Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 20 de 1.265
Filtrar
1.
Revista Digital de Postgrado ; 9(2): 211, ago. 2020.
Artigo em Espanhol | LILACS, LIVECS | ID: biblio-1103439

RESUMO

En años recientes los venezolanos hemos enfrentado problemas de diversa índole con relación a la situación de salud. Entre ellos, problemas en la prescripción y la obtención de medicamentos. En esta publicación se tratarán aspectos importantes para la correcta prescripción y obtención de medicamentos, lo cual, a su vez, debería ser el colofón de la atención médica de primera que siempre ha caracterizado a nuestro país y que hoy, lamentablemente, ha devenido en una situación muy dolorosa. La prescripción y obtención de medicamentos puede verse dificultada por diversos inconvenientes, entre los cuales podemos considerar aquellos que tienen relación con el medicamento propiamente dicho, con el prescriptor y el cliente, con las regulaciones vigentes en nuestro país y con la disponibilidad en los centros autorizados para su venta. Como consecuencia de una prescripción inadecuada y un consumo inapropiado de medicamentos pueden surgir problemas muy serios, entre los cuales habría que destacar, en el campo de los antiinfecciosos, la resistencia bacteriana. Y en el campo de fármacos destinados al tratamiento del dolor, la ansiedad y el insomnio, la posibilidad de adicciones diversas. La prescripción adecuada de medicamentos conlleva la necesidad de conocer, a la par de los efectos beneficiosos y terapéuticos de los mismos, la posibilidad de efectos adversos e interacciones. Todos los prescriptores sanitarios deben conocer los fundamentos de la Farmacovigilancia, la cual permitirá conocer el verdadero balance riesgo-beneficio de los fármacos, por lo cual hacemos una breve mención de la misma al final de esta presentación(AU)


In recent years, Venezuelans have faced various kinds of problems related to the health situation. Among them, problems in prescription and acquisition of medicines. This publication will discuss important aspects for the correct prescription and obtention of medicines, which, in turn, should be the culmination of the excellent medical care that has always characterized our country but that today, unfortunately, has become a very disgraced and sad situation. Prescription and acquisition of medicines can be hindered by various inconveniences, among which we can consider those that are related to the product itself, to the prescriber and the client, to the regulations in force in our country and to the availability in authorized centers for sale. As a result of an inadequate prescription and consumption of medications, very serious problems can arise, among which, in the field of anti-infectives, bacterial resistance should be highlighted. In the field of drugs for the treatment of pain, anxiety and insomnia, the possibility of diverse addictions. Proper prescription of medicaments entails the need to know, along with their beneficial and therapeutic effects, the possibility of adverse effects and interactions. All health prescribers must know the basics of Pharmacovigilance, which allow to know the true risk-benefit balance of drugs, so we make a brief mention of it at the end of this presentation.(AU)


Assuntos
Humanos , Prescrições de Medicamentos/normas , Resistência Microbiana a Medicamentos , Direito à Saúde , Farmacologia Clínica , Especificações Sanitárias , Farmacovigilância
2.
RECIIS (Online) ; 14(2): 473-483, abr.-jun. 2020. ilus
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1102911

RESUMO

A interface entre a comunicação e a saúde é construída coletivamente, envolvendo uma miríade de interlocutores em contextos sociais determinados, com o objetivo final de tornar efetivos os direitos à comunicação e à saúde, previstos na Constituição Federal de 1988. Para promover este encontro, bem como capacitar profissionais de ambas as áreas, a Escola de Saúde Pública de Minas Gerais (ESP-MG) oferece o curso de Pós-graduação em Comunicação e Saúde, no qual a disciplina Teorias da Comunicação tem destaque, uma vez que é primordial conhecer os fundamentos da comunicação humana e a dinâmica da Comunicação Social, com ênfase no campo teórico-prático conhecido como Comunicação e Saúde (CeS). Este artigo relata a experiência do curso a partir da disciplina Teorias da Comunicação, de modo a situá-la como conhecimento essencial não somente para os comunicadores, mas também para os profissionais de saúde.


The interface between communication and health is built collectively, involving a myriad of interlocutors in determined social contexts, with the ultimate goal of making the communication and health rights established in the 1988 Federal Constitution effective. In order to promote this exchange, as well as training professionals from both areas, the School of Public Health of Minas Gerais (SP-MG) offers the postgraduate course in Communication and Health, in which the Theories of Communication discipline is highlighted, since it is essential to know the fundamentals of human communication and the dynamics of Social Communication, with emphasis on the theoretical-practical field known as Communication and Health (CES). This article reports the experience of the course from the Theories of Communication subject, in order to situate it as essential knowledge not only for communicators, but also for health professionals.


La interfaz entre la comunicación y la salud se construye colectivamente, involucrando una miríada de interlocutores en contextos sociales determinados, con el objetivo final de hacer efectivos los derechos a la comunicación ya las saludes previstas en la Constitución Federal de 1988. Para promover este encuentro, como la capacitación de profesionales de ambas áreas, la Escuela de Salud Pública de Minas Gerais (ESP-MG) ofrece el curso de Postgrado en Comunicación y Salud, en el cual la disciplina Teorías de la Comunicación tiene destaque, ya que es fundamental conocer los fundamentos de la comunicación humana y la dinámica de la Comunicación Social, con énfasis en el campo teórico-práctico conocido como Comunicación y Salud (CeS). Este artículo relata la experiencia del curso a partir de la disciplina Teorías de la Comunicación, para situarla como conocimiento esencial no sólo para los comunicadores, sino también para los profesionales de la salud.


Assuntos
Humanos , Brasil , Saúde Pública , Educação , Educação de Pós-Graduação , Comunicação em Saúde , Escolas para Profissionais de Saúde , Comunicação Social , Acesso à Informação , Direito à Saúde
3.
Lima; Perú. Congreso de la República; 20200500. 3 p.
Não convencional em Espanhol | LILACS, LIPECS | ID: biblio-1116574

RESUMO

El documento contiene el marco normativo que habilita a las entidades públicas para disponer las medidas temporales excepcionales que resulten necesarias para asegurar que el retorno gradual de los/as servidores/as civiles a prestar servicios en sus centros de labores se desarrolle en condiciones de seguridad, garantizando su derecho a la salud y el respeto de sus derechos laborales, permitiendo ello al Estado promover las condiciones para el progreso social y recuperación económica.


Assuntos
Administração de Recursos Humanos , Segurança , Setor Público , Decreto Legislativo , Direito à Saúde
4.
Pesqui. prát. psicossociais ; 15(1): 1-11, jan.-abr. 2020.
Artigo em Português | LILACS, Index Psicologia - Periódicos técnico-científicos | ID: biblio-1098430

RESUMO

O presente artigo objetiva analisar práticas de judicialização da saúde na atualidade como um dos efeitos da biopolítica contemporânea. A gestão de riscos e perigos é colocada no centro das encomendas pelo direito à saúde e dispara uma inflação judicial como pedido de segurança. Problematizar essa racionalidade produtora de biocidadanias por uma bioletigimidade é uma preocupação neste ensaio teórico. O Estado Democrático de Direito nasce com a emergência de uma sociedade de direitos e a extensão da Medicina Social como balizas da política da vida, pautada no governo da saúde, em prol do aumento de capacidades e desempenhos. Assim, a biopolítica passa a ser modulada pela produção da autonomia e do ativismo dos sujeitos biológicos. Esses biocidadãos seriam demandantes do acesso à saúde, ao exercício de capacidades e à possibilidade de escolher formas de viver.


This article aims to examine legalization of health practices in the present as one of the effects of contemporary biopolitics. The management of risks and dangers is placed in the center of the orders for the right to health and triggers a judicial inflation as application security. Problematize this producer biocitizenships rationality by a biolegitimacy is a concern, this theoretical essay. The democratic state is born along with the emergence of a society of rights and the extension of social medicine as beacons of political life, based on the health government in support of capacity building and performance. Thus, biopolitics becomes modulated by the production of autonomy and activism of biological subjects. These would biocitizens plaintiffs access to health, exercise capacity and the ability to choose ways of living.


Este artículo tiene como objetivo examinar la legalización de prácticas de salud en el presente como uno de los efectos de la biopolítica contemporánea. La gestión de los riesgos y peligros que se coloca en el centro de los pedidos para el derecho a la salud y provoca una inflación judicial como garantía de la aplicación. Problematizar estos biociudadanias productores racionalidad por un biolegitimidad es una preocupación, este ensayo teórico. El Estado democrático nace junto con la aparición de una sociedad de derechos y la extensión de la medicina social como faros de la vida política, basada en el gobierno de la salud en apoyo de la creación de capacidades y el rendimiento. Por lo tanto, la biopolítica se convierte modulados por la producción de la autonomía y el activismo de temas biológicos. Estos haría biociudadanos demandantes el acceso a la salud, la capacidad de ejercicio y la capacidad de elegir formas de vida.


Assuntos
Judicialização da Saúde , Direito à Saúde , Medicina Social , Participação da Comunidade , Acesso aos Serviços de Saúde
5.
Guatemala; Ministerio de Salud Pública y Asistencia Social; 2020. 1-23 p. ilus.
Não convencional em Espanhol | LILACS, MOSAICO - Saúde integrativa | ID: biblio-1102973

RESUMO

El presente documento recopila algunas acciones sugeridas desde el Ministerio de Salud Pública y Asistencia Social -MSPAS-, a través de la Unidad de Pueblos Indígenas e Interculturalidad, para su aplicación en comunidades donde viven o prevalecen habitantes de los pueblos Maya, Garífuna y Xinka, para afrontar el nuevo coronavirus COVID-19, que afecta en la actualidad a nivel nacional y mundial. Se trata de una guía para consulta y uso de comunidades y organizaciones de pueblos indígenas, así como del personal de salud. Las acciones propuestas se basan en la necesidad de brindar, por parte del personal de salud pública, una atención integral y con pertinencia cultural, durante las diferentes intervenciones, para dar cumplimiento a los derechos colectivos de los pueblos indígenas, que, debido a los diversos contextos socioculturales, requieren una atención diferenciada, con enfoque de derechos humanos. Asimismo, se incluye información resumida referente a la pandemia COVID-19, brindada por las autoridades sanitarias nacionales e internacionales; mensajes principales de la campaña institucional MSPAS para prevenir y contener el virus, más las buenas prácticas de otros contextos y países, que han asumido el compromiso de enfrentar la pandemia junto a los pueblos indígenas, lo cual también contribuye a una mejor comunicación y coordinación entre los pueblos y comunidades indígenas y sus autoridades propias, con las autoridades en salud y del país.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Infecções por Coronavirus , Competência Cultural , Serviços de Saúde do Indígena , Saúde Pública , Direito à Saúde , Guatemala
6.
Saúde Soc ; 29(1): e181173, 2020. tab, graf
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1101909

RESUMO

Resumo Este artigo apresenta resultados de uma pesquisa de mestrado que estudou o campo da comunicação em vigilância sanitária por meio do Facebook, a plataforma social mais popular no Brasil e que sustenta uma nova configuração comunicativa para a promoção da saúde. Busca-se revelar potências e fragilidades dos processos comunicativos digitais que evocam a midiatização do risco sanitário, a fim de verificar se essas iniciativas podem ser consideradas ferramentas de proteção social e de consolidação do direito à saúde. Primeiramente, identificamos as vigilâncias sanitárias com páginas no Facebook. Então, analisamos o que estava sendo comunicado e de que forma. O aplicativo Netvizz foi empregado na mineração dos dados. Fundamentos da análise de redes sociais e da análise de conteúdo guiaram o modelo analítico proposto. As páginas no Facebook da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa Oficial) e da Vigilância Sanitária do município do Rio de Janeiro (Vigilância Sanitária Rio) foram selecionadas para análise de conteúdo. Das 30 postagens de maior engajamento, publicadas entre 1º de junho e 1º de dezembro de 2017, foram revelados os temas com mais reações, comentários e compartilhamentos por parte dos usuários conectados: medicamento, na página Anvisa Oficial; e controle de zoonoses, para a Vigilância Sanitária Rio. Cada tema está associado a uma diversidade de riscos sanitários, os quais revelam tensões e conflitos entre a sociedade e o poder público conectados. Acreditamos na comunicação digital como alternativa contemporânea para incrementar ferramentas de proteção social, fortalecer o direito à informação e, consequentemente, consolidar o direito à saúde.


Abstract This article presents the results of a master´s program study on sanitary surveillance communication through Facebook, the most popular social platform in Brazil that offers a new communication configuration for health promotion. It verifies the strong and weak points of digital communication processes that evoke sanitary risk mediatization in order to evaluate whether such strategies can be considered tools for social protection and the consolidation of the right to health. Firstly, public organizations in Brazil identified as Sanitary Surveillance Services (SSS) that hold a fanpage on Facebook are listed. We then describe what is being communicated and how. The application software Netvizz was used for data mining. Social Network Analysis and Content Analysis were used as guides to construct an analytical model. Both the Anvisa Oficial and Vigilância Sanitária Rio fanpages were selected to content analysis of their 30 most engaged posts, published in 2017 between June 1st and December 1st. Those fanpages represent the Federal Brazilian SSS (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) and the Rio de Janeiro municipality´s SSS, respectively. The topics related to the highest engagement (highest sum of reactions, comments and shares) were: medicine from Anvisa Oficial posts and zoonosis control from Vigilância Sanitária Rio posts. Each topic can be associated to many sanitary risks and reveal various tensions and conflicts between interconnected society and public health services. We believe in digital communication as a contemporary alternative to increment social protection, reinforce the right to information and, consequently, consolidate the right to health.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Vigilância Sanitária , Risco à Saúde Humana , Comunicação em Saúde , Mídias Sociais , Direito à Saúde , Promoção da Saúde
7.
Saúde Soc ; 29(1): e190256, 2020. tab, graf
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1101908

RESUMO

Resumo Este artigo analisa o fenômeno da judicialização da saúde como forma de garantir acesso a tecnologias em saúde (medicamentos, insumos, consultas e procedimentos médicos especializados, órteses, próteses e materiais especiais) no sistema de saúde em Manaus. Partiu-se de uma análise das ações judiciais peticionadas na justiça amazonense de primeiro grau entre 2013 e 2017, com análise referencial e crítica de situações semelhantes encontradas na literatura em outros estados da federação. A pesquisa foi realizada em quatro etapas, que consistiram na identificação de todas as ações relacionadas à saúde, seleção, construção de banco de dados com as categorias retiradas dos processos e tratamento estatístico, e análise dos dados coletados. O resultado demostrou os principais motivos que desencadeiam a judicialização da saúde, entre os quais a majoritária representação judicial realizada por órgãos de defesa da cidadania da esfera pública. Também ficou clara a interferência da justiça nos fluxos e procedimentos do Sistema Único de Saúde, decidindo de forma personalíssima em detrimento da coletividade. Conclui-se pela necessidade de diálogo entre os órgãos de justiça e da saúde, forçando maior organização dos entes federados no cumprimento de suas obrigações e redução de ações na justiça para obtenção do direito à saúde.


Abstract This article analyzes the judicialization of health phenomenon as a means of ensuring access to health technologies (medicine, supplies, specialized medical appointments and procedures, orthoses, prostheses, and special materials) in the health system of Manaus, Brazil. Based on a delimited analysis between 2013 and 2017 of existing lawsuits in the Amazonian first degree jurisdiction, with a referential and critical analysis of similar situations in other Brazilian states found in the literature. Carried out in four stages, the research consisted in identifying all health related resolutions, selection, construction of database with categories from the proceedings, statistical treatment, and data analysis. Results showed the main reasons for the judicialization of health, as the major judicial representation carried out by organs of defense of the public sphere citizenship. Also, justice interference in the flows and procedures of the Brazilian National Health System (SUS), by biased decisions in detriment of the community. There is a need for dialogue between the justice and health agencies, enforcing greater organization of federal entities in the fulfillment of their obligations, and reducing court actions to attain the right to health.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Sistema Único de Saúde , Sistemas de Saúde , Tecnologia Biomédica , Judicialização da Saúde , Direito à Saúde
8.
Saúde Soc ; 29(1): e190048, 2020. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1094486

RESUMO

Resumo O objetivo foi identificar princípios invocados numa política intersetorial de saúde, tomando como caso uma proposta legislativa de revogação da fluoretação da água no Brasil apresentada em 2003. Realizou-se estudo descritivo por meio de pesquisa documental, na qual foram selecionados registros gerados na tramitação do Projeto de Lei nº 510/2003 na Câmara dos Deputados. Buscou-se destacar estratégias discursivas utilizadas pelos atores conforme o jogo de interesses e o contexto conflitivo, utilizando-se o institucionalismo histórico como referencial teórico. O Projeto de Lei tramitou 13 meses, passando pelo Plenário, por três comissões, e sendo arquivado. Três deputados de partidos distintos, órgãos do Poder Executivo federal, agências reguladoras e entidades representativas da categoria odontológica, da saúde pública/coletiva, da engenharia sanitária e das empresas de saneamento participaram diretamente do debate em que emergiram os princípios da segurança da intervenção, dos custos econômicos e do direito à saúde. Em relação às estratégias discursivas utilizadas, os principais elementos invocados no debate da política intersetorial de saúde foram o princípio da incerteza, criando-se falsas categorias científicas a fim de sobrevalorizar os efeitos desfavoráveis e sustentar a implementação de medidas individualizantes; e os princípios morais que definem diferentes tipos de bens econômicos e dimensões de liberdade associadas ao exercício de direitos.


Abstract The objective was to identify principles invoked in a population-based health policy, taking as case a legislative proposal aimed at revoking water fluoridation in Brazil presented in 2003. We conducted a descriptive study through documentary research on records generated in the course of the Bill proposal No. 510/2003 in the Federal Chamber of Deputies. We highlighted discourse strategies used by the actors as per their own interests and the conflicting context by utilizing historical institutionalism as theoretical ground. The proposal was debated for 13 months, going through the House Plenary, three committees, and was finally filed. Three deputies from different parties, federal executive agencies, regulatory agencies, and entities representing dental, public/collective health, sanitary engineering, and sanitation companies participated directly in the debate in which the principles of intervention security, economic costs and the right to health emerged. Regarding the discourse strategies used, the main elements invoked in the debate on population-based health policy were: the principle of uncertainty, creating false scientific categories in order to overvalue unfavorable effects and to support the implementation of individualizing measures; and the moral principles that define different types of economic goods and dimensions of freedom associated with the exercise of rights.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Política Pública , Saneamento , Fluoretação , Colaboração Intersetorial , Direito à Saúde , Política de Saúde
9.
Brasília; IPEA; 2020. 68 p. ilus.(Texto para Discussão / IPEA, 2547).
Monografia em Português | LILACS, ECOS | ID: biblio-1102003

RESUMO

O direito à saúde no Brasil ganhou espaço no debate público, especialmente nas últimas duas décadas, em função do aumento do acionamento do Poder Judiciário por parte dos cidadãos que requerem do Estado a garantia de acesso a medicamentos, exames, internações, entre outros bens e serviços de saúde. O objetivo deste texto é discutir os limites das decisões do Poder Judiciário relacionadas a demandas individuais, na forma em que essas decisões ocorrem hoje, para a efetividade do direito à saúde no Brasil. Realizou-se uma revisão narrativa da literatura técnico-científica e de documentos legais para se organizar a discussão sobre os assuntos tratados. Informações sobre a distribuição das defensorias públicas no Brasil, a execução orçamentária do Ministério da Saúde com demandas judiciais e o financiamento do Sistema Único de Saúde (SUS) foram utilizadas para fundamentação dos argumentos apresentados. Além disso, um fluxograma foi elaborado para demonstrar a racionalidade presente no conjunto de enunciados aprovados nas três Jornadas de Direito da Saúde promovidas pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Apresentam-se os contornos do direito à saúde no Brasil, destacando-se o seu reconhecimento pelo Estado como direito humano fundamental e a amplitude desse direito, que se verifica na anuência com o modelo de determinação social da doença presente na Constituição Federal de 1988 (CF/1988). Alguns avanços promovidos pelo SUS são apresentados, e mostra-se que, a despeito desses progressos, persistem grandes desigualdades e iniquidades em saúde. Um panorama da judicialização da saúde no Brasil é apresentado, buscando-se mostrar a ampliação das demandas individuais, discutir os aspectos positivos e negativos do processo atual, apresentar as iniciativas adotadas para redução dessas demandas e a racionalidade por trás dos enunciados do CNJ, os quais orientam a atuação dos magistrados em matéria de saúde pública. Algumas questões que precisam ser consideradas pelo sistema de Justiça são discutidas, defendendo-se, por fim, que a justiça do caso concreto, a microjustiça, é importante para assegurar que todos sejam tratados de forma isonômica pelo Estado, segundo as condições estabelecidas nas políticas públicas, não sendo apropriado, contudo, que o Judiciário determine a oferta, pelo Executivo, de tecnologias em saúde não previstas nas políticas. Defende-se também que a ampliação do olhar do sistema de Justiça para o exercício da macrojustiça se faz necessária, a fim de que se exerçam controles sobre a formulação e a implementação de políticas públicas nesta área, assim como sobre políticas macroeconômicas, como forma de se conferir efetividade ao direito à saúde no país.


Assuntos
Decisões Judiciais , Direito à Saúde , Disparidades nos Níveis de Saúde , Equidade no Acesso aos Serviços de Saúde , Poder Executivo , Poder Judiciário
10.
São Paulo; s.n; 2020. 156 p.
Tese em Português | LILACS | ID: biblio-1050439

RESUMO

O Instituto da Criança do Hospital das Clinicas da Faculdade de Medicina da USP, realiza anualmente cerca de 700 mil exames laboratoriais, 66 mil consultas ambulatoriais e 2 mil cirurgias. Considerando números dessa magnitude, sendo centro de referência em 21 especialidades para tratamento de crianças e adolescentes, não só de São Paulo, como do país inteiro, esta pesquisa se propôs explorar as dificuldades dos médicos prescritores do ICr em concretizar o Direito à Saúde, frente as necessidades dos usuários do Instituto. Para tanto, foram selecionados aleatoriamente 31 médicos pediatras prescritores para responderem 6 questões abertas. Dentre os principais pontos apresentados por eles estão os conflitos com indústria farmacêutica, grande volume de pacientes atendidos, falta de disponibilidade de terapias, defasagem na incorporação de tecnologias, limitação de medicamentos, a questão social dos pacientes e familiares, gestão de pessoas e pressão da gestão para cumprimento de regras. A Instituição, por sua vez, possui medidas e recomendações em relação ao atendimento de pacientes, à prática médica, à prescrição de medicamentos e insumos, judicialização e outras. Nos entrevistados foram identificadas algumas falhas, principalmente acerca do entendimento do papel que exercem na concretização do SUS e de que forma podem agir na tentativa de modificar seu cenário. A alternativa proposta foi o uso da Educação Permanente em Saúde como uma ferramenta de problematização e reflexão, de forma coletiva, sobre a realidade e particularidades que necessitam ser consideras. Proporcionar uma visão integral do SUS e estimular práticas inovadoras para superação de obstáculos faz com que os médicos se sintam ouvidos e empoderados e, ao mesmo tempo, os profissionais estarão mais bem preparados para o cumprimento de normas administrativas e judiciais que envolvam a administração pública.


The Children Institute of the Hospital das Clínicas, Faculty of Medicine of USP, annually conducts about 700,000 laboratory tests, 66,000 outpatient consultations and 2,000 surgeries. Considering numbers of this magnitude, being a reference center in 21 specialties for the treatment of children and adolescents, not only from São Paulo, but from all over the country, this research aimed to analyze the health and legal challenges faced by prescribing doctors in achieving the Right to Health compared to the needs of the users of the Institute of Children of the Hospital das Clínicas of School of Medicine of University of São Paulo. Therefore, 31 prescribing pediatric doctors were randomly selected to answer 6 open questions. Among the main points presented by them are the conflicts with the pharmaceutical industry, the large volume of patients attended, the lack of therapies availability, the lack of technology incorporation, the limitation of drugs, the social issue of patients and their families, the people management and the pressure for compliance with rules. The institution, in turn, has measures and recommendations regarding patient care, medical practice, prescription of drugs and supplies, judicialization and others. In the interviewees some flaws were identified, mainly about the understanding of the role they play in the implementation of SUS and how they can act in an attempt to modify their scenario. The proposed alternative was the use of Permanent Health Education as a tool of problematization and reflection, collectively, about the reality and particularities that need to be considered. Providing an integral view of the SUS and stimulating innovative practices to overcome obstacles makes doctors feel heard and empowered, while professionals are better prepared to comply with administrative and judicial standards involving public administration.


Assuntos
Direito à Saúde , Saúde Pública , Educação Continuada , Prescrições , Sistema Único de Saúde
11.
Rev. latinoam. bioét ; 19(2): 29-44, jul.-dic. 2019. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1115723

RESUMO

Resumo: A desigualdade permeia diversos setores da realidade brasileira, de modo que atinge também a saúde. No que tange às pessoas com deficiência, a assimetria é ainda mais latente. Esta pesquisa procurou identificar, em produções científicas, as dificuldades enfrentadas por pacientes com deficiência no Brasil, no âmbito do acesso à saúde, o que, na prática, acentua a sua vulnerabilidade. Dessa forma, por meio da associação dos descritores "saúde", "pessoa" e "deficiência", realizou-se uma busca de publicações de 2009 a 2018 nas bases de dados Periódicos Capes, Lilacs e scielo Brasil. Da análise de 29 artigos, emergiram quatro categorias: a) preparação profissional para o atendimento de pacientes com deficiência; b) barreiras à acessibilidade à saúde; c) comunicação entre paciente com deficiência e médico/equipe; e d) dupla vulnerabilidade da mulher com deficiência. As respectivas categorias foram estudadas sob a perspectiva da bioética devido à interdisciplinaridade do tema e demonstraram as dificuldades enfrentadas pelas pessoas com deficiência. Como sugestões de melhorias, é possível destacar a modificação na atuação médica, a capacitação dos profissionais e o aprimoramento de políticas de saúde que visem à garantia do direito fundamental à saúde e à autodeterminação dos pacientes.


Abstract: Inequality pervades several sectors of the Brazilian reality, so it also reaches the health sector. Regarding disabled people asymmetry is even more latent. This research seeks to identify in the scientific productions the difficulties handicapped patients face in Brazil in the realm of health access, which in practice stresses their vulnerability. Based on this, the association of the descriptors "health", "person" and "disability", was used in order to carry out a 2009-2018 publication search in the Capes, Lilacs and sciELO Brazilian newspapers. Out of the 29-article analysis, four categories emerged: a) professional preparedness to take care of patients with disabilities; b) barriers to health access; c) communication between disabled patients and the doctor/team; d) double vulnerability of disabled women. The corresponding categories were studied from the bioethics perspective due to the interdisciplinary nature of the topic and the difficulties disabled people face became evident. Some possible suggested improvements include modifying the medical act, training health professionals and perfecting the health policies in order to guarantee the fundamental right to health and self-determination of patients.


Resumen: La desigualdad permea diversos sectores de la realidad brasileña, de modo que alcanza también la salud. En lo que se refiere a las personas con discapacidad, la asimetría es aún más latente. Esta investigación buscó identificar en las producciones científicas las dificultades enfrentadas por pacientes con discapacidad en Brasil en el ámbito del acceso a la salud, lo que en la práctica acentúa su vulnerabilidad. De esta forma, por medio de la asociación de los descriptores "salud", "persona" y "discapacidad", se realizó una búsqueda de publicaciones de 2009 a 2018, en las bases de datos Periódicos Capes, Lilacs y SciELO Brasil. Del análisis de 29 artículos, surgieron cuatro categorías: a) preparación profesional para la atención de pacientes con discapacidad; b) barreras a la accesibilidad a la salud; c) comunicación entre paciente con discapacidad y médico/equipo; d) doble vulnerabilidad de la mujer con discapacidad. Las respectivas categorías se estudiaron desde la perspectiva de la bioética debido a la interdisciplinariedad del tema y evidenciaron las dificultades afrentadas por las personas con discapacidad. Como sugerencias de mejoras, es posible destacar la modificación en la actuación médica, la capacitación de los profesionales y el perfeccionamiento de políticas de salud con el fin de garantizar el derecho fundamental a la salud y la autodeterminación de los pacientes.


Assuntos
Humanos , Pessoas com Deficiência , Barreiras ao Acesso aos Cuidados de Saúde , Brasil , Vulnerabilidade Social , Temas Bioéticos , Direito à Saúde
12.
Cad. Ibero Am. Direito Sanit. (Impr.) ; 8(2): 09-30, abr.-jun.2019. Ilus
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1015750

RESUMO

Objective: to analyze the proposals of actions of the three versions of the National Plan of Policies for Women (PNPM, in Portuguese) as contributions to the development of the human rights of women in Brazil, especially the right to health. Methodology: theoretical and documentary research on the historical advancement of women's rights as dimensions of rights, in aspects related to the attention of the State in public health promotion policies. The documentary revision was adopted as a technical procedure of indirect observation through official documents, using as sources of secondary data the texts of the three versions of the National Plan of Policies for Women, available in official sites of the Brazilian government. Results: PNPM brings the narrative of the search for innovations and advances in women's rights, but the proposed actions focus more on traditional practices for reproductive health. Conclusions: Despite some limitations, the strategies and actions of the plans can contribute to develop aspects of citizenship and rights that aim to increase social experience and equity, reduce vulnerabilities and improve the quality of life. (AU).


Objetivo: analisar os resultados da auditoria em saúde na área de órteses, próteses e materiais especiais (OPM) e cirurgias múltiplas e sequenciais (CMS), realizada pela Secretaria Estadual de Saúde do Rio Grande do Sul (SES/RS). Metodologia: estudo quantitativo descritivo, baseado em dados secundários da SES/RS, na área de OPM e CMS, referente ao período da prática de auditoria de pós-pagamento, de março de 2013 a janeiro de 2017, utilizando a abordagem estudo de caso. Resultados: foram analisadas 1.004 observações concluídas para o período; o número de processos administrativos com solicitação de devolução de recursos financeiros não teve uma tendência na série histórica analisada, resultado influenciado pela presença de processos administrativos não conclusos, em especial a partir de 2014, relativos à execução da auditoria ou até mesmo a judicialização do assunto pelas instituições auditadas. Quanto ao valor financeiro solicitado para devolução dos processos analisados, foi maior em 2014, decrescendo em 2015 e diminuiu consideravelmente nos anos 2016 e 2017. Considerando as 30 regiões de saúde do estado do Rio Grande do Sul, três instituições hospitalares tiveram destaque, a primeira com 43 processos administrativos com solicitação de devolução de recursos financeiros; a segunda com 30; e a terceira com 28. Conclusão: as ações em saúde, nessa área, podem ser qualificadas por meio de atenção especial para as regiões de saúde e instituições hospitalares que mais reincidem e tem grandes volumes financeiros glosados. (AU).


Objetivo: analizar las propuestas de acciones de las tres versiones del Plan Nacional de Políticas para las Mujeres (PNPM) como contribuciones al desarrollo de los derechos humanos de las mujeres en Brasil, especialmente el derecho a la salud. Metodología: investigación teórica y documental sobre el avance histórico de los derechos de las mujeres como dimensiones de los derechos, en aspectos relacionados con la atención del Estado en las políticas de promoción de la salud pública. La revisión documental se adoptó como un procedimiento técnico de observación indirecta a través de documentos oficiales, utilizando como fuentes de datos secundarios los textos de las tres versiones del Plan Nacional de Políticas para la Mujer, disponibles en los sitios oficiales del gobierno brasileño. Resultados: PNPM trae la descripción de la búsqueda de innovaciones y avances en los derechos de las mujeres, pero las acciones propuestas se centran más en las prácticas tradicionales de salud reproductiva. Conclusiones: A pesar de algunas limitaciones, las estrategias y acciones de los planes pueden contribuir a desarrollar aspectos de ciudadanía y derechos que tienen como objetivo aumentar la experiencia social y la equidad, reducir las vulnerabilidades y mejorar la calidad de vida. (AU).


Assuntos
Feminino , Política Pública , Direitos da Mulher , Direito à Saúde
13.
Salud trab. (Maracay) ; 27(1): 51-64, jun. 2019.
Artigo em Espanhol | LILACS, LIVECS | ID: biblio-1103749

RESUMO

Este estudio plantea una aproximación crítica a la fragmentación y segmentación de los servicios de atención a la salud en Venezuela, dado que ambas categorías impactan significativamente en la garantía del derecho a la salud de personas, familias y comunidades que consagra la Constitución Nacional. Se evidencian fundamentos epistémicos, su relación con el financiamiento y las políticas públicas de salud, el papel del modelo biomédico hegemónico en los servicios, lo cual permite contrastarlos con la realidad empírica, de acuerdo con los postulados de una nueva mirada para integrar la salud y colaborar a su mejor comprensión. Se identifican y analizan antecedentes teóricos del Buen Vivir, la salud colectiva, la determinación social; así como la política de salud en la configuración histórica del sistema de salud venezolano, revelando nuevas preguntas a través de una mirada distinta que busca mejorar el mandato social y el posicionamiento de la salud colectiva como postura emergente en la región de las Américas, con ello se contribuye con una postura teórica para repensar las políticas de salud y proyectar el sistema de salud venezolano hacia su integración plena en el territorio, sus estructuras, financiamiento, planificación y en consecuencia, mejorar las redes integradas de servicios de salud, con una mayor capacidad de respuesta del Estado para garantizar el derecho a la salud de la población(AU)


This study raises a critical approach to the fragmentation and segmentation of services of attention to health in Venezuela, since both categories impact significantly on the guarantee of the right to health of individuals, families and communities that enshrined in the national Constitution. Demonstrate fundamentals epistemic, its relationship with the funding and public health policies, the role of the hegemonic services bio-medical model, which allows to compare them with the empirical reality, in accordance with the tenets of a new looking to integrate health and contribute to better understanding. Are identified and analyzed theoretical background of good living, the collective health, social determination; as well as the health policy in the history of the Venezuelan health system configuration, revealing new questions through a different perspective that seeks to improve the social mandate and the positioning of the collective health as emerging posture in the region of the Americas, this contributes to a theoretical stance for rethinking health policies and project the Venezuelan health system towards their full integration into the territory, its structures, financing, planning and therefore improve the integrated networks of health services, with a greater capacity of response of the State to guarantee the right to health of the population(AU)


Assuntos
Medicina Social/tendências , Venezuela , Sistema Único de Saúde , Administração de Serviços de Saúde , Saúde Pública/tendências , Políticas Públicas de Saúde , Cobertura Universal de Saúde , Direito à Saúde , Programas Nacionais de Saúde/organização & administração
15.
Av. enferm ; 37(1): 92-103, ene.-abr. 2019.
Artigo em Português | LILACS, BDENF - Enfermagem, COLNAL | ID: biblio-1011392

RESUMO

Resumo Objetivo: Refletir acerca do acesso de quilombolas brasileiros ao sistema de saúde pública a partir da perspectiva do pensamento do filósofo francês Michael Foucault. Síntese de conteúdo: Ao refletir sobre o acesso dos quilombolas ao sistema de saúde pública, é importante reconhecer a existência de micropoderes nos serviços de saúde e na relação com os usuários deste serviço. Reflete-se sobre a necessidade de exercer o controle social como forma de garantia de direitos à saúde. Assim, apesar do Sistema Único de Saúde possuir avanços, o acesso a este serviço apresenta dificuldades como também inadequação de gerenciamento, além de escassez no exercício do controle social, como pontos a serem questionados. Conclusão: Percebe-se que, à luz do referencial teórico de Michael Foucault, o "poder" político, existente nas relações das comunidades quilom-bolas referentes aos serviços de saúde pública, cria dificuldades diversas e que há anos se perpetua.


Resumen Objetivo: Reflexionar sobre el acceso al sistema de salud pública por parte de quilombolas brasileños, a partir de la perspectiva del pensamiento del filósofo francés Michael Foucault. Síntesis del contenido: Al reflexionar sobre el acceso de los quilombolas al sistema de salud pública es importante reconocer la existencia de micropoderes en los servicios de salud y en la relación con los usuarios de este servicio. Se reflexiona sobre la necesidad de ejercer el control social como forma de garantía de derechos a la salud. Así, a pesar de que el sistema único de salud tiene avances, el acceso a este servicio es difícil y presenta inadecuación de la gestión y poco control social, puntos que deben cuestionarse. Conclusión: Se percibe que, a la luz del referencial teórico de Michael Foucault, el "poder" político existente en las relaciones de las comunidades quilombolas con los servicios de salud pública, crea dificultades diversas que desde hace años se perpetúan.


Abstract Objective: To think about access to the public health system by Brazilian quilombolas, from the perspective of the thought of the French philosopher Michael Foucault. Synthesis of the contents: When reflecting on the Quilombolas access to the public health system, it is important to recognize the existence of "micropowers" in health services and in the relationship with the users of this service. It reflects on the need of exerting social control as a form of guarantee rights to health. Thus, although the unified health system has advances, access to this service is difficult and presents inadequate management and poor social control, points that should be questioned. Conclusion: It is perceived that, in the light of the referential theorist Michael Foucault, political power existing in the relations of quilombo-la communities with public health services, creates various difficulties that are perpetuated for years.


Assuntos
Humanos , Organização e Administração , Sistema Único de Saúde , Grupos Étnicos , Saúde Pública , Serviços Públicos de Saúde , Direito à Saúde , Sistemas de Saúde
16.
Saúde Soc ; 28(1): 222-234, jan.-mar. 2019. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-991665

RESUMO

Resumo A população em situação de rua (PSR) constitui-se como um público crescente nas cidades, refletindo processos sociais desiguais e excludentes. Entre as barreiras para o acesso aos direitos sociais básicos, destaca-se a negação do direito à saúde a essas pessoas. Poucos estudos buscam conhecer as estratégias desenvolvidas pela PSR diante da carência de serviços públicos e das barreiras de acesso aos existentes. Diante disso, buscou-se identificar e analisar os itinerários terapêuticos da PSR em um município de pequeno porte. Foi utilizada a triangulação de métodos qualitativos para a coleta de informações por meio de observações participantes e entrevistas semiestruturadas. Foram entrevistados sete homens e uma mulher, e o conjunto de dados foi analisado com base na análise temática. Ressalta-se, nos relatos, a utilização de redes de apoio social como fonte prioritária de cuidado, por intermédio do autocuidado, da automedicação, do uso da medicina popular e da mudança na rotina da vida nas ruas para recuperação da saúde. Tais redes também são alternativos à garantia de acesso aos serviços públicos. Evidencia-se a negação do direito à saúde decorrente do processo de exclusão social a que estão submetidos. Destaca-se o compartilhamento de uma visão de saúde ampliada, relacionada aos determinantes sociais do processo saúde-doença. Diante desse panorama, é fundamental que o setor profissional de cuidado à saúde promova ações que permitam o cuidado contínuo e integral da PSR.


Abstract The homeless is a growing public in cities, which reflects unequal and excluding social processes. Among the obstacles to access basic social rights is the denial of this public's right to health care. Few studies seek to identify the strategies developed by the homeless due to the lack of public services and the barrier to access existing ones. Therefore, we sought to identify and analyze the therapeutic itineraries of this population in a small city. Triangulation of qualitative methods was used to collect research data through participant observations and semi-structured interviews. Seven men and one woman were interviewed, and the data set was analyzed through thematic analysis. The reports highlight the use of social support networks as a central source of health care through self-care, self-medication, use of popular medicine and day-by-day routine adjustments in the streets for health recovery. Such networks are also alternatives to the guarantee to access public services. The denial of the right to health, due to the process of social exclusion to which they are submitted, is evidenced. We emphasize the sharing of an expanded health vision, related to the social determinants of the health-disease process. Given this scenario, it is fundamental that the professional health care sector promote actions to allow the continuous and integral care of the homeless.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Apoio Social , Direito à Saúde , Pessoas em Situação de Rua , Equidade em Saúde , Serviços de Saúde , Medicina Tradicional , Aceitação pelo Paciente de Cuidados de Saúde , Disparidades nos Níveis de Saúde , Iniquidade Social
18.
Arch. argent. pediatr ; 117(1): e8-e13, feb. 2019.
Artigo em Inglês, Espanhol | LILACS, BINACIS | ID: biblio-1038452

RESUMO

La publicidad de alimentos y bebidas no saludables a la que se encuentran expuestos/as niños, niñas y adolescentes ha sido identificada como un factor de gran relevancia en la génesis, expansión y persistencia de la obesidad. Este artículo aborda el patrocinio de eventos deportivos por parte de las empresas productoras de bebidas azucaradas y su influencia en las preferencias de hidratación, intención de compra y hábitos de consumo. Se destacan las consecuencias negativas en la salud del consumo de bebidas azucaradas (gaseosas y deportivas) y su asociación con la obesidad y el riesgo de enfermedades metabólicas y cardiovasculares. Se plantea la necesidad de apelar al principio jurídico de "interés superior del niño" para exigir la protección del derecho a la salud, en línea con las recomendaciones de organismos de salud internacionales para la restricción de la publicidad de alimentos y bebidas no saludables dirigida a niños/as y adolescentes.


Advertising of unhealthy foods and beverages to which children and adolescents are exposed has been identified as a factor of great relevance in the genesis, expansion and persistence of obesity. This article deals with sports sponsorship by companies producing sugar-sweetened drinks and their influence on the preferences of hydration, purchasing, intention and consumption habits. It highlights the negative health consequences from the consumption of sugary drinks (soft drinks and sports beverages) and their association with obesity and risk of metabolic and cardiovascular diseases. There is a need to apply the legal principle of "best interests of the child" to demand the protection of the right to health, in line with the recommendations of international health organizations for the restriction of advertising of unhealthy foods and beverages targeted at children and adolescents.


Assuntos
Humanos , Criança , Adolescente , Esportes , Direito à Saúde , Bebidas Gaseificadas , Publicidade de Alimentos , Obesidade
19.
Barbarói ; (55): 57-80, 2019.
Artigo em Português | LILACS, BVSF | ID: biblio-1048019

RESUMO

O presente artigo teve por escopo analisar o processo de constituição da ideia do direito à saúde enquanto direito social no Brasil, integrante do rol de direitos fundamentais insculpidos na Constituição Federal de 1988. Para tanto realizou-se uma concisairrupção histórica no processo de construção da concepção de proteção social na Europa ocidental. Objetivou-se, ainda, analisar a proteção social enquanto elemento essencial da cidadania. Buscou-se compreender a seguridade social como núcleo do Estado de Bem-Estar e discutir o contexto de inserção da questão do direito à saúde na agenda pública. A presente pesquisa utilizou-se dométodo de pesquisa dedutivo, com a apropriação dos conceitos de proteção social e direitos sociais, refletindo sobre as determinações dos conteúdos presentes na concepção constitucional do direito à saúde.(AU)


The purpose of this article was to analyze the process of constitution of the idea of the right to health as a social right in Brazil, as part of the list of fundamental rights inscribed in the Federal Constitution of 1988. For this purpose, a concise historical irruption was made in the process of conception of social protection in western Europe. The objective was also to analyze social protection as an essential element of citizenship. We sought to understand social security as the core of the welfare state and to discuss the context of insertion of the right to health issue in the public agenda. This research used the deductive research method, with the appropriation of the concepts of social protection and social rights, reflecting on the determinations of the contents present in the constitutional conception of the right to health.(AU)


Assuntos
Pobreza/legislação & jurisprudência , Política Pública/legislação & jurisprudência , Seguridade Social/legislação & jurisprudência , Direito à Saúde/legislação & jurisprudência , Participação da Comunidade/legislação & jurisprudência , Brasil , Constituição e Estatutos , Direitos Socioeconômicos
20.
Brasília; IPEA; 2019. 63 p. ilus, graf.(Texto para Discussão / IPEA, 2516).
Monografia em Português | LILACS, ECOS | ID: biblio-1054570

RESUMO

Alocar recursos suficientes ao Sistema Único de Saúde (SUS) é premissa básica para o cumprimento por parte do Estado de seu dever de garantir acesso universal, igualitário e integral a bens e a serviços de saúde no Brasil. Como forma de assegurar recursos mínimos ao sistema, a vinculação orçamentária do gasto em saúde foi instituída. Recentemente, em meio à crise fiscal e às mudanças no ambiente político no país, cogita-se a extinção desta vinculação. Nesse contexto, o objetivo deste trabalho é apresentar evidências e discutir a relevância da manutenção da vinculação orçamentária do gasto público em saúde, contribuindo, dessa forma, com o debate público sobre o tema. Realizou-se uma revisão narrativa da literatura técnico-científica e de documentos legais para organizar a discussão sobre os assuntos tratados em duas perspectivas: i) uma histórica, sobre a regulamentação da aplicação mínima de recursos no SUS, incluindo no relato as proposições que não lograram êxito e as motivações para esta regulamentação; e ii) outra de fundamentação teórico-empírica da hipótese de que os sistemas públicos universais de saúde, como o SUS, e a vinculação orçamentária do gasto mínimo em saúde no Brasil são relevantes à garantia do direito à saúde tal qual inscrito na Constituição Federal de 1988 (CF/1988). Considerando as evidências apresentadas sobre a falta de prioridade com o sistema e, consequentemente, com a garantia do direito à saúde no país, a conclusão é de que a vinculação orçamentária do gasto em saúde continua sendo imprescindível. Mesmo assim, esta vinculação, por si só, não resolve o problema de financiamento do sistema, já que, a despeito da instituição dos pisos de aplicação a partir de 2000, os gastos com saúde ainda são muito baixos comparados com os de países de renda semelhante e que não possuem sistema universal de saúde. Contudo, constitui importante mecanismo de proteção contra retrocesso na oferta de bens e serviços de saúde, algo vedado pela CF/1988. A estabilidade no financiamento do SUS é fundamental para que a provisão não sofra solução de continuidade e, para isso, a vinculação orçamentária cumpre papel vital, considerando a trajetória do financiamento público da saúde. Ainda assim, o país precisa realizar esforço adicional para garantir recursos suficientes para o financiamento do SUS, diante dos desafios que se colocam ao sistema decorrentes de questões epidemiológicas, demográficas e tecnológicas que impulsionam o crescimento dos gastos em saúde


Allocating sufficient resources to the Unified Health System (SUS) is a basic premise for compliance by the State with its duty to guarantee universal, equal and integral access to health goods and services in Brazil. As a way of ensuring minimal resources to the system, the compulsory expenditure with health was instituted. Recently, amid the fiscal crisis and the changes in the political environment in the country, the extinction of this compulsory expenditure is considered. In this context, the objective of this paper is to present evidence and discuss the relevance of maintaining the compulsory public health expenditure, thus contributing to the public debate on the topic. A narrative review of the technical-scientific literature and legal documents was performed to organize the discussion on the subjects treated in two perspectives: i) a historical perspective on the regulation of the minimum application of resources in the SUS, including in the report the propositions that weren't approved and the motivations for this regulation; and ii) a theoretical-empirical perspective on the hypothesis that universal public health systems, such as the SUS, and the compulsory health expenditure in Brazil are relevant to the right to health as determined by the Federal Constitution of 1988 (CF/1988). Considering the evidence presented about the lack of priority with the system and, consequently, with the guarantee of the right to health in Brazil, the conclusion is that the compulsory health expenditure remains essential. Even so, this obligation alone does not solve the financing problem of the system, since in spite of the institution of the floors of application from 2000, health expenses are still very low compared to those countries with similar income and who do not have a universal health system. However, it is an important mechanism to protect against throwback in the supply of health goods and services, something that is forbidden by CF/1988. The stability in the financing of the SUS is fundamental and the compulsory health expenditure fulfilled vital role, considering the trajectory of public health financing. Nonetheless, the country needs to make an additional effort to guarantee sufficient resources to finance the SUS, given the challenges posed to the system stemming from epidemiological, demographic and technological issues that drive the growth of health spending.


Assuntos
Acesso Universal aos Serviços de Saúde , Direito à Saúde , Financiamento da Assistência à Saúde , Gastos em Saúde , Sistema Único de Saúde , Sistemas Nacionais de Saúde
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA