Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 19 de 19
Filtrar
Mais filtros










Filtros aplicados

Tipo de estudo
Intervalo de ano de publicação
1.
Roplac ; 5(2): 11-22, jul. 2015. ilus
Artigo em Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-858932

RESUMO

A respiração bucal se caracteriza por uma obstrução das vias aéreas superiores que leva o paciente ao hábitode respirar pela boca. Como consequência, ocorre uma adaptação postural seguida por modificações nasarcadas dentárias e no crescimento facial, além de infecções e má oxigenação cerebral. O objetivo desse artigo foi apresentar os aspectos relacionados ao diagnóstico da respiração bucal e as competências da equipe multidisciplinar, com enfoque na odontologia/ortodontia. A revisão de literatura foi feita em resenhas e artigospublicados entre 1936 a 2015, livros e nos sítios eletrônicos Lilacs, Scielo, Cochrane, Medline, Pubmed e Bireme. Pôde-se concluir que é uma síndrome multifatorial e, para o êxito no seu diagnóstico, há necessidadede interação e atuação de profissionais especializados em diversas áreas, por isso o grande interesse das áreasmédica, odontológica e fonoaudiológica


Mouth breathing is characterized by an obstruction of the upper airway that leads the patient to the habit ofbreathing through the mouth. As a result, there is a postural adjustment, which is followed by changes indental arches and then the facial growth, infections and poor brain oxygenation. The purpose of this paper wasto present aspects related to the diagnosis of mouth breathing and the skills of a multidisciplinary team, with afocus on dentistry / orthodontics. The literature review was made in reviews and articles published between1936-2015, books and electronic sites Lilacs, SciELO, Cochrane, Medline, Pubmed and Bireme. It was concludedthat it is a multifactorial syndrome and for the successful diagnosis, it is necessary the interaction andproceeding of professionals specialized in different areas, therfore the great interest of the medical, dental andspeech areas


Assuntos
Humanos , Anormalidades Craniofaciais/etiologia , Deformidades Dentofaciais/diagnóstico , Diagnóstico Precoce , Obstrução Nasal/etiologia , Equipe de Assistência ao Paciente , Respiração Bucal/etnologia , Brasil , Radiografia/instrumentação , Tomografia por Raios X/instrumentação
2.
Full dent. sci ; 5(17): 59-66, jan. 2014. ilus
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-706297

RESUMO

A reabilitação de áreas edântulas sempre foi um desafio para os profissionais, em especial a posterior de maxila, pela pneumatização dos seios maxilares. Uma das complicações durante os procedimentos de levantamento sinusal são as perfurações da membrana. A fibrina rica em plaquetas (PRF), um concentrado de fatores de crescimento obtido a partir da centrifugação do sangue do paciente, tem a propriedade de acelerar o processo cicatricial, reparar as perfurações na membrana schneideriana e funcionar como material de preenchimento. O objetivo do presente estudo foi revisar a literatura e relatar um caso de selamento de perfuração de membrana sinusal utilizando membrana de fibrina (PRF) associada … hidroxiapatita bovina


Rehabilitation of edentulous areas has always been a challenge for dentists, especially on the posterior maxilla due to the pneumatization of the maxillary sinus. One of the complications during sinus lifting procedures is perforation of the membrane. The platelet-rich fibrin (PRF) is a complex of growth factors obtained from centrifuging the patient’s blood. It has the ability to accelerate the healing process and repair damages in the Schneiderian membrane, therefore, functioning as a filling material. The aim of this study was to perform a literature review and report a clinical case of sealing membrane perforation using PRF associated with bovine hydroxyapatite


Assuntos
Humanos , Masculino , Adulto , Materiais Biocompatíveis , Fibrina/uso terapêutico , Implantação Dentária , Transplante Ósseo , Sangue , Tomografia por Raios X/métodos , Tomografia por Raios X
3.
Full dent. sci ; 5(17): 30-35, jan. 2014. ilus, tab
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-874835

RESUMO

O osso humano é um tecido de alta mutabilidade. Quando a reabsorção ósseo-alveolar apresenta um nível elevado, a reabilitação oral é prejudicada, principalmente no caso das reabilitações por implantes osseointegrados. Nesse sentido, os enxertos ósseos em bloco passaram a ser utilizados na reconstrução óssea, podendo esses ser autógenos, alógenos, xenógenos ou aloplásticos. Apesar de osso autógeno ser considerado padrão-ouro, uma série de contratempos, como presença de segundo leito cirúrgico e maior dor pós-operatória, levou a busca de uma alternativa nos enxertos alógenos. O objetivo desse estudo foi avaliar o ganho ósseo (GO) e a reabsorção do bloco enxertado (RB) após a utilização de enxertos homógenos para reconstrução óssea maxilar, bem como a relação destes com idade, tipo de tecido enxertado (TE) e espessura inicial de rebordo (EI). Utilizou-se 34 enxertos ósseos homógenos para reconstrução óssea em 24 pacientes, de modo que, na tomografia do pós-operatório de seis meses, foram analisadas as medidas de EI, GO, espessura óssea final (EF) e RB. Não se observou nenhuma reabsorção ou incorporação total dos blocos. O valor médio de GO foi 4,42 ± 1,43 mm e o de RB foi 2,04 ± 1,48 mm. Dos 34 blocos, somente dois apresentaram EF menor que 5 mm. Os valores médios de GO e RB não mostraram diferença estatística quando relacionados à idade, TE ou EI. Concluiu-se que os enxertos ósseos alógenos são uma alternativa de alta previsibilidade para aumento de volume ósseo maxilar, não parecendo ter relação com EI, TE ou idade


The human bone is a tissue that presents high mutability. When the resorption of alveolar bone shows itself in high levels, oral rehabilitation becomes difficult, mainly in cases of rehabilitations with dental implants. For this purpose, bone blocks started to be used in bone reconstruction for rehabilitation. These blocks can be classified as autograft, allograft, xenograft or alloplastic. Even though bone autograft is considered gold-standard, some side effects, like necessity of a secondary surgery and higher level of post-operative pain, led to an alternative found in bone allografts. The aim of this study was to evaluate the bone gain (GO) and the resorption of the grafted block (RB) after grafting allograft bone for maxillary reconstruction, as well as their relation with age, type of grafted tissue (TE) and initial bone width (EI). Thirty-four allograft bones were grafted in 24 patients’ maxilla and, in the six months post-operative tomography, the values of EI, GO, final width of alveolar bone (EF) and RB were analyzed. Neither total resorption nor total incorporation of the blocks was observed. The mean value for GO was 4,42 ± 1,43 mm and the one for RB was 2.04 ± 1.48 mm. Out of the 34 allografts, only 2 showed EF lower than 5 mm. No significant difference was observed when the mean values for GO and RB were related to age, TE or EI. In conclusion, allografts are a highly predicable alternative for enhancing alveolar bone volume, and did not present relation with TE, EI or age


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Aumento do Rebordo Alveolar/métodos , Reabsorção Óssea/diagnóstico , Transplante Ósseo , Transplante Ósseo , Tomografia por Raios X/métodos
4.
São Paulo; s.n; 2013. 56 p. ilus, tab. (BR).
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-866720

RESUMO

Objetivo: Avaliar por meio da Tomografia Computadorizada singleslice, alterações nas estruturas do espaço mastigador, por disseminação loco-regional das neoplasias malignas originárias da loja tonsilar, trígono retromolar, seio maxilar e nasofaringe; correlacionar a presença de trismo com os achados tomográficos e dimensões do tumor. Material e métodos: foram selecionados prontuários de pacientes portadores de tumores malignos envolvendo as 4 regiões a serem estudadas, junto aos arquivos do Hospital Heliópolis. Foram excluídos os pacientes submetidos a terapêutica antineoplásica prévia ou com doenças inflamatórias ou infeciosas locais. Os prontuários foram revisados por um único examinador, onde foram coletadas informações relativas a idade, gênero, localização do tumor primário, tempo de evolução da doença, estadiamento do tumor e presença ou ausência de trismo. Após a administração do meio de contraste iodado, o protocolo de aquisição de imagens tomográficas foi de cortes axiais de 3mm de espessura, aquisições coronais foram feitas quando necessário. A análise das imagens foi feita por dois examinadores médicos, residentes do 3° de Radiologia médica, em momentos distintos, sem o conhecimento prévio das informações clínicas. Na avaliação do EM, os achados foram transcritos para uma planilha específica, considerando a presença ou ausência dos seguintes itens: simetria com o EM contralateral, obliteração do plano gorduroso, do trígono retromolar e do espaço faríngeo, edema e/ou atrofia dos músculos pterigoideos medial e lateral, destruição do ramo da mandíbula. Resultados:


O trismo esteve presente em 10 pacientes estudados. Na associação entre dimensão do tumor e trismo, observamos que 90% dos pacientes apresentam tamanho T4, enquanto essa porcentagem é de 43% nos pacientes sem trismo. Analisando-se em termos de razão de chances, verificou-se que pacientes com tumores T4 apresentam uma chance de trismo de 11,6 vezes maior que as demais dimensões (T0 a T3). As neoplasias da loja tonsilar e trígono retromolar perfizeram 95% das neoplasias avaliadas. Foram encontrados apenas 3 casos de neoplasia da nasofaringe, e em nenhum deles observamos a presença de trismo, e não foi encontrado nenhum caso de neoplasia de seio maxilar. Relacionando os achados tomográficos com o grupo de pacientes com trismo, observamos que 60% dos pacientes com trismo apresentaram edema e/ou atrofia dos músculos pterigoideos na TC, enquanto que essa porcentagem foi de 21,8% nos pacientes sem trismo. Em relação às dimensões do tumor e sua relação com os achados das imagens observamos associação apenas entre tumores T4 e detecção de edema e/ou atrofia dos músculos pterigoideos, neste item pacientes com edema e/ou atrofia dos músculos pterigoideos apresentam 5,4 vezes ais chance de apresentarem trismo. Conclusões: Observamos na TC as seguintes alterações no EM: obliteração do plano gorduroso em 69,2 % dos pacientes, assimetria em 27,7%, edema/atrofia em 26,2 % dos pacientes e destruição óssea em 20%. Os graus de concordância inter examinadores foram variáveis. Encontramos associação apenas entre pacientes com trismo e edema/atrofia dos músculos pterigoideos. Neste mesmo item foi observado associação com tumores de dimensão T4. Não encontramos associação do trismo com os demais itens avaliados na TC.


Objective: Evaluate by computed tomography (CT) singleslice changes in the structures of the masticator space, for loco-regional dissemination of malignancies originating in the tonsil, retromolar area, maxillary sinus and nasopharynx to correlate the CT findings with trismus and the tumor dimensions. Material and Methods: The medical records of patients with malignant tumors involving the four regions to be studied were selected from the archives of the Heliopolis Hospital. Patients submited previously to antineoplastic therapy or with local inflammatory or infectious diseases were excluded. The medical records were reviewed by a single examiner, where information was collected on age, gender, tumor location, disease evolution, tumor stage, and the presence or absence of trismus. After administration of iodinated contrast media, the protocol the image acquisition was axial slices 3mm, coronal acquisitions were made when necessary. The image analysis of the MS by two medical examiner residents in their 3rd year of Medical Radiology, at distinct moments , without prior knowledge of the clinical information. In the evaluation of the MS, the findings were transcribed to a specific worksheet, considering the presence or absence of the following items: symmetry with the contralateral MS, obliteration of the fat plane of the retromolar trigone and the pharyngeal space, edema, and/or the atrophy of the medial and lateral pterygoid muscles, and destruction of the mandibular ramus. Results: According to the adopted criteria for trismus in this study, the presence of trismus was observed in 10 patients. The association between tumor size and trismus shows that 90% of patients present size T4, while this percentage is 43% in patients without trismus. Analyzing in terms of odds ratios, the study showed that patients with T4 sized tumors had a chance of developing trismus 11.6 times greater than patients with T0 to T3 sized tumors.


The neoplasms of tonsillar crypts and retromolar trigone aggregated 95% of the neoplasms evaluated. Only 5% of the cases accounted for neoplasms of nasopharynx, in which none of them presented the existence of trismus. No cases of neoplasm of maxillary sinus was found. Correlating the CT findings with the group of patients with trismus, the observation was made that 60% of patients with trismus showed edema and/or pterygoid muscle atrophy on CT, whereas this percentage was 21.8% in patients without trismus. Regarding the dimensions of the tumor and its relationship with the image findings, the detection of edema and/or atrophy of the pterygoid muscles was observed only...


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Neoplasias Maxilares , Neoplasias de Cabeça e Pescoço/complicações , Tomografia por Raios X , Trismo/complicações
5.
São Paulo; s.n; 2012. 81 p. ilus, tab. (BR).
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-682235

RESUMO

A proposta do presente estudo foi determinar a presença e a localização do canal incisivo da mandíbula (CIM) e da foramina lingual (FL). Foram avaliados exames de tomografia computadorizada volumétrica (TCV) de 182 pacientes com faixa etária entre 15 e 87 anos e média de idade de 55,9 anos (DP±13,6). A visibilidade do CIM foi determinada e mensurações da distância do CIM à superfície externa das corticais ósseas vestibular, lingual e da base da mandíbula foram realizadas em seis diferentes cortes transaxiais. Também foram analisadas a visibilidade e o número de FLs presentes. O CIM foi observado em 128 (70,3%) pacientes, totalizando 58 (45,3%) do gênero masculino e 70 (54,7%) do gênero feminino. A correlação estatística mostrou que quando o CIM é visível no lado direito da mandíbula, há 5 vezes mais chances de o CIM do lado esquerdo também se apresentar visível. Não foi encontrada diferença estatística na visibilidade do CIM com relação ao gênero, à idade ou à condição dentária. Entretanto, na correlação de sua posição, o gênero feminino apresentou canais mais próximos das corticais ósseas vestibular e da base da mandíbula, e o grupo dentado apresentou canais mais curtos (p<0,05). Dos 182 pacientes, 174 (95,6%) possuíam pelo menos uma FL. Uma foramina foi identificada em 116 (66,7%) casos, duas foraminas foram identificadas em 56 (32,2%) casos e três foram identificadas em somente 2 (1,1%) casos. Pacientes mais jovens apresentaram foraminas horizontais e inferiores mais visíveis. A foramina superior no gênero masculino tem maior altura lingual e tem sua origem mais distante das corticais vestibular e lingual (p<0,05). A foramina inferior é mais longa no gênero masculino e tem sua origem mais distante das corticais ósseas vestibular, lingual e da base da mandíbula (p<0,05). Imagens de TCV permitem alta visibilidade do canal incisivo da mandíbula (70,3%) e da foramina lingual (95,6%). A grande variação dos resultados obtidos demonstram que não é possível se determinar a localização exata do CIM e da FL, sendo necessária a avaliação de cada caso individualmente.


The purpose of the present study was to determine the presence and the location of the incisive mandibular canal and the lingual foramina. Cone beam computed tomography images from 182 patients with a mean age of 55,9 years (SD±13,6) and a range of 15-87 years were evaluated. The visibility of the incisive mandibular canal was determined and measurements of the distance from of the incisive mandibular canal to the buccal, lingual and lower border of the mandible were recorded in six different cross-sectional images. The visibility and the number of lingual foramina were also analyzed. The incisive mandibular canal was observed in 128 (70,3%) subjects, accounting 58 (45,3%) for males and 70 (54,7%) for females. Statistical correlation showed that when the incisive mandibular canal was visible on the right side of the mandible, the left side had five times the chances of presenting it as well. No significant difference was found in visibility for sex, age or dental status. However, according to its position, females presented canals closer to the buccal and lower border of the mandible, and the dentate group had shorter incisive mandibular canals. From the 182 subjects, 174 (95,6%) had at least one lingual foramina. One foramina was identified in 116 (66,7%) cases, two foraminas were identified in 56 (32,2%) cases and three foramina were identified in only 2 (1,1%) cases. Statistical correlation showed that younger subjects have more visible horizontal foramina. Superior foramina in males had longer lingual height and had their origin more distant from the buccal and lingual borders (p<0,05). Inferior foramina in males were longer and had their origin more distant from the buccal, lingual and lower border of the mandible (p<0,05). Cone beam computed tomography images allow high visibility of the incisive mandibular canal (70,3%) and the lingual foramina (95,6%). The large variation of the results shows that it is not possible to determine the exact location of the incisive mandibular canal and the lingual foramina, and that each case should be evaluated individually.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adolescente , Adulto , Idoso de 80 Anos ou mais , Anatomia , Língua/anatomia & histologia , Mandíbula/anatomia & histologia , Tomografia por Raios X/métodos
6.
ImplantNews ; 05(01): 83-87, Jan/Fev.2008. ilus, graf
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-850919

RESUMO

Estudo realizado em 25 pacientes do gênero feminino com idade média de 60 anos, com mais de cinco anos de pós-menopausa. Utilizou-se para análise, o T-score do colo do fêmur e da coluna vertebral (L2-L4), obtido pela densitometria óssea e comparou-se com a média dos valores de densidade óptica da mandíbula, nos cortes coronais da tomografia computadorizada, passando pelo forame mentual, abaixo do canal mandibular, na região de interesse (ROI). Resultado: observou-se que existe correlação entre as duas medidas, pelo índice de correlação linear de Pearson, onde explica que 49,9% das pacientes que apresentam baixo T-score da coluna também apresentam baixa densidade na mandíbula e 39,3% das pacientes que apresentam baixo T-score no colo do fêmur também apresentam baixa densidade na mandíbula. Conclusão: Existe correlação, estatisticamente significante, entre o T-score do colo do fêmur e da coluna vertebral L2-L4, e a média da densidade óptica da mandíbula na região de interesse da tomografia computadorizada.


Assuntos
Pessoa de Meia-Idade , Humanos , Feminino , Densidade Óssea , Fêmur , Mandíbula , Coluna Vertebral , Densitometria , Tomografia por Raios X
7.
ImplantNews ; 5(1): 83-87, jan.-fev. 2008. ilus, graf
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-495455

RESUMO

Estudo realizado em 25 pacientes do gênero feminino com idade média de 60 anos, com mais de cinco anos de pós-menopausa. Utilizou-se para análise, o T-score do colo do fêmur e da coluna vertebral (L2-L4), obtido pela densitometria óssea e comparou-se com a média dos valores de densidade óptica da mandíbula, nos cortes coronais da tomografia computadorizada, passando pelo forame mentual, abaixo do canal mandibular, na região de interesse (ROI). Resultado: observou-se que existe correlação entre as duas medidas, pelo índice de correlação linear de Pearson, onde explica que 49,9% das pacientes que apresentam baixo T-score da coluna também apresentam baixa densidade na mandíbula e 39,3% das pacientes que apresentam baixo T-score no colo do fêmur também apresentam baixa densidade na mandíbula. Conclusão: Existe correlação, estatisticamente significante, entre o T-score do colo do fêmur e da coluna vertebral L2-L4, e a média da densidade óptica da mandíbula na região de interesse da tomografia computadorizada.


Assuntos
Humanos , Feminino , Pessoa de Meia-Idade , Densidade Óssea , Fêmur , Mandíbula , Coluna Vertebral , Densitometria , Tomografia por Raios X
8.
Araçatuba; s.n; 2007. 101 p. graf, tab, ilus.
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-525383

RESUMO

O presente trabalho avaliou a capacidade da microtomografia de raios-X (XMT) laboratorial e síncrotron para mensurar coeficientes de absorção linear em escala micrométrica em estudos in vitro utilizando dentes bovinos e ciclagem de pH. Sendo assim, este estudo foi desenvolvido em cinco manuscritos, com os seguintes objetivos: traçar parâmetros e determinar um protocolo para a quantificação do conteúdo mineral de esmalte bovino utilizando XMT laboratorial e síncrotron; analisar a estrutura da junção amelo-dentinária em incisivos bovinos utilizando XMT síncrotron; determinar o potencial anti-cárie do fosfato de cálcio amorfo (ACP) presente em selantes de fóssulas e fissuras, utilizando dentes bovinos, ciclagem de pH, microdureza de superfície e XMT síncrotron; e avaliar, através de análise de microdureza de superfície e XMT síncrotron, a capacidade de uma pasta contendo CPP-ACP para ativar a remineralização do esmalte dental. Os resultados obtidos mostram que: a XMT propiciou a determinação da quantidade mineral com uma precisão mais adequada, sendo a melhor resolução espacial obtida através da luz síncrotron; a junção amelo-dentinária apresentou-se menos mineralizada que a dentina ou esmalte; o fosfato de cálcio amorfo presente nos materiais testados não foi capaz de inibir a desmineralização ou ativar a remineralização do esmalte bovino, em ciclagem de pH, tanto quanto os íons flúor. Conclui-se que a XMT é capaz de determinar pequenas alterações na mineralização do dente bovino após ciclagem de pH.


Assuntos
Fosfatos de Cálcio , Bovinos , Técnicas In Vitro , Selantes de Fossas e Fissuras , Tomografia por Raios X , Dente , Cremes Dentais
9.
Rev. ABRO ; 6(2): 27-31, jun. -dez. 2005. ilus, tab
Artigo em Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-855415

RESUMO

O tratamento com implantes inclui, no planejamento pré-cirurgico, a avaliação radiográfica do tecido ósseo remanescente. Nessa análise, pe recomendada a utilização de imagens sagitais do local de interesse. O objetivo deste estudo foi avaliar a solicitação de exames radiográficos nesses casos em uma cidade de médio porte do interior do Estado de São Paulo. Para isso, foram analisadas as solicitações de radiografias relacionadas ao planejamento de implantes em clínicas de radiologia durante quatro meses. Para esse planejamento 82,1 porcento dos profissionais solicitaram apenas a radiografia panorâmica : a tomografia convencional e a tomografia computadorizada foram utilizadas em 13,2 porcento e 4,7 porcento, respectivamente. Dessa forma, é possível concluir que a radiografia panorâmica foi o exame mais utilizado na avaliação de pacientes que receberão implantes


Assuntos
Implantação Dentária Endo-Óssea , Planejamento de Prótese Dentária/tendências , Implantes Dentários/tendências , Tomografia por Raios X , Tomografia Computadorizada por Raios X
10.
Rev. ABRO ; 5(2): 63-66, 2004. tab
Artigo em Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-855390

RESUMO

Os autores apresentam os aspectos associados ao planejamento radiográfico para estudo de implantes em Odontologia. As técnicas radiográficas são descritas, anasilando-se o uso, vantagens e desvantagens. Concluíram que os exames ideais são tomografia convencional para 1 a 7 implantes e tomografia computadorizada para 8 ou mais implantes, bem como demonstram que análises de densidade óssea podem ser alcançadas por métodos comparativos ou numéricos utilizando-se a escala de Hounsfield


Assuntos
Implantes Dentários , Planejamento , Tomografia por Raios X , Tomografia Computadorizada por Raios X
11.
Rev. ABRO ; 5(1): 1-3, 2004. ilus
Artigo em Inglês | BBO - Odontologia | ID: biblio-855375

RESUMO

A case of an interradicular path of the mandibular canal of a 49-year-old female patient is presented. She reported paresthesia of the lower lip on the left side, associated with discomfort related to the lower third molar on the left. Panoramic radiography revealed narrowing and curving of the mandibular canal, when its image was superimposed over the image of the roots of this visibly rotated tooth. We emphasize that such uncommon characteristics have to be considered in the future as indicators of an interradicular path of the mandibular canal. Not only did the computerized tomography show the interradicular path of the mandibular canal, but also it registered its involvement by covergent dental roots. This condition had not been suspected from the panoramic image. Thus, this case stresses once again the complementary value of the different imaging examination methods


Assuntos
Humanos , Feminino , Pessoa de Meia-Idade , Mandíbula , Radiografia Panorâmica , Tomografia por Raios X , Tomografia Computadorizada por Raios X
12.
Ortodontia ; 36(2): 39-54, maio-ago. 2003. ilus, graf
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-542734

RESUMO

Neste trabalho verificamos a relação entre as más-oclusões e a posição do côndilo na fossa mandibular por meio de tomografias lineares da ATM. Foram utilizadas 130 tomografias lineares da ATM do arquivo de pacientes adultos de uma clínica particular de Ortodontia, com sua respectiva documentação ortodôntica para análise das características da má-oclusão, da sobremordida e da sobressaliência. Com o gabarito da FOP UNICAMP preconizado por Pereira (1997), obtivemos as medidas lineares dos espaços articulares anterior, posterior e superior de cada ATM. Após análise estatística, concluiu-se que existe variações na posição do côndilo na fossa mandibular nos diferentes grupos de más-oclusões, sobremordida e sobressaliência. Nos casos de classe I, houve maior proporção para posição concêntrica do côndilo, enquanto que para os casos de classe II divisão 2ª houve maior proporção para o deslocamento posterior do côndilo. Com relação a sobremordida e a sobressaliência, todos os grupos apresentaram maior proporção para deslocamento anterior do côndilo


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Côndilo Mandibular , Má Oclusão , Articulação Temporomandibular , Tomografia por Raios X
13.
RBP Rev. bras. implantodont. protese implant ; 10(37): 63-66, jan.-mar. 2003. ilus
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-366052

RESUMO

Este artigo apresenta técnicas para a confecção de um guia tomográfico que possibilitam a observação e a correlação do contorno da Posição Dentária Otima Final (PDOF) com o rebordo alveolar e a sua posterior utilização como guia cirúrgico.


Assuntos
Implantação Dentária , Planejamento , Radiografia , Tomografia por Raios X
14.
Rev. odonto ciênc ; 15(31): 125-141, dez. 2000. ilus, tab
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-308259

RESUMO

O objetivo deste studo foi avaliar a confiabilidade da tomografia linear realizada com o equipamento de raio-x Vera View Scope X-600 (MORITA Co.) e de um sistema de digitalizaçäo indireta desta imagem tomográfica (DentScan DentView - APICA Co.). A amostra consistiu em 20 hemimandíbulas humanas secas que foram radiografadas. A área selecionada para o exame foi a 1,5cm para distal do limite anterior do forame mental, tendo como requisito ser esta edentada. As tomografias foram digitalizadas e medidas através da escala do programa digital. Com o uso de um paquímetro eletrônico digital (STARRETT), foram realizadas mediçöes sobre as tomografias originais e as hemimandíbulas seccionadas na regiäo proposta para o exame. Foram comparados os valores obtidos nas mediçöes das tomografias com aqueles dos espécimes mandibulares, e os resultados demonstraram näo haver diferenças estatísticas significantes entre as mediçöes e as comparaçöes realizadas. A tomografia linear foi considerada um exame seguro, preciso e viável para a avaliaçäo de implantes na regiäo posterior de mandíbula. A sua digitalizaçäo pode ser utilizada como um recurso para melhorar o diagnóstico


Assuntos
Intensificação de Imagem Radiográfica , Radiografia , Reprodutibilidade dos Testes , Tomografia por Raios X
15.
Rev. Assoc. Paul. Cir. Dent ; 50(3): 218-28, maio-jun. 1996. ilus
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-872206

RESUMO

Aliada à informática, a imageologia está revolucionando a área odontológica. Mas o preço dos equipamentos e a complexidade na leitura dos exames ainda restringe essas tecnologias de ponta aos centros especializados, às universidades e àqueles cirurgiões-dentistas que dispõem de muito dinheiro para investir


Assuntos
Diagnóstico por Imagem/métodos , Diagnóstico por Imagem/tendências , Interpretação de Imagem Assistida por Computador , Radiografia , Radiografia Dentária , Tomografia , Tomografia por Raios X
16.
In. Barros, Joäo Jorge; Rode, Sigmar de Mello. Tratamento das disfunçöes craniomandibulares: ATM. Säo Paulo, Santos, 1995. p.129-51, ilus.
Monografia em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-229983
17.
Rev. odontol. Univ. Säo Paulo ; 2(4): 195-200, out.-dez. 1988. ilus, tab
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-133332

RESUMO

Análise radiográfica da regiäo têmporo-mandibular de 20 (vinte) pacientes, adultos, leucodermas, empregando as técnicas radiográficas transfacial, transcranial e tomográfica. No exame radiográfico do cöndilo mandinular os resultados obtidos demonstram que as técnicas transfacial, transcranial e tomográfica poderäo ser empregadas indiferentemente; no exame do espaço articular da ATM, as técnicas radiográficas transcranial e tomográfica, foram as que forneceram os melhores resultados; ao examinar a eminência articular do osso temporal, podemos empregar, indistintamente, as técnicas radiográficas transfacial, transcranial e tomográfica; podemos empregar as técnicas radiográficas transcranial e tomográfica, indistintamente, para o exame da fossa articular do osso temporal, nos limites anterior, posterior e superior; a técnica radiográfica de tomografia é aquela que nos fornece melhores resultados, nos exames realizados das estruturas que compöem a regiäo têmporo-mandibular


Assuntos
Humanos , Adolescente , Adulto , Articulação Temporomandibular , Tomografia por Raios X
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA