Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 20 de 92
Filtrar
Mais filtros










Filtros aplicados
  • Base de dados

Intervalo de ano de publicação
1.
Homeopatia Méx ; 87(712): 5-12, ene. - mar. 2018.
Artigo em Espanhol | LILACS, HomeoIndex - Homeopatia | ID: biblio-995352

RESUMO

Introducirse en el ámbito de la Homeopatía es estar dispuesto a la controversia, la polémica y el escepticismo. El concepto de energía vital, que constituye uno de sus pilares fundamentales, es cuestionado fuertemente por la comunidad científica y aprovechado para calificar a la medicina hahnemanniana como una pseudociencia y ligarla al esoterismo y al fraude. Desde sus orígenes, el de la energía vital se considera como un principio de alta conectividad, ya que la Homeopatía no puede entenderse sin él. Hoy día, este hecho es incuestionable y cuenta con el mayor respaldo, relacionando las filosofías más antiguas con las llamadas ciencias emergentes, como la teoría de sistemas, la mecánica cuántica y las ciencias de la tierra, que consideramos deben ser conocidas, divulgadas e incluidas en los planes de estudio de licenciatura y educación continua de graduados a la brevedad posible, para lograr un verdadero avance y reconocimiento dentro del espacio de la medicina y de la ciencia. En todo el universo, la energía y la materia son inseparables. Esta discusión debe terminar. (AU).


Steeping into the Homeopathic field, is having an attitude toward controversy, polemics and skepticism. The vital energy concept, that is one of its main fundaments, is strongly questioned by scientific community, up to the point of being considered as a pseudoscience and linked to esoterism and fraud. Since the beginning, vital energy was considered as a high connectivity principle because we cannot understand Homeopathy without it. Nowadays this fact is unquestionable, and has the major support by connecting the most ancient philosophies with the emerging sciences like systemic theory, quantum mechanics and earth's sciences, that must be known, divulgated and included as soon as possible in academic degree and graduated continuous education in order to achieve a real evolution and respect into the medical environment and the science. In the whole universe, energy and matter are connected. This discussion must be ended. (AU)


Assuntos
Vitalismo , Energia Vital em Homeopatia , Homeopatia
2.
Revista de Medicina ; 96(3): 145-158, 2017.
Artigo em Português | HomeoIndex - Homeopatia | ID: hom-12073

RESUMO

Antropologia é a ciência que tem como objetivo estudar o homem em sua pluralidade de modos de vida e de pensamento, incorporando os diversos aspectos da individualidade às suas modalidades de estudo (biológica, social, cultural e filosófica). Por sua vez, a Antropologia Médica estuda os fatores que influenciam o processo saúde-doença, incluindo os aspectos biossocioculturais e os variados sistemas de saúde. Seguindo o objetivo intrínseco de estudar o homem em sua pluralidade, a Antropologia Médica Vitalista fornece subsídios filosóficos para uma ampliação do entendimento do processo de adoecimento, analisando o mecanismo saúde-doença em conformidade com a estrutura ontológica humana. Fundamentando o diagnóstico e o tratamento das doenças em diversas racionalidades médicas não convencionais (Medicina Tradicional Chinesa, Medicina Tradicional Indiana, Medicina Homeopática e Medicina Antroposófica), a concepção vitalista é uma doutrina filosófica que considera a existência de uma força (princípio) vital responsável pela manutenção da saúde e da vida, unida substancialmente ao corpo físico. Além disso, valorizando a interação de outras instâncias superiores da individualidade humana (mente, alma e espírito) no equilíbrio fisiológico-vital, a concepção vitalista inclui a influência dos pensamentos, sentimentos e emoções na etiopatogenia e na evolução das doenças, aspectos difundidos pela dinâmica psicossomática moderna e pelo recente campo de pesquisas que relaciona a saúde à espiritualidade. (AU)


Assuntos
Humanos , Antropologia Médica , Filosofia Médica , Vitalismo , Homeopatia , Espiritualidade , Terapias Complementares
5.
Homeopatia Méx ; 84(696): 5-12, Mayo-jun. 2015. ilus
Artigo em Espanhol | HomeoIndex - Homeopatia | ID: hom-11163

RESUMO

El dinamismo vital ha tenido diversas interpretaciones a lo largo del tiempo. El maestro Samuel Hahnemann ha sido pionero al dar una primera concepción a la fuerza y al sistema que controlan el equilibrio en el organismo. Visionario para su tiempo y sin las herramientas que ahora acompañan a la biología molecular, élsupo conjeturar que existía un procesamiento complejo en cada una de las células que nos conforman como seres vivos y que, gracias al avance tecnológico, hoy recibe el nombre de dogma central de la biología molecular, mismo que se encuentra compuesto por la replicación del ADN, la transcripción del ARN y la traducciónde las proteínas, asegurando así la ejecución de la vida mediante un mecanismo siempre dinámico. (AU)


The vital dynamism has undergone various interpretations over time. The teacher Samuel Hahnemann pioneered the first notion about both the strength and the system that control the body balance. Visionary for his time and without the tools now accompanying the molecular biology, he envisioned that there existed a complex processing in every cell making us up as living beings, and that thanks to technological breakthroughs, today it is called the central dogma of molecular biology, which is composed of the replication of DNA, RNA transcription and protein translation, thus ensuring the realization of life through an ever dynamic mechanism. (AU)


Assuntos
Humanos , Vitalismo , Energia Vital em Homeopatia , Transcrição Genética , RNA/história , DNA/história
6.
São Paulo; s.n; 2ed; 2015. 339 p.
Monografia em Português | HomeoIndex - Homeopatia | ID: hom-11713

RESUMO

Além da materialidade grosseira do corpo físico, sempre se acreditou na existência de uma natureza imaterial do homem, assumindo várias conotações ao longo das diversas épocas e civilizações humanas. Em todas as filosofias e religiões, termos como alma, espírito, mente, força vital, etc. são citados, representando uma entidade energética-espiritual com ascendência sobre a entidade orgânica-material. Além disso, atribui-se ao Espírito (Alma) uma natureza eterna, imortal, ao contrário da existência limitada e passageira do corpo físico. Até o século XIX, existia na Medicina a noção de uma força vital responsável pela manutenção do equilíbrio das funções orgânicas e da saúde, sendo substituída, no século XX, pelos princípios cartesianos que localizaram a causa das doenças nos órgãos, nos tecidos e nas células. Dentre as especialidades médicas atuais, a Homeopatia apresenta em seu corpo doutrinário concepções científicas e filosóficas. Dentre essas, propaga a noção de que o binômio saúdedoença se fundamenta num substrato material-energético (corpo físico-força vital). Apesar de utilizar esse conceito filosófico para tentar explicar a gênese profunda das enfermidades, apresenta um modelo terapêutico fundamentado nos conhecimentos experimentais e científicos da Medicina moderna. Nessa obra, procuramos estudar comparativamente as diversas escolas médicas (Homeopatia, Medicina Tradicional Chinesa, Medicina Ayurvédica e Medicina Antroposófica) e filosóficas (Hinduismo, Ocultismo, Teosofia, Rosacruz, Cabala e Espiritismo) que valorizam os veículos sutis de manifestação da individualidade humana (princípio vital, mente, alma, espírito, etc.), evidenciando, através das inúmeras semelhanças conceituais encontradas, que este conhecimento metafísico se originou de uma fonte primordial comum, incorporando-se à cultura de todas as civilizações primevas. Através das inúmeras citações e referências bibliográficas desta obra, o leitor poderá se aprofundar no estudo desta natureza imaterial humana, sem que alimentemos a pretensão de esgotar um assunto de tamanha complexidade e importância para o entendimento do homem e de seu papel no atual ciclo de evolução da Terra.


Assuntos
Homeopatia , Filosofia Homeopática , Vitalismo
7.
São Paulo; Marcus Zulian Teixeira; 3 ed; 2015. 450 p.
Monografia em Português | HomeoIndex - Homeopatia | ID: hom-11714

RESUMO

Além da materialidade grosseira do corpo físico, sempre se acreditou na existência de uma natureza imaterial do homem, assumindo várias conotações ao longo das diversas épocas e civilizações humanas. Em todas as filosofias e religiões, termos como alma, espírito, mente, força vital, etc. são citados, representando uma entidade energética-espiritual com ascendência sobre a entidade orgânica-material. Além disso, atribui-se ao Espírito (Alma) uma natureza eterna, imortal, ao contrário da existência limitada e passageira do corpo físico. Até o século XIX, existia na Medicina a noção de uma força vital responsável pela manutenção do equilíbrio das funções orgânicas e da saúde, sendo substituída, no século XX, pelos princípios cartesianos que localizaram a causa das doenças nos órgãos, nos tecidos e nas células. Dentre as especialidades médicas atuais, a Homeopatia apresenta em seu corpo doutrinário concepções científicas e filosóficas. Dentre essas, propaga a noção de que o binômio saúdedoença se fundamenta num substrato material-energético (corpo físico-força vital). Apesar de utilizar esse conceito filosófico para tentar explicar a gênese profunda das enfermidades, apresenta um modelo terapêutico fundamentado nos conhecimentos experimentais e científicos da Medicina moderna. Nessa obra, procuramos estudar comparativamente as diversas escolas médicas (Homeopatia, Medicina Tradicional Chinesa, Medicina Ayurvédica e Medicina Antroposófica) e filosóficas (Hinduismo, Ocultismo, Teosofia, Rosacruz, Cabala e Espiritismo) que valorizam os veículos sutis de manifestação da individualidade humana (princípio vital, mente, alma, espírito, etc.), evidenciando, através das inúmeras semelhanças conceituais encontradas, que este conhecimento metafísico se originou de uma fonte primordial comum, incorporando-se à cultura de todas as civilizações primevas. Através das inúmeras citações e referências bibliográficas desta obra, o leitor poderá se aprofundar no estudo desta natureza imaterial humana, sem que alimentemos a pretensão de esgotar um assunto de tamanha complexidade e importância para o entendimento do homem e de seu papel no atual ciclo de evolução da Terra.


Assuntos
Homeopatia , Filosofia Homeopática , Vitalismo
8.
São Paulo; Marcus Zulian Teixeira; 3 ed; 2015. 450 p.
Monografia em Português | LILACS, HomeoIndex - Homeopatia | ID: biblio-909922

RESUMO

Além da materialidade grosseira do corpo físico, sempre se acreditou na existência de uma natureza imaterial do homem, assumindo várias conotações ao longo das diversas épocas e civilizações humanas. Em todas as filosofias e religiões, termos como alma, espírito, mente, força vital, etc. são citados, representando uma entidade energética-espiritual com ascendência sobre a entidade orgânica-material. Além disso, atribui-se ao Espírito (Alma) uma natureza eterna, imortal, ao contrário da existência limitada e passageira do corpo físico. Até o século XIX, existia na Medicina a noção de uma força vital responsável pela manutenção do equilíbrio das funções orgânicas e da saúde, sendo substituída, no século XX, pelos princípios cartesianos que localizaram a causa das doenças nos órgãos, nos tecidos e nas células. Dentre as especialidades médicas atuais, a Homeopatia apresenta em seu corpo doutrinário concepções científicas e filosóficas. Dentre essas, propaga a noção de que o binômio saúdedoença se fundamenta num substrato material-energético (corpo físico-força vital). Apesar de utilizar esse conceito filosófico para tentar explicar a gênese profunda das enfermidades, apresenta um modelo terapêutico fundamentado nos conhecimentos experimentais e científicos da Medicina moderna. Nessa obra, procuramos estudar comparativamente as diversas escolas médicas (Homeopatia, Medicina Tradicional Chinesa, Medicina Ayurvédica e Medicina Antroposófica) e filosóficas (Hinduismo, Ocultismo, Teosofia, Rosacruz, Cabala e Espiritismo) que valorizam os veículos sutis de manifestação da individualidade humana (princípio vital, mente, alma, espírito, etc.), evidenciando, através das inúmeras semelhanças conceituais encontradas, que este conhecimento metafísico se originou de uma fonte primordial comum, incorporando-se à cultura de todas as civilizações primevas. Através das inúmeras citações e referências bibliográficas desta obra, o leitor poderá se aprofundar no estudo desta natureza imaterial humana, sem que alimentemos a pretensão de esgotar um assunto de tamanha complexidade e importância para o entendimento do homem e de seu papel no atual ciclo de evolução da Terra.


Assuntos
Filosofia Homeopática , Homeopatia , Vitalismo
9.
São Paulo; Teixeira, Marcus Zulian; 2 ed; 2015. 339 p.
Monografia em Português | LILACS, HomeoIndex - Homeopatia | ID: biblio-909924

RESUMO

Além da materialidade grosseira do corpo físico, sempre se acreditou na existência de uma natureza imaterial do homem, assumindo várias conotações ao longo das diversas épocas e civilizações humanas. Em todas as filosofias e religiões, termos como alma, espírito, mente, força vital, etc. são citados, representando uma entidade energética-espiritual com ascendência sobre a entidade orgânica-material. Além disso, atribui-se ao Espírito (Alma) uma natureza eterna, imortal, ao contrário da existência limitada e passageira do corpo físico. Até o século XIX, existia na Medicina a noção de uma força vital responsável pela manutenção do equilíbrio das funções orgânicas e da saúde, sendo substituída, no século XX, pelos princípios cartesianos que localizaram a causa das doenças nos órgãos, nos tecidos e nas células. Dentre as especialidades médicas atuais, a Homeopatia apresenta em seu corpo doutrinário concepções científicas e filosóficas. Dentre essas, propaga a noção de que o binômio saúdedoença se fundamenta num substrato material-energético (corpo físico-força vital). Apesar de utilizar esse conceito filosófico para tentar explicar a gênese profunda das enfermidades, apresenta um modelo terapêutico fundamentado nos conhecimentos experimentais e científicos da Medicina moderna. Nessa obra, procuramos estudar comparativamente as diversas escolas médicas (Homeopatia, Medicina Tradicional Chinesa, Medicina Ayurvédica e Medicina Antroposófica) e filosóficas (Hinduismo, Ocultismo, Teosofia, Rosacruz, Cabala e Espiritismo) que valorizam os veículos sutis de manifestação da individualidade humana (princípio vital, mente, alma, espírito, etc.), evidenciando, através das inúmeras semelhanças conceituais encontradas, que este conhecimento metafísico se originou de uma fonte primordial comum, incorporando-se à cultura de todas as civilizações primevas. Através das inúmeras citações e referências bibliográficas desta obra, o leitor poderá se aprofundar no estudo desta natureza imaterial humana, sem que alimentemos a pretensão de esgotar um assunto de tamanha complexidade e importância para o entendimento do homem e de seu papel no atual ciclo de evolução da Terra.


Assuntos
Filosofia Homeopática , Vitalismo
10.
São Paulo; Marcus Zulian Teixeira; 2014. 308 p. ilus, tab.
Monografia em Português | HomeoIndex - Homeopatia | ID: hom-11711

RESUMO

Coletânea de artigos publicados na Revista de Homeopatia da APH e na Revista de Homeopatia da AMHB pelo autor Marcus Zulian Teixeira entre os anos 1995 a 2007.


Assuntos
Homeopatia , Fundamentos da Homeopatia/história , Vitalismo , Miasma em Homeopatia , Lei dos Semelhantes , Pesquisa Homeopática Básica
12.
Rev. homeopatia (São Paulo) ; 74(3,n.esp): 11-11, 2011.
Artigo em Português | HomeoIndex - Homeopatia | ID: hom-10578

RESUMO

O vitalismo tem sido, até estudos recentes, negligenciado pela historiografia, sendoescassamente mencionado nos principais livros de referência sobre a história dasciências do século XVIII. Até a segunda metade do século XX, o vitalismo era nomáximo apresentado como uma retrógrada corrente anti-iluminista, e historiadores,filósofos e pensadores do Iluminismo consideravam a doutrina mecanicista como aherdeira da “Revolução Científica”, bem como a corrente dominante no mundo das“ciências da vida” ao longo de todo século XVIII.(AU)


Assuntos
Vitalismo
13.
Rev. homeopatia (São Paulo) ; 74(3,n.esp): 17-17, 2011.
Artigo em Português | HomeoIndex - Homeopatia | ID: hom-10584

RESUMO

Esta pesquisa tematiza o conceito saúde na perspectiva dos modelos médicos vitalistas, situando-se no eixo da dimensão doutrina médica das racionalidades médicas, e temcomo objeto de estudo os vitalismos de Hahnemann e Nietzsche. A partir dolevantamento e análise bibliográfica de textos e da abordagem disciplinar histórica e filosófica, teve como objetivos analisar os conceitos de vida, saúde, doença e cura presentes nos pensamentos desses autores, traçar correspondências e explicitar asdiferenças dos pensamentos envolvidos. Como apoios teóricos, utilizaram-se ostrabalhos de Canguilhem, Luz e Foucault.


Assuntos
Vitalismo , Filosofia Homeopática
14.
Rev. homeopatia (São Paulo) ; 73(1/2): 80-80, 2010.
Artigo em Português | HomeoIndex - Homeopatia | ID: hom-10321

RESUMO

Tese de doutorado em Saúde Coletiva, apresentada a Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Esta pesquisa tematiza o conceito saúde na perspectiva dos modelos médicos vitalistas, situando-se no eixo da dimensão doutrina médica das Racionalidades Médicas e tem como objeto de estudo os vitalismos de Hahnemann e Nietzsche. A partir do levantamento e análise bibliográfica de textos e da abordagem disciplinar histórica e filosófica, teve como objetivos analisar os conceitos de vida, saúde, doença e cura presentes nos pensamentos destes autores, traçar correspondências e explicitar as diferenças dos pensamentos envolvidos. Como apoios teóricos os trabalhos de Canguilhem, Luz e Foucault. Partindo da ênfase na atitude vital do sujeito em seu processo de saúde-doença-convalescença-cura que ambos pensadores destacam buscou-se avaliar as hipóteses de o vitalismo hahnemanniano se assemelhar ao nietzscheano e se seria possível afirmar que a busca da “grande saúde” equivaleria à meta do tratamento homeopático ao contemplar a “liberdade do espírito” na conquista da ampliação da normatividade vital. Concluiu-se que os vitalismos de Hahnemann e Nietzsche são semelhantes na medida em que as bases de seus pensamentos ressaltam a vida enquanto um jogo de forças e luta, onde enfatizam a irredutibilidade dos fenômenos dos vivos às propriedades físico-químicas; a concepção dos seres humanos como totalidades únicas e singulares nas quais há um jogo de forças atuantes, promovendo diferentes saúdes no mesmo indivíduo, de acordo com as variadas fases da vida; e as hierarquias existentes entre as forças, resultando em análises diagnósticas, possibilidades de intervenção terapêutica e acompanhamento do processo saúde-doença.


Assuntos
Vitalismo , Homeopatia
15.
Homeopatia Méx ; 79(665): 5-24, 2010. ilus, tab
Artigo em Espanhol | HomeoIndex - Homeopatia | ID: hom-10349

RESUMO

En cuanto entendamos que es la " Energía universal", que es la "Energía vital", cuál es su "Mecanismo de acción" en los seres vivos, entonces sabremos y entenderemos realmente qué es la Homeopatía.


Assuntos
Energia Vital em Homeopatia/história , Vitalismo , Proteínas Luminescentes
17.
Homeopatia Méx ; 77(652): 20-37, ene.-feb. 2008.
Artigo em Espanhol | HomeoIndex - Homeopatia | ID: hom-8637

RESUMO

Al hablar de eternidad necesariamente pensamos en algoinfinito, atemporal, no ligado al transcurso del tiempo, ni tampocoal pensamiento del hombre en determinados momentosde su historia. La medicina homeopática, legado del inmortalHahnemann, no se fundamenta en los sistemas y criteriosfugaces y acordes a la moda que respaldan a la medicinatradicional, se asienta sobre ocho principios, que en realidadson leyes universales, tan vigentes en el principio de lostiempos como en la actualidad. No se puede hablar ni pensaren la Homeopatía sin referirse al concepto del dinamismovital, la energía de la vida que anima al cuerpo material,sobre la que actúan los remedios homeopáticos. Este principio,el séptimo de nuestros fundamentos, es uno de losmás discutidos, sin embargo, ha sido vislumbrado por los grandespensadores de la humanidad a través de toda nuestrahistoria. Este pequeño ensayo trata de sacar a relucir las principalescoincidencias del pensamiento hahnemanniano eneste sentido, especialmente en lo relacionado con la historiade la medicina.


Assuntos
Vitalismo/história , Homeopatia
18.
São Paulo; Organon; 2008. 222 p.
Monografia em Português | HomeoIndex - Homeopatia | ID: hom-12236

RESUMO

O papel da medicina talvez tenha uma amplitude maior do que fazer interferências sobre doenças conhecidas. Existem estados clínicos de difícil classificação: São funções alteradas, sensibilidades em desassossego, ritmos deprimidos e perturbações orgânicas e psíquicas sem resultados laboratoriais conclusivos. Diante desse quadro contemporâneo, qual será a saída? Como escapar do abuso da automedicação, das doses progressivas de antidepressivos? Como evitar os apelos diários ás soluções simplistas? Quais pesquisas são prioritárias, e como acessar informações confiáveis? Há alguma forma de se equilibrar na instável balança da saúde, que oscila entre fatores de risco e proteção? Talvez não haja resposta satisfatória, mas uma coisa é certa: não bastam medicamentos eficazes, tecnociência aplicada ou procedimentos hospitalares sofisticados. Os médicos deverão se preocupar cada vez mais em saber diferenciar as pessoas do que agrupa-las em tipologias. Eis as raízes do Ethos do cuidado. É nesse espaço que um novo tipo de arte medica – para alem das Medicinas standard e integrativas – esta se desenvolvendo. Deixou de ser utopia, já que a novíssima Medicina Comporta uma idéia muito pratica: qualquer ação terapêutica deve ser baseada em cuidados pensados para cada um.


Assuntos
Homeopatia , Fundamentos da Homeopatia , História da Homeopatia , Vitalismo
19.
Int. j. high dilution res ; 7(24): 140-146, 2008.
Artigo em Inglês, Português | HomeoIndex - Homeopatia | ID: hom-9223

RESUMO

The present paper reviews Vitalism as the basis for S. Hahnemann’s initial formulation of Homeopathy through the lens of the notions of Vitalism and vital normativeness formulated in the 20th century by French physician and historian of science Georges Canguilhem. Hahnemann described disease as a disarrangement of the organism as a whole, carrying the mark of the individual affected. Similarly, Canguilhem stated that symptoms only have meaning within their specific context and express a global disturb. Hahnemann gave health a positive definition as the state of equilibrium of the vital force – the latter understood as an essential quality of matter composing living beings and corresponding to a conception of Vitalism that holds totality as self-organized. Canguilhem would define Vitalism as the simple acknowledgement of the originality of life regarding lifeless matter, and described life as a dynamic polarity. In this context, illness is seen as a way to compel the organism to seek a new equilibrium to maintain homeostasis, health and healing are both integral parts of the self-organization of living beings and dichotomy of the process health/disease is a mere linguistic artifact.(AU)


Este trabalho revê o Vitalismo como base da inicial formulação da Homeopatia por Hahnemann através das noções de Vitalismo e normatividade vital formulada no século XX pelo médico e historiador da ciência francês George Canquilhem. Hahneman descreve a doença como um desequilíbrio no organismo como um todo, carregando a marca da afecção individual. Similarmente, Canguilhem afirma que os sintomas somente têm siginificado dentro de seu específico contexto e expressa um distúrbio global. Hahnemann dá à saúde uma definição positiva como o estado de equilíbrio da força vital - mais tarde compreendida como uma qualidade essencial da matéria que compõe os seres vivos e que corresponde a uma concepção de Vitalismo que entende a totalidade como auto-organização. Canguilhem definiu o Vitalismo como o simples reconhecimento da originalidade da vida e a descreve como uma polaridade dinâmica. Neste contexto, doença é vista como um modo de compelir o organismo a conquistar um novo equilíbrio para sustentar a sua homeostase; saúde e cura são ambos parte integrante da auto-organização dos seres vivos e a dicotomia do processo saúde/doença é mero artefato de linguagem.(AU)


Assuntos
História do Século XX , Homeopatia , Vitalismo
20.
Cultura homeopatica ; (8): 13-15, 2004.
Artigo em Português | HomeoIndex - Homeopatia | ID: hom-7708

RESUMO

Procuraremos neste artigo apresentar uma síntese dopensamento de Humberto Maturana e demonstrar a importância e diversidade de aplicações que podem decorrer da Teoria da Autopoiese.(AU)


Assuntos
Vitalismo
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA