Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 1 de 1
Filtrar
Mais filtros










Filtros aplicados
Base de dados
Intervalo de ano de publicação
1.
São Paulo; s.n; 1998. 101 p.
Tese em Português | LILACS | ID: lil-272201

RESUMO

O vírus respiratório síncicial humano é classificado em dois grupos principais, A e B. Ambos os grupos contêm múltiplas variantes, reconhecidas por anticorpos monoclonais e técnicas genéticas, notadamente sequenciamento. Com o intuito de caracterizar a epidemiologia molecular de cepas de vírus respiratório sincicial humano, foi realizado o sequenciamento de uma região variável do gene que codifica a proteína responsável pela ligação do respectivo vírus à célula em amostras colhidas durante 5 anos consecutivos em uma comunidade. A análise filogenética realizada identificou clades distintas (genotipos), subsequentemente divididos em subtipos, com base em similiaridade > 96 por cento a nível de nucleotídeo. Foram identificados cinco genotipos e 22 subtipos entre os 123 isolados de vírus respiratório sincicial humano do grupo A e quatro genotipos e seis subtipos entre os 81 isolados do grupo B. Um ou dois genotipos e subtipos representaram no mínimo 50 por cento dos isolados identificados em cada ano. Foi verificada uma altemância no genotipo e subtipo predominantes, circulantes em cada ano, sendo que nenhum genotipo ou subtipo predominou por mais de um ano nos cinco anos do estudo. A consistência na substituição das cepas predominantes sugere que um "shift", mesmo entre as cepas de um mesmo grupo, representaria uma vantagem evolutiva para o vírus. Postulamos que a "nova" cepa circulante em um determinado ano teria maior capacidade de evadir a imunidade previamente induzida a nível da população e consequentemente circular mais eficientemente. A altemância anual apresentada pelas cepas de vírus respiratório sincicial humano pode contribuir para a melhor capacidade do vírus em causar surtos anuais de doença respiratória. Nossos resultados também sugerem que a caracterização de vírus respiratório sincicial humano a nível de grupo e genotipo pode ser necessária para compreender melhor o papel da imunidade protetora, após a infecção natural pelo vírus, bem como para a avaliação dos estudos envolvendo a eficácia de vacinas contra o vírus


Assuntos
Paramyxoviridae , Pneumovirinae , Pneumovirus , Vírus Sinciciais Respiratórios
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA