Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 4 de 4
Filtrar
Mais filtros










Filtros aplicados
Intervalo de ano de publicação
1.
Arq. odontol ; 47(3): 127-134, 2011. tab
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-620884

RESUMO

Objetivo: Traçar um panorama do perfil da pesquisa odontológica no nordeste brasileiro com base em um congresso odontológico. Materiais e Métodos: Realizou-se um estudo transversal, por meio da observação indireta dos resumos publicados nos anais da 27ª SBPqO, realizada no ano de 2010. Foramavaliados 303 resumos, sendo estes caracterizados de acordo com o estado de origem, tipo de instituição, área de conhecimento, desenho do estudo, recebimento de fomento e agência financiadora. A coleta foi realizada por dois examinadores, sendo o instrumento de registro dos dados um formulário específico. As informações foram organizadas e analisadas com o software Epi Info versão 3.5.1 e apresentadas por meio da estatística descritiva e analítica. Para as análises bivariadas, utilizou-se o teste do Qui-quadrado (p<0,05). Resultados: Pesquisas nas áreas de Odontologia Preventiva e Social (24,8%) e Materiais Odontológicos (23,4%) foram as mais prevalentes. O estado da Paraíba apresentou uma maior concentração da produção científica com um total de 31% dos trabalhos. Quanto ao desenho do estudo constatou-se que 49,5% foram pesquisas laboratoriais, sendo que apenas 6% destas utilizaram animais, enquanto 38% fizeram menção ao emprego de dentes humanos e de animais. No que se refere ao recebimento de fomento, observou-se que 27,4% receberam apoio de órgãos governamentais, sendo o CNPq responsável pela maioria do financiamento (66,3%). Verificou-se uma diferença significativa quanto à distribuição do fomento entre as instituições públicas e particulares (p=0,036), sem existir, entretanto, diferença entre as federais e estaduais (p=0,430). Conclusão: O Estado da Paraíba sobressai-se na região Nordeste quanto à produção de conhecimentocientífico na área da Odontologia, existindo um predomínio das instituições públicas como principais celeiros científicos. Faz-se necessário uma maior participação de agências financiadoras a evidência científica.


Assuntos
Pesquisa em Odontologia/estatística & dados numéricos , Indicadores de Produção Científica , Demografia , Sistemas de Financiamento da Pesquisa
2.
Arq. odontol ; 47(03): 127-134, 2011. tab
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-850085

RESUMO

Objetivo: Traçar um panorama do perfil da pesquisa odontológica no nordeste brasileiro com base em um congresso odontológico. Materiais e Métodos: Realizou-se um estudo transversal, por meio da observação indireta dos resumos publicados nos anais da 27ª SBPqO, realizada no ano de 2010. Foramavaliados 303 resumos, sendo estes caracterizados de acordo com o estado de origem, tipo de instituição, área de conhecimento, desenho do estudo, recebimento de fomento e agência financiadora. A coleta foi realizada por dois examinadores, sendo o instrumento de registro dos dados um formulário específico. As informações foram organizadas e analisadas com o software Epi Info versão 3.5.1 e apresentadas por meio da estatística descritiva e analítica. Para as análises bivariadas, utilizou-se o teste do Qui-quadrado (p<0,05). Resultados: Pesquisas nas áreas de Odontologia Preventiva e Social (24,8%) e Materiais Odontológicos (23,4%) foram as mais prevalentes. O estado da Paraíba apresentou uma maior concentração da produção científica com um total de 31% dos trabalhos. Quanto ao desenho do estudo constatou-se que 49,5% foram pesquisas laboratoriais, sendo que apenas 6% destas utilizaram animais, enquanto 38% fizeram menção ao emprego de dentes humanos e de animais. No que se refere ao recebimento de fomento, observou-se que 27,4% receberam apoio de órgãos governamentais, sendo o CNPq responsável pela maioria do financiamento (66,3%). Verificou-se uma diferença significativa quanto à distribuição do fomento entre as instituições públicas e particulares (p=0,036), sem existir, entretanto, diferença entre as federais e estaduais (p=0,430). Conclusão: O Estado da Paraíba sobressai-se na região Nordeste quanto à produção de conhecimentocientífico na área da Odontologia, existindo um predomínio das instituições públicas como principais celeiros científicos. Faz-se necessário uma maior participação de agências financiadoras a evidência científica.


Assuntos
Pesquisa em Odontologia/estatística & dados numéricos , Indicadores de Produção Científica , Demografia , Sistemas de Financiamento da Pesquisa
3.
Arq. odontol ; 45(3): 142-146, 2009. tab
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-578239

RESUMO

Este estudo objetivou verificar a relação entre os trabalhos científicos apresentados nas reuniões anuais da Sociedade Brasileira de Pesquisa Odontológica, nas modalidades painéis iniciante, aspirante e efetivo, entre os anos de 2003 a 2007 com financiamento público, através das agências de fomento. Foi identificado um montante de 6.242 resumos científicos onde foram observadas as citações referentes a fomento do projeto ou bolsa. Dos 6.242 resumos apresentados, a maioria foi enviada por instituições de ensino estaduais da região Sudeste. A média de autores nos resumos científicos variou de 4 a 6. Desses resumos, 1.450 (22,3%) foram financiados por agências oficiais. Dessas agências de fomento à pesquisa destacaram-se o CNPq, CAPES, FINEP, FAPESP, FAPEMIG e FAPERJ.


Assuntos
Pesquisa em Odontologia , Financiamento da Pesquisa , Sistemas de Financiamento da Pesquisa
4.
Arq. odontol ; 45(03): 142-146, 2009. tab
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-850024

RESUMO

Este estudo objetivou verificar a relação entre os trabalhos científicos apresentados nas reuniões anuais da Sociedade Brasileira de Pesquisa Odontológica, nas modalidades painéis iniciante, aspirante e efetivo, entre os anos de 2003 a 2007 com financiamento público, através das agências de fomento. Foi identificado um montante de 6.242 resumos científicos onde foram observadas as citações referentes a fomento do projeto ou bolsa. Dos 6.242 resumos apresentados, a maioria foi enviada por instituições de ensino estaduais da região Sudeste. A média de autores nos resumos científicos variou de 4 a 6. Desses resumos, 1.450 (22,3%) foram financiados por agências oficiais. Dessas agências de fomento à pesquisa destacaram-se o CNPq, CAPES, FINEP, FAPESP, FAPEMIG e FAPERJ.


Assuntos
Pesquisa em Odontologia , Financiamento da Pesquisa , Sistemas de Financiamento da Pesquisa
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA