Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 20 de 1.620
Filtrar
3.
Int. j. morphol ; 38(2): 356-362, abr. 2020. tab, graf
Artigo em Espanhol | LILACS | ID: biblio-1056447

RESUMO

El suicidio es un problema de salud a nivel mundial, siendo la conducta suicida uno de los predictores de mortalidad por suicidio; sin embargo, su valoración aún sigue siendo compleja. Aunque la cantidad de literatura que ha abordado distintas perspectivas de la conducta suicida es abundante, se requiere ahondar en nuevos métodos que permitan una valoración rápida y objetiva de ésta, proporcionando a los clínicos y pacientes, un sistema de evaluación que registre los cambios de estados emocionales de manera dinámica. El objetivo de este manuscrito fue proporcionar una visión general de la morfología de los potenciales evocados auditivos de latencia tardía p300 y su rol en la evaluación de la conducta suicida.


Suicide is a global health problem, with suicidal behavior being one of the predictors of suicide mortality; however, its assessment is still complex. Although the amount of literature that has addressed different perspectives of suicidal behavior is abundant, it is necessary to deepen new methods that allow a rapid and objective assessment of it, providing clinicians and patients with an evaluation system that allows changes in emotional state to be recorded dynamically. The aim of this manuscript was to provide an overview of morphological patterns of auditory evoked potential P300 latency late in the assessment of suicidal behavior.


Assuntos
Comportamento do Adolescente/fisiologia , Potencial Evocado P300/fisiologia , Ideação Suicida , Valores de Referência , Eletrofisiologia , Potenciais Evocados Auditivos/fisiologia
4.
Arch. argent. pediatr ; 118(1): 68-72, 2020-02-00. tab
Artigo em Espanhol | LILACS, BINACIS | ID: biblio-1096188

RESUMO

Introducción. Los estudiantes del último año de la escuela secundaria suelen realizar una celebración la noche previa al último primer día de clases (UPD).Objetivos. Describir las características del UPD en una población de adolescentes que concurrieron a un hospital universitario de comunidad.Población y métodos. Estudio de corte transversal. Fueron incluidos adolescentes que consultaron en 2018 y participaron del UPD. Se utilizó una encuesta semiestructurada y se solicitó describir narrativamente el UPD.Resultados. Se analizaron 102 encuestas. Los UPD se realizaron en un lugar privado en el 46,1 %; hubo un adulto acompañante en el 58 %; consumió alcohol el 78,4 %; ocurrieron lesiones no intencionales en el 9,8 %; tuvo problemas con adultos el 44,1 %, y volvería a realizarlo el 88 %.Conclusiones. La mayoría consumió alcohol y cerca de la mitad tuvo problemas con adultos. La mayoría de los estudiantes estuvieron conformes y volverían a realizarlo.


Introduction. The students of the last year of high school usually hold a celebration the night before the last first day of school (LFD).Objectives. To describe the LFD characteristics in a population of adolescents who attend a community university hospital.Population and methods. Cross-sectional study. Teenagers who consulted in 2018 and participated in the LFD were included. A semi-structured survey was used and it was requested to narratively describe the LFD.Results. 102 surveys were analyzed; 46.1 % of the LFD were performed in a private place, there was an adult company in 58 %, the alcohol consumption was 78.4 %, unintentional injuries occurred in 9.8 %, 44.1 % had problems with adults and 88 % would do it again.Conclusions. The majority consumed alcohol and about half had problems with adults. Most of the students were satisfied and would do it again.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adolescente , Assunção de Riscos , Comportamento Ritualístico , Comportamento do Adolescente , Estudantes , Estudos Transversais
5.
Rev. Esc. Enferm. USP ; 54: e03539, 2020. tab
Artigo em Inglês | LILACS, BDENF - Enfermagem | ID: biblio-1091967

RESUMO

Abstract Objective: The main goal was the peer evaluation of the effectiveness of a health education intervention, also seeking the characterization of violent behaviors experienced by teens in intimate relationships. Method: A pretest-posttest quasi-experimental study was performed with a non-probabilistic sample of 197 teens of both genders without control group. The intervention performed consisted of one peer-run forum theater session about intimate violence in dating relationships of teens. Results: Boys reported being both victims and perpetrators of violent behaviors more frequently than girls. The sample reported more behaviors associated with victimization than perpetration. Girls showed a higher level of knowledge on the topic and this knowledge increased after the intervention. Conclusion: Psychological violence is highly prevalent in dating relationships, particularly in cases of victimization. It seems essential to understand and act upon adolescents' perceptions about what violent behavior is. This study confirmed the effectiveness of health education in acquiring knowledge on this topic.


Resumo Objetivo: O principal objetivo foi a avaliação por pares da eficácia de uma intervenção educacional em saúde, também buscando a caracterização de comportamentos violentos vivenciados por adolescentes nas relações íntimas. Método: Um estudo quase-experimental pré e pós teste foi realizado com uma mostra não probabilística de 197 adolescentes de ambos os gêneros sem grupo controle. A intervenção realizada consistiu de uma sessão de teatro-fórum entre pares sobre violência íntima nos relacionamentos amorosos entre adolescentes. Resultados: Os meninos relataram ser tanto vítimas quanto perpetradores dos comportamentos violentos mais frequentemente do que as meninas. A amostra relatou mais comportamentos associados à vitimização do que perpetração. As meninas mostraram um nível mais alto de conhecimento sobre o assunto e esse conhecimento aumentou após a intervenção. Conclusão: A violência psicológica é altamente prevalente nos relacionamentos amorosos, particularmente nos casos de vitimização. Parece essencial compreender as percepções dos adolescentes sobre o que é um comportamento violento e agir nesse sentido. Este estudo confirmou a eficácia da educação em saúde na aquisição de conhecimento sobre esse tópico.


Resumen El principal objetivo: fue la evaluación por pares de la efectividad de una intervención educativa en salud, también buscando la caracterización de comportamientos violentos vividos por adolescentes en las relaciones íntimas. Método: Un estudio cuasi-experimental pre y post prueba fue llevado a cabo con una muestra no probabilística de 197 adolescentes de ambos géneros sin grupo control. La intervención realizada se constituyó en una sesión de teatro fórum entre pares acerca de la violencia íntima en las relaciones amorosas entre adolescentes. Resultados: Los chicos relataron ser tanto víctimas como perpetradores de los comportamientos violentos con más frecuencia que las chicas. La muestra relató más comportamientos asociados con la victimización que la perpetración. Las chicas mostraron un nivel más alto de conocimiento acerca del tema y dicho conocimiento se incrementó después de la intervención. Conclusión: La violencia psicológica es altamente prevaleciente en las relaciones amorosas particularmente en los casos de victimización. Parece esencial comprender las percepciones de los adolescentes acerca de qué es un comportamiento violento y actuar en ese sentido. Este estudio confirmó la efectividad de la educación sanitaria en la adquisición de conocimiento sobre ese tópico.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adolescente , Educação em Saúde , Violência por Parceiro Íntimo/prevenção & controle , Enfermagem em Saúde Pública , Comportamento do Adolescente/psicologia
6.
Estud. psicol. (Natal) ; 24(4): 402-413, Out.-Dec. 2019. ilus, tab
Artigo em Português | LILACS, Index Psicologia - Periódicos técnico-científicos | ID: biblio-1098252

RESUMO

Estudo transversal, de base escolar, que investigou se vitimização por pares associa-se à policonsumo de substâncias e envolvimento em comportamentos violentos (brigas e/ou porte de armas). Participaram 3.547 escolares do interior do Rio Grande do Sul, com idade média de 14 anos (dp = 1,66). Realizou-se amostragem aleatória, estratificada por sexo, idade, município e rede de ensino. Os dados foram coletados em 2012, através de questionário autoaplicável. Foram realizadas análises descritivas, através do teste Chi Quadrado de Pearson, e modelo de equações estruturais. Evidenciou-se que vitimização associa-se ao policonsumo apenas quando há sofrimento psíquico e relação negativa com pai e/ou mãe, associando-se ao maior envolvimento com comportamentos violentos tanto de forma direta como mediada pela relação com os pais e pela saúde mental dos escolares. Conclui-se que a vitimização parece instigar comportamentos violentos, denunciando a existência de um ciclo vicioso de agressividade, o que reforça a importância do seu enfrentamento.


A cross-sectional, school-based study that evaluated whether victimization by peers is associated with polydrug use and involvement in violent behavior (fights and/or carrying arms). A total of 3,547 students from the interior of Rio Grande do Sul, with a mean age of 14 years (SD = 1.66) participated. Sampling was randomized, stratified by gender, age, municipality and educational network. Data were collected in 2012, through a self-administered questionnaire. Descriptive analyzes were performed using the Pearson's Chi Square test and a Structural Equations Model. It has been shown that victimization is associated with polydrug use only when there is psychological distress and negative relationship with father and/or mother, and is associated with the greater involvement with violent behaviors even directly or mediated by the adolescents' relationship with parents and adolescents' mental health. It is concluded that victimization seems to foster violent behavior, denouncing the existence of a vicious cycle of aggression and reinforcing the importance of being confronted.


Estudio transversal, de base escolar, que investigó si la victimización por pares se asocia al policonsumo de sustancias y la participación en comportamientos violentos (peleas y/o porte de armas). Participaron 3.547 escolares del interior de Rio Grande do Sul, con una edad promedio de 14 años (dp = 1,66). Se realizó muestreo aleatorio, estratificado por sexo, edad, municipio y red de enseñanza. Los datos fueron recogidos en 2012 a través de cuestionario autoadministrado. Se realizaron análisis descriptivos, a través del test Chi cuadrado de Pearson, y el modelo de ecuaciones estructurales. Se evidenció que la victimización se asocia al policonsumo sólo cuando hay sufrimiento psíquico y relación negativa con padre y / o madre, asociándose al mayor involucramiento con comportamientos violentos tanto de forma directa como mediada por la relación de los adolescents con los padres y la salud mental de los adolescentes. Se concluye que la victimización parece instigar los comportamientos violentos, denunciando la existencia de un ciclo vicioso de agresividad, lo que reforza la importancia de su enfrentamiento.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Criança , Adolescente , Violência/psicologia , Adolescente , Comportamento do Adolescente/psicologia , Transtornos Relacionados ao Uso de Substâncias/psicologia , Relações Familiares/psicologia , Brasil , Inquéritos e Questionários , Entrevista , Pesquisa Qualitativa
7.
Rev. Paul. Pediatr. (Ed. Port., Online) ; 37(4): 442-449, Oct.-Dec. 2019. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS | ID: biblio-1041363

RESUMO

ABSTRACT Objective: To describe the use of exergames, associated factors and to quantify the time attributed to the use of exergames within the time spent on video games in a sample of adolescents from Curitiba, Paraná, Brazil. Methods: This was a cross-sectional study that evaluated frequency and weekly volume of physical activities using the Physical Activity Questionnaire for Adolescents. Weekly frequency and daily time of use of exergames and videogames were self-reported. Mann-Whitney and Kruskal Wallis tests were used to compare the time spent playing exergames, and Poisson regression was used to test the associations (p<0.05). Results: 495 adolescents were interviewed (51.3% girls), predominantly aged between 12 and 13 years (41.3%), under/normal weight (60.4%), medium socioeconomic status (39.8 %) and from public schools (69.3%). Most of the participants did not have video games in their bedroom (74.3%) and did not reach recommended levels of physical activity (55.5%). One in five adolescents used exergames (16.4%). Age (RP: 0.54; 95%CI 0.30-0.97, p=0.039) and having a console in the bedroom (RP: 1.89; 95%CI 1.27- 2.81, p=0.002) were associated with exergame use. Male sex (X_: 195.0; AIQ: 486.3; p=0.024) practice of leisure time physical activity (X_: 160.0; AIQ: 350.0; p=0.048) were associated with weekly volume of exergame use. Conclusions: Overall, less than two out of ten adolescents used exergames, and the use was higher among young adolescents and those who had a console in their bedrooms. Volume of use was higher among boys and those performing more than five hours of leisure time physical activity per week. In addition, a considerable part of the time devoted to the use of video games, was in fact, destined to the use of exergames.


RESUMO Objetivo: Descrever o uso de exergames, os fatores associados e quantificar o tempo atribuído ao uso de exergames dentro do tempo total de uso de videogames em uma amostra de adolescentes de Curitiba, Paraná. Métodos: Estudo com delineamento transversal no qual a frequência e o volume semanal de atividades físicas foram avaliados com o Questionário de Atividade Física para Adolescentes. A frequência semanal e o tempo diário de uso de exergames e de videogames foram autorreportados. Os testes U de Mann-Whitney e Kruskal-Wallis compararam o tempo de uso dos exergames; e a regressão de Poisson, as associações (p<0,05). Resultados: Foram entrevistados 495 adolescentes (51,3% meninas), predominantemente com idade entre 12 e 13 anos (41,3%), baixo peso/normal (60,4%), nível socioeconômico médio (39,8%) e de escolas públicas (69,3%). A maioria não possuía videogame no quarto (74,3%) e não cumpria a recomendação de atividade física (55,5%). Um em cada cinco adolescentes usava exergames (16,4%). A idade (razão de prevalência [RP] 0,54; intervalo de confiança de 95% [IC95%] 0,30-0,97; p=0,039) e a posse de videogames no quarto (RP 1,89; IC95% 1,27-2,81; p=0,002) foram associadas com o uso. Ainda, o sexo masculino (X_: 195,0; AIQ: 486,3; p=0,024) e a prática de atividade física no lazer (X_: 160,0; AIQ: 350,0; p=0,048) apresentaram associação com o volume semanal. Conclusões: Ao todo, menos de dois em cada dez adolescentes utilizam exergames, sendo a frequência maior entre os mais novos e que possuem consoles de jogos nos quartos. O volume de uso é maior entre os meninos e entre adolescentes que praticam mais do que cinco horas de atividades físicas de lazer na semana. Além disso, parte considerável do tempo destinado ao uso de videogames foi, na realidade, destinada ao uso de exergames.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Criança , Adolescente , Exercício Físico , Comportamento do Adolescente , Jogos de Vídeo , Comportamento Sedentário , Fatores de Tempo , Brasil , Comportamentos Relacionados com a Saúde , Estudos Transversais , Saúde do Adolescente , Autorrelato
8.
Rev. Paul. Pediatr. (Ed. Port., Online) ; 37(4): 419-427, Oct.-Dec. 2019. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS | ID: biblio-1041367

RESUMO

ABSTRACT Objective: To estimate the prevalence of gluten intake according to demographic, socioeconomic, and health-related behavioral variables in adolescents. Methods: This is a population-based cross-sectional study with a two-stage cluster sampling, conducted in Campinas, São Paulo, in 2008-2009. Foods containing gluten were identified using a 24-hour Recall. We calculated the prevalence and adjusted prevalence ratios with multiple Poisson regression. Results: The study had a sample of 924 adolescents aged 10 to 19 years. Among the foods assessed, 26.9% (confidence interval of 95% - 95%CI 25.3-28.6) contained gluten. We found a higher prevalence of gluten intake in younger individuals (10 to 14 years), as well as in subgroups of adolescents who had a higher number of household appliances, attended school, consumed fewer beans and vegetables during the week (<4 times), and whose head of the family had better education level (≥12 years of schooling). The main food sources of gluten in their diet were: bread, cakes, and cereals (30.2%), chocolate milk (14%), chicken nuggets (12.3%), and cookies (11%). Conclusions: The results of the study show the epidemiological profile associated with gluten intake in adolescents and could support actions aimed at promoting healthy eating habits and preventing gluten-related diseases.


RESUMO Objetivo: Estimar a prevalência da ingestão de alimentos com glúten segundo variáveis demográficas, socioeconômicas e de comportamentos relacionados à saúde em adolescentes. Métodos: Trata-se de estudo transversal de base populacional, com amostra por conglomerados e em dois estágios, realizado em Campinas, São Paulo, em 2008-2009. Os alimentos com glúten foram identificados por meio do Recordatório de 24 horas. Calcularam-se prevalências e razões de prevalência ajustadas por meio de regressão múltipla de Poisson. Resultados: Participaram do estudo 924 adolescentes de dez a 19 anos. Entre os alimentos referidos, 26,9% (intervalo de confiança de 95% - IC95% 25,3-28,6) continham glúten. Prevalências superiores de ingestão de glúten foram verificadas nos indivíduos mais jovens (dez a 14 anos), bem como nos subgrupos de adolescentes cujo chefe de família era mais escolarizado (≥12 anos de estudo), nos que possuíam maior número de equipamentos domésticos na residência, nos que frequentavam a escola e naqueles que consumiam menos feijão e hortaliças durante a semana (<4 vezes). As principais fontes alimentares de glúten na dieta foram: pães, bolos e cereais (30,2%), achocolatado (14%), nuggets (12,3%) e biscoitos (11%). Conclusões: Os resultados do estudo mostram o perfil epidemiológico associado ao consumo de glúten em adolescentes e podem subsidiar ações voltadas à promoção de hábitos alimentares saudáveis e de prevenção de doenças relacionadas ao glúten.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Criança , Adolescente , Adulto Jovem , Comportamento do Adolescente , Dieta/estatística & dados numéricos , Glutens , Inquéritos sobre Dietas , Estudos Transversais , Comportamento Alimentar , Dieta Saudável , Promoção da Saúde
9.
Braz. J. Psychiatry (São Paulo, 1999, Impr.) ; 41(6): 511-517, Nov.-Dec. 2019. tab
Artigo em Inglês | LILACS | ID: biblio-1055340

RESUMO

Objective: To estimate the association of parental drunkenness and parenting style with alcohol consumption among adolescents and the contributions of parental drunkenness and parenting style to the prevalence of binge drinking among adolescents. Method: Cross-sectional survey of a representative sample of secondary students aged 13 to 18 from 27 Brazilian state capitals (n=17,028). Private and public schools were included. A self-report questionnaire collected data on adolescents' alcohol drinking behavior, parenting styles, and parenting and peer models of drunkenness. Results: Non-authoritative parenting style and parental drunkenness are associated with binge drinking among adolescents. Authoritarian, indulgent, and negligent parenting styles were associated with 1.50-, 2.51-, and 2.82-fold increases in prevalence of adolescent binge drinking, and parental drunkenness, with a 1.99-fold increase. The non-authoritative parenting style made a larger contribution than parental drunkenness to adolescent binge drinking. Conclusions: Non-authoritative parenting style and parental drunkenness seem to play an important role in adolescents' binge drinking behavior. At the population level, parenting style appears associated with a greater contribution to this behavior among adolescents. Prevention strategies targeting parental drunkenness may be bolstered if a broader approach including parenting styles is in place.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adolescente , Relações Pais-Filho , Poder Familiar , Intoxicação Alcoólica/epidemiologia , Bebedeira/epidemiologia , Consumo de Álcool por Menores/estatística & dados numéricos , Assunção de Riscos , Autoritarismo , Brasil/epidemiologia , Prevalência , Estudos Transversais , Inquéritos e Questionários , Fatores de Risco , Comportamento do Adolescente , Distribuição por Sexo
10.
Ágora (Rio J. Online) ; 22(3): 343-352, set.-dez. 2019.
Artigo em Português | LILACS, Index Psicologia - Periódicos técnico-científicos | ID: biblio-1043571

RESUMO

RESUMO: Este artigo tem como objetivo refletir acerca da não comunicação reativa - conceito desenvolvido por D. W. Winnicott, que corresponde a uma reclusão patológica. Para tanto, traz o relato do atendimento psicanalítico a um adolescente que apresentava um estado de isolamento. O artigo se reporta ao modo de funcionamento psicopatológico apresentado segundo a matriz ferencziana de adoecimento psíquico, caracterizada por Luís Claudio Figueiredo. As estratégias técnicas assinaladas baseiam-se, fundamentalmente, nos conceitos de reclamação/reivindicação da psicanalista Anne Alvarez, que postula uma abordagem mais ativa no sentido de o analista ir ao alcance do paciente, configurando, assim, uma clínica revitalizadora.


Abstract: This article aims to reflect on non-reactive communication - concept developed by D. W. Winnicott that corresponds to a pathological reclusion. For that, it brings the report of psychoanalytic care to a teenager who was in a state of isolation. The article refers to the understanding the mode of psychopathological functioning presented according to the Ferenczian matrix of psychic illness, characterized by Luís Claudio Figueiredo. The technical strategies pointed out are fundamentally based on the concepts of complaint/claim of psychoanalyst Anne Alvarez, who postulates a more active approach in the sense of the analyst reaching the patient, thus configuring a revitalizing clinic.


Assuntos
Humanos , Adolescente , Tédio , Timidez , Comportamento do Adolescente , Comunicação
11.
Psicol. ciênc. prof ; 39(2,n.esp): 33-44, ago.-nov. 2019.
Artigo em Português | LILACS, Index Psicologia - Periódicos técnico-científicos | ID: biblio-1026416

RESUMO

Este artigo tem como objetivo discutir problemas e desafios colocados à Psicologia por expressões da violência no Brasil, analisando suas implicações éticas na problematização de políticas de subjetivação atuantes nesses cenários. Para essa discussão sobre as expressões da violência, elegemos dois analisadores: os fenômenos do encarceramento em massa e dos homicídios de segmentos juvenis. Nos últimos anos, a Psicologia tem tomado cada vez mais o campo das violências como objeto de discussão, intervenção e produção científica. Isso se materializa fortemente pelas questões sociopolíticas do país, especialmente no que se refere às abordagens policiais, ao encarceramento em massa, ao aumento sistemático/ininterrupto dos homicídios de segmentos infantojuvenis negros, colocando em discussão políticas de aprisionamento e criminalização. Utilizaremos autores que refletem criticamente acerca da colonialidade, a exemplo de Mbembe, dialogando com produções da Psicologia Social que discutem violência. O texto se desenvolverá por meio de três seções. Na primeira, discutiremos a problemática das mortes juvenis e do encarceramento em massa como expressões de uma necropolítica à brasileira. Na segunda, problematizaremos a produção de vidas (in)vivíveis como um dos desafios éticos à Psicologia em contextos de violências. Por último, abordaremos o aceno ético necessário como caminho de construção de uma outra Psicologia....(AU)


This article aims to discuss problems and challenges posed to Psychology by expressions of violence in Brazil, analyzing their ethical implications in the problematization of subjectivation policies in these scenarios. For this discussion on the expressions of violence, we chose two analysts: the phenomena of mass incarceration and homicides of juvenile segments. In recent years, Psychology has increasingly taken the field of violence as an object of discussion, intervention and scientific production. This is strongly reflected in the country's sociopolitical issues, especially with regard to police approaches, mass incarceration, the systematic / uninterrupted increase in homicides of black child and youth segments, and the questioning of policies of imprisonment and criminalization. We will use authors who reflect critically on coloniality, such as Mbembe, dialoguing with productions of Social Psychology that discuss violence. The text will be developed through three sections. In the first one, we will discuss the problem of juvenile deaths and mass incarceration as expressions of a necropolicy in Brazil. In the second, we will problematize the production of (in) livable lives as one of the ethical challenges to Psychology in contexts of violence. Finally, we will approach the necessary ethical approach as a way of building another Psychology....(AU)


Este artículo tiene como objetivo discutir problemas y desafíos planteados a la Psicología por las expresiones de violencia en Brasil, analizando sus implicaciones éticas en la problematización de políticas de subjetivación actuantes en esos escenarios. Para esta discusión sobre las expresiones de la violencia, elegimos dos analizadores: los fenómenos del encarcelamiento masivo y de los homicidios de segmentos juveniles. En los últimos años, la Psicología ha tomado cada vez más el campo de la violencia como objeto de discusión, intervención y producción científica. Esto se materializa fuertemente por las cuestiones sociopolíticas del país, especialmente en lo que se refiere a los abordajes policiales, al encarcelamiento masivo, al aumento sistemático/ininterrumpido de homicidios de segmentos infantojuveniles negros, poniendo en discusión políticas de aprisionamiento y criminalización. Utilizaremos autores que reflexionen críticamente acerca de la colonialidad, a ejemplo de Mbembe, dialogando con producciones de la Psicología Social que discutan violencia. El texto se desarrollará por medio de tres secciones. En la primera, discutiremos la problemática de las muertes juveniles y del encarcelamiento en masa como expresiones de una necropolítica en Brasil. En la segunda, problematizaremos la producción de vidas (in) vivibles como uno de los desafíos éticos a la Psicología en contextos de violencias. Finalmente, abordaremos el asentimiento ético necesario como una forma de construir otra Psicología....(AU)


Assuntos
Humanos , Adolescente , Prisões , Psicologia Social , Política Pública , Violência , Brasil , Adolescente , Populações Vulneráveis , Grupo com Ancestrais do Continente Africano , Homicídio , Psicologia , Segurança , Comportamento do Adolescente
12.
Rev. Pesqui. (Univ. Fed. Estado Rio J., Online) ; 11(5): 1208-1212, out.-dez. 2019.
Artigo em Inglês, Português | LILACS, BDENF - Enfermagem | ID: biblio-1022310

RESUMO

Objetivo: Discutir a percepção de adolescentes acerca da sexualidade no espaço escolar. Método: estudo descritivo e exploratório, de natureza qualitativa, realizado com quarenta e seis adolescentes em três escolas públicas do município de Macapá, capital do Estado do Amapá. A coleta de dados ocorreu através de entrevistas realizadas com a autorização dos respectivos responsáveis, posteriormente transcritos e submetidos à análise de conteúdo na modalidade temática. Resultados: Obteve-se a formação da seguinte categoria: a sexualidade no cotidiano dos adolescentes - um desafio para a educação sexual e reprodutiva, em que foi trabalhado estes aspectos: a sexualidade relacionada ao ato de gerar filhos; o desconhecimento dos adolescentes acerca da saúde sexual e reprodutiva. Conclusão: torna-se relevante a aproximação entre profissionais da educação e saúde para reverem as práticas pedagógicas ofertadas aos estudantes, sendo necessário avaliar as metodologias aplicadas e buscar novas propostas que alcancem as necessidades de informações necessárias para que adolescentes


Objective: The study's purpose has been to discuss the adolescents' perception about sexuality in the scholar framework. Methods: It is a descriptive-exploratory study with a qualitative approach, which was carried out with forty-six adolescents from three public schools in Macapá city, Amapá State. Data collection took place through interviews lead by the authorization of the respective parents/relatives. The data was later transcribed and submitted to content analysis by the thematic modality. Results: The following category was achieved: sexuality in the adolescents' daily life - a challenge for sexual and reproductive education; where the following aspects were addressed: sexuality related to the act of generating children; adolescents' lack of knowledge about sexual and reproductive health. Conclusion: Therefore, it is relevant to improve the relationship between education and health professionals aiming to reappraisal the pedagogical practices offered to students. Furthermore, it is necessary to assess the applied methodologies and to pursue new proposals that can reach the adolescents' information needs


Objetivo: Discutir la percepción de adolescentes acerca de la sexualidad en el espacio escolar. Método: estudio descriptivo y exploratorio, de naturaleza cualitativa, realizado con cuarenta y seis adolescentes en tres escuelas públicas del municipio de Macapá, capital del Estado de Amapá. La recolección de datos ocurrió a través de entrevistas realizadas con la autorización de los respectivos responsables, posteriormente transcritas y sometidas al análisis de contenido en la modalidad temática. Resultados: Se obtuvo la formación de la siguiente categoría: la sexualidad en el cotidiano de los adolescentes - un desafío para la educación sexual y reproductiva, en que se trabajó estos aspectos: la sexualidad relacionada al acto de generar hijos; el desconocimiento de los adolescentes acerca de la salud sexual y reproductiva. Conclusión: se hace relevante la aproximación entre profesionales de la educación y salud para revisar las prácticas pedagógicas ofrecidas a los estudiantes, siendo necesario evaluar las metodologías aplicadas y buscar nuevas propuestas que alcancen las necesidades de informaciones necesarias para que adolescentes


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adolescente , Educação Sexual , Comportamento do Adolescente , Saúde Reprodutiva , Brasil , Sexualidade , Saúde Sexual
13.
Med. infant ; 26(3): 262-266, sept. 2019. Tab
Artigo em Espanhol | LILACS | ID: biblio-1022768

RESUMO

Dentro de los daños intencionales en adolescentes, las autoagresiones se han convertido en los últimos años en un tema de interés clínico, social y público, en constante investigación. Una conducta autolesiva es toda conducta autodeliberada destinada a producir daño físico directo en el cuerpo, sin la intención de provocar la muerte. Objetivos: Describir los casos de pacientes con autoagresiones que fueron atendidos por el equipo de adolescencia (clínica pediátrica y salud mental) en el Hospital Garrahan desde el año 2015 al 2017. Diseño observacional, descriptivo y retrospectivo. Se incluyeron todos los adolescentes que fueron evaluados en conjunto por el servicio de adolescencia y salud mental. Resultados: Se atendieron 17 casos, rango de edad 12 a 16 años, 14 mujeres. Los motivos de consulta fueron variados, el principal mecanismo de autoagresión elegido fue cortes superficiales en antebrazo y piernas. La mayoría presentó como factor de riesgo principal conflictos familiares, coincidiendo con la bibliografía revisada. Un abordaje integral por personal capacitado en un servicio amigable es necesario para no perder la oportunidad de pesquisar estas situaciones. Así, mediante un trabajo interdisciplinario disminuir los riesgos que conllevan estas conductas (AU)


Within intentional harm in adolescents, over the last years selfinjury has become an issue of clinical, social, and public interest in ongoing research. Self-injurious behavior is all deliberate behavior aimed at producing direct physical harm to the body, without the intention to cause death. Objectives: To describe cases of patients with self-injurious behavior seen by the adolescents team (pediatrics and mental health) at Garrahan Hospital between 2015 and 2017. A retrospective, observational, descriptive study was conducted. All adolescents seen together by the Departments of Adolescence and Mental Health were included in the study. Results: 17 patients were evaluated, with ages ranging from 12 to 16 years; 14 were girls. Main complaints were varied. The main mechanism of self-injury were superficial cuts on the forearms and legs. The main risk factor in the majority of patients were family conflicts, as reported in the literature. A comprehensive approach by trained personnel from a friendly team is necessary so as not to lose the opportunity to screen this type of situations. An interdisciplinary approach may reduce the risks associated with these behaviors (AU)


Assuntos
Humanos , Adolescente , Ferimentos Penetrantes/psicologia , Comportamento do Adolescente , Comportamento Autodestrutivo/psicologia , Comportamento Autodestrutivo/epidemiologia , Centros de Atenção Terciária , Estudos Retrospectivos , Estudo Observacional
14.
Rev. Paul. Pediatr. (Ed. Port., Online) ; 37(3): 345-350, July-Sept. 2019. tab
Artigo em Inglês | LILACS | ID: biblio-1041332

RESUMO

ABSTRACT Objective: To identify the prevalence of physical inactivity in adolescent students in the city of Porto Velho, RO, Northern Brazil, and its associated factors. Methods: School-based study, conducted with 2,694 adolescents. The self-reported variable for outcome was physical inactivity. Factors associated with inactive behavior were verified by multiple logistic regression. The independent variables were inserted into the model in hierarchical blocks. Results: The overall prevalence of inactive behavior was 39.5%. Females showed a higher prevalence of physical inactivity (46.2%) than males (31.4%). Adolescents in private schools and with reports of negative health perception had a high prevalence of physical inactivity. Regarding associated factors, the female sex showed a magnitude of association of 1.84 with physical inactivity. Being in a private school was associated with a 2.54 times greater chance of physical inactivity compared to public school students. Going to school by bus, car or motorcycle was associated with a 1.29 and 1.63 higher chance of physical inactivity respectively. Adolescents who reported having a negative health perception had 1.29 higher chance of physical inactivity, while having excess body fat showed magnitude of association of 1.36 in adolescents. Conclusions: There was a high prevalence of physical inactivity in the studied adolescents. Considering that the behavior of physical inactivity adopted during adolescence may continue in adulthood, the promotion of actions that can change this behavior may improve health in the future as well as quality of life.


RESUMO Objetivo: Identificar a prevalência do comportamento inativo de estudantes adolescentes da cidade de Porto Velho, RO, Brasil, e os fatores associados a ele. Métodos: Estudo de base escolar realizado com 2.694 adolescentes. A variável autorreferida à exposição ao desfecho foi a inatividade física. Verificam-se os fatores associados ao comportamento inativo pela regressão logística múltipla. As variáveis independentes foram inseridas no modelo em blocos hierarquizados. Resultados: A prevalência geral de comportamento inativo foi de 39,5%. O sexo feminino mostrou maior prevalência de comportamento inativo (46,2%) do que o masculino (31,4%). Adolescentes em escolas particulares e com relatos de percepção de saúde negativa apresentaram alta prevalência de comportamento inativo. Na verificação dos fatores associados, o sexo feminino mostrou magnitude de associação de 1,84 com o comportamento inativo. Estar institucionalizado em escola particular mostrou 2,54 vezes mais chance de ter comportamento inativo em comparação aos estudantes das escolas públicas. A locomoção para escola por ônibus e carro ou motocicleta revelou magnitudes de associação com o comportamento inativo de 1,29 e 1,63, respectivamente. Adolescentes que apontaram a percepção de saúde negativa tiveram 1,29 mais chance de ter comportamento inativo em relação ao relato de saúde positiva, enquanto ter excesso de gordura corporal mostrou magnitude de associação de 1,36 em adolescentes. Conclusões: A prevalência de comportamento inativo foi alta em estudantes adolescentes. Considerando que o comportamento inativo adotado durante a adolescência pode permanecer nos anos posteriores, sugere-se a promoção de ações para a modificação de comportamento visando à melhoria da saúde e qualidade de vida.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adolescente , Estudantes/estatística & dados numéricos , Comportamento Sedentário , Obesidade Pediátrica/epidemiologia , Serviços de Saúde Escolar , Brasil/epidemiologia , Prevalência , Estudos Transversais , Comportamento do Adolescente/psicologia , Sistema de Vigilância de Fator de Risco Comportamental , Obesidade Pediátrica/etiologia , Obesidade Pediátrica/psicologia
15.
Rev. bras. ativ. fís. saúde ; 23: 1-9, fev.-ago. 2019. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1026299

RESUMO

O objetivo do estudo foi analisar as relações entre o envolvimento em diferentes atividades motoras, de acordo com a frequência de prática, e a percepção da qualidade de vida de adolescentes. Partici-param do estudo 773 adolescentes das escolas estaduais de Paranaguá (Paraná), com idade de 14 a 19 anos. Por meio de um questionário autoaplicável, foram coletadas informações sociodemográficas, a atividade motora (Physical Activity Questionnaire for Adolescents) e percepção da qualidade de vida (Pediatric Quality of Life Inventory™, versão 4.0). Adolescentes que praticavam futebol (p < 0,005), basquete (p < 0,005), lutas (p < 0,005), musculação (p < 0,001), tênis/tênis de mesa (p < 0,005), natação (p < 0,0005), voleibol (p < 0,005), ginástica na academia (p < 0,005) e andavam de bicicleta (p < 0,005) apresentaram percepção mais positiva de qualidade de vida em diferentes domínios. Os domínios da qualidade de vida com mais atividades motoras associadas foram "saúde e atividade" e "convívio com outras pessoas". Envolvimento em diversas atividades motoras associou-se a melhor percepção da qualidade de vida, diferindo-se conforme frequência. Adolescentes que praticavam uma ou duas vezes por semana o futebol, basquete, lutas, natação, corrida, tênis/tênis de mesa e mus-culação, também como, os que praticavam, de três ou mais vezes na semana, a caminhada, voleibol, fazer exercício em academias de ginástica, corrida e andavam de bicicleta apresentaram percepção mais positiva da qualidade de vida que os não praticantes


The aim of the study was to analyze the relationships between the involvement in different motor activities, according to the frequency of practice, and the perception of the quality of life of adolescents. A total of 773 adolescents from the state's schools of Paranagua (Paraná), aged 14 to 19, participated in the study. Using a self-administered questionnaire, was investigated sociodemographic information, motor activity (Physical Activity Questionnaire for Adolescents and perception of quality of life (Pediatric instrument Quality of Life Inventory ™ version 4.0. Adolescents was practiced soccer (p < 0.005), basketball (p < 0.005), fights (p < 0.005), bodybuilding (p< 0.001), tennis / table tennis (p < 0.005), swimming (p < 0.005), volleyball (p < 0.005), exercise in gymnasiums (p < 0.005) and cycling (p < 0.005) had a more positive perception of quality of life in different domains. The domains of quality of life with more associated motor activities were "health and activity" and "living with other people". Involvement in several motor activities was associated with a better perception of quality of life, differing according to frequency. Teenagers who practiced once or twice a week soccer, basketball, fights, swimming, running, tennis / table tennis and bodybuilding, as well as, practicing, three or more times a week, walking, volleyball, gymnastics, running and cycling had a more positive perception of quality of life than non-practitioners


Assuntos
Qualidade de Vida , Comportamento do Adolescente , Atividade Motora
16.
J. pediatr. (Rio J.) ; 95(4): 458-465, July-Aug. 2019. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS | ID: biblio-1040337

RESUMO

Abstract Objective: To evaluate the association between total physical activities, physical activity in free time and nutritional status with self-perceived health in adolescents of both genders. Methods: This is a quantitative study that integrates the school-based, cross-sectional epidemiological survey with statewide coverage, whose sample consisted of 6261 adolescents (14 -19 years old) selected by random conglomerate sampling. Data were collected using the Global School-based Student Health Survey. The chi-squared test (χ 2) and the Poisson regression model with robust variance were used in the data analyses. Results: It was observed that 27.3% of the adolescents had a negative health self-perception, which was higher among girls (33.0% vs. 19.0%, p < 0.001). After adjusting for potential confounding factors, it was observed that boys who did not practice physical activity during free time (PR = 1.44, 95% CI: 1.15 -1.81) and were classified as insufficiently active (PR = 1.27, 95% CI: 1.04 -1.56), as well as girls who did not practice physical activity during free time (PR = 1.15, 95% CI: 1.02 -1.29) and were classified as overweight (PR = 1.27, 95% CI: 1.01 -1.29) had a greater chance of negative health self-perception. Conclusion: Behavioral issues may have different effects on health self-perception when comparing boys with girls. Negative health self-perception was associated with nutritional status in girls and a lower level of physical activity in boys, and the practice of physical activity in the free time was considered a protective factor against a negative health self-perception for adolescents of both genders.


Resumo Objetivo: Avaliar a associação entre atividade física total, atividade física no tempo livre e estado nutricional com a autopercepção de saúde em adolescentes de ambos os sexos. Métodos: Trata-se de um estudo com abordagem quantitativa, que integra o levantamento epidemiológico transversal de base escolar e abrangência estadual, cuja amostra foi constituída por 6.261 adolescentes (14 a 19 anos) selecionados por meio de uma estratégia de amostragem aleatória de conglomerados. Os dados foram coletados a partir do questionário Global School-based Student Health Survey. O teste de qui-quadrado (χ2) e o modelo de regressão de Poisson com variância robusta foram usados nas análises dos dados. Resultados: Observou-se que 27,3% dos adolescentes tinham uma autopercepção de saúde negativa, maior entre as meninas (33,0% vs. 19,0%; p < 0,001). Após o ajuste pelos potenciais fatores de confusão, constatou-se que tinham maior chance de ter uma autopercepção de saúde negativa os meninos que não praticavam atividade física no tempo livre (RP = 1,44; IC 95%: 1,15-1,81) e que eram classificados como insuficientemente ativos (RP = 1,27; IC 95%: 1,04-1,56) e as meninas que não praticavam atividade física no tempo livre (RP = 1,15; IC 95%: 1,02-1,29) e que eram classificadas como sobrepesadas (RP = 1,27; IC 95%: 1,01-1,29). Conclusão: Questões comportamentais podem ter diferentes repercussões na autopercepção de saúde quando comparados os meninos e meninas. A autopercepção de saúde negativa esteve associada ao estado nutricional entre as meninas e a um menor nível de atividade física entre os meninos e a prática de atividade física no tempo livre foi tida como fator de proteção para uma autopercepção de saúde negativa para os adolescentes de ambos os sexos.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adolescente , Adulto , Adulto Jovem , Autoimagem , Exercício Físico , Nível de Saúde , Estado Nutricional , Instituições Acadêmicas , Fatores Socioeconômicos , Estudantes , Estudos Transversais , Inquéritos Epidemiológicos , Comportamento do Adolescente , Saúde do Adolescente
17.
J. pediatr. (Rio J.) ; 95(3): 334-341, May-June 2019. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS | ID: biblio-1012605

RESUMO

Abstract Objectives: Programs for parents have been found to have a direct positive impact on reducing the consumption of psychoactive substances by adolescents, as well as having an indirect impact on reducing risk factors and increasing protective factors. The present study aimed to verify if a telehealth prevention program based on a brief motivational intervention helps to reduce parental risk practices and increase parental protective practices for drug use in comparison with psychoeducation. Methods: A pilot randomized controlled trial was performed at the National Service of Guidance and Information on Drug Use (Ligue 132), from September 2014 to December 2015, with the parents of adolescents (n = 26). The outcome measures were parental style, risk, and protective parental practices. Results: The brief motivational intervention was found to be more effective than psychoeducation in reducing the negligent behavior of parents. Furthermore, when comparing pre‐ and post‐intervention data, the brief motivational intervention helped to change parental style and the large majority of parental practices: increasing positive monitoring, as well as decreasing physical abuse, relaxed discipline, inconsistent punishment, and negative monitoring. Conclusions: These results demonstrate that the telehealth intervention is effective in modifying the parental practices known to help in preventing drug use. Studies with more number of subjects are required so that the results can be substantiated and generalized.


Resumo Objetivos: Os programas para pais parecem ter um impacto positivo direto sobre a redução do consumo de substâncias psicoativas por adolescentes, bem como um impacto indireto sobre a redução dos fatores de risco e aumento dos fatores protetores. O presente estudo visou a verificar se um programa telessaúde de prevenção com base em uma intervenção breve motivacional ajuda a reduzir as práticas de risco dos pais e aumentar as práticas protetoras com relação ao uso de drogas, em comparação à psicoeducação. Métodos: Um ensaio piloto controlado randomizado foi feito no Serviço Nacional de Informações e Orientações sobre Drogas (Ligue 132), de setembro de 2014 a dezembro de 2015, com os pais de adolescentes (n = 26). As medições dos resultados foram o estilo dos pais e as práticas de risco e protetoras dos pais. Resultados: A intervenção breve motivacional parece ser mais eficaz do que a psicoeducação na redução dos comportamentos negligentes dos pais. Adicionalmente, quando comparada aos dados pré e pós-intervenção, a intervenção breve motivacional ajudou a mudar o estilo dos pais e a grande maioria das práticas dos pais: aumentou o monitoramento positivo e reduziu o abuso físico, disciplina permissiva, punição não condizente e monitoramento negativo. Conclusões: Esses resultados demonstram que a intervenção telessaúde é eficaz na mudança das práticas dos pais, conhecida por ajudar a prevenir o uso de drogas. Estudos com maior número de indivíduos são necessários para que os resultados possam ser comprovados e generalizados.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adolescente , Adulto , Pais/educação , Educação em Saúde/métodos , Comportamento do Adolescente/psicologia , Telemedicina/métodos , Transtornos Relacionados ao Uso de Substâncias/prevenção & controle , Pais/psicologia , Fatores Socioeconômicos , Estudos de Casos e Controles , Projetos Piloto , Transtornos Relacionados ao Uso de Substâncias/psicologia , Fatores de Proteção , Motivação
18.
J. Health NPEPS ; 4(1): 80-91, jan.-jun. 2019.
Artigo em Espanhol | LILACS | ID: biblio-999648

RESUMO

Objetivo: determinar la influencia del apoyo social percibido (apoyo de familia, amigos, pareja y proveedores de salud) para el sexo seguro en la resiliencia sexual. Método: estudio descriptivo correlacional, participaron 202 adolescentes mexicanos (136 mujeres y 66 hombres), entre 14 y 17 años (M = 15; DE = 0.663). Se aplicó una cédula de datos, la Escala Provisión Social y Escala de Resiliencia, ambas para sexo seguro. Resultados: los resultados indican que el apoyo de la familia, pareja y proveedores de salud influyen significativamente en la resiliencia sexual del adolescente, explicando el 33% de la varianza (F [4, 197] = 25.91, p < 0.001). Con respecto al apoyo de los amigos se encontró una influencia negativa y no significativa hacia la resiliencia sexual. Conclusión: estos resultados muestran que el apoyo de la familia, pareja y proveedores de salud son de los principales recursos con los que cuenta el adolescente para afrontar diversos cambios y situaciones relacionados a la sexualidad, lo que le permitirá tener una conducta resiliente.(AU)


Objective: to determine the influence of perceived social support (support from family, friends, partners and health providers) for safe sex in sexual resilience. Method: a correlational descriptive study involving 202 Mexican adolescents (136 women and 66 men), between 14 and 17 years old (M = 15, SD = 0.663). A data card was applied, Social Provision Scale for Safe Sex and Scale of Resilience for Safe Sex. Results: the results indicate that the support of the family, couple and health providers significantly influence the adolescent's sexual resilience, which explains the 33% variance (F [4, 197] = 25.91, p <0.001). With respect to the support of friends, a negative and not significant influence towards sexual resilience was found. Conclusion: these results show that the support of the family, couple and health providers are the main resources available to the adolescent to face various changes and situations related to sexuality, which will allow him to have a resilient behavior.(AU)


Objetivo: determinar a influência do apoio social percebido (apoio da família, amigos, parceiros e provedores de saúde) para o sexo seguro na resiliência sexual. Método: estudo descritivo correlacional, envolvendo 202 adolescentes mexicanos (136 mulheres e 66 homens), entre 14 e 17 anos de idade (M = 15, DP = 0,663). Foi aplicado um cartão de dados, Escala de Provisão Social para Sexo Seguro e Escala de Resiliência para Sexo Seguro. Resultados: os resultados indicam que os grupos de apoio da família e os prestadores de saúde influenciam significativamente a resistência sexual adolescente, correspondendo a 33% da variância (F [4, 197] = 25,91, p <0,001). Com relação ao apoio de amigos, foi encontrada uma influência negativa e não significativa em relação à resiliência sexual. Conclusão: estes resultados mostram que o apoio da familia, cônjuge e prestadores de cuidados de saúde são os principais recursos que o adolescente possui para enfrentar várias mudanças e situações relacionadas com a sexualidade, o que lhe permitirá ter um comportamento resiliente.(AU)


Assuntos
Humanos , Adolescente , Comportamento Sexual/psicologia , Relações Familiares/psicologia , Resiliência Psicológica , Epidemiologia Descritiva , Comportamento do Adolescente/psicologia
19.
Femina ; 47(4): 198-205, 20190430. ilus
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1103056

RESUMO

A sexualidade é um conceito multidimensional e compreende vários aspectos incluindo o amor, as relações interpessoais, o comportamento, as relações sexuais, o afeto, entre outros. O sexo é apenas um aspecto da sexualidade. A construção da sexualidade de uma pessoa inicia mesmo antes de ela nascer, com as expectativas dos pais sobre o que será a criança, e vai influenciar na construção da sexualidade desde a infância até a adolescência. Nesse processo, tem também grande relevância o período em que a criança e a adolescente vive na escola, que irá influenciar a construção do comportamento social e sexual da pessoa. A contribuição positiva dos pais e do ambiente escolar é fundamental para a prevenção das relações sexuais desprotegidas com múltiplos parceiros e iniciação sexual sem método anticoncepcional, que tem como consequência as infecções sexualmente transmissíveis e a gravidez não planejada/indesejada. Os programas de educação sexual nas escolas e a intervenção oportuna do Ginecologista e Obstetra (GO) são fundamentais e efetivos para a promoção da saúde sexual das adolescentes.(AU)


Assuntos
Humanos , Feminino , Criança , Adolescente , Papel do Médico , Comportamento do Adolescente , Sexualidade , Saúde do Adolescente , Desenvolvimento do Adolescente , Saúde Sexual , Política Pública , Educação Sexual , Bases de Dados Bibliográficas
20.
Ágora (Rio J. Online) ; 22(1): 51-62, jan.-abr. 2019.
Artigo em Português | LILACS, Index Psicologia - Periódicos técnico-científicos | ID: biblio-986227

RESUMO

RESUMO: Este artigo apresenta um exame da proposição de Lacan (1962-1963/2005) sobre a relação entre a maturação do objeto a na puberdade e a efetiva assimilação do conceito. Mesmo que pouco elaborada na conjuntura teórica em que aparece, essa formulação é de grande importância por permitir conceber a função essencial do pensamento lógico na adolescência. Para compreender essa função, investigamos o contexto teórico em que essa conexão é proposta e rastreamos a relação entre conceito e objeto na obra desse autor. Esse percurso nos leva a constatar a originalidade e a relevância dessa assertiva lacaniana para a abordagem da adolescência.


Abstract: This article presents an examination of Lacan's proposition on the relationship between the maturation of the object a at puberty and the actual assimilation of the concept. Although it is not elaborated in the theoretical conjuncture in which it appears, this formulation is of great importance because it allows us to conceive the essential function of logical thinking in adolescence. To understand this function, we investigate the theoretical context in which this connection is proposed and trace the relationship between concept and object in the author's work. This path leads us to note the originality and relevance of this Lacanian assertion for approaching adolescence.


Assuntos
Humanos , Adolescente , Puberdade , Comportamento do Adolescente , Apego ao Objeto
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA