Your browser doesn't support javascript.
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 1 de 1
Filtrar
Mais filtros










Filtros aplicados

Intervalo de ano de publicação
1.
Rev. ciênc. méd. biol ; 6(3): 275-281, set.-dez. 2007. graf, tab
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-530616

RESUMO

O objetivo deste estudo foi verificar a relação entre custo e consumo dos antipsicóticos típicos e atípicos. A coleta de dados foi realizada no Hospital Psiquiátrico Dr. João Machado, Natal, Rio Grande do Norte (RN), Brasil, no período de 2002 a 2005. Para a comparação do custo ou consumo entre os dois grupos de antipsicóticos, utilizou-se o Teste t de Student com nível de significância de 5 por cento. A correlação entre custo e consumo para cada grupo de antipsicótico foi verificada pelo Coeficiente de Correlação de Pearson, com nível de significância de 5 por cento. Os resultados mostraram uma diferença estatisticamente significante entre o custo dos medicamentos típicos e atípicos (p < 0,0001), bem como uma correlação positiva entre custo e consumo para medicamentos atípicos (r = 0,96, p < 0,02). O estudo demonstrou que existe preocupação e compromisso do Estado do Rio Grande do Norte, Brasil, em incrementar a terapia com os antipsicóticos atípicos. A diferença entre os custos dos antipsicóticos típicos e atípicos podem representar um empecilho para incrementar o acesso dos pacientes com esquizofrenia a uma terapêutica que possibilite melhor qualidade de vida.


Assuntos
Antipsicóticos , Economia da Saúde , Política de Saúde , Esquizofrenia
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA