifedipina e a hiperplasia gengival


Assuntos
Masculino , Feminino , Bloqueadores dos Canais de Cálcio , Hiperplasia Gengival , Nifedipino
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA