Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 20 de 34
Filtrar
1.
Rev. Ciênc. Plur ; 5(2): 129-142, ago. 2019.
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-1021776

RESUMO

Introdução:O suicídio é tido como um fenômeno complexo, multicausal, fruto da interação de fatores de ordem filosófica, biológica, antropológica, psicológica, e social, considerado nos dias de hoje um grave problema de saúde pública.Objetivo:realizar uma análise documental dos materiais lançados pelo SUS relacionados às medidas a serem adotadas em casos e tentativas de suicídio, bem como nos meios previni-las.Método:trata-se de um estudo descritivo, no qual foram verificadas as portarias e manuscritos do SUS relacionadas ao suicídio, tendo sido consultados oito documentos oficiais.Resultados:a primeira portaria a tratar especificamente do assunto, Portaria nº 1.876, foi lançada em 2006, e instituiu as Diretrizes Nacionais para Prevenção do Suicídio, norteando as estratégias do Ministério da Saúde para atuação e contenção do fenômeno. A partir dela, outros documentos foram instituídos, visando o aprimoramento do acesso, acolhimento, e tratamento aos indivíduos predispostos a desenvolverem depressão, ou que estão em situações de risco, além de garantir maiores esforços e investimentos para grupos específicos. Conclusões:as portarias estabelecidas garantem ao usuário do SUS acolhimento e acompanhamento, desde o nível de atenção básica até a atenção especializada (AU).


Introduction:Suicide is considered as a complex phenomenon, multicausal, fruit of the interaction of factors of philosophical, biological, anthropological, psychological, and social, considered today a serious public health problem.Objective:to perform a documentary analysis of the materials released by the SUS related to the measures to be adopted in cases and suicide attempts, as well asin the means to prevent them.Methods:this is a descriptive study, in which the ordinances and SUS manuscripts related to suicide were verified, and eight official documents were consulted.Results:the first ordinance to deal specifically with the subject, Ordinance No. 1,876, was launched in 2006, and established the National Guidelines for Suicide Prevention, guiding the strategies of the Ministry of Health to act and restrain the phenomenon. From this, other documents were instituted, aimed at improving access, shelter, and treatment to individuals predisposed to develop depression, or who are at risk, as well as guaranteeing greater efforts and investments for specific groups.Conclusions:established ordinances guarantee hosting and follow-upto the SUS user, from basic care level to specialized care (AU).


Assuntos
Suicídio , Sistema Único de Saúde , Saúde Mental , Portarias , Transtornos Mentais/psicologia , Brasil , Epidemiologia Descritiva , Depressão/psicologia , Serviços de Saúde
2.
Araçatuba; s.n; 2019. 111 p. graf, tab.
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-1051137

RESUMO

Introdução: A violência contra a mulher vem se constituindo, nas duas últimas décadas, num fenômeno múltiplo e complexo que exige estudos e reflexões que embasem as compreensões desta circunstância. Pacientes vitimadas por agressões apresentam distúrbios físicos, psicológicos e emocionais que interferem na integridade da saúde, resultando em sofrimento psíquico e adoecimento mental. Objetivo: Objetiva-se nesta tese verificar o impacto da violência na qualidade de vida das vítimas, analisando as consequências físicas e psíquicas das agressões exercidas contra elas. Metodologia: Trata-se de um estudo transversal, quantitativo, com dados provenientes de inquérito, onde foram avaliadas um total de 156 mulheres, num município de porte médio do Estado São Paulo, organizado em três artigos. No primeiro artigo, busca-se analisar a experiência de dez mulheres que sofreram violência física, atingidas na região da cabeça, face e pescoço, que tiveram como resultantes lesões graves ou gravíssimas. No segundo artigo, avalia-se as doenças e transtornos gerados pela exposição aos eventos traumáticos em 80 mulheres que registraram a ocorrência na Delegacia de Atendimento à Mulher e 66 que não foram violentadas e estavam em atendimento numa Unidade Básica de Saúde, estabelecendo uma comparação. No terceiro artigo, com as mesmas participantes, buscou-se estabelecer uma associação entre a vitimização da violência e o nível do cortisol salivar, buscando identificar os níveis de depressão, comparando os dois grupos de mulheres. Resultados: No primeiro estudo, observou-se que o uso do álcool e de drogas pode ser apontado como fator de risco para a permanência da violência. No segundo verificou-se que o transtorno de estresse pós-traumático, associado ao estresse, a psicopatologias, desenvolve-se após a exposição a experiências traumáticas agudas ou repetidas; sua vulnerabilidade da vítima está associada a alterações em que as respostas comportamentais se tornam exageradas e/ou resistentes à extinção ou em alguns casos resilientes. No último artigo, observou-se que a concentração salivar de cortisol, como índice fisiológico, tem relação direta com o estresse e a depressão nas mulheres violentadas. Conclusões: 1. A violência exerce um impacto negativo na qualidade de vida das vítimas e está associada ao uso de álcool e drogas pelos agressores, e a área da saúde e a rede intersetorial são importantes. 2. A violência contra as mulheres gera traumas físicos, transtorno de estresse pós-traumático, e estresse, depressão, além de alterar as respostas comportamentais e aumentar o nível do cortisol. 3. Os níveis de cortisol salivar tem relação direta com o grau de estresse e depressão nas mulheres violentadas e o cortisol pode ser utilizado para avaliar a depressão como biomarcador. A violência perpetrada sobre a mulher constitui-se num sério problema de saúde pública, com custos sociais e individuais elevados. Exigindo ações que desvendem ou miniminizem essa complexidade e possibilitem o desenvolvimento de estratégias para um melhor atendimento às vítimas, visando a preservação da qualidade de vida(AU)


Introduction: Violence against women has become, in the last two decades, a multiple and complex phenomenon that requires studies and reflections that support the understanding of this circumstance. Patients victimized by aggressions present physical, psychological and emotional disturbances that interfere with health integrity, resulting in psychological distress and mental illness. Objective: The objective of this thesis is to verify the impact of violence on the quality of life of the victims, analyzing the physical and psychological consequences of the aggressions against them. Methodology: This is a cross-sectional, quantitative study with data from a survey, in which a total of 156 women were evaluated in a medium size municipality in the State of São Paulo, organized in three articles. In the first article, the objective is to analyze the experience of ten women who suffered physical violence, affected in the region of the head, face and neck, resulting in serious or very serious injuries. In the second article, the diseases and disorders generated by the exposure to traumatic events were evaluated in 80 women who registered the occurrence at the Women's Assistance Station and 66 who were not raped and were attending a Basic Health Unit, establishing a comparison. In the third article, with the same participants, an attempt was made to establish an association between the victimization of violence and the salivary cortisol level, seeking to identify the levels of depression, comparing the two groups of women. Results: In the first study, it was observed that the use of alcohol and drugs can be pointed as a risk factor for the permanence of violence. In the second, it was verified that post-traumatic stress disorder, associated to stress, to psychopathologies, develops after exposure to acute or repeated traumatic experiences; their vulnerability to the victim is associated with changes in which behavioral responses become exaggerated and / or resistant to extinction or in some cases resilient. In the last article, it was observed that the salivary concentration of cortisol, as a physiological index, is directly related to stress and depression in the raped women. Conclusion: 1. The violence has a negative impact on the quality of life of the victims and is associated with the use of alcohol and drugs by the aggressors, and the health area and the intersectoral network are important. 2. Violence against women generates physical trauma, post-traumatic stress disorder, and stress, depression, as well as altering behavioral responses and increasing the level of cortisol. 3. Salivary cortisol levels are directly related to the degree of stress and depression in raped women, and cortisol can be used to evaluate depression as a bio-marker. Violence against women is a serious public health problem, with high individual and social costs. Demanding actions that unravel or minimize this complexity and enable the development of strategies to better serve the victims, aiming at preserving the quality of life(AU)


Assuntos
Qualidade de Vida , Saúde Mental , Violência contra a Mulher , Transtornos de Estresse Pós-Traumáticos , Estresse Psicológico , Ferimentos e Lesões , Hidrocortisona , Depressão , Traumatismos Faciais
3.
Rev. Rede cuid. saúde ; 12(2): 1-16, 15/12/2018.
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-998966

RESUMO

O objetivo foi investigar a presença de sintomas dissociativas pós-traumáticas infantis decorrentes de hospitalizações superiores a cinco dias. Investigação avaliativa descritiva. Abrangeu crianças de cinco a doze anos. Critérios de inclusão: crianças entre cinco e doze anos, internadas por mais de cinco dias, autorizadas por seus cuidadores e/ou responsáveis à participar da pesquisa. Critérios de exclusão: crianças menores de cinco anos e maiores de doze anos, que apresentaram patologias neurofisiológicas, crianças indígenas, surdas e mudas. Foi utilizada a Child Dissociative Checkist (CDC) e Children's Dissociative Experience Scale (CDES) para a coleta de dados. De acordo com Children Dissociative Checklist, as crianças sem transtornos dissociativos foram de 58% e sem transtorno foram de 42%, em ambos os hospitais, de acordo com a Children's Dissociative Experience Scale, na Santa Casa as crianças sem transtorno foram de 27%, com síndrome pós trauma foram de 26%, com transtorno dissociativo foram de 27% e falsa escala foram de 26%, no hospital Barros Barreto foram de 21% sem transtornos dissociativos, com síndrome pós trauma foram de 27%, com transtorno dissociativo foram de 13% e falsa escala foram de 33%. Concluiu se que os transtornos dissociativos afetaram a população infantil que estava hospitalizada, e a ideia da infância como um período puramente alegre e livre de sofrimentos, foi desmitificada.


The objective was to investigate the presence of dissociative children's post-traumatic symptoms resulting from hospitalizations of more than five days. Descriptive evaluative research. It covered children from five to twelve years. Inclusion criteria: children between five and twelve years old, hospitalized for more than five days, authorized by their caregivers and / or caregivers to participate in the research. Exclusion criteria: children younger than five years and older than twelve years, who presented neurophysiological pathologies, indigenous children, deaf and dumb. The Child Dissociative Checker (CDC) and Children's Dissociative Experience Scale (CDES) were used for data collection. According to the Children Dissociative Checklist, children without dissociative disorders were 58% and no disorder were 42%, in both hospitals, according to the Children's Dissociative Experience Scale, at Santa Casa children without disorder were 27%, With post-trauma syndrome were 26%, dissociative disorders were 27% and false-scale were 26%, Barros Barreto hospital were 21% without dissociative disorders, with post-trauma syndrome were 27%, with dissociative disorder were 13% and false scale were 33%. It was concluded that dissociative disorders affected the hospitalized infant population, and the idea of childhood as a purely joyous and suffering-free period was demystified.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Pré-Escolar , Criança , Criança , Depressão , Transtornos Dissociativos , Hospitalização
4.
Rev. ABENO ; 18(3): 137-147, jul.-set. 2018. tab
Artigo em Inglês | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-968953

RESUMO

The aim of this research was to investigate the presence of stress, anxiety, and depression and to analyze the academic experiences of Dental freshman students. Saliva samples, from 114 students, were collected to dose the cortisol hormone during exams and classes to analyze the physiological stress in both situations. Those who took anti-depression medication or did not sign the Informed Consent Form were excluded from the research. Two valid questionnaires were applied, the QVA-r (Questionnaire of Academic Experiences - reduced version) and DASS 21 (Depression, Anxiety and Stress Scale 21). The correlation coefficient and the Mann-Whitney test were determined with a 5% significance level. Of the total number of participants, the majority were women, with a mean age of 20.06 (+ 2.65) and 18.96 (+ 1.78) years old. The presence of stress was high among the students (45%) and was related to the Personal (-0.518) and Interpersonal (-0.251) domains. The cortisol levels during tests showed a correlation with the highest scores in the Study (0.197), Career (0.347) and Institutional (0.196) domains. From all the students questioned, 81% left the parents' home to study. The presence of stress, anxiety, and depression was related to the students' interaction with their peers and to personal aspects. The highest levels of cortisol were in those more adapted in the Study, Career and Institutional domains (AU).


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adolescente , Adulto , Instituições Acadêmicas , Estresse Fisiológico , Estudantes de Odontologia , Hidrocortisona/administração & dosagem , Ansiedade/psicologia , Brasil , Estudos Transversais/métodos , Inquéritos e Questionários , Estatísticas não Paramétricas , Depressão/psicologia
5.
ImplantNewsPerio ; 3(3): 563-569, mai.-jun. 2018.
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-905634

RESUMO

Estudos epidemiológicos sugerem que a depressão pode alterar a instalação e a progressão da doença periodontal. O processo inflamatório, induzido pela depressão e o biofilme dentário, podem atuar sinergicamente estimulando uma intensa resposta do sistema imunológico, influenciando a progressão das doenças periodontais. O objetivo do presente trabalho é revisar a literatura em relação aos principais trabalhos que investigaram a possível correlação entre a depressão e a doença periodontal. Concluiu-se que a maioria dos estudos publicados até o momento sugerem que a depressão pode alterar significativamente a resposta do hospedeiro, tanto no nível comportamental quanto imunológico. Em relação ao transtorno afetivo bipolar e a periodontite, a maioria dos estudos publicados, até o momento, não apresentam estratégias metodológicas que avaliem corretamente a possível associação entre a doença periodontal e o transtorno bipolar especificamente. São necessários maiores estudos com metodologias que envolvam as características epidemiológicas, microbiológicas e imunológicas dessa possível associação, propiciando um melhor entendimento da doença.


Epidemiological studies suggest that depression can after the onset and progression of periodontal disease. The inflammatory process induced depression and biofilm can synergistically stimulate an intense immune response influencing the progression of periodontal diseases. The aim of this paper is to review the literature on the main studies that investigated the possible correlation between depression and periodontal disease. It was concluded that most studies published suggests that depression can significantly alter the host response at both the behavioral and immune aspects. In relation to bipolar affective disorder and periodontitis, most of the studies published do not present methodological strategies that correctly evaluate the possible association between periodontal disease and bipolar disorder specifically. More studies are needed with methodologies that involve the epidemiological, microbiological and immunological characteristics of this possible association, providing a better understanding of for a possible association.


Assuntos
Humanos , Transtorno Bipolar , Depressão , Doenças Periodontais , Periodontite , Fatores de Risco
6.
Araçatuba; s.n; 2018. 49 p. tab.
Tese em Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-914462

RESUMO

Mudanças advindas do processo de envelhecimento podem atuar como fatores determinantes para a incidência de estresse no idoso, impactando em sua qualidade de vida. O objetivo neste estudo foi comparar a concentração de cortisol salivar, uso de próteses dentárias, dependência física em idosos institucionalizados e não institucionalizados; e verificar o impacto da saúde bucal na qualidade de vida e sintomas de depressão geriátrica em idosos não institucionalizados. Estudo do tipo quantitativo onde a amostra foi composta por 80 idosos, sendo 45 institucionalizados e 35 não institucionalizados. Realizou-se exame clínico bucal para avaliação de uso e necessidade de prótese nos arcos superior e inferior; coleta salivar para análise do marcador biológico cortisol e aplicação do Índice de Barthel para avaliar dependência física e mental. Foram empregados três questionários no estudo; para conhecimento do estado de saúde geral e uso de medicamentos, escala de depressão geriátrica (GDS-15) e Índice GOHAI. Na análise estatística empregou-se o software Bioestat (v. 5.03) para os testes de associação, ao nível de significância de 5%. A maioria dos idosos apresentou-se desdentado total, sendo 84,44% no grupo institucionalizado e 71,43% no grupo não institucionalizado. O uso de prótese foi menor entre os idosos institucionalizados, quando comparado ao grupo de idosos não institucionalizados (p= 0,0013). A análise das concentrações de cortisol salivar demonstrou diferenças significantes entre os grupos, com taxas mais elevadas no grupo institucionalizado (p=0,0397). Maiores concentrações de cortisol salivar foram encontradas em indivíduos que possuíam necessidades protéticas, com diferença estatisticamente significante (p=0,0454). O grupo institucionalizado demostrou-se mais dependente (p=0,0010). Do total de participantes não institucionalizados, 91,49% faziam uso de algum tipo de prótese, sendo que 74,28% utilizavam próteses duplas. Somente 8,58% dos idosos possuíam todos os dentes naturais. A pontuação média do Índice GOHAI foi de 18,00 (dp=3,1) sugerindo que os idosos tiveram baixa percepção de saúde bucal. Houve relação estatisticamente significante entre altas concentrações de cortisol salivar e baixa autopercepção de saúde bucal (p=0,000); sintomas de depressão geriátrica também apresentaram relação com concentrações elevadas de cortisol salivar (p<0,05). Conclui-se que idosos institucionalizados apresentaram altas concentrações de cortisol salivar, maior necessidade de uso de próteses e maior dependência física quando comparados com o grupo não institucionalizado. A autopercepção de saúde bucal dos idosos foi ruim e as concentrações elevadas de cortisol salivar apresentaram relação com sintomas moderados de depressão geriátrica(AU)


Changes resulting from the aging process can act as determinants for the incidence of stress in the elderly, impacting on their quality of life. The aim of this study was to compare the concentration of salivary cortisol, dental prosthesis use, and physical dependence on institutionalized and non-institutionalized elderly; and verify the impact of oral health on quality of life and symptoms of geriatric depression in noninstitutionalized elderly. The sample consisted of 80 elderly individuals, of whom 45 were institutionalized and 35 were non-institutionalized. Oral clinical examination was performed to evaluate the use and need for prosthesis in the upper and lower arches; salivary collection for analysis of the biological marker cortisol and application of the Barthel Index to assess physical and mental dependence. Three questionnaires were used to know the general health status and use of medications, geriatric depression scale (GDS-15) and GOHAI Index. In the statistical analysis, the software Bioestat (v. 5.03) was used for the association tests, at a significance level of 5%. The majority of the elderly presented total edentulous, 84.44% in the institutionalized group and 71.43% in the non-institutionalized group. The use of prosthesis was lower among the institutionalized elderly, when compared to the non-institutionalized elderly group (p = 0.0013). Analysis of salivary cortisol concentrations showed significant differences between groups, with higher rates in the institutionalized group (p = 0.0397). Higher concentrations of salivary cortisol were found in individuals who had prosthetic needs, with a statistically significant difference (p = 0.0454). The institutionalized group was more dependent (p = 0.0010). Of the total of noninstitutionalized participants, 91.49% used some type of prosthesis, and 74.28% used double prostheses. Only 8.58% of the elderly had all natural teeth. The mean GOHAI score was 18.00 (SD = 3.1) suggesting that the elderly had low perception of oral health. There was a statistically significant relationship between high concentrations of salivary cortisol and low self-perception of oral health (p = 0.000); symptoms of geriatric depression were also related to high concentrations of salivary cortisol (p <0.05). It was concluded that the institutionalized elderly showed high concentrations of salivary cortisol, a greater need for prostheses and greater physical dependence when compared to the non-institutionalized group. The self-perception of oral health of the elderly was poor and high concentrations of salivary cortisol were related to moderate symptoms of geriatric depression(AU)


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Pessoa de Meia-Idade , Idoso , Idoso de 80 Anos ou mais , Hidrocortisona , Saúde Bucal , Qualidade de Vida , Saliva , Envelhecimento , Depressão , Saúde do Idoso Institucionalizado , Instituição de Longa Permanência para Idosos , Institucionalização , Autoimagem
7.
Tempus (Brasília) ; 11(1): 215-227, jan.-mar. 2017.
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-880750

RESUMO

diagnóstico de câncer representa um desafio para pacientes, familiares, cuidadores e profissionais de saúde. Nesse contexto é importante voltar o olhar para o familiar cuidador e identificar como ele é afetado pelas suas responsabilidades com o paciente com câncer, para que sejam desenvolvidas alternativas e intervenções adequadas para favorecer sua qualidade de vida e seu bem estar emocional. Este artigo é resultado de uma pesquisa exploratória, utilizando método quantitativo, desenvolvida com a finalidade de avaliar o impacto do processo de cuidar de um parente com câncer durante o período de internação hospitalar. A coleta de dados ocorreu ao longo de quatro meses no Hospital Universitário de Brasília e foram utilizados os seguintes instrumentos: Escala de Ansiedade e Depressão Hospitalar ­ HAD; Caregiver Reaction Assessment (CRA); entrevista estruturada para coleta de dados sociodemográficos da díade e médicos clínicos do paciente. Segundo os dados coletados, foi possível identificar que o estado de humor do paciente ­ ansiedade, depressão e distress ­ mostrou correlação significativa positiva com estado de humor do cuidador, diferente das demais variáveis. Também, um maior nível de sobrecarga no cuidado estava relacionado significativamente com o nível de ansiedade nos pacientes. O estudo sugere que cuidar do estado emocional do paciente pode ter maior impacto na minimização da sobrecarga do cuidador e vice-versa, confirmando a necessidade de compor as equipes com profissionais treinados para o manejo de dificuldades emocionais e, em especial, psico-oncologistas.


The cancer diagnosis represents a challenge for patients, family, parents, family caregivers and health care professionals. In this context, it is important to keep a lookout for the family caregiver and identify how he or she is affected for his or her responsabilities with the patient with cancer disease. It is important to develop alternatives and proper interventions to favor a quality of life and emotional well-being for him or her. This article is the result of a exploratory research, quantitative method, developed with the purpose of evaluate the impact of the process of looking after a relative with cancer during the period of hospital internment. The data collection had been occurred in the course of four months in the University Hospital of Brasília and it had been used the following instruments: Hospital Anxiety and Depression Scale ­ HAD; Caregiver Reaction Assesment (CRA); structured interview to collect social demographic data of the patient and the caregiver and clinical data of the patient. According to the data collection, it has been possible to identify that the state of the mood of the patient - anxiety, depression and emotional distress ­ showed significant correlation with the state of mood of the family caregiver, the others variables had different results. Also, a high level of the family caregiver's overload was related significantly with the level of anxiety in patients. The study sugests that taking care of the emotional state of the patient can have a great impact in minimization of the family caregiver´s overload and vice versa, confirming the need to compose the team with trained professionals to handle emotional difficulties and, especially, psycho-oncologists.


El diagnóstico de cáncer representa un reto para pacientes, familiares, cuidadores y profesionales de la salud. En este contexto, es importante volver la mirada al cuidador familiar e identificar cómo él se ve afectado por sus responsabilidades con el paciente de cáncer, para que puedan ser adoptadas alternativas e intervenciones apropiadas que mejoren su calidad de vida y su bien estar emocional. Este artículo es el resultado de una investigación exploratoria, utilizando el método cuantitativo desarrollado con el propósito de evaluar el impacto del proceso de cuidar a un familiar con cáncer durante su estancia en el hospital. La recolección de datos se llevó a cabo durante cuatro meses en el Hospital de la Universidad de Brasilia y se utilizaron los siguientes instrumentos: Escala de Ansiedad y Depresión en el Hospital - HAD; Caregiver Reaction Assessment (CRA); entrevista estructurada para recopilar datos sociales y demográficos de la díada y médicos clínicos del paciente. De acuerdo con los datos recogidos, fue posible identificar que el estado de ánimo del paciente - la ansiedad, la depresión y la angustia - mostró una correlación positiva significativa con el estado de ánimo del cuidador, diferente de las otras variables. Asimismo, un mayor nivel de sobrecarga en la atención estaba relacionado significativamente con el nivel de ansiedad en los pacientes. El estudio sugiere que el cuidado con el estado emocional del paciente puede tener un impacto más grande en la reducción de la sobrecarga del cuidador y viceversa, lo que confirma la necesidad de componer los equipos con profesionales capacitados para el manejo de dificultades emocionales y, en particular, psico-oncólogos.


Assuntos
Humanos , Impacto Psicossocial , Ansiedade , Cuidadores , Depressão , Diagnóstico , Hospitalização , Oncologia , Neoplasias , Pacientes , Estresse Psicológico
8.
Rio de Janeiro; s.n; 2017. 38 p. ilus, tab.
Tese em Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-916166

RESUMO

Objetivo: Investigar a presença de alterações na sensibilidade vibratória e à pressão, em pacientes com síndrome de ardência bucal (SAB). Desenho do estudo: Caso-controle. A amostra foi de 30 voluntários, 15 com SAB e 15 do grupo-controle. Foram estudados os limiares de sensibilidade vibratória (LDV) e de dor à pressão (LDP). A avaliação clínica foi realizada pelos questionários de dor McGill e DN4 e pelos inventários de depressão (BDI) e de ansiedade (BAI) de Beck. Resultados: Indivíduos com SAB apresentaram um aumento estatisticamente significativo do LDP na língua (p = 0.002), na face direita (p = 0.001) e na face esquerda (p = 0.004) e uma redução significativa do LDV na língua (p = 0.013) e na face direita (p = 0.030). Foram encontrados níveis de depressão significativamente maiores no grupo de pacientes com SAB (p = 0.01) e uma correlação significativa inversa entre os níveis de ansiedade e o LVD da face esquerda. Conclusões: O estudo das alterações do sistema somatossensitivo na SAB e suas correlações com aspectos clínicos e níveis de depressão e ansiedade associados, permitem uma expansão do conhecimento atual do conhecimento atual sobre a origem neuropática e presença dos fatores psicogênicos associados à essa desordem. (AU)


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Síndrome da Ardência Bucal/etiologia , Síndrome da Ardência Bucal/psicologia , Medição da Dor , Ansiedade/epidemiologia , Estudos de Casos e Controles , Depressão/epidemiologia , Inquéritos e Questionários
9.
Araçatuba; s.n; 2017. 50 p. tab.
Tese em Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-905048

RESUMO

O objetivo deste estudo foi verificar a adaptação dos alunos ingressantes no ensino superior, o perfil de estilo de vida adotado por eles e a presença de sinais e sintomas de psicopatologias como estresse, ansiedade e depressão. Trata-se se um estudo seccional de caráter descritivo realizado no segundo semestre do curso de odontologia com os alunos ingressantes. Foram aplicados três instrumentos validados, DASS 21 (Depression, Anxiety and Stress 21) para análise dos sintomas de estresse, ansiedade e depressão; PEVI (Perfil do Estilo de Vida Individual) e QVA-r (Questionário de Vivencias Acadêmicas ­ versão reduzida) para analisar a adaptação dos alunos ingressantes. Além disso foram dosados os níveis de cortisol salivar para verificar os níveis de estresse dos acadêmicos em dois períodos distintos: no momento da prova e na durante a aula. A análise laboratorial foi realizada pelo método de ELISA. Foram determinados os coeficientes de correlação e o teste de Mann-Whitney, a 5% de significância. Grande parte dos alunos (81,57%), saiu de casa para ingressar no ensino superior e poucos realizavam atividade remunerada (7%). Dentre os domínios do estilo de vida, os alunos apresentaram um perfil abaixo do desejável na Nutrição, Atividade Física e Controle do Estresse. Apenas a Nutrição mostrou-se influenciada pelo perfil socioeconômico (p=0,014). As variáveis: consumo de álcool e fumo (p=0,017) e o tempo para descanso (p=0,018) foram significativamente maior entre os alunos do curso noturno. A presença de estresse foi alta entre os eles (45%) e esteve associada aos domínios Pessoal (-0,518) e Interpessoal (- 0,251) Os níveis de cortisol durante a prova apresentaram correlação com maiores scores dos domínios Estudo (0,197), Carreira (0,347) e Institucional (0,196). Os acadêmicos que tiveram o curso e universidade como primeira opção de escolha, tiveram os maiores escores nos domínios Carreira (p=0,024) e Institucional (p=0,002). Conclui-se que o estilo de vida de alunos ingressantes em odontologia não se apresentou desejável. O morar longe dos pais e a dependência financeira dos estudantes são fatores importantes que influenciam no seu estilo de vida e que a presença de estresse, ansiedade e depressão esteve relacionada com a interação dos alunos com os pares e aos aspectos pessoais. Foram observados maiores níveis de cortisol entre aqueles mais adaptados nos domínios Estudo, Carreira e Institucional(AU)


The aim of this study was to verify the adaptation of the students entering higher education, the lifestyle profile adopted by them and the presence of signs and symptoms of psychopathologies such as stress, anxiety and depression. This is a sectional study of a descriptive character carried out in the second semester of the dentistry course with the incoming students. Three validated instruments, DASS 21 (Depression, Anxiety and Stress 21) were applied to analyze the symptoms of stress, anxiety and depression; PEVI (Individual Lifestyle Profile) and QVA-r (Academic Experience Questionnaire - reduced version) to analyze the adaptation of incoming students. In addition, salivary cortisol levels were measured to verify the stress levels of the students in two different periods: at the time of the test and during the class. Laboratory analysis was performed using the ELISA method. The correlation coefficients and the Mann-Whitney test, at 5% significance, were determined. Most of the students (81.57%) left home to enter higher education and few of them had a paid work (7%). Among the domains of the lifestyle, the students presented a profile below the desirable one in Nutrition, Physical Activity and Control of the Stress. Nutrition alone was influenced by the socioeconomic profile (p = 0.014). The variables: alcohol consumption and smoking (p = 0.017) and rest time (p = 0.018) were significantly higher among students of the night course. The presence of stress was higher among the subjects (45%) and was associated with the Personal (-0.518) and Interpersonal (-0.251) domains. Cortisol levels during the test presented a correlation with higher scores in the domains Study (0,197), Career 0.347) and Institutional (0.196). Academicians who had the course and university as the first choice, had the highest scores in the Career (p = 0.024) and Institutional (p = 0.002) domains. It is concluded that the lifestyle of students entering dentistry was not desirable. Living away from parents and financial dependence of the students on their parents are important factors that influence their lifestyle and the presence of stress, anxiety and depression; interaction with peers and personal aspects. Higher levels of cortisol were observed among those most adapted in the study, career and institutional domains(AU)


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto , Estilo de Vida , Estudantes de Odontologia , Ansiedade , Depressão , Hidrocortisona , Estresse Psicológico
10.
Araçatuba; s.n; 2017. 76 p. graf, tab, ilus.
Tese em Inglês | BBO - Odontologia | ID: biblio-905790

RESUMO

Estudos têm mostrado que o estresse crônico pode influenciar a progressão do câncer, porém sua influência sobre o início da doença é pouco compreendida. Dentre os eventos estressores, o estresse por isolamento social (EIS) afeta grande número de indivíduos, podendo induzir alterações neuro-hormonais e desordens emocionais. Embora estudos mostrem que o EIS pode aumentar a progressão de alguns tipos de neoplasias malignas, sua influência sobre o início e progressão do câncer de cabeça e pescoço é desconhecida. O objetivo deste estudo foi avaliar os efeitos do EIS sobre a incidência e progressão do carcinoma espinocelular (CEC) de boca induzido por 4-nitroquinolina 1- óxido (4NQO), bem como seus efeitos sobre o comportamento depressivo e a expressão de genes envolvidos na progressão do tumor. Sessenta ratos Wistar machos foram divididos em dois grupos de 30 animais: grupo isolado (ratos isolados socialmente desde os 21 dias de idade) e grupo controle (ratos mantidos em grupo). Ao atingirem 90 dias de idade, os animais de ambos os grupos foram submetidos à avaliação do comportamento depressivo pelos testes de suspensão pela cauda (TSC) e natação forçada (TNF). Logo em seguida, os animais foram submetidos à indução carcinogênica por meio da ingestão de 4NQO diluído na água de beber. Após 20 semanas, os animais foram avaliados quanto ao comportamento depressivo e posteriormente eutanasiados para análise histopatológica das lesões induzidas em língua. PCR em tempo real foi realizada para avaliar a expressão de RNAm para os genes TNF-alpha, IL-6, VEGF, MMP-2 e MMP-9 nos tumores de ambos os grupos. Os resultados mostraram que EIS aumentou a ocorrência de CEC de boca em 20.4% em relação ao grupo de ratos não estressados (p=0.002). Os tumores dos animais isolados apresentaram volume tumoral cerca de duas vezes maior (p=0.0366) em relação aos tumores dos animais do grupo controle. Os ratos estressados perderam mais peso corporal (p=0.006) e apresentaram menor peso do baço (p=0.0121) em relação aos ratos não estressados. EIS induziu aumento da expressão de RNAm para os genes TNF-alpha, IL-6, VEGF, MMP-2 e MMP-9, porém os resultados não atingiram significância estatística (p>0.05). O EIS induzido precocemente não induziu alterações significativas no comportamento depressivo mensurado pelo TSC e TNF antes e após a indução carcinogênica (p>0.05). Este estudo fornece as primeiras evidências de que o estresse crônico por isolamento social pode influenciar a incidência e progressão do CEC de boca induzido quimicamente em animais(AU)


Clinical and preclinical studies have shown that chronic stress may influence cancer progression, but its influence on the onset of the disease is poorly understood. Among the stressful events, social isolation stress (SIS) affects a large number of individuals, and may induce neurohormonal dysregulation and emotional disorders. Although investigations show that SIS may increase the progression of some types of malignancies, its influence on the onset and progression of head and neck cancer is unknown. In this study, we have evaluated the SIS effects on the occurrence and progression of induced oral squamous cell carcinoma (OSCC), as well as its effects on depression-like behavior and expression of genes involved in tumor progression. Sixty male Wistar rats were divided into two groups of 30 animals: isolated group (rats submitted to SIS) and grouped (rats non-stressed). In the SIS group, the animals remained individually isolated after completing 21 days of life, while in the control group the rats were kept in group. At 90 days of age, both groups were tested for depression-like behavior by the tail suspension (TST) and forced swimming (FST) tests. Afterwards, the animals were submitted to oral carcinogenesis induction with 4- nitroquinoline 1-oxide (4NQO) carcinogen diluted in drinking water. After 20 weeks, the animals were again tested for depressive behavior and euthanized for histopathological analysis in the tongue specimens. Real-time PCR was performed to evaluate mRNA expression for TNF-alpha, IL-6, VEGF, MMP-2 and MMP-9 genes in tumors from the both groups. The results showed that SIS increased OSCC occurrence by 20.4% in relation to control group (p=0.002). Isolated rats displayed tumor volume two-fold higher than grouped rats (p=0.0366). Stressed rats lost more body weight (p=0.006) and showed lower spleen weight (p = 0.0121) compared to non-stressed rats. SIS induced increase of mRNA expression for TNF-alpha, IL-6, VEGF, MMP-2 and MMP-9 genes, but these results did not reach statistical significance (p>0.05). SIS did not induce significant changes in depression-like behavior measured by TST and FST before and post-carcinogenesis induction (p>0.05). This study provides the first evidence that chronic stress by social isolation may influence the chemically induced OSCC occurrence and progression in animals(AU)


Assuntos
Animais , Ratos , Neoplasias Bucais , Isolamento Social , Estresse Psicológico , Carcinogênese , Depressão , Neoplasias de Cabeça e Pescoço , Ratos Wistar
11.
Bauru; s.n; 2016. 92 p. tab, ilus.
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-881980

RESUMO

Novos estudos são necessários para elucidar com maior clareza o impacto da ortodontia na saúde dos músculos mastigatórios e das articulações temporomandibulares. A associação do estudo de sinais e sintomas de DTM com a investigação dos fatores psicossociais apresentam perspectivas promissoras, assim como o conhecimento da presença de hábitos parafuncionais. Entender como os fatores psicossociais interferem nos resultados dos tratamentos clínicos pode trazer contribuições enriquecedoras para a odontologia. Um modelo que tem sido aceito no entendimento da etiologia das DTM é o modelo biopsicossocial, que envolve uma combinação de fatores biológicos, psicológicos e sociais. Segundo essa perspectiva, entende-se que um problema biológico pode ter antecedentes psicológicos, assim como consequências comportamentais. O objetivo deste trabalho é avaliar a influência da ortodontia no desenvolvimento de sinais e sintomas de disfunção temporomandibular, no relato de bruxismo, na hipervigilância à dor e nos sintomas de depressão e ansiedade. 111 pacientes iniciando tratamento ortodôntico foram examinados em 3 sessões: t1 (no momento da instalação do aparelho), t2 (dois meses após a instalação), e t3 (seis meses após o início do tratamento). Nas 3 sessões os pacientes foram examinados clinicamente para avaliação oclusal, limiares de dor à pressão e aplicações de questionários de bruxismo, hipervigilância, depressão e ansiedade. Foram feitas comparações a respeito de cada variável quantitativa considerando os três tempos de avaliação através de Análise de variância (ANOVA) a um critério. O teste t foi utilizado para avaliar diferenças entre as médias das variáveis quantitativas no tempo inicial (t1) e tempo final (t3) de avaliação. Para avaliar o efeito da ortodontia sobre variáveis qualitativas oclusais foi utilizado o teste exato de Fisher. Foram considerados estatisticamente significantes aqueles resultados que apresentaram nível de significância igual ou menor que 0,05. O presente estudo demonstrou que a ortodontia não interfere no surgimento de sinais e sintomas de disfunção temporomandibular, sendo que não houve diferenças na presença de ruído articular e no LDP em nenhum dos sítios durante os períodos avaliados. Os resultados apontaram que nos grupos que não possuíam bruxismo do sono (controle), houve um aumento no relato de bruxismo em vigília após o início da ortodontia. Considerando o grupo de pacientes com maiores sintomas de ansiedade, encontrou-se maior presença de relato de bruxismo em vigília. Por último, os resultados demonstraram que a ortodontia não alterou os escores do questionário de hipervigilância à dor e os sintomas de ansiedade e depressão.(AU)


Further studies are needed to elucidate more clearly the impact of orthodontics on the health of the masticatory muscles and temporomandibular joints. The study of the association of signs and symptoms of TMD with psychosocial factors have promising prospects, as well as the presence of parafunctional habits. Understanding how psychosocial factors affect the results of clinical treatments can bring great contributions to dentistry. A model that has been accepted in the understanding of the etiology of TMD is the biopsychosocial model, which involves a combination of biological, psychological and social factors. From this perspective, it is understood that a biological problem may have psychological backgrounds, as well as behavioral consequences. The objective of this study is to evaluate the influence of orthodontics in the development of signs and symptoms of temporomandibular disorders, the report of bruxism, hypervigilance to pain, and symptoms of depression and anxiety. 111 patients initiating orthodontic treatment were examined in 3 sessions: t1 (at the time of orthodontic appliance installation), t2 (two months after installation), and t3 (six months after the start of the treatment). In the three sessions, patients were examined clinically for occlusal evaluation, pain pressure thresholds were measured, and bruxism, hypervigilance, depression and anxiety questionnaires were applied. Comparisons were made with respect to each quantitative variable considering the three phases of evaluation through a multi-way analysis of variance (ANOVA). The t test was used to assess differences between means of quantitative variables at the initial time (t1) and end time (t3) evaluation. To evaluate the effect of orthodontics on occlusal qualitative variables we used Fisher's exact test. This study showed that orthodontics does not interfere with the appearance of signs and symptoms of temporomandibular dysfunction, and there were no differences in the presence of articular noise and LDP on any of the sites during the evaluation period. The results showed that the group that did not reported sleep bruxism (control), showed an increase in the reporting of awake bruxism after the start of orthodontics. Considering the group of patients with higher anxiety symptoms, we found a greater presence of daytime bruxism report. Finally, the results showed that orthodontics did not alter the scores of pain hypervigilance questionnaire and symptoms of anxiety and depression.(AU)


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adolescente , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Ansiedade/etiologia , Bruxismo/etiologia , Depressão/etiologia , Má Oclusão/terapia , Transtornos da Articulação Temporomandibular/etiologia , Técnicas de Movimentação Dentária/efeitos adversos , Análise de Variância , Ansiedade/fisiopatologia , Bruxismo/fisiopatologia , Depressão/fisiopatologia , Má Oclusão/fisiopatologia , Medição da Dor , Limiar da Dor/fisiologia , Transtornos da Articulação Temporomandibular/fisiopatologia , Técnicas de Movimentação Dentária/psicologia , Resultado do Tratamento
12.
Full dent. sci ; 5(18): 258-262, abr. 2014. graf
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-716604

RESUMO

Um dos grandes desafios para a Odontologia moderna é o controle do medo e da ansiedade, que podem gerar alterações sistêmicas perigosas que afetam o tratamento, desencadeando o interesse da administração de medicamentos ansiolíticos para esses pacientes. O objetivo desse estudo foi estimar o grau de ansiedade/depressão em pacientes que serão submetidos a uma cirurgia para colocação de implantes dentais. A amostra de conveniência foi composta de 40 pacientes que procuraram a clínica do Centro de Pós-graduação em Odontologia (CPO), no Curso de Especialização em Implantodontia, onde foi aplicado o questionário HAD para estimar a presença ou não de ansiedade e/ou depressão. Verificou-se nesse estudo que 22,5% da amostra avaliada não apresentou indício algum de ansiedade e/ou depressão, 42,5% possui indicativo de ansiedade e/ou depressão e 35% da amostra apresentou um resultado provável de depressão e/ou ansiedade. Concluiu-se que a escala HAD apresentou-se útil para comprovação de ansiedade/depressão, tendo confirmado que 77,5% dos pacientes entrevistados apresentavam indício ou provável presença desses transtornos de humor.


One of the greatest challenges of modern Dentistry is the control of fear and anxiety, which can cause dangerous systemic disturbances that may affect the treatment, raising the interest on the administration of anxiolytic drugs for these patients. The objective of this study was to determine the presence or absence of anxiety /depression in patients who will undergo a pre-operative placement of dental implants. The convenience sample of this study was composed of 40 patients that went to the clinic of Dentistry post-graduation center (CPO), in the Implantology specialization course. There an HAD questionnaire was applied to verify the presence or absence of anxiety and/or depression. In this study, it was verified that 22.5% of the assessed sample did not present any sign of anxiety and/or depression; 42.5% showed evidence of anxiety and/or depression; and 35% of the sample presented a result of probable depression and/or anxiety. The HAD scale had proven to be useful for anxiety/depression, and confirmed that 77.5% of the interviewed patients presented evidence of mood disorders.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto , Ansiedade ao Tratamento Odontológico/psicologia , Depressão/psicologia , Implantes Dentários , Procedimentos Cirúrgicos Operatórios/métodos , Análise Estatística
13.
Braz. j. oral sci ; 12(1): 20-22, jan.-mar. 2013. tab
Artigo em Inglês | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-671927

RESUMO

Aim: To examine whether the depression is associated with periodontitis in elderly and to evaluate oral hygiene of these patients. Methods: One hundred and ninety one individuals aged 60 yearsor more were randomly selected. Periodontal examination was performed in full mouth by probing depth and clinical attachment loss in 6 sites for each tooth. The Simplified Oral Hygiene Index (OHI-S) per individual was also obtained. Depression was assessed by the Geriatric Depression Scale (GDS-15) to show how the elderly have been feeling during the last week. Results: Only SOHI was statistically significant (t = 4.7169, p<0.001), which better explains the variance in periodontal status. The variable GDS-15 revealed no significant values (t=0.3901, p=0.6971). Conclusions: There was no association between periodontitis and depression in elderly, but there was association between periodontitis and oral hygiene.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Idoso , Idoso de 80 Anos ou mais , Depressão/complicações , Higiene Bucal , Periodontite/complicações
14.
Perionews ; 7(5): 462-467, 2013. tab
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-702278

RESUMO

Estudos epidemiológicos sugerem que alterações psicossociais, como a ansiedade, o estresse e a depressão, podem alterar a instalação e a progressão da doença periodontal. O processo inflamatório, induzido por estas alterações psicossociais, pode atuar sinergicamente, estimulando uma intensa resposta do sistema imunológico e influenciando a progressão das doenças periodontais. O objetivo do presente trabalho foi revisar a literatura em relação aos principais trabalhos que investigaram a possível correlação entre as principais alterações psicossociais e a doença periodontal. Concluiu-se que a maioria dos estudos publicados até o momento sugere que estas alterações podem alterar significativamente a resposta do hospedeiro, tanto no nível comportamental quanto imunológico.


Assuntos
Efeitos Psicossociais da Doença , Depressão , Doenças Periodontais/etiologia , Estresse Psicológico/complicações , Estresse Psicológico
15.
Periodontia ; 23(1): 7-12, 2013. tab
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-853503

RESUMO

Estudos epidemiológicos sugerem que a depressão pode alterar a instalação e progressão da doença periodontal. O processo inflamatório, induzido pela depressão e o biofilme dentário, podem atuar sinergicamente estimulando uma intensa resposta do sistema imunológico influenciando a progressão das doenças periodontais. O objetivo do presente trabalho é revisar a literatura em relação aos principais trabalhos que investigaram a possível correlação entre a depressão e a doença periodontal. Concluiu-se que a maioria dos estudos publicados até o momento sugere que a depressão pode alterar significativamente a resposta do hospedeiro tanto no nível comportamental quanto imunológico


Epidemiological studies suggest that depression can after the onset and progression of periodontal disease. The inflammatory process induced depression and biofilm can act synergistically stimulate an intense immune response influencing the progression of periodontal diseases. The aim of this paper is to review the literature on the main studies that investigated the possible correlation between depression and periodontal disease. It was concluded that most studies published to date suggests that depression can significantly alter the host response at both the behavioral and immune


Assuntos
Humanos , Depressão , Periodontite
16.
Perionews ; v.6(n.6): 603-607, nov.-dez. 2012.
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-853614

RESUMO

Estudos epidemiológicos, microbiológicos e imunológicos têm sugerido que a depressão pode alterar o estabelecimento e a progressão da doença periodontal. Entretanto, dados relacionados ao efeito da depressão e seus mecanismos envolvidos na doença periodontal ainda são limitados. O objetivo deste estudo foi revisar a literatura sobre a influência da depressão na doença periodontal. Concluiu-se que a maioria dos estudos publicados, até o momento, sugere que a depressão pode alterar significativamente a resposta do hospedeiro tanto no nível comportamental quanto imunológico. É provável que a depressão seja considerada um fator de risco real para doença periodontal assim que se obtiverem maiores evidências científicas através de estudos com metodologias padronizadas, tanto na análise dos indicadores clínicos, quanto na mensuração dos quadros depressivos


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto , Depressão , Doenças Periodontais/etiologia , Doenças Periodontais/psicologia , Estresse Fisiológico/imunologia , Periodontite
17.
Bauru; s.n; 2013. 142 p. ilus, tab, graf.
Tese em Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-866495

RESUMO

Odontalgia Atípica (OA) é uma condição dolorosa orofacial crônica de intensidade moderada a severa, que ocorre nas estruturas dentoalveolares e na mucosa oral. É considerada de difícil diagnóstico por estar associada com a ausência de alterações clínicas e radiográficas perceptíveis. Seus aspectos patofisiológicos sensoriais e de manutenção e perpetuação da dor ainda são mal compreendidos. Os objetivos deste estudo foram: (1) avaliar as alterações somatossensoriais em pacientes com OA através dos testes sensoriais quantitativos (QST); (2) ampliar o conhecimento disponível sobre os mecanismos de modulação da dor através do teste de controle de modulação da dor (CPM); e (3) avaliar as condições psicológicas como ansiedade e depressão, qualidade do sono e qualidade de vida através de questionários auto-aplicáveis. Um total de 50 indivíduos foram incluídos, sendo 25 sujeitos do grupo sintomático com OA (19 mulheres, 58,25 +- 12,17 anos de idade) e 25 sujeitos saudáveis do grupo controle (19 mulheres, 58,92 +- 7,39 anos)(p>0.05). Os QSTs englobaram os testes de Limiar de Detecção Mecânica (MDT), Limiar de Sensibilidade Dolorosa Mecânica (PDT), Teste Mecânico de Alodinia com cotonete (DMA1) e escova dental (DMA2), Testes de Detecção Dolorosa do tipo quente (HPD) e gelado (CPD) e o Teste de Somação Temporal (WUR). O controle de modulação da dor foi feito através do teste CPM e as avaliações psicológicas através do Inventário de Ansiedade e Depressão de Beck, o Índice de Qualidade do Sono de Pittsburg e o Questionário de Qualidade de Vida SF-36. Os QSTs foram repetidos após a aplicação de uma pomada anestésica de Benzocaína 2%. A análise estatística foi feita através dos testes t pareado, teste t e o teste não paramétrico de Mann-Whitney, considerando-se um nível de significância de 5%. Os resultados indicaram que sujeitos com OA apresentam ganho sensorial por meio de estímulos térmicos do tipo quente (HPD) e gelado (CPD) e estímulos mecânicos dinâmicos (DMA1...


Atypical Odontalgia (AO) is a chronic orofacial painful condition, which occurs in dentoalveolar structures and oral mucosa. AO is difficult to diagnose because it is associated with the absence of any clinical and radiographic alterations. Repetitive dental procedures are made, with the aim to relief pain. Sensory pathophysiological aspects and pain maintenance and perpetuation are still poorly understood. The aim of this study were: (1) evaluate somatosensory abnormalities in AO patients through quantitative sensory testing (QST), (2) evaluate mechanisms of pain modulation through the controlled pain modulation test (CPM), and (3) assess the psychological features such as anxiety, depression, sleep quality and quality of life through selfreported questionnaires. A total of 50 subjects were included, consisting of 25 subjects with symptomatic AO (19 women, 58.25 +- 12.17 years old) and 25 subjects in the control group (19 women, 58.92 +- 7.39 years old)(p>0.05). QST encompassed Mechanical Detection Threshold (MDT), Pain Detection Threshold (PDT), Dynamical Mechanical Allodynia with a cotton swab (DMA1) and with a toothbrush (DMA2), Cold Pain Detection (CPD), Heat Pain Detection (HPD) and Wind-up Ratio (WUR). Pain modulation was performed by CPM and psychological evaluations through Anxiety Inventory and Beck Depression Index, the Pittsburgh Sleep Quality and Quality of Life Questionnaire SF-36. QSTs were repeated after the administration of an anesthetic cream (2% Benzocaine). Statistical analysis was performed using the "t" test, paired t test and nonparametric Mann-Whitney test considering a significance level of 5%. Results indicated that AO subjects showed sensory gain through heat (HPD) and cold (CPD) stimuli and dynamic mechanical stimuli (DMA1, DMA2 and WUR), and sensory loss to mechanical stimuli (MDT, PDT). Moreover, CPM reduced pain intensity significantly only in the control group. A topical anesthesia showed a significant reduction...


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Pessoa de Meia-Idade , Idoso , Medição da Dor/métodos , Odontalgia/fisiopatologia , Limiar da Dor , Ansiedade/fisiopatologia , Depressão/fisiopatologia , Limiar da Dor/psicologia , Odontalgia/psicologia , Inquéritos e Questionários , Estatísticas não Paramétricas , Sono/fisiologia , Fatores de Tempo
18.
Perionews ; 6(6): 603-607, nov.-dez. 2012.
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-686392

RESUMO

Estudos epidemiológicos, microbiológicos e imunológicos têm sugerido que a depressão pode alterar o estabelecimento e a progressão da doença periodontal. Entretanto, dados relacionados ao efeito da depressão e seus mecanismos envolvidos na doença periodontal ainda são limitados. O objetivo deste estudo foi revisar a literatura sobre a influência da depressão na doença periodontal. Concluiu-se que a maioria dos estudos publicados, até o momento, sugere que a depressão pode alterar significativamente a resposta do hospedeiro tanto no nível comportamental quanto imunológico. É provável que a depressão seja considerada um fator de risco real para doença periodontal assim que se obtiverem maiores evidências científicas através de estudos com metodologias padronizadas, tanto na análise dos indicadores clínicos, quanto na mensuração dos quadros depressivos.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto , Depressão , Doenças Periodontais/etiologia , Doenças Periodontais/psicologia , Estresse Fisiológico/imunologia , Periodontite
20.
Fisioter. Bras ; 11(6): 457-461, Nov.-Dez 2010.
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-850805

RESUMO

Lombalgia crônica é uma das causas mais comuns de incapacidade física no mundo. A presença de depressão pode contribuir para a cronificação da dor lombar. O objetivo do presente estudo é revisar a literatura acerca da associação entre lombalgia crônica e depressão. Foi realizada pesquisa bibliográfica na base de dados da PubMed e Bireme, utilizando-se os descritores low back pain, depression e chronic pain. Foram avaliados artigos publicados nos últimos 12 anos (1998-2010) e também aqueles mencionados nas referências envolvendos dados epidemiológicos, repercussões e tratamento de pacientes com lombalgia crônica e depressão. A exata natureza da relação entre depressão e lombalgia não está estabelecida. A sintomatologia depressiva em pessoas com dor lombar crônica está associada à maior incapacitação, pior qualidade de vida e aumento dos gastos com saúde. O tratamento da lombalgia associada à depressão exige equipe multidisciplinar. As metas são a redução da dor, da incapacidade física e da sintomatologia depressiva. O tratamento adequado reduz a cronificação da dor, aumenta a autonomia e produtividade do paciente e melhora a sua qualidade de vida.


Assuntos
Depressão , Dor Lombar
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA