Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 8 de 8
Filtrar
Mais filtros










Filtros aplicados

Base de dados
Intervalo de ano de publicação
1.
Rio de Janeiro; s.n; 2010. 99 p. ilus, tab.
Tese em Português | LILACS | ID: lil-601470

RESUMO

O consumo de etanol durante a gestação é um grave problema de saúde pública. Durante o desenvolvimento, o sistema nervoso é especialmente susceptível aos efeitos tóxicos do etanol e a exposição ao etanol durante este período pode gerar um amplo espectro de distúrbios neurocomportamentais, sendo o mais frequente, a hiperatividade. Recentemente, estudos têm sugerido que distúrbios na plasticidade neuronal podem estar relacionados com a hiperatividade. Os inibidores de PDE são drogas que agem impedindo a degradação de segundos mensageiros celulares como AMPc e GMPc, mantendo a ativação de proteínas quinases e de fatores de transcrição como o CREB, levando a expressão de genes relacionados à plasticidade. Neste trabalho, avaliamos através do teste de campo aberto se a administração de Vinpocetina ou Rolipram (inibidores de PDE) seria capaz de amenizar ou reverter a hiperatividade de camundongos Suíços expostos ao etanol no período correspondente ao terceiro trimestre de gestação humana. Para tanto, foram realizadas duas etapas: na primeira etapa, durante o período neonatal, os animais receberam injeções intraperitoneais de etanol (5g/Kg em solução salina a 25%, no 2º, 4º, 6º e 8º dias de vida pós-natal - PN2 a PN8) ou de salina, e 4 horas antes do teste comportamental no campo aberto (10 min), em PN30, receberam Vinpocetina (10mg/Kg ou 20mg/Kg diluídas em DMSO ip) ou somente DMSO ip. Na segunda etapa, os animais foram expostos ao etanol ou à salina no período neonatal nas mesmas condições da primeira etapa e no dia do teste comportamental receberam Rolipram (0,5 mg/Kg diluídas em DMSO ip ou somente DMSO ip). Posteriormente aos testes, foram coletados o córtex cerebral frontal e o hipocampo dos animais para avaliação dos níveis de AMPc. Os resultados comportamentais indicam que somente o tratamento com Vinpocetina (20mg/Kg) reverteu a hiperatividade de camundongos expostos ao etanol, resultado que não foi observado com o tratamento com Rolipram. Desta forma...


Ethanol consumption during gestation is a serious public health problem. During development, the nervous system is particularly susceptible to the toxic effects of ethanol and, in fact, ethanol exposure during perinatal development produces a range of neurobehavioral deficits, among which hyperactivity is one of the most frequently observed. There is evidence that reduced neuronal plasticity could be associated with hiperactivity. PDE inhibitors are drugs that prevent the breakdown of intracellular second-messengers such as cAMP and cGMP, maintaining the activation of protein kinases and of the CREB transcription factor, leading to the expression of plasticity-related genes. In this study we test whether Vinpocetine or Rolipram (PDE inhibitors) treatment can improve or revert hyperactivity in Swiss exposed to alcohol during the third trimester equivalent of human gestation. To that end, two experiments were carried out: In the first one, from postnatal day (PN) 2 to PN8, litters either received ethanol (5g/Kg i.p., 25% in saline solution) of an equivalent volume of saline solution every other day. On PN30, 4 h before the open field test (which lasted for 10 min) animals received Vinpocetine (10mg/Kg of 20mg/Kg diluted in DMSO i.p.) of dimethylsulfoxide (DMSO i.p.). In the second experiment animals were treated almost as before receiving Rolipram (0.5mg/Kg diluted in DMSO i.p.), instead of Vinpocetine, of DMSO i.p. After the tests, animals were sacrificed and frontal cerebral cortices and hippocampuses were dissescted and collected for the analysis of cAMP levels. Behavioral results showed that only the Vinpocetine treatment (20mg/Kg) reversed the ethanol-elicited hyperactivity, a result that was not observed for the Rolipram treatment. In this way, the dosage of cAMP levels was done only for the animals that received Vinpocetine (20mg/Kg). Ethanol neonatal exposure significantly reduced cAMP levels both in the cortex and in the hippocampus. Vinpocetine...


Assuntos
Animais , Gravidez , Camundongos , Transtornos do Sistema Nervoso Induzidos por Álcool , Alcaloides de Vinca/farmacologia , Alcaloides de Vinca/uso terapêutico , Etanol/efeitos adversos , Etanol/toxicidade , Inibidores de Fosfodiesterase/administração & dosagem , Inibidores de Fosfodiesterase/uso terapêutico , Modelos Animais , Transtorno do Deficit de Atenção com Hiperatividade/tratamento farmacológico
3.
Rev. cuba. invest. bioméd ; 22(2)abr.-jun. 2003. tab, graf
Artigo em Espanhol | LILACS | ID: lil-390192

RESUMO

Se estudiaron los efectos antioxidantes del clorhidrato de triacetonamina (THC) in vitro a través de una serie de ensayos, en los que se analizó la capacidad secuestrante del OHú y quelante de Fe, con el ensayo de la 2 desoxi-d-ribosa y la capacidad secuestrante del O2ú por la autooxidación del pirogalol (2-12 mM THC). Se estudió además la actividad prooxidante del THC (0,1-0,6 mM), sobre el ADN inducida por Cu-fenantrolina y Fe-bleomicina. También se valoró la actividad prooxidante del TH-NOú (10-12 mM) y del THNOOú (10-12 mM), radicales derivados del THC. Finalmente se determinó el efecto del THC sobre la peroxidación lipídica en homogenato de cerebro de rata. Los resultados demostraron que el THC posee capacidad secuestrante del O2ú, con un comportamiento dependiente de la concentración y CI50 de 10 mM de THC. Se encontró efecto protector sobre la 2 desoxi-d-ribosa, tanto por acción quelante de Fe, como por secuestro directo de OHú con una Ks de 4.6 ´ 108 M-1s-1. El THC mostró efecto dependiente de la concentración para el daño sobre el ADN, mientras que el THNOú no dañó a esta molécula, a diferencia del THNOOú que si produjo daño a las concentraciones ensayadas. La peroxidación lipídica en homogenato de cerebro de rata no fue inhibida


Assuntos
Animais , Ratos , Antioxidantes , Técnicas In Vitro , Melanoma Experimental , Peroxidação de Lipídeos , Triacetonamina-N-Oxil , Alcaloides de Vinca
4.
Artigo em Espanhol | LILACS | ID: lil-341785

RESUMO

Catharanthus roseus (L.) G. Don, vicaria, es una planta cultivada e Cuba frecuentemente en patios y jardines como decorativa y medicinal. En Madagascar se comercializan sus hojas por los alcaloides presentes en ellas, principalmente vinblastina y vincristina con acción antineoplásica y también por sus raíces utilizadas como materia prima en la extracción de los alcaloides serpentina y ajmalicina. La principal demanda de hojas de esta planta es de parte de los Estados Unidos, de igual manera Reino Unido se interesa por la compra de 10 toneladas anuales y Alemania muestra interés por las raíces. Hasta donde se conoce, los alcaloides de la vicaria no han sido aún preparados sintéticamente, por lo que no parece probable que el empleo de la vinblastina y la vincristina puede remplazarse por algún otro producto de orígen vegetal o sintético. En esta metodología se consideraron la sistemática de la especie, su descripción botánica, sus usos y propiedades terapéuticas, entre otros aspectos, además de las técnicas agrícolas que permiten su cultivo extensivo bajo estas condiciones


Assuntos
Cultivos Agrícolas/crescimento & desenvolvimento , Extratos Vegetais , Plantas Medicinais , Sementes , Vimblastina , Alcaloides de Vinca , Vincristina
6.
Rev. bras. anestesiol ; 51(3): 250-70, maio-jun. 2001. ilus
Artigo em Português, Inglês | LILACS | ID: lil-284532

RESUMO

Justificativa e objetivos - A quimioterapia é um dos principais tipos de tratamento oferecido a pacientes com câncer, mas ainda causam importantes efeitos colaterais, reversíveis ou não. Para os anestesiologistas, conhecer estas drogas, complicações e interações medicamentosas é de importância capital em cirurgias com pacientes em tratamento com neoplasias. Conteúdo - Nesta revisão apresentam-se diferentes tipos de quimioterápicos atualmente utilizados, a classificação farmacológica, repercussões orgânicas, interações com outras substâncias, e a conduta anestésica mais apropriada frente a elas, objetivando reduzir a morbi-mortalidade perioperatória nestes pacientes. Conclusões - O conhecimento, pelo anestesiologista, das formas de tratamento, das características farmacológicas destas substâncias, seus efeitos adversos, lesões estruturais e possíveis interações medicamentosas por elas geradas e potencializadas pelas várias técnicas anestésicas hoje empregadas, pode certamente reduzir a morbi-mortalidade peri-operatória destes pacientes


Assuntos
Humanos , Analgesia , Anestesia Geral , Anestesia Local , Antineoplásicos , Interações Medicamentosas , Neoplasias/tratamento farmacológico , Neoplasias/cirurgia , Alquilantes , Antibióticos Antineoplásicos , Antimetabólitos Antineoplásicos , Enzimas , Hormônios , Alcaloides de Vinca
7.
Rev. bras. mastologia ; 10(2): 88-92, jun. 2000. ilus, tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-278468

RESUMO

A resposta do câncer de mama à terapia hormonal já é conhecida há mais de um século pela ooforectomia cirúrgica. A eficácia comprovada do antiestrógeno tamoxifeno demonstrou diminuiçäo das recidivas no seu uso adjuvante e também resposta objetivas em pacientes com doença mestastática. Novas estratégias hormonioterápicas para a resposta a uma segunda e terceira linha de terapia têm sido buscadas pelos inibidores de aromatase. Antiestrógenos semelhantes ao tamoxifeno, com menos efeitos colaterais, têm sido estudados como os novos moduladores seletivos dos receptores estrogênicos. Novos quimioterápicos, estudados na última década, constituem um dos maiores avanços na quimioterapia do câancer de mama. Os taxanos associados às antraciclinas no tratamento de primeira linha dos casos de mau prognóstico e, isoladamente, no tratamento de doença metastática, os antimetabólicos, os alcalóides da vinca e as novas antraciclinas já estäo bem avaliados em estudos aleatorizados de fase III. E, por fim, o tratamento biológico com o desenvolvimento de anticorpos monoclonais contra a oncoproteína Her-2/neu reavivou as expectativas para que, em um futuro próximo, tenhamos, à disposiçäo, medicaçöes com menor toxicidade e racionalmente desenvolvidas, levando-se en conta as características biológicas do tumor


Assuntos
Antraciclinas/uso terapêutico , Antimetabólitos/uso terapêutico , Aromatase/uso terapêutico , Neoplasias da Mama/tratamento farmacológico , Neoplasias da Mama/terapia , Terapia de Reposição Hormonal , Moduladores de Receptor Estrogênico/uso terapêutico , Proteínas Oncogênicas/uso terapêutico , Ovariectomia , Paclitaxel/uso terapêutico , Recidiva , Alcaloides de Vinca/uso terapêutico
8.
Rev. cuba. med ; 23(5): 575-9, 1984.
Artigo em Espanhol | LILACS | ID: lil-24887

RESUMO

En una muestra de diez pacientes se investigo los efectos de una nueva droga vasodilatadora sobre la presion arterial, frecuencia cardiaca, asi como su efecto sobre los intervalos PR, QTc y el complejo QRS.Esta droga redujo la presion arterial, la frecuencia cardiaca y prolongo los intervalos RR y QTc del electrocardiograma


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Eletrocardiografia , Alcaloides de Vinca , Hemodinâmica
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA