Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 2 de 2
Filtrar
Mais filtros










Filtros aplicados

Tipo de estudo
Intervalo de ano de publicação
1.
Rev. latinoam. enferm ; 18(5): 919-927, Sept.-Oct. 2010. tab
Artigo em Inglês | LILACS, BDENF - Enfermagem | ID: lil-566320

RESUMO

This study identifies the prevalence of vaginal flora alterations in low-risk pregnant women and their association with reported symptoms and gynecological exams. This quantitative, descriptive, cross-sectional study was conducted in public primary care service units in Botucatu, SP, Brazil from 2006 to 2008 with 289 pregnant women from a stratified sample obtained by sampling by care unit. Tests of vaginal content were performed using Gram’s method and testing for Trichomonas vaginalis using Diamond’s medium. The prevalence of altered vaginal flora was 49.5 percent, of which bacterial vaginosis (20.7 percent), vaginal candidiasis (11.8 percent) and intermediate flora (11.1 percent) were the most frequent, not considering associations. Results revealed a high prevalence of vaginal flora alterations with little relation to symptoms, but in agreement with findings from the gynecological exams. Considering undesirable maternal and perinatal outcomes and feasible laboratory practices, the establishment of a routine for diagnosing vaginal flora alterations in low-risk pregnant women is suggested.


Objetivou-se identificar a prevalência das alterações de flora vaginal em gestantes de baixo risco, sua associação à sintomatologia referida e exame ginecológico. É estudo quantitativo, descritivo e transversal, desenvolvido no serviço público de atenção básica de Botucatu, SP, no período de 2006 a 2008, com 289 gestantes, amostradas de forma estratificada por unidade. Realizou-se exame do conteúdo vaginal, utilizando-se coloração pelo método de Gram e pesquisa de Trichomonas vaginalis em meio líquido de Diamond. Desconsiderando-se as associações, a prevalência de flora vaginal alterada foi de 49,5 por cento, sendo as mais frequentes: vaginose bacteriana (20,7 por cento), candidíase vaginal (11,8 por cento) e flora intermediária (11,1 por cento). Os dados apontam elevada prevalência das alterações de flora vaginal, com pouca associação à sintomatologia, mas associação com achados do exame ginecológico. Considerando-se as repercussões maternas e perinatais indesejáveis e a prática laboratorial exequível, sugere-se o estabelecimento de rotina para diagnóstico das alterações de flora vaginal em gestantes de baixo risco.


Se tuvo por objetivo identificar la prevalencia de las alteraciones de flora vaginal en gestantes de bajo riesgo, su asociación a la sintomatología referida y examen ginecológico. Estudio cuantitativo, descriptivo y transversal, desarrollado en el servicio público de atención básica de Botucatu/SP, en el período de 2006 a 2008, con 289 gestantes, el muestreo fue realizado de forma estratificada por unidad. Se realizó examen del contenido vaginal utilizándose coloración por el método de Gram e investigación de Trichomonas vaginalis en medio líquido de Diamond. Desconsiderándose las asociaciones, la prevalencia de flora vaginal alterada fue de 49.5 por ciento, siendo las alteraciones más frecuentes: vaginitis bacteriana (20.7 por ciento), candidiasis vaginal (11.8 por ciento) y flora intermediaria (11.1 por ciento). Los datos apuntan elevada prevalencia de las alteraciones de flora vaginal, con poca asociación a la sintomatología, pero con asociación a hallazgos del examen ginecológico. Considerándose las repercusiones maternas y perinatales indeseables y la práctica de laboratorio ejecutable, se sugiere el establecimiento de rutina para diagnóstico de las alteraciones de flora vaginal en gestantes de bajo riesgo.


Assuntos
Adolescente , Adulto , Feminino , Humanos , Gravidez , Candidíase Vulvovaginal , Complicações Infecciosas na Gravidez , Vaginite por Trichomonas , Vagina/microbiologia , Vaginose Bacteriana , Brasil/epidemiologia , Candidíase Vulvovaginal/diagnóstico , Candidíase Vulvovaginal/epidemiologia , Estudos Transversais , Coleta de Dados , Dispareunia/etiologia , Complicações Infecciosas na Gravidez/diagnóstico , Complicações Infecciosas na Gravidez/epidemiologia , Prevalência , Vaginite por Trichomonas/diagnóstico , Vaginite por Trichomonas/epidemiologia , Trichomonas vaginalis/isolamento & purificação , Descarga Vaginal , Vaginose Bacteriana/diagnóstico , Vaginose Bacteriana/epidemiologia
2.
Nursing (Säo Paulo) ; 13(148): 450-454, set.2010. ilus
Artigo em Português | LILACS, BDENF - Enfermagem | ID: lil-566781

RESUMO

Este estudo foi desenvolvido com o objetivo de conhecer a ocorrência de vulvovaginites e identificar os diagnósticos de enfermagem, em gestantes que realizaram o pré-natal com enfermeira obstetra. Descritivo, com abordagem quantitativa, realizado com 31 gestantes, no período de junho a outubro de 2007. Os resultados apontaram a ocorrência de candidíase vulvovaginal (22,6%), vaginose bacteriana (22,6%), vaginose bacteriana associada à candidíase vulvovaginal (16,1%) e tricomoníase associada à candidíase vulvovaginal (3,3%). Foram identificados onze diagnósticos de enfermagem, sendo seis reais e cinco potenciais. Foi possível concluir que o diagnóstico da vulvovaginite e a identificação dos diagnósticos de enfermagem são fundamentais para nortear a conduta de enfermagem na consulta de pré-natal.


Assuntos
Humanos , Feminino , Gravidez , Diagnóstico de Enfermagem , Vulvovaginite/diagnóstico , Candidíase Vulvovaginal , Cuidado Pré-Natal , Enfermagem Obstétrica , Saúde da Mulher , Vaginite por Trichomonas , Vaginose Bacteriana
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA