Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 3 de 3
Filtrar
Mais filtros










Filtros aplicados
Intervalo de ano de publicação
1.
Braz. j. oral sci ; 19: e206537, jan.-dez. 2020. tab
Artigo em Inglês | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-1116566

RESUMO

Aim: To evaluate the influence of social capital on self-perception related to orthodontic treatment need. Methods: A cross-sectional study was conducted with a sample of 578 11-16 years-old adolescents from a city in southern Brazil. Social capital was evaluated using the Social Capital Questionnaire for Adolescent Students (SCQ-AS). Index of Orthodontic Treatment Need (IOTN) assessed malocclusion and self-perception related to orthodontic treatment need. Sociodemographic aspects of adolescents were also evaluated. Individual analyses were performed, relating the study variables to the outcome, estimating the odds ratio with the respective confidence intervals of 95%. The variables with p<0.20 in the individual analyses were tested in the multiple logistic regression models, and those with p<0.10 remained in the model. Results: Social capital did not influence the self-perception related to orthodontic treatment need. Adolescents with high orthodontic needs were 5.35 (CI 95%: 2.68 to 10.65) times more likely to perceived orthodontic treatment need (p <0.05). Crowding and dental absence were associated with self-perception related to orthodontic treatment need (p <0.05). Conclusions: Social capital did not influence the self-perception related to orthodontic treatment need


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adolescente , Ortodontia , Autoimagem , Índice de Necessidade de Tratamento Ortodôntico , Capital Social , Má Oclusão
2.
Belo Horizonte; s.n; 2017. 161 p. ilus.
Tese em Inglês, Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-908578

RESUMO

O objetivo deste estudo foi investigar as relações entre binge drinking - consumo de 5 ou mais doses de bebidas alcoólicas em uma ocasião -, cárie dentária, capital social e condição socioeconômica entre os estudantes de 12 anos de escolas públicas e privadas da área urbana da cidade de Diamantina-MG. A coleta de dados ocorreu em duas etapas: na primeira etapa foi realizado um censo envolvendo todos os 633 alunos de 12 anos de idade, matriculados nas 13 escolas. Na segunda etapa do estudo foi desenvolvido um estudo longitudinal de prevalência de período com os alunos que fizeram parte da primeira fase desta pesquisa. Na primeira etapa foram avaliados a prevalência da cárie dentária e sua associação com capital social e condições socioeconômicas, bem como, o consumo em ¿binge¿ por adolescentes e sua associação com o consumo de álcool por amigos, familiares, condições socioeconômicas e religiosidade. Na segunda etapa o objetivo foi investigar a associação entre capital social e a frequência de beber em "binge" entre adolescentes escolares. Os dados foram coletados por meio de exames clínicos e questionários autoaplicados. A frequência de consumo de álcool na vida e o binge drinking foram determinadas usando as Teste de Identificação de Desordens Devido ao Uso de Álcool (AUDIT-C). Para cárie dental foi adotado o Índice de dentes "cariados, perdidos e obturados" (CPO-D). O capital social foi medido pelo Questionário de Capital Social para Alunos Adolescentes (QCS-AE) desenvolvido e validado para os adolescentes escolares. Os indicadores socioeconômicos utilizados foram tipo de escola, renda familiar mensal, ABA-ABIPEME e escolaridade materna. Foram realizadas análise descritiva e bivariada e regressão binomial no estudo de prevalência de período. O nível de significância foi de 5%. Como principais resultados, observou-se que um total de 269 (45,7%) adolescentes tiveram pelo menos uma lesão cariada cavitada. A análise múltipla revelou que nem o gênero nem o capital social estiveram estatisticamente associados com a presença de lesões cavitadas (p > 0.05). Adolescentes que estudam em escolas públicas e com renda familiar inferior a 3 salários mínimos foram mais propensos a ter lesões cariosas cavitadas. Em relação ao consumo excessivo de álcool, a prevalência foi de 23,1%. A idade média de início do consumo de álcool foi de 10,8 anos. O binge drinking foi mais prevalente entre adolescentes cujo melhor amigo [RP = 4,72 (95% IC 2,78-8,03)] e irmão [RP = 1,46 (IC 95% 1,10-1,92)] consumiam álcool. A religiosidade [RP = 0,40 (IC 95% 0,27-0,62)] apareceu como um possível fator de proteção. No estudo longitudinal, adolescentes que relataram um aumento na coesão social na subescala comunidade/vizinhança foram 3,4 vezes mais propensos (95% IC 1,96-6,10) a consumir álcool excessivamente. Os achados desse estudo destacam os determinantes sociais do binge drinking e do comportamento de beber entre os adolescentes e a não associação entre o capital social e a cárie dentária. Além disso, os resultados fornecem novas evidências sobre o "lado negro" da coesão social na promoção do consumo excessivo de álcool entre os adolescentes.


The objetive of this study was to investigate the relationship between binge drinking - consumption of 5 or more doses of alcoholic beverages on one occasion - dental caries, social capital, and socioeconomic status among students of- 12-years-old of public and private schools in the urban area of the city of Diamantina-MG. Data collection took place in two stages: in the first stage, a census was carried out involving all 633 12-year-old students enrolled in the 13 scholls. In the second phase of the study a longitudinal period prevalence study was developed with students who were part of the first phase of this research. The first stage evaluated the prevalence of dental caries and its association with social capital and socioeconomic conditions, as well as the consumtion of alcoholic beverages by adolescents and their association with alcohol consumption by friends, family members, socioeconomic condition and religiosity...


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Criança , Adolescente , Bebedeira/complicações , Cárie Dentária/classificação , Capital Social , Classe Social , Estudantes
3.
Belo Horizonte; s.n; 2017. 75 p. ilus, tab, graf.
Tese em Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-908678

RESUMO

OBJETIVOS: Avaliar o capital social de adolescentes e verificar a associação dos domínios: coesão social na escola, rede de amigos na escola, coesão social no bairro/vizinhança e confiança na escola e no bairro/vizinhança com fatores de condições de vida e participação em atividades coletivas. MÉTODOS: Estudo transversal realizado no município de Nova Lima, em Minas Gerais, em que se aplicou um questionário validado ­ SCQ-AS (PAIVA et al., 2014) para mensurar o capital social dos estudantes do sétimo ano de escolas públicas e privadas da região central do município. A amostra correspondeu a 335 adolescentes. Os pais dos alunos responderam um questionário autoaplicável sobre condições de vida e participação dos filhos em atividades coletivas. O capital social foi considerado variável dependente e a análise foi realizada por domínio. Realizouse teste qui-quadrado entre cada domínio e as variáveis independentes e regressão logística múltipla para confirmar a associação entre os domínios e as variáveis que apresentaram valor de p≤0.20 na análise bivariada. RESULTADOS: Observou-se maior frequência de coesão social na escola entre os adolescentes de escolas privadas (OR= 4.08; IC 95% 1.39 ­ 11.96) e de famílias com renda entre um a três salários mínimos (OR= 2.45; IC 95% 1.39 ­ 4.28) e menor frequência de coesão social entre adolescentes do sexo masculino (OR=0.41; IC 95% 0.18 ­ 0.90) e que não praticavam esportes (OR=0.43; IC 95% 0.20 ­ 0.94). A maior rede de amigos na escola foi encontrada entre os adolescentes que possuíam pais vivendo juntos (OR= 2.21; IC 95% 1.28 ­ 3.78). A maior frequência de confiança na escola e bairro/vizinhança foi verificada entre os adolescentes de escolas privadas (OR=2.71; IC 95% 1.16 ­ 6.32). O domínio coesão social no bairro/vizinhança não apresentou associação com nenhuma das variáveis independentes. CONCLUSÕES: Estudar em escola privada e ter renda familiar de 1 a 3 salários mínimos pode impulsionar a coesão social na escola, bem como praticar atividade esportiva. A escola privada pode reforçar a confiança na escola/bairro. Os pais viverem juntos pode favorecer maior rede de amigos.(AU)


OBJECTIVES: This study aimed to analyze the adolescents social capital and verify the association of the domains: social cohesion in the school, friends network in the school, social cohesion in the neighborhood and trust in the school and in the neighborhood with factors of living conditions and participation in collective activities. METHODS: A transversal study was developed at Nova Lima city in Minas Gerais, Brazil. A validated questionnaire (PAIVA et al., 2014) was applied to measure the seventh grade students social capital of the public and private schools located in the city central region. The sample consisted of 335 adolescents. The students' parents answered a self-administered questionnaire about the conditions of life and participation in collective activities. The social capital was considered a dependent variable and the analysis was performed by domain. The chi-square test was performed between each domain and the independent variables and multiple logistic regression was applied to confirm the association between the domains and the variables that presented a p≤0.20 value in the bivariate analysis. RESULTS: There was a higher frequency of school social cohesion among adolescents in private schools (OR = 4.08, 95% CI 1.39 to 11.96) and families with income between one and three minimum wages (OR = 2.45, 95% CI 1.39 - 4.28) and lower frequency of social cohesion among male adolescents (OR = 0.41, 95% CI 0.18 - 0.90) and who did not practice sports (OR = 0.43, 95% CI 0.20-0.94). The largest network of friends at school was found among adolescents who had parents living together (OR = 2.21; 95% CI 1.28 - 3.78). The highest frequency of confidence in school and neighborhood was verified among adolescents from private schools (OR = 2.71; 95% CI 1.16 - 6.32). The social cohesion domain in the neighborhood was not associated with any of the independent variables. CONCLUSIONS: Adolescents' social capital may be related to their living conditions and participation in collective activities and it is a resource that deserves to be better explored during this phase of life.(AU)


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adolescente , Adolescente , Capital Social , Condições Sociais , Rede Social , Participação Social , Estudos Transversais , Renda , Inquéritos e Questionários
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA