Your browser doesn't support javascript.
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 3 de 3
Filtrar
Mais filtros










Filtros aplicados

Base de dados
Tipo de estudo
Intervalo de ano de publicação
1.
Ciênc. cult. (Säo Paulo) ; 52(6): 345-351, Nov.-Dec. 2000.
Artigo em Inglês | LILACS | ID: lil-341284

RESUMO

Já está bem estabelecido que a asma é uma doença inflamatória das vias aéreas, com o envolvimento de múltiplos mediadores e células inflamatórias. Um grupo de mediadores que pode estar envolvido na fisiopatologia da asma é um grupo de peptídios denominado neurosininas(ou tauqicininas). As taquicinas, em especial a substância P (SP) e a neurocinina A (NKA), estão presentes nos pulmões de várias espécies de mamíferos, incluindo os seres humanos. Estes peptídios são armazenados em terminações periféricas de nervos sensitivos que são sensíveis à ação da capsaicina. A ativação destas terminações nervosas por uma grande variedade de estímulos físicos ou químicos resulta em liberação de SP e NKA nas vias aéreas. Estes peptídios, ao serem liberados, produzem no sistema respiratório vários efeitos, como contração do músculo liso das vias aéreas, vasodilatação, extravasamento de proteínas plasmáticas, secreção de muco e acúmulo de células inflamatórias. Os efeitos biológicos da SP e da NKA são provavelmente limitados pela degradação enzimática. O papel das taquicininas em modelos experimentais de asma tem sido estudado na última década. Em modelos experimentais, tanto de resposta aguda a desafio antígênico em cobaias sensibilizadas como de inflamação crônica de vias aéreas induzidas por exposições repetidas a um alérgeno. a depleção de taquicininas induzida por tratamento prévio com capsaicina resulta em uma diminuição da resposta mecênica e inflamatória a um desafio com alérgeno. Uma vez que as taquicininas produzem em roedores muitas das alterações observadas na asma, é possível que as taquicininas estejam envolvidas na asma humana. Embora alguns estudos tenham sido feitos em seres humanos, ainda não há evidências conclusivas sobrea a importância das taquicininas na asma humana


Assuntos
Animais , Capsaicina , Neurocinina A , Taquicininas
3.
Braz. j. med. biol. res ; 28(11/12): 1207-16, Nov.-Dec. 1995. ilus, tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS | ID: lil-161521

RESUMO

Accumulating evidence shows the involvement of neuropeptides in cardiovascular control in mammals as well as non-mammalian species. Our own immunohistochemical studies indicate a sparse innervation only in cyclostomes, holostean fish and lungfish, a more extensive variation and distribution in elasmobranchs and teleosts, and a rich and varied innervation of the cardiovascular system in crocodiles and lizards. Vasoactive intestinal polypeptide (VIP), neuropeptide Y (NPY), gastrin releasing peptide (GRP) and tachykinins are present in most vertebrate groups. VIP is vasodilatory in the Atlantic cod (Gadus morhua) as in most mammalian species, but increases gut vascular resistance in the spiny dogfish (Squalus acanthias). NPY potentiates the effect of noradrenaline on skate (Raja rhina) coronary vessels, suggesting an interaction between adrenergic mechanisms and NPY early in evolution, but studies in the spiny dogfish and the crocodile also demonstrate different mechanisms for the action of NPY and adrenaline in some species. Bombesin/GRP increases flow to the gut in the spiny dogfish by an increase in somatic vascular resistance, while visceral resistance remains unchanged. In the caiman (Caiman crocodylus crocodylus) bombesin causes a shunting of blood from the lung to the gut. Substance P and other tachykinins in general increase flow to the gut, and on some occasions also increase somatic blood flow. Flow in the anastomosis of the crocodile (Crocodylus porosus) gut is increased by substance P. The results presented here are a review of several published and unpublished studies.


Assuntos
Animais , Sistema Cardiovascular/fisiologia , Neuropeptídeos/fisiologia , Bombesina/metabolismo , Bombesina/fisiologia , Sistema Cardiovascular/metabolismo , Peixes/fisiologia , Jacarés e Crocodilos/fisiologia , Neuropeptídeo Y/metabolismo , Neuropeptídeo Y/fisiologia , Neuropeptídeos/metabolismo , Substância P/fisiologia , Substância P/metabolismo , Taquicininas/metabolismo , Taquicininas/fisiologia , Peptídeo Intestinal Vasoativo/metabolismo , Peptídeo Intestinal Vasoativo/fisiologia
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA