Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 13 de 13
Filtrar
Mais filtros










Filtros aplicados
Base de dados
Intervalo de ano de publicação
1.
Rev. colomb. cancerol ; 23(1): 3-11, ene.-mar. 2019. tab, graf
Artigo em Espanhol | LILACS | ID: biblio-1042743

RESUMO

Resumen Introducción: La hibridación in situ fluorescente (FISH) es una herramienta fundamental en oncopatología para confirmar el diagnóstico de algunas patologías, al igual que determinar el pronóstico y el tratamiento. Objetivo: Describir la experiencia del Instituto Nacional de Cancerología de Colombia (INC) con la técnica de FISH en las diferentes neoplasias hematológicas y tumores sólidos para conocer el comportamiento molecular de nuestra población. Materiales y métodos: Se realizó un estudio descriptivo retrospectivo de todos los resultados de FISH que se han realizado en tumores hematológicos y tumores sólidos en el laboratorio de Genética y Oncología Molecular del INC, entre 2012 y 2016. Resultados: En total se realizaron 1.713 pruebas de FISH, 1.010 (59%) fueron desarrolladas en neoplasias de origen hematolinfoide y 703 (41%) en tumores sólidos, de estos 428 (61%) correspondieron para HER2 de cáncer de seno. En tumores de tejidos blandos fueron evaluadas las sondas MDM2/CDK4, EWSR1, SS18, FUS, CHOP observando positividad en el 10%, el 43%, el 44%, el 20% y el 63%, respectivamente. En cáncer de pulmón se observó positividad en el 12%. Además se realizó estudios para la detección de melanoma y para la detección la codeleción del 1p/19q en gliomas. Discusión: En el INC de Colombia se confirmó la utilidad de la técnica de FISH como complemento en el diagnóstico, el pronóstico y el factor predictivo en el manejo de pacientes con cáncer. Observamos que la prevalencia de algunas pruebas varían de la reportadas en la literatura médica (C-MYC para linfomas, ALK para cáncer de pulmón).


Abstract Introduction: Fluorescent in situ hybridization (FISH) is a fundamental tool in oncopathology to confirm the diagnosis of some pathologies, as well as to determine the prognosis and treatment. Keywords: FISH; Hybridization; Lymphomas; Leukemia; Sarcomas; HER2 Objective: To describe the experience of the FISH in the National Institute of Cancerology of Colombia (INC) in different hematological malignancies and solid tumors to know the molecular behavior of our population. Materials and methods: A retrospective descriptive study was conducted of all the FISH results that have been carried out in the Genetics and Molecular Oncology laboratory of the INC between 2012 and 2016 in hematological tumors and solid tumors. Results: A total of 1713 FISH tests were performed, 1010 (59%) were developed in neoplasms of hematolymphoid origin and 703 (41%) in solid tumors, of these 428 (61%) corresponded to breast cancer (HER2). In soft tissue tumors, MDM2 / CDK4, EWSR1, SS18, FUS, CHOP probes were evaluated, observing positivity in 10%, 43%, 44%, 20% and 63%, respectively. In lung cancer, it has observed positivity in 12%. In addition, studies have been carried out to detect melanoma and to detect the 1p / 19q deletions in gliomas. Discussion: The INC of Colombia confirms the usefulness of the FISH technique as a complement in the diagnosis, prognosis and predictive factor in the management of patients with cancer. We observed that the prevalence of some tests varies from that reported in the medical literature (C-MYC for lymphomas, ALK for lung cancer).


Assuntos
Humanos , Terapêutica , Hibridização in Situ Fluorescente , Sarcoma , Leucemia , Genes erbB-2 , Neoplasias Hematológicas , Linfoma
2.
Oncol. (Guayaquil) ; 27(3): 253-258, 30 diciembre 2017.
Artigo em Espanhol | LILACS | ID: biblio-998928

RESUMO

Introducción: La quimioterapia neoadyuvante es ampliamente aceptada como tratamiento de elección en cáncer de mama localmente avanzado. El objetivo de la presente comunicación corta es conocer la tasa de respuesta completa patológica (pRC) luego de neoadyuvancia, la frecuencia de cirugía conservadora, así como también el porcentaje de la sobrevida. Métodos: Ingresaron al estudio pacientes con cáncer de mama que recibieron tratamiento de quimioterapia neoadyuvante y luego sometidas a cirugía, fueron analizadas retrospectivamente usando historias clínicas desde enero 2009 hasta diciembre 2011 en el Instituto Oncológico Nacional Dr. ¨Juan Tanca Marengo¨ Solca-Guayaquil, se excluyeron pacientes sin suficiente información clínica y aquellas tratadas en otros centros. El procesamiento de datos se realizó mediante un sistema estadístico SPSS v20. Resultados: 1367 pacientes con cáncer de mama fueron diagnosticadas desde el año 2009-2011, se excluyeron aquellas que no reunieron los criterios de inclusión. 200 pacientes evaluables recibieron quimioterapia neoadyuvante y fueron operadas. La edad promedio al diagnóstico fue de 51 años (rango 26-79 años), el tipo histológico ductal Infiltrante fue el más frecuente 185 (92.5 %), Lobular 10 (5 %), Medular 4 (2 %) y metaplásico 1 (0.5 %). El Grado histológico II 143 (71.5 %), Grado histológico III 30 (15 %). En Estadio I: 1 (0.5 %), IIA: 25 (12.5 %), IIB: 42 (21 %), IIIA: 58 (28 %), IIIB: 69 (34.5 %), IIIC: 5 (2.5 %). Conclusión: El cáncer de mama es un grupo heterogéneo, la mayoría de pacientes acuden con enfermedad avanzada (65 %), respuesta patológica completa (16.5 %) luego de neoadyuvancia es muy similar a la obtenida en otros estudios, como es conocido el grupo triple negativo obtuvo los mejores resultados (25 %) y una mejoría en el porcentaje de la sobrevida global en este subgrupo, es importante completar el protocolo de neoadyyuvancia previo a la cirugía para aumentar la tasa de pRC y así como también la cirugía conservadora (10 %) que es el objetivo primario en neoadyuvancia.


Introduction: Neoadjuvant chemotherapy is widely accepted as the treatment of choice in locally advanced breast cancer. The objective of this short communication is to know the pathological complete response rate (pRC) after neoadjuvant, the frequency of conservative surgery, as well as the percentage of survival. Methods: Patients with breast cancer who received neoadjuvant chemotherapy treatment and then underwent surgery, were retrospectively analyzed using clinical histories from January 2009 to December 2011 at the National Cancer Institute "Dr. Juan Tanca Marengo" Solca-Guayaquil, were excluded from the study patients without sufficient clinical information and those treated in other centers. Data processing was performed using a statistical system SPSS v20. Results: 1367 patients with breast cancer were diagnosed from the year 2009-2011, those who did not meet the inclusion criteria were excluded. 200 evaluable patients received neoadjuvant chemotherapy and were operated on. The average age at diagnosis was 51 years (range 26-79 years), the intracranial ductal histological type was the most frequent 185 (92.5 %), Lobular 10 (5 %), Medular 4 (2 %) and metaplastic 1 (0.5 %). The histological grade II 143 (71.5 %), histological grade III 30 (15 %). In Stage I: 1 (0.5 %), IIA: 25 (12.5 %), IIB: 42 (21 %), IIIA: 58 (28 %), IIIB: 69 (34.5 %), IIIC: 5 (2.5 %). Conclusion: Breast cancer is a heterogeneous group, most patients come with advanced disease (65 %), complete pathological response (16.5 %) after neoadjuvant is very similar to that obtained in other studies, as is known the triple negative group obtained the best results (25 %) and an improvement in the percentage of overall survival in this subgroup, it is important to complete the neoadjuvant protocol prior to surgery to increase the pRC rate as well as conservative surgery (10 %) it is the primary objective in neoadjuvant.


Assuntos
Humanos , Feminino , Neoplasias da Mama , Antígeno Ki-67 , Quimioterapia Combinada , Receptores de Superfície Celular , Genes erbB-2 , Antraciclinas
3.
Appl. cancer res ; 37: 1-12, 2017. tab, ilus
Artigo em Inglês | LILACS, Inca | ID: biblio-914958

RESUMO

Background: A reliable method to detect gene polymorphisms must be established to eliminate genotyping errors due to false PCR amplification. In the previous study, we have developed AS-PCR (Allele Specific-Polymerase Chain Reaction) to detect HER2 Ile655Val gene polymorphism with good specificity and sensitivity, yet it produces some errors. This study is aimed to eliminate the source of genotyping errors mainly by betaine treatment and PCR program modification. Methods: Genotyping errors produced by AS-PCR was qualitatively and quantitatively evaluated using two genomic DNA that each contained AA genotype and GG genotype of HER2 Gene. Betaine treatment or PCR program modification was tested to eliminate the occurrence of genotyping errors during AS-PCR amplification. Results: The types of genotyping errors exhibited by HER2 Ile655Val AS-PCR are diverse, ranging from LDO (Locus Drop Out), preferential amplification to ADO (Allele Drop Out). The rate of genotyping errors was from 10% to 50% depending on the amount and ratio of DNA template and the annealing temperature of PCR. In the mixed DNA template model, the betaine treatment has shown to reduce ADO only in preferentially amplified GG genotype amplicon. Alternatively, reducing the template of the heterozygous DNA by half ( -0.5 ng of DNA template) for such case has effectively recovered the AS-PCR from ADO. Furthermore, increasing the denaturation temperature to 96 °C with an annealing time of 40 s at the first 10 cycles of AS-PCR has succeeded in eliminating severe preferential amplification of AA genotype amplicon by preventing the DNA template with GG genotype from forming into a G-quadruplex structure. The guideline offered in this study has been successfully applied for clinical samples of breast cancer that show preferential amplification. Conclusion: Betaine and the modifying AS-PCR program can reduce significantly genotyping errors making AS-PCR for HER2 Ile655Val detection more reliable to be used as a molecular tool for genotyping purpose (AU)


Assuntos
Feminino , Adulto , Polimorfismo Genético , Códon , Reação em Cadeia da Polimerase , Genes erbB-2 , Alelos , Fator de Crescimento Epidérmico , Técnicas de Genotipagem
4.
São Paulo; s.n; 2004. [89] p.
Tese em Português | LILACS | ID: lil-419350

RESUMO

Objetivos: comparar a expressão imuno-histoquímica da oncoproteína c-erbB-2 e da proteína p53, supressora de tumor, em tecido molar fixado, de pacientes que apresentaram tumor trofoblástico gestacional com a daquelas com remissão espontânea e estimar ponto de corte na imuno-expressão dessas proteínas, na avaliação da evolução da mola hidatiforme. Método: observacional descritivo com grupo de comparação. O tamanho amostral constituiu-se por casos de mola hidatiforme com progressão para tumor trofoblástico gestacional do Setor de Doença Trofoblástica Gestacional da UNIFESPEPM, e o grupo de comparação a casos de mola hidatiforme, com evolução benigna, todos com possibilidade de avaliação imuno-histoquímica, atendidos no período de janeiro de 1993 a junho de 2002. 68 espécimes de tecido fixado de mola hidatiforme, 36, do grupo com evolução para tumor trofoblástico gestacional (Grupo de Estudo), e 32, do grupo com remissão espontânea (Grupo-Controle), foram submetidos ao estudo imunohistoquímico para pesquisa das proteínas c-erbB-2 e p53. Avaliou-se a expressão de c-erbB-2 segundo dois critérios: quantitativo, representado pela porcentagem de células com membrana citoplasmática totalmente delineada e semi-quantitativo nas categorias: negativo, positivo fraco e positivo forte. O p53 foi avaliado segundo a porcentagem de células com núcleos corados. Somente após leitura das lâminas identificou-se o grupo a que cada uma das lâminas pertencia. Para comparar o resultado da imuno-expressão dessas proteínas entre os dois grupos, utilizou-se: Teste t de Student e Prova de Mann- Whitney. Para estimar ponto de corte na imunoexpressão de c-erbB-2 e p53, na avaliação da evolução da mola hidatiforme, utilizou-se: curva ROC e análise de regressão logística. Resultados: As imuno-expressões das proteínas c-erbB-2 e p53 foram significantemente maiores, nas molas hidatiformes que evoluíram para malignização, que naquelas com remissão espontânea. As imuno-expressões não possibilitaram apurar ponto de corte ideal para avaliar a evolução da mola hidatiforme. Conclusões: a imuno-expressão de c-erbB-2 e p53, nas molas hidatiformes pode auxiliar na avaliação das suas evoluções, pois foi significantemente maior no grupo que evoluiu para malignidade


Assuntos
Genes erbB-2 , Genes p53 , Mola Hidatiforme , Oncogenes , Neoplasias Trofoblásticas
5.
Rev. bras. ginecol. obstet ; 25(1): 23-28, jan.-fev. 2003. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-335087

RESUMO

Objetivo: avaliar a imunoexpressäo da proteína HER-2 em punçäo biópsia aspirativa de carcinoma de ductos infiltrantes da mama e nos espécimes cirúrgicos correspondentes. Correlacionar a imunoexpressäo da proteína HER-2 com o grau histológico. Método: foram examinados 48 esfregaços fixados em álcool, previamente corados pela técnica de Papanicolaou, e cortes histológicos de blocos de parafina do tecido correspondente. Todos foram submetidos à técnica de imuno-histoquímica, utilizando o método da avidina-biotina-peroxidase com um anticorpo policlonal (A0485-Dako). As reações foram realizadas simultaneamente com recuperaçäo antigênica. A avaliaçäo dos resultados foi feita por método semiquantitativo, segundo a graduaçäo do HercepTest. Foram considerados positivos apenas os casos graduados em 3+. Resultados: observou-se positividade de 39,6 por cento nos esfregaços e 35,4 por cento nos cortes histológicos respectivos, sendo a concordância cito-histológica nos casos positivos quase perfeita (kappa 0,82). A utilizaçäo do método de avaliaçäo dos cortes histológicos mostrou-se reprodutível nos esfregaços e padronizou a interpretaçäo dos resultados. A correlaçäo entre a positividade para proteína HER-2 e o grau histológico näo foi significante, mas houve tendência a imunoexpressäo mais freqüente em tumores menos diferenciados. Conclusäo: a positividade das reações imunocitoquímicas nos esfregaços foi comparável à obtida nos cortes histológicos, podendo portanto o material de punçäo aspirativa por agulha fina, previamente corado pela técnica de Papanicolaou, ser utilizado na avaliaçäo da imunoexpressäo da proteína HER-2


Assuntos
Humanos , Feminino , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Neoplasias da Mama , Genes erbB-2 , Hibridização in Situ Fluorescente , Esfregaço Vaginal , Biópsia por Agulha , Imuno-Histoquímica
6.
Rev. bras. cancerol ; 48(1): 39-48, jan.-mar. 2002. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-314010

RESUMO

O câncer de mama é considerado a mais freqüente neoplasia que acomete mulheres em todo o mundo. No Brasil, representa a primeira neoplasia em incidência na mulher, sendo que a maioria dos casos relatados encontra-se na região Sul (67 por cento). Recentemente tem ocorrido um grande interesse na identificação de marcadores moleculares de valor prognóstico. Neste trabalho, tanto a proteína p53 quanto o produto do oncogene c-erbB-2 foram avaliados em 61 pacientes com câncer de mama sem comprometimento axilar. Tais pacientes foram diagnosticadas em Goiânia-Goiás, no Hospital Araújo Jorge, de 1992 a 1998. Blocos de parafina contendo tecidos tumorais das pacientes foram obtidos dos arquivos do Laboratório de Histopatologia do Hospital Araújo Jorge para a análise imuno-histoquímica. A expressão das proteínas p53 e c-erbB-2 foi avaliada através do complexo da streptoavidina-biotina-imunoperoxidase (SABC). Para a análise estatística foi utilizado o teste do c², através do programa SPSS. Houve associação significativa entre as expressões de p53 e c-erbB-2 (p=0.02). O método de Kaplan-Meier foi utilizado para se estimar as curvas de sobrevida e estas foram comparadas através do teste log-rank. De acordo com os resultados encontrados, os marcadores p53 e c-erbB-2 não mostraram associações significativas com os dados clínico-patológicos das pacientes ou com a sobrevida das pacientes, sugerindo que outros marcadores moleculares devem ser investigados na elucidação da etiopatogenia e evolução do câncer de mama não metastático.


Assuntos
Humanos , Feminino , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Neoplasias da Mama , Carcinoma , Genes erbB-2 , Genes p53 , Análise Multivariada , Biomarcadores Tumorais , Análise de Sobrevida , Brasil , Imuno-Histoquímica
7.
Säo Paulo; s.n; 2002. [121] p. tab, graf.
Tese em Português | LILACS | ID: lil-330764

RESUMO

Atualmente, com o emprego da mamografia mesmo em programas de rastreamento, o número de carcinomas diagnosticados ainda com pequenas dimensões, incluindo lesões não palpáveis, tem crescido de modo considerável, destacando-se o carcinoma ductal In sita". Esse fato aumentou a importância clínica dessas lesões e estimulou seu estudo para melhor compreensão de sua natureza e comportamento biológico. Os objetivos deste estudo foram avaliar os achados clínicopatológicos (idade, lateralidade e tamanho do tumor, arquitetura, grau nuclear, necrose e grau histológico) em 74 casos de carcinoma ductal "in situ" da mama feminina e a expressão das proteínas ciclina D1, receptor de estrógeno, HER-2 e p53 pelo método imuno-histoquímico, e correlacionar a expressão dessas proteínas entre si e com parâmetros patológicos. A idade das pacientes variou de 32 a 78 anos. Predominaram os tumores maiores que 15,Omm (58,20 por cento) com mais de um padrão arquitetural (78,37º/0), de alto grau histológico ou pouco diferenciados (67,56 por cento) e com comedonecrose (72,97 por cento). O estudo imano-histoquímico mostrou 59 casos (79,72 por cento) positivos para a ciclina D1 e 15 (30,28 por cento) negativos; 18 (24,65 por cento) positivos para a proteína p53 e 55 (75,35 por cento) negativos; 48 (66,66 por cento) positivos para HER-2 e 24 (33,33 por cento) negativos e 50 (68,49 por cento) positivos para o receptor de estrógeno e 23 (31,51 por cento) negativos. A expressão da cidina D1 relacionou-se com a expressão do receptor de estrógeno (p=0,008). Não houve associação significante entre a expressão desta proteína e outros marcadores e parâmetros anatomopatológicos. A expressão do receptor de ...(au)


Assuntos
Carcinoma Ductal de Mama , Ciclina D1 , Genes erbB-2 , Genes p53 , Imuno-Histoquímica , Proteínas
8.
Rev. bras. mastologia ; 11(4): 143-150, dez. 2001. ilus, tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-311295

RESUMO

HER-2/neu é oncogene membro da família dos fatores de crescimento epidérmico e sua amplificação é uma das alterações genéticas mais comuns no câncer da mama. No carcinoma mamário, a amplificação do gene HERð2/neu ocorre em 25 por cento a 30 por cento dos casos. A superexpressão da proteína HERð2/neu correlacionaðse com fatores prognósticos adversos e aparentemente interfere na resposta a determinados regimes quimioterápicos. A proteína HERð2/neu é alvo de imunoterapia específica utilizando o anticorpo monoclonal humanizado trastuzumab. A avaliação da amplificação do gene pelo método do FISH e da proteína HERð2/neu através do método imunoistoquímico é passo importante no planejamento terapêutico de pacientes com câncer da mama. Este artigo de revisão aborda os principais aspectos da biologia do HERð2/neu no câncer da mama, seu significado clínico e as metodologias atuais na detecção do HERð2/neu em tecido


Assuntos
Humanos , Feminino , Neoplasias da Mama , Expressão Gênica , Genes erbB-2 , Imuno-Histoquímica , Valor Preditivo dos Testes , Prognóstico , Receptor ErbB-2 , Antineoplásicos/uso terapêutico , Imunoterapia
9.
Rev. bras. cancerol ; 47(4): 377-388, out.-dez. 2001. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-311337

RESUMO

A identificação de marcadores que possam predizer o comportamento dos tumores é especialmente importante em câncer de mama devido, sobretudo, à variabilidade na progressão clínica da doença. Alguns marcadores tumorais e suas relações com o prognóstico são discutidos, dando-se ênfase àqueles que utilizam, para sua detecção, o método imuno-histoquímico e onde possa ser empregado material fixado em formol e embebido em parafina (material de arquivo). Os receptores hormonais (RH) são os menos polêmicos e os tumores positivos para estes marcadores, geralmente, apresentam menor tamanho, menor grau histológico e nuclear, uma melhor resposta à terapia hormonal e um melhor prognóstico. Para os outros marcadores tumorais aqui apresentados (c-erbB-2, catepsina D, MIB-1, PCNA, p53) existem muitas controvérsias, mas parte da literatura associa sua presença com tumores de alto grau histológico e com um pior prognóstico. As divergências existentes na literatura são discutidas e chega-se a conclusão que mais estudos são necessários antes que os marcadores tumorais possam ser utilizados como fatores prognósticos do câncer de mama.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Neoplasias da Mama , Genes erbB-2 , Genes p53 , Biomarcadores Tumorais , Antígeno Nuclear de Célula em Proliferação , Receptores de Superfície Celular , Imuno-Histoquímica , Prognóstico
11.
Acta gastroenterol. latinoam ; 31(2): 71-6, 2001. ilus
Artigo em Espanhol | LILACS | ID: lil-288643

RESUMO

Aunque los datos de las alteraciones genéticas que conducen al desarrollo de cáncer colorectal son abundantes, las alteraciones genéticas específicas para cada clase de tumor no han sido demostradas. El fenotipo cáncer colorectal es originado por la acumulación de diferentes alteraciones genéticas. La naturaleza de esas alteraciones, su orden de aparición y sus asociaciones, varian ampliamente de un tumor a otro, sugiriendo que el concepto de un modelo único de carcinogénesis no es aplicable a estos tumores. El objetivo del presente trabajo fue estudiar la asociación entre las mutaciones en los protooncogenes K-ras y c-erbB-2 con diferentes variables clinicopatológicas en 54 muestras de adenocarcinomas de colon. La detección de la activación de K-ras en 16 casos fue hecha mediante PCR alelo específica. Para la detección de la amplificación genética en c-erbB-2 se empleó un método de coamplificación por PCR con gen de copia única como referencia. Fueron detectadas mutaciones en K-ras en 16 casos (29,63 por ciento) y amplificación en c-erbB-2 en una muestra (1,85 por ciento). El análisis estadístico mostró una asociación significativa entre frecuencia de mutaciones en el codón 12 de K-ras y el estadio B de Dukes (p<0.005). Por otra parte, no se encontró asociación alguna con los otros parámetros estudiados. Estos resultados indicarian que la activación del protooncogén K-ras podría ocurrir en estadíos tempranos de la enfermedad.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adenocarcinoma/genética , Neoplasias do Colo/genética , Regulação Neoplásica da Expressão Gênica , Genes erbB-2/genética , Genes ras/genética , Adenocarcinoma/patologia , Neoplasias do Colo/patologia , Amplificação de Genes , Mutação , Reação em Cadeia da Polimerase
12.
Säo Paulo; s.n; 2000. 90 p. ilus.
Tese em Português | LILACS | ID: lil-272585

RESUMO

Realizamos estudo imunohistoquímico da expressão dos oncogenes c-erb B-2, bcl-2, do gene supressor de tumor p53 e do antígeno de proliferação nuclear PCNA, em 150 espécimens de pacientes portadores de adenocarcinoma da próstata e submetidos a prostatectomia radical retropúbica. A idade média dos pacientes foi de 62 anos (41 a 75) e 67 pacientes tinham doença em estadio Tl e 83 em estadio T2. Foram excluídos os espécimens de pacientes que tinham história de deprivação androgênica, RTU da próstata, radioterapia ou qualquer modalidade de terapia prévia. Os espécimens foram avaliados histologicamente sob três aspectos: volume tumoral, escore de Gleason e extensão tumoral tendo sido realizada uma correlação da presença das proteínas c-erb B-2, bcl-2, p53 e PCNA e subcategorias dos parâmetros histológicos de prognóstico. No estudo dos espécimens analisados 66 por cento, 23 por cento, 30 por cento, 43 por cento, apresentaram expressão imunohistoquímica do c-erb B-2, bcl-2, p53 e PCNA respectivamente. Os nossos resultados não indicaram uma associação entre a expressão imunohistoquímica das proteínas dos genes c-erb B-2, bcl-2 e PCNA, com o volume tumoral, com o escore de Gleason e com a progressão tumoral. A expressão imunohistoquímica da proteína do gene p53 também não se associou ao volume tumoral e ao escore de Gleason mas, acompanhou-se de uma correlação estatisticamente significante com a progressão local do tumor


Assuntos
Genes bcl-2 , Genes erbB-2 , Genes p53 , Genes Supressores de Tumor , Imuno-Histoquímica , Neoplasias da Próstata , Oncogenes , Antígeno Nuclear de Célula em Proliferação
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA