Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 20 de 154
Filtrar
2.
Med. U.P.B ; 37(1): 25-35, ene. 2018.
Artigo em Inglês | LILACS | ID: biblio-878937

RESUMO

Objetivo: la terapia electroconvulsiva (TEC) se ha considerado un tratamiento seguro y eficaz para episodios de depresión mayor, para episodios maníacos y otros trastornos psiquiátricos serios. El estudio describe los efectos cognitivos de la TEC en pacientes referidos para tratamiento a una clínica privada. Metodología: estudio descriptivo del tipo de serie de casos. En cada participante se realizó una evaluación basal antes del inicio de la TEC y otras dos (una a la semana y otra a los seis meses) después de terminado el ciclo de tratamientos, para describir el efecto de la TEC frontotemporal bilateral en la función neurocognitiva mediante el cambio, desde el estado basal hasta la evaluación final en los dominios de memoria, velocidad psicomotora, tiempo de reacción, atención compleja y flexibilidad cognoscitiva, así como en la función cognoscitiva global; y determinar su seguridad por el reporte de eventos adversos. La evaluación cognitiva se realizó con una batería de pruebas neuropsicológicas y la severidad de la enfermedad psiquiátrica se evaluó con la escala Clinical Global Impression Severity (CGI-S). Se incluyeron seis pacientes remitidos para tratamiento durante el periodo de seis meses. Resultados: no se observaron diferencias estadísticamente significativas entre las medianas de las evaluaciones de CGI-S, ni de la función cognitiva global, así como de ninguno de los dominios evaluados. Conclusiones: la TEC no produjo cambios en las funciones cognitivas analizadas en los seis pacientes estudiados.


Objective: Electroconvulsive therapy (ECT) has been considered a safe and effective treatment for depression, manic episodes, and other serious psychiatric conditions. Its main reported side effect has been cognitive impairment. This study describes the cognitive effects of ECT in psychiatric patients referred for treatment at a private clinic. Methodology: Descriptive case series study. A baseline assessment conducted before starting ECT, and another two (at one week and at six months) after completing the treatment cycle were used to describe the effects of frontotemporal bilateral ECT on neurocognitive function in terms of the change from the baseline to the final assessment in the domains of memory, psychomotor speed, reaction time, complex attention, and cognitive flexibility, as well as global cognitive function, as well as to determine ECT's safety by reporting adverse events. Cognitive assessment was conducted with a neuropsychological test battery and severity of psychiatric illness with the Clinical Global Impression-Severity scale (CGI-S). Six patients referred for treatment during six months were included. Results: No statistically significant differences were observed between the medians of the evaluations of CGI-S scale, global cognitive function or any of the domains evaluated. Conclusions: ECT did not produce changes in the cognitive functions assessed in the six studied patients.


Objetivo: a terapia eletroconvulsiva (TEC) se há considerado um tratamento seguro e eficaz para episódios de depressão maior, para episódios maníacos e outros transtornos psiquiátricos sérios. O estudo descreve os efeitos cognitivos da TEC em pacientes referidos para tratamento a uma clínica privada. Metodologia: estudo descritivo do tipo de série de casos. Em cada participante se realizou uma avaliação basal antes do início da TEC e outras dois (uma em uma semana e outra aos seis meses) depois de terminado o ciclo de tratamentos, para descrever o efeito da TEC frontotemporal bilateral na função neurocognitiva mediante a mudança, desde o estado basal até a avaliação final nos domínios de memória, velocidade psicomotora, tempo de reação, atenção complexa e flexibilidade cognoscitiva, assim como na função cognoscitiva global; e determinar sua segurança pelo reporte de eventos adversos. A avaliação cognitiva se realizou com uma bateria de provas neuropsicológicas e a severidade da doença psiquiátrica se avaliou com a escala Clinical Global Impression Severity (CGI-S). Se incluíram seis pacientes remitidos para tratamento durante o período de seis meses. Resultados: não se observaram diferencias estatisticamente significativas entre as média das avaliações de CGI-S, nem da função cognitiva global, assim como de nenhum dos domínios avaliados. Conclusões: a TEC não produziu mudanças nas funções cognitivas analisadas nos seis pacientes estudados.


Assuntos
Eletroconvulsoterapia
3.
REVISA (Online) ; 7(3): 235-247, 2018.
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1097563

RESUMO

Analisou as implicações éticas e legais da realização da ECT; Evidenciar as divergências de concepções entre os grupos que apoiam a ECT entre os que a condenam; destacar evidências sobre a eficácia do tratamento e identificar a participação da enfermagem em sua aplicação. Metodologia: Trata-se de uma pesquisa bibliográfica, realizada no período de 2001 a 2017 com 12 publicações obtidas nas bases de dados das Bibliotecas Virtuais BDENF, BVS, MEDLINE e SCIELO. Resultados: É um tratamento reconhecido pelo Conselho Federal de Medicina e Associação Brasileira de Psiquiatria, sua aplicabilidade requer que se cumpram exigências estabelecidas no protocolo de execução deste tratamento. Aspectos éticos, não foram claramente tratados pelos estudos. A ECT tem uma história de abusos que não é negada nem por seus próprios defensores, porém, quando prescrita de forma adequada, há eficácia com o tratamento. O papel da enfermagem na aplicação do tratamento é pouco relatado, e está mais relacionada aos cuidados pré e pós desenvolvimento da técnica. Considerações: Há um estigma do uso do eletrochoque que ainda predomina na sociedade em geral. Mais que uma prática técnica, a ECT necessita ser discutida como um tratamento que gera rejeições e que traz um marco histórico de punições e dor social. Se hoje ela tem sua relevância e se tornou uma aplicação criteriosa e ética, é necessário que estas questões sejam respeitosamente enfrentadas e discutidas na sociedade.


Assuntos
Eletroconvulsoterapia
4.
Mem. Inst. Invest. Cienc. Salud (Impr.) ; 15(3): 99-110, Dic. 2017. ilus, tab
Artigo em Espanhol | LILACS, BDNPAR | ID: biblio-907827

RESUMO

Los psicofármacos y la psicoterapia son efectivos para muchos pacientes aquejados de trastornos mentales o problemáticas psicosociales. No obstante, algunos pacientes no responden a estas intervenciones, por lo que se necesitan de otras propuestas basadas en tratamientos biológicos (no farmacológicos). Estas técnicas se han ido desarrollando gracias a una mejor comprensión de los modelos neurofisiológicos y neuroanatómicos del humor, pensamiento y regulación del comportamiento, así como de estrategias más avanzadas para la modificación de la actividad neural. Con base en lo anterior, el objetivo de este artículo es presentar una actualización sobre los conceptos e indicaciones de la terapia electroconvulsiva, de las técnicas de estimulación cerebral, de la fototerapia y de la privación terapéutica del sueño.


Psychotropic drugs and psychotherapy are effective for many patients suffering from mental disorders or psychosocial problems. However, some patients do not respond to these interventions, so other proposals based on biological (non-pharmacological) treatments are needed. These techniques have been developed thanks to a better understanding of the neurophysiological and neuroanatomic models of mood, thought process and behavioral regulation, as well as more advanced strategies for the modification of neural activity. Based on the above, the objective of this article is to present an update on the concepts and indications of electroconvulsive therapy, brain stimulation techniques, phototherapy and therapeutic sleep deprivation.


Assuntos
Eletroconvulsoterapia , Fototerapia , Privação do Sono , Estimulação Encefálica Profunda
6.
Rev. psiquiatr. Urug ; 80(1): 26-32, sept. 2016. ilus
Artigo em Espanhol | LILACS | ID: biblio-973338

RESUMO

La esquizofrenia es una patología que evolucionade forma crónica, proclive al deterioro, siendo este último variable de acuerdo con comorbilidades presentes y adherencia al tratamiento integral. Genera alteraciones cognitivas e influye negativamente en el desempeño de quienes la padecen, causando detrimento global de los pragmatismos. La electroconvulsoterapia es una opción terapéutica ampliamente utilizada en nuestro país para tratar sintomatología del humor y episodios psicóticos agudos, entre otros. En la actualidad se sabe que la detección e intervención precoz de un episodio psicótico agudo —el cual puede corresponder al primer episodio psicótico de esquizofrenia —mejora el pronóstico a largo plazo. El objetivo es demostrar si existe un vínculo entre la indicación de electroconvulsoterapia durante el primer episodio psicótico de esquizofrenia y la duración del intervalo libre de internación. Este es un estudio de tipo analítico, observacional, retrospectivo (cohorte histórica) que busca aumentar las evidencias en este amplio campo de investigación. Observamos que el tiempo libre de internación luego de la primera hospitalización no tuvo relación con el hecho de si recibieron electroconvulsoterapia o no; sin embargo, al realizar el análisis de potencia estadístico surge que los resultados no son concluyentes. Se destaca el importante porcentaje de patología dual en este grupo de usuarios: un 39%.


Schizophrenia is a chronic disease, prone todeterioration, the latter being variable accordingto comorbidities and treatment adherence. It generates cognitive impairment and adverselyaffects overall performance, causing deterioration of pragmatisms. Electroconvulsive therapy is awidely used therapeutic option in our countryfor acute affective and psychotic episodes. It iswell known that early detection and interventionof an acute psychotic episode —which maycorrespond to the first psychotic episode of schizophrenia— improves long-term prognosis.This study intended to show whether there is alink between early indication of electroconvulsive therapy during the first episode and timeto relapse and hospital readmission. This is ananalytical, observational, retrospective (historical cohort) study, which aims to increase theevidence in this broad research field. As a resultthere was no link between time to relapse and electro convulsive therapy in the first episode; nevertheless after a post hoc analysis resultsare not conclusive. Dual diagnosis stands outin this group and corresponds to 39%.


Assuntos
Masculino , Feminino , Humanos , Adolescente , Adulto Jovem , Eletroconvulsoterapia/efeitos adversos , Esquizofrenia/terapia , Transtornos Psicóticos/terapia , Hospitalização/estatística & dados numéricos , Estudos Retrospectivos , Prognóstico , Resultado do Tratamento
7.
Rev. peru. med. exp. salud publica ; 33(1): 100-105, ene.-mar. 2016. tab, graf
Artigo em Espanhol | LILACS, LIPECS | ID: lil-790815

RESUMO

Con el objetivo de describir el perfil de uso de la terapia electroconvulsiva (TEC) en pacientes hospitalizados en el Instituto Nacional de Salud Mental "Honorio Delgado - Hideyo Noguchiõ de Lima, Perú, se revisaron las historias clínicas de pacientes que recibieron TEC entre los años 2001 y 2011. Se aplicaron 419 cursos de TEC a 372 pacientes, con un total de 5439 aplicaciones; la esquizofrenia paranoide fue el diagnóstico más frecuente (70,7%), y la indicación más usual fue la resistencia al tratamiento (80,7%); asimismo, la respuesta clínica a la TEC fue buena en 70,1% de casos, mientras que los efectos secundarios, en general, fueron pasajeros y leves. El uso de TEC disminuyó a lo largo del periodo estudiado, pero fue muy tolerable y segura, especialmente en su versión modificada, y mostró una alta respuesta que la mantiene como un tratamiento psiquiátrico de primera línea...


With the purpose of describe the profile of use of electroconvulsive therapy (ECT) on hospitalized patients at ôHonorio Delgado - Hideyo Noguchiõ National Institute of Mental Health in Lima, Peru, the medical records of patients receiving ECT between 2001 and 2011 were reviewed. The main findings were: four hundred and nineteen ECT courses were applied to 372 patients, with a total of 5439 applications the most common diagnosis was paranoid schizophrenia (70.7%), the most common indication was resistance to treatment (80.7%), also the clinical response to ECT was good in 70.1% of cases while side effects were generally transient and mild. The use of ECT decreased over the period of the study but it was tolerable and safe, especially in the modified version, and it had a high response rate so remains as a first-line psychiatric treatment...


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Pessoas Mentalmente Doentes , Esquizofrenia Paranoide/terapia , Psiquiatria , Eletroconvulsoterapia
8.
Arq. neuropsiquiatr ; 73(10): 856-860, Oct. 2015. tab
Artigo em Inglês | LILACS | ID: lil-761532

RESUMO

Purpose To analyze the effectiveness of electroconvulsive therapy for the management of depression and/or psychosis refractory to drug therapy in patients with Parkinson disease.Methods A retrospective study was carried out including patients treated with electroconvulsive therapy during the period between 2002 and 2013. A review of the literature was performed.Results A total of 27 patients were included. In regards to the neuropsychiatric diagnosis, 14 patients had major depression, 12 patients had both psychosis and depression, and only one patient had isolated psychosis. The mean number of electroconvulsive therapy sessions was 12 ± 2.8. After electroconvulsive therapy, all patients showed a statistically significant improvement in the Brief Psychiatric Rating scale (reduction of 52% points) and Hamilton Depression Rating Scale (reduction of 50% points) independent of the presence of psychosis, depression or both.Conclusion Electroconvulsive therapy is effective for the treatment of refractory neuropsychiatric symptoms in Parkinson’s disease.


Propósito Analisar a eficácia da eletroconvulsoterapia para o tratamento da depressão e/ou psicoses refratária ao tratamento medicamentoso em pacientes com doença de Parkinson.Métodos Um estudo retrospectivo foi realizado com pacientes tratados com a eletroconvulsoterapia, durante o período entre 2002 e 2013. Uma revisão da literatura foi realizada.Resultados Um total de 27 pacientes foram incluídos. Em relação ao diagnóstico neuropsiquiátrico, 14 pacientes tinham depressão maior, 12 pacientes tiveram tanto psicoses e depressão, e apenas um paciente tinha isolado psicoses. O número médio de sessões de eletroconvulsoterapia foi de 12 ± 2,8. Após a eletroconvulsoterapia, todos os pacientes apresentaram uma melhora estatisticamente significativa no Brief Psychiatric Rating Scale (redução de 52% de pontos) e Hamilton Depression Rating Scale (redução de 50% de pontos), independente da presença de psicose, depressão ou ambos.Conclusão Eletroconvulsoterapia é eficaz para o tratamento de sintomas neuropsiquiátricos refractários na doença de Parkinson.


Assuntos
Idoso , Feminino , Humanos , Masculino , Pessoa de Meia-Idade , Transtorno Depressivo/terapia , Eletroconvulsoterapia/métodos , Doença de Parkinson/terapia , Transtornos Psicóticos/terapia , Escalas de Graduação Psiquiátrica , Doença de Parkinson/psicologia , Estudos Retrospectivos , Resultado do Tratamento
10.
Trends psychiatry psychother. (Impr.) ; 37(1): 27-36, Jan-Mar/2015. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS | ID: lil-742990

RESUMO

Introduction: More than 60 years after the introduction of modern psychopharmacology, electroconvulsive therapy (ECT) continues to be an essential therapeutic modality in the treatment of mental disorders, but its mechanism of action remains unclear. Hormones play an essential role in the development and expression of a series of behavioral changes. One aspect of the influence of hormones on behavior is their potential contribution to the pathophysiology of psychiatric disorders and the mechanism of action of psychotropic drugs and ECT. Objective: We measured blood levels of the hormone cortisol in patients with unipolar depression according to the Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders, 4th edition (DSM-IV) and compared results with levels found in healthy adults. Method: Blood cortisol levels were measured before the beginning of treatment with ECT, at the seventh session, and at the last session, at treatment completion. Depression symptoms were assessed using the Beck Depression Inventory (BDI). Results: Cortisol levels remained stable in both men and women between the seventh and the last sessions of ECT; values ranged from 0.686±9.6330 g/dL for women, and there was a mean decrease of 5.825±6.0780 g/dL (p = 0.024). Mean number of ECT sessions was 12. After the seventh and the last ECT sessions, patients with depression and individuals in the control group had similar cortisol levels, whereas BDI scores remained different. Conclusion: Cortisol levels decreased during ECT treatment. ECT seems to act as a regulator of the hypothalamic-pituitaryadrenal axis. .


Introdução: Mais de 60 anos após a introdução da moderna psicofarmacologia, a eletroconvulsoterapia (ECT) continua essencial para o tratamento de distúrbios mentais, mas seu mecanismo de ação ainda não é totalmente conhecido. Certos hormônios têm um papel fundamental no desenvolvimento e expressão de uma série de alterações comportamentais. Um aspecto da influência dos hormônios nos comportamentos é sua contribuição potencial para a patofisiologia dos distúrbios psiquiátricos e o mecanismo de ação de psicotrópicos e da ECT. Objetivo: Os níveis do hormônio cortisol no sangue foram medidos em pacientes com depressão unipolar classificados de acordo com a 4ª edição do Manual Estatístico e Diagnóstico de Transtornos Mentais (DSM-IV), e os resultados foram comparados com os níveis encontrados em adultos saudáveis. Métodos: Os níveis de cortisol no sangue foram medidos antes do início do tratamento com ECT, na sétima e na última sessão, após a conclusão do tratamento. Os sintomas de depressão foram avaliados usando o Inventário de Depressão de Beck (BDI). Resultados: Os níveis de cortisol permaneceram estáveis tanto nos pacientes masculinos quanto femininos entre a sétima e a última sessão de ECT; os valores variaram 0,686±9,6330 g/ dL entre as pacientes femininas, e houve uma diminuição de 5,825±6,0780 g/dL (p = 0,024). O número médio de sessões de ECT foi 12. Após a sétima e a última sessão de ECT, os níveis de cortisol nos pacientes com depressão e nos indivíduos no grupo controle foram semelhantes, enquanto os resultados da escala BDI permaneceram diferentes. Conclusão: Os níveis de cortisol diminuíram durante o tratamento com ECT. A ECT parece atuar como reguladora do eixo hipotalâmico-hipofisário-adrenal. .


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Idoso , Idoso de 80 Anos ou mais , Transtorno Depressivo/sangue , Transtorno Depressivo/terapia , Eletroconvulsoterapia , Hidrocortisona/sangue , Eletroconvulsoterapia/métodos , Escalas de Graduação Psiquiátrica , Resultado do Tratamento
11.
Rev. psiquiatr. clín. (São Paulo) ; 41(4): 90-94, Jul-Aug/2014. tab
Artigo em Inglês | LILACS | ID: lil-724103

RESUMO

Background: Electroconvulsive therapy (ECT) has been reported being a safe and effective treatment in schizophrenia. However, there are a limited number of studies assessing continuation ECT utilization in patients with schizophrenia giving partial response to pharmacological treatment. Objective: The aim of this study is to evaluate the effectiveness of continuation ECT in preventing relapse in patients with treatment-resistant schizophrenia. Methods: In this retrospective analysis, schizophrenia patients (n = 73) were defined in three groups such as patients who received only AP treatment (only AP), patients who received acute ECT only during hospitalization (aECT+AP), patients who received acute ECT and continuation ECT (a-cECT+AP). Three groups were compared according to positive and negative syndrome scale (PANSS) and Brief Psychiatric Rating Scale (BPRS) scores. Results : As per comparison of only AP group, aECT+AP group and a+cECT+AP groups in terms of after discharge PANSS and after discharge BPRS scores for 1st month, 3rd month and 6th month; 3rd and 6th month’s PANSS scores of a+cECT+AP group were statistically significantly lower than other two groups. Discussion: Although this study suffers the limitations of retrospective medical chart analysis, results suggest that, in patients with a diagnosis of schizophrenia who have responded to an acute course of ECT, continuation ECT in combination with antipsychotics is more effective than antipsychotics alone in preventing relapse...


Contexto: A eletroconvulsoterapia (ECT) tem mostrado ser um tratamento seguro e eficaz para esquizofrenia. No entanto, o número de estudos que avaliam a utilização contínua de ECT em pacientes com esquizofrenia e a resposta parcial ao tratamento farmacológico é limitado. Objetivo: O objetivo deste estudo é avaliar a eficácia da ECT de continuação na prevenção de recaída em pacientes com esquizofrenia resistente ao tratamento. Métodos: Nesta análise retrospectiva, pacientes com esquizofrenia (n = 73) foram alocados em três grupos: pacientes que receberam apenas o tratamento AP (somente AP), pacientes que receberam um curso agudo de ECT durante a hospitalização (aECT+AP) e pacientes que receberam um curso agudo de ECT durante a hospitalização e ECT de continuação (a-cECT+AP). Esses três grupos foram comparados de acordo com a pontuação atribuída na Positive and Negative Syndrome Scale (PANSS) e na Brief Psychiatric Rating Scale (BPRS). Resultados: De acordo com a comparação dos grupos, somente em AP, aECT+AP e a+cECT+AP, em termos de PANSS e BPRS, após descarga no primeiro, terceiro e sexto mês, as pontuações na PANSS no terceiro e sexto mês no grupo a+cECT+AP foram estatística e significativamente menores do que nos outros dois grupos. Conclusões: Embora este estudo mostre limitações causadas pela análise retrospectiva de prontuários, os resultados sugerem que a continuação da ECT em combinação com antipsicóticos é mais eficaz do que somente os antipsicóticos, na prevenção da recaída em pacientes com diagnóstico de esquizofrenia que responderam ao curso agudo de ECT...


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto , Antipsicóticos , Eletroconvulsoterapia , Esquizofrenia/terapia , Escalas de Graduação Psiquiátrica
13.
In. Aquines, Carina. Temas de psiquiatría: manual de psiquiatría para médicos. Montevideo, Oficina del Libro Fefmur, dic. 2013. p.319-323.
Monografia em Espanhol | LILACS | ID: lil-763512
14.
Acta méd. peru ; 30(4): 225-228, oct.-dic. 2013. tab
Artigo em Espanhol | LILACS, LIPECS | ID: biblio-1105447

RESUMO

Introducción: En el presente estudio presentamos los resultados obtenidos en relación a los aspectos bióeticos del tratamiento de pacientes internados en el Hospital Victor Larco Herrera, declarados inimputables y que son refractarios a tratamiento. Objetivo: Determinar los aspectos bioéticos del tratamiento con y el nivel de coordinación entre el ámbito judicial y sanitario. Material y método: Se basó en la revisión de las historias clínicas de los pabellones del Departamento de Hospitalización del Hospital Victor Larco Herrera. Población: En salas para 120 pacientes comunes con sintomatología aguda se encuentran 23 pacientes declarados inimputables. Resultados: En las salas para pacientes comunes con trastornos mentales se encontró 28 pacientes más declarados inimputables que presenta el 23,3% adicionales de camas para pacientes comunes, ocupadas por población con medidas de internacion de acuerdo a los delitos cometidos, que si fueran a la cárcel no se estaria cumpliendo con el principio de beneficiencia y de justicia. Los pacientes declarados inimputables; el mayor porcentaje tienen diagnostico de esquizofrenia y son refractarios a medicación anti psicótica clásica por lo que es necesaria la terapia electro convulsiva aún considerando los efectos adversos, pero que son beneficiosos para su pronta recuperación lo que se confronta el principio de no maleficiencia. Así mismo, el consentimiento informado que es un derechos el paciente a acceder o no a un tratamiento riesgoso, lo hacemos en resguardo de preservar el principio de autonomía del paciente. Conclusión: El presente trabajo nos permite concluir que se cumple con los principios bióeticos con el tratamiento con electroshock y existen dificultades de coordinación del poder Judicial y el ámbito sanitario.


Introduction: In this study we present the results obtained in relation to bioethical aspects of inpatient treatment in Victor Larco Herrera Hospital, declared not criminally responsible and who are refractory to treatment. Objective: Determining bioethical aspects electroshok treatment, and the level of coordination between the judicial and healthcare. Material and methods: The methodology used for this study was based on a review of the medical records of the ward of the Hospital Department Victor Larco Herrera Hospital. Population: 120 rooms common in patients with acute symptoms are declared not criminally responsible 23 patients (representing 38,33%) Results: In rooms for patients with common mental disorders over 28 declared not criminally responsible patients representing 23,3% of additional beds for public patients, occupied population interned measures according to the offenses, was found, on the contrary would to jail would not comply with the principle of beneficence and justice. Patients held criminally responsible, have the highest percentage of Schizophrenic diagnosis and who are refractory to classical anti psychotic medication is necessary electroconvulsive therapy even considering the adverse effects but that are beneficial for a speddy recovery to the principle of non - maleficence is confronted. Also reported Consent is a patient’s right to access or not a risky treatment, we do in defence of preserving the principle of patient autonomy. Conclusion: This Work allows us to conclude that it meets the bioethical principles electroshok trearment and there are difficulties in coordination of the judiciary and the health field.


Assuntos
Masculino , Feminino , Humanos , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Bioética , Eletrochoque , Eletroconvulsoterapia , Transtornos Mentais/terapia
15.
Trends psychiatry psychother. (Impr.) ; 35(3): 229-233, 2013. graf, tab
Artigo em Inglês | LILACS | ID: lil-686126

RESUMO

Objective: To describe the sociodemographic and clinical profile of patients who underwent electroconvulsive therapy (ECT) at a university general hospital. Method: In this retrospective study, records from all patients undergoing ECT between January 1988 and January 2008 at the psychiatric unit of the general hospital of Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) were reviewed. Telephone contact was made with patients/relatives to collect follow-up data. Results: A total of 200 charts were reviewed. The majority of patients were women, with a mean age of 39 years, and history of psychiatric hospitalization. The main indications for ECT were depression and catatonia. Complications were observed in less than half of the cases, and most were temporary and not severe. There was a good psychiatric outcome for 89.7% of the patients, especially for catatonic patients (100%, p = 0.02). Thirty-four percent of the cases were later contacted by telephone calls, at a mean of 8.5 years between the procedure and the contact. Among these, three (1.5%) reported persistent memory disorders and 73% considered ECT a good treatment. Conclusion: ECT has been performed according to international guidelines. In the vast majority of cases, undesirable effects were temporary and not severe. Response to ECT was positive in most cases, particularly in catatonic patients.


Objetivo: Descrever o perfil sociodemográfico e clínico de pacientes submetidos a eletroconvulsoterapia (ECT) em um hospital geral universitário. Método: Neste estudo retrospectivo, foram revisados os prontuários de todos os pacientes submetidos a ECT entre janeiro de 1988 e janeiro de 2008 na unidade psiquiátrica do hospital geral da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Os pacientes/familiares foram contatados por telefone para a coleta de dados de seguimento. Resultados: Um total de 200 prontuários foram revisados. A maioria dos pacientes era do sexo feminino, com uma idade média de 39 anos e história de hospitalização psiquiátrica prévia. As principais indicações para ECT foram depressão e catatonia. Complicações foram observadas em menos de metade dos casos, e a maioria delas teve caráter temporário e não grave. Houve resultado psiquiátrico favorável em 89,7% dos pacientes, especialmente os catatônicos (100%, p = 0,02). Trinta e nove por cento dos casos foram contatados por telefone, a uma média de 8,5 anos decorridos entre o procedimento e o contato. Entre estes, três (1,5%) relataram transtornos amnésticos persistentes e 73% consideraram a ECT um bom tratamento. Conclusão: A ECT foi realizada de acordo com diretrizes internacionais. Na grande maioria dos casos, efeitos indesejáveis foram temporários e não graves. A resposta à ECT foi positiva na maioria dos casos, especialmente em pacientes catatônicos.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto , Eletroconvulsoterapia , Perfil de Saúde , Unidade Hospitalar de Psiquiatria , Eletroconvulsoterapia/métodos , Estudos Retrospectivos , Fatores Socioeconômicos , Resultado do Tratamento
17.
Rev. bras. anestesiol ; 61(5): 586-590, set.-out. 2011. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-600951

RESUMO

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A eletroconvulsoterapia (ECT) é comumente utilizada para o tratamento de depressão, mania e transtornos do humor. Anestésicos para anestesia geral durante a ECT devem ter início e despertar rápidos, não interferir com a atividade da convulsão e não encurtar a duração das crises. O objetivo deste estudo é comparar os efeitos do enflurano, um agente anestésico pró-convulsivo, e o propofol na duração das ocnvulsões, no índice de supressão pós-ictal e nos tempos de recuperação durante a eletroconvulsoterapia. MÉTODO: Pacientes sem uso de medicação pré-anestésica foram alocados em dois grupos de acordo com a indução da anestesia. Os pacientes foram induzidos para a ECT com 5 por cento de enflurano no grupo E e 1,2 mg.kg-1 de propofol no grupo P, até perda de consciência. A duração das crises motora e no eletroencefalograma (EEG), o índice de supressão pós-ictal, o tempo para respiração espontânea, para duração da abertura dos olhos e obedecer aos comandos foram registrados. RESULTADOS: Não houve diferença estatisticamente significativa entre os grupos quanto aos tempos das crises motora e no EEG e índice de supressão pós-ictal nos registros de EEG. Tempos de recuperação (tempo de início de respiração espontânea, de abertura dos olhos e para obedecer aos comandos) foram significativamente menores no grupo E em relação ao grupo P. Não foram observados náuseas ou vômitos e nenhuma anormalidade no ECG, exceto bradicardia sinusal transitória e taquicardia sinusal. CONCLUSÕES: Embora convulsões suficientes para o tratamento tenham ocorrido durante a anestesia com enflurano, nenhum benefício adicional foi observado sobre os tempos de convulsão ou índice de supressão pós-ictal quando comparado à anestesia com propofol. Por outro lado, o tempo de recuperação após anestesia com enflurano foi mais curto que com propofol. No entanto, ainda há necessidade de mais estudos em diferentes níveis de ETCO2.


BACKGROUND AND OBJECTIVES: Electroconvulsive therapy (ECT) is commonly used for treatment of depression, mania and affective disorders. Anaesthetics for general anaesthesia during ECT should have rapid onset, rapid emerge, not interfere with seizure activity and not shorten seizure duration. The aim of this study is to compare effects of enflurane, a pro-convulsive anaesthetic agent, and propofol on seizure durations, postictal suppression index and recovery times during electroconvulsive therapy. METHODS: Unpremedicated subjects were divided into two groups according to induction of anaesthesia. Patients were induced for ECT with 5 percent enflurane in group E and 1.2 mg.kg-1 propofol in group P until loss of consciousness. The durations of electroencephalogram (EEG) and motor seizures, postictal suppression index, time to spontaneous breathing, duration of eye opening, and obeying commands were recorded. RESULTS: There was no statistically significant difference between the groups regarding motor and EEG seizure times and postictal suppression index on the EEG records. Recovery times (times of starting spontaneous breathing, eye opening, and obeying command) were significantly shorter in group E compared to group P. No nausea or vomiting were observed and no ECG abnormality was noted except transient sinus bradycardia and sinus tachycardia. CONCLUSIONS: Although sufficient seizure for the treatment was provided during enflurane anaesthesia, any additional benefit was not revealed regarding seizure times or postictal suppression index when compared to propofol anaesthesia. On the other hand, recovery times after enflurane anaesthesia were shorter than propofol anaesthesia. However, there is still a need for further study in different ETCO2 levels.


JUSTIFICATIVA Y OBJETIVOS: La electroconvulsoterapia (ECT), se usa a menudo para el tratamiento de la depresión, manía y transtornos del humor. Los anestésicos para la anestesia general durante la ECT deben tener un inicio y un despertar rápidos, no interferir en la actividad de la convulsión y no acortar la duración de las crises. El objetivo de este estudio, es comparar los efectos del enflurano, un agente anestésico pro convulsivo, y el propofol, en la duración de las convulsiones, en el índice de supresión postictal y en los tiempos de recuperación durante la electroconvulsoterapia. MÉTODO: Pacientes sin uso de medicación preanestésica que fueron colocados en dos grupos de acuerdo con la inducción de la anestesia. Los pacientes fueron inducidos para la ECT con 5 por ciento de enflurano en el grupo E y 1,2 mg.kg-1 de propofol en el grupo P, hasta la pérdida de la conciencia. También fueron registrados la duración de las crises motora y en el electroencefalograma (EEG), el índice de supresión postictal, el tiempo para la respiración espontánea, para la duración de la abertura de los ojos y obedecer a los comandos. RESULTADOS: No hubo diferencia estadísticamente significativa entre los grupos en cuanto a los tiempos de las crises motora y en el EEG e índice de supresión postictal en los registros de EEG. Los tiempos de recuperación (tiempo de inicio de la respiración espontánea, de abertura de los ojos, y para obedecer a los comandos), fueron significativamente menores en el grupo E con relación al grupo P. No se observaron náuseas o vómitos, ni ninguna anormalidad en el ECG tampoco fue notada, excepto bradicardia sinusal transitoria y taquicardia sinusal. CONCLUSIONES: Aunque las convulsiones suficientes para el tratamiento hayan sucedido durante la anestesia con enflurano, ningún beneficio adicional fue observado sobre los tiempos de convulsión o sobre el índice de supresión postictal cuando se le comparó con la anestesia con propofol. Por otro lado, el ti...


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Período de Recuperação da Anestesia , Eletroconvulsoterapia , Enflurano/farmacologia , Propofol/farmacologia
18.
Cogitare enferm ; 16(2): 365-368, abr.-jun. 2011.
Artigo em Português | LILACS, BDENF - Enfermagem | ID: lil-605734

RESUMO

Neste estudo apresentamos aspectos referentes à eletroconvulsoterapia como recurso terapêutico em idosos que sofrem de depressão grave, com base no relato de nossa experiência. Objetivamos descrever a participação da equipe no procedimento da eletroconvulsoterapia e os recursos utilizados no ensino de estudantes de graduação e pós-graudação no cenário de prática. O grau de limitação associado à depressão geriátrica requer intervenção rápida, que é possibilitada pela eletroconvulsoterapia, procedimento eficaz e seguro. Na nossa prática, percebemos uma mudança nos aprendizes em relação aos conhecimentos, habilidades e atitudes adquiridos, quando “mitos são quebrados” e um novo conhecimento é construído. A eletroconvulsoterapia passa a ser reconhecida como uma estratégia terapêutica válida, útil e possível em Psiquiatria. Portanto, sugerimos a implementação de programas de ensino e de atualização permanente sobre a temática apresentada, tanto para estudantes quanto para profissionais da área da saúde.


Assuntos
Depressão , Eletroconvulsoterapia , Enfermagem Psiquiátrica , Idoso
20.
Arq. neuropsiquiatr ; 68(3): 433-451, June 2010. tab
Artigo em Inglês | LILACS | ID: lil-550281

RESUMO

The use of neuromodulation as a treatment for major depressive disorder (MDD) has recently attracted renewed interest due to development of other non-pharmacological therapies besides electroconvulsive therapy (ECT) such as transcranial magnetic stimulation (TMS), transcranial direct current stimulation (tDCS), deep brain stimulation (DBS), and vagus nerve stimulation (VNS). METHOD: We convened a working group of researchers to discuss the updates and key challenges of neuromodulation use for the treatment of MDD. RESULTS: The state-of-art of neuromodulation techniques was reviewed and discussed in four sections: [1] epidemiology and pathophysiology of MDD; [2] a comprehensive overview of the neuromodulation techniques; [3] using neuromodulation techniques in MDD associated with non-psychiatric conditions; [4] the main challenges of neuromodulation research and alternatives to overcome them. DISCUSSION: ECT is the first-line treatment for severe depression. TMS and tDCS are strategies with a relative benign profile of side effects; however, while TMS effects are comparable to antidepressant drugs for treating MDD; further research is needed to establish the role of tDCS. DBS and VNS are invasive strategies with a possible role in treatment-resistant depression. In summary, MDD is a chronic and incapacitating condition with a high prevalence; therefore clinicians should consider all the treatment options including invasive and non-invasive neuromodulation approaches.


O uso de técnicas de neuromodulação para o tratamento do transtorno depressivo maior (TDM) tem despertado um renovado interesse nos últimos anos com o desenvolvimento de outras intervenções não-farmacólogicas além da eletroconvulsoterapia (ECT), como a estimulação magnética transcraniana (EMT), a estimulação transcraniana por corrente continua (ETCC), a estimulação cerebral profunda (DBS) e a estimulação de nervo vago (VNS). MÉTODO: Nós organizamos um grupo de trabalho com vários pesquisadores para discutir os avanços recentes e os principais desafios para o uso da neuromodulação no tratamento do TDM. RESULTADOS: O estado-da-arte da neuromodulação foi revisado e discutido em quatro seções: [1] epidemiologia e fisiopatologia do TDM; [2] uma revisão das técnicas de neuromodulação; [3] o uso das técnicas de neuromodulação na depressão que ocorre associada ou em virtude de condições não-psiquiátricas; [4] os principais desafios da pesquisa na neuromodulação e alternativas para superá-los. DISCUSSÃO: ECT é o tratamento de primeira linha para depressão grave. EMT e ETCC são estratégias com um perfil benigno de efeitos adversos; contudo, enquanto os efeitos da EMT são comparáveis ao das drogas antidepressivas para o tratamento da TDM, a eficácia da ETCC ainda precisa ser estabelecida por mais pesquisas clínicas. DBS e VNS são intervenções invasivas com um papel possível para a depressão refratária. Em resumo, TDM é uma condição crônica, incapacitante e de alta prevalência; portanto na prática clínica todas as opções de tratamento possíveis, incluindo as farmacológicas e não-farmacológicas, devem ser consideradas.


Assuntos
Humanos , Transtorno Depressivo Maior/terapia , Terapia por Estimulação Elétrica/métodos , Eletroconvulsoterapia/métodos , Estimulação Magnética Transcraniana/métodos , Brasil , Estimulação Encefálica Profunda/métodos , Transtorno Depressivo Maior/fisiopatologia , Escalas de Graduação Psiquiátrica , Estimulação do Nervo Vago/métodos
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA