Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 2 de 2
Filtrar
Mais filtros










Filtros aplicados

Tipo de estudo
Intervalo de ano de publicação
1.
Araçatuba; s.n; 1985. 99 p. ilus, tab.
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-271324

RESUMO

Ratos Wistar foram tornados hipertensos pelo modelo Goldblatt 1 rim, 1 clip e submetidos à privaçäo de raçäo durante três dias. Neste período, ingeriram água na mesma quantidade consumida na fase controle: um grupo recebeu apenas água, outro grupo, além da água recebeu íons sódio igual à quantidade consumida na fase controle; no terceiro grupo, dissolvida na água, glicose na quantidade de 2g/100g de rato/dia. Nossos resultados e conclusöes podem ser assim resumidos: 1) A perda de massa corporal foi intensa e gradativa, sendo que a manutençäo da ingestäo de íons sódio, ou o consumo de razoável quantidade de glicose, näo influiram de modo significativo no ritmo de perda de massa corporal em relaçäo ao grupo que recebeu somente água. 2) Mantendo-se a ingestäo de íons sódio ou fornecendo glicose, ambos mostraram-se incapazes de alterar a reduçäo gradual e acentuada da pressäo arterial ocorrida nos ratos hipertensos e sob privaçäo de raçäo. 3) A excreçäo fracional de água ingerida manteve-se nos ratos hipertensos sob privaçäo de raçäo ao conservar o consumo de água, enquanto a ingestäo de glicose dissolvida à água, ou a manutençäo do consumo de água e íons sódio provocaram acentuado aumento da mesma. 4) Ocorrência de balanço negativo de íons sódio a partir do primeiro dia de jejum, quando os animais mantiveram apenas o consumo de água, permanecendo este comportamento com a dissoluçäo de glicose à água. 5) A privaçäo de raçäo, mantendo-se o mesmo consumo de água e íons sódio, intensificou o balanço negativo de íons sódio no segundo e terceido dia. 6) A reduçäo de pressäo arterial, nos ratos hipertensos, mostrou-se coerente com a depleçäo de íons sódio no organismo, causado pelo balanço negativo destes íons. 7) A privaçäo de raçäo näo afetou as concentraçöes urinárias de íons cálcio na urina, apresentando com a ingestäo de glicose, bem como, com a manutençäo de íons sódio ingeridos aumento na excreçäo de íons cálcio concomitante ao aumento da diurese


Assuntos
Animais , Ratos , Ração Animal , Hipertensão/dietoterapia
2.
Arq. Centro Estud. Curso Odontol ; 19(1): 45-52, jan.-jun. 1982. tab
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-150309

RESUMO

Neste trabalho, os autores apresentam dados experimentais procurando demonstrar a interrelaçäo entre a potencialidade osmótica da dieta e sua cariogenicidade. Para tanto, foram usados ratos machos desmamados e submetidos a dois diferentes tratamentos. No primeiro, os animais receberam raçäo pulverizada de laboratório, contendo ou näo uma mistura de sais (seis por cento), durante o período de 30 dias e posteriormente submetidos a uma dieta cariogênica rica em açúcar) por 45 dias. No segundo, os ratos receberam dieta cariogênica contendo ou näo sais, por um período de 75 dias. Após o período experimental, os animais foram sacrificados e suas mandíbulas e maxilas removidas para a avaliaçäo dos escores de cáries. Os resultados demonstram que, tanto no grupo que recebeu, previamente, os sais na raçäo de laboratório, quanto nos que os receberam na dieta cariogênica, apresentaram maiores escores de cáries do que os seus controles. Baseados nestes resultados, os autores concluem que o aumento dos escores de cáries produzido pelas dietas salinas é devido, pelo menos em parte, á açäo local dos sais sobre o dente


Assuntos
Animais , Masculino , Ratos , Cárie Dentária/etiologia , Dieta Cariogênica , Ração Animal/análise , Sais/administração & dosagem
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA