Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 19 de 19
Filtrar
Mais filtros










Filtros aplicados

Base de dados
Intervalo de ano de publicação
1.
Cienc. Serv. Salud Nutr ; 9(1): 36-45, abr. 2018.
Artigo em Espanhol | LILACS | ID: biblio-981835

RESUMO

La esquizofrenia es un trastorno mental severo que afecta el área cognitivo, social y afectivo de quienes lo padecen. El subtipo paranoide es el más frecuente, en el que predominan las ideas de persecución. La presentación de este caso clínico permite orientar a los profesionales de la salud en el reconocimiento temprano de la esquizofrenia paranoide y diferenciarlo de otros trastornos mentales. El presente caso trata de una mujer de 59 años de edad diagnosticada con esquizofrenia paranoide en el Centro Psiquiátrico Sagrado Corazón de Jesús de la Ciudad de Ambato, Ecuador por medio de una anamnesis detallada, basada en criterios diagnósticos de esquizofrenia y los ejes del DSM IV. Actualmente en el Ecuador la esquizofrenia, tiene una prevalencia del 38% del total de los egresos en hospitales psiquiátricos, y un 21,7% de las atenciones en consulta externa. A pesar de estas cifras significativas, existen escasos estudios sobre el tema en Ecuador, por lo cual consideramos prudente la presentación de este caso, para despertar el interés en nuestra comunidad de salud y consolidar conocimientos útiles para la vida laboral del médico, enfocados en mejorar las intervenciones médicas basados en diagnósticos certeros que se enmarquen en el Plan Estratégico Nacional de Salud Mental 2015­2017, acorde con el Ministerio de Salud Pública, enfocados en el objetivo 3 del Buen Vivir que busca mejorar el bienestar y la calidad de vida de la población.


Schizophrenia is a severe mental disorder that affects cognition, social and emotional life of the persons. Paranoid schizophrenia is the most common subtype in which dominates the perception of persecution. The purpose of the present case report is to orientate health professionals to recognize paranoid schizophrenia in early stages and to distinguish this kind of pathology from another mental disorders. The present article reports the clinical case of a 59 year old woman with paranoid schizophrenia from the Psychiatric Center "Sacred Heart of Jesus" of the City of Ambato, Ecuador who has been diagnosed with paranoid schizophrenia by a detailed anamnesis, based in diagnostic criteria for paranoid schizophrenia and the DSM­IV classification. Currently schizophrenia has a prevalence of 38% of the total of psychiatric hospitalizations in Ecuador and a prevalence of 21,7% in ambulatory consultation. Despite these significant numbers there are only a few reports about the paranoid schizophrenia in Ecuador, reason why we consider it from mayor importance to present the following case report, with the intention to awake interest in our health community and strengthen knowledge for the daily work of physicians, focused in medical interventions based in adequate diagnostic procedures and framed in the National Strategic Plan of Mental Health 2015­2017 in accordance with the Ministry of Public Health, guarantying criteria 3 of the "Buen vivir" to improve the well­being and quality of life of the population.


Assuntos
Humanos , Feminino , Pessoa de Meia-Idade , Esquizofrenia Paranoide , Saúde Pública , Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais , Transtornos Mentais , Diagnóstico , Equador , Anamnese , Metotrimeprazina
2.
Acta cir. bras ; 23(1): 65-72, Jan.-Feb. 2008. graf, tab
Artigo em Inglês | LILACS | ID: lil-474142

RESUMO

PURPOSE: To compare two propofol infusion techniques in bitches subjected to ovaryhisterectomy by estimating the efficiency of the propofol target-dose, evaluating the cardiorespiratory and hemogasimetric attributes, and the bispectral scale index (BIS) as well as the recovery period characteristics. METHODS: Twenty anesthetized bitches were divided into two groups of 10 each (G1, G2). Animals of G1 were pre-treated with methotrimeprazine and anesthetized with target-controlled propofol infusion by means of a Harvard infusion pump combined to remifentanil through a syringe pump. RESULTS: Bradycardia and light hypotension, hemogasimetric and respiratory stability besides a good myorelaxation, more evident during continuous infusion and good hypnosis. CONCLUSIONS: Dosis used in both techniques, after methotrimeprazine pre-treatment and combined to the opioid, were efficient for the surgery. The target-controlled anesthesia required a smaller anesthetic consumption (propofol) with faster recovery periods.


OBJETIVO: Comparar duas técnicas de infusão de propofol em cadelas submetidas à ovariohisterectomia, estudando a eficácia da dose alvo de propofol, avaliando os atributos cardiorrespiratórios, hemogasométricos e escala do índice bispectral, (BIS) bem como as características do período de recuperação. MÉTODOS: Foram anestesiadas 20 cadelas, distribuídos em dois grupos (GI e GII). Em GI, os animais foram pré-tratados com levomepromazina e anestesiados com propofol por infusão alvo controlada, através de bomba de infusão Harvard pump, associado com remifentanila, através de bomba de seringa. Em GII, os animais receberam o mesmo tratamento de GI, só que ao invés de receberem o propofol por infusão alvo controlada, receberam o propofol em infusão contínua de velocidade fixa. RESULTADOS: Bradicardia e discreta hipotensão, estabilidade hemogasométrica e respiratória, além de um bom miorrelaxamento, mais evidente na infusão contínua e boa hipnose. CONCLUSÕES: As doses de propofol utilizadas em ambas as técnicas, após o pré-tratamento de levomepromazina e associadas ao opióide, foram eficazes para a realização cirúrgica. A técnica de anestesia alvo controlada obteve um menor consumo de anestésico (propofol) com períodos mais rápidos de recuperação.


Assuntos
Animais , Cães , Feminino , Analgésicos não Entorpecentes/administração & dosagem , Anestesia Intravenosa/métodos , Anestésicos Combinados/administração & dosagem , Anestésicos Intravenosos/administração & dosagem , Analgésicos Opioides/administração & dosagem , Frequência Cardíaca/efeitos dos fármacos , Hipnóticos e Sedativos/administração & dosagem , Bombas de Infusão , Metotrimeprazina/administração & dosagem , Ovariectomia , Piperidinas/administração & dosagem , Propofol/administração & dosagem , Distribuição Aleatória , Respiração/efeitos dos fármacos
3.
Acta cir. bras ; 22(4): 271-277, July-Aug. 2007. tab
Artigo em Inglês | LILACS | ID: lil-454610

RESUMO

PURPOSE: To compare, by continuous infusion of ketamine or medetomidine combined to methotrimeprazine and buprenorphine, ketamine and midazolam, the degree of hypnosis, myorelaxation, anesthetic quality and surgical feasibility through evaluation of possible parametric alterations and recovery quality. METHODS: 20 healthy adult females dogs, aged 3 to 5 years, body weight between 7 and 15 kg, were assigned randomly and homogenously to 2 groups of 10 animals each (n=10), group 1 (G1) and group 2 (G2), respectively. Animals of G1 were subjected to a pre-treatment with intravenous 1.0 mg/kg methotrimeprazine and or 3ì/kg. After 15 minutes, a 5.0 mg/kg ketamine and 0.2 mg/kg midazolam were intravenously injected. Immediately after induction, an anesthetic combination of 0.4 mg/kg/h midazolam, 20 mg/kg/h ketamine and 1.0 mg/kg/h xylazine, was continuously and intravenously administered for 30 minutes. The same techniques were used in G2 except for the substitution of xylazine for 30ìg/kg/h medetomidine. RESULTS: In G1 there was a 1st and 2nd degree atrioventricular heart block, a longer recovery period and lower quality. In G2 a 1st degree atrioventricular heart block occurred but isolated and ephemeral. CONCLUSIONS: The continuous infusion method, besides reducing drugs utilization, prevented collateral effects allowing a more tranquil recovery with no excitations, both protocols permitted the surgical procedure (ovary-hysterectomy) bringing about a reduction in hypnosis and an accentuated myorelaxation. Xylazine and medetomidine showed a similar pharmacodynamic behavior but with different clinical aspects. The electrocardiographic alterations observed in G2 and in a lower degree in G1 must be well studied. Describers: dogs, ketamine, methotrimeprazine, medetomidine, midazolam and xylazine.


OBJETIVO: Comparar através de infusão contínua de xilazina ou medetomidina associada à metotrimeprazina e buprenorfina, cetamina e midazolam, o grau de hipnose, miorrelaxamento e qualidade anestésica e a viabilidade cirúrgica, avaliando eventuais alterações paramétricas e qualidade de recuperação. MÉTODOS: Foram utilizados 20 cães fêmeas, adultas, hígidas (3 a 5 anos de idade) com peso corporal entre 7 e 15 quilos, escolhidas e distribuídas aleatoriamente de forma homogênea em 2 grupos de 10 animais cada, (n=10) sendo estes designados por Grupo 1 (G1), e Grupo 2 (G 2). Em G1, os animais foram submetidos a um pré-tratamento com metotrimeprazina na dose de 1,0 mg/kg e buprenorfina na dose de 0,003mg/kg ou 3 µg/kg intravenoso. Decorridos 15 minutos, administrou-se cetamina na dose de 5,0 mg/kg e midazolam na dose de 0,2 mg/kg intravenoso. Imediatamente após a indução iniciou-se administração contínua, por um período de 30 minutos, da associação anestésica de midazolam 0,4 mg/kg/h, cetamina 20mg/kg/h e xilazina 1,0 mg/kg/h IV. Em G 2 utilizou-se a mesma técnica empregada em G1 substituindo-se, a xilazina pela medetomidina na dose de 30µg/kg/h. RESULTADOS: Verificou-se em G1 bloqueio átrio-ventricular de primeiro e segundo grau, período de recuperação mais longo além de menor qualidade. Em G 2 observou-se bloqueio átrio-ventricular de primeiro grau isolado e de ação fugaz. CONCLUSÕES: Ao se aplicar o método de infusão contínua, além da redução dos fármacos aplicados, evitaram-se efeitos colaterais permitindo uma recuperação mais tranqüila e isenta de excitações, ambos os protocolos permitiram a realização do ato cirúrgico (ovário-salpingo-histerectomia), causando uma redução da hipnose e um miorrelaxamento acentuado. A xilazina e a medetomidina apresentam um comportamento farmacodinâmico semelhante, porém com aspectos clínicos diferentes, as alterações eletrocardiográficas observadas em G 2 e em menor grau em G1 devem ser melhor estudadas.


Assuntos
Animais , Cães , Feminino , Agonistas alfa-Adrenérgicos/administração & dosagem , Anestésicos Intravenosos/administração & dosagem , Hipnóticos e Sedativos/administração & dosagem , Histerectomia/métodos , Ovariectomia/métodos , Analgésicos Opioides/administração & dosagem , Anestésicos Combinados/administração & dosagem , Buprenorfina/administração & dosagem , Avaliação Pré-Clínica de Medicamentos , Antagonistas de Dopamina/administração & dosagem , Histerectomia/normas , Bombas de Infusão , Modelos Animais , Medetomidina/administração & dosagem , Metotrimeprazina/administração & dosagem , Midazolam/administração & dosagem , Ovariectomia/normas , Distribuição Aleatória , Xilazina/administração & dosagem
4.
Acta cir. bras ; 21(5): 304-309, Sept.-Oct. 2006.
Artigo em Inglês, Português | LILACS | ID: lil-438755

RESUMO

PURPOSE: To evaluate the parameters of dogs anesthetized by different dissociative drugs protocols through continuous intravenous infusion. METHODS: Thirty healthy dogs of both sexes were assigned randomly to three groups (G1, G2, and G3). G1 was administered with methotrimeprazine as a pre-anesthetic medication, intravenously midazolam-ketamine as bolus for induction and midazolam-ketamine by continuous intravenous infusion for a 60 minute-period of maintenance. G2: the same as for G1. plus an increase in the midazolam dose during maintenance. G3: the same treatment as for G2, plus the addition of xylazine during maintenance. Immediately after induction the anesthetic maintenance started, and measures were taken 15 minutes after pre-medication, at 10 minutes intervals, during maintenance (M0 to M7). RESULTS: Bradycardia, atrioventricular blockage, bradypnea and hypoxemia were shown in G3. G1 and G2 showed a slight hypotension only. CONCLUSION: There were some advantages by using the continuous intravenous via: no parameters oscillation and reduction in the anesthetic recovery period. The increase in midazolam dose brought about little parametric variations which were greater when xylazine was used, with a consequent hypoxemia, bradyarrhytmia, and decrease in respiratory frequency and minute volume.


OBJETIVO: Avaliar os parâmetros de cães anestesiados com diferentes protocolos de fármacos dissociativos por infusão intravenosa contínua. MÉTODOS: Foram utilizados 30 cães, machos e fêmeas, clinicamente sadios, distribuídos aleatoriamente em três grupos (G1,G2 e G3) (*)). Em G1 utilizou-se levomepromazina como medicação pré-anestésica (MPA), midazolam-cetamina pela via intravenosa em bolus para indução e midazolam-cetamina em infusão intravenosa contínua por 60 minutos para manutenção. Em G2 procedeu-se da mesma forma que em G1 elevando-se, porém, a dose de midazolam durante a manutenção. Em G3 repetiu-se o tratamento empregado em G2, acrescentando-se a xilazina à manutenção. Após a indução, iniciou-se imediatamente a manutenção anestésica, realizando-se aferições, 15 minutos depois da MPA, em intervalos de 10 minutos, durante a manutenção (M0 a M7). RESULTADOS: Em G3 ocorreu bradicardia, bloqueio átrio-ventricular, bradipnéia e hipoxemia e em G1 e G2, discreta hipotensão. CONCLUSÃO: A via intravenosa contínua apresentou vantagens quanto a: não oscilação dos parâmetros e redução no período de recuperação anestésica. A elevação da dose de midazolam resultou em discretas variações paramétricas, estas, acentuadas pelo uso da xilazina, que causou hipoxemia, bradiarritmia, diminuição da freqüência respiratória e volume minuto.


Assuntos
Animais , Masculino , Feminino , Cães , Anestésicos Intravenosos/farmacologia , Ketamina/farmacologia , Metotrimeprazina/farmacologia , Midazolam/farmacologia , Xilazina/farmacologia , Agonistas alfa-Adrenérgicos/efeitos adversos , Agonistas alfa-Adrenérgicos/farmacologia , Analgésicos não Entorpecentes/efeitos adversos , Analgésicos não Entorpecentes/farmacologia , Anestésicos Dissociativos/efeitos adversos , Anestésicos Dissociativos/farmacologia , Anestésicos Intravenosos/efeitos adversos , Pressão Sanguínea/efeitos dos fármacos , Temperatura Corporal/efeitos dos fármacos , Quimioterapia Combinada , Frequência Cardíaca/efeitos dos fármacos , Ketamina/efeitos adversos , Modelos Biológicos , Metotrimeprazina/efeitos adversos , Midazolam/efeitos adversos , Distribuição Aleatória , Testes de Função Respiratória , Fatores de Tempo , Xilazina/efeitos adversos
5.
Rev. bras. ciênc. vet ; 12(1/3): 16-26, jan.-dez. 2005. ilus, tab, graf
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-435904

RESUMO

Objetivou-se avaliar pela algimetria mecânica e térmica o sinergismo do butorfanol associado à levomepromazina em cães anestesiados pelo sevofluorano, induzidos pelo tiopental, avaliando-se os principais parâmetros fisiológicos, hemogasometria, BIS, recuperação e analgesia pós-anestésica. Aprovado pela comissão de ética da instituição, utilizaram-se 30 cães saudáveis, alocados em três grupos de 10 cada. Os animais de GI receberam levomepromazina (0,5 mg/kg IV) na MPA, indução anestésica com tiopental (12,5 mg/kg IV) e manutenção pelo sevofluorano, durante 60 minutos. O mesmo protocolo foi realizado em Gil e GIII, porém associou-se o butorfanol (0,2 mg/kg IV) a levomepromazina, e em GIII a dose do tiopental foi aquela suficiente para abolir o reflexo laringotraqueal e realização da intubação orotraqueal A dose média do tiopental em GII foi 7,05 mg/kg. Não foi observada taquicardia após intubação em GII e GIII, enquanto que durante manutenção anestésica, a freqüência cardíaca apresentou valores inferiores a GI e a pressão arterial manteve-se mais estável, apesar da moderada hipotensão. A FeSEVo foi em média para GI - 2,05%, GII - 1,48% e GIII - 1,68%. O BIS foi inferior nos animais de GL Não se notaram alterações significativas nas variáveis respiratórias, hemogasométricas e recuperação anestésica. A resposta ao estímulo mecânico e térmico foi superior nos grupos tratados pelo butorfanol (GII - 74min e 49min; GiII - 59min e 42min). Concluiu-se que o butorfanol determinou estabilidade hemodinâmica e respiratória no protocolo utilizado, e que apesar de diminuir o componente hipnótico revelado pelo BIS, melhorou a qualidade da anestesia, reduzindo o consumo de tiopental e sevofluorano, proporcionando analgesia na recuperação anestésica, não influenciando na mesma)


Assuntos
Butorfanol , Cães , Metotrimeprazina , Tiopental
6.
Acta cir. bras ; 20(1): 39-45, jan.-fev. 2005. ilus, tab, graf
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-394242

RESUMO

OBJETIVO: Quantificar a dor em cães sob anestesia dissociativa através de estímulo térmico e pressórico e o período hábil de dois analgésicos opióides. MÉTODOS: Empregaram-se 30 cães alocados em três grupos (n=10), onde os animais de GI receberam levomepromazina e midazolam associado na mesma seringa à quetamina. Os animais de GII receberam o mesmo tratamento de GI porém associado ao butorfanol e por fim os animais de GIII receberam o mesmo tratamento de GI associando-se a buprenorfina. Procedeu se a avaliação paramétrica rotineira, empregando-se, entretanto, a termoalgimetria mensurada em ºC em média de 52ºC e a pressoalgimetria em kg. RESULTADOS: Na termoalgimetria houve diferença significativa em GI nos momentos M0 e M1,e em M4 e M5. Em GII houve diferença em M0, M1, M5 e M6. Em GIII houve diferença entre momentos M0 e M1. Na pressoalgimetria houveram diferenças em GI em diferentes momentos: M0, M2 e M3. Em GII observaram-se diferenças em todos os momentos. Em GIII observaram-se diferenças em M0 e M9. Ocorreram diferenças entre os grupos, sendo o M2 de GII menor que GI e GIII. Já em M4 e M5 de GIII demonstrou-se maior que GI e GII. E na avaliação dos períodos observou-se um período de latência significativamente maior em GI, porém com período hábil e de recuperação menor em relação à GII e GIII. Já a recuperação do tônus postural foi maior em GIII seguido de GII e finalmente de GI. CONCLUSAO: O método empregado para mensuração do estímulo álgico foi eficiente, observando-se um período hábil analgésico de 3 horas para o butorfanol e de 6 horas para a buprenorfina.


Assuntos
Animais , Masculino , Feminino , Cães , Analgésicos/administração & dosagem , Buprenorfina/administração & dosagem , Butorfanol/administração & dosagem , Ketamina/administração & dosagem , Medição da Dor/métodos , Metotrimeprazina/administração & dosagem , Midazolam/administração & dosagem , Quimioterapia Combinada , Pressão , Temperatura
7.
Arq. bras. med. vet. zootec ; 56(3): 340-345, jun. 2004. ilus, tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS | ID: lil-364956

RESUMO

Os efeitos sedativos e antinociceptivos da levomepromazina, azaperone e midazolam foram avaliados utilizando-se três testes de comportamento em ratos e camundongos. No teste da atividade locomotora espontânea em campo aberto observou-se que tanto o comportamento exploratório como a atividade locomotora espontânea foram significativamente diminuídos quando se utilizou levomepromazina e azaperone. O efeito causado pelo azaperone foi menos prolongado quando comparado ao da levomepromazina. O midazolam causou diminuição do comportamento exploratório sem alterar a atividade locomotora espontânea. Quando se avaliou o efeito antinociceptivo por meio da latência para o reflexo da retirada da cauda em ratos após estímulo doloroso, as drogas não apresentaram nenhum efeito antinociceptivo observável. No teste das contorções em camundongos, os fármacos foram capazes de abolir as contorções quando comparados ao efeito do grupo-controle. Levomepromazina, azaperone e midazolam nas doses utilizadas foram capazes de inibir o comportamento exploratório de ratos, comprovando seus efeitos sedativos. Com relação aos efeitos antinociceptivos para dor visceral, eles foram capazes de inibir as contorções.


Assuntos
Animais , Camundongos , Ratos , Animais de Laboratório , Azaperona/efeitos adversos , Metotrimeprazina/efeitos adversos , Midazolam/efeitos adversos , Nociceptores
8.
J. bras. psiquiatr ; 52(2): 97-107, mar.-abr. 2003. ilus
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-366282

RESUMO

O tratamento de doenças psiquiátricas na gravidez é complexo, implicando decisões clínicas difíceis, sem contar-se com dados da literatura que embasem aplamente estas decisões. O transtorno afetivo bipolar é comum em mulheres em idade fértil, e há alto risco de ocorrência de manifestações clínicas na gravidez e no período pós-parto. Os autores revisam o conhecimento atual sobre o uso de psicotrópicos para episódio maníaco na gravidez e o efeito no desenvolvimento fetal e da criança. Enfatizam que, hoje, o uso de psicotrópicos na gravidez é apropriado em muitas situações clínicas, mas nenhuma decisão é completamente isenta de risco. Também apresentam uma proposta de manejo da doença em relação ao uso de psicotrópicos na gravidez, para pacientes com transtorno bipolar, e para aquelas que desejam engravidar.


Assuntos
Humanos , Gravidez , Transtorno Bipolar , Complicações na Gravidez/psicologia , Complicações na Gravidez/tratamento farmacológico , Ácido Valproico , Ácido Valproico/efeitos adversos , Alprazolam , Anticonvulsivantes , Carbamazepina , Clorpromazina , Clonazepam , Clordiazepóxido , Clordiazepóxido/efeitos adversos , Clozapina , Diazepam , Haloperidol , Levomepromazinum , Lítio , Lorazepam , Metotrimeprazina , Risperidona , Tioridazina , Trifluoperazina
9.
Arq. bras. med. vet. zootec ; 54(6): 581-585, dez. 2002. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-352341

RESUMO

Avaliaram-se as variáveis eletrocardiográficas em cäes submetidos à anestesia pelo sevoflurano. Foram empregados 16 cäes clinicamente sadios, adultos, machos ou fêmeas, com peso médio de 15±3,5kg. Administrou-se levomepromazina (1,0 mg/kg) seguida pela administraçäo de propofol (5,0 mg/kg), ambos pela via endovenosa. Os animais foram intubados e submetidos à anestesia inalatória com sevoflurano diluído em oxigênio, através de circuito semi-fechado na concentraçäo de 3,5V por cento. As aferiçöes das freqüências cardíaca e respiratória, oximetria, capnometria, pressöes arteriais sistólica, diastólica e média e das variáveis eletrocardiográficas foram realizadas imediatamente antes da administraçäo da levomepromazina, 15 minutos após e imediatamente antes da administraçäo do propofol, após 15 minutos da administraçäo do agente inalatório e consecutivamente a cada 20 minutos. Após administraçäo de levomepromazina, propofol e sevoflurano observou-se decréscimo das pressöes arteriais sistólica e média. A levomepromazina ocasionou prolongamento do intervalo QT. O sevoflurano promoveu prolongamento da onda P e aumento de sua amplitude aos 70 e 130 minutos de anestesia, respectivamente, além de prolongamento do intervalo QT. Concluiu-se que a anestesia por sevoflurano, nas condiçöes deste experimento, promoveu prolongamento do intervalo QT, sem no entanto incorrer em arritmias


Assuntos
Animais , Masculino , Feminino , Cães , Eletrocardiografia , Metotrimeprazina , Propofol
10.
Ciênc. rural ; 30(3): 421-4, maio-jun. 2000. graf
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-273875

RESUMO

Este experimento objetivou estudar o possível efeito antiarritmogênico da levomepromazina em cäes anestesiados pelo sevoflurano e submetidos a doses crescentes de adrenalina. Para tal, foram empregados 21 animais adultos, machos e fêmeas, sem raça definida e considerados sadios. Os cäes foram separados em dois grupos, sendo um de 11 (G1) e outro de 10 (G2) animais. O G1 recebeu, por via intravenosa, soluçäo salina a 0,9 por cento, na dose de 0,2ml/kg (placebo), seguida 15 minutos após, pela aplicaçäo de tiopental, pela mesma via, na dose suficiente para abolir o reflexo laringotraqueal. Procedeu-se à intubaçäo orotraqueal e iniciou-se a administraçäo de sevoflurano a 2,5V por cento, em circuito anestésico semi-fechado. Decorridos 20 minutos da induçäo anestésica, iniciou-se a administraçäo contínua, por via intravenosa, com emprego de bomba de infusäo, de soluçäo de adrenalina a 2 por cento, em doses crescentes de 1, 2, 3, 4 e 5µg/kg/min (M1 a M5, respectivamente), com incremento da dose a intervalos de 10 minutos. Para o G2, empregou-se a mesma metodologia substituindo-se o placebo por levomepromazina, na dose de 1mg/kg. Foi tomado o traçado eletrocardiográfico, na derivaçäo D2, a partir da induçäo da anestesia. Para efeito estatístico, foi considerado o número total de batimentos cardíacos de origem näo sinusal, coincidentes com cada dose de adrenalina. Os dados numéricos foram submetidos à Análise de Perfil, quando foi possível constatar que as médias do G1 foram crescentes de M1 a M3, diminuindo a partir deste último, até M5. No G2, foi encontrada arritmia ventricular sustentada apenas em M5. Os achados permitiram concluir que a levomepromazina minimiza a arritmia ventricular sustentada, induzida pela adrenalina em cäes anestesiados pelo sevoflurano.


Assuntos
Animais , Masculino , Feminino , Cães , Agonistas Adrenérgicos/toxicidade , Anestésicos Inalatórios/toxicidade , Antipsicóticos/uso terapêutico , Antipsicóticos/toxicidade , Arritmias Cardíacas/induzido quimicamente , Arritmias Cardíacas/veterinária , Epinefrina/toxicidade , Metotrimeprazina/uso terapêutico , Metotrimeprazina/toxicidade
11.
Ciênc. rural ; 29(2): 291-5, abr.-jun. 1999. tab, graf
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-246445

RESUMO

Este experimento teve por objetivo avaliar a viabilidade do emprego da levomepromazina no bloqueio da atividade arritmogênica da adrenalina, em cäes anestesiados pela quetamina. Para tal, foram utilizados 30 cäes adultos, machos e fêmeas, considerados sadios, com pesos compreendidos entre 7 e 14kg. Estes foram divididos em 3 grupos de 10 animais (G1, G2 e G3). Aos cäes de G1 foi administrada, por via intravenosa, adrenalina em doses de 3, 6, 9, 12 e 15µg/kg, em intervalos de 10 minutos. Deste grupo, foram colhidos o tempo de duraçäo do efeito da catecolamina (TA), estabelecido pela contagem da freqüência cardíaca e o número total de batimentos cardíacos de origem ectópica, produzidos pela adrenalina (ESV). Aos animais do G2, foi administrada soluçäo salina a 0,9 porcento, na dose de 0,2ml/kg, por via intravenosa, seguida, 10 minutos após, da injeçäo, pela mesma via, de quetamina, na dose de 2mg/kg. Decorridos 5 minutos, iniciou-se a infusäo contínua de quetamina, por via intravenosa, na dose de 0,2mg/kg/min. Aguardou-se 5 minutos e iniciou-se a adminstraçäo de adrenalina e colheita das variáveis, conforme protocolado para o G1. Aos animais do G3, aplicou-se a mesma metodologia, substituindo-se o placebo pela levomepromazina, administrada por via intravenosa, na dose de 1mg/kg. A análise dos resultados mostrou que a levomepromazina reduz a duraçäo do efeito da catecolamina e minimiza o aparecimento de batimentos cardíacos de origem ectópica. Os achados permitiram concluir que a levomepromazina é útil no bloqueio da arritmia produzida pela adrenalina em cäes anestesiados pela quetamina.


Assuntos
Animais , Masculino , Feminino , Cães , Antipsicóticos/farmacologia , Arritmias Cardíacas/induzido quimicamente , Arritmias Cardíacas/veterinária , Coração , Epinefrina/efeitos adversos , Inibidores Enzimáticos/farmacologia , Metotrimeprazina/farmacologia , Fenciclidina/farmacologia , Vasoconstritores/efeitos adversos , Anestesia/veterinária
12.
Ciênc. rural ; 28(1): 65-70, jan.-mar. 1998. ilus
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-246404

RESUMO

O objetivo desta pesquisa foi avaliar o emprego da atropina e da levomepromazina como medicaçöes pré-anestésicas para a anestesia pela associaçäo tiletamina/zolazepam. Foram empregados 30 cäes, distribuídos em três grupos iguais. O grupo 1 (controle) foi tratado com 0,2ml/kl de soluçäo fisiológica (placebo) por via intravenosa; o grupo 2 com 0,044mg/kg de sulfato de atropina por via subcutânea e o grupo 3 com 1mg/kg de cloridrato de levomepromazina por via intravenosa. Quinze minutos após, todos os grupos receberam a associaçäo tiletamina/zolazepam na dose de 10mg/kg por via intramuscular. Antes da medicaçäo pré-anestésica, 15 minutos após a mesma e aos 15, 30, 60 e 105 minutos após a administraçäo da associaçäo tiletamina/zolazepam foram registrados: ECG, temperatura, freqüência respiratória, volume corrente, volume minuto, freqüência cardíaca, pressäo arterial, valores hemogasométricos arteriais, graus de analgesia e miorrelaxamento e reflexos protetores. Outros dados como: secreçäo salivar, período de latência, período anestésico hábil e período de recuperaçäo foram igualmente mensurados para efeito comparativo. De acordo com os resultados obtidos concluiu-se que o sulfato de atropina näo deve ser administrado como medicaçäo pré-anestésica, por potencializar a taquicardia induzida pela associaçäo tiletamina/zolazepam. A levomepromazina, além de inibir a sialorréia, mantém a estabilidade cardiorrespiratória e apresenta açäo potencializadora dos efeitos anestésicos da associaçäo.


Assuntos
Animais , Cães , Adjuvantes Anestésicos/farmacologia , Analgésicos não Entorpecentes/farmacologia , Anestésicos Dissociativos/farmacologia , Anestesia/veterinária , Atropina/farmacologia , Hipnóticos e Sedativos/farmacologia , Metotrimeprazina/farmacologia , Tiletamina/farmacologia , Zolazepam/farmacologia
13.
J. bras. psiquiatr ; 44(3): 133-136, mar. 1995.
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-311152

RESUMO

O autor analisa o advento dos neurolépticos e suas conseqüências. Faz ampla revisão do tema abordando a farmacologia destas substâncias, os aspectos clínicos, principais indicações e efeitos colaterais. Conclui mostrando o verdadeiro alcance antimanicomial dos neurolépticos


Assuntos
Anticonvulsivantes , Clorpromazina , Clorprotixeno , Clopentixol , Clozapina , Flupentixol , Flufenazina , Fluspirileno , Haloperidol , Metotrimeprazina , Penfluridol , Perfenazina , Pimozida , Promazina , Prometazina , Reserpina , Sulpirida , Tioridazina , Tiotixeno , Trifluperidol
14.
Braz. j. vet. res. anim. sci ; 32(2): 120-4, 1995. ilus
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-240100

RESUMO

Avaliou-se a possibilidade do uso do bitartarato de metaraminol, visando o bloqueio da hipotensäo produzida pelo cloridrato de levomepromazina em cäes. Foram empregados 20 cäes, machos e fêmeas, com pesos compreendidos entre 8 e 12 kg. Os animais foram divididos em dois grupos iguais (GI e GII). Aos cäes do GI foi administrada, por via intravenosa, levomepromazina na dose de 2 mg/kg, seguida, 15 minutos após, de 0,5 ml de soluçäo salina 0,9 por cento. A pressäo arterial sistólica (PAS), frequências cardíaca (FC) e respiratória (FR), temperatura retal (T) e avaliaçäo eletrocardiográfica na derivaçäo DII foram observadas antes da aplicaçäo da levomepromazina e após a mesma, em intervalos de 15 minutos durante 60 minutos. Aos cäes do GII foi aplicada a mesma metodologia, substituindo-se, porém, a soluçäo salina pelo metaraminol na dose de 0,1 mg/kg, pela via intravenosa. Os valores obtidos foram submetidos à avaliaçäo estatística pelo método de Análise de Perfil. Os resultados mostraram que o metaraminol produziu um aumento da PAS e diminuiçäo da FC, além de promover menor queda da T e melhora dos valores de FR. Näo foram observadas alteraçöes na eletrocardiografia que pudessem ser atribuídas aos fármacos empregados. Concluiu-se que o metaraminol é seguro e indicado quando se emprega a levomepromazina, em cäes


Assuntos
Animais , Cães , Hipotensão/terapia , Metaraminol/uso terapêutico , Metotrimeprazina/uso terapêutico
15.
Acta cir. bras ; 8(2): 63-7, abr.-jun. 1993. ilus, tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-127428

RESUMO

Foram utilizadas dez ovelhas prenhas, submetidas a cirurgia intra-uterina, sendo que o protocolo anestésico incluiu o cloridrato de levomepromazina, tiopental sódico e halotano. A finalidade do emprego da anestesia geral foi a de conferir adequada condiçäo anestésico-cirúrgica. Foram monitorados os dados paramétricos de freqüência cardíaca e respiratória, pressäo arterial média e ocorrência ou näo de refluxo gastro-esofágico. Os resultados demonstraram uma estabilidade cárdio-respiratória e silêncio abdominal adequados ao ato operatório


Assuntos
Animais , Feminino , Gravidez , Anestesia Geral , Feto/cirurgia , Halotano , Metotrimeprazina , Ovinos/cirurgia , Tiopental , Pressão Arterial , Frequência Cardíaca , Respiração
17.
Braz. j. vet. res. anim. sci ; 29(2): 251-6, 1992. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-128603

RESUMO

Foram utilizados 10 cäes adultos, de ambos os sexos, sem raça definida, com peso corpóreo entre 10 e 18 kg. Os animais foram pré-medicados com 1,0 mg/kg de levomepromazina e 15 minutos após receberam 2,0 mg/kg de midazolam, ambos por via intravenosa. A freqüência respiratória mostrou um aumento moderado e a freqüência cardíaca reduçäo aos 15 minutos e elevaçäo aos 30 minutos. Houve reduçäo da pressäo arterial média e da pressäo sistólica com significado estatístico e näo clínico. Houve tendência de reduçäo da pressäo arterial diastólica. A hipnose durou aproximadamente 20 minutos e aos 30 muinutos os cäes estavam acordados e em tentativa de deambulaçäo


Assuntos
Cães , Animais , Sistema Cardiovascular/efeitos dos fármacos , Metotrimeprazina/uso terapêutico , Midazolam/farmacologia , Pré-Medicação/veterinária , Anestesia
18.
Rev. ginecol. obstet ; 1(3): 220-5, jul. 1990. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-106036

RESUMO

Estudo do Teste da Estimulacao Sonica (TES) efetuado em 46 gestantes tratadas com Pindolol e Levomepromazina (9 mg/dia) divididas em tres grupos, I, II e III, respectivamente com 10, 20 e 30 mg/dia de Pindolol. Todas foram submetidas a operacao cesariana antes do inicio das contracoes do trabalho de parto. Para a analise da resposta cardiaca fetal foram consideradas a amplitude e a duracao da cardioaceleracao. Houve diminuicao da resposta cardiaca verificada por estas duas variaveis com o incremento do beta-bloqueador, sem contudo, haver significado estatistico. Todavia, a resposta cardiaca nos tres grupos foi significamente menor quando comparada com a resposta verificada por Zugaib e "col. POT. 19" em 30 gestantes hipertensas tratadas apenas com 9 mg/dia de Levomepromazina.


Assuntos
Cardiotocografia/instrumentação , Estimulação Acústica/métodos , Frequência Cardíaca Fetal , Idade Gestacional , Hipertensão , Metotrimeprazina/farmacologia , Pindolol/farmacologia , Metotrimeprazina/administração & dosagem , Metotrimeprazina/análogos & derivados , Pindolol/administração & dosagem
19.
Braz. j. vet. res. anim. sci ; 27(2): 221-32, 1990. ilus, tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-114060

RESUMO

Visou-se averiguar a utilizaçäo do éter gliceril guaiacol isoladamente (G1) ou associado à levomepromazina e benzodiazepínicos, empregando-se o flunitrazepan (G2) e o midazolam (G3) em 10 eqüinos para cada grupo, submetidos à orquiectomia bilateral. Observou-se que a qualidade de induçäo e decúbito, bem como a analgesia, foram superiores nos grupos em que se realizou a associaçäo de éter gliceril guaiacol com levomepromazina e benzodiazepínicos (G2 e G3), porém, o período de recuperaçäo (estaçäo) destes últimos foi o dobro em relaçäo ao grupo do éter gliceril guaiacol usado isoladamente. A temperatura retal näo apresentou alteraçäo significativa apenas com o uso do éter gliceril guaiacol, porém, houve uma tendência à reduçäo desta, nos grupos que receberam a associaçäo do mesmo com levomepromazina e benzodiazepínicos. Verificou-se, nos três grupos, uma taquicardia nos momentos iniciais, com normalizaçäo após 60 minutos, sendo esta mais acentuada em G2 e G3, observando-se paralelamente bradipnéia nos três grupos, apesar do grupo do éter gliceril guaiacol, usado isoladamente, caracterizar-se por valores maiores de freqüência respiratória que os demais grupos. As três técnicas anestésicas mostraram-se satisfatórias, pela estabilidade de parâmetros fisiológicos e induçäo e recuperaçäo suaves, sendo que a associaçäo da levomepromazina com o flunitrazepan ou midazolam proporcionou prostraçäo mais eficaz, bem como maior miorrelaxamento, sedaçäo e hipoalgesia


Assuntos
Animais , Anestesia , Guaifenesina , Flunitrazepam , Metotrimeprazina , Midazolam , Orquiectomia , Cavalos
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA