Your browser doesn't support javascript.
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 20 de 25
Filtrar
Mais filtros










Filtros aplicados

Tipo de estudo
Intervalo de ano de publicação
1.
São Paulo; s.n; 20180000. 87 p.
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-970272

RESUMO

O carcinoma epidermoide é a neoplasia maligna mais comum em boca e está entre as principais causas de morbidade e mortalidade em todo o mundo, devido a seu comportamento agressivo, evoluindo à metástase loco regional e a distância. O microambiente tumoral contém numerosos tipos celulares e muita atenção tem sido dada na literatura científica sobre a participação das células inflamatórias no desenvolvimento e progressão do câncer, pois as células neoplásicas são capazes de subverter a resposta imune. Os linfócitos T são o componente central na imunidade antitumoral, através da produção de citocinas por células e morte celular. Pouco se sabe sobre como substratos derivados de células neoplásicas influenciam as células no microambiente tumoral. Assim, o presente estudo propôs analisar a influência do meio condicionado derivado de células de carcinoma epidermoide de língua (SCC4 e MC SCC9) sobre linfoblastos (CEM) e células mononucleares do sangue periférico (PBMC-A e PBMC-B) para compreender melhor seu papel na imunidade anti-tumoral, imunoedição e evasão imune. Após estimulação com meio condicionado, os linfoblastos e as PBMCs foram submetidas ao ensaio de viabilidade celular, de citometria de fluxo e RT-qPCR para analisar a expressão de genes de apoptose e citocinas. O meio condicionado também foi coletado e avaliado por ELISA para verificar as citocinas secretadas pelas SCCs, bem como pela CEM e PBMC. Ambos meios condicionados foram capazes de reduzir a viabilidade da CEM e das PBMCs. A expressão de BCL2 e BAK não foi afetada na CEM, enquanto que MC SCC4 aumentou a expressão de BAK na PBMC-B. Os MCs das SCCs apresentaram expressão reduzida de IL-1?, IL-10 e INF-?. A IL-6 e IL-8 são expressas em níveis um pouco maiores pela SCC4 e superexpressas pela SCC9. A linhagem CEM não apresentou expressão de RNAm de IL-6, enquanto que a PBMC-B apresentou redução da expressão de IL-6 quando cultivada com ambos meios, sendo significativa com o meio MC SCC9. A expressão de RNAm de IL-8 reduziu na CEM e aumentou na PBMC-B com ambos os meios. A diferenciação para células CD4+ aumentou com ambos os MCs nas duas linhagens, reduzindo células CD34+. O MC SCC4 não alterou o número de linfócitos T CD4+/FOXP3+ da CEM e PBMC-B. O MC SCC9 induziu aumento da população CD4+/CD8+ na PBMC-B e amos os MCs induziram aumento da população CD8+/FOXP3+ da PBMC-B. Os resultados sugerem que os produtos derivados de carcinoma epidermoide de língua podem variar nas linhagens celulares, reduzindo a viabilidade, alterando a expressão de citocinas e aumentando as células CD4+ nas duas linhagens e aumentando o perfil CD8+/FOXP3+ e CD4+/CD8+ nas PBMCs.


Assuntos
Carcinoma de Células Escamosas , Diferenciação Celular , Citocinas
2.
Belo Horizonte; s.n; 2016. 47 p.
Tese em Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-913131

RESUMO

A regeneração pulpar pode ser definida como a diferenciação de células progenitoras da porção apical de dentes jovens que resulta na deposição de tecido mineralizado nas paredes dentinárias. A endodontia regenerativa utiliza o conceito de engenharia de tecidos para restaurar os canais radiculares para um estado saudável, permitindo o desenvolvimento contínuo da raiz e tecidos circundantes. É uma alternativa terapêutica promissora que promove o fechamento apical e o desenvolvimento radicular e está indicada em dentes com formação incompleta de raízes, como alternativa à apicificação, um método para induzir uma barreira calcificada em uma raiz com ápice aberto ou desenvolvimento apical contínuo de uma raiz incompleta formada em dentes com polpas necróticas. No entanto, a presença de medicação por períodos prolongados de tempo pode levar a uma fragilidade das paredes radiculares. Devido a isso, há uma constante busca de novas alternativas de tratamento endodôntico que permita o desenvolvimento total da raiz. A regeneração emergiu como uma nova opção de tratamento para os jovens imaturos com necrose pulpar. Até à data, existem vários relatos na literatura de uma variedade de protocolos de tratamento para revascularização, sempre buscando alcançar a melhor maneira de sucesso do tratamento. Diante dessa variedade, é importante estudar a literatura sobre a regeneração da polpa. O objetivo deste estudo é revisar os protocolos na literatura para a regeneração da polpa, diferenciação celular e características do novo tecido formado


Pulp revascularization can be defined as a differentiation of progenitor cells from the apical portion of young teeth that results in deposition of mineralized tissue in the dentinal walls. Regenerative endodontics uses the concept od tissue engineering to restore the root canals to a healthy state, allowing for continued development of the root and surrounding tissue. It id a promising treatment alternative that promotes both apical closure and root development, and is indicated in teeth with incomplete root formation, as an alternative to apexification a method to induce a calcified barrier in a root with an open apex or the continued apical development of an incompletely formed root in teeth with necrotic pulps. However, the presence of medication for prolonged periods of time can lead to a fragility of the root walls. As a consequence there is a constant search for new alternatives of endodontic treatments that allow full root development. Regeneration has emerged as a new alternatives of endodontic treatment option for young immature teeth with pulp necrosis. To date, there are several reports in the literature of a variety of treatment protocols for revascularization, always seeking to anchive the best way to treatment success. In view of this variety, it is important to study the literature on pulp regeneration, cell differentiation and characteristics of the new tissue formed


Assuntos
Polpa Dentária/lesões , Regeneração Tecidual Guiada/tendências , Tratamento do Canal Radicular/tendências , Células-Tronco/fisiologia , Diferenciação Celular/fisiologia
3.
Bauru; s.n; 2015. 165 p. ilus, tab, graf.
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-867335

RESUMO

A desmineralização óssea superficial tem se demonstrado favorável à consolidação de enxertos e ao comportamento celular, entretanto os mecanismos envolvidos ainda não estão esclarecidos. Os subsídios para o embasamento biológico da desmineralização, proporcionado por publicações anteriores, sugeriram que modificações na superfície óssea teriam influenciado o comportamento de pré-osteoblastos em cultura. Assim, este estudo objetivou comparar o efeito de duas concentrações de ácido cítrico na desmineralização de superfícies ósseas onde foram cultivadas células pré-osteoblásticas (MC3T3-E1), e analisar parâmetros de superfície comparando superfícies desmineralizadas a não desmineralizadas. Setenta amostras ósseas bicorticais foram removidas das calvárias de 35 ratos e divididas em grupos para as análises: 1) Microscopia Eletrônica de Varredura (MEV) para avaliação da área de recobrimento e espessura da camada de células sobre as amostras (n = 15) durante 24, 48 e 72 horas: Grupo AC.10 – amostras desmineralizadas por 30 segundos com ácido cítrico 10 %; Grupo AC.50 –amostras desmineralizadas por 30 segundos com ácido cítrico 50 %; e Grupo C (controle) – amostras não desmineralizadas; 2) Microscopia Confocal para análise da área de expressão e intensidade de fluorescência das BMP-2, -4 e -7: AC.10 – seis amostras desmineralizadas conforme item 1); AC.50 – seis amostras desmineralizadas conforme item 1); C – três amostras não desmineralizadas; 3) Microscopia Confocal para análise da rugosidade superficial média (Ra e Sa): Grupos AC.10 e AC.50 com cinco amostras cada, desmineralizadas conforme o item 1), sendo cada amostra seu próprio controle (análises antes e depois da desmineralização). Também foram avaliadas as distâncias entre picos (P-P) e entre picos e vales (P-V) antes e depois da desmineralização; 4) Microscopia Eletrônica de Varredura / Espectroscopia de Energia Dispersiva (MEV / EDS) para análise da composição superficial: mesmas...


The superficial bone demineralization has proved to be a favorable procedure for bone grafts consolidation and cell behavior, however the underlying mechanisms have not been clarified yet. Therefore, this study aimed to compare the effect of two concentrations of citric acid on demineralization of bone surfaces where pre-osteoblastic cells (MC3T3-E1) were cultivated, and analyze surface parameters comparing demineralized bone surfaces with non-demineralized surfaces. Seventy bicortical bone samples were harvested from the calvaria of 35 rats and divided into groups as follows: 1) Scanning Electron Microscopy (SEM) to evaluate the coating area and thickness of cells layers cultured on the samples (n = 15) for 24, 48, and 72 hours: Group CA.10 – samples demineralized for 30 seconds with 10 % citric acid; Group CA.50 – samples demineralized for 30 seconds with 50 % citric acid, and Group C (control) – non-demineralized samples; 2) Confocal Microscopy for analysis of expression area and intensity of fluorescence of BMP-2, -4, and -7: CA.10 – six samples demineralized as item 1); CA.50 – six samples demineralized as item 1); Group C – three non-demineralized samples; 3) Confocal Microscopy for surface mean roughness analysis (Ra and Sa): Groups CA.10 and CA.50 made up of five samples each and demineralized according to item 1), each sample was its own control (analysis before and after demineralization). The distances between peaks (P-P) and between peaks and valleys (P-V) were also evaluated before and after demineralization; 4) Scanning Electron Microscopy / Energy Dispersive Spectroscopy (SEM / EDS) to analyze the surface composition: the same samples of item 3) were evaluated before and after demineralization for atomic percentage (%A) of carbon, oxygen, magnesium, phosphorus, sulfur and calcium. Statistical test was made by adopting the 95 % significance level. Demineralized samples showed cells with morphology in the later stages of differentiation...


Assuntos
Animais , Ratos , Ácido Cítrico/farmacologia , Osteoblastos , Técnica de Desmineralização Óssea/métodos , Células Cultivadas , Diferenciação Celular , Microscopia Confocal , Microscopia Eletrônica de Varredura , Ratos Wistar , Propriedades de Superfície , Fatores de Tempo
4.
São José dos Campos; s.n; 2015. 75 p. ilus, tab, graf.
Tese em Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-867610

RESUMO

Células-tronco da polpa dentária humana são promissoras no tratamento endodôntico, porém antes de utilizá-las clinicamente, deve-se entender suas propriedades biológicas em resposta a estímulos, como o ácido lipoteicóico (LTA) bacteriano. O objetivo deste estudo foi avaliar o comportamento de células SHED (Stem cells from Human Exfoliated Deciduous teeth) após exposição ao LTA bacteriano, verificando os efeitos na proliferação e metabolismo celular, atividade da fosfatase alcalina, deposição de cálcio, expressão de genes associados à mineralização, e liberação de citocinas. Foram utilizadas células SHED tratadas com LTA em diferentes concentrações, sem e com indutores da mineralização (IM). O metabolismo e a proliferação celular foram avaliados pelos ensaios de XTT e SRB. As células foram submetidas a um ensaio enzimático da atividade de fosfatase alcalina, para observação da ativação de processos de mineralização. E foi analisada qualitativamente a presença de deposição de cálcio pelas células pelo ensaio de alizarin vermelho (ARS). A expressão dos genes DSPP (Dentin Sialophosphoprotein) e DMP-1 (Dentin Matrix Protein-1) foi avaliada pela técnica do PCR (Polymerase Chain Reaction). O teste ELISA (Enzyme Linked Immuno Sorbent Assay) foi realizado para detectar e quantificar as citocinas IL-1ß (Interleucina-1ß), IL-6 (Interleucina-6), TNF-α (Fator de Necrose Tumoral-α). Os dados obtidos nos ensaios quantitativos foram analisados estatisticamente por ANOVA complementada pelo teste de Tukey (p<0,05). Foi observado um aumento no metabolismo e proliferação celular com o tempo, não havendo diferenças entre os grupos testados em cada período. Nos grupos sem IM, observou-se um aumento da atividade da fosfatase alcalina das células expostas ao LTA comparados ao controle. Os grupos com indutores de mineralização apresentaram maiores quantidades de calcificações, comparados aos grupos sem IM. Após 3 dias, as células tratadas com LTA bacteriano apresentaram mais zonas ...


Dental pulp stem cells are promising in endodontics, but before clinical treatment it should be studied to understand its biological properties in response to stimuli such as lipoteichoic acid (LTA). The aim of this study was to evaluate the behavior of Stem cells from Human Exfoliated Deciduous teeth (SHED) exposed to LTA, analyzing cell proliferation and metabolism, alkaline phosphatase activity, calcium deposition, gene expression, cytokines production. SHED cells were treated with LTA, in different concentrations, without and with mineralization induction (MI). Cell metabolism and proliferation were evaluated by XTT and SRB. Alkaline phosphatase activity was performed to indicate mineralization process. Also, calcium deposition was observed qualitatively by alizarin red. Gene expression of DSPP (Dentin Sialophosphoprotein) and DMP-1 (Dentin Matrix Protein-1) was evaluated by PCR (Polymerase Chain Reaction). Cytokines IL-1ß (Interleukin-1ß), IL-6 (Interleukin-6), TNF-α (Tumor Necrosis Factor-α) were detected and quantified by ELISA (Enzyme Linked Immuno Sorbent Assay). Statistical analysis of quantitative tests were performed by ANOVA and Tukey test (p<0,05). Metabolism and cell proliferation increased with time and no differences were observed between groups in each period. In groups without MI, there was an increase in alkaline phosphatase activity of cells exposed to LTA compared to control. Groups with mineralization induction showed more calcium deposition, compared to the groups without MI. After 3 days, cells treated with LTA showed more areas of calcification compared to control, and after periods of 7 and 14 days were similar. All groups tested expressed genes DSPP and DMP-1, being slightly higher in groups with MI. The expression of IL-1ß and TNF-α by cells of the tested groups were similar, and IL-6 concentration was expressive, with differences between groups and time periods. According to the methodology and analysis ...


Assuntos
Fosfatase Alcalina , Diferenciação Celular , Citocinas , Polpa Dentária , Expressão Gênica , Proliferação de Células , Células-Tronco
5.
Bauru; s.n; 2015. 107 p. ilus, graf.
Tese em Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-867250

RESUMO

O tecido ósseo possui alto grau de rigidez e resistência à pressão, característica relacionada às suas funções de proteção, sustentação e locomoção. Patologias como periodontite, artrite reumatóide e osteoporose decorrem do desequilíbrio da dinâmica óssea, que ocorre quando os osteoclastos estão em maior atividade em relação aos osteoblastos. O fluoreto (F-) é incorporado nos tecidos mineralizados após ingestão e a sua administração aumenta a formação óssea in vivo, de maneira dependente da dose e da linhagem dos animais. As linhagens A/J e 129P3/J possibilitam a análise dos fenômenos moleculares envolvidos na suscetibilidade e resistência de células ósseas aos efeitos do F- no osso. Neste estudo, avaliou-se a administração in vivo de F- na osteoclastogênese, através da análise da atividade da enzima fosfatase ácida resistente ao tartarato (TRAP), contagem de células TRAP- positivas e quantificação da atividade das metaloproteinases MMP-2 e -9. Para tal, células hematopoiéticas provenientes da medula óssea de camundongos das linhagens 129P3/J e A/J foram cultivadas com M-CSF e RANKL em associação ou não com F-, nas concentrações de 10- 9, 10-7, 10-5, 5x10-5, 5x10-5, 10-4 e 10-3 M. Os dados mostraram que a atividade da TRAP foi semelhante entre as células das duas linhagens de animais, independente do F-. Concomitante à diferenciação osteoclástica, o tratamento das células com F-, independente da concentração, aumentou significativamente a atividade da TRAP em células da linhagem A/J. O aumento da atividade de TRAP foi associada com o aumento do número de osteoclastos formados, na concentração de 10-3 M F-. Já em células dos animais 129P3/J, o F- não alterou a atividade da TRAP bem como a osteoclastogênese. A atividade de MMP-9 foi aumentada em relação à da MMP-2, porém ambas não foram moduladas pelo F-, independente da linhagem. Assim, concluiu-se que as células de ambas as linhagens não diferem com relação à diferenciação de osteoclastos,


The bone tissue has a high degree of rigidity and pressure resistance, characteristic related to its protection, support and locomotion functions. Diseases such as periodontitis, osteoporosis and rheumatoid arthritis arise from dynamic bone imbalance that occurs when osteoclasts present increased activity compared to osteoblasts. Fluoride (F-) is incorporated in mineralized tissues after ingestion and its administration increases in vivo bone formation in dose and strain-dependent manner. The strains A/J and 129P3/J make possible the analysis of molecular phenomena involved in susceptibility and resistance of bone cells to the effect of F- in bone. In this study, we evaluated the effect of F- on the in vitro osteoclastogenesis, by analyzing the fosfatase tartrate-resistant acid (TRAP) activity, TRAP positive cell counts and the activity of MMP-2 and -9 measurements in A/J and 129P3/J differentiated hematopoietic stem cells. Hematopoietic cells were differentiated with M-CSF and RANKL and treated or not with F- in the concentrations of 10-9, 10-7, 10-5, 5x10-5, 5x10-5, 10-4 and 10-3 M.The data show that TRAP activity, an osteoclast marker, was similar between cells from both strains of mice, regardless of F-. In addition, the treatment of A/J cells with F- significantly increased TRAP activity, in a dose-independent manner. This was accompained by the increased TRAP+-osteoclast counts, at 10-3 M F- dose. However, while the MMP-9 activity was aumented when compared to MMP-2, it was not altered by F-, regardless of the strain. Thus, we concluded that cells from both strains do not differ regarding the osteoclast differentiation potential, but they respond differently to F-, whereas A/J and 129P3/J cells are sensitive and resistant to F--induced osteoclastogenesis, respectively.


Assuntos
Animais , Masculino , Feminino , Camundongos , Cariostáticos/farmacologia , Flúor/farmacologia , Fluoretos/farmacologia , Osteoclastos , Osteogênese , Contagem de Células , Células Cultivadas , Diferenciação Celular , Metaloproteinases da Matriz/análise , Metaloproteinases da Matriz , Reprodutibilidade dos Testes , Reabsorção Óssea/prevenção & controle , Fatores de Tempo
7.
São Paulo; s.n; 2014. 104 p. ilus, tab. (BR).
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-867269

RESUMO

As células-tronco mesenquimais (MSCs) são células multipotentes que tem o potencial de se diferenciarem em várias linhagens celulares in vitro e in vivo. Estas são encontradas em nichos específicos em muitos órgãos e tecidos adultos, tais como medula óssea, tecido adiposo, músculo, dente, cordão umbilical, pele, cartilagem articular, sendo facilmente isoladas, expandidas e com alta capacidade proliferativa in vitro. Assim, estas características têm despertado grande interesse na sua utilização como uma potencial fonte de células para o reparo e regeneração tecidual de diversos órgãos e tecidos. Pouco se conhece sobre as moléculas que são secretadas pelas MSCs para a matriz extracelular (MEC) e que estão na interface célula-matriz e estão presentes em vias de transdução de sinais intracelulares. Desta forma, o objetivo deste trabalho foi avaliar o perfil de expressão gênica de enzimas que remodelam a MEC (metaloproteinases de matriz MMPs: 15 membros) e seus inibidores (inibidores teciduais das metaloproteinases de matriz TIMPs: 4 membros e RECK) e proteína da membrana plasmática (Caveolina-1) durante a diferenciação osteogenica in vitro a partir de células-tronco mesenquimais da polpa dentária humana (DPSCs). Para tanto, utilizamos polpas dentárias humanas provenientes de terceiros molares de indivíduos adultos (18-32 anos n=3) e as DPSCs isoladas foram imunofenotipadas por citometria de fluxo, avaliada a taxa de proliferação, induzidas as diferenciações osteogênica (1, 7, 14, 21 e 28 dias) e adipogênica (28 dias) e os transcritos avaliados por PCR em tempo real. Estas células foram positivas para o marcadores CD29, CD105, STRO-1, CD44, CD90 negativas os marcadores para CD31, CD45, CD34 e CD14 e são capazes de se diferenciarem em osteoblastos e adipócitos.


Verificamos que as MMP-2, MMP-3, MMP-13, MMP-14, MMP-25, TIMP-3, TIMP-4 e Caveolina-1 foram diferencialmente expressas durante a diferenciação osteogênica, sendo reguladas positivamente apenas no período de 28 dias pós indução e a TIMP-1 regulada positivamente desde o primeiro dia de indução. A MMP-11 e MMP-16 não foram detectadas nas DPSCs e nem durante a diferenciação osteogênica. Desta forma, concluímos que MMPs encontradas bem como a Caveolina-1 e as TIMP-3 e TIMP-4 podem estar participando dos dos eventos de diferenciação óssea em DPSCs, a TIMP-1 pode estar participando de eventos biológicos relacionados as propriedades do estado indiferenciado das DPSCs e da diferenciação óssea e que as MMP-11 e MMP-16 não são expressas pelas DPSCs e também não estão envolvidas na diferenciação osteogênica.


Mesenchymal stem cells (MSCs) are multipotent cells that have the potential to differentiate into various cell lineages in vitro and in vivo. These are found in specific niches in many adult organs and tissues, such as bone marrow, adipose tissue, muscle, tooth, umbilical cord, skin, cartilage, being easily isolated, expanded and high proliferative capacity in vitro. Thereby, these features have attracted great interest in its use as a potential source of cells for tissue repair and regeneration of various organs and tissues. Little is known about the molecules secreted by MSCs into the extracellular matrix (ECM), present at cell-matrix interface and present on intracellular signal transduction. Thus, the aim of this study was to evaluate gene expression profile of ECM remodeling enzymes (matrix metalloproteinases MMPs: 15 members) and their inhibitors (tissue inhibitors of matrix metalloproteinases TIMPs: 4 members and RECK) and plasma membrane proteins (Caveolin-1) that participate in signaling pathways during osteogenic differentiation in vitro from human dental pulp stem cells (DPSCs). Normal human impacted third molars were collected from adults (18-32 years-old n=3) and DPSCs isolated were immunophenotyping by flow cytometry, evaluated the proliferation ratio, induced to osteogenic (1, 7, 14, 21 and 28-days) and adipogenic differentiation (28-days) and the transcript levels evaluated by Real Time PCR.


These cells are positive for CD29, CD105, STRO -1, CD44, and CD90 markers and negative for CD31, CD45, CD34, and CD14 markers and are capable of differentiating into osteoblasts and adipocytes. We found that MMP- 2, MMP -3, MMP -13, MMP -14, MMP -25, TIMP-3, TIMP-4 and Caveolin-1 were differentially expressed during osteogenic differentiation, being upregulated only at 28 days post-induction and TIMP-1 upregulated from the first day of induction. MMP-11 and MMP-16 were not detected in DPSCs neither during differentiation. Thus, we conclude that MMPs, Caveolin-1 found as well as TIMP-3 and TIMP-4 may be participating in the event of bone differentiation in DPSCs, TIMP-1 may participate in biological events related to the properties of the undifferentiated state DPSCs and osteogenic differentiation, MMP-11 and MMP-16 are not also expressed by DPSCs and are not involved in osteogenic differentiation.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto Jovem , Adulto , Polpa Dentária , Diferenciação Celular/fisiologia , Metaloproteases , Proteínas de Membrana/análise , Células-Tronco
8.
Braz. dent. sci ; 17(3): 31-38, 2014. ilus, graf
Artigo em Inglês | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-743038

RESUMO

Objective: Regenerative medicine and tissue engineering are searching for novel stem cell based therapeutic strategies that will allow for efficient treatment or even potential replacement of damaged organs. The purpose of this work was to study the behavior of human umbilical cord vein cells (UCVs) through osteoblastic differentiation. Material and Methods: Cells were isolated, expanded and cultivated in osteogenic medium. After 7, 14 and 21 days of culture, cell morphology, proliferation, viability and alkaline phosphatase (ALP) activity were evaluated. Immunolocalization of ALP was performed after 1, 7 and 14 days of culture and cells were analyzed in a fluorescence microscope. Statistical test utilized was Mann-Whitney (p < 0.05). Results: The results showed that osteogenic medium induced morphological changes in UCVs. Besides, it permitted cell viability and proliferation, as well as an increase in alkaline phosphatase expression and activity. Conclusion: It is concluded that these cells can differentiate into osteoblastic-like cells, contributing to applications for cell therapy and tissue engineering.


Objetivo: A medicina regenerativa e engenharia de tecidos estão à procura de estratégias terapêuticas baseadas em células-tronco que permitam tratamento eficiente ou até mesmo potencial substituição de órgãos danificados. O objetivo deste trabalho foi estudar o comportamento das células da veia do cordão umbilical humano (UCVs) através da diferenciação osteoblástica. Material e Métodos: As células foram isoladas, expandidas e cultivadas em meio osteogênico. Depois de 7, 14 e 21 dias de cultura, foram avaliadas a morfologia celular, a proliferação, a viabilidade e a fosfatase alcalina (ALP). Imunolocalização de ALP foi realizada após 1, 7 e 14 dias de cultura e as células foram analisadas em microscópio de fluorescência. O teste estatístico utilizado foi de Mann-Whitney (p < 0,05). Resultados: Os resultados mostraram que o meio osteogênico induziu alterações morfológicas nos UCVs. Além disso, foram evidenciadas viabilidade e proliferação celulares, bem como um aumento na expressão e atividade da fosfatase alcalina. Conclusão: Conclui-se que as células utilizadas no presente estudo podem diferenciar-se em células semelhantes à osteoblastos, contribuindo para aplicações em terapia celular e engenharia de tecidos


Assuntos
Humanos , Diferenciação Celular , Osteoblastos , Células-Tronco , Cordão Umbilical
9.
São José dos Campos; s.n; 2014. 76 p. ilus, tab, graf.
Tese em Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-867616

RESUMO

Os processos de reparo da polpa dentária frente a procedimentosconservadores passam, em geral, pelo confronto entre possíveismicrorganismos presentes na área da exposição e as células responsáveispela diferenciação e produção de tecido mineralizado. Entretanto, a literaturaainda necessita de informações sobre o efeito direto de produtos bacterianossobre este processo. O objetivo deste estudo foi avaliar os efeitos dolipopolissacarídeo (LPS) bacteriano (E. coli) sobre células progenitoras dapolpa dental, utilizando-se condições basais e com mineralização préinduzidapor meio osteogênico. Para isso, células progenitoras caracterizadas foram submetidas a diferentes concentrações de LPS bacteriano (com ou sem indutor da mineralização [lM]), para observação da atividade de fosfatase alcalina (ALP). A concentração mínima de 200 ng/ml,para se verificar alteração de atividade enzimática de ALP, foi usada para seobservar os efeitos funcionais de mineralização (pelo alizarin vermelho -ARS), expressão das citocinas IL-1β e TNF-α, além da expressão dos genesDSPP e DMP-1. Os dados quantitativos foram analisados por ANOVA e testede Tukey. As células em meio osteogênico com as diferentes concentrações de LPS apresentaram baixa atividade da ALP no curto prazo, comparadas às tratadas com meio α-MEM. Estas apresentaram alta atividade, comparadas ao controle. 200 ng/ml do LPS afetaram o processo de mineralização ao longo do tempo, reduzindo a ação de mineralização dos grupos que o associaram ao indutor de mineralização. Houve expressão de IL-1β e TNF-α para todos os grupos em todos os tempos, além disso, para a IL-1β, o grupo que associou os 200ng/ml de LPS com o meio indutor após 7 diasapresentou maior expressão. Houve expressão do gene DMP-1 e nãoexpressão de DSPP e ocorreu uma maior expressão gênica nos grupostratados com meio indutor da mineralização no gene DMP-1. Esses achados sugerem que o potencial inflamatório do LPS sobre as células progenitoras da polpa..


Dental pulp repair processes due to conservative procedures are, in general,affected by the conflicts between possible microorganisms at the area ofexposure and cells responsible for differentiation and production ofmineralized tissue. However, the literature still lacks information on howbacterial products affect these processes directly. The purpose of this studywas to evaluate the bacterial lipopolysaccharide (E. coli LPS) effects on dental pulp progenitor cells, regarding the expression of differentiation genesand function of mineralization, using basal conditions and pre-inducedmineralization by osteogenic media. Characterized progenitor cells wasinitially submitted to different LPS concentrations (with or without osteogenic medium [lM]), to observe alkaline phosphatase activity (ALP). The minimal concentration (200 ng/ml) to observe phosphatase enzymatic activity was used to assess the functional mineralization effects (by alizarin red staining - ARS), cytokine production (IL-1β e TNF-α), besides the gene expression for odontoblast differentiation markers (DSPP and DMP-1). Quantitative data will be statistically analyzed by ANOVA and Tukey’s test. Cells in osteogenic medium with different concentrations of LPS showed low ALP activity shortterm compared to those treated with α-MEM. These showed high activity, compared to control. 200 ng/ml of LPS did affect the mineralization process over time, reducing the action of mineralization of the groups that haveassociated LPS with the IM. There was expression of IL-1β and TNF-α for allgroups at all times, additionally, IL-1β for the group that has associated 200ng/ml of LPS with osteogenic media after 7 days showed higher expression.There was expression of DMP-1 and DSPP genes and the expression ingroups treated with IM was greater in DMP-1. These findings suggest that theinflammatory potential of LPS on the pulp progenitor cells contribute to anearly mineralization ...


Assuntos
Diferenciação Celular , Odontoblastos , Células-Tronco
10.
Full dent. sci ; 4(16): 559-561, out. 2013.
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-695729

RESUMO

As células-tronco mesenquimais são uma população de células adultas obtidas através da medula óssea, sangue do cordão umbilical, e estão cada vez mais sendo utilizadas para tratamentos regenerativos e pesquisas de engenharia tecidual nas mais diversas áreas da medicina, isto devido ao fato de essas células serem multipotenciais, que conseguem se diferenciar em quase todos os tipos de tecidos humanos, com exceção da placenta e anexos embrionários. Quando coletadas são criopreservadas a temperaturas abaixo de 180°C para manterem o seu potencial de proliferação e diferenciação osteogênica in vitro. Elas possuem capacidade de se autoproliferar e se diferenciar ao longo de várias linhagens, incluindo osso, cartilagem, tecido adiposo, células musculares e neurais. O objetivo deste artigo é revisar a literatura sobre a capacidade que as células-tronco possuem em se diferenciar e proporcionar o crescimento ósseo através de seu potencial osteogênico (contendo células formadoras de osso), osteoindutor (contendo substâncias osteoindutoras) e osteocondutor (servem como uma base para formação de osso). Uma variedade de opiniões a respeito do tipo de materiais que deve ser utilizado para aplicações clínicas em defeitos ósseos torna ampla a discussão sobre resultados de traumas e ressecções de tumores ósseos. Para isso, os biomateriais fornecem uma excelente base para o crescimento ósseo quando combinado com um aspirado de concentrado de medula óssea. Apesar de estar comprovado cientificamente que as células estromais podem formar ossos, ainda não há estudos clínicos suficientes.


The mesenchymal stem cells are a population of mature cells obtained from bone marrow and umbilical cord blood. These cells are being widely used on regenerative treatment and tissue engineering research in several areas of medicine. That is occurring due to the fact that these cells are multipotent, being able to differentiate themselves into almost every type of human tissues, with the exception of the placenta and embryonic annexes. When collected these cells, are cryopreserved at temperatures below -180°C to preserve their potential for proliferation and osteogenic differentiation in vitro. They also have the ability to self-proliferate and differentiate along various cell lineages, including bone, cartilage, adipose tissue, muscle, and nerve cells. The aim of this study was to review the literature on the ability that mesenchymal cells have to differentiate themselves and provide bone growth through its osteogenic potential (containing bone-forming cells), osteoinductivity potential (containing osteoinductive substances) and osteoconductive (serve as a basis for bone formation). A variety of opinions about the type of materials that should be used for clinical application in bone defects amplifies the discussion around trauma and bone tumors resections.Biomaterials provide an excellent foundation for new bone growth when combined with an aspirated bone marrow concentrate. Although, it has been scientifically proven that stromal cells can form new bones, there are not enough clinical studies about it.


Assuntos
Células-Tronco/fisiologia , Criopreservação/métodos , Criopreservação , Diferenciação Celular/fisiologia , Diferenciação Celular/genética , Osteogênese/genética , Medula Óssea , Regeneração Óssea
11.
Bauru; s.n; 2013. 147 p. tab, ilus, graf.
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-866939

RESUMO

Dentre os vários compostos utilizados na pesquisa e na terapia de doenças osteo-degenerativas, a fototerapia com laseres de baixa potência (LLLT) e os diodos emissores de luz (LEDs) vem sendo investigada com o intuito de avaliar seus efeitos no metabolismo ósseo. Estes, que possuem comprimentos de ondas específicos, atuam na biomodulação das células, funcionando como um agente terapêutico, reequilibrando e normalizando a sua atividade. No entanto, pouco se sabe sobre o efeito dos diferentes espectros na proliferação e diferenciação de osteoblastos humanos, bem como seus efeitos no metabolismo celular como a síntese e a ativação de proteínas sinalizadoras envolvidas nesses processos. Diante disso, o objetivo deste trabalho foi avaliar, comparativamente, a influência da fototerapia com LLLT e LED na proliferação e diferenciação de osteoblastos humanos. Além disso, investigamos o envolvimento da ativação da via de sinalização ERK1,2 nestas respostas, utilizando o seu inibidor específico e/ou avaliando a sua ativação durante a proliferação e após fototerapia. Para esse estudo, osteoblastos humanos (HOAL) foram cultivados em meio de cultura DMEM suplementado com 10% de soro fetal bovino (SFB) e incubados em estufa de CO2. As células foram irradiadas pontualmente com os laseres vermelho (660nm), infravermelho (780nm) e LED (637nm), nas doses de 10, 20 e 50 J/cm2 na potência de 40mW, após adesão celular. Após 24, 48, e 72 horas foram realizados os ensaios de redução do MTT (brometo de 3-(4,5-dimetiltiazol-2-yl)-2,5- difeniltetrazólio) e cristal violeta (CV) para avaliar a viabilidade das células e após 72 horas foi realizada a análise da proliferação por citometria de fluxo nos quais os resultados sugerem aumento de células viáveis ou proliferação quando estimuladas pelos diferentes espectros. Após a verificação do efeito positivo dos laseres e LED na viabilidade e/ou proliferação, foi realizada a análise da ativação da proteína intracelular ERK...


Among the various compounds used in research and bone degenerative diseases therapy, phototherapy with low level laser (LLLT) and light emitting diodes (LEDs) has been investigated in order to evaluate its effects on bone metabolism. Those, who have specific wavelengths, act in biomodulation cells functioning as a therapeutic agent, rebalancing and normalizing their activity. However, little is known about the effect of the different spectra in the proliferation and differentiation of human osteoblasts and their effects on cellular metabolism as well as the synthesis and activation of signaling proteins involved in these processes. Therefore, the aim of this study was to compare the influence of LLLT and LED phototherapy in the proliferation and differentiation of human osteoblasts. In addition, we investigated the involvement of activation of ERK1,2 signaling pathway these responses using its specific inhibitor and/or evaluating their activation during the proliferation and after phototherapy. For this study, human osteoblasts (HOAL) were cultured in DMEM culture medium supplemented with 10 % fetal bovine serum (FBS) and incubated in CO2 incubator . Cells were irradiated with punctual red lasers (660nm), infrared (780nm) and LED (637nm) at doses of 10, 20 and 50 J/cm2 in power 40mW, after cell adhesion. After 24, 48, and 72 hours, MTT assay (- (4,5- dimethylthiazol-2- yl) -2,5 - diphenyltetrazolium bromide 3 ) and violet crystal (CV) were performed to assess the viability of cells and after 72 hours, was performed of proliferation analysis by flow cytometry. The results suggest an increase in viable and proliferation of cells when stimulated by different spectra. After checking the positive effect of lasers and LED viability and/or proliferation, analysis of ERK activation of intracellular protein by western blotting using a specific antibody was performed 10 minutes after the spot irradiation. We show that irradiation of HOAL cells with LLLT at a dose...


Assuntos
Humanos , Diferenciação Celular , Osteoblastos/efeitos da radiação , Proliferação de Células/efeitos da radiação , Terapia com Luz de Baixa Intensidade/métodos , Western Blotting , Células Cultivadas , Citometria de Fluxo , Lasers Semicondutores , Sobrevivência Celular/efeitos da radiação , Fatores de Tempo
13.
Bauru; s.n; 2011. 76 p. ilus, graf.
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-707674

RESUMO

Resultados de pesquisas prévias tem encontrado potencial aumentado para a consolidação de enxertos ósseos mediante desmineralização do material enxertado e/ou das superfícies de consolidação. Entretanto há carência de embasamento apoiado em evidências biológicas do benefício de tal procedimento. Para testar esta hipótese, o tecido ósseo da calvária de cobaias (Cavia porcellus) foi exposto ao condicionamento por ácido cítrico durante 15, 30, 90 e 180 segundos (grupos teste). Quarenta e cinco discos ósseos de três milímetros de diâmetro foram removidos dos animais, dos quais 36 foram condicionados com ácido cítrico pH 1 a 50% e nove não receberam condicionamento (grupo controle). Sobre nove discos de cada grupo foram cultivados pré-osteoblastos MC3T3-E1 durante 24, 48 e 72 horas (três discos de cada grupo em cada tempo). Análises da morfologia celular, do número de células aderidas sobre as superfícies e da área de cobertura destas superfícies por préosteoblastos foram realizadas à microscopia eletrônica de varredura. Observou-se aumento do número de células aderidas às superfícies com o tempo, independentemente de haver condicionamento ou de seu tempo de aplicação. Entretanto, essa diferença só foi estatisticamente significante intragrupos (p<0,05) e quando comparados os períodos de 24 e 72 horas de incubação. A área de cobertura das superfícies por células aumentou significantemente com o tempo somente nos grupos teste, também entre os períodos de incubação de 24 e 72 horas (p<0,01). O grupo controle apresentou-se com 50% ou menos de área de cobertura superficial em relação aos demais. A duração de aplicação do ácido não interferiu significantemente nesse parâmetro de avaliação, mas nos grupos 15 e 30, a área de recobrimento ósseo mais do que triplicou às 72 horas em relação às 24 horas (p<0,01), com cerca de 70% das superfícies cobertas por células, contra 30% no grupo controle. Conclui-se que a desmineralização óssea...


Results of previous research has found increased potential for the consolidation of bone grafts by demineralization of the graft material and / or areas of consolidation. However there is a lack of foundation supported by biological evidence of benefits from such procedures. To test this hypothesis, the bone tissue of the calvaria of guinea pigs (Cavia porcellus) were exposed to conditioning by citric acid for 15, 30, 90 and 180 seconds (test group). Forty-five bone disks measuring three millimeters in diameter were removed from the animals, of which 36 were conditioned with citric acid pH 1 to 50% and nine did not receive conditioning (control group). About nine disks in each group were pre-cultured with MC3T3- E1 osteoblasts for 24, 48 and 72 hours (three discs of each group at each time point). Analysis of cell morphology, number of cells attached on the surface and the coverage area of these surfaces by pre-osteoblasts were performed on scanning electron microscopy. There was na increase in the number of cells attached to surfaces over time, regardless of conditioning or application time. However, this difference was not statistically significant intra-group (p <0.05) when comparing the periods of 24 and 72 hours of incubation. The coverage area of the surfaces of cells increased significantly with time only in the test groups, also among the incubation periods of 24 and 72 hours (p <0.01). The control group presented with 50% or less of surface area coverage compared to the other. The duration of application of the acid did not affect significantly this parameter of evaluation, but in groups 15 and 30, the bonearea covered more than tripled from 24 to 72 hours (p <0.01), with about 70 % of the area covered by cells, versus 30% in the control group. It was concluded that bone demineralization in the studied conditioning times provides a substrate on which cells acquire pre-osteoblastic morphology compatible with...


Assuntos
Animais , Masculino , Cobaias , Crânio/citologia , Osteoblastos/fisiologia , Técnica de Desmineralização Óssea/métodos , Ácido Cítrico/química , Adesão Celular/fisiologia , Diferenciação Celular/fisiologia , Microscopia Eletrônica de Varredura , Movimento Celular/fisiologia , Propriedades de Superfície , Fatores de Tempo
14.
Bauru; s.n; 2009. 152 p. ilus, graf.
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-542585

RESUMO

A engenharia de tecido pulpar tem como objetivo substituir a polpa dentária inflamada ou necrosada por um tecido saudável e funcional, capaz de formar nova dentina para reparar a estrutura dentária perdida. Assim, os objetivos deste trabalho foram: avaliar a habilidade de diferenciação de células tronco de dentes decíduos exfoliados humanos (SHED) em odontoblastos funcionais, demonstrando a formação de tecido mineralizado in vivo; e estudar o efeito de VEGF em SHED com relação à estimulação de vias de sinalização celular (STAT3, AKT e ERK), proliferação, migração, formação de estruturas tubulares e diferenciação em células endoteliais. O início do processo de mineralização de SHED tratadas com dexametasona, ácido ascórbico 'beta' - glicerofosfato pôde ser detectado por meio da produção da enzima fosfatase alcalina a partir da segunda semana de cultura, mas a expressão de RNAm para DSPP só foi observada após 28 dias de indução. Utilizando-se o modelo de fatias de dentes e matrizes condutivas implantadas no dorso de camundongos imunodeprimidos, demonstrou-se a diferenciação de SHED em células semelhantes a odontoblastos, as quais tiveram imunomarcação positiva com o anticorpo DMP-1. A deposição de dentina, seguindo um ritmo centrípeto de crescimento, numa taxa de 14,1 µm por dia também foi demonstrada por meio da marcação com tetraciclina. O tratamento das SHED com VEGF estimulou a fosforilação de ERK e AKT e a diminuiu a fosforilação de STAT3 em um período de uma hora, provavelmente por meio de sua ligação com os receptores VEGFR-1 e NP-1 presentes nestas células. Além disso, VEGF intensificou a organização das SHED em estruturas tubulares, havendo diferença estatisticamente significativa entre os grupos tratado e não tratado a partir do 5o dia de tratamento. Entretanto, VEGF não estimulou a proliferação nem a migração destas células. Os resultados de RT-PCR mostraram que SHED cultivadas em fatias de dentes e ...


Dental pulp tissue engineering aims to replace the inflamed or necrotic pulp by a healthy and functionally competent tissue able to form new dentin in order to repair lost structure. The purposes of this work were: to evaluate the differentiation ability of stem cells from human exfoliated deciduous teeth (SHED) into functional odontoblasts, showing the formation of mineralized tissue in vivo; and to study the effect of VEGF on SHED with regards to the stimulation of cell signaling pathways (STAT3, AKT and ERK), the proliferation, migration, capillary sprouting, and the differentiation into endothelial cells. The beginning of the mineralization process of SHED treated with dexamethasone, ascorbic acid and beta-glycerophosphate could be detected through the production of alkaline phosphatase after the second week of culture, but the expression of DSPP mRNA was only observed after 28 days of induction. Using the tooth slice and scaffold model implanted in the dorsum of immunocompromised mice, the differentiation of SHED into odontoblast-like cells, which were immunostained with DMP-1 antibody, was demonstrated. Dentin deposition following a centripetal rhythm, in a rate of 14.1 µm per day, was also shown through the tetracycline labeling. VEGF treatment of SHED stimulated the ERK and AKT phosphorilation, and decreased the phosphorilation of STAT3 over 1 hour period, presumably due to its binding to VEGFR-1 and NP-1 receptors in these cells. In addition, VEGF enhanced SHED organization into tubular structures, with statistically significant difference between the treated group and the non-treated one after the 5th day of treatment. However, VEGF did not stimulate proliferation and migration of these cells. RT-PCR results demonstrated that SHED seeded in the tooth slices and scaffolds expressed VEGFR-2 after the first day of VEGF stimulation...


Assuntos
Adolescente , Adulto , Diferenciação Celular , Dente Decíduo/citologia , Células Endoteliais , Odontoblastos , Células-Tronco , Esfoliação de Dente , Vasos Sanguíneos , Dentinogênese , Fatores de Crescimento do Endotélio Vascular
15.
Rev. fac. odontol. Univ. Fed. Bahia ; 37: 77-81, jul.-dez. 2008.
Artigo em Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-858105

RESUMO

A matriz extracelular (MEC) é uma estrutura complexa, altamente organizada e tem um papel essencial na sobrevivência, migração e proliferação das células adjacentes. Composta por importantes proteínas a MEC influencia nos principais programas de crescimento celular, diferenciação e apoptose. As interações célula-matriz foram elucidadas em detalhes em detalhes por vários processos biológicos, especialmente morfogênese e diferenciação, mas também desempenha um papel importante durante situações patológicas, como cicatrização de feridas e progressão tumoral. O presente estudo objetiva realizar uma revisão de literatura sobre a composição da MEC, abordando as interações célula-matriz e a sua importância nas atividades celulares


Assuntos
Apoptose , Comunicação Celular , Diferenciação Celular , Crescimento Celular , Matriz Extracelular
16.
Rev. dental press periodontia implantol ; 2(2): 68-79, abr.-jun. 2008. ilus, tab, graf
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-605481

RESUMO

A associação dos implantes de titânio com tecido ósseo desenvolvido em cultura poderá contribuir para o tratamento de casos clínicos complexos. O objetivo deste trabalho foi viabilizar a formação do tecido a partir da cultura de célula-tronco hematopoética periférica humana (CTHPh) e avaliar o seu crescimento em implantes de titânio, com diferentes superfícies e tamanhos, para definir o melhor resultado. As CTHPhs foram coletadas no sangue periférico por aféresis e cultivadas em meio D-MEN modificado, em placas de cultura com 24 poços, onde foram incluídos implantes de titânio de 3 e 7mm com superfície lisa e texturizada (por jateamento e ataque de ácido), durante 29 dias. A cultura, com corpo-de-prova identificado, teve “cultura controle” sem o corpo-de-prova. Foram avaliados: adesão celular, após 4 horas da inclusão e no 280 dia (D28); curva de crescimento (D1 e D28); atividade da fosfatase alcalina e proteínas totais dos sobrenadantes das culturas (4 horas e D4, D6, D9, D12, D16, D22, D28). Usou-se estatística descritiva na apresentação dos resultados. Concluiu-se que o tamanho dos implantes (3 ou 7mm) não influenciou no desenvolvimento da cultura; quanto à superfície, os implantes texturizados mostraram maior crescimento e adesão celular, maiores valores de atividade da fosfatase alcalina e proteínas totais, apontando para efeito favorável na formação de tecido ósseo in vitro.


The association of titanium implants with cultured bone tissue could contribute to the treatment of complex affections. The aim of this study was to obtain tissue formation from human haematopoietic stem cell (hHSC) and to evaluate the growth in titanium implants, with different surfaces and sizes in order to determine the best results. The hHSC was obtained from blood and cultured for 29 days in 24-well tissue culture plates containing Dulbecco's modified essential medium (Gibco®) and titanium implants of 3 and 7mm with smooth and rough surfaces. Negative controls were included. Were evaluated: cell adhesion after 4 hours of inoculation and again at day 28 (D28): growth curve at day 1 (D1) and day 28 (D28): activity of alkaline phosphatase and total protein from culture supernatant (4 hours, D4, D6, D9, D12, D16, D22, D28). Were applied descriptive statistics to the data. It was concluded that the size of implant (3 or 7mm) did not interfere with development of the culture. Rough surface implants showed increased growth and cell adhesion, greater alkaline phosphatase and total proteins activity, indicating favorable effect to the formation of bone tissue in-vitro.


Assuntos
Humanos , Diferenciação Celular , Células-Tronco Hematopoéticas/citologia , Osteoblastos , Osso e Ossos , Próteses e Implantes , Propriedades de Superfície , Titânio
17.
Porto Alegre; s.n; 2008. 61 p. ilus.
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-509987

RESUMO

O presente estudo utilizou o modelo fatia-dental/matriz-polimérica para avaliar a influência do tratamento dentinário e das BMPs dentinárias na diferenciação das células-tronco da polpa de dentes decíduos (SHED). Secções transversais (1mm) foram preparadas a partir de terceiros molares humanos extraídos. Matrizes poliméricas a base de ácido poli-L-Iático (PLLA) foram criadas no interior da cavidade pulpar das secções dentinárias, tratadas com solução de EDTA a 10%; NaOCI a 5.25%; ou permanecendo sem tratamento. Matrizes poliméricas confeccionadas sem as fatias dentais foram utilizadas como controle. As células (5x10 na quarta potência) foram semeadas nas matrizes e, após 7, 14, 21 e 28 dias de cultura in vitro, a expressão de marcadores de diferenciação odontoblástica (DSPP, DMP1 e MEPE) e a proliferação celular (WST-1) foram avaliadas. Células (5x10 na quinta potência) semeadas nas matrizes foram transplantadas em camundongos imunodeficientes e cultivadas in vivo por um período de 14 e 28 dias. Para avaliar a atividade das BMPs dentinárias, 5x10 na quarta potência, células foram semeadas em matrizes poliméricas com fatia dental e cultivadas na presença de anticorpos anti-BMP-2, -4, ou -7 (2 µg/ml) durante 14 dias. Adicionalmente, 5x10 na quinta potência, células foram tratadas com rhBMP-2, -4, ou -7 (100ng/mL) por 24hs. As células cultivadas in vitro e in vivo alteraram sua expressão genética durante o curso do tempo. DSPP, DMP-1 e MEPE foram expressos por células cultivadas in vitro após 14 dias (tratamento com EDTA e dentina sem tratamento) e in vivo após 28 dias (EDTA), não sendo detectados nos grupos NaDCI e nas células cultivadas nas matrizes sem fatia dental. A proliferação foi reduzida com a diferenciação celular (p<0.05). A utilização de BMP-2/4Ab no meio de cultura exerceu um efeito inibitório na expressão dos marcadores de diferenciação celular, não ocorrendo quando do cultivo das SHED na presença de BMP-7Ab. DSPP, DMP-1 e MEPE foram expressos por...


The effect of dentin pre-treatments and dentin-derived BMPs on SHED differentiation was tested using the Tooth-Slice Scaffold model (TSS). Dentin slices (1mm thickness) were prepared from extracted human third molars. Biodegradable PLLA scaffolds were prepared inside the pulp chamber of the tooth-slices, treated alternatively with a 5.25% NaOCI or 10% EDTA solution, or remaining untreated (WO-T). PLLA sponge scaffolds with no tooth-slice(PSS) were used as control. SHED(5x10 to th fourth power) were seeded in TSS and PSS and after 7,14,21 and 28 days in culture, RT-PCR (DSPP, DMP1 and MEPE) and WST-1 proliferation assay were performed. Additionally, cells (5x10 to the fifith power) were seeded inTSS and PSS and transplanted into SCID mice (14 and 28 days). To verify the dentin-derived BMPs bioactivity, SHED (5x10 to the fourth power) were cultured in TSS in the presence of anti-human BMP-2,-4, and -7 antibodies for 14 days. Besides, cells in culture were treated with rhBMP-2; -4; or -7 for 24 hours. After in vitro and in vivo time course, SHED altered their genetic expression. The cells cultured in vitro in the TSS (EDTA or WO-T) expressed the differentiation markers after 14 days and maintained expression thereafter. Cell proliferation rate was reduced following the differentiation (p<0.05). Cells transplanted in vivo expressed DSPP, DMP-1 and MEPE after 28 days (EDTA). No transcripts were found in tooth-slices treated with NaOCI or in PSS groups. BMP-2/4Ab prevented the differentiation process and no inhibitory effect was detected for BMP-7Ab. After 24 hours, expression of DSPP, DMP-1 and MEPE was found for rhBMP-2, and DSPP and DMP-1 for rhBMP-4 and rhBMP-7 treated SHED, but not for untreated cells. The tooth slice scaffold model suggests that dentin can provide the environment for SHED differentiation and dentin-derived morphogenic signals BMP-2 and BMP-4 play an important role in this process.


Assuntos
Humanos , Diferenciação Celular , Polpa Dentária , Dentina , Proliferação de Células , Células-Tronco , Engenharia Tecidual
19.
Porto Alegre; s.n; 2006. 69 p. ilus, tab.
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-440971

RESUMO

O propósito do presente estudo foi avaliar o comportamento de células pulpares humanas expostas ao TGFß1 e ao aFGF, em cultura, nas seguintes concentrações: TGFß1 a 1ng/mL, TGFß1 a 5ng/mL, TGFß1 a 1ng/mL + aFGF a 5ng/mL, TGFß1 a 5ng/mL + aFGF a 5ng/mL e aFGF a 5ng/mL. Foi avaliada a morfologia celular, a atividade da fosfatase alcalina, através de ensaio com pNPP como substrato e a expressão das proteínas osteocalcina, sialoproteína óssea e sialofosfoproteína de dentina, através de RT-PCR. Após quatro dias, verificou-se que a média do número de nucléolos no grupo tratado com TGFß1a 1nglmL foi significativamente maior que no grupo tratado com aFGF a 5ng/mL. A média da atividade da fosfatase alcalina no grupo tratado com TGFß1 a 1 ng/mL foi significativamente maior que no grupo tratado com TGFß1 a 5ng/mL + aFGF a 5ng/mL. Foi observada a expressão de osteocalcina em todas as células pulpares humanas que proliferaram em cultura. Entretanto, no grupo em que foi utilizado o aFGF a 5ng/mL houve diminuição da expressão da osteocalcina. A exposição dos fatores não induziu a expressão de componentes da matriz de dentina tais como BSP e DSPP. Sugere-se que as células expostas ao TGFß1 1ng/mL foram estimuladas, apresentando uma maior atividade celular e as células expostas ao aFGF 5ng/mL foram inibidas, apresentando uma menor atividade celular.


Assuntos
Humanos , Fosfatase Alcalina , Técnicas de Cultura de Células , Diferenciação Celular , Fatores de Crescimento de Fibroblastos , Odontoblastos , Osteocalcina , Sialoglicoproteínas , Fator de Crescimento Transformador beta
20.
Rev. ciênc. méd. biol ; 3(2): 224-241, jul.-dez. 2004. ilus, tab
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-481903

RESUMO

Os retinóides são um grupo de substâncias reguladoras do crescimento que incluem o ácido trans-retinóico (tRA), um derivado metabólico natural da vitamina A (retinol), o seu isômero 9-cis (cAR) e uma série de derivados naturais ou sintéticos. O tAR exerce efeitos importantes durante o desenvolvimento embrionário de vertebrados e na vida adulta, e desempenham papéis importantes na modulação do crescimento de células normais e tumorais, através da regulação da diferenciação ou apoptose. As atividades biológicas dos tAR e o cAR são mediadas através da ligação e ativação receptores nucleares específicos (RARá,â,ã) e receptores X de retinóides (RXRá,â,ã). Esses receptores são produtos de genes distintos, pertencem à superfamília de receptores nucleares de hormônios esteróides e atuam como reguladores de transcrição dependente do ligante. Essas moléculas são objeto de vários estudos científicos e clínicos que estão baseados tanto em suas propriedades químicas quanto em seu potencial em induzir apoptose e (ou) diferenciação celular, constituindo, assim, uma alternativa em potencial para o tratamento de diversas formas de câncer. Os avanços no conhecimento sobre a ativação dos RARs e RXRs deu origem uma nova geração de retinóides sintéticos, os quais têm demonstrado igualmente uma ação efetiva contra células cancerígenas de diferentes origens, seja inibindo o crescimento, seja induzindo apoptoses ou diferenciação celular.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Apoptose , Diferenciação Celular , Neoplasias/tratamento farmacológico , Retinoides , Células Tumorais Cultivadas
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA