Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 20 de 72
Filtrar
Mais filtros










Filtros aplicados

Intervalo de ano de publicação
1.
Acta colomb. psicol ; 21(1): 217-248, Jan.-June 2018. tab, graf
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-886326

RESUMO

Resumo A preparação infantil para a cirurgia é foco de atenção da equipe de saúde pelo potencial traumático dos procedimentos cirúrgicos e por ser fonte de estresse e ansiedade na infância. O impacto de três preparações psicológicas pré-cirúrgicas sobre o estresse e a ansiedade de crianças submetidas a cirurgias eletivas foi avaliado. A amostra foi composta por 80 crianças de um hospital infantil, a qual foi dividida em dois blocos de 40 sujeitos de acordo com o sexo e alocados aleatoriamente num dos quatro grupos: controle, preparação por informações verbais, preparação por jogo com kit de preparação ou preparação por vídeo informativo. O estresse e a ansiedade foram mensurados por meio da Escala de Stress Infantil (ESI) e do Inventário de Ansiedade Traço-Estado (Idate-c). A intervenção foi implementada em três etapas distintas: (a) aplicação da ESI e do Idate-c antes da preparação, no dia anterior a cirurgia; (b) a preparação propriamente dita nos grupos submetidos aos diferentes programas de preparação, também no dia anterior, e (C) a reaplicação da ESI e do Idate-c no dia da cirurgia. Os dados foram analisados por meio de equações de regressão simultâneas, e as estimativas são apresentadas em termos de diferença média padronizada e erro-padrão. Os resultados permitem inferir que a preparação com o vídeo reduziu o estresse (Tvídeo1= -38 ± .18) e a ansiedade (Tvídeo2 = - .54 ± .27), especialmente entre os meninos (TvídeoM1 = - .66 ± .25; TvídeoM2 = - .71 ± .38). Implicações práticas para a preparação psicológica das crianças em situação pré-cirúrgica e limitações da pesquisa são discutidas.


Resumen La preparación infantil para una cirugía es el centro de atención del equipo de salud debido al potencial traumático de los procedimientos quirúrgicos y debido a que es una fuente de estrés y ansiedad en la infancia. En la presente investigación se evaluó el impacto de tres formas de preparación psicológica prequirúrgica ante el estrés y la ansiedad de los niños sometidos a cirugía electiva. La muestra estuvo constituida por 80 niños de un hospital infantil, divididos en dos bloques de 40 sujetos según el sexo, y asignados al azar a uno de cuatro grupos: control, preparación a través de información verbal, preparación a través de juego con el kit de preparación, o preparación a través de video informativo. Se utilizó la Escala de Estrés Infantil (ESI) y el Inventario Ansiedad Estado-Rasgo para niños (STAIC) para medir el estrés y la ansiedad de los niños. La intervención se llevó a cabo en tres etapas distintas: (a) aplicación del ESI y el STAIC antes de la preparación, el día anterior a la cirugía; (b) preparación propiamente dicha en los grupos de los diferentes programas de preparación el día anterior; y (C) reaplicación del ESI-C y el STAIC el día de la cirugía. El análisis de los datos se hizo mediante ecuaciones de regresión simultáneas y las estimaciones se presentan por medio de la diferencia entre medias estandarizada y de la desviación estándar. Los resultados permiten inferir que la preparación con video redujo el estrés (Tvideo1 = -.38 ± .18) y la ansiedad (Tvideo2 = -.54 ± .27), especialmente en los niños (TvideoMl = -.66 ± .25; TvideoM2 = -.71 ± .38). Al final se discuten las implicaciones prácticas para la preparación psicológica de los niños en situación prequirúrgica y las limitaciones de la investigación.


Abstract Child preparation for surgery is a focus of attention of health teams due to the traumatic potential of surgical procedures and for being a source of stress and anxiety in childhood. The impact of three pre-surgical psychological preparations on stress and anxiety of children undergoing elective surgery were evaluated. The sample consisted of 80 children from a children's hospital, divided into two blocks of 40 subjects according to gender and randomly assigned to one of four groups: control, preparation by verbal information, preparation by game and preparation kit or preparation by informational video. Stress and anxiety were measured using the Escala de Stress Infantil (ESI) (Child Stress Scale) and the State-Trait Anxiety Inventory for Children (STAIC). The intervention was implemented in three distinct stages: a) application of ESI and STAIC before preparation, the day before surgery; b) actual preparation, in groups submitted to different preparation programs, also on the previous day; and c) reapplication of ESI and STAIC on the day of surgery. Data were analyzed using simultaneous regression equations, and estimates are presented in terms of standardized mean difference and standard error. Results allow to infer that preparation by video reduced stress (Tvideo1 = -0.38±0.18) and anxiety (Tvideo2 = -0.54±0.27), especially among boys (TvideoM1 = -0.66±0.25; TvideoM2 = -0.71±0.38). Practical implications for the psychological preparation of children in pre-surgical situations and the limitations of this study are discussed.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Criança , Cirurgia Geral , Escalas de Preparação , Transtornos de Estresse Traumático
3.
Rev Rene (Online) ; 19: e33087, jan. - dez. 2018.
Artigo em Português | LILACS, BDENF - Enfermagem | ID: biblio-979713

RESUMO

Objetivo: compreender as estratégias de confronto utilizadas pelos enfermeiros para lidar com a morte inesperada em pediatria. Métodos: pesquisa qualitativa com seis profissionais de enfermagem que trabalham em serviços de urgência e cuidados intensivos pediátricos. Procedeu-se a analise de conteúdo. Resultados: dos dados emergiram dois grupos: Estratégias centradas na avaliação da situação em que os profissionais tentam, através de processos racionais, compreender e aceitar a morte inesperada; estratégias centradas na gestão emocional, em que é reconhecido o sofrimento resultante do confronto com a morte inesperada, procurando estratégias de melhor gestão desse confronto. Conclusão: os profissionais sofrem e procuram mecanismos de confronto para gerir o processo de luto com a morte inesperada de criança/adolescente.


Assuntos
Humanos , Criança , Adolescente , Enfermagem Pediátrica , Morte , Transtornos de Estresse Traumático
4.
Rev. Bras. Psicoter. (Online) ; 20(1): 81-94, 2018.
Artigo em Português | LILACS, Index Psicologia - Periódicos técnico-científicos | ID: biblio-1051219

RESUMO

As técnicas de exposição foram as mais desenvolvidas no estudo do tratamento do Transtorno de Estresse Pós-Traumático nos últimos anos. Porém, exposições ao vivo e através da imaginação apresentam importantes limitações, como a impossibilidade de expor o indivíduo a determinados eventos, dificuldade de acesso emocional às memórias traumáticas e importantes taxas de desistência durante o tratamento. A Terapia de Exposição Virtual tem se mostrado eficaz no tratamento do Transtorno de Estresse Pós-Traumático, mas apresenta desafios para sua operacionalização. Esta revisão se propôs a avaliar as vantagens e desvantagens do uso da Terapia de Exposição Virtual para o Transtorno de Estresse Pós-Traumático. Foram encontradas vantagens em relação à motivação para o tratamento, capacidade de engajamento emocional e controle do terapeuta sobre os estímulos associados ao trauma.Os custos e a necessidade de especialistas em programação são desvantagens importantes. São encontradas também contra indicações médicas e psiquiátricas.Os avanços tecnológicos têm diminuído desvantagens facilitando o uso e a criação de novos cenários virtuais, porém,sem eliminá-las por completo. (AU)


Exposure procedures were the most developed techniques in the study of treatments for Posttraumatic Stress Disorder in recent years. Nonetheless, imaginary and in vivo exposures present important limitations, such as the impossibility of exposing individuals to certain type of events, the difficulty in accessing emotions related to the traumatic memories and elevated dropoutrates during treatment. The Virtual Exposure Therapy has proven to be effective in the Posttraumatic Stress Disorder treatment, however there are challenges to its implementation. This review aims at evaluating the advantages and disadvantages of the use of Virtual Exposure Therapy in the treatment of Posttraumatic Stress Disorder. Results lead to conclusions that Virtual Exposure Therapy has advantagesregarding motivation fortreatment, emotional engagement, and therapist's control over the stimuli associated to the trauma. The costs and the need for programming experts are major disadvantages. There are also medical and psychiatric contraindications. Technological advances facilitate the use and creation of new virtual scenarios, reducing the disadvantages but without eliminating them. (AU)


Assuntos
Terapia Cognitivo-Comportamental , Transtornos de Estresse Traumático
5.
Rev. bras. ciênc. saúde ; v.21(n.4): 307-312, 2017. ilus
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1006860

RESUMO

Objetivo: Avaliar o nível de estresse em alunos do quarto (último) ano de graduação, na fase de elaboração do Trabalho de Conclusão de Curso. Material e Métodos: Foram incluídos 51 alunos dos cursos de Graduação em Fisioterapia, Biologia e Sistemas de Informação de uma universidade de São Paulo - SP, que foram avaliados por meio de questionário de coleta de dados e pelo Inventário para Sintomas de Estresse em Adultos de Lipp. Resultados: Observou-se que o grupo Fisioterapia referiu com maior frequência (n= 10, 76,9%) que tem que fazer as atividades com muita rapidez e 69,2% (n= 9) do mesmo grupo afirmou que o trabalho exige frequentemente habilidades ou conhecimentos especializados (p = 0,002 e p = 0,02, respectivamente, Teste de Kruskal-Wallis). O grupo Biologia pareceu ter o pior relacionamento com os chefes e o melhor com os colegas e também referiu o maior número de sintomas associados ao estresse em 24 horas, uma semana e um mês (p < 0,0001, p < 0,0001 e p = 0,009, respectivamente, Teste de KruskalWallis). Conclusão: O grupo Sistemas de Informação apresentou menor número de sintomas associados ao estresse, sugerindo maior adaptabilidade às exigências e problemas do dia-a-dia por esse grupo, comparado à Fisioterapia e Biologia.(AU)


Objective: To evaluate the level of stress among fourthyear undergraduate students in preparation of their course term projects. Materials and Methods: 51 students of Physiotherapy, Biology and Information Systems from a university in São Paulo were included. The student were evaluated using a questionnaire and the Lipp's Stress Symptoms Inventory for adults. Results: The Physiotherapy group reported most frequently having to do the activities very quickly (n= 10, 76.9%). Of these, 69.2% (n=9) reported that the work often requires skill or specialized knowledge (p=0.002 and p=0.02, respectively, Kruskal-Wallis Test). The Biology group seemed to have the worst relationship with the bosses and the best with colleagues and also reported the highest number of symptoms associated with stress in 24 hours, one week and one month (p<0.0001, p<0.0001 and p=0.009 respectively, Kruskal-Wallis Test). Conclusion: The Information Systems group presented a lower number of symptoms related to stress, suggesting more adaptability to the demands and day-by-day problems as compared to Physiotherapy and Biology.(AU)


Assuntos
Humanos , Masculino , Adulto , Esgotamento Profissional , Transtornos de Estresse Traumático , Estudantes , Universidades , Monografia
6.
Trends psychiatry psychother. (Impr.) ; 38(1): 23-32, Jan.-Mar. 2016. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS | ID: lil-779106

RESUMO

Objective To investigate the validity and reliability of a multi-informant approach to measuring child maltreatment (CM) comprising seven questions assessing CM administered to children and their parents in a large community sample. Methods Our sample comprised 2,512 children aged 6 to 12 years and their parents. Child maltreatment (CM) was assessed with three questions answered by the children and four answered by their parents, covering physical abuse, physical neglect, emotional abuse and sexual abuse. Confirmatory factor analysis was used to compare the fit indices of different models. Convergent and divergent validity were tested using parent-report and teacher-report scores on the Strengths and Difficulties Questionnaire. Discriminant validity was investigated using the Development and Well-Being Assessment to divide subjects into five diagnostic groups: typically developing controls (n = 1,880), fear disorders (n = 108), distress disorders (n = 76), attention deficit hyperactivity disorder (n = 143) and oppositional defiant disorder/conduct disorder (n = 56). Results A higher-order model with one higher-order factor (child maltreatment) encompassing two lower-order factors (child report and parent report) exhibited the best fit to the data and this model's reliability results were acceptable. As expected, child maltreatment was positively associated with measures of psychopathology and negatively associated with prosocial measures. All diagnostic category groups had higher levels of overall child maltreatment than typically developing children. Conclusions We found evidence for the validity and reliability of this brief measure of child maltreatment using data from a large survey combining information from parents and their children.


Objetivo Investigar a validade e confiabilidade de uma abordagem de múltiplos informantes para a mensuração de maus-tratos na infância, composta por sete questões avaliando maus-tratos na infância respondidas pelas crianças e seus pais em uma ampla amostra comunitária. Métodos A amostra foi composta por 2.512 crianças com idades entre 6 e 12 anos e seus pais. Maus-tratos na infância foram avaliados com três questões respondidas pelas crianças e quatro respondidas pelos seus pais, investigando violência física, negligência física, violência emocional e violência sexual. Análises fatoriais confirmatórias foram utilizadas para comparar os índices de ajuste de diferentes modelos. Validade convergente e divergente foi testada utilizando escores de relato parental e de relato dos professores no Strengths and Difficulties Questionnaire. Validade discriminante foi investigada utilizando a entrevista Development and Well-Being Assessment para dividir os participantes em cinco grupos diagnósticos: controles com desenvolvimento típico (n = 1.880), transtornos do medo (n = 108), transtornos do estresse (n = 76), transtorno de déficit de atenção-hiperatividade (n = 143) e transtorno opositivo-desafiador/conduta (n = 56). Resultados Um modelo de segunda ordem com um fator de segunda ordem (maus-tratos na infância) englobando dois fatores de primeira ordem (relato da criança e relato parental) demonstrou o melhor ajuste aos dados, e os resultados de confiabilidade desse modelo foram aceitáveis. Como esperado, maus-tratos na infância estiveram positivamente associados a medidas de psicopatologia e negativamente associados a medidas pró-sociais. Todos os grupos de categorias diagnósticas tiveram níveis mais altos de maus-tratos na infância do que as crianças com desenvolvimento típico. Conclusões Foram encontradas evidências de validade e confiabilidade dessa medida breve de maus-tratos na infância utilizando dados de um grande levantamento combinando o relato de pais e seus filhos.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Criança , Maus-Tratos Infantis/diagnóstico , Transtornos de Ansiedade/diagnóstico , Pais , Instituições Acadêmicas , Transtorno do Deficit de Atenção com Hiperatividade/diagnóstico , Brasil , Inquéritos e Questionários , Reprodutibilidade dos Testes , Interpretação Estatística de Dados , Análise Fatorial , Transtorno da Conduta/diagnóstico , Transtornos de Estresse Traumático/diagnóstico
7.
Arq. bras. med. vet. zootec ; 68(1): 136-140, jan.-fev. 2016. graf
Artigo em Inglês | LILACS | ID: lil-771867

RESUMO

In wild animals, containment is the moment of greatest stress caused by the investigator to the animal due to its natural resistance to the moment of capture, handling, containment and transport, attitudes frankly contrary to his nature. In birds, the restraint must meet certain criteria in order to control the animal's movements, avoiding trauma at the same time that you need to keep your breathing amplitude. The high risk of death during the restraint of these animals raised the need to design a device, from bottles of poly ethylene terephthalate (PET), for containing parrots-browed Amazon (Amazona rhodocorytha), a parrot endemic to the Atlantic Forest in southeastern Brazil, and endangered with extinction, which allowed the observation of respiration, the reduction of handling time of birds for collection of biological material, and consequent reduction of stress and risk of death during the evaluation of several biological data and health of the bird. The PET bottle container can be used as a model for any bird, provided it suits the size of the animal.


Em animais silvestres, a contenção é o momento de maior estresse promovido pelo pesquisador ao animal, devido à resistência natural ao momento da captura, ao manuseio, à contenção e ao transporte, atitudes francamente contrárias à sua índole. Em aves, a contenção deve obedecer a alguns critérios, com o objetivo de controlar os movimentos do animal, evitando traumas, ao mesmo tempo em que é preciso manter sua amplitude respiratória. O alto risco de morte, durante a contenção desses animais, suscitou a concepção de um dispositivo, proveniente de garrafas de politereftalato de etileno (PET), para a contenção de papagaios-chauá (Amazona rhodocorytha), psitacídeo endêmico da Mata Atlântica, na região Sudeste do Brasil, e ameaçado de extinção. Esse dispositivo permitiu a observação dos movimentos respiratórios, a diminuição do tempo de manuseio das aves, para coleta de materiais biológicos, e a consequente redução do estresse e dos riscos de morte, durante a avaliação de diversos dados biológicos e sanitários dessa ave. Tal contenção pode ser utilizada como modelo para qualquer outra ave, desde que se adapte o tamanho do animal, ao recipiente de garrafa PET.


Assuntos
Animais , Amazona , Plásticos , Meio Selvagem , Aves , Transtornos de Estresse Traumático
8.
J. psicanal ; 48(88): 237-254, dez. 2015.
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-765848

RESUMO

Em forma de diálogo, a autora apresenta o conceito de trauma como acontecimento que bloqueia, em algum ponto, o processo de simbolização. Este pode ser cumulativo ou consequência do "susto" - condição em que o sujeito não teve como antecipar o perigo para se defender. Diferencia dois níveis qualitativamente distintos nesse processo: a simbolização primária e a secundária. Desenvolve a ideia de que a situação traumática no vínculo primário não gera a libido necessária para promover ligações psíquicas e para o investimento positivo da função simbolizante; ao contrário, obriga o psiquismo em formação a um funcionamento defensivo e evacuatório (antissimbolizante). Finaliza com duas situações clínicas que ilustram dois modos distintos de retorno do traumático em análise, bem como a retomada do processo de simbolização no seio da situação transferencial...


Using a dialogue format, the author presents the concept of trauma as an event that blocks the process of symbolization at some point. This event may be cumulative, or a effect of "scare" - a condition in which the subject could not anticipate danger in order to defend himself. The author distinguishes two qualitatively different levels in this process: the primary and the secondary symbolization. She develops the idea that, in the primary bond, a traumatic situation does not generate the necessary libido to promote psychic connections, or the necessary libido for the positive investment of the symbolizing function; otherwise, the traumatic situation forces the developing psyche to act in a defensive, evacuant mode (a nonsymbolizing mode). In the end of this paper, the author brings two clinical situations that illustrate two different ways of bringing back the traumatic event in analysis, as well as the resumption of the symbolization process in the core of a transference situation...


En forma de diálogo, la autora introduce el concepto de trauma como un acontecimiento que bloquea en algún punto el proceso de simbolización. El mismo puede ser acumulativo o consecuencia del "terror" - condición en la que el yo no pudo anticipar el peligro para defenderse. Distingue dos niveles cualitativamente distintos en este proceso, la simbolización primaria y secundaria. Desarrolla la idea de que la situación traumática en el vínculo primario no genera la libido necesaria para promover ligaciones psíquicas y la investidura positiva de la función simbolizante. Al contrario, la psique desarrolla un funcionamiento defensivo y evacuativo, anti-simbolizante. Finaliza con dos situaciones clínicas que ilustran dos modos distintos del retorno de lo traumático en análisis, así como la reanudación del proceso de simbolización en la situación transferencial...


Assuntos
Humanos , Transtornos de Estresse Traumático/psicologia
9.
Rev. bras. psiquiatr ; 37(3): 203-210, July-Sept. 2015. tab, ilus
Artigo em Inglês | LILACS | ID: lil-759434

RESUMO

Objective:To explore the relationship between individual and co-occurring childhood sexual, physical, and verbal abuse, prenatal depressive (PDS) and anxiety symptoms (PAS), and history of suicidal behavior (HSB) among Mexican pregnant women at risk of depression.Methods:A sample of 357 women screened for PDS was interviewed using the Childhood Experience of Care and Abuse Questionnaire (CECA-Q), the Beck Depression Inventory (BDI-II), the anxiety subscale of the Hopkins Symptoms Checklist (SCL-90), and specific questions on verbal abuse and HSB.Results:Logistic regression analyses showed that women who had experienced childhood sexual abuse (CSA) were 2.60 times more likely to develop PDS, 2.58 times more likely to develop PAS, and 3.71 times more likely to have HSB. Childhood physical abuse (CPA) increased the risk of PAS (odds ratio [OR] = 2.51) and HSB (OR = 2.62), while childhood verbal abuse (CVA) increased PDS (OR = 1.92). Experiencing multiple abuses increased the risk of PDS (OR = 3.01), PAS (OR = 3.73), and HSB (OR = 13.73).Conclusions:Childhood sexual, physical, and verbal abuse, especially when they co-occur, have an impact on PDS and PAS and lifetime HSB. These findings suggest that pregnant women at risk for depression should also be screened for trauma as a risk factor for perinatal psychopathology.


Assuntos
Adulto , Feminino , Humanos , Gravidez , Adulto Jovem , Sobreviventes Adultos de Maus-Tratos Infantis/psicologia , Transtornos de Ansiedade/etiologia , Transtorno Depressivo/etiologia , Complicações na Gravidez/psicologia , Gestantes/psicologia , Ideação Suicida , Tentativa de Suicídio , Transtornos de Ansiedade/psicologia , Transtorno Depressivo/psicologia , México , Escalas de Graduação Psiquiátrica , Diagnóstico Pré-Natal/psicologia , Risco , Inquéritos e Questionários , Transtornos de Estresse Traumático/etiologia , Transtornos de Estresse Traumático/psicologia , Escala de Ansiedade Frente a Teste
10.
Cogitare enferm ; 20(2): 358-365, Abr-Jul. 2015.
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1269

RESUMO

The aim of this study was to identify signs of stress in puerperal women arising from the coping process of gestation of a fetus with a congenital anomaly. This was a cross-sectional study developed at the fetal medicine outpatient clinic of the Federal University of São Paulo between January and April 2014. Two data collection instruments were used for this study: a questionnaire on sociodemographic identification and reproductive history, and the Revised Impact of Event Scale, which were applied to 24 puerperal women. Signs of stress were identified in 62.5% of the study subjects; of these, 41.7% gestated a non-viable fetus. In regard to the gestational period of diagnosis of the fetus, 75% of the women received diagnosis in the second trimester of pregnancy, and of the total number of subjects, 37.5% presented high likelihood of having post-traumatic stress disorder. Thus, early diagnosis enables higher quality care to pregnant women/couples/families, thereby encouraging postpartum development with less stress (AU).


Este estudo teve por finalidade identificar em puérperas, sinais de estresse decorrentes do processo de enfrentamento da gestação de um feto portador de anomalia congênita. Trata-se de um estudo transversal, realizado no ambulatório de medicina fetal da Universidade Federal de São Paulo, entre janeiro e abril de 2014. Para este estudo foram utilizados dois instrumentos de coleta de dados: um formulário de identificação sociodemográfica e de antecedentes reprodutivos e a Escala do Impacto do Evento- Revisada, aplicados a 24 puérperas. Foram identificados sinais de estresse em 62,5% das puérperas estudadas, sendo que destas, 41,7% gestaram fetos inviáveis. Quanto ao período gestacional do diagnóstico fetal, verificou-se que 75% das mulheres o receberam no 2º trimestre de gestação e do total, 37,5% apresentaram alta probabilidade de ter transtorno de estresse pós-traumático. Assim, podemos supor que o diagnóstico precoce permite assistência de maior qualidade a gestante/casal/família, favorecendo evolução pós-parto com menor estresse (AU).


Este estudo tuvo por finalidad identificar en puérperas señales de estrés decurrientes del proceso de afrontamiento de la gestación de un feto portador de anomalía congénita. Es un estudio transversal, realizado en el ambulatorio de medicina fetal de Universidad Federal de São Paulo, entre enero y abril de 2014. Para el estudio fueron utilizados dos instrumentos para recoger datos: un formulario de identificación sociodemográfica y de antecedentes reproductivos y la Escala del Impacto de Evento- Revisada, aplicados a 24 puérperas. Fueron identificados señales de estrés en 62,5% de las puérperas estudiadas, siendo que de estas, 41,7% gestaron fetos inviables. Acerca del periodo gestacional del diagnóstico fetal, se verificó que 75% de las mujeres lo tuvieron en el segundo trimestre de gestación y del total, 37,5% presentaron alta probabilidad de tener trastorno de estrés postraumático. Así, es posible suponer que el diagnóstico precoz permite asistencia de mayor cualidad a gestante/pareja/familia, favorecendo evolución posparto con menos estrés (AU).


Assuntos
Humanos , Anormalidades Congênitas , Enfermagem Materno-Infantil , Período Pós-Parto , Transtornos de Estresse Traumático
11.
Estud. psicol. (Campinas) ; 32(2): 269-279, Apr-Jun/2015. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-745901

RESUMO

A Teoria Motivacional do Coping é uma proposta desenvolvimentista recente de análise do enfrentamento do estresse relacionada à abordagem do coping como ação regulatória. Qualquer evento pode ser percebido como estressante na medida em que desafie ou ameace as necessidades psicológicas básicas de relacionamento, competência e autonomia. Essa teoria propõe um sistema de análise a partir da organização das estratégias de enfrentamento em 12 categorias, segundo seu provável desfecho adaptativo: (a) positivo: autoconfiança, busca de suporte, resolução de problemas, busca de informações, acomodação e negociação; e (b) negativo: delegação, isolamento, desamparo, fuga, submissão e oposição. A utilização desse sistema na análise do coping infantil permite identificar padrões de enfrentamento relacionados à idade, bem como possibilita avaliar o papel das mudanças desenvolvimentais no uso de determinadas estratégias, contribuindo, assim, para a análise da evolução do coping ao longo da infância.


Coping Motivational Theory is a recent developmental research designed to analyze the coping with stress related to the coping approach as a regulatory action. Any event may be perceived as stressful as it challenges or threatens the basic psychological needs of relationships, competence and autonomy. This theory proposes an analysis system based on the organization of coping strategies into 12 categories according to their probable adaptation outcome: (a) positive: self-confidence, search for support, problem resolution, search for information, accommodation and negotiation; and (b) negative: delegation, isolation, hopelessness, escape, submission and opposition. The use of this system in the analysis of children's coping allows us to identify patterns of coping related to age, as well as to evaluate the role of developmental changes in the use of specific strategies, thus contributing to the analysis of the evolution of coping throughout childhood.


Assuntos
Conflito Psicológico , Saúde Mental , Transtornos de Estresse Traumático
12.
Gerais (Univ. Fed. Juiz Fora) ; 8(1): 3-18, jun. 2015. Ilus
Artigo em Português | LILACS, Index Psicologia - Periódicos técnico-científicos | ID: biblio-882874

RESUMO

Mães de recém-nascidos de risco podem apresentar estresse e depressão, interferindo na qualidade da interação com o bebê e em suas estratégias de enfrentamento. Foram avaliados os estados emocionais e estratégias de enfrentamento de 13 mães de bebês pré-termo e baixo peso de um programa de follow-up de recém-nascidos de risco em um hospital público de Vitória, pelos instrumentos: Inventários de Sintomas de Stress para Adultos de Lipp, Inventário de Depressão de Beck e Escala Modos de Enfrentamento de Problemas. Os bebês foram avaliados pela Escala Bayley-III. Realizou-se análise estatística descritiva dos dados. Verificou-se a presença de estresse (61,5%) e depressão (46,2%), com estratégias de enfrentamento focalizadas no problema (M = 3,70) e busca de religiosidade (M = 2,21). O desenvolvimento dos bebês estava dentro dos padrões de normalidade. Fatores contextuais relativos ao estressor devem ser considerados para que propostas de intervenção sejam dirigidas à proteção do desenvolvimento da díade


Mothers of newborns at risk may show emotional states of stress and depression, affecting the quality of interaction with the baby and their coping strategies. The emotional states and coping strategies of 13 mothers of preterm and low birth weight babies in a follow-up program of infants at risk in a public hospital in Vitoria were assessed by the instruments: Lipp´s Inventory of Stress Symptoms for Adults (ISSL), Beck Depression Inventory (BDI) and Ways of Coping with Problems Scale (EMEP). All the babies were assessed by the Bayle-III Scales (Screening Test). A descriptive statistical analysis data was performed. Findings were maternal stress indicators (61,5%) and depression (46,2%), with problem focused coping strategies (M = 3,70) and religion finding support (M = 2,21). The babies' development was considered normal. Contextual factors related to the stressor must be considered so that proposed interventions are targeted to protect dyad development


Assuntos
Humanos , Recém-Nascido , Recém-Nascido de Baixo Peso/psicologia , Recém-Nascido Prematuro/psicologia , Adaptação Psicológica , Transtornos de Estresse Traumático/psicologia , Depressão , Mães/psicologia
13.
Rev. baiana saúde pública ; 39(1)jan.-mar. 2015.
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-764915

RESUMO

Os aspectos psicossociais referem-se a elementos do ambiente organizacional que são influenciados pelas características individuais ao serem vivenciados pelos trabalhadores, estão relacionados também ao macro contexto histórico e social de cada pessoa, em que o estresse é elemento-chave referente a esses aspectos. O estudo objetivou analisar a prevalência da Síndrome de Burnout (SB), segundo os aspectos psicossociais, sociodemográficos e laborais de trabalhadores de enfermagem intensivistas. Estudo seccional, realizado com 130 profissionais, com aplicação de questionário autopreenchido, contendo: a versão resumida do Job Stress Scale, para aferir o estresse; Maslach Burnout Inventory, para mensurar a SB; e Self Reporting Questionnaire, para medir Transtornos Mentais Comuns (TMC). Foram realizadas análises univariadas e bivariadas, segundo modelo demanda-controle, com nível de significância de 5%. A revisão realizada no primeiro artigo identificou que o Burnout está relacionado a fatores organizacionais, pessoais, individuais e aos inerentes à profissão. As repercussões envolvem as esferas físicas, psíquicas, emocionais, organizacionais e familiares. No segundo artigo, discorreu-se quanto às dimensões de estresse, em que 30,8% encontravam-se em alta exigência; 24,6%, em trabalho ativo; 20,8%, em trabalho passivo; e 23,8%, em baixa exigência. O apoio social revelou que 53,1% dos trabalhadores estavam abaixo da mediana. Aqueles em trabalho ativo apresentavam-se acima desse valor (p=0,027). A prevalência de SB foi de 55,3%, sendo que 72,5% estavam em alta exigência(p=0,006). A prevalência de TMC foi de 27,7%. Os fatores referidos como estressores em UTI foram: carga horária, relacionamento interpessoal profissional, relacionamento com a chefia e déficit de pessoal. No terceiro artigo, foi observado que 80,6% da prevalência de TMC estavam associados à SB (<0,0001). Após análise multivariada, foi constatado caráter protetor para SB nas dimensões intermediárias de estresse: trabalho ativo, OR=0,26 (IC95% 0,09?0,69); e trabalho passivo, OR=0,22 (IC95% 0,07?0,63), com modelo ajustado para sexo, idade, escolaridade, carga horária semanal, renda e pensamento no trabalho durante as folgas. No quarto artigo, refletiu-se que os aspectos políticos, institucionais e de qualidade de vida devem receber destaque, pois o estresse é algo que transcende o aspecto individual e possui grande impacto na qualidade do serviço, na instituição e na sociedade. A construção de uma rede nacional de negociação junto aos sindicatos, conselhos e governo federal, bem como a implantação de gestão participativa, juntamente com levantamento de problemas e possíveis soluções são ações que partem do geral e acabam por influenciar, de forma positiva quando realizadas, em cada trabalhador da UTI. A reflexão traz à tona o grande desafio de encarar o cuidado com o ser humano, de forma adesconsiderá-lo como bem de capital em países em desenvolvimento e com sistema neoliberal. A organização do trabalho em UTI favorece ao estresse de alta exigência e, como consequência, demonstra prevalências expressivas de TMC e SB.


Aspectos psicosociales se refieren a elementos del entorno de la organización que son influenciados por las diferencias individuales experimentadas por los trabajadores, están también relacionados con el contexto macro histórico y social de cada persona, en que el estrés es un elemento clave en relación a los aspectos psicosociales. El objetivo del estudio fue analizar la prevalencia del Síndrome de Burnout (SB), de acuerdo con los aspectos psicosociales, socio-demográficos y laborales de trabajadores de enfermería de Unidad de Cuidados Intensivos (UCI). Estudio transversal, realizado con 130 profesionales, en que se aplicó cuestionario auto administrado, conteniendo: una versión corta de Job Stress Scale, para medir el estrés; Maslach Burnout Inventory, para medir el SB; y Self Reporting Questionnaire, para medir los Trastornos Mentales Comunes (TMC). Fueron realizadas análisis univariados y bivariados, según el modelo de demanda control con un nivel de significación de 5%. La revisión realizada en el primer artículo encontró que el Burnout se relacionacon los factores organizativos, personales, individuales e inherentes a la profesión. Las repercusiones implican en el ámbito físico, psicológico, emocional, organizativo y familiar. En el segundo artículo,se habló de la dimensión del estrés, en que 30,8% estaban en gran demanda; 24,6%, en el trabajo activo; 20,8%, en trabajos pasivos, y 23,8%, en la baja demanda. El apoyo social reveló que el 53,1% de los trabajadores estaban por debajo de la mediana. Aquellos en trabajo activo se presentaban arriba de ese valor (p=0,027). La prevalencia de SB fue de 55,3%, y el 72,5% eran de gran demanda (p=0,006). La prevalencia de TMC fue de 27,7%. Los factores referidos como causadores de estrésen la UCI fueron: carga de trabajo, relaciones interpersonales profesionales, relación con el déficit de liderazgo y el personal. En el tercer artículo, se observó que el 80,6% de la prevalencia de TMC se asociaron con SB (<0,0001). Tras el análisis multivariante, el carácter protector se encontró a el SB en las dimensiones intermedias de estrés: trabajo activo, OR=0,26 (IC95% 0,09?0,69); y trabajo pasivo, OR=0,22 (IC95% 0,07?0,63), con el modelo ajustado para sexo, edad, educación, horas de trabajo semanales, renta y pensamiento en el trabajo durante las holguras. En el cuarto artículo,refleja la calidad política, institucional y de la vida debe recibir la atención, ya que el estrés es algo quetrasciende el aspecto individual y tiene un gran impacto en la calidad de servicio en la institución y la sociedad. La construcción de una red nacional de negociación con los sindicatos, ayuntamientos y el gobierno federal, así como una aplicación de la gestión participativa junto a la búsqueda de problemas de asignación y las posibles soluciones son las acciones que se apartan de lo general y influencian, de manera positiva, en cada trabajador de la UCI. La reflexión plantea el reto el desafío de pensar en la atención al ser humano, con el fin de no descartarlo como un bien de capital en los países en desarrollo, con el sistema neoliberal. La organización del trabajo en la UCI favorece el estrés de la gran demanda y, en consecuencia, demuestra una importante prevalencia de TMC y SB.


The psychosocial aspects refer to elements of the organizational environment that are influenced by individual characteristics when experienced by workers and are related to the macro-historical, social context of each person. Stress is a key element related to psychosocialaspects. This study aimed to analyze the prevalence of the Burnout Syndrome according to psychosocial, socio-demographic and labor aspects of intensive care nursing employees. A crosssectional study was carried out with 130 professionals, with the application of a self-administered questionnaire containing: a short version of the Job Stress Scale ? to measure stress; the Maslach Burnout Inventory ? to measure the burnout syndrome; and a Self Reporting Questionnaire ? to measure Common Mental Health Disorders. Univariate and bivariate analyzes were performedaccording to Karasek?s model, with a 5% significance level. In the first article we identified that burnout is related to organizational factors: personal, individual and those inherent to the profession. The repercussions involve the following spheres: physical, psychological, emotional, organizational and family-related. In the second article, we discussed the dimensions of stress, in which: 30.8% of the participants were in high demand; 24.6% in active work; 20.8% in passive job; and 23.8% in low demand. The social support revealed that 53.1% of the workers were below the median, those in active work were above this value (p=0.027). The prevalence of the Burnout Syndrome was 55.3%, of those 72.5% were in high demand (p=0.006). The prevalence of CMHDs was 27.7%. Factors such as ICU stressors were: workload; professional interpersonal relationships; relationship with the headship and staff deficit. In the third article, we observed that 80.6% of the prevalence of CMHDs were associated to the Burnout Syndrome (<0.0001). After a multivariate analysis, a protective character was found to the Burnout Syndrome in the intermediate dimensions of stress: active work OR=0.26 (95%CI 0.09?0.69); and passive job OR=0.22 (95%CI 0.07?0.63), with a model adjusted for gender, age, education, weekly working hours, income, and thoughts at work during the day offs. In the fourth article, we reflected that the political, institutional and quality of life aspects should be emphasized, since stress is something that transcends the individual aspect and has a great impact in the quality of the service, in the institution and in the society. The construction of a national trading network with the unions, councils and federal government; the implementation of participatory management; and mapping problems and potential solutions are actions taken from a general point of view so they can have effects on each ICU worker. The reflections bring up the challenge of facing care for human beings disregarding it as a capital good in developed countries with neoliberal systems. The labor organization of in ICU favors the stress of high demand and, consequently, demonstrates significant prevalence of CMHDs and Burnout Syndrome.


Assuntos
Saúde do Trabalhador , Enfermagem , Transtornos de Estresse Traumático , Esgotamento Psicológico
14.
Physis (Rio J.) ; 25(1): 19-39, Jan-Mar/2015.
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-745997

RESUMO

O objetivo do artigo consiste em articular o discurso psicanalítico e psiquiátrico sobre o trauma, extraindo as implicações ético-políticas desta articulação, além de promover um resgate da subjetividade pela psiquiatria. A justificativa é ético-pragmática. A metodologia consiste na revisão não sistemática da literatura, mediante a seleção de textos que enfocam o traumático na psicanálise - a partir das categorias freudianas "neurose traumática", "compulsão à repetição", "pulsão de morte" e "passagem ao ato", além de textos de autores pós-freudianos e da literatura acerca dos testemunhos de catástrofes históricas, que situam o traumático na ordem do irrepresentável - bem como a seleção de textos na área da psiquiatria, que tratam das categorias "estressores precoces" e "estresse pós-traumático", enfatizando a relação entre os estressores precoces e o desenvolvimento posterior de quadros psicopatológicos. Enfatiza-se também a susceptibilidade individual a determinados eventos traumáticos, bem como as bases neurobiológicas do TEPT. São extraídas importantes implicações ético-políticas a partir da articulação proposta, que impactam no âmbito da clínica, levando a uma prática mais efetiva, e no âmbito político-social, com relação à elaboração de políticas públicas de saúde mental, que visam à prevenção de eventos traumatogênicos, bem como a oferta de serviços qualificados aos pacientes submetidos a vivências traumáticas.


This paper aims to articulate the psychoanalytic and psychiatric discourse on trauma, extracting the ethical and political implications of this link, and promote a rescue of subjectivity by psychiatry. The justification is ethical and pragmatic. The methodology consists of the non-systematic review of the literature, by selecting texts that focus on the traumatic in psychoanalysis - from the Freudian categories "traumatic neurosis", "repetition compulsion", "death drive" and "passage to the act," as well as texts of post-Freudian authors and literature about the testimonies of historical catastrophes, which are located on the order of the traumatic unrepresentative - as well as the selection of texts in the field of psychiatry, which deal with "early stressors" and "post-traumatic stress", emphasizing the relationship between early stressors and the subsequent development of psychopathology. It also emphasizes the individual susceptibility to certain traumatic events, as well as the neurobiological bases of PTSD. Important ethical and policy implications from the joint proposal, that impact within the clinic are extracted, leading to a more effective practice, and socio-political context, with the formulation of public policies on mental health, aimed at preventing trauma generator events as well as the supply of qualified services to patients undergoing traumatic experiences.


Assuntos
Humanos , Saúde Mental , Psicanálise/ética , Psiquiatria/ética , Transtornos de Estresse Pós-Traumáticos/psicologia , Transtornos de Estresse Traumático/psicologia
15.
Artigo em Espanhol | LILACS | ID: lil-758511

RESUMO

El siguiente artículo se inscribe en el Proyecto de Investigación UBACyT: “La clínica de la segunda tópica freudiana” Programación científica 2011-2014. Dentro del marco de dicha Investigación, este artículo indaga los distintos modos de respuesta frente a lo traumático teorizados por Freud. Para ello recorreremos las diversas conceptualizaciones freudianas de lo traumático, y fundamentalmente, destacaremos las modalidades de respuesta frente a lo traumático que están por fuera de la operatoria de la represión. Es decir, aquellas respuestas subjetivas que el aparato psíquico presenta en los momentos denominados tempranos, previos lógicamente al Edipo. Precisaremos los diferentes articuladores conceptuales y referentes clínicos que nos permitan ilustrar estas nociones. En primer lugar, situaremos los desarrollos freudianos respecto de la represión, el síntoma y el valor de las fantasías, y luego nos dedicaremos a ubicar los distintos modos de defensa que exceden la operación de la represión: los diques pulsionales, los dos destinos de pulsión previos a la represión, la compulsión de repetición y la angustia como contrainvestidura...


Assuntos
Humanos , Choque Traumático/psicologia , Teoria Psicanalítica , Transtornos de Estresse Traumático/psicologia , Psicanálise
17.
Tempo psicanál ; 46(1): 98-113, jul. 2014.
Artigo em Português | LILACS, Index Psicologia - Periódicos técnico-científicos | ID: lil-723041

RESUMO

Este artigo problematiza a condição traumatogênica da modernidade no que tange as experiências de choque e a paixão pelo Real tematizadas por autores como Christoph Türcke e Slavoj Zizek que, em nossa hipótese, se "encarnam" em fenômenos como das Bodymodifications. Para tanto, propõe-se um diálogo entre Psicanálise e as injunções histórico-culturais contemporâneas, munido de uma análise-interpretativa do material colhido no site www.bmezine.com. Entende-se que a economia pulsional ligada a tais práticas é correlata ao trauma e ao vício como compulsão a repetição: as feridas autoimpingidas pelos adeptos situam uma tentativa, ainda que inócua, de ligar o excesso energético. Sob uma explícita expressão do amalgama dialético entre pulsão de morte e pulsão de vida emerge o fracasso do princípio de prazer.


This article discusses the condition of modernity in relation to shock experiences and the passion for Real, thematized by authors such as Christoph Türcke and Slavoj Zizek, which in our hypothesis these are "incarnates" in phenomena such as the Bodymodifications. For this purpose, it is proposed a dialogue between psychoanalysis and critical theory, from analysis-interpretative of the material collected on the site www.bmezine.com. It is understood that the wound is situated in a attempt, still failed, to turning on the energetic excess.


Assuntos
Psicanálise , Tatuagem/psicologia , Comportamento Compulsivo/psicologia , Transtornos de Estresse Traumático/psicologia , Modificação Corporal não Terapêutica/psicologia , Piercing Corporal/psicologia
18.
Tempo psicanál ; 46(1): 161-183, jul. 2014.
Artigo em Português | LILACS, Index Psicologia - Periódicos técnico-científicos | ID: lil-723045

RESUMO

A proposta do artigo é refletir sobre as concepções teóricas de Sándor Ferenczi e de Donald Woods Winnicott a respeito do trauma, ressaltando a importância dessas contribuições para a abordagem teórico-clínica de pacientes difíceis em psicanálise, na qual a confiabilidade do analista, a contratransferência e o lugar do corpo e do afeto no âmbito psicoterapêutico tornam-se fundamentais. Estes elementos podem orientar o manejo clínico, principalmente no processo analítico de pacientes que apresentam dificuldades de simbolização. Dessa forma, pretendemos enfatizar a dimensão do cuidado presente nas postulações teórico-clínicas desses autores e sua importância frente aos impasses e desafios da clínica do trauma.


The proposal of the article is to think about Sándor Ferenczi's and Donald Woods Winnicott's theoretical concepts regarding trauma, highlighting the importance of those contributions to the theoretical and practical approach to difficult patients in psychoanalysis, at which the reliability of the analyst, the countertransference and the significance of body and affection in the psychotherapeutic sphere play a vital part. These elements may guide clinical handling, especially in the analytical process of patients that present symbolization difficulties. Thus, we intend to stress the relevance of care in the theoretical and clinical postulates of these authors, as well as its importance when facing the impasses and challenges of the trauma treatment.


Assuntos
Psicanálise , Corpo Humano , Contratransferência , Afeto , Confiança/psicologia , Transtornos de Estresse Traumático/psicologia
19.
Psicofarmacologia (B. Aires) ; 14(86): 7-16, jun.2014. ilus
Artigo em Espanhol | LILACS | ID: lil-777898

RESUMO

En este artículo se ofrece una perspectiva y un panorama general acerca de los efectos y consecuencias de un amplio grupo de experiencias traumáticas tempranas, organizadas bajo el concepto abarcador de experiencias adversas tempranas y trauma de apego: abuso sexual, maltrato físico y verbal, abandono parental temprano e interacción en un ambiente familiar caótico, entre otras. Se considera un mecanismo general por el cual, las experiencias adversas generan estrés agudo o crónico que se evidencia por alterciones en la regulación del eje hipotálamo-hipófisis-suprarrenal actuando el estrés así generado como una carga alostática que genera alteraciones mente/cuerpo. Las dificultades para regular la respuesta al estrés o factores que actúan en forma independiente pueden conducir a desorganización parcial de la estructura cortical cerebral especialmente en los sistemas neuronales que procesan las emociones (sistema límbico), la memoria (hipocampo) y la capacidad de reconocer estados mentales en el propio individuo y en las personas con las cuales interactúa (teoría de la mente). Se analizan los mecanismos moleculares de resiliencia que permiten recuperarse o resistir dichas experiencias. Se menciona la importancia de reconocer un período crítico basado en el desarrollo cerebral, que podría generar una latencia en los efectos de los acontecimientos trumáticos generando vulnerabilidad y daño tanto en la infancia como durante la adolescencia o adultez joven bajo la forma de depresión, ansiedad, trsatornos de la personalidad o abuso de sustancias. El reconocimiento e investigación del trauma temprano resulta fundmental para evitar la repetición intergeneracional de las adversidades y para el desarrollo de tratamientos efectivos...


This article offers an insight and an overview of the effects and consequences of a wide range of early traumatic experiences organized within the encompassing concept of early adverse experiences and attachment trauma: sexual abuse, physical and verbal harassment, early parental abandonment and interaction in a chaotic family environment. It is considered a general mechanism by which adverse experiences generate chronic or acute stress evidenced by alterations in the regulation of the hippocampal-hypophiseal-suprarenal axis; the generated stress thus acts as an allostatic load that generates mind/body alterations. Difficulties to regulate the response to stress or factors that act independently may lead to a partial disorganization of the cerebral, cortical structure, particularly in the neuronal systems that process emotions (limbic system), memory (hippocampus) and the ability to recognize mental states within the same individual and the interacting people (theory of the mind). The author analyzes the molecular mechanisms of resilience that enable to recover from or resist to such experiences, higlighting the importance of recognizing a critical period bases on brain development, which might generate a latency in the effects of traumatic events, generating vulnerability and abuse both in the childhood as well as in the adolescence or young adulthood in the shape of depression, anxiety, personality disorders or drug abuse. The recognition and research of early trauma is key to avoid the intergenerational repetition of advesities and for the develpment of effective treatments...


Assuntos
Humanos , Sobreviventes Adultos de Maus-Tratos Infantis , Maus-Tratos Infantis , Relações Familiares , Interação Gene-Ambiente , Acontecimentos que Mudam a Vida , Sistema Hipófise-Suprarrenal , Sistema Límbico/patologia , Transtornos de Estresse Traumático/prevenção & controle , Violência Doméstica/psicologia
20.
Rio de Janeiro; s.n; 2014. 83 f p.
Tese em Português | LILACS | ID: biblio-905052

RESUMO

O Transtorno do estresse pós-traumático (TEPT) é um transtorno mental que ocorre em resposta a um evento traumático que coloca em risco a vida do indivíduo ou de outras pessoas. O TEPT no período pós-parto foi documentado pela primeira vez em 1978. Porém, há poucos estudos sobre o tema, principalmente em gestantes de alto risco materno e fetal. Visando preencher essa lacuna, essa dissertação tem por objetivo estimar a magnitude de TEPT no período pós-parto em uma maternidade de alto risco fetal no município do Rio de Janeiro e identificar subgrupos vulneráveis ao transtorno. Trata-se de um estudo transversal, cuja população de estudo foi composta por 456 mulheres que tiveram o parto no Instituto Fernandes Figueira e realizaram a consulta de revisão pós-parto entre fevereiro e julho de 2011. Casos suspeitos de TEPT foram identificados por meio de dois instrumentos: Trauma History Questionnaire (THQ) utilizado para a captação de situações potencialmente traumáticas ao longo da vida e Post-Traumatic Stress Disorder Checklist (PCL-C) para rastreio de sintomas de TEPT. A prevalência agregada de TEPT no período pós-parto foi de 9,4%. Subgrupos considerados vulneráveis foram: mulheres com três ou mais partos anteriores (15,1%), com o recém-nascido com APGAR menor ou igual a 7 no primeiro minuto (13,6%), com histórico de psicopatologia anterior (29,0%) ou concomitante à gestação (36,7%), com depressão pós-parto (31,5%), mulheres que sofreram violência física (19,8%) e psicológica (11,6%) perpetrada por parceiro íntimo durante a gestação, mulheres que sofreram abuso sexual na infância (25,7%) e com histórico de 5 ou mais situações traumáticas anteriores (25,9%). A elevada prevalência de TEPT encontrada entre as mulheres entrevistadas pode ser, em parte, atribuída às particularidades da população assistida nessa instituição, de reconhecido risco materno e fetal. A alta prevalência de casos suspeitos de depressão pós-parto entre as mulheres com suspeição de TEPT é um fator de preocupação adicional, já que dificulta o manejo clínico dos casos e afasta a mulher e a criança dos serviços de saúde. TEPT no período pós-parto não é um evento raro e merece atenção. Rápido diagnóstico e tratamento são fundamentais para a melhor qualidade de vida da mãe tornando-a apta aos cuidados do recém-nascido


Assuntos
Humanos , Feminino , Período Pós-Parto , Prevalência , Risco , Transtornos de Estresse Traumático/epidemiologia , Mulheres/psicologia , Estudos Transversais , Depressão Pós-Parto
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA