Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 2 de 2
Filtrar
Mais filtros










Filtros aplicados

Intervalo de ano de publicação
1.
Goiânia; s.n; 1997. 78 p. tab.
Tese em Português | LILACS, BDENF - Enfermagem | ID: lil-214444

RESUMO

A hepatite B tem sido uma grande ameaça aos pacientes em tratamento hemodialítico. Para investigar o perfil da infecçäo pelo vírus da hepatite B (HBV) nas unidades de hemodiálise de Goiânia-GO, 282 pacientes foram entrevistados e amostras sanguíneas coletadas para detecçäo dos marcadores AgHBs, anti-HBs e anti-HBc. Uma prevalência global de 56,7 por cento foi encontrada, tendo variado de 33,3 a 77,7 por cento entre as unidades. Somente 28 pacientes referiram vacinaçäo para hepatite B, destes 3 (10,7 por cento)apresentaram soroconversäo. A análise mltivariada para os fatores de risco mostrou o tempo de tratamento hemodialítico, sexo masculino e história pregressa de hepatite/icterícia associados à positividade ao VHB. O valor preditivo positivo e a especificidade deste último fator em detectar soros positivos foram de 84,0 por cento e 93,2 por cento, respectivamente. Nas amostras AgHBs positivas (N=34) foram detectados os marcadores AgHBe e o DNA viral por hibridizaçäo e pela reaçäo da polimerase em cadeia (PCR), dosada a alanina aminotransferase (ALT), além da realizaçäo da subtipagem e genotipagem. Nestas amostras, o VHB-DNA foi detectado em 67,6 por cento e 88,2 por cento por hibridizaçäo e pela PCR, respectivamente. Já nas AgHBs/AgHBe positivas em 91,3 por cento e 100,0 por cento e, nas AgHBs/anti-HBe em 18,2 por cento e 63,6 por cento, respectivamente. A maioria destas apresentou valores normais de ALT. A análise dos tipos do VHB circulantes nesta populaçäo revelou a presença dos genótipos A (46,4 por cento) e D (42,8 por cento) e os subtipos correspondentes adw2 (44,1 por cento) e ayw3 (41,2 por cento)/ayw2 (2,9 por cento), além do grupo F (3,6 por cento) e do subtipo adw4 (2,9 por cento) com predominância dos mesmos em algumas unidades. Estes resultados demonstram uma prevalência elevada de infecçäo para o vírus B na populaçäo de hemodiálise de Goiânia, e sugerem o ambiente hemodialítico como possível fonte de disseminaçäo do VHB, enfatizando a necessidade urgente de reavaliaçäo das medidas de controle e prevençäo adotadas nestas unidades


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adolescente , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Hepatite B , Diálise Renal , Técnicas In Vitro , Vírus da Hepatite B/patogenicidade , Pacientes Ambulatoriais , Estudos Soroepidemiológicos , Testes Imunológicos
2.
Enfoque (Säo Paulo) ; 16(4): 90-4, dez. 1988. tab
Artigo em Português | LILACS, BDENF - Enfermagem, Sec. Est. Saúde SP | ID: lil-75150

RESUMO

Säo analisadas as características técnicas e operacionais exigidas para a realizaçäo de um teste de esterilidade válido. A partir deste pressuposto, a interpretaçäo dos resultados obtidos, bem com a limitaçöes do método, säo discutidas. Fluxogramas de análie säo sugeridos visando auxiliar tal interpretaçäo, complementando-se com alguns casos hipotéticos. Os limites da aplicaçäo do teste de esterilidade em Instituiçöes Hospitalares säo discutidos e revisados, correlacionando-os com os conceitos adotados no controle da infecçäo hospitalar


Assuntos
Esterilização/métodos , Controle de Qualidade , Produtos Biológicos/análise , Testes Imunológicos , Esterilização/normas , Contaminação de Equipamentos , Ambiente Controlado
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA