Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 4 de 4
Filtrar
Mais filtros










Filtros aplicados
Intervalo de ano de publicação
1.
Artigo em Português | BDENF - Enfermagem | ID: biblio-1025242

RESUMO

Introdução: O conhecimento da situação nutricional dos idosos é importante para a prevenção das Doenças Crônicas não Transmissíveis. Objetivo: Identificar o estado nutricional de cálcio e vitamina D de idosos assistidos pela estratégia de saúde da família. Metodologia: Trata-se de um estudo exploratório-descritivo, transversal com abordagem quantitativa. O estudo foi desenvolvido no período de setembro de 2016 a junho de 2017, em duas unidades de Estratégia de Saúde da Família da zona urbana de um município do Piauí. Resultados: Foi observado o consumo alimentar de alimentos que possuem cálcio e vitamina D, onde foi identificado que 59,1% consomem leite diariamente, 23,7% consomem iogurte e 26,6% queijos, 24,5% sardinhas, 31,4% iogurtes, 43,4% carne bovina, 44,2% carne de frango. Conclusão: Os idosos que não consomem ou que consomem com pouca frequência alimentos fontes de vitamina D e cálcio devem receber orientações sobre seu consumo, exposição ao sol em horários e por períodos de tempo adequados


Introduction: Knowledge of the nutritional status of the elderly is important for the prevention of chronic noncommunicable diseases. Objective: To identify the nutritional status of calcium and vitamin D of the elderly assisted by the family health strategy. Methodology: This is an exploratory-descriptive, cross-sectional study with a quantitative approach. The study was developed from September 2016 to June 2017 in two Family Health Strategy units of the urban area of a municipality of Piauí. Results: Food consumption of calcium and vitamin D foods was observed, in which 59.1% consume milk daily, 23.7% consume yogurt and 26.6% cheeses, 24.5% sardines, 31.4% % yogurt, 43.4% beef, 44.2% chicken meat. Conclusion: Elderly people who do not consume or who consume infrequently food sources of vitamin D and calcium should receive guidance on their consumption, exposure to the sun at times and for adequate periods of time


Assuntos
Humanos , Vitamina D , Idoso , Estado Nutricional
2.
Rev. enferm. UFPE on line ; 12(4): 880-888, abr. 2018. ilus, tab, mapas, graf
Artigo em Português | BDENF - Enfermagem | ID: biblio-970413

RESUMO

Objetivo: identificar evidências de ação preventiva da vitamina D sobre a taxa de mortalidade de câncer de pulmão e de brônquios da população brasileira. Método: estudo quantitativo, epidemiológico, descritivo, desenvolvido a partir da coleta de dados das fontes INCA e IBGE. Os dados do INCA revelavam taxas de mortalidade para os dois cânceres, enquanto que o IBGE disponibilizava latitudes específicas de todas as capitais do país. Após a coleta, os dados foram digitados no programa Microsoft Excel, posteriormente, transferidos para o programa de construção de mapas Target Map e analisados por meio de estatística descritiva. Resultados: observou-se que as cinco unidades federativas mais distantes da linha do Equador representam as maiores taxas de mortalidade do Brasil comum em ambos os sexos. Conclusão: os resultados evidenciam uma ação preventiva da vitamina D nas regiões mais ensolaradas do país e que esta substância pode ser um recurso transformador de saúde pública. Contudo, há grande necessidade de estudos multicêntricos para maior respaldo científico.(AU)


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Vitamina D , Neoplasias Brônquicas , Neoplasias Brônquicas/mortalidade , Prevenção de Doenças , Neoplasias Pulmonares , Neoplasias Pulmonares/mortalidade , Registros de Mortalidade , Epidemiologia Descritiva
3.
Rev. latinoam. enferm ; 23(1): 20-27, Jan-Feb/2015. tab
Artigo em Inglês | LILACS, BDENF - Enfermagem | ID: lil-742030

RESUMO

OBJECTIVE: to evaluate the indexes and the main factors associated with non-adherence to medication treatment for systemic arterial hypertension between urban and rural areas. METHOD: analytical study based on an epidemiological survey with a sample of 247 hypertensive residents of rural and urban areas, with application of a socio-demographic and economic questionnaire, and treatment adherence assessment. The Pearson's Chi-square test was used and the odds ratio (OD) was calculated to analyze the factors related to non-adherence. RESULTS: the prevalence of non-adherence was 61.9% and it was higher in urban areas (63.4%). Factors significantly associated with non-adherence were: male gender (OR=1.95; 95% CI 1.08-3.50), age 20-59 years old (OR=2.51; 95% CI 1.44-4.39), low economic status (OR=1.95; 95% CI 1.09-3.47), alcohol consumption (OR=5.92, 95% CI 1.73-20.21), short time of hypertension diagnosis (OR=3.07; 95% CI 1.35-6.96) and not attending the health service for routine consultations (OR=2.45; 1.35-4.42). CONCLUSION: the socio-demographic/economic characteristics, lifestyle habits and how to relate to health services were the factors that presented association with non-adherence regardless of the place of residence. .


OBJETIVO: avaliar os índices e os principais fatores associados a não adesão ao tratamento medicamentoso da hipertensão arterial sistêmica, entre área urbana e rural. MÉTODO: estudo analítico baseado em inquérito epidemiológico, realizado com amostra de 247 hipertensos moradores das áreas rural e urbana, com aplicação de questionário sociodemográfico, econômico e avaliação da adesão. Foi utilizado o teste quiquadrado de Pearson e calculado o Odds Ratio (OD) para análise dos fatores relacionados a não adesão. RESULTADOS: a prevalência da não adesão foi de 61,9%, sendo maior na área urbana (63,4%). Os fatores que apresentaram associação estatisticamente significativa com a não adesão foram: gênero masculino (OR=1,95; IC95% 1,08-3,50), faixa etária entre 20 e 59 anos (OR=2,51; IC95% 1,44-4,39), baixa classe econômica (OR=1,95; IC95% 1,09-3,47), etilismo (OR=5,92; IC 95% 1,73-20,21), tempo curto de diagnóstico de hipertensão (OR=3,07; IC95% 1,35-6,96) e não procura pelo serviço de saúde para consultas de rotina (OR=2,45; 1,35-4,42). CONCLUSÃO: as características sociodemográficas, econômicas, hábitos de vida e o modo de relacionar-se com os serviços de saúde foram os fatores que apresentaram associação com a não adesão, independentemente do local de residência. .


OBJETIVO: evaluar los índices y los principales factores asociados a la no adhesión al tratamiento medicamentoso de la hipertensión arterial sistémica entre área urbana y rural. MÉTODO: estudio analítico basado en investigación epidemiológica desarrollada con una muestra de 247 hipertensos moradores del área rural y urbana, con aplicación de un cuestionario sociodemográfico, económico y evaluación de la adhesión. Fue utilizado la prueba chi-cuadrado de Pearson y calculado el odds ratio (OD) para análisis de los factores relacionados a la no adhesión. RESULTADOS: la prevalencia de la no adhesión correspondió a 61,9%, siendo mayor en el área urbana (63,4%). Los factores que mostraron asociación estadísticamente significativa con la no adhesión fueron: género masculino (OR=1,95; IC95% 1,08-3,50), rango de edad entre 20 a 59 años (OR=2,51; IC95% 1,44-4,39), clase económica baja (OR=1,95; IC95% 1,09-3,47), etilismo (OR=5,92; IC 95% 1,73-20,21), tiempo corto de diagnóstico de hipertensión (OR=3,07; IC95% 1,35-6,96) y no procurar el servicio de salud para consultas de rutina (OR=2,45; 1,35-4,42). CONCLUSIÓN: las características sociodemográficas/económicas, hábitos de vida y el modo de relacionar con los servicios de salud fueron los factores que mostraron asociación con la no adhesión independientemente del local de residencia. .


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adolescente , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Idoso , Adulto Jovem , Erros Inatos do Metabolismo dos Aminoácidos/complicações , Predisposição Genética para Doença/genética , Prolina Oxidase/deficiência , Esquizofrenia , Deficiência de Vitamina D/complicações , Erros Inatos do Metabolismo dos Aminoácidos/sangue , Jejum/sangue , Modelos Estatísticos , Mutação/genética , Prolina Oxidase/sangue , Prolina Oxidase/genética , Prolina/metabolismo , Fatores de Risco , Esquizofrenia/sangue , Esquizofrenia/etiologia , Esquizofrenia/genética , Vitamina D/análogos & derivados , Vitamina D/sangue
4.
CuidArte, Enferm ; 8(1): 62-67, jan.-jun.2014.
Artigo em Português | BDENF - Enfermagem | ID: biblio-1027892

RESUMO

Introdução: O Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES) é uma doença inflamatória crônica, de origem autoimune que evolui com períodos deremissão e crises de manifestações clínicas diversas, entretanto seu maior acometimento é cutâneo e articular. Como indivíduos lúpicosdevem evitar ao máximo a exposição à luz solar, e isso, juntamente com o uso de medicamentos para o tratamento do LES, comoantimaláricos e corticosteroides, pode interferir na absorção de vitamina D e cálcio, é necessária a suplementação destes micronutrientes.Objetivos: Analisar o papel da suplementação de vitamina D e do cálcio no tratamento do LES; verificar quais alterações proporcionadaspela doença podem ser minimizadas com a suplementação e identificar a quantidade desses suplementos que consegue promover talmelhora. Material e Método: Revisão com base em artigos científicos selecionados nos bancos de dados SciELO, Bireme,MEDLINE,Pubmed eLILACS; publicados entre 2003 e 2013. Resultados: A maior parte dos 21 estudos analisados constata a deficiência de vitaminaD e de cálcio em pacientes lúpicos, com a necessária suplementação. Conclusão: Ainda são necessários mais estudos clínicos compacientes lúpicos a fim de se determinar com exatidão a dose de suplementação de vitamina D e de cálcio, entretanto, a princípio, aquantidade de cálcio diária indicada deve ser ≥1500mg e de vitamina D ≥800UI, quando a recomendação não for atingida por meio daalimentação.


Introduction: Systemic lupus erythematosus (SLE) is a chronic inflammatory and autoimmune disease that evolves with remissionperiods and several clinical manifestations crises, however your major involvement is cutaneous and in joints. As SLE individuals mustavoid maximum exposure to sunlight and that, associated with medications for the treatment of SLE, antimalarials and corticosteroids,can interfere with the absorption of vitamin D and calcium, these micronutrientes supplementation are required. Objectives: Analyzethe role of vitamin D and calcium in the treatment of SLE; verify which proportionated illness alterations can be minimized with thesupplementation and to identify which amount of these supplements are necessary to promote such improvement. Material and Method:This review is based on selected scientific articles in the databases SciELO, Bireme,MEDLINE, Pubmed eLILACS; published between 2003and 2013. Results: Most of the 21 analyzed studies reports vitamin D and calcium deficiency in SLE patients and the supplementationneeded. Conclusion: More clinical studies with lupic patients are still necessary in order to accurately determine the vitamin D and calciumsupplementation dosis, however, in principle, the amount of daily calcium indicated should be ≥1500mg and vitamin D ≥ 800 IU whenthe recommendation is not achieved through feeding.


Introducción: El lupus eritematoso sistémico (LES) es una enfermedad inflamatoria crónica de origen autoinmune que evoluciona conperíodos de remisión y crisis de diversas manifestaciones clínicas, sin embargo, su mayor participación es cutánea y articular. Comoindividuos con lupus deben evitar la exposición a la luz solar y esto, junto con el uso de medicamentos para el tratamiento de LES,antimaláricos y corticosteroides, puede interferir con la absorción de la vitamina D y calcio, es necesaria la administración de suplementosde estos nutrientes. Objetivos: Analizar el papel de la vitamina D y el calcio en el tratamiento de LES; verificar qué cambios causadospor la enfermedad pueden ser minimizados mediante la suplementación y e identificar la cantidad de estos suplementos que puedepromover dicha mejora. Material y Métodos: Revisión basada en artículos científicos seleccionados en las bases de datos SciELO, Bireme,MEDLINE, Pubmed eLILACS; publicados entre 2003 y 2013. Resultados: La mayoría de los 21 estudios analizados observa una deficienciade vitamina D y calcio en pacientes con LES, y la suplementación requerida. Conclusión: Sigue siendo necesario más estudios clínicoscon pacientes con LES para poder determinar con precisión la dosis de suplementación de la vitamina D y del calcio. Pero, en principio,la cantidad diaria de calcio indicada debe ser ≥1500mg y de la vitamina D ≥800 UI cuando la recomendación no se logra a través de losalimentos.


Assuntos
Masculino , Feminino , Humanos , Cálcio , Doença Crônica , Lúpus Eritematoso Sistêmico , Vitamina D
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA