Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 20 de 23
Filtrar
Mais filtros










Filtros aplicados

Tipo de estudo
Intervalo de ano de publicação
1.
Rev. Ciênc. Plur ; 5(3): 40-53, 2019. tab
Artigo em Inglês | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-1047374

RESUMO

Introduction:The high incidence of school violence in the school environment is a worldwide problem at all levels, which is of concern as well as highly relevant to public health, as its impact on the development of children and adolescents can have serious physical, psychological and social consequences. , significantly affecting their lives. One form of violence that has been emphasized through academic studies is bullying, which means cruelty, intimidation and / or aggression.Objective:Aimed at verify the occurrence and correlation of bullying with the quality of life among adolescents. Methodology:The study followed the current ethical dictates. This is a cross-sectional, observational and analytical study. All elementary school institutions (n = 22) of a municipality of São Paulo, Brazil were visited. All students (n = 1,068) were invited to participate, but, only 382 consented. Results:Of the total, 3.7% said they always committed bullying; 21.2% reported being victims of peer intimidation; 11.3% said they had a quality of life neither good nor bad; 2.4% said their lives make no sense. According to the correlation tests between the VPAS and the WHOQOL-Bref., there was a significant correlation at the intersection of the direct aggression and relational aggression domains with the physical, psychological, social relationships and environment domainsof the WHOQOL-Bref. Conclusion:It is concluded that as bullying increases, the quality of life decreases (AU).


Introdução:A alta incidência de violência escolar é um problema mundial em todos os níveis, o que é preocupante, bem comoaltamente relevante para a saúde pública, pois seu impacto no desenvolvimento de crianças e adolescentes pode causar sérias consequências físicas, psicológicas e sociais, afetando significativamente suas vidas. Uma forma de violência que tem sido enfatizada por meio de estudos acadêmicos é o bullying, que significacrueldade, intimidação e/ou agressividade. Objetivo:Verificar a ocorrência e a correlação do bullying com a qualidade de vida de adolescentes. Metodologia:O estudo seguiu os ditames éticos atuais. Trata-se de um estudo transversal, observacional e analítico. Foram visitadas todas as instituições de ensino fundamental (n = 22) de um município do noroeste do estado de São Paulo, Brasil. Todos os alunos (n = 1.068) foram convidados a participar, mas, apenas 382 consentiram. Resultados:Do total, 3,7% disseram que sempre cometeram bullying; 21,2% afirmaram serem vítimas de intimidação de pares; 11,3% disseram ter uma qualidade de vida nem boa, nem má; 2,4% disseram que suas vidas não fazem sentido. De acordo com os testes de correlação entre o VPAS e o WHOQOL-Bref, houve correlação significativa na interseção dos domínios agressividade diretae agressividade relacional com os domínios físico, psicológico, relações sociais e meio ambiente do WHOQOL-Bref. Conclusão:Conclui-se que a medida que o bullying aumenta, a qualidade de vida diminui (AU).


Introducción:La alta incidencia de violencia escolar es un problema mundial en todos los niveles, lo cual es preocupante y muy relevante para la salud pública, ya que su impacto en el desarrollo de niños y adolescentes puede tener graves consecuencias físicas, psicológicas y sociales,afectando significativamente sus vidas. Una forma de violencia que se ha enfatizado a través de los estudios académicos es el acoso escolar, lo que significa crueldad, intimidación y agresión.Objetivo:El objetivo de este estudio fue comprobar la incidencia y la correlación entre el acoso escolar y la calidad de vida de los adolescentes. Metodología:Este estudio siguió los códigos de ética actuales. Se trata de un estudio transversal, observacional y analítico para el cual se realizó una visita a todas las instituciones de educación básica (n=22) de un municipio del noroeste del estado de São Paulo, Brasil. Se invitó a todos los alumnos (n=1.068) a participar, pero solo 382 aceptaron. Resultados:Del total, el 3.7% dijo siempre haber perpetrado acoso escolar; el 21.2% afirmó ser víctima de intimidación por parte de sus compañeros; el 11.3% dijo que su calidad de vida no era ni buena ni mala, y el 2.4% dijo sentir que su vida no tiene sentido. De acuerdo con los resultados de la VPAS y la WHOQOL-Bref, hubo una correlación significativa en la intersección de los ámbitos de agresividad directa y relacional y los ámbitos físicos, psicológicos, de relaciones sociales y del entorno de la WHOQOL-Bref.Conclusión:Se concluyó que, a medida que el acoso escolar aumenta, la calidad de vida disminuye (AU).


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Criança , Adolescente , Qualidade de Vida/psicologia , Violência , Comportamento do Adolescente/psicologia , Ensino Fundamental e Médio , Bullying/prevenção & controle , Brasil , Estudos Transversais/métodos
2.
Belo Horizonte; s.n; 2019. 86 p. ilus, mapas.
Tese em Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-1025869

RESUMO

O fenômeno da hiperespecialização tem provocado a fragmentação do saber que impacta negativamente nas relações de trabalho, o que diminui a colaboração e interação entre os profissionais. A modalidade de trabalho em equipe surge como estratégia para reduzir a incompletude dos saberes e relações horizontais. Um dos pontos mais importantes no atendimento do adolescente nas medidas socioeducativas é o trabalho em equipe, que visa responsabilizar e ressocializar o adolescente em conflito com a lei. Assim, esta pesquisa tem como objetivo analisar o trabalho em equipe, desenvolvido em uma unidade socioeducativa de internação localizada no município de Belo Horizonte/Minas Gerais, segundo a perspectiva da equipe multiprofissional. A população constituiu-se de profissionais de uma equipe que atuavam no referido centro há pelo menos um ano, sendo excluídos aqueles que se encontravam afastados do trabalho à época da coleta dos dados, uma de cada categoria profissional. Na presença de mais de um profissional por categoria, foi incluído aquele como maior tempo de atuação naquela equipe. Utilizou-se de entrevista como instrumento de coleta de dados composta por caso hipotético e um roteiro semiestruturado, ambos elaborados para este fim. O percurso analítico dos dados foi realizado por meio de análise de conteúdo segundo Graneheim e Lundman (2004). Participaram do estudo 07 profissionais da equipe multiprofissional, o que corresponde a 01 profissional de cada categoria que compõe a equipe conforme legislação: assistente jurídico, assistente social, dentista, enfermeiro, pedagogo, psicólogo e terapeuta ocupacional. Das entrevista emergiram 06 categorias quanto aos aspectos facilitadores do trabalho em equipe: conhecer o trabalho e o saber do outro, proximidade física, discussões em espaços formais, discurso coeso, equipe por afinidade e boa gestão. Quanto aos aspectos que dificultam o trabalham em equipe emergiram 04 categorias, a saber: ausência de diálogo, ausência de consenso, competência exclusiva por categoria e os impedimentos externos à atuação da equipe multiprofissional. Esta última, composta por quatro subcategorias: a ausência de reconhecimento, rotatividade dos profissionais e gestores, características dos adolescentes e a falta de recursos. Conclui-se que, apesar da equipe demonstrar compreender a importância do trabalho interdisciplinar e o desejo de trabalhar como equipe, a comunicação se dá pela lógica da transmissão de informações. Para além da percepção da equipe, identificamos que as normativas que orientam a execução da medida socioeducativa de internação apresentam uma compreensão reduzida do que seria o trabalho em equipe, orientando os profissionais a atuarem de forma isolada. A partir do referencial teórico adotado proposto por Peduzzi (2001) e West e Lyubovnikova (2012, 2013), verificamos que a equipe estuda assemelha-se a uma equipe agrupamento e se comporta como uma pseudoequipes. (AU)


The phenomenon of hyperspecialization has caused the fragmentation of knowledge that negatively impacts on work relationships, which decreases collaboration and interaction between professionals. Teamwork emerges as a strategy to reduce the incompleteness of knowledge and horizontal relationships. One of the most important points in adolescent care in socio-educational measures is teamwork, which aims to make responsible and resocialize adolescents in conflict with the law. Thus, this research aims to analyze teamwork, developed in a socio-educational unit of deprivation of liberty located in the city of Belo Horizonte / Minas Gerais, according to the perspective of the multiprofessional team. The population consisted of professionals from a team who had been working in the center for at least one year, excluding those who were away from work at the time of data collection, one from each professional category. In the presence of more than one professional per category, the one with the longest working time in that team was included. An interview was used as a data collection instrument composed of a hypothetical case and a semi-structured script, both designed for this purpose. The analytical course of the data was performed through content analysis according to Graneheim and Lundman (2004). Seven professionals from the multiprofessional team participated in the study, which corresponds to 01 professionals from each category that make up the team according to legislation: legal assistant, social worker, dentist, nurse, pedagogue, psychologist and occupational therapist. From the interviews, six categories emerged regarding the facilitating aspects of teamwork: knowing each other's work and knowledge, physical proximity, discussions in formal spaces, cohesive discourse, affinity team and good management. As for the aspects that make teamwork difficult, four categories emerged, namely: absence of dialogue, absence of consensus, exclusive competence by category, and external impediments to the performance of the multiprofessional team. The latter, composed of four subcategories: lack of recognition, turnover of professionals and managers, characteristics of adolescents and lack of resources. It is concluded that, although the team demonstrates to understand the importance of interdisciplinary work and the desire to work as a team, communication occurs through the logic of information transmission. Beyond the perception of the team, we identified that the norms that guide the execution of the socio-educational measure have a reduced understanding of what teamwork would be, guiding professionals to act in isolation. From the adopted theoretical framework proposed by Peduzzi (2001) and West and Lyubovnikova (2012, 2013), we find that the study team resembles a grouping team and behaves like a pseudo-team. (AU)


Assuntos
Equipe de Assistência ao Paciente , Prisões , Serviço Social , Defesa da Criança e do Adolescente , Adolescente Institucionalizado , Comportamento do Adolescente
3.
Belo Horizonte; s.n; 2018. 77 p. ilus, tab.
Tese em Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-965221

RESUMO

Introdução: Este estudo, realizado no ano de 2017, teve como objetivo verificar o ato infracional com ou sem violência praticado por adolescentes e fatores associados, do sexo masculino, institucionalizados em um Centro de Internação Provisória em município do Sudeste do Brasil. Métodos: Estudo transversal, quantitativo, realizado com uma amostra de 260 adolescentes, do sexo masculino, com idade entre 12 a 18 anos institucionalizados em um Centro de Internação Provisória de Minas Gerais. Os dados sociodemográficos do adolescente (idade e raça), comportamentais (consumo de álcool e drogas ilícitas, passagens anteriores pela instituição e envolvimento com tráfico de drogas) foram coletados dos prontuários da equipe Técnica e equipe de Segurança da instituição, relacionados aos adolescentes. A autopercepção do adolescente pela experiência vivida foi coletada por entrevistas, através da aplicação do Questionário sobre Traumas na Infância ­ QUESI ­ validado no Brasil em 2010 que abordava abuso emocional, físico e sexual. Análise descritiva foi realizada por frequência absoluta e relativa. Foram realizadas análises de associação através dos testes Qui-Quadrado, Qui-Quadrado de Tendência Linear (p<0,05) e Teste Exato de Fisher (p<0,05). Resultados: A média de idade foi de 16,5 (DP 1,07) anos. 136 adolescentes se declararam pardos (78,2%) e 175 (69,0%) já tinham passagem anterior pela instituição. Quanto ao comportamento, 160 adolescentes (85,0%) já haviam usado drogas ilícitas e 80 (44,0%) já tinham consumido álcool. O envolvimento com tráfico de drogas foi relatado por 65 adolescentes (41,1%). O desfecho ato infracional sem violência teve prevalência de 7,0% (N=18) e com violência 93,0% (N=242). Os tipos de ato infracional mais frequentes foram os seguintes: roubo (51,1%), tráfico de drogas (37,3%) e furto (3,08%). Adolescentes com consumo de álcool apresentaram maior prevalência de ato infracional com violência (p<0,044). Não houve associação entre o uso de drogas ilícitas, a idade do adolescente, a cor da pele, passagens anteriores pela instituição, envolvimento com o tráfico de drogas e o Ato Infracional com e sem violência. Conclusões: O estudo apontou que o ato infracional com ou sem violência praticado pelos adolescentes esteve associado ao consumo de álcool. Isso pode contribuir com informações para a elaboração de programas e projetos sociais voltados para o atendimento das demandas peculiares destes adolescentes, como também de suas famílias, principalmente criando estratégias de proteção e apoio ao cuidado com o adolescente.(AU)


Self-perception of violence experienced in childhood by adolescents suspected of infraction Introduction: This study, conducted in 2017, aimed to verify the infraction with or without violence practiced by adolescents and associated factors, male, institutionalized in a Provisional Internment Center in a municipality in the Southeast of Brazil. Methods: A cross - sectional, quantitative study was carried out with a sample of 260 male adolescents, aged between 12 and 18 years, institutionalized in a Provisional Internment Center of Minas Gerais. Adolescents' socio-demographic data (age and race), behavioral (alcohol consumption and illicit drugs, previous passages by the institution and involvement with drug trafficking) were collected from the records of the institution's Technical and Safety team, related to adolescents. The selfperception of the adolescent by the lived experience was collected through interviews, through the application of the Questionnaire on Traumas in Childhood - QUESI - validated in Brazil in 2010 that dealt with emotional, physical and sexual abuse. Descriptive analysis was performed by absolute and relative frequency. Association analysis was performed using the Chi-Square, Chi-Square Linear Trend test (p <0.05) and Fisher's Exact Test (p <0.05). Results: The mean age was 16.5 (SD 1.07) years. 136 adolescents declared themselves pardos (78.2%) and 175 (69.0%) had previously passed through the institution. Regarding the behavior, 160 adolescents (85.0%) had already used illicit drugs and 80 (44.0%) had already consumed alcohol. Involvement with drug trafficking was reported by 65 adolescents (41.1%). The outcome of the non-violent infraction had a prevalence of 7.0% (N = 18) and violence 93.0% (N = 242). The most frequent types of infraction were robbery (51.1%), drug trafficking (37.3%) and theft (3.08%). Adolescents with alcohol consumption had a higher prevalence of an infraction with violence (p <0.044). There was no association between illicit drug use, adolescent age, skin color, previous passages by the institution, involvement with drug trafficking and the Violent Act with and without violence. Conclusions: The study pointed out that the infraction with or without violence practiced by adolescents was associated with alcohol consumption. This can contribute information to the elaboration of social programs and projects aimed at meeting the peculiar demands of these adolescents, as well as of their families, mainly creating strategies of protection and support to the care with the adolescent.(AU)


Assuntos
Humanos , Masculino , Adolescente , Autoimagem , Maus-Tratos Infantis , Estudos Transversais , Inquéritos e Questionários , Comportamento do Adolescente , Violência Doméstica , Impacto Psicossocial , Delinquência Juvenil
4.
Araçatuba; s.n; 2015. 57 p. tab.
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-870114

RESUMO

As situações mais graves de bullying começam com provocações e xingamentos. Por vezes, essas agressões são gratuitas, aparentemente inocentes e costumam ser rotineiras entre os alunos que, na maioria das vezes, não as identificam como danosas aos relacionamentos, muito menos como geradoras de situações de violência. O presente estudo teve como objetivo verificar a ocorrência e a correlação do bullying com a qualidade vida entre adolescentes do ensino fundamental II, bem como a percepção dos professores em relação a este tema. A pesquisa seguiu os ditames éticos vigentes. Trata-se de estudo transversal, observacional, descritivo e analítico. Foram visitadas todas as instituições de ensino fundamental (n=22) de um município de médio porte do interior de São Paulo, Brasil, e convidados todos os alunos e professores, cujos desdobramentos foram divididos em dois capítulos. O primeiro capítulo verificou-se a ocorrência de bullying, através da Escala de Vitimização e Agressão entre Pares (EVAP), e a qualidade vida do aluno, por meio do WHOQOL-Bref. No segundo capítulo verificou-se a percepção e a atitude dos professores, por meio do questionário elaborado pelos autores. Os dados qualitativos foram analisados através da Análise de Conteúdo proposta por Bardin e os quantitativos por meio dos testes estatísticos para estudar a correlação entre as variáveis, pelo programa SPSS Statistics 20. Num total de 382 alunos, 62% são meninas; 46,3% relataram que nunca havia praticado bullying; 3,7% afirmaram que sempre cometiam bullying; 25,4% relataram que às vezes provocavam os colegas; 21,2% alegaram serem vítimas das intimidações dos colegas; 11,3% disseram possuir uma qualidade de vida que não é nem ruim nem boa; 2,4% que sua vida não faz nenhum sentido. De acordo com os testes de correlação entre EVAP X WHOQOL-Bref. houve correlação significante no cruzamento dos domínios agressão direta e agressão relacional com os domínios físico e psicológico, relações sociais e meio...


The most serious cases of bullying begin with teasing and name-calling. Sometimes these aggressions are free and seemingly innocent and often routine among students who, for the most part, do not identify as harmful to relationships, let alone as a source of situations of violence. This study aimed to verify the occurrence of bullying and the correlation with quality of life among adolescents elementary school II as well as the perception of teachers regarding this topic. The study followed the prevailing ethical dictates. It is cross-sectional, observational, descriptive and analytical study. They were visited all institutions of elementary school (n = 22) of a medium-sized municipality of São Paulo, Brazil, and invited all students and teachers, whose developments were divided into two chapters. The first chapter verified the occurrence of bullying through Victimization Scale and Aggression Peer (EVAP), the quality of life of the student, through the WHOQOL-Bref. In the second chapter was with teachers to verify the perception and attitude of teachers with questionnaire prepared by the authors. Qualitative data were analyzed using content analysis proposed by Bardin and quantitative through statistical tests to study the correlation between the variables, using the SPSS Statistics 20 software. Of the total of 382 students, 62% are girls; 46.3% reported that they had never practiced; 3.7% said they always committed bullying; 25.4% reported that sometimes caused colleagues; 21.2% claimed to be victims of intimidation of colleagues; 11.3% said they have a quality of life that is neither bad nor good; 2.4% that your life does not make any sense. According to the correlation tests between EVAP X WHOQOL-Bref. there was a significant correlation at the intersection of the domains direct aggression and relational aggression with physical, psychological, social relationships and environment of the WHOQOL-Bref .. In the second chapter, the sample consisted of 73...


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Criança , Adolescente , Adulto Jovem , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Idoso , Adolescente , Comportamento do Adolescente , Bullying , Docentes , Qualidade de Vida
5.
Araçatuba; s.n; 2015. 57 p. tab.
Tese em Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-867497

RESUMO

As situações mais graves de bullying começam com provocações e xingamentos. Por vezes, essas agressões são gratuitas, aparentemente inocentes e costumam ser rotineiras entre os alunos que, na maioria das vezes, não as identificam como danosas aos relacionamentos, muito menos como geradoras de situações de violência. O presente estudo teve como objetivo verificar a ocorrência e a correlação do bullying com a qualidade vida entre adolescentes do ensino fundamental II, bem como a percepção dos professores em relação a este tema. A pesquisa seguiu os ditames éticos vigentes. Trata-se de estudo transversal, observacional, descritivo e analítico. Foram visitadas todas as instituições de ensino fundamental (n=22) de um município de médio porte do interior de São Paulo, Brasil, e convidados todos os alunos e professores, cujos desdobramentos foram divididos em dois capítulos. O primeiro capítulo verificou-se a ocorrência de bullying, através da Escala de Vitimização e Agressão entre Pares (EVAP), e a qualidade vida do aluno, por meio do WHOQOL-Bref. No segundo capítulo verificou-se a percepção e a atitude dos professores, por meio do questionário elaborado pelos autores. Os dados qualitativos foram analisados através da Análise de Conteúdo proposta por Bardin e os quantitativos por meio dos testes estatísticos para estudar a correlação entre as variáveis, pelo programa SPSS Statistics 20. Num total de 382 alunos, 62% são meninas; 46,3% relataram que nunca havia praticado bullying; 3,7% afirmaram que sempre cometiam bullying; 25,4% relataram que às vezes provocavam os colegas; 21,2% alegaram serem vítimas das intimidações dos colegas; 11,3% disseram possuir uma qualidade de vida que não é nem ruim nem boa; 2,4% que sua vida não faz nenhum sentido. De acordo com os testes de correlação entre EVAP X WHOQOL-Bref. houve correlação significante no cruzamento dos domínios agressão direta e agressão relacional com os domínios físico e psicológico, relações sociais e meio...


The most serious cases of bullying begin with teasing and name-calling. Sometimes these aggressions are free and seemingly innocent and often routine among students who, for the most part, do not identify as harmful to relationships, let alone as a source of situations of violence. This study aimed to verify the occurrence of bullying and the correlation with quality of life among adolescents elementary school II as well as the perception of teachers regarding this topic. The study followed the prevailing ethical dictates. It is cross-sectional, observational, descriptive and analytical study. They were visited all institutions of elementary school (n = 22) of a medium-sized municipality of São Paulo, Brazil, and invited all students and teachers, whose developments were divided into two chapters. The first chapter verified the occurrence of bullying through Victimization Scale and Aggression Peer (EVAP), the quality of life of the student, through the WHOQOL-Bref. In the second chapter was with teachers to verify the perception and attitude of teachers with questionnaire prepared by the authors. Qualitative data were analyzed using content analysis proposed by Bardin and quantitative through statistical tests to study the correlation between the variables, using the SPSS Statistics 20 software. Of the total of 382 students, 62% are girls; 46.3% reported that they had never practiced; 3.7% said they always committed bullying; 25.4% reported that sometimes caused colleagues; 21.2% claimed to be victims of intimidation of colleagues; 11.3% said they have a quality of life that is neither bad nor good; 2.4% that your life does not make any sense. According to the correlation tests between EVAP X WHOQOL-Bref. there was a significant correlation at the intersection of the domains direct aggression and relational aggression with physical, psychological, social relationships and environment of the WHOQOL-Bref .. In the second chapter, the sample consisted of 73...


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Criança , Adolescente , Adulto Jovem , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Idoso , Adolescente , Comportamento do Adolescente , Bullying , Docentes , Qualidade de Vida
7.
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-549713

RESUMO

Objetivo: Comparar a assistência odontológica entre irmãos de mesmos pais portadores ou não de síndrome de Down. Método: Um estudo analítico transversal envolvendo 180 indivíduos com Síndrome de Down e 180 irmãos destes sujeitos sem Síndrome de Down, foi conduzido numa escola de ensino especial na cidade de Udaipur, Rajasthan, India. Empregando um modelo de questionário validado, os pais foram solicitados a preencher duas versões do questionário, sendo uma para o filho com Síndrome de Down e outro para o filho com idade mais próxima sem Síndrome de Down. Resultados: Muitos pais apresentaram comportamentos ou experiências diferentes com o filho portador de Síndrome de Down e o respectivo irmão sem Síndrome de Down. As maiores diferenças foram observadas quanto à consulta anual ao dentista (p<0,001), flúor terapia (p<0,001), extrações (p<0,001) e tratamento ortodôntico (p<0,001). As crianças com Síndrome de Down foram menos propensas a visitar o dentista anualmente e a receber flúor terapia e tratamento ortodôntico em comparação aos seus irmãos sem Síndrome de Down. Conclusão: Essa análise pareada sobre diferenças familiares nos comportamentos e experiências de assistência odontológica entre irmãos com e sem Síndrome de Down irmãos demonstrou que crianças com Síndrome de Down têm menor probabilidade de serem levadas ao dentista anualmente, receberem cuidados de prevenção à cárie e tratamento restaurador, e serem submetidas a extrações dentárias.


Objective: To compare dental care among siblings of common parents with and without Down syndrome. Method: A cross sectional analytical study was conducted in 180 mentally retarded subjects with Down syndrome and 180 their siblings without Down syndrome at a special need school in Udaipur city Rajasthan. Using a validated questionnaire, parents were asked to complete two versions of the questionnaire one for their child with Down syndrome and another for the siblings closest in age without Down syndrome. Results: Many respondents showed different behavior or experiences to their child with Down syndrome and a sibling without Down syndrome. The greatest differences were observed for yearly consultation to the dentist (p<0.001), fluoride therapy (p<0.001), extraction (p<0.001) and orthodontic treatment (p<0.001). Down syndrome subjects were less likely to consult a dentist yearly and less likely to receive fluoride therapy and orthodontic treatment in comparison to their siblings without Down syndrome. Conclusion: This paired analysis of within family differences in dental care behaviors and experiences for subject with Down syndrome and non Down syndrome siblings demonstrated that there are differences, subject with Down syndrome are less likely to consult a dentist yearly, less likely to receive caries-preventive and restorative care and less likely to have had a dental extraction.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adolescente , Adulto Jovem , Assistência Odontológica para Pessoas com Deficiências , Comportamento do Adolescente/psicologia , Higiene Bucal/educação , Síndrome de Down/diagnóstico , Estudos Transversais , Inquéritos e Questionários
8.
Pesqui. bras. odontopediatria clín. integr ; 10(1): 9-14, jan.-abr. 2010.
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-874045

RESUMO

Objetivo: Comparar a assistência odontológica entre irmãos de mesmos pais portadores ou não de síndrome de Down. Método: Um estudo analítico transversal envolvendo 180 indivíduos com Síndrome de Down e 180 irmãos destes sujeitos sem Síndrome de Down, foi conduzido numa escola de ensino especial na cidade de Udaipur, Rajasthan, India. Empregando um modelo de questionário validado, os pais foram solicitados a preencher duas versões do questionário, sendo uma para o filho com Síndrome de Down e outro para o filho com idade mais próxima sem Síndrome de Down. Resultados: Muitos pais apresentaram comportamentos ou experiências diferentes com o filho portador de Síndrome de Down e o respectivo irmão sem Síndrome de Down. As maiores diferenças foram observadas quanto à consulta anual ao dentista (p<0,001), flúor terapia (p<0,001), extrações (p<0,001) e tratamento ortodôntico (p<0,001). As crianças com Síndrome de Down foram menos propensas a visitar o dentista anualmente e a receber flúor terapia e tratamento ortodôntico em comparação aos seus irmãos sem Síndrome de Down. Conclusão: Essa análise pareada sobre diferenças familiares nos comportamentos e experiências de assistência odontológica entre irmãos com e sem Síndrome de Down irmãos demonstrou que crianças com Síndrome de Down têm menor probabilidade de serem levadas ao dentista anualmente, receberem cuidados de prevenção à cárie e tratamento restaurador, e serem submetidas a extrações dentárias.


Objective: To compare dental care among siblings of common parents with and without Down syndrome. Method: A cross sectional analytical study was conducted in 180 mentally retarded subjects with Down syndrome and 180 their siblings without Down syndrome at a special need school in Udaipur city Rajasthan. Using a validated questionnaire, parents were asked to complete two versions of the questionnaire one for their child with Down syndrome and another for the siblings closest in age without Down syndrome. Results: Many respondents showed different behavior or experiences to their child with Down syndrome and a sibling without Down syndrome. The greatest differences were observed for yearly consultation to the dentist (p<0.001), fluoride therapy (p<0.001), extraction (p<0.001) and orthodontic treatment (p<0.001). Down syndrome subjects were less likely to consult a dentist yearly and less likely to receive fluoride therapy and orthodontic treatment in comparison to their siblings without Down syndrome. Conclusion: This paired analysis of within family differences in dental care behaviors and experiences for subject with Down syndrome and non Down syndrome siblings demonstrated that there are differences, subject with Down syndrome are less likely to consult a dentist yearly, less likely to receive caries-preventive and restorative care and less likely to have had a dental extraction.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adolescente , Adulto Jovem , Assistência Odontológica para Pessoas com Deficiências , Comportamento do Adolescente/psicologia , Higiene Bucal/educação , Síndrome de Down/diagnóstico , Estudos Transversais , Inquéritos e Questionários
11.
Odontol. clín.-cient ; 8(2): 123-126, abr.-jun.2009.
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-520585

RESUMO

O princípio deste trabalho é analisar os fundamentos da Bioética aplicados aos dilemas encontrados nas pesquisas com crianças e adolescentes cujo consentimanto a pesquisa é por vezes um dilema, uma vez que esses pacientes fazem parte de um grupo de indivíduos que são denominados como vulneráveis e estão sujeitos a exploração durante a pesquisa. Portanto, em concordância com a Declaração de Helsinque, tais grupos necessitam de proteçao especial. Desse modo, o objetivo deste trabalho é elucidar de forma pragmática questões éticas que envolvem pesquisas em pacientes pediátricos.


The purpose of this article is analyzing the principles of bioethics applied to dilemma in researches with children and adolescents because the pediatric informed consent is a difficult question. Therefore, these patients take part of a group named vulnerable and can be exposed to exploitation during the research. Thus, in according to The Declaration of Helsinki these groups needs to special protection. Therefore, the aim of this paper is elucidate ethical questions that are involved in pediatrics researches.


Assuntos
Criança , Adolescente , Comportamento do Adolescente , Medicina do Adolescente , Bioética , Criança , Ética
19.
JBP rev. Ibero-am. odontopediatr. odontol. bebê ; 8(41): 55-61, jan.-fev. 2005. tab
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-495642

RESUMO

O hábito de fumar apresenta muitos efeitos nocivos aos tecidos bucais, sendo os efeitos precoces do tabagismo claramente evidenciados nos tecidos orais e faciais. Recentemente, tem crescido o interesse por estratégias para desestimular o início do hábito ou estimular o abandono do cigarro. Estudos sugerem que a maioria dos adultos fumantes iniciou o hábito antes dos 18 anos de idade. O objetivo deste estudo foi investigar a prevalência do tabagismo entre adolescentes, considerando os fatores relacionados ao início e a frequência do hábito de fumar, assim como a forma de aquisição do cigarro. Este estudo piloto foi desenvolvido com 98 adolescentes, com idade entre 12 e 18 anos, de ambos os sexos, estudantes de escolas públicas e particulares na cidade de Recife, Pernambuco. Os dados desta pesquisa foram obtidos através da aplicação de um questionário. Do total de adolescentes pesquisados, 33% provenientes de escola particular e 22% da escola pública afirmaram já terem experimentado o cigarro; e a idade em que o jovem fumou todo um cigarro pela primeira vez variou entre 11 e 16 anos. Apesar de um percentual significativo de jovens terem afirmado que já haviam experimentado cigarro, apenas 7,1% afirmara terem fumado nos últimos 30 dias. Faz-se necessária uma abordagem adequada pelo Odontopediatra com relação ao tagagismo na adolescência, podendo contribuir para prevenir o contato precoce com o hábito de fumar, assim como orientar seu abandono quando necessário.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adolescente , Comportamento do Adolescente , Abandono do Hábito de Fumar , Tabagismo/prevenção & controle , Odontopediatria , Inquéritos e Questionários , Abandono do Uso de Tabaco , Tabaco/efeitos adversos
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA