Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 20 de 171
Filtrar
Mais filtros










Filtros aplicados

Intervalo de ano de publicação
1.
RECIIS (Online) ; 14(2): 273-278, abr.-jun. 2020. graf
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1102473

RESUMO

Nunca a saúde e a política pareceram estar tão relacionadas como nesta pandemia da Covid-19. Tomando como exemplo o noticiário do jornal Folha de S.Paulo entre janeiro e maio de 2020, analisamos as características que singularizam a cobertura da imprensa brasileira sobre essa síndrome respiratória recém descoberta. O avanço da doença e o anúncio da pandemia pela Organização Mundial de Saúde levaram a uma superexposição do assunto nos meios de comunicação, chegando a um limite na produção jornalística, de março até a primeira quinzena de abril. Isso ocorreu antes de se verificar o aumento na curva de casos. Depois, a crise política deflagrada com a pandemia provocou uma redução gradativa das publicações, até o fim de maio, contrapondo-se à subida de casos, em um período de agravamento da doença.


Health and politics appear closely related in the COVID-19 pandemic, more than ever. Taking as an example the news from the Brazilian newspaper Folha de S.Paulo from January to May 2020, we analyze the characteristics that differentiate the press coverage about this newly discovered severe acute respiratory syndrome in Brazil. The progress of the disease and the announcement of the pandemic by the World Health Organization, on March 11, led to an overexposure of the subject in the media, reaching a limit in journalistic production, from March until the first half of April. This occurred even before an increase in the curve of COVID-19 cases in Brazil. Later on, the political crisis caused a gradual reduction in publications, until the end of May, opposing the rise in cases, in a period of worsening disease.


Nunca antes la salud y la política parecían estar tan estrechamente relacionadas como en esta pandemia de Covid-19. Tomando como ejemplo las noticias del periódico brasileño Folha de S.Paulo entre enero y mayo de 2020, analizamos las características que hacen que la cobertura de la prensa de este síndrome respiratorio agudo severo recientemente descubierto sea única en Brasil. El avance de la enfermedad y el anuncio de la pandemia por parte de la Organización Mundial de la Salud, el 11 de marzo, condujeron a una sobreexposición del tema en los medios, llegando a un límite en la producción periodística, de marzo hasta la primera quincena de abril. Esto ocurrió incluso antes de que hubiera un aumento en la curva de casos en Brasil. Posteriormente, la crisis política desencadenada por la pandemia provocó una reducción gradual de las publicaciones, hasta finales de mayo, oponiéndose al aumento de los casos, en un período de agravación de la enfermedad.


Assuntos
Humanos , Epidemiologia , Infecções por Coronavirus , Jornalismo , Pandemias , Meios de Comunicação de Massa , Brasil , Comunicação e Divulgação Científica , Políticas Públicas de Saúde
2.
RECIIS (Online) ; 14(2): 279-291, abr.-jun. 2020.
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1102476

RESUMO

Neste artigo apresentamos os resultados preliminares de um projeto de pesquisa mais amplo sobre as epistemologias do jornalismo ambiental. O objetivo principal é verificar a origem e sustentação de aspectos epistemológicos do jornalismo dedicado ao meio ambiente. Apresentamos a proposta que impulsionou este estudo e, de forma específica, a análise realizada sobre um dos pressupostos pouco incorporados na cobertura de meio ambiente no Brasil até agora, que é a ideia da precaução. A análise é orientada por pesquisa bibliográfica com abordagem descritiva-qualitativa. Como resultado, constatamos que a literatura sobre jornalismo ambiental trata pouco da antecipação de riscos e danos, mesmo com o avanço da ciência em termos de previsões. Concluímos que a adoção do princípio da precaução se faz necessária em uma sociedade permeada por riscos fabricados pela própria humanidade.


This article presents the preliminary results from a larger study effort about the epistemology of environmental journalism. The main objective was to verify the origin and the support of the epistemological aspects of journalism dedicated to the environment. We present the proposal that drove this study and, specifically, the analysis carried out on one of the barely incorporated assumptions in the environmental coverage in Brazil until now, which is the idea of precaution. The analysis is guided by bibliographic research, with a descriptive-qualitative approach. As a result, we identified that the literature on environmental journalism deals little with anticipating risks and damages, even with the advance of science in terms of predictions. In conclusion, the incorporation of the precautionary principle is necessary for a society in which predominate the risks produced by the humanity itself.


En este artículo presentamos los resultados preliminares de un mayor esfuerzo de investigación sobre la epistemología del periodismo ambiental. El objetivo principal era verificar el origen y el apoyo de los aspectos epistemológicos del periodismo dedicado al medio ambiente. Presentamos la propuesta que impulsó este estudio y, de manera específica, el análisis realizado sobre uno de los supuestos poco incorporados en la cobertura ambiental en Brasil hasta ahora, que es la idea de precaución. El análisis se guía por la investigación bibliográfica, con un enfoque descriptivo-cualitativo. Como resultado, encontramos que la literatura sobre periodismo ambiental se ocupa poco de anticipar riesgos y daños, incluso con el avance de la ciencia en términos de predicciones. Llegamos a la conclusión de que la adopción del principio de precaución es necesaria en una sociedad impregnada de riesgos fabricados por la humanidad misma.


Assuntos
Humanos , Brasil , Educação em Saúde Ambiental , Conhecimento , Jornalismo , Jornalismo Ambiental , Gestão de Riscos , Pesquisa Qualitativa , Meio Ambiente , Comunicação Ambiental
3.
RECIIS (Online) ; 14(2): 431-443, abr.-jun. 2020. ilus
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1102832

RESUMO

O estudo que fundamenta este artigo parte das premissas de que o Jornal Nacional da Rede Globo é um jornal de referência e de grande audiência, e de que a imprensa, ao enfocar determinado assunto, e apresentar um enquadramento específico para tal tema ­ no caso, o consumo do crack e as consequências sociais desse consumo ­ influencia, de certa forma, a percepção pública sobre o tema. Quais são os enquadramentos midiáticos dados ao consumo do crack e às implicações sociais da droga na cobertura televisiva feita pelo Jornal Nacional, da Rede Globo? O objetivo é compreender os enquadramentos fornecidos pelo telejornal acerca do consumo do crack, a partir da análise sobre o modo como esse noticiário organiza o conteúdo informativo. Foi aplicada a análise de conteúdo nas reportagens veiculadas no JN no período de 2012 a 2017 e nas entrevistas realizadas com os repórteres responsáveis pela cobertura. Identificamos que o telejornal enquadrou o consumo do crack e as implicações sociais decorrentes do uso da droga como um problema de saúde pública e como um problema social crônico (em menor medida), por um lado; e, por outro, como um problema de segurança pública, em maior medida. A maneira como esse telejornal organiza e dá sentido à questão pode, potencialmente, influir na formulação de políticas públicas, assim como na maneira como a sociedade interpreta o assunto e dá significado ao quadro social do fenômeno do consumo do crack.


The study presented in this article is based on the assumptions that the Jornal Nacional (National News), broadcast by Rede Globo (Globe television networking), is a reference and large audience newscast and that the press, in focusing on a certain subject and presenting a specific framework for some theme ­ in this case, crack use and the social consequences of this use ­ influences, to some extent, the public perception of the topic. What are the frameworks given by media coverage to crack use and the social implications of the drug on televisionthrough the newscast called Jornal Nacional, broadcast by Rede Globo? The goal is to understand the frameworks provided by this newscast about crack consumption, based on the analysis of how it organizes informative content. The content analysis was applied to the reports exhibited in JN from 2012 to 2017 and to interviews with reporters responsible for the coverage of the crack. We identified that the newscast framed the crack use and the social implications of the drug use as a public health problem and as a chronic (to a lesser extent) social problem, on the one hand; and as a public safety issue to a greater extent on the other hand. The way of this newscast organizing and to give meaning to the issue can potentially influence the formulation of public policies, as well as the way of society interpreting the issue and to give meaning to the social context of the crack consumption phenomenon.


El estudio que fundamenta este artículo parte de los supuestos de que el Jornal Nacional de la Rede Globo es un noticiero de referencia y de mucha audiencia, y que la prensa, al centrarse en un tema en particular y presentar un marco específico para ese tema ­ en este caso, el uso del crack y las consecuencias sociales del uso del crack ­ influye, en cierta medida, en la percepción pública del problema. ¿Cuáles son los marcos mediáticos dados al uso de crack y a las implicaciones sociales de la droga en la cobertura televisiva de Jornal Nacional de la Rede Globo? El objetivo es comprender los marcos proporcionados por las noticias del telediario acerca del consumo de crack, basada en el análisis de como ese noticiero organiza el contenido informativo. El análisis de contenidos se aplicó a los reportajes difundidas en el JN de 2012 hasta 2017 y a las entrevistas con los reporteros responsables de la cobertura del crack. Identificamos que el noticiero enmarcó el uso del crack y las implicaciones sociales del uso suyo como un problema de salud pública y como un problema social crónico (en menor medida), por un lado; y como un problema de seguridad pública en mayor medida, por otro lado. La manera como ese telediario organiza y da sentido al problema pueden potencialmente influir en la formulación de políticas públicas, así como en la forma de la sociedad interpretar el tema y de dar sentido al contexto social del fenómeno del consumo de crack.


Assuntos
Humanos , Política Pública , Drogas Ilícitas , Cocaína Crack , Jornalismo , Meios de Comunicação de Massa , Violência , Brasil , Vulnerabilidade Social
4.
RECIIS (Online) ; 14(2): 416-430, abr.-jun. 2020. tab, ilus
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1102804

RESUMO

Este artigo aborda a questão das convocações biopolíticas em torno das vias de nascimento, parto e cesariana, identificadas em dois grandes jornais de circulação nacional: Folha de S.Paulo e O Estado de S. Paulo. Considerados como dispositivos, segundo conceito adotado, esses veículos de mídia propagam o paradoxo: normal e seguro é fazer cesariana; estranho e arriscado é o parto normal. No entanto, mais do que propagarem o discurso em prol da cesariana, essas mídias convocam os leitores, com enunciados ancorados no medo, no controle do corpo e na bioeconomia. A constatação resultou da investigação conceitual realizada nas 390 reportagens sobre o tema publicadas nesses dois jornais entre 2010 a 2015. O período é marcado pelo crescimento constante do número dessas cirurgias no Brasil, o que chegou a ser considerado uma epidemia pela Organização Mundial de Saúde.


This article approaches the issue of biopolitical calls for the processof childbirth, to give birth spontaneouly or surgical procedure known as caesarean section, identified in two major newspapers having national circulation in Brazil: Folha de S.Paulo and O Estado de S. Paulo. Considered as devices, according with the concept taken into account in this study, these media vehicles propagate this paradox: Normal and safe is caesarean section. Strange and risky is normal birth. However, rather than propagating the discourse in favour of caesarean section, these media invite their readers to choose this surgery, with statements anchored in fear, body control and bioeconomy. The findings are resulted from the conceptual investigation conducted in the 390 articles on the theme published in these two newspapers between 2010 and 2015. The period is marked by the steady increasing number of these surgeries in Brazil, which was considered an epidemic by the World Health Organization.


Este artículo aborda el tema de las llamadas biopolíticas acerca de las maneras como nacer, parto y cesárea, identificadas en dos importantes periódicos de difusión nacional en Brasil: Folha de S.Paulo y O Estado de S. Paulo. Considerados como dispositivos, según el concepto adoptado en este estudio, estos vehículos de comunicación propagan la paradoja: lo normal y seguro es la cesárea. Extraño y arriesgado es el parto normal. Sin embargo, más que propagar el discurso a favor de la cesárea, estos medios convocan a sus lectores, con declaraciones ancladas en el miedo, el control corporal y la bioeconomía. La conclusión a que se ha llegado resultó de la investigación conceptual realizada en los 390 artículos sobre el tema publicados en estos dos periódicos entre 2010 y 2015. El período está marcado por el crecimiento constante del número de estas cirugías en Brasil, fenómeno que la Organización Mundial de la Salud consideró una epidemia.


Assuntos
Humanos , Brasil , Cesárea , Comunicação , Parto , Meios de Comunicação de Massa , Gravidez , Jornalismo , Parto Normal , Jornais como Assunto
5.
RECIIS (Online) ; 14(1): 51-71, jan.-mar. 2020. ilus, graf
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1087214

RESUMO

Este artigo analisa a seção 'Verdade ou Boato', publicada no jornal Zero Hora (meio impresso) e no GaúchaZH (meio digital), com o objetivo de compreender as características das matérias produzidas na seção e o perfil das informações nela checadas; e tensionar como os veículos agenciam sua posição de credibilidade em relação às alterações nos modos de produção e circulação de conteúdos no ambiente digital, especialmente na área temática da saúde. Os procedimentos metodológicos utilizados são as pesquisas bibliográfica e documental e a análise de conteúdo de um corpus composto por 25 matérias. Como resultado, observa-se que a iniciativa de checagem de informações reforça o jornalismo como sistema perito. Entre as características identificadas, destaca-se a adaptação das manchetes para negar informações falsas. Na edição digital, observa-se o pouco uso do potencial que tem o hipertexto para compor uma narrativa sustentada por evidências.


This article analyses the 'Verdade ou Boato' (Truth or Hoax) section, published in the newspaper Zero Hora (printed medium) and in GaúchaZH (digital medium), aiming: to understand the characteristics of the articles published in that section and the profile of information evaluated in it; and to discuss how publishers cope with their position of credibility in the face of the modes of production and circulation of content changes brought by the digital environment, especially with regard to health issues. The bibliographic review and documentary researches and the content analysis of a corpus composed of 25 articles constitute the methodological procedures for analyse them. The result reveals that the fact-checking initiative reinforces journalism as an expert system. Among the characteristics identified, we highlight the adaptation of the headlines to deny false information. In the digital edition one can observe the little use of the potential of hypertext to compose a narrative supported by evidences.


Este artículo analiza la sección 'Verdade ou Boato' (Verdad o Bulo), publicada en el diario Zero Hora (medio impreso) y en GaúchaZH (medio digital) com el objetivo de comprender las características de los artículos publicados en la sección y el perfil de las informaciones chequeadas; y de discutir como los vehículos agencian su posición de credibilidad en relación a los cambios en los modos de producción y circulación de contenidos en el ambiente digital, especialmente en la área temática de la salud. Los procedimientos metodológicos utilizados son las investigaciones bibliográfica y documental y el análisis de contenido de un corpus compuesto por 25 reportajes periódicos. Como resultado, se observa que la iniciativa de chequeo de informaciones refuerza el periodismo como sistema experto. Entre las características identificadas, se destaca la adaptación de los titulares para negar informaciones falsas. En la edición digital, se observa el poco uso del potencial que el hipertexto tiene para componer una narrativa sostenida por evidencias.


Assuntos
Humanos , Notícias , Jornalismo , Falsidade Ideológica , Disseminação de Informação , Fraude , Hipermídia , Informação/análise , Mídias Sociais
6.
RECIIS (Online) ; 14(1): 184-198, jan.-mar. 2020. ilus
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1087304

RESUMO

Uma das grandes preocupações de Afonso de Albuquerque relacionada à pesquisa é questionar a apropriação de modelos norte-americanos e do ocidente europeu por outros países, principalmente pelo Brasil, para com isso propor modelos alternativos a essa conduta. Em entrevista à Reciis, o pesquisador discute como a incorporação desses modelos estrangeiros impacta a mídia, o jornalismo, a política e os estudos acadêmicos brasileiros. Alguns desses movimentos de apropriação, denominados 'reformas', serviram como base para escamotear ações autoritárias entre governos. O professor relaciona esta questão com o fenômeno das fake news, que se refere a um discurso de reivindicação de monopólio da verdade em um contexto de deslegitimação das instituições, no qual, cada vez mais, se adotam comportamentos autoritários. Sob a perspectiva da democracia, ao se pensar o discurso das fake news, feito pelas agências de fact checking, pela mídia e por corporações de pesquisadores, vê-se que ele se soma aos ataques contemporâneos às instituições. Afonso de Albuquerque é professor titular do Departamento de Estudos Culturais e Mídia e do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal Fluminense.


Assuntos
Humanos , Comunicação , Jornalismo , Falsidade Ideológica , Capacitação Profissional , Fraude , Democracia , Comunicação e Divulgação Científica , Informação
7.
RECIIS (Online) ; 14(1): 261-267, jan.-mar. 2020. ilus
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1087314

RESUMO

Esta resenha apresenta as ideias centrais da coletânea As fake news e a nova ordem (des)informativa na era da pós-verdade, de João Figueira e Silvio Santos, publicada em 2019, que reúne 12 artigos sobre o fenômeno da desordem informacional e seus impactos na comunicação, na democracia e na prática do jornalismo. Partindo de diferentes perspectivas teóricas, os artigos traçam um panorama histórico da desinformação, buscando dimensionar o papel da tecnologia nesse processo. A análise da obra divide os textos em três eixos temáticos: a notícia e suas falsificações; o impacto das falsificações nos estados democráticos; e o discurso noticioso na desordem informacional.


This review presents the central ideas of the collection of essays As fake news e a nova ordem (des) informativa na era da pós-verdade (The fake news and the new (dis)informative order in the post-truth era), by João Figueira and Silvio Santos (2019), which gathers 12 articles about the phenomenon of informational disorder and its impact on the communication, the democracy and on the journalism practices. Having as starting point different theoretical perspectives, the articles outline a historical panorama of disinformation, seeking to dimension the role of technology in this process. The analysis of the book divides the texts into three thematic axes: the news and its falsifications; the impact of the falsifications on democratic states; and the news discourse on the information disorder.


Esta reseña presenta las ideas centrales de la colección As fake news e a nova ordem (des)informativa na era da pós-verdade (Las fake news y el nuevo orden (des)informativo en la era de la post-verdad), de João Figueira y Silvio Santos (2019), que reúne 12 artículos sobre el fenómeno del desorden informativo y sus impactos en la comunicación, la democracia y la práctica del periodismo. Partiendo de diferentes perspectivas teóricas, los artículos delinean un panorama histórico de la desinformación, buscando dimensionar el papel de la tecnología en este proceso. El análisis del libro divide los textos en tres ejes temáticos: las noticias y sus falsificaciones; el impacto de las falsificaciones en los estados democráticos; y el discurso de las noticias en el desorden informativo.


Assuntos
Humanos , Notícias , Jornalismo , Falsidade Ideológica , Informação , Fraude , Comunicação , Democracia
8.
Washington; Organización Panamericana de la Salud; abr. 30, 2020. 20 p.
Não convencional em Espanhol | LILACS | ID: biblio-1096868

RESUMO

Glosario útil para periodistas y comunicadores sobre términos utilizados durante brotes y epidemias.


Assuntos
Pneumonia Viral/prevenção & controle , Infecções por Coronavirus/prevenção & controle , Jornalismo , Comunicação em Saúde , Betacoronavirus , Dicionários como Assunto
9.
Washington; Organización Panamericana de la Salud; abr. 8, 2020. 20 p.
Não convencional em Espanhol | LILACS | ID: biblio-1096708

RESUMO

En este documento se procura brindar herramientas para que los periodistas puedan realizar una cobertura responsable de la pandemia del COVID-19 y brindar información basada en la evidencia. También se proponen enfoques para la cobertura y se incentiva a que el periodismo aporte consejos y soluciones que contribuyan a reducir los riesgos para la salud y salvar vidas.


Assuntos
Pneumonia Viral/prevenção & controle , Infecções por Coronavirus/prevenção & controle , Jornalismo , Comunicação em Saúde , Pandemias/prevenção & controle , Betacoronavirus
11.
RECIIS (Online) ; 13(4): 754-767, out.-dez. 2019. ilus
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1047537

RESUMO

Este artigo objetiva analisar o fomento do debate público promovido pela cobertura jornalística on-line sobre a questão do suicídio de adolescentes e jovens negros no Brasil. Para isso, foram selecionadas três reportagens de três veículos de comunicação: G1 ­ Ciência e Saúde (ligado às Organizações Globo), Nexo (jornal digital independente) e o Alma Preta (agência de jornalismo especializada na temática étnica do Brasil). Com o uso de teorias sobre prática jornalística, opinião pública e silêncio, além do emprego da hermenêutica de profundidade, este estudo concluiu que a mídia não promove integralmente o debate público sobre a questão. O G1 ­ Ciência e Saúde reproduziu o discurso da mídia hegemônica, não dando voz para os negros; o Nexo foi o jornal que tratou o tema de forma mais completa, com uso de dados e fontes, sendo negra uma delas; e o Alma Preta foi o que menos abriu espaço para identificação do público negro, com a ausência de fontes e falta de representação.


This article aims to analyze the public debate at online journalistic coverage on the issue of suicide among black teenagers and young people in Brazil. For this, three news from three media were selected: G1 Ciência e Saúde (linked to Globo Organizations), Nexo (independent digital newspaper) and Alma Preta (journalism agency specializing in ethnic issues in Brazil). Using theories of journalistic practice, public opinion and silence, as well as the use of deep hermeneutics, this study concluded that the media does not fully promote public debate on the issue. G1 ­ Ciência e Saúde reproduced the hegemonic media discourse, giving no voice to blacks; Nexo was the newspaper that dealt with the theme most completely, using data and sources, one of them being black; and Alma Preta was the least open to the identification of the black public, with the absence of sources and lack of representation.


Este artículo tiene como objetivo analizar el debate público a través de la cobertura periodística online sobre el tema del suicidio entre adolescentes y jóvenes negros en Brasil. Para esto se seleccionaron tres medios: G1 ­ Ciência e Saúde (vinculado a Organizaciones Globo), Nexo (periódico digital independiente) y Alma Preta (agencia de periodismo especializada em temas étnicos en Brasil). Utilizando teorías de práctica periodística, opinión pública y silencio, así como el uso de una hermenéutica profunda, este estudio concluyó que los medios no promueven completamente el debate público sobre el tema. G1 ­ Ciência e Saúde reprodujo el discurso de los medios hegemónicos, sin dar voz a los negros; Nexo fue el periódico que trató el tema más completamente, utilizando datos y fuentes; y Alma Preta fue la menos abierta a la identificación del público negro, con la ausencia de fuentes y la falta de representación.


Assuntos
Humanos , Suicídio/prevenção & controle , Adolescente , Jornalismo , Grupo com Ancestrais do Continente Africano , Saúde das Minorias Étnicas , Política de Saúde , Opinião Pública , Suicídio/estatística & dados numéricos , Brasil , Meios de Comunicação , Morte , Populações Vulneráveis , Prevenção de Doenças , Mídias Sociais , Racismo , Hermenêutica
12.
RECIIS (Online) ; 13(3): 509-524, jul.-set. 2019.
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1016675

RESUMO

Este artigo tem como objetivo apresentar e discutir a representação da primeira protagonista bissexual de telenovela. Trata-se de Paloma, da obra Os Gigantes de Lauro César Muniz exibida pela TV Globo entre os anos de 1979 e 1980 na faixa das 20h. Por meio de uma análise documental, a partir do entendimento da TV de Papel e do Recurso Comunicativo, estudamos a repercussão da identidade bissexual da personagem em jornais e revistas massivos, de cunho geral e especializado. Também consultamos documentos da Divisão de Censura de Diversões Públicas com o objetivo de perceber a interferência censória na telenovela, no tocante à lesbianidade.


This paper aims to present and discuss the representation of the first bisexual protagonist of a telenovela. This is Paloma, from the play Os Gigantes by Lauro César Muniz shown by TV Globo between the years of 1979 and 1980 in the band of 8pm. Through a documentary analysis, based on the understanding of the TV de Papel and the Communicative Resource, we study the repercussion of the bisexual identity of the character in mass and specialized newspapers and magazines. Also consulted the documents of the Divisão de Censura de Diversões Públicas with the objective of perceiving the censoring interference in the telenovela, regarding lesbianity.


Este artículo tiene como objetivo presentar y discutir la representación de la primera protagonista bisexual de telenovela. Se trata de Paloma, de la obra Os Gigantes de Lauro César Muniz exhibida por la TV Globo entre los años 1979 y 1980 en lo prime time (20h). Por medio de un análisis documental, a partir del entendimiento de la TV de Papel y del Recurso Comunicativo estudiamos la repercusión de la identidad bisexual del personaje en periódicos y revistas masivos, de carácter general y especializado. También se consultó los documentos de la División de Censura de Diversiones Públicas con el objetivo de percibir la interferencia censoria en la telenovela, en lo que se refiere a la lesbianidad.


Assuntos
Humanos , Comunicação , Homossexualidade Feminina , Minorias Sexuais e de Gênero , Identidade de Gênero , Recursos Audiovisuais , Bissexualidade , Jornalismo , Mídia Audiovisual
13.
RECIIS (Online) ; 13(2): 261-272, abr.-jun. 2019. ilus
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1005595

RESUMO

Nos textos jornalísticos, chama a atenção a diferença entre as imagens de casos de violência contra a mulher cisgênero e heterossexual e as contra pessoas LGBTQ+. Tratando-se das pessoas LGBTQ+, as imagens costumam ser brutais, com exposição de sangue e de corpos feridos por armas diversas. Já a cobertura de casos de violência contra a mulher cis e heterossexual é diametralmente oposta: as imagens tendem a ser pouco contundentes, muitas vezes mostrando paisagens de lugares onde ocorreram os crimes, em alguns casos mostrando os rostos de agressores e vítimas, nunca cenas de sangue ou corpos com marcas de agressão. Neste artigo, tomamos a instabilidade textual como ponto de partida para refletirmos sobre o contraste entre os modos de tratamento jornalístico conferidos no Brasil a essas duas violências e o que impacta no entendimento acerca das relações que conformam a visualidade e a cultura visual.


In Brazilian journalistic texts, the difference between the images of cases of violence against cis and heterosexual women and those against LGBTQ+ people are astonishing. In the case of LGBTQ+ people, the images are usually brutal, with exposure of blood and bodies injured by various weapons. The coverage of cases of violence against cis and heterosexual women is the opposite: the images tend to be inconclusive, often showing landscapes of places where crimes occurred, sometimes showing the faces of perpetrators and victims and never scenes of blood or bodies with marks of aggression. In this article, we take the textual instability as a starting point to reflect on the contrast between the ways of journalistic treatment in Brazil conferred to these two violences and what impacts on the understanding about the relations that conform the visuality and the visual culture.


En los textos periodísticos, llama la atención la diferencia entre las imágenes de casos de violencia contra la mujer cis heterosexual y las contra personas LGBTQ+. Tratándose de las personas LGBTQ+, las imágenes suelen ser brutales, con exposición de sangre y de cuerpos heridos por armas diversas. La cobertura de casos de violencia contra la mujer cis heterosexual es diametralmente opuesta: las imágenes tienden a ser poco contundentes, muchas veces mostrando paisajes de lugares donde ocurrieron los crímenes, en algunos momentos mostrando los rostros de agresores y víctimas y nunca escenas de sangre o cuerpos con marcas de agresión. En este artículo tomamos la inestabilidad textual como punto de partida para reflexionar sobre el contraste entre los modos de tratamiento periodístico en Brasil conferidos a esas dos violencias y lo que impacta en el entendimiento acerca de las relaciones que conforman la visualidad y la cultura visual.


Assuntos
Humanos , Mulheres , Jornalismo , Cultura , Violência contra a Mulher , Minorias Sexuais e de Gênero , Identidade de Gênero , Violência , Brasil , Heterossexualidade , Ódio
14.
RECIIS (Online) ; 13(2): 240-245, abr.-jun. 2019.
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1005591

RESUMO

Nesta nota de conjuntura, proponho mostrar um percurso da relação entre a homossexualidade e a imprensa de circulação nacional, aqui no Brasil. Como ponto de partida, abordo a emergência da Aids, no início dos anos de 1980, tendo em vista que para falar sobre a homossexualidade, os meios de comunicação recorriam aos discursos médico e religioso para discursivizar o homossexual/homossexualidade e finalizo nos anos 2010, quando, nestes mesmos veículos de informação, surgem outras relações para os sujeitos LGBTQI+. A partir da teoria francesa de análise do discurso, escrevo sobre o funcionamento da imprensa e os deslizamentos de sentidos nesses últimos anos de uma relação que nunca acaba: esses sujeitos sempre são objetos de consideração no discurso jornalístico.


In this note on current situation, I propose to demonstrate a path of the relation between homosexuality and the press of national circulation in Brazil. As a starting point, I speak of the emergence of AIDS in the early 1980s, given that in order to talk about homosexuality the media resorted to medical and religious discourses to enunciate about the homosexual/the homosexuality, and I finish in the 2010s, when, in the same information carriers, other relations arise for LGBTQI+ subjects. From the French theoretical approach of discourse analysis, I write about the operations of the press and the slip of meanings in recent years of a relationship that never ends: these subjects are always objects of consideration in journalistic discourse.


En esta nota de coyuntura, propongo mostrar un recorrido de la relación entre la homosexualidad y la prensa de circulación nacional, aquí en Brasil. Como punto de partida, hablo de la emergencia del sida, a principios de los años 1980, teniendo en cuenta que, para hablar sobre la homosexualidad, los medios de comunicación recurrían a los discursos médico y religioso para discursivizar el homosexual/la homosexualidad, y termino en los años 2010, cuando en estos mismos vehículos de información surgen otras relaciones para los sujetos LGBTQI+. A partir de la teoría francesa de análisis del discurso, escribo sobre el funcionamiento de la prensa y los deslizamientos de sentidos en estos últimos años de una relación que nunca termina: esos sujetos siempre son objetos de consideración en el discurso periodístico.


Assuntos
Humanos , Síndrome de Imunodeficiência Adquirida , Meios de Comunicação , Sexualidade , Discurso , Brasil , Jornalismo , Pesquisa Qualitativa , Meios de Comunicação de Massa , Minorias Sexuais e de Gênero
15.
RECIIS (Online) ; 13(2): 246-260, abr.-jun. 2019.
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1005594

RESUMO

O objetivo deste artigo é destacar características e atravessamentos dos movimentos LGBTI brasileiros, da aids, do HIV e de coberturas jornalísticas da síndrome que surgiu publicamente no início dos anos 1980. Resgatamos dimensões históricas e questões atuais como desafiadoras para as ciências, a medicina, governos e militantes com o intuito de refletir sobre disputas que estiveram e estão em curso, principalmente aquelas que se relacionam com a LGBTIfobia e outras opressões sociais. A pesquisa foi realizada por meio de levantamento bibliográfico acerca das políticas do movimento LGBTI, do HIV e da aids, bem como do uso de resultados de pesquisa anteriormente realizada sobre homofobia e narrativas jornalísticas. Observou-se uma conexão complexa entre as relações engendradas no surgimento da síndrome, próxima aos primeiros passos do movimento LGBTI no Brasil, como a produção ambivalente de visibilidades, assim como a manutenção de preconceitos históricos que ainda reverberam no tecido social.


The aim of this article is to highlight the characteristics and crossings of Brazilian LGBTI, AIDS, HIV movements and of journalistic coverage of the syndrome that emerged publicly in the early 1980s. We brought up historical dimensions and current issues as challenging for the sciences, medicine, governments and militants in order to reflect on ongoing disputes, especially those that are related to LGBTIphobia and others social oppressions. The research was carried out through a bibliographical survey about policies of the LGBTI, HIV and AIDS movements, as well as the use of previously conducted research results on homophobia and journalistic narratives. It was observed a complex connection between the relations generated in the beginning of the syndrome, close to the first steps of the LGBTI movement in Brazil, as the ambivalent production of visibility, as well as the maintenance of historical prejudices that still reverberate in social world.


El objetivo de este artículo es subrayar puntos y atravesamientos de los movimientos LGBTI brasileños, del Sida, del VIH y de las coberturas periodísticas del síndrome que surgió en público en el principio de los años 1980. Rescatamos dimensiones históricas y cuestiones actuales desafiantes para las ciencias, la medicina, los gobiernos y militantes con el propósito de reflexionar sobre disputas que estuvieron y están en curso, principalmente aquellas que se relacionan con la LGBTIfobia y otras opresiones sociales. La investigación fue realizada por medio de levantamiento bibliográfico acerca de las políticas del movimiento LGBTI, del VIH y del Sida, así como del uso de resultados de investigación previamente realizada sobre homofobia y narrativas periodísticas. Se observó una conexión compleja entre las relaciones engendradas en el surgimiento del síndrome, próxima a los primeros pasos del movimiento LGBTI en Brasil, como la producción ambivalente de visibilidades, así como el mantenimiento de prejuicios históricos que aún reverberan en el tejido social.


Assuntos
Humanos , Brasil , Síndrome de Imunodeficiência Adquirida , HIV , Jornalismo , Minorias Sexuais e de Gênero , Doenças Virais Sexualmente Transmissíveis , Zidovudina , Síndrome de Imunodeficiência Adquirida/prevenção & controle , Cultura , Rede Social , Profilaxia Pré-Exposição , Opressão Social
16.
RECIIS (Online) ; 13(2): 314-329, abr.-jun. 2019. ilus
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1005604

RESUMO

A divulgação da décima primeira edição da Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde (CID-11), em junho de 2018, mereceu atenção da imprensa internacional e nacional. Nessa versão, as identidades trans deixaram de ser classificadas como doença mental e foram categorizadas como incongruência de gênero no novo capítulo relacionado à saúde sexual. Considerando que práticas discursivas conformam e são conformadas por práticas sociais e que o processo de despatologização é marcado pelos conceitos de medicalização e biomedicalização, este trabalho identifica e analisa as fontes citadas na cobertura jornalística produzida no Brasil. O objetivo é entender, a partir dos atores sociais que foram selecionados, entrevistados e citados como fontes, os sentidos construídos pelos principais jornais do país sobre o tema. Observa-se que fontes institucionais do campo da saúde concorrem com outras do campo jurídico, com representantes de movimentos sociais e pessoas trans, que falam por si.


The release of the eleventh edition of the International Statistical Classification of Diseases and Related Health Problems (ICD-11) in June 2018 received international and national press coverage. In this version, transgender identities are no longer described as a mental health condition. Instead, they are classified as gender incongruence in the chapter on sexual health. Considering that discursive practices conform and are conformed by social practices and that the process of despatologization is marked by the concepts of medicalization and biomedicalization, this work identifies and analyzes the sources quoted in the journalistic coverage produced in Brazil. This study, focusing on social actors quoted as sources, aims to understand the meanings constructed by the main Brazilian newspaper about this subject. It concludes that institutional sources in the health field compete with others in the legal field, with members of social movements and trans people, who speak for themselves.


La divulgación de la undécima edición de la Clasificación Estadística Internacional de Enfermedades y Problemas relacionados con la Salud (CID-11), en junio de 2018, mereció atención de la prensa internacional y nacional. En esa revisión, las identidades trans dejaron de ser clasificadas como enfermedad mental y fueron categorizadas como incongruencia de género en el nuevo capítulo relacionado a la salud sexual. Considerando que las prácticas discursivas conforman y son conformadas por prácticas sociales y que el proceso de despatologización está marcado por los conceptos de medicalización y biomedicalización, este trabajo identifica y analiza las fuentes citadas en la cobertura periodística producida en Brasil. El objetivo es entender, a partir de los actores sociales que fueron seleccionados, oídos y citados como fuentes, los sentidos construidos por los principales diarios del país sobre el tema. Observa que fuentes institucionales del campo de la salud concurren con otras del campo jurídico, con representantes de movimientos sociales y personas trans, que hablan por sí.


Assuntos
Humanos , Jornalismo , Comunicação em Saúde , Medicalização , Pessoas Transgênero , Identidade de Gênero , Transexualidade , Brasil , Saúde Sexual , Minorias Sexuais e de Gênero
17.
RECIIS (Online) ; 13(2): 340-350, abr.-jun. 2019.
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1005610

RESUMO

Este ensaio apresenta a relação entre as divulgações científicas e as jornalísticas sobre saúde digital, utilizando como base metodológica a midiatização e as textualidades midiáticas. Foi possível demonstrar a similaridade entre os produtos e serviços estudados/divulgados. Os temas em voga foram Internet das coisas, aplicativos, dispositivos vestíveis, Inteligência Artificial, Big Data e robótica. Enquanto nos artigos científicos são apontadas vantagens e desvantagens das aplicações tecnológicas, sendo mais críticos, na mídia especializada valorizam-se as vantagens.


This essay presents the relationship between the scientific and the journalistic articles about digital health, using as a methodological basis the mediatization and the mediatic textuality. It was possible to demonstrate the similarity between the products and services studied/disclosed. The hot topics were Internet of Things, apps, wearable devices, Artificial Intelligence, Big Data and robotics. While in the scientific articles are pointed out advantages and disadvantages of technological applications, being more critical, in the specialized media the advantages are more valued.


Este ensayo presenta la relación entre las divulgaciones científicas y las periodísticas sobre salud digital, utilizando como base metodológica la mediatización y la textualidad mediática. Se pudo demostrar la similitud entre los productos y servicios estudiados/divulgados. Los temas en boga fueron Internet de las cosas, aplicaciones, dispositivos usables, Inteligencia Artificial, Big Data y robótica. Mientras que en los artículos científicos se apuntan ventajas y desventajas de las aplicaciones tecnológicas, siendo estas más críticas, en los medios especializados se valoran mucho más las ventajas.


Assuntos
Humanos , Tecnologia , Telemedicina , Pesquisa Científica e Desenvolvimento Tecnológico , Registros Eletrônicos de Saúde , Mídias Sociais , Inteligência Artificial , Sistemas Computadorizados de Registros Médicos , Ensaio , Jornalismo , Troca de Informação em Saúde
18.
RECIIS (Online) ; 13(2): 351-364, abr.-jun. 2019. ilus
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1005614

RESUMO

O objetivo do estudo que fundamenta este artigo foi identificar e compreender a construção do estigma social relacionado à síndrome de Mayer-Rokitansky-Kuster-Hauser (SMRKH), uma condição que afeta exclusivamente mulheres. Analisou-se o conteúdo de 43 narrativas jornalísticas veiculadas eletronicamente. O desenho metodológico permitiu a identificação de três temas: (a) o tratamento anedótico da SMRKH; (b) a fragmentação anatomopatológica: mulher-útero ou mulher-vagina; e (c) a retórica do sofrimento da mulher redimido pela medicina. Cerca de 80% do corpus estavam centrados em questões biomédicas, além de haver um flerte com tecnologias experimentais e uma perspectiva de medicina paternalista. Concluiu-se, numa aproximação bioética centrada na dignidade humana, que há necessidade de rever a forma como a mídia apresenta as mulheres afetadas (mulher-útero), evitando ao mesmo tempo modelos de perfeição ou de normalidade que subsumam a mulher ao habitus mulher-esposa-mãe. As mulheres com SMRKH não são corpos ocos e sem úteros, são plenas e podem vivenciar a diferença.


This article bases on a study to identify and understand the construction of social stigma related to Mayer-Rokitansky-Kuster-Hauser (MRKH) Syndrome, a condition that exclusively affects women, in 43 electronically transmitted journalistic narratives, using the content analysis, based on Laurence Bardin. The methodological design allowed the emergence of three themes: (a) the anecdotal treatment of MRKH syndrome; (b) the anatomopathological fragmentation: woman-uterus or woman-vagina; and (c) the rhetoric of the suffering of the woman redeemed by doctors in medicine. About 80% of the corpus focused their attention on biomedical issues, and there was a flirtation with experimental technologies and a perspective from paternalistic medicine. Based on a bioethical approach centered on human dignity, it was concluded that there is a need to review the way in which the media presents the affected women (womanwomb), avoiding models of perfection or normality that subsume women to the woman-wife-mother characterization. Women affected by MRKH syndrome are not hollow and without uterus bodies, they have plenitude and can experience the difference.


El objetivo del estudio en el cual se funda este artículo ha sido identificar y comprender la construcción del estigma social relacionado con el síndrome de Mayer-Rokitansky-Kuster-Hauser (MRKH), una condición que afecta exclusivamente a las mujeres. Utilizando el análisis de contenido, basado en Laurence Bardin, fueron analizadas 43 narrativas periodísticas transmitidas electrónicamente. El diseño metodológico permitió la identificación de tres temas: (a) el tratamiento anecdótico del síndrome de MRKH; (b) la fragmentación anatomopatológica: mujer-útero o mujer-vagina; y (c) la retórica del sufrimiento de la mujer redimido por la medicina. Cerca del 80% del corpus estabam centrados en cuestiones biomédicasy mostraron flirteo con tecnologías experimentales y una perspectiva de medicina paternalista. Se concluyó, en una aproximación bioética centrada en la dignidad humana, que existe la necesidad de revisar la forma como los medios presentan a las mujeres afectadas (mujer-útero), evitando modelos de perfección o de normalidad que subsuman a la mujer a la caracterización mujer-esposa-madre. Las mujeres con síndrome de MRKH no son cuerpos huecos y sin úteros, son plenas y pueden experimentar la diferencia.


Assuntos
Humanos , Bioética , Saúde da Mulher , Sexualidade , Pessoalidade , Qualidade de Vida , Reprodução , Útero , Vagina , Jornalismo , Estigma Social
20.
Rio de Janeiro; s.n; 2019. 281 p. ilus.
Tese em Português | LILACS | ID: biblio-1049841

RESUMO

Nas sociedades contemporâneas, marcadas pela valorização da saúde e pela medicalização, a mídia tem exercido papel central na construção do discurso do risco e na influência à eventual adoção de medidas preventivas pelos sujeitos. Esta tese analisa a cobertura d'O Globo e da Folha de S.Paulo acerca da circuncisão masculina, da PEP (profilaxia pós-exposição ao 111V), da PrFP (profilaxia pré-exposição ao 111V) e do TasP (tratamento como prevenção) como métodos preventivos ao 111V, desde o surgimento de cada um deles nos jornais até 31/12/2017. Empreendemos dois movimentos de análise. No primeiro, observamos: os jornalistas assinantes, as fontes mais ouvidas, os recursos gráficos mais utilizados, a quantidade de textos por método e sua distribuição no tempo, o tamanho médio dos espaços ocupados e a menção a outros métodos preventivos. Observamos somente para a PrEP: as editorias nas quais foi publicada, as chamadas de capa e a autoria dos textos opinativos. Em um segundo movimento de análise, sob o aporte da Análise de Discurso (Pêcheux e Orlandi), investigamos como a lógica do risco manifesta-se na cobertura d'O Globo acerca da PrEP, visando: a) identificar e problematizar o papel desempenhado pelo conceito de risco nas explicações sobre a epidemia, na definição das populações mais vulneráveis e na atribuição de responsabilidades individuais e coletivas na narrativa jornalística; b) mapear e contextualizar as principais questões priorizadas na cobertura e, por consequência, as silenciadas. Identificamos nos jornais um silenciamento sobre os métodos preventivos, marcado pelo baixo quantitativo de textos


A cobertura é motivada mais pelo ritmo das descobertas científicas e das ações dos organismos internacionais e estatais ligados à aids, em detrimento das ações, críticas e anseios dos movimentos sociais, dos profissionais do serviço público de saúde e das pessoas comuns, e a despeito dos interesses da indústria farmacêutica. Ao ouvir mais os representantes do saber especializado, os jornais privilegiam os sentidos por eles atribuídos ao risco e à aids. Na cobertura d'O Globo sobre a PrEP, o discurso do risco dá-se não pela retórica do pânico e do medo, que marcou o tom da imprensa no início da epidemia, mas por outras estratégias discursivas que incutem a responsabilidade individual pela saúde ­e que, portanto, culpabilizam o sujeito pela continuidade da epidemia, sobretudo aquele que se enquadra nas "populações-chave", por vezes também ainda designadas de 'grupos de risco"


Essa responsabilização individual dá-se em meio ao contexto neoliberal e de capitalismo de consumo, no qual convivem restrições ao orçamento público no enfrentamento à epidemia, ao lado do fomento a certo mercado, precipuamente de tecnologias biomédicas e farmacêuticas, que une o indivíduo responsável ao indivíduo consumidor ­ sobretudo de produtos que dialogam com seu prazer. Entretanto, também identificamos n'0 Globo discursos contra-hegemônicos, ligados à ideia de vulnerabilidade, que apontam para responsabilidades também coletivas no enfrentamento à epidemia e que questionam a excessiva biomedicalização da aids, entendida pelo fomento a métodos biomédicos preventivos como "balas mágicas" para solucionar esse problema de saúde pública, sem investimento em políticas que combatam as determinações sociais dele. (AU)


Assuntos
Humanos , Risco , Síndrome de Imunodeficiência Adquirida , HIV , Jornalismo , Comunicação e Divulgação Científica , Meios de Comunicação/tendências
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA