Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 2 de 2
Filtrar
Mais filtros










Filtros aplicados

Tipo de estudo
Intervalo de ano de publicação
1.
Rev. RENE ; 16(4): 514-521, jul.-ago. 2015.
Artigo em Português | LILACS, BDENF - Enfermagem | ID: lil-776022

RESUMO

Objetivo: avaliar a adesão às medidas de precauções para aerossóis, bem como o conhecimento a respeito da aplicação dessas medidas entre os profissionais de saúde de um serviço especializado no atendimento a pacientes com tuberculose. Métodos: estudo transversal observacional, que avaliou as oportunidades de adesão por meio da observação (n=143) e o conhecimento por um questionário (76). Resultados: a porta dos isolamentos permaneceu aberta em 13,3%. As enfermarias possuíam filtro de alta filtragem, porém em 60,9% das observações este estava desligado. Quanto à máscara, 99,3% dos profissionais de saúde a utilizaram antes de entrar no isolamento e 58,7% permaneceram com a mesma após saírem. As respostas dos profissionais sobre as precauções para aerossóis caracterizaram pouco conhecimento sobre essas medidas. Conclusão: campanhas de educação permanente para sensibilizar podem ser adotadas para aumentar a adesão às precauções para aerossóis e reduzir os riscos de exposição ocupacional.


Assuntos
Aerossóis , Conhecimentos, Atitudes e Prática em Saúde , Pessoal de Saúde , Tuberculose
2.
Acta paul. enferm ; 7(2/4): 35-8, abr.-dez. 1994. tab, ilus
Artigo em Português | LILACS, BDENF - Enfermagem | ID: lil-177877

RESUMO

O aerossol de liberaçäo de doses controladas é uma forma de administraçäo de medicaçäo. Este consiste em um inalador que funciona sob pressäo gasosa e a dose liberada é constante. Atualmente, várias medicaçöes säo apresentadas desta forma, säo os beta, agonistacromoglicato dissódico 2//, as beclometasonas e os brometos de ipatrópio. O objetivo do trabalho foi avaliar as crianças e adolescentes na aprendizagem da técnica de utilizaçäo dos aerossóis de liberaçäo de doses controladas com espaçadores. Os pacientes foram treinados e divididos em 2 grupos: 5 a 10 anos e 10 a 15 anos. Na avaliaçäo da aprendizagem foram anotados os pontos falhos durante o uso da medicaçäo pelo paciente e a verificaçäo do pico expiatório pré e pós a droga broncodilatadora. Foi verificado que a assimilaçäo foi em torno de 60//para o grupo de 5 a 10 anos e 71//para o grupo de 10 a 15 anos. Os dois grupos tem condiçöes de aprender a técnica. A medicaçäo broncodilatadora utilizada com espaçadores é absorvida e traduz na melhora dos pacientes.


Assuntos
Humanos , Criança , Adolescente , Asma/tratamento farmacológico , Broncodilatadores/administração & dosagem , Aerossóis/administração & dosagem , Broncodilatadores/uso terapêutico , Aerossóis/uso terapêutico
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA