Your browser doesn't support javascript.
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 20 de 75
Filtrar
Mais filtros










Filtros aplicados

Base de dados
Intervalo de ano de publicação
1.
J. bras. nefrol ; 40(2): 193-197, Apr.-June 2018. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS | ID: biblio-954545

RESUMO

Abstract Hydralazine is a direct-acting vasodilator, which has been used in treatment for hypertension (HTN) since the 1950s. While it is well known to cause drug-induced lupus (DIL), recent reports are indicating the emergence of the drug-induced anti-neutrophil cytoplasmic antibody (ANCA) associated vasculitis (DIV). Herein, we describe two patients (aged 57 and 87 years) who presented with severe acute kidney injury (AKI), proteinuria, and hematuria. Both were receiving hydralazine for the treatment of hypertension. ANCA serology was positive in both patients along with anti-histone antibodies (commonly seen in drug-induced vasculitis). Renal biopsy revealed classic crescentic (pauci-immune) glomerulonephritis in these patients and hydralazine was discontinued. During the hospital course, the 57-year-old patient required dialysis therapy and was treated with steroids and rituximab for the ANCA disease. Renal function improved and the patient was discharged (off dialysis) with a serum creatinine of 3.6 mg/dL (baseline = 0.9 mg/dL). At a follow-up of 2 years, the patient remained off dialysis with advanced chronic kidney disease (CKD) (stage IIIb). The 87-year-old patient had severe AKI with serum creatinine at 10.41 mg/dL (baseline = 2.27 mg/dL). The patient required hemodialysis and was treated with steroids, rituximab, and plasmapheresis. Unfortunately, the patient developed catheter-induced bacteremia and subsequently died of sepsis. Hydralazine can cause severe AKI resulting in CKD or death. Given this extremely unfavorable adverse-event profile and the widespread availability of alternative anti-hypertensive agents, the use of hydralazine should be carefully considered.


Resumo A hidralazina é um vasodilatador de ação direta, que vem sendo utilizado no tratamento da hipertensão arterial (HA) desde a década de 1950. Embora seja bem conhecido por causar lúpus induzido por drogas (LID), relatórios recentes estão indicando o surgimento da vasculite associada ao anticorpo citoplasmático anti-neutrófilo (ANCA), induzida por drogas (VID). Aqui, descrevemos dois pacientes (com idade entre 57 e 87 anos) que apresentaram lesão renal aguda grave (LRA), proteinúria e hematúria. Ambos estavam usando hidralazina para o tratamento da hipertensão. A sorologia para ANCA foi positiva em ambos os pacientes, juntamente com anticorpos anti-histona (comumente vistos na vasculite induzida por drogas). A biópsia renal revelou glomerulonefrite rapidamente progressiva clássica (pauci-imune) nestes pacientes e a hidralazina foi interrompida. Durante a internação hospitalar, o paciente de 57 anos necessitou de diálise e foi tratado com esteroides e rituximab para a doença do ANCA. A função renal melhorou e o paciente recebeu alta (fora da diálise) com creatinina sérica de 3,6 mg/dL (basal = 0,9 mg/dL). Em um seguimento de 2 anos, o paciente permaneceu fora da diálise com doença renal crônica avançada (DRC) (estágio IIIb). O paciente de 87 anos apresentava IRA grave com creatinina sérica em 10,41 mg/dL (valor basal de = 2,27 mg/dL). O paciente necessitou de hemodiálise e foi tratado com esteroides, rituximabe e plasmaferese. Infelizmente, o paciente desenvolveu bacteremia induzida por cateter e, posteriormente, evoluiu a óbito por sepse. A hidralazina pode causar IRA grave, resultando em DRC ou óbito. Dado este perfil de eventos adversos extremamente desfavorável e a disponibilidade generalizada de agentes anti-hipertensivos alternativos, o uso de hidralazina deve ser considerado com muita parcimônia.


Assuntos
Humanos , Masculino , Pessoa de Meia-Idade , Idoso de 80 Anos ou mais , Vasculite Associada a Anticorpo Anticitoplasma de Neutrófilos/induzido quimicamente , Hidralazina/efeitos adversos , Anti-Hipertensivos/efeitos adversos
2.
In. Soeiro, Alexandre de Matos; Leal, Tatiana de Carvalho Andreucci Torres; Oliveira Junior, Múcio Tavares de; Kalil Filho, Roberto. Manual da condutas da emergência do InCor: cardiopneumologia / IInCor Emergency Conduct Manual: Cardiopneumology. São Paulo, Manole, 2ª revisada e atualizada; 2017. p.780-787.
Monografia em Português | LILACS | ID: biblio-848519
3.
An. bras. dermatol ; 90(3,supl.1): 125-129, May-June 2015. ilus
Artigo em Inglês | LILACS | ID: lil-755760

RESUMO

Abstract

Drug-induced lupus is a rare drug reaction featuring the same symptoms as idiopathic lupus erythematosus. Recently, with the introduction of new medicines in clinical practice, an increase in the number of illness-triggering implicated drugs has been reported, with special emphasis on anti-TNF-α drugs. In the up-to-date list, almost one hundred medications have been associated with the occurrence of drug-induced lupus. The authors present two case reports of the illness induced respectively by hydralazine and infliximab, addressing the clinical and laboratorial characteristics, diagnosis, and treatment.

.


Assuntos
Adulto , Humanos , Masculino , Pessoa de Meia-Idade , Anti-Hipertensivos/efeitos adversos , Fármacos Gastrointestinais/efeitos adversos , Hidralazina/efeitos adversos , Infliximab/efeitos adversos , Lúpus Eritematoso Cutâneo/induzido quimicamente , Fator de Necrose Tumoral alfa/antagonistas & inibidores , Lúpus Eritematoso Cutâneo/patologia , Pele/patologia
4.
In. Soeiro, Alexandre de Matos; Leal, Tatiana de Carvalho Andreucci Torres; Oliveira Junior, Múcio Tavares de; Kalil Filho, Roberto. Manual de condutas práticas da unidade de emergência do InCor / Manual of Clinical management of the emergency unit of InCor. São Paulo, Manole, 1; 2015. p.706-718.
Monografia em Português | LILACS | ID: lil-736711
5.
São Paulo; s.n; 2014. [164] p. ilus, tab, graf.
Tese em Português | LILACS | ID: lil-730869

RESUMO

As doenças cardiovasculares são a maior causa de morte no mundo e entre essas doenças, a hipertrofia cardíaca (HC) tem se destacado especialmente por ser um fator de risco de insuficiência cardíaca. A HC é um fenômeno que acompanha a hipertensão arterial e no qual se observa aumento de proteínas estruturais e contráteis dos cardiomiócitos, havendo muitas vezes concomitantemente aumento do colágeno intersticial. Fatores independentes da pressão arterial também podem contribuir para o desenvolvimento da hipertrofia cardíaca. Dentre estes fatores, a sobrecarga de sal na dieta tem se destacado. Diversos estudos comprovam o efeito hipertrófico do sal. Em modelos animais onde se estudou sobrecarga de sal, não foi detectado aumento da atividade de renina plasmática, sugerindo que o sistema renina-angiotensina aldosterona (SRA) circulante pode não estar envolvido no desenvolvimento da hipertrofia cardíaca. Apesar de alguns estudos tentarem elucidar o papel do sal no desenvolvimento da hipertrofia ventricular esquerda, os mecanismos pelo qual o sal atua ainda não estão totalmente esclarecidos. Neste contexto, o objetivo do presente estudo é observar os fenômenos que ocorrem no ventrículo esquerdo em resposta a sobrecarga de sal na dieta na tentativa de elucidar sua fisiopatologia. Para tanto, ratos Wistar machos foram divididos em cinco grupos de acordo com a dieta (normossódica 1,26% e hipersódica 8% de NaCl) e com o tratamento (losartan, cloridrato de hidralazina ou N-acetilcisteína). Foi avaliada a evolução ponderal, pressão arterial caudal, medida do diâmetro transverso do cardiomiócito, fibrose intersticial, expressão gênica e proteica dos componentes do SRA, dosagem de aldosterona sérica e cardíaca, dosagem de TBARS cardíaco, concentração de angiotensina II e estado conformacional dos receptores AT1 e AT2. Os principais resultados observados foram: o aumento do consumo de ração (com elevada concentração de NaCl) do grupo HS+NAC e consequente aumento na...


Cardiovascular diseases are the leading cause of death worldwide and among these diseases, the cardiac hypertrophy (CH) has been highlighted, especially as an important risk factor for developing heart failure. The CH is a phenomenon that accompanies hypertension and in which there is increased structural and contractile proteins in cardiomyocytes, with often concomitant increase of interstitial collagen. Blood pressure independent risk factors can also contribute to the development of cardiac hypertrophy. Among these factors, the high salt intake has been outstanding. Several studies confirm the hypertrophic effect of salt. In animal models submitted to salt overload, no increase in plasma renin activity was observed, suggesting that the renin-angiotensin (RAS) circulating system may not be involved in the development of cardiac hypertrophy. Although some studies attempting to elucidate the role of salt in the development of left ventricular hypertrophy, the mechanisms by which salt acts are not yet fully understood. In this context, the objective of this study is to observe the phenomena occurring in the left ventricle in response to dietary salt overload in an attempt to elucidate its pathophysiology.Male Wistar rats were divided into five groups according to their diet (1.26% and 8% NaCl) and treatment (losartan, hydralazine or N-acetylcysteine). We evaluated the body weight, tail-cuff blood pressure, the transverse diameter of the cardiomyocyte, interstitial fibrosis, gene and protein expression of RAAS components, serum and cardiac aldosterone dosage, cardiac TBARS, angiotensin II concentration and binding of conformation-specific anti-AT1 and anti-AT2 antibodies. The main results were: increased food intake (with high NaCl content) in the HS + NAC group and consequent increase in blood pressure and body weight; developing blood pressure-independent CH in the HS + HZ group partial or total prevention of such hypertrophy by treatment with losartan and...


Assuntos
Animais , Masculino , Ratos , Acetilcisteína , Pressão Arterial , Cardiomegalia/fisiopatologia , Fibrose/fisiopatologia , Hidralazina , Losartan , Modelos Animais , Ratos Wistar , Sistema Renina-Angiotensina , Cloreto de Sódio na Dieta
6.
Braz. j. pharm. sci ; 49(4): 811-819, Oct.-Dec. 2013. ilus, tab
Artigo em Inglês | LILACS | ID: lil-704113

RESUMO

Hydralazine hydrochloride has a half-life of 2 to 4 hours with an oral bioavailability of 26-50%. Since hydralazine has a demethylating effect on various suppressor genes, it can be used in various types of cancer to support chemotherapy. The purpose of this study was to optimize and evaluate floating tablets of hydralazine hydrochloride designed to prolong the gastric residence time and to provide controlled release of the drug for 14 h. The floating tablets of hydralazine hydrochloride were prepared by the wet granulation method. Semi-synthetic polymers of hydroxy propyl methyl cellulose (HPMC K100M) and ethyl cellulose were used as the release retarding agents. A 2² factorial design was applied to systematically optimize the drug release profile. The concentrations of HPMC K100M and ethyl cellulose were optimized to provide controlled release of hydralazine for 14h. Non-Fickian diffusion release transport was confirmed as the release mechanism for the optimized formulation and the predicted values agreed well with the experimental values. Drug excipient compatibility studies were investigated by FTIR, DSC and XRD. These data indicate that there were no chemical interactions between the drug and the polymer. In vivo X-ray imaging showed floating tablet performance in rabbits.


O cloridrato de hidralazina apresenta meia-vida de 2 a 4 horas, com biodisponibilidade oral de 26-50%. Uma vez que a hidralazina possui efeito desmetilante em vários genes supressores, ela pode ser utilizada para diversos tipos de câncer, em apoio à quimioterapia. O objetivo deste estudo foi o de avaliar e otimizar comprimidos flutuantes de cloridrato de hidralazina, planejados para prolongar o tempo de residência gástrica e proporcionar liberação controlada do fármaco por 14 h. Os comprimidos flutuantes de cloridrato de hidralazina foram preparados pelo método de granulação úmida. Polímeros semi-sintéticos de hidroxipropiletil celulose (HPMCK100M) e acetato de celulose foram utilizados como agente de retardamento de liberação. Aplicou-se planejamento fatorial 2² para otimizar sistematicamente o perfil de liberação do fármaco. As concentrações de HPMCK100M e de etilcelulose foram otimizadas para se obter liberação controlada de hidralazina durante 14 h. O transporte de liberação de difusão não-Fickiana foi confirmado como o mecanismo de liberação para a formulação otimizada e os valores previstos estiveram de acordo com os valores experimentais. Estudos de compatibilidade entre fármaco e excipiente foram realizados por FTIR, DSC e DRX. Estes dados indicaram que não havia interação química entre o fármaco e o polímero. Imagens de raios-X in vivo mostraram o desempenho dos comprimidos flutuantes em coelhos.


Assuntos
Estudos de Avaliação como Assunto/classificação , Hidralazina/análise , Hidralazina/classificação , Otimização/classificação , Comprimidos/análise , Liberação Controlada de Fármacos/fisiologia , Segunda Neoplasia Primária
7.
Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo ; 18(1): 16-22, jan.-mar 2008. tab, graf
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-483566

RESUMO

O tratamento padrão para a insuficiência cardíaca é aquele no qual o paciente apresenta aderência adequada tanto às medidas não-farmacológicas como às drogas comprovadamente eficazes e com impacto positivo no controle da doença. Existem pacientes, porém, que, mesmo otimizados, ainda persistem sintomáticos e refratários ao tratamento padrão. Para esse subgrupo de pacientes, deve-se atentar para o controle de co-morbidades associadas, como anemia, insuficiência renal e hipertensão pulmonar. Outras alternativas terapêuticas também têm sido benéficas na melhora do desempenho cardíaco e da capacidade física de pacientes refratários ao tratamento clínico padrão. A associação de duas classes diferentes de diuréticos e a adição de bloqueadores do receptor da angiotensina ou de nitrato e hidralazina ao esquema padrão com inibidor da enzima conversora da angiotensina, betabloqueadora e espironolactona têm demonstrado benefícios adicionais na redução da congestão pulmonar e na melhoria da classe funcional e da qualidade de vida.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Anemia/complicações , Anemia/diagnóstico , Diuréticos/uso terapêutico , Insuficiência Cardíaca/complicações , Insuficiência Cardíaca/mortalidade , Disfunção Ventricular/complicações , Hidralazina/administração & dosagem
9.
Clinics ; 62(6): 749-756, 2007. graf, tab
Artigo em Inglês | LILACS | ID: lil-471795

RESUMO

INTRODUCTION: Administration of the NO inhibitor Nwð-nitro-L-arginine methyl ester (NAME) and a high-salt diet (HS) promotes severe albuminuria and renal injury, which regresses upon discontinuation of treatments. OBJECTIVE: We investigated whether these changes reappear after reinstitution of HS, and whether they are prevented by treatment with the antilymphocyte agent mycophenolate mofetil (MMF) or the AT-1 receptor blocker losartan (L). Adult male Munich-Wistar rats received NAME and HS. A control Group (C) received only HS. After 20 days, rats receiving HS and NAME exhibited severe hypertension and albuminuria. After a 30-day recovery period, hypertension was attenuated and albuminuria had virtually disappeared. MATERIAL AND METHODS: Rats were then distributed among the following groups: HS, receiving HS; NS, receiving a normal salt (NS) diet; HS-MMF, receiving HS and MMF; HS-LOS, receiving HS and L; HS-HDZ, receiving HS and hydralazine (HDZ). Sixty days later, NS rats showed only slight albuminuria and renal damage or inflammation. In contrast, HS rats developed severe hypertension, marked glomerulosclerosis with interstitial expansion and renal infiltration by macrophages and angiotensin II-positive cells. The group treated with losartan had lowered blood pressure and a lack of albuminuria or renal injury. MMF provided similar protection without altering blood pressure, suggesting a nonhemodynamic effect, a hypothesis reinforced by the finding that HDZ lowered blood pressure without preventing renal injury. RESULTS: These results indicate that treatment with HS and NAME predisposes to the development of hypertension and renal injury upon salt overload, characterizing a new model of chronic nephropathy. CONCLUSION: The response to MMF or L, but not HDZ, suggests a key role for inflammatory rather than hemodynamic factors.


INTRODUÇÃO: A administração de Nômega-nitro-L-arginina metiléster (NAME), um inibidor da produção de NO, com dieta rica em sal (HS) promove albuminúria e dano renal graves, reversíveis ao interromperem-se os tratamentos. OBJETIVO: Investigamos se tais alterações recrudescem ao reinstituir-se a HS e se são prevenidas pelo micofenolato mofetil (MMF), um agente antilinfócito, ou losartan, um bloqueador do receptor AT-1. MATERIAL E MÉTODOS: Ratos Münich-Wistar machos adultos receberam NAME e HS. Um grupo controle (C) recebeu apenas HS. Após 20 dias, os ratos que receberam HS e NAME exibiam hipertensão e albuminúria graves. Após recuperação de 30 dias, a hipertensão atenuou-se e a albuminúria praticamente desapareceu. Formaram-se então os grupos: HS, recebendo HS; NS, recebendo dieta normal em sal (NS); HS-MMF, recebendo HS e MMF; HS-LOS, recebendo HS e losartan; HS-HDZ, recebendo HS e hidralazina. Após sessenta dias os ratos NS tinham albuminúria e dano/inflamação renal apenas discretos. Já os ratos HS desenvolveram hipertensão e glomerulosclerose acentuadas, expansão intersticial e infiltração renal por macrófagos e células positivas para angiotensina II. Losartan baixou a pressão arterial e preveniu albuminúria e lesão renal. MMF proporcionou proteção semelhante sem alteração pressórica, sugerindo a ação de mecanismos não hemodinâmicos, hipótese reforçada pelo achado de que a HDZ baixou a pressão arterial sem prevenir a nefropatia. RESULTADOS: Esses resultados indicam que o tratamento com HS e NAME predispõe ao desenvolvimento de hipertensão e lesão renal induzidos por excesso de sal, caracterizando um novo modelo de nefropatia crônica. CONCLUSÃO: A resposta ao MMF ou losartan, mas não à hidralazina, sugere o predomínio de fatores inflamatórios.


Assuntos
Animais , Masculino , Ratos , Hipertensão/induzido quimicamente , Falência Renal Crônica/induzido quimicamente , Óxido Nítrico/antagonistas & inibidores , Cloreto de Sódio na Dieta/toxicidade , Bloqueadores do Receptor Tipo 1 de Angiotensina II/uso terapêutico , Anti-Hipertensivos/uso terapêutico , Modelos Animais de Doenças , Avaliação Pré-Clínica de Medicamentos , Hidralazina/uso terapêutico , Hipertensão/prevenção & controle , Imuno-Histoquímica , Imunossupressores/uso terapêutico , Falência Renal Crônica/patologia , Falência Renal Crônica/prevenção & controle , Rim/efeitos dos fármacos , Rim/patologia , Losartan/uso terapêutico , Ácido Micofenólico/análogos & derivados , Ácido Micofenólico/uso terapêutico , Ratos Wistar
10.
Rev. Assoc. Med. Bras. (1992) ; 52(6): 390-394, nov.-dez. 2006. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-440203

RESUMO

OBJETIVO: Comparar as intercorrências clínicas materno-fetais e a efetividade do tratamento entre grupos das síndromes hipertensivas na gestação (SHG). MÉTODOS: Foram revisados 200 prontuários de gestantes com SHG, sendo avaliados as intercorrências fetais, a classificação da síndrome hipertensiva e o uso de anti-hipertensivos. RESULTADOS: Entre as intercorrências maternas, 85 (42,5 por cento) das pacientes foram classificadas no grupo controle; 32 (16 por cento) apresentaram hipertensão gestacional (HG); 67 (33,5 por cento) PE; 6 (3 por cento) hipertensão crônica; e 10 (5 por cento) pré-eclâmpsia sobreposta a hipertensão crônica (PSHC). Os menores valores para a idade gestacional, peso dos recém-nascidos e para o índice de Apgar foram observados nos grupos de pacientes com PE e PSHC. A utilização do tratamento não alterou os parâmetros perinatais em relação aos grupos com HG. O grupo de pacientes com PE apresentou a menor idade gestacional e o menor índice de Apgar quando comparado ao grupo controle. CONCLUSÃO: A introdução da terapia anti-hipertensiva durante a gestação foi de fundamental importância para o atendimento à gestante com SHG, embora tenha proporcionado poucos avanços em relação à prevenção das intercorrências perinatais, pois não houve alteração dos parâmetros gestacionais nos casos em que se comparou a utilização do tratamento. A medicação utilizada pouco interfere no fluxo sangüíneo materno-fetal, e conseqüentemente, nas condições de nascimento da criança.


OBJECTIVE: To compare the maternal-fetal clinical intercurrences and the effectiveness of treatment in the different clinical forms of hypertensive syndromes during pregnancy (HSP). METHODS: Medical records of 200 pregnant women with HSP were reviewed to appraise fetal intercurrences, classification of the hypertensive syndrome and use of antihypertensives. RESULTS: Of the 200 patients analyzed, 85 (42.5 percent) were controls; 32 (16 percent) presented gestational hypertension (GH), 67 (33.5 percent) had Pre-eclampsia (PE), 6 (3 percent) had chronic hypertension and 10 (5 percent) cases had PE superimposed chronic hypertension (PSCH). The lowest values for gestational age, weights of the newborn and for the Apgar index were observed in the patients with PE and PSCH. Treatment did not alter the Apgar index in relation to control and non-treated GH patients. Patients with PE presented the lowest gestational age and the smallest Apgar index when compared to controls. CONCLUSION: Introduction of an antihypertensive therapy during gestation was of fundamental importance for health improvement and pressure control of the pregnant woman with HSP. Nevertheless, it has been of little help for prevention of perinatal intercurrences. This was substantiated by the absence of improvement in the gestational conditions between the treated group when compared to the non-treated. Medication did not significantly improve the maternal-fetal blood flow and consequently in the birth condition of the child.


Assuntos
Humanos , Feminino , Gravidez , Recém-Nascido , Adulto , Anti-Hipertensivos/uso terapêutico , Hipertensão Induzida pela Gravidez/tratamento farmacológico , Resultado da Gravidez , Peso ao Nascer , Doença Crônica , Idade Gestacional , Hidralazina/uso terapêutico , Hipertensão Induzida pela Gravidez/diagnóstico , Hipertensão/complicações , Hipertensão/tratamento farmacológico , Metildopa/uso terapêutico , Pré-Eclâmpsia/diagnóstico , Fatores de Risco , Estatísticas não Paramétricas , Síndrome
11.
Acta cir. bras ; 20(2): 164-167, mar.-abr. 2005. graf
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-397752

RESUMO

OBJETIVO: Investigar o efeito da administração do cloridrato de hidralazina, por iontoforese, na viabilidade de retalho cutâneo randômico em ratos. MÉTODOS: Sessenta ratos da linhagem Wistar foram distribuídos aleatoriamente em 4 grupos (n=15), estes animais foram submetidos a retalho cutâneo randômico dorsal, de base cranial, com dimensões de 10X4cm. Os animais do grupo 1 foram utilizados como controle, os do grupo 2 foram submetidos a eletroestimulação com corrente direta 4mA-20' imediatamente após a técnica operatória e nos dois dias subseqüentes. No grupo 3 simulação de estímulo elétrico com Cloridrato de Hidralazina. No grupo 4 iontoforese com Cloridrato de Hidralazina 4mA-20'. A análise dos resultados foi realizada no sétimo dia pós-operatório e interpretada com o Teste não paramétrico de Kruskal-Wallis. RESULTADOS: A media da área de necrose foi: grupo 1 = 45 por cento; grupo 2 = 39 por cento; grupo 3 = 46 por cento e grupo 4 = 41 por cento, sendo que a análise estatística não evidenciou diferença significante entre os grupos (p>0,05). CONCLUSÃO: o Cloridrato de Hidralazina, quando administrado por iontoforese, não é eficaz em aumentar a área de viabilidade de retalho cutâneo randômico em ratos.


Assuntos
Animais , Masculino , Ratos , Hidralazina/administração & dosagem , Retalhos Cirúrgicos , Administração Tópica , Iontoforese , Ratos Wistar
12.
Rev. cuba. farm ; 38(1)ene.-abr. 2004. tab
Artigo em Espanhol | LILACS | ID: lil-386908

RESUMO

Se desarrolló un método analítico por espectrofotometría ultravioleta para la cuantificación de hidralazina en un inyectable de 20 mg/mL. En la validación se evaluaron los parámetros de especificidad para estos fines, linealidad del sistema, exactitud y precisión expresada en sus 2 formas, repetibilidad y reproducibilidad. El método analítico resultó ser sencillo y rápido, además de específico, lineal, preciso, exacto en el rango de concentraciones estudiadas


Assuntos
Anti-Hipertensivos , Hidralazina , Química Farmacêutica , Espectrofotometria Ultravioleta
13.
Femina ; 31(9): 803-808, out. 2003. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-406318

RESUMO

O Controle dos níveis de PA é parte importante do manejo de gestantes com hipertensão arterial, mormente daquelas em crise hipertensiva ou com hipertensão moderada, mas de longa duração. Hidralazina, nifedipina e labetalol são consideradas drogas de 1ª escolha para controle da hipertensão arterial aguda. Metildopa continua sendo a droga de eleição para o tratamento da manutenção. Hidralazina, nifedipina e verapamil são úteis também no tratamento de manutenção especialmente quando associados à metildopa. Os beta-bloqueadores podem também ser associados a um vasodilatador, embora possam provocar bradicardia fetal e neonatal. Os inibidores da ECA estão contraindicados na gestação, mas são drogas seguras após o parto, na lactação


Assuntos
Humanos , Feminino , Gravidez , Lactente , Inibidores da Enzima Conversora de Angiotensina , Anti-Hipertensivos , Hipertensão/tratamento farmacológico , Lactação , Pré-Eclâmpsia , Complicações Cardiovasculares na Gravidez , Hidralazina , Labetalol , Metildopa , Nifedipino
14.
J. bras. patol. med. lab ; 39(3): 245-255, jul.-set. 2003. ilus, tab
Artigo em Inglês | LILACS | ID: lil-349009

RESUMO

The aim of the present work was to develop a qualitative chronopathological study concerning abnormalities in myocardium, due to nitric oxide (NO) blockage. We used 60 Wistar normotensive young male rats from several breeds. Groups of rats were submitted to L-Name (L) via oral administration dissolved in water (750mg/l) during days 4, 14 and 28. Other groups were submitted concomitantly to L-Name and hydralazine hydrocloride (L + H) (120mg/l). On days 4 and 14 (L group) we have found myocardial abnormalities and lesions while in L + H we could not identify abnormalities. Considering L group on day 28, the myocardium presented characteristic fibrosis (reactive and reparative), vascular damage with increasing wall thickness due mainly to proliferation of the arterial smooth muscle cell. Total obliteration of vessels was noted only in this period. We also observed reactive fibrosis between muscle cells of the vascular wall and proliferation of cells in the intimal layer. In L + H (day 28), similar vascular abnormalities described for L group (less frequent and less apparent) were also observed. In L + H we did not identify total vascular obstructions. In L + H, infarct areas were not observed. Control groups did not present any abnormalities. Our results support the idea that, at least in some cases, hypertrophy vascular abnormalities and myocardial lesions in arterial hypertension can occur because of the reduction in organic nitric oxide production. Our results also suggested that these morbid processes can be postponed by the use of hydralazine which, however, does not avoid abnormalities after long-term experimental blockage of NO


Assuntos
Animais , Ratos , Animais , Arteriosclerose , Cardiomegalia , Cardiomiopatias , Fenômenos Fisiológicos Cardiovasculares , Coração , Coração/fisiopatologia , Modelos Animais de Doenças , Hidralazina , Miocárdio , NG-Nitroarginina Metil Éster , Óxido Nítrico Sintase , Pressão Arterial , Ratos Wistar
16.
REBLAMPA Rev. bras. latinoam. marcapasso arritmia ; 15(3): 111-114, jul.-set. 2002. graf
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-362337

RESUMO

Relata-se o caso de uma paciente portadora de cardiomiopatia chagásica, internada no Hospital Beneficência Portuguesa, com insuficiência cardíaca congestiva classe funcional IV e arritmia ventricular complexa. Após avaliação, iniciou-se o protocolo para a realização de transplante cardíaco. A paciente apresentou fibrilação ventricular, sendo recuperada por manobras de ressuscitação cárdio-pulmonar. Submetida a um estudo eletrofisiológico invasivo, desencadearam-se duas taquicardias ventriculares de origens distintas, mal toleradas hemodinamicamente, sendo indicado o implante de um cardioversor-desfibrilador. Reutilizou-se por 84 dias uma prótese com 3 meses de uso, explantada de outro paciente, até a realização do transplante cardíaco, o que foi fundamental para garantir a sobrevida da paciente nesse período. Verificou-se que é possível reutilizar-se cardioversores-desfibriladores implantáveis uma vez que o alto custo da prótese, na época não era coberto pelo SUS, o que impossibilitava o acesso da grande maioria dos pacientes a esse tipo de terapia. Justifica-se assim a adoção dessa conduta, principalmente nos casos em que a perspectiva de uso do aparelho é por tempo limitado.


Assuntos
Humanos , Feminino , Pessoa de Meia-Idade , Cardiomiopatias , Desfibriladores Implantáveis , Amiodarona , Captopril , Digoxina , Dobutamina , Furosemida , Hidralazina , Choque , Fatores de Tempo
17.
Rev. Fac. Med. (Caracas) ; 25(1): 33-36, ene.-jul. 2002. tab, graf
Artigo em Espanhol | LILACS | ID: lil-355121

RESUMO

Estudiamos la vasoconstricción inducida por hipoxia (VPH) en la arteria pulmonar (AP) de la rata, así como el efecto que tienen sobre esta el verapamil (VE) y la hidralazina (HZ). Se montaron anillos de AP de ratas Sprague-Dawley adultas, de 3 mm de longitud, en un baño con solución de Kreb's-Henseleit, a 37º C, pH= 7,3-7,4 y burbujeada con 95 por ciento O2 5 por ciento CO2. Se aplicaron 2 gramos de tensión basal. Luego de estabilización se indujo contracción de la preparación con norepinefrina (NE), 3X10 M. Durante la meseta se cambió el burbujeo por 95 por ciento N2, 5 por ciento CO2 y se obtuvo la VPH sobrepuesta. Luego de relajar la preparación en normoxia, se añadió HZ (5 X 10 M) y media hora después se contrajo nuevamente con NE y se indujo VPH. Esta respuesta disminuyó significativamente en presencia de HZ, pero no en presencia de verapamil (1 X 10 M), cuando se añadió en un protocolo similar. Conclusión: la VPH no es alterada por VE pero se reduce significativamente en presencia de HZ


Assuntos
Animais , Hidralazina , Hipóxia , Artéria Pulmonar , Ratos Sprague-Dawley , Vasoconstrição , Farmacologia , Venezuela
19.
In. Timerman, Ari; Machado César, Luiz Antonio; Ferreira, Joäo Fernando Monteiro; Bertolami, Marcelo Chiara. Manual de Cardiologia: SOCESP. Säo Paulo, Atheneu, 2000. p.36-40, tab.
Monografia em Português | LILACS | ID: lil-265380
20.
J. bras. ginecol ; 107(11/12): 433-5, nov.-dez. 1997. ilus, tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-225454

RESUMO

É apresentado a conduçäo de 41 pacientes com DHEG (forma grave) com o uso de hipotensor exclusivamente, desde a internaçäo até o parto. Näo se utilizou nenhum tipo de anticonvulsivante. Os resultados mostram ausência de convulsöes embora tenha ocorrido, em alguns casos, agravamento clínico da doença. Näo ocorreram óbitos maternos e a mortalidade perinatal foi de 17 por cento


Assuntos
Humanos , Feminino , Gravidez , Hipertensão/tratamento farmacológico , Hidralazina/administração & dosagem , Hidralazina/uso terapêutico , Nifedipino/administração & dosagem , Nifedipino/uso terapêutico , Pré-Eclâmpsia/tratamento farmacológico , Gravidez , Complicações na Gravidez
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA