Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 20 de 1.113
Filtrar
1.
Brasília; s.n; 24 jul. 2020.
Não convencional em Português | LILACS, BRISA/RedTESA, PIE | ID: biblio-1117704

RESUMO

O Informe Diário de Evidências é uma produção do Ministério da Saúde que tem como objetivo acompanhar diariamente as publicações científicas sobre tratamento farmacológico e vacinas para a COVID-19. Dessa forma, são realizadas buscas estruturadas em bases de dados biomédicas, referentes ao dia anterior desse informe. Não são incluídos estudos pré-clínicos (in vitro, in vivo, in silico). A frequência dos estudos é demonstrada de acordo com a sua classificação metodológica (revisões sistemáticas, ensaios clínicos randomizados, coortes, entre outros). Para cada estudo é apresentado um resumo com avaliação da qualidade metodológica. Essa avaliação tem por finalidade identificar o grau de certeza/confiança ou o risco de viés de cada estudo. Para tal, são utilizadas ferramentas já validadas e consagradas na literatura científica, na área de saúde baseada em evidências. Cabe ressaltar que o documento tem caráter informativo e não representa uma recomendação oficial do Ministério da Saúde sobre a temática. Foram encontrados 21 artigos e 15 protocolos.


Assuntos
Humanos , Pneumonia Viral/tratamento farmacológico , Infecções por Coronavirus/tratamento farmacológico , Betacoronavirus/efeitos dos fármacos , Avaliação da Tecnologia Biomédica , Imunoglobulinas/uso terapêutico , Metilprednisolona/uso terapêutico , Vacinas/uso terapêutico , Heparina/uso terapêutico , Estudos de Coortes , Azitromicina/uso terapêutico , Heparina de Baixo Peso Molecular/uso terapêutico , Ritonavir/uso terapêutico , Combinação de Medicamentos , Proteína Antagonista do Receptor de Interleucina 1/uso terapêutico , Células-Tronco Mesenquimais , Darunavir/uso terapêutico , Adalimumab/uso terapêutico , Rituximab/uso terapêutico , Infliximab/uso terapêutico , Clopidogrel/uso terapêutico , Ticagrelor/uso terapêutico , Hidroxicloroquina/uso terapêutico , Anticoagulantes/uso terapêutico
2.
Brasília; S.N; 23 jul. 2020.
Não convencional em Português | LILACS, BRISA/RedTESA, PIE | ID: biblio-1117682

RESUMO

O Informe Diário de Evidências é uma produção do Ministério da Saúde que tem como objetivo acompanhar diariamente as publicações científicas sobre tratamento farmacológico e vacinas para a COVID-19. Dessa forma, são realizadas buscas estruturadas em bases de dados biomédicas, referentes ao dia anterior desse informe. Não são incluídos estudos pré-clínicos (in vitro, in vivo, in silico). A frequência dos estudos é demonstrada de acordo com a sua classificação metodológica (revisões sistemáticas, ensaios clínicos randomizados, coortes, entre outros). Para cada estudo é apresentado um resumo com avaliação da qualidade metodológica. Essa avaliação tem por finalidade identificar o grau de certeza/confiança ou o risco de viés de cada estudo. Para tal, são utilizadas ferramentas já validadas e consagradas na literatura científica, na área de saúde baseada em evidências. Cabe ressaltar que o documento tem caráter informativo e não representa uma recomendação oficial do Ministério da Saúde sobre a temática. Foram encontrados 21 artigos e 8 protocolos.


Assuntos
Pneumonia Viral/tratamento farmacológico , Infecções por Coronavirus/tratamento farmacológico , Esteroides/uso terapêutico , Avaliação da Tecnologia Biomédica , Vacina BCG/uso terapêutico , Heparina/uso terapêutico , Almitrina/uso terapêutico , Estudos de Coortes , Corticosteroides/uso terapêutico , Enoxaparina/uso terapêutico , Azitromicina/uso terapêutico , Inibidores de Hidroximetilglutaril-CoA Redutases/uso terapêutico , Darunavir/uso terapêutico , Betacoronavirus/efeitos dos fármacos , Ipilimumab/uso terapêutico , Fondaparinux/uso terapêutico , Nivolumabe/uso terapêutico , Antagonistas dos Receptores Histamínicos/uso terapêutico , Hidroxicloroquina/uso terapêutico , Anticoagulantes/uso terapêutico
3.
Brasília; s.n; 15 jul.2020.
Não convencional em Português | LILACS, BRISA/RedTESA, PIE | ID: biblio-1117674

RESUMO

O Informe Diário de Evidências é uma produção do Ministério da Saúde que tem como objetivo acompanhar diariamente as publicações científicas sobre tratamento farmacológico e vacinas para a COVID-19. Dessa forma, são realizadas buscas estruturadas em bases de dados biomédicas, referentes ao dia anterior desse informe. Não são incluídos estudos pré-clínicos (in vitro, in vivo, in silico). A frequência dos estudos é demonstrada de acordo com a sua classificação metodológica (revisões sistemáticas, ensaios clínicos randomizados, coortes, entre outros). Para cada estudo é apresentado um resumo com avaliação da qualidade metodológica. Essa avaliação tem por finalidade identificar o grau de certeza/confiança ou o risco de viés de cada estudo. Para tal, são utilizadas ferramentas já validadas e consagradas na literatura científica, na área de saúde baseada em evidências. Cabe ressaltar que o documento tem caráter informativo e não representa uma recomendação oficial do Ministério da Saúde sobre a temática. Foram encontrados 14 artigos e 6 protocolos.


Assuntos
Humanos , Pneumonia Viral/tratamento farmacológico , Infecções por Coronavirus/tratamento farmacológico , Betacoronavirus/efeitos dos fármacos , Sistema Renina-Angiotensina , Avaliação da Tecnologia Biomédica , Omeprazol/uso terapêutico , Dexametasona/uso terapêutico , Oxigenação por Membrana Extracorpórea/instrumentação , Efeito de Coortes , Enoxaparina/uso terapêutico , Peptidil Dipeptidase A/uso terapêutico , Ritonavir/uso terapêutico , Proteína Antagonista do Receptor de Interleucina 1/uso terapêutico , Lopinavir/uso terapêutico , Fibrinolíticos/uso terapêutico , Esomeprazol/uso terapêutico , Darunavir/uso terapêutico , Rituximab/uso terapêutico , Pantoprazol/uso terapêutico , Hidroxicloroquina/uso terapêutico , Anticoagulantes/uso terapêutico
4.
Brasília; s.n; 9 jul. 2020.
Não convencional em Português | LILACS, BRISA/RedTESA, PIE | ID: biblio-1117638

RESUMO

O Informe Diário de Evidências é uma produção do Ministério da Saúde que tem como objetivo acompanhar diariamente as publicações científicas sobre tratamento farmacológico e vacinas para a COVID-19. Dessa forma, são realizadas buscas estruturadas em bases de dados biomédicas, referentes ao dia anterior desse informe. Não são incluídos estudos pré-clínicos (in vitro, in vivo, in silico). A frequência dos estudos é demonstrada de acordo com a sua classificação metodológica (revisões sistemáticas, ensaios clínicos randomizados, coortes, entre outros). Para cada estudo é apresentado um resumo com avaliação da qualidade metodológica. Essa avaliação tem por finalidade identificar o grau de certeza/confiança ou o risco de viés de cada estudo. Para tal, são utilizadas ferramentas já validadas e consagradas na literatura científica, na área de saúde baseada em evidências. Cabe ressaltar que o documento tem caráter informativo e não representa uma recomendação oficial do Ministério da Saúde sobre a temática. Foram encontrados 23 artigos.


Assuntos
Humanos , Pneumonia Viral/tratamento farmacológico , Infecções por Coronavirus/tratamento farmacológico , Betacoronavirus/efeitos dos fármacos , Antivirais/uso terapêutico , Avaliação da Tecnologia Biomédica , Ivermectina/uso terapêutico , Imunoglobulinas/uso terapêutico , Prednisona/uso terapêutico , Inibidores da Enzima Conversora de Angiotensina/uso terapêutico , Estudos de Coortes , Corticosteroides/uso terapêutico , Enoxaparina/uso terapêutico , Azitromicina/uso terapêutico , Antirreumáticos/uso terapêutico , Ritonavir/uso terapêutico , Lopinavir/uso terapêutico , Fondaparinux/uso terapêutico , Hidroxicloroquina/uso terapêutico , Antibacterianos/uso terapêutico , Anticoagulantes/uso terapêutico
6.
s.l; IETSI; 26 jun. 2020.
Não convencional em Espanhol | LILACS, BRISA/RedTESA | ID: biblio-1104039

RESUMO

ACTUALIZACIÓN AL 26 DE JUNIO DE 2020: Desde la última actualización del presente reporte breve (20 de mayo de 2020) hasta el momento actual, se sigue difundiendo información en medios internacionales acerca de nuevos resultados de investigaciones sobre el uso de anticoagulantes parenterales en pacientes con COVID-19. En tal sentido, como parte de los reportes breves que viene publicando el IETSI, es necesario actualizar y revisar la evidencia disponible del uso de anticoagulantes parenterales, como las heparinas de bajo peso molecular (HBPM), en pacientes con COVID-19, sea como tratamiento o profilaxis en cualquier contexto clínico de la enfermedad (ambulatorio, hospitalario y/o la UCI). Se realizó una búsqueda bibliográfica rápida de la literatura (hasta el 26 de junio de 2020) en relación a la eficacia y seguridad del tratamiento anticoagulante en el tratamiento de pacientes adultos con COVID-19. Se debe precisar que, debido a la velocidad con la que se genera información sobre COVID-19 y el desfase entre la publicación de los artículos científicos y su indización en bases de datos, es posible que algunos estudios publicados no hayan podido ser identificados en versiones previas del documento. Por ello, para la búsqueda de nueva evidencia, no se consideró restricciones respecto a la fecha de publicación de los documentos. METODOLOGÍA: Se llevó a cabo una búsqueda sistemática en MEDLINE a través de PubMed, en Cochrane Library, LILACS y en los repositorios de preimpresiones de publicaciones científicas medRxiv (medrxiv.org) y bioRxiv (bioRxiv.org). Asimismo, se realizó una búsqueda manual en las páginas web de instituciones líderes en salud e investigación como la Organización Mundial de la Salud (OMS), Centers for Disease Control and Prevention (CDC), National Institute for Health and Care Excellence (NICE), Canadian Agency for Drugs and Technologies in Health (CADTH), Institut für Qualität und Wirtschaftlichkeit im Gesundheitswesen (IQWiG), sociedad de especialistas internacionales, entre otras. Adicionalmente, se buscaron ensayos clínicos en desarrollo relacionados al tema en las páginas web de registros de estudios clínicos del National Institutes of Health de los Estados Unidos (NIH) (www.clinicaltrials.gov), OMS (http://apps.who.int/trialsearch) y el registro de ensayos clínicos de China (http://www.chictr.org.cn). Para finalizar, se revisaron las referencias bibliográficas de los estudios previamente seleccionados; con la finalidad de encontrar documentos de relevancia para la presente revisión. A la fecha, no se dispone de ensayos clínicos que evalúen la eficacia y seguridad de los anticoagulantes en pacientes con COVID-19. Para este rporte breve, se identificaron 09 nuevos documentos (06 estudios observacionales [incluyendo una prepublicación] y 03 guías de práctica clínica) sobre el uso de anticoagulantes parenterales en el tratamiento o profilaxis de pacientes con COVID-19. Adicionalmente, en la página web del NIH (www.clinicaltrials.gov) se identificó un nuevo registro sobre un ensayo clínico fase III (respecto a los reportados anteriormente en versiones previas de este documento) que a la fecha viene reclutando participantes. El objetivo de este ensayo clínico es evaluar el empleo de rivaroxaban, comparado con heparina de bajo peso molecular (HBPM), en pacientes con presentación grave de COVID-19 (registrado el 04 de junio de 2020). ANÁLISIS: A la fecha 26 de junio, no existe evidencia publicada en bases de datos internacionales generada a partir de ensayos clínicos aleatorizados que permitan evaluar la eficacia y seguridad de los anticoagulantes para la profilaxis o el tratamiento de pacientes con COVID-19. Desde la última versión de este reporte breve, se han publicado seis estudios observacionales retrospectivos (uno de ellos es una preimpresión) sobre el uso terapéutico o profiláctico de los anticoagulantes en pacientes con COVID-19. Respecto a lo reportado en estos estudios, los resultados son contradictorios sobre el beneficio del uso de anticoagulantes en la reducción de muertes o formas graves de COVID-19 con el empleo. Además, se observa una alta incidencia de eventos trombóticos a pesar de uso de profilaxis antitrombótica. Dada su naturaleza retrospectiva, estos estudios presentan limitaciones metodológicas que limitan concluir el efecto de los anticoagulantes en la población de interés (pacientes con COVID-19). CONCLUSIONES (VERSIÓN 26 DE JUNIO DE 2020): A la fecha 26 de junio de 2020, no se dispone de evidencia científica generada en ensayos clínicos aleatorizados sobre la eficacia y seguridad de la anticoagulación parenteral en pacientes con COVID-19. La evidencia disponible a la actualidad en torno al uso de anticoagulantes parenterales en pacientes con COVID-19 proviene únicamente de estudios observacionales retrospectivos que presentan diversas limitaciones metodológicas, lo que no permite una evaluación objetiva de la eficacia y seguridad de los anticoagulantes en pacientes con COVID-19, así como resultados contradictorios respecto a su potencial beneficio. Las recomendaciones realizadas en las GPC identificadas se sustentan principalmente en estudios realizados en población de pacientes hospitalizados en general y no en pacientes con COVID-19. Con ello, en base a lo descrito, la evidencia disponible hasta la fecha (26 de junio), las limitaciones metodológicas de los estudios observacionales retrospectivos disponibles a la actualidad, así como la falta de evidencia generada a partir de ensayos clínicos aleatorizados sobre la eficacia y seguridad de anticoagulantes en pacientes con COVID19, el IETSI mantiene la conclusión señalada en la versión previa de este documento, la que señala que no es posible justificar una recomendación a favor del uso de anticoagulantes en pacientes con COVID-19. Es menester permanecer atentos a los resultados de los ensayos clínicos actualmente en curso.


Assuntos
Humanos , Pneumonia Viral/tratamento farmacológico , Infecções por Coronavirus/tratamento farmacológico , Heparina de Baixo Peso Molecular/uso terapêutico , Anticoagulantes/uso terapêutico , Avaliação da Tecnologia Biomédica , Avaliação em Saúde
7.
Brasília; s.n; 13 maio 2020.
Não convencional em Português | LILACS, BRISA/RedTESA, PIE | ID: biblio-1097393

RESUMO

Essa é uma produção do Departamento de Ciência e Tecnologia (Decit) da Secretaria de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos em Saúde (SCTIE) do Ministério da Saúde (Decit/SCTIE/MS), que tem como missão promover a ciência e tecnologia e o uso de evidências científicas para a tomada de decisão do SUS, tendo como principal atribuição o incentivo ao desenvolvimento de pesquisas em saúde no Brasil, de modo a direcionar os investimentos realizados em pesquisa pelo Governo Federal às necessidades de saúde pública. Informar sobre as principais evidências científicas descritas na literatura internacional sobre tratamento farmacológico para a COVID-19. Além de resumir cada estudo identificado, o informe apresenta também uma avaliação da qualidade metodológica e a quantidade de artigos publicados, de acordo com a sua classificação metodológica (revisões sistemáticas, ensaios clínicos randomizados, entre outros). Foram encontrados 15 artigos e 10 protocolos.


Assuntos
Pneumonia Viral/tratamento farmacológico , Infecções por Coronavirus/tratamento farmacológico , Betacoronavirus/efeitos dos fármacos , Sistema Renina-Angiotensina , Ribavirina/uso terapêutico , Esteroides/uso terapêutico , Avaliação da Tecnologia Biomédica , Metilprednisolona/uso terapêutico , Inibidores da Enzima Conversora de Angiotensina/uso terapêutico , Sulbactam/uso terapêutico , Cefoperazona/uso terapêutico , Cloroquina/uso terapêutico , Plasmaferese/instrumentação , Corticosteroides/uso terapêutico , Azitromicina/uso terapêutico , Progressão da Doença , Ritonavir/uso terapêutico , Lopinavir/uso terapêutico , Glucocorticoides/uso terapêutico , Hidroxicloroquina/uso terapêutico , Anticoagulantes/uso terapêutico , Antimaláricos/uso terapêutico
8.
Brasília; s.n; 14 maio 2020.
Não convencional em Português | LILACS, BRISA/RedTESA, PIE | ID: biblio-1097392

RESUMO

Essa é uma produção do Departamento de Ciência e Tecnologia (Decit) da Secretaria de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos em Saúde (SCTIE) do Ministério da Saúde (Decit/SCTIE/MS), que tem como missão promover a ciência e tecnologia e o uso de evidências científicas para a tomada de decisão do SUS, tendo como principal atribuição o incentivo ao desenvolvimento de pesquisas em saúde no Brasil, de modo a direcionar os investimentos realizados em pesquisa pelo Governo Federal às necessidades de saúde pública. Informar sobre as principais evidências científicas descritas na literatura internacional sobre tratamento farmacológico para a COVID-19. Além de resumir cada estudo identificado, o informe apresenta também uma avaliação da qualidade metodológica e a quantidade de artigos publicados, de acordo com a sua classificação metodológica (revisões sistemáticas, ensaios clínicos randomizados, entre outros). Foram encontrados 15 artigos.


Assuntos
Humanos , Pneumonia Viral/tratamento farmacológico , Infecções por Coronavirus/tratamento farmacológico , Progressão da Doença , Betacoronavirus/efeitos dos fármacos , Primaquina/uso terapêutico , Ivermectina/uso terapêutico , Inibidores da Enzima Conversora de Angiotensina/uso terapêutico , Vacina BCG/administração & dosagem , Oxigenação por Membrana Extracorpórea/instrumentação , Cloroquina/uso terapêutico , Azitromicina/uso terapêutico , Ritonavir/uso terapêutico , Losartan/uso terapêutico , Terapia Antirretroviral de Alta Atividade/instrumentação , Combinação de Medicamentos , Oseltamivir/uso terapêutico , Lopinavir/uso terapêutico , Darunavir/uso terapêutico , Telmisartan/uso terapêutico , Hidroxicloroquina/uso terapêutico , Anticoagulantes/uso terapêutico
9.
Brasília; s.n; 19 maio 2020.
Não convencional em Português | LILACS, BRISA/RedTESA, PIE | ID: biblio-1097389

RESUMO

O Informe Diário de Evidências é uma produção do Ministério da Saúde que tem como objetivo acompanhar diariamente as publicações científicas sobre tratamento farmacológico e vacinas para a COVID-19. Dessa forma, são realizadas buscas estruturadas em bases de dados biomédicas, referente ao dia anterior desse informe. Não são incluídos estudos pré-clínicos (in vitro, in vivo, in silico). A frequência dos estudos é demonstrada de acordo com a sua classificação metodológica (revisões sistemáticas, ensaios clínicos randomizados, coortes, entre outros). Para cada estudo é apresentado um resumo com avaliação da qualidade metodológica. Essa avaliação tem por finalidade identificar o grau de certeza/confiança ou o risco de viés de cada estudo. Para tal, são utilizadas ferramentas já validadas e consagradas na literatura científica, na área de saúde baseada em evidências. Cabe ressaltar que o documento tem caráter informativo e não representa uma recomendação oficial do Ministério da Saúde sobre a temática. Foram encontrados 19 artigos e 17 protocolos.


Assuntos
Humanos , Pneumonia Viral/tratamento farmacológico , Infecções por Coronavirus/tratamento farmacológico , Progressão da Doença , Betacoronavirus/efeitos dos fármacos , Esteroides/uso terapêutico , Metilprednisolona/uso terapêutico , Corticosteroides/uso terapêutico , Ritonavir/uso terapêutico , Antagonistas de Leucotrienos/uso terapêutico , Combinação de Medicamentos , Lopinavir/uso terapêutico , Antagonistas dos Receptores Histamínicos/uso terapêutico , Hidroxicloroquina/uso terapêutico , Anticoagulantes/uso terapêutico
10.
Brasília; s.n; 22 maio 2020.
Não convencional em Português | LILACS, BRISA/RedTESA, PIE | ID: biblio-1097386

RESUMO

O Informe Diário de Evidências é uma produção do Ministério da Saúde que tem como objetivo acompanhar diariamente as publicações científicas sobre tratamento farmacológico e vacinas para a COVID-19. Dessa forma, são realizadas buscas estruturadas em bases de dados biomédicas, referente ao dia anterior desse informe. Não são incluídos estudos pré-clínicos (in vitro, in vivo, in silico). A frequência dos estudos é demonstrada de acordo com a sua classificação metodológica (revisões sistemáticas, ensaios clínicos randomizados, coortes, entre outros). Para cada estudo é apresentado um resumo com avaliação da qualidade metodológica. Essa avaliação tem por finalidade identificar o grau de certeza/confiança ou o risco de viés de cada estudo. Para tal, são utilizadas ferramentas já validadas e consagradas na literatura científica, na área de saúde baseada em evidências. Cabe ressaltar que o documento tem caráter informativo e não representa uma recomendação oficial do Ministério da Saúde sobre a temática. Foram encontrados 21 artigos e 13 protocolos.


Assuntos
Pneumonia Viral/tratamento farmacológico , Infecções por Coronavirus/tratamento farmacológico , Progressão da Doença , Betacoronavirus/efeitos dos fármacos , Piperacilina/uso terapêutico , Avaliação da Tecnologia Biomédica , Vacinas/provisão & distribução , Cloroquina/uso terapêutico , Ativador de Plasminogênio Tecidual/uso terapêutico , Corticosteroides/uso terapêutico , Ritonavir/uso terapêutico , Combinação de Medicamentos , Lopinavir/uso terapêutico , Cloridrato de Fingolimode/uso terapêutico , Tazobactam/uso terapêutico , Hidroxicloroquina/uso terapêutico , Insulina/uso terapêutico , Anticoagulantes/uso terapêutico
11.
s.l; s.n; 1 maio 2020.
Não convencional em Português | LILACS, BRISA/RedTESA | ID: biblio-1099517

RESUMO

CONTEXTO: A heparina tem mostrado propriedades antiinflamatórias ao reduzir a liberação e a atividade biológica da interleucina 6 (IL-6). OBJETIVOS: Identificar, avaliar sistematicamente e sumarizar as melhores evidências científicas disponíveis sobre os efeitos das heparinas no manejo de pacientes com infecção por SARS-CoV-2 (COVID-19). MÉTODOS: Revisão sistemática rápida (rapid review methodology), com busca realizada em 30 de abril de 2020. RESULTADOS: Após o processo de seleção, seis estudos foram identificados: dois estudos de coorte histórico e quatro ensaios clínicos randomizados em andamento. Os dois estudos de coorte eram heterogêneos, incluíram 491 adultos internados com infecção por SARS-CoV-2, que receberam ou não heparina em doses e por durações variadas, em adição ao tratamento de suporte (com ou sem antiviral). O risco de viés destes estudos foi considerado crítico. Os achados sugeriram que o uso de heparina parece (a) reduzir os níveis de dímero D e IL-6, (b) aumentar a concentração de linfócitos e (c) não alterar o tempo de internação hospitalar e a mortalidade. CONCLUSÃO: Considerando a limitação metodológica destes estudos e a imprecisão dos resultados, nenhuma estimativa sobre a eficácia e a segurança da heparina pode ser assumida. Espera-se que os resultados dos ensaios clínicos randomizados em andamento, envolvendo pelo menos 1.100 participantes, possam reduzir esta incerteza para orientar a tomada de decisão.(AU)


Assuntos
Pneumonia Viral/tratamento farmacológico , Heparina/uso terapêutico , Infecções por Coronavirus/tratamento farmacológico , Betacoronavirus/efeitos dos fármacos , Anticoagulantes/uso terapêutico , Avaliação da Tecnologia Biomédica , Análise Custo-Benefício
12.
Brasília; s.n; 26 abr. 2020.
Não convencional em Português | LILACS, BRISA/RedTESA, PIE | ID: biblio-1097411

RESUMO

Essa é uma produção do Departamento de Ciência e Tecnologia (Decit) da Secretaria de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos em Saúde (SCTIE) do Ministério da Saúde (Decit/SCTIE/MS), que tem como missão promover a ciência e tecnologia e o uso de evidências científicas para a tomada de decisão do SUS, tendo como principal atribuição o incentivo ao desenvolvimento de pesquisas em saúde no Brasil, de modo a direcionar os investimentos realizados em pesquisa pelo Governo Federal às necessidades de saúde pública. Informar sobre as principais evidências científicas descritas na literatura internacional sobre tratamento farmacológico para a COVID-19. Além de resumir cada estudo identificado, o informe apresenta também uma avaliação da qualidade metodológica e a quantidade de artigos publicados, de acordo com a sua classificação metodológica (revisões sistemáticas, ensaios clínicos randomizados, entre outros). Foram encontrados 25 artigos e 47 protocolos.


Assuntos
Humanos , Pneumonia Viral/tratamento farmacológico , Infecções por Coronavirus/tratamento farmacológico , Betacoronavirus/efeitos dos fármacos , Avaliação da Tecnologia Biomédica , Hidrocortisona/uso terapêutico , Inibidores da Enzima Conversora de Angiotensina/uso terapêutico , Vacinas/uso terapêutico , Oxigenação por Membrana Extracorpórea/instrumentação , Cloroquina/uso terapêutico , Estudos Transversais/instrumentação , Ativador de Plasminogênio Tecidual/uso terapêutico , Azitromicina/uso terapêutico , Ritonavir/uso terapêutico , Dipiridamol/uso terapêutico , Combinação de Medicamentos , Lopinavir/uso terapêutico , Hidroxicloroquina/uso terapêutico , Anticoagulantes/uso terapêutico
14.
Rev. Fac. Cienc. Méd. Univ. Cuenca ; 38(1): 65-71, 2020. ilus, tab
Artigo em Espanhol | LILACS | ID: biblio-1100688

RESUMO

Introducción: la pseudotrombocitopenia inducida por EDTA (ácido etilendiamino tetraacético) es un fenómeno de aglutinación de plaquetas que se presenta in vitro, mediado por anticuerpos anti-plaquetarios de tipo IgG, IgA o IgM dirigidos contra el complejo glucoproteínico IIb/IIIa de la membrana plaquetaria. Caso clínico: presentamos un caso clínico de una paciente de 59 años de edad sometida a recambio valvular aórtico; clínicamente con evolución favorable durante el periodo posquirúrgico, sin embargo, en estudios de control se registra trombocitopenia severa, lo que llevo a cuestionar el uso de anticoagulantes y la necesidad de transfusión de plaquetas. Al realizar estudios complementarios se encontró agregados plaquetarios en el frotis de sangre periférica, posteriormente se realizó recuento seriado de plaquetas y comparación del histograma plaquetario, catalogando el caso como pseudotrombocitopenia. Conclusión: La trombocitopenia por agregados plaquetarios es una condición de baja incidencia (0.07% a 0.1%). Se debe a la agregación de plaquetas in vitro asociada al uso de anticoagulantes, frecuentemente etilendiaminotetraacético (EDTA), en el presente caso también se asoció al uso de citrato de sodio. Este problema no se asocia a sangrado, sin embargo su desconocimiento pudo haber llevado a realizar procedimientos diagnósticos y terapéuticos innecesarios


Introduction: EDTA (ethylenediamine tetraacetic acid) ­induced by pseudothrombocytopenia is a platelet agglutination phenomenon that occurs in vitro, which are mediated by anti-platelet antibodies of the IgG, IgA or IgM type directed against the glycoprotein complex IIb / IIIa of the platelet membrane . Clinical case: This is a clinical case of a 59-yearsold patient undergoing aortic valve replacement, clinically with a favorable evolution during the postoperative period, however, in control studies, severe thrombocytopenia was recorded, which led to questioning the use of anticoagulants and the need for platelet transfusion. When carrying out complementary studies, aggregated platelet were found in the peripheral blood smear, later, a serial platelet count and comparison of the platelet histogram were performed, classifying the case as pseudotrombocytopenia. Conclusion: Thrombocytopenia due to aggregated platelet is a low incidence condition (0.07% to 0.1%). It is due to the aggregation of platelets in vitro associated with the use of anticoagulants [frequently ethylenediamine tetra acetic (EDTA)]; in the present case it was also associated with the use of sodium citrate. This problem is not associated with bleeding; however its lack of knowledge leads to unnecessary diagnostic and therapeutic procedures.


Assuntos
Humanos , Feminino , Pessoa de Meia-Idade , Técnicas e Procedimentos Diagnósticos , Anticorpos , Anticoagulantes/administração & dosagem , Imunoglobulina G , Imunoglobulina M , Agregação Plaquetária/efeitos dos fármacos
15.
Med. leg. Costa Rica ; 36(2): 76-81, sep.-dic. 2019. graf
Artigo em Espanhol | LILACS | ID: biblio-1040447

RESUMO

Resumen Los rodenticidas son sustancias de venta libre ampliamente utilizadas a nivel agrícola y a nivel doméstico para el control de roedores. Los rodenticidas anticoagulantes de larga duración tienen un mecanismo de acción similar al de la warfarina, pero con mayor potencia de acción. El espectro de manifestaciones clínicas de la intoxicación por rodenticidas anticoagulantes es muy amplio, que se puede presentar de manera asintomática hasta con sangrados que comprometan la vida del paciente. El tratamiento se basa en el control del sangrado y la reposición con su antídoto lógico que corresponde a la vitamina K para restablecer la hemostasis.


Abstract Rodenticides are agriculturally and domestically used substances used for the control of rats and other rodents, easily available on the market. Anticoagulant rodenticides have a similar mechanism of action than that of warfarin, but their potency is bigger. The spectrum of clinical manifestations of rodenticide intoxications is broad; and it varies from asymptomatic cases to hemorrhages that compromise the patient's life. Treatment is based on active bleeding control and reposition of its logical antidote Vitamin K in order to restore hemostasis.


Assuntos
Humanos , Envenenamento , Rodenticidas , Anticoagulantes
17.
Rev. Pesqui. (Univ. Fed. Estado Rio J., Online) ; 11(5): 1312-1318, out.-dez. 2019. ilus
Artigo em Inglês, Português | LILACS, BDENF - Enfermagem, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-IDPCPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: biblio-1022225

RESUMO

Objective: The study's purpose has been to relate the drug interactions of oral anticoagulants with other medications used by elderly people hospitalized in a cardiology hospital. Methods: It is a prospective exploratory study with 16 elderly people taking oral anticoagulant, who were hospitalized at a governmental cardiology institution in São Paulo State over the period from November to December 2017. Results: Among 73 medicines prescribed and analyzed in the Micromedex 2.0, 24 (33.3%) interacted with Warfarin, the only prescribed oral anticoagulant. There were found Omeprazole (70; 97.2%); Dipyrone (68; 94.4%); Simvastatin (43; 59.72%); Enoxaparin (42; 58.33%); Amiodarone (29; 40.27%); Sertraline (28; 38.88%); Spironolactone (21; 29.16%); and Atenolol (11; 15.27%), whose interactions could either potentialize or inhibit the anticoagulant action. Considering the interactions, 14 (58.33%) were of moderate severity, 10 (41.66%) of high severity and 14 (58.33%) of fast effect. Conclusion: Polypharmacy and the use of oral anticoagulants in elderly patients bearing heart diseases are common events. Moreover, a better understanding about drug interactions is also required, bearing in mind that they can either potentialize or decrease the anticoagulant effect, with high or moderate severity


Objetivo: Relacionar as interações medicamentosas dos anticoagulantes orais com os medicamentos utilizados por idosos internados em hospital cardiológico. Método: Estudo exploratório, prospectivo, com 16 idosos em uso de anticoagulantes orais, internados numa instituição cardiológica governamental de São Paulo entre novembro e dezembro de 2017. Resultados: Dentre 73 medicamentos prescritos e analisados no Micromedex 2.0, 24 (33,3%) interagiam com a Varfarina, único anticoagulante oral prescrito. Encontrou-se Omeprazol (70;97,2%); Dipirona (68;94,4%); Sinvastatina (43;59,72%); Enoxaparina (42;58,33%); Amiodarona (29;40,27%); Sertralina (28;38,88%); Espironolactona (21;29,16%); e Atenolol (11;15,27%), cujas interações poderiam potencializar ou inibir a ação anticoagulante. Das interações, 14 (58,33%) eram de gravidade moderada, 10 (41,66%) maior e 14 (58,33%) de efeito rápido. Conclusão: A polifarmácia e o uso de anticoagulante oral em idosos cardiopatas é comum e, conhecer as interações medicamentosas, é imperativa, considerando que potencializam ou diminuem a ação anticoagulante, com gravidade maior ou moderada


Objetivo: Relacionar las interacciones medicamentosas de los anticoagulantes orales con los medicamentos utilizados por ancianos internados em um hospital cardiológico. Método:Estudio exploratorio, prospectivo, con 16 ancianos en uso de anticoagulantes orales, internados en una institución cardiológica gubernamental de São Paulo entre noviembre y diciembre de 2017. Resultados:Entre 73 medicamentos prescritos y analizados en el Micromedex 2.0, 24 (33,3%) interactuaban con la Varfarina, único anticoagulante oral prescrito. Se encontró Omeprazol (70, 97,2%); Dipirona (68, 94,4%); Sinvastatina (43, 59,72%); Enoxaparina (42, 58,33%); Amiodarona (29, 40,27%); Sertralina (28, 38,88%); Espironolactona (21, 29,16%); y Atenolol (11, 15,27%), cuyas interacciones podrían potenciar o inhibir la acción anticoagulante. De las interacciones, 14 (58,33%) eran de gravedad moderada, 10 (41,66%) mayor y 14 (58,33%) de efecto rápido. Conclusión: La polifarmacia y el uso de anticoagulante oral en ancianos cardiopatas es común y, conocer las interacciones medicamentosas, es imperativa, considerando que potencian o disminuyen la acción anticoagulante, con gravedad mayor o moderada


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Pessoa de Meia-Idade , Idoso , Idoso de 80 Anos ou mais , Varfarina/uso terapêutico , Interações Medicamentosas , Efeitos Colaterais e Reações Adversas Relacionados a Medicamentos , Anticoagulantes/uso terapêutico , Varfarina/efeitos adversos , Saúde do Idoso , Anticoagulantes/efeitos adversos
19.
Rev. Hosp. Ital. B. Aires (2004) ; 39(3): 94-97, sept. 2019. ilus.
Artigo em Espanhol | LILACS | ID: biblio-1048277

RESUMO

Las fístulas arteriovenosas durales medulares son malformaciones vasculares adquiridas que constituyen una causa muy infrecuente de mielopatía progresiva (5-10 casos por millón de habitantes por año). La resonancia magnética es el estudio por imágenes de elección para su diagnóstico. A continuación presentamos el caso de una paciente femenina de 89 años, que consultó a la guardia de nuestra institución por un cuadro de paraparesia moderada asociada a parestesias e incontinencia urinaria posterior a esfuerzo físico. Se le diagnosticó una fístula arteriovenosa dural medular como causante de su cuadro. (AU)


Spinal dural arteriovenous fistulas (SDAVF) are acquired spinal vascular malformations and a rare cause of progressive myelopathy (5-10 new cases per year and per 1 million inhabitants). Magnetic resonance imaging is the diagnosis modality of choice. We present a case of a 89-year-old female patient who consulted the emergency department of our institution because of paraparesis and lower extremities paresthesias associated with urinary incontinence post physical effort. With the final diagnosis of spinal dural arteriovenous fistula, as a cause of the clinical symptoms. (AU)


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Pessoa de Meia-Idade , Idoso de 80 Anos ou mais , Fístula Arteriovenosa/diagnóstico por imagem , Dura-Máter/anormalidades , Parestesia , Fibrilação Atrial/complicações , Doenças da Medula Espinal/diagnóstico por imagem , Tabagismo/complicações , Incontinência Urinária , Fístula Arteriovenosa/etiologia , Fístula Arteriovenosa/epidemiologia , Dor Lombar/complicações , Aneurisma da Aorta Abdominal/complicações , Paraparesia , Incontinência Fecal , Hipertensão/complicações , Hipestesia , Disfunção Erétil , Anticoagulantes/uso terapêutico
20.
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1023043

RESUMO

Os maiores avanços no tratamento das arritmias cardíacas, que geraram propostas de mudança e/ou incorporação de novas tecnologias de tratamento medicamentoso ou intervencionista, referem-se à fibrilação atrial, arritmia sustentada mais frequente na prática clínica, razão pela qual demos maior ênfase a essa análise. Os últimos estudos que têm proporcionado revisões, atualizações e perspectivas das principais diretrizes mundiais são os que envolvem as comparações dos esquemas de combinações de anticoagulação e antiagregação plaquetária em pacientes com fibrilação atrial no contexto da doença arterial coronariana com intervenção planejada ou imediata, bem como os que envolvem a estratégia de ablação por cateteres com opção no início do tratamento da fibrilação atrial nos pacientes com insuficiência cardíaca com fração de ejeção reduzida


The greatest advances in the treatment of cardiac arrhythmias, which have led to proposals of change and/or the incorporation of new drug or intervention treatment technologies, relate to atrial fibrillation, the most common sustained arrhythmia in medical practice, which is why we have placed more emphasis on it in this analysis. The latest studies to have revised, updated, and offered new perspectives on the principal global guidelines are those that involve comparisons of regimens that combine anticoagulation and antiaggregation of platelets in patients with atrial fibrillation within the context of coronary artery disease with planned or immediate intervention, as well of those that involve a catheter ablation strategy as an option at the beginning of treatment for atrial fibrillation in patients with heart failure with reduced ejection fraction


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Arritmias Cardíacas/fisiopatologia , Arritmias Cardíacas/terapia , Fibrilação Atrial , Varfarina/uso terapêutico , Doença da Artéria Coronariana , Stents , Aspirina/uso terapêutico , Guias como Assunto/normas , Ablação por Cateter/métodos , Hemorragia , Anticoagulantes
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA