Your browser doesn't support javascript.
loading
Show: 20 | 50 | 100
Results 1 - 20 de 119.953
Filter
1.
J. Health Biol. Sci. (Online) ; 10(1): 1-6, 01/jan./2022.
Article in Portuguese | LILACS | ID: biblio-1364019

ABSTRACT

Objetivos: conhecer a atuação do enfermeiro e os cuidados desempenhados em saúde mental na Estratégia de Saúde da Família. Método: estudo descritivo e qualitativo, tendo como cenário um polo de matriciamento em saúde mental. A coleta de dados foi realizada por meio de entrevista individual, com questionário semiestruturado. Resultados: os resultados obtidos foram agrupados e discutidos por meio das seguintes categorias: ações de enfermagem no campo da saúde mental desenvolvidas na Estratégia de Saúde da Família e apoio matricial em Saúde Mental como elemento facilitador da prática de enfermagem. Conclusão: os enfermeiros têm desenvolvido ações de enfermagem no campo da saúde mental na Estratégia de Saúde da Família, e o apoio matricial atua como principal elemento facilitador da prática de enfermagem, reafirmando a Reforma Psiquiátrica Brasileira. Em contrapartida, a sobrecarga de ações e a restrita formação em saúde mental são elementos que dificultam o trabalho desse profissional.


Objectives: to know the role of nurses and the care performed in mental health in the Family Health Strategy. Method: a descriptive, exploratory, and qualitative study, with a scenario of matrix support in mental health. Data collection was carried out through individual interviews and with a semi-structured questionnaire. Results: the results obtained were grouped and discussed through the following categories: Nursing actions mental health field developed in the Family Health Strategy, and Matrix Support in Mental Health as a facilitating element of nursing practice. Conclusion: nurses have developed nursing actions mental health field in the Family Health Strategy and matrix support acts as the main facilitator of nursing practice, reaffirming the Brazilian Psychiatric Reform. On the other hand, the overload of actions and the limited training in mental health are elements that hinder the work of these professionals.


Subject(s)
Mental Health , Family Health Strategy , Nurses , Primary Health Care , Mental Disorders , Nurses, Male , Nursing Care
2.
Multimedia | Multimedia Resources | ID: multimedia-9707

ABSTRACT

O vídeo apresenta o conceito de atenção básica, também chamado de atenção primária à saúde. A atenção básica é a principal porta de entrada dos usuários ao Sistema Único de Saúde (SUS). O aplicativo FioLibras é um projeto do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde da Fundação Oswaldo Cruz (Icict/Fiocruz), em parceria com o Núcleo de Estudos em Diversidade e Inclusão de Surdos da Universidade Federal Fluminense (Nuedis/UFF), e conta com financiamento do Fundo de Inovação da Fiocruz e do Ministério da Saúde, por meio do Programa Fiocruz de Fomento à Inovação (Inova Fiocruz).


Subject(s)
Primary Health Care , COVID-19 , Unified Health System , Mobile Applications , Information Dissemination , Persons With Hearing Impairments , e-Accessibility , Sign Language
3.
Multimedia | Multimedia Resources | ID: multimedia-9684

ABSTRACT

A alimentação é um direito constitucional, assim como a saúde, e é reconhecida como determinante da saúde. A agenda de Alimentação e Nutrição prevista no artigo 6º da Lei n.° 8.080, de 19 de setembro de 1990, prevê atribuições específicas para o Ministério da Saúde, as Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde. Desde a criação do Sistema Único de Saúde (SUS), o Estado brasileiro passou a ter o dever de garantir a todos(as) o acesso às ações e aos serviços de saúde, seja para os grandes problemas de saúde coletivos, seja para os individuais, a partir dos princípios de universalidade, integralidade e equidade. O SUS, então, inclui a vigilância alimentar e nutricional, a atenção às doenças e aos agravos mais frequentes e mais raros, as vacinas e os transplantes, a promoção da saúde e a promoção e proteção da amamentação, bem como a terapia nutricional, entre tantas outras ofertas de atenção à saúde. Atualmente, as doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) são a principal causa de morbimortalidade no Brasil, já atingem 52% das pessoas maiores de 18 anos, sendo as mais prevalentes a hipertensão, problemas na coluna, depressão e diabetes (IBGE, 2020). As doenças transmissíveis continuam exigindo esforços do SUS, como o aperfeiçoamento dos programas de controle de doenças transmitidas por vetores, como dengue, chikungunya e zica. Mais recentemente, o controle da covid-19 e o cuidado com as pessoas que ficaram com condições pós-covid se somam aos desafios a serem enfrentados pelo SUS. É preciso ressaltar ainda que outras condições de saúde relacionadas à Alimentação e Nutrição estão também presentes no cotidiano da vida das pessoas e, portanto, de diversas equipes da APS, apesar da escassez ou inexistência de dados estatísticos nacionais ou da sua baixa prevalência na população. A identificação e o acolhimento dessas pessoas ocorrem, sobretudo, à medida que são aprimoradas a responsabilização pela população adscrita, a acessibilidade, a capacidade resolutiva e a coordenação do cuidado da APS, tornando-a também, assim como os serviços de Atenção Especializada, um ponto fundamental da RAS para a atenção integral à saúde. Também repercute sobre a APS a questão da insegurança alimentar da população, compreendida como a falta de acesso a uma alimentação adequada, condicionada, predominantemente, às questões de renda. Diante desse complexo cenário que se deu a construção da Matriz para Organização dos Cuidados em Alimentação e Nutrição na Atenção Primária à Saúde.


Subject(s)
Primary Health Care/standards , Nutrition Policy , Food Security/statistics & numerical data , Diet, Healthy , Health Services Accessibility , Health Promotion , Family Health , Noncommunicable Diseases/prevention & control , Healthy Lifestyle , Health Care Rationing/economics , Obesity/prevention & control , Local Health Systems/economics , Brazil
4.
Multimedia | Multimedia Resources | ID: multimedia-9685

ABSTRACT

O webinário abordará a importância, as possibilidades e as oportunidades para o breve aconselhamento sobre diferentes comportamentos, por parte de diferentes profissionais, na rotina de serviço das UBS. Também se pretende refletir sobre os obstáculos para o breve aconselhamento e os resultados observados a partir da sua prática. As UBS e suas equipes são responsáveis por cuidar dos indivíduos e de suas famílias, por meio de consultas de rotina, visitas domiciliares e acompanhamento de condições como diabetes mellitus e hipertensão arterial sistêmica, entre outros serviços. Dessa forma, todo e qualquer contato das equipes com os usuários, na rotina do serviço, deve ser considerado uma oportunidade para a promoção da saúde. Nesse sentido, o breve aconselhamento em saúde será debatido enquanto estratégia relativamente simples e com grande potencial de promoção de saúde, principalmente por envolver linguagem acessível e objetiva. Breve aconselhamento em Atenção Primária à Saúde. Considerado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como uma importante ferramenta no contexto da prevenção e controle das doenças crônicas, o breve aconselhamento é uma ação educativa, e qualquer profissional de saúde pode oferecê-lo. Com duração média de 10 minutos, é uma abordagem feita durante a consulta clínica, para a modificação de diferentes comportamentos associados ao estilo de vida (alimentação, atividade física, consumo de álcool e tabagismo), no contexto dos cuidados primários de saúde. A padronização dessa abordagem permite mais eficiência no funcionamento dos serviços de saúde, garantindo uma base de intervenção e facilitando o monitoramento das ações. Além disso, a implementação do breve aconselhamento e a identificação precoce de doenças aumentam as oportunidades de acompanhamento e uma melhor articulação entre os profissionais de saúde. A prática é uma medida de prevenção e deve ser realizada durante as consultas nos serviços de APS, considerando adicionalmente a necessidade de referenciar de acordo com os fluxos para o cuidado integral em saúde. A abordagem pode contribuir para a diminuição de doenças como diabetes e obesidade, para o melhor controle após a sua instalação, para o menor risco de complicações associadas e, consequentemente, para a menor necessidade de utilização de serviços de saúde especializados futuramente.


Subject(s)
Primary Health Care/standards , Food Guide , Diet, Healthy , Healthy Lifestyle , Whole Foods , Feeding Behavior , Food Security , Industrialized Foods , Exercise , Quality of Life , Brazil , Tobacco Use Disorder/prevention & control , Health Promotion , Health Personnel
6.
Multimedia | Multimedia Resources | ID: multimedia-9688

ABSTRACT

Observa-se no contexto atual, um aumento nas prevalências de insegurança alimentar e nutricional (IAN), o que indica um maior número de famílias brasileiras sem acesso regular e permanente a uma alimentação de qualidade e em quantidade suficiente, sendo essa situação diretamente relacionada com a ocorrência da má nutrição. Considerando a complexidade dos determinantes da saúde e da segurança alimentar e nutricional (SAN), as consequências da desnutrição, e, considerando ainda a importância do diagnóstico e da vigilância alimentar e nutricional, é imprescindível que se consiga avançar na qualificação e organização do cuidado no âmbito da APS, bem como fortalecer o apoio a gestores e profissionais de saúde para o desenvolvimento de estratégias intersetoriais capazes de atuar na garantia da SAN e da saúde. A desnutrição é um problema de saúde pública que acomete a população brasileira, especialmente pessoas de maior vulnerabilidade social e biológica. De acordo com os dados do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (Sisvan), em 2020, 14,2% das gestantes apresentaram baixo peso para a idade gestacional, 6,1% das crianças menores de 5 anos estavam com magreza acentuada ou magreza e 13,0% delas com baixa estatura para a idade. O cenário é preocupante, tendo em vista as consequências da desnutrição a curto e longo prazo. A desnutrição associa-se a maior mortalidade e morbidade, é um fator de risco para infecções, como doenças diarreicas e respiratórias, e contribui para um inadequado crescimento e desenvolvimento na primeira infância. Entre os múltiplos fatores para a prevenção da desnutrição, a alimentação adequada e saudável é essencial para garantir o pleno crescimento e desenvolvimento, com destaque para os primeiros mil dias de vida, que englobam o período gestacional e os primeiros dois anos de vida da criança. Uma alimentação em quantidade ou qualidade insuficiente nessas fases da vida associa-se à múltipla carga de má nutrição, caracterizada pela coexistência de desnutrição, excesso de peso e carências nutricionais, como a anemia e a deficiência de vitamina A.


Subject(s)
Nutrition Policy , Food Security/statistics & numerical data , Feeding Behavior , COVID-19/epidemiology , Diet, Healthy , Malnutrition/prevention & control , Malnutrition/epidemiology , Food Insecurity , Nutrition Programs and Policies , Child Health , Industrialized Foods , Food Guide , Primary Health Care , Health Promotion , Local Health Systems , Brazil/epidemiology , Mexico/epidemiology
7.
Multimedia | Multimedia Resources | ID: multimedia-9689

ABSTRACT

Com o objetivo de apoiar a prática do cuidado individual na Atenção Primária à Saúde, o Ministério da Saúde vêm desenvolvendo uma série de iniciativas para a qualificação do pré-natal e produziu um fascículo do Protocolo de Uso do Guia Alimentar para a População Brasileira na Orientação Alimentar de Gestantes. Nessa fase é particularmente relevante o consumo de uma grande variedade de alimentos in natura e minimamente processados além de muita água, para suprir a necessidade de nutrientes fundamentais para esse evento da vida. A alimentação saudável na gestação favorece o bom desenvolvimento fetal, a saúde e o bem-estar da gestante, além de prevenir o surgimento de agravos, como diabetes gestacional, hipertensão e ganho de peso excessivo. Para uma orientação alimentar mais adequada, é essencial que o profissional de saúde esteja atento a aspectos relacionados à vulnerabilidade social e renda, à rede de apoio, à idade da gestante e às condições de trabalho da pessoa gestante atendida. Outros fatores que necessitam de atenção no período gestacional são as alterações fisiológicas e sintomatologias que podem influenciar o consumo alimentar nesse evento da vida. Além disso, o acompanhamento do cenário alimentar e nutricional realizado por meio das consultas de pré-natal e acompanhamento do ganho de peso é uma ação preventiva de agravos relacionados à má nutrição e a curva de ganho de peso gestacional, disponível na caderneta de saúde da gestante é uma importante ferramenta na rotina de trabalho dos profissionais e equipes de saúde.


Subject(s)
Primary Health Care/statistics & numerical data , Food Guide , Foods for Pregnant and Nursing Mothers , Diet, Healthy , Maternal-Child Health Services/standards , Food Security , Local Health Systems , Malnutrition/prevention & control , Obesity Management/supply & distribution , Overweight/prevention & control , Race Factors , Prenatal Care , Postnatal Care , Folic Acid/therapeutic use , Dietary Supplements , Food Insecurity , Brazil , Health Promotion , Exercise
8.
Multimedia | Multimedia Resources | ID: multimedia-9691

ABSTRACT

O II Seminário Internacional de Alimentação e Nutrição na Atenção Primária à Saúde teve como objetivo disseminar informações técnico-científicas e promover trocas de experiências a partir de espaços de discussão e proposição de ações em conjunto com coordenadores estaduais e municipais de alimentação e nutrição, gestores e profissionais envolvidos no desenvolvimento destas ações nos territórios, além de pesquisadores, estudantes e demais interessados no tema. Esse contou com um público de 5 mil pessoas, residentes em mais de 50 países. Houve o lançamento de duas importantes publicações: Recomendações para o Fortalecimento da Atenção Nutricional na Atenção Primária à Saúde no Brasil e Matriz para Organização dos Cuidados em Alimentação e Nutrição na Atenção Primária à Saúde. Esses materiais foram desenvolvidos para dar apoio técnico aos gestores e profissionais na organização da atenção nutricional e na formulação de estratégias de cuidado nos territórios cobertos pela APS no Brasil, buscando reverter cenários de má nutrição.


Subject(s)
Nutrition Policy , Food Security , Diet, Healthy , Noncommunicable Diseases/prevention & control , Food Insecurity , Local Health Systems , Sustainable Development , Malnutrition/prevention & control , Primary Health Care , Intersectoral Collaboration , Nutritional Surveillance , Policy Making , Industrialized Foods , Health Promotion , Prisoners , Feeding Behavior , Family Health , COVID-19/epidemiology , Community Health Workers , Health Care Rationing/economics , Health Personnel/education , Healthy Lifestyle , Quality of Life , Food and Nutrition Education , Whole Foods
9.
Multimedia | Multimedia Resources | ID: multimedia-9692

ABSTRACT

O II Seminário Internacional de Alimentação e Nutrição na Atenção Primária à Saúde teve como objetivo disseminar informações técnico-científicas e promover trocas de experiências a partir de espaços de discussão e proposição de ações em conjunto com coordenadores estaduais e municipais de alimentação e nutrição, gestores e profissionais envolvidos no desenvolvimento destas ações nos territórios, além de pesquisadores, estudantes e demais interessados no tema. Esse contou com um público de 5 mil pessoas, residentes em mais de 50 países. Houve o lançamento de duas importantes publicações: Recomendações para o Fortalecimento da Atenção Nutricional na Atenção Primária à Saúde no Brasil e Matriz para Organização dos Cuidados em Alimentação e Nutrição na Atenção Primária à Saúde. Esses materiais foram desenvolvidos para dar apoio técnico aos gestores e profissionais na organização da atenção nutricional e na formulação de estratégias de cuidado nos territórios cobertos pela APS no Brasil, buscando reverter cenários de má nutrição.


Subject(s)
Primary Health Care , Nutrition Policy , Food Security , Food Insecurity , Nutritional Surveillance , Health Promotion , Obesity/prevention & control , Integrality in Health , Environmental Health , Intersectoral Collaboration , Local Health Systems , Sugar-Sweetened Beverages/standards , COVID-19/epidemiology , Diet, Healthy , Industrialized Foods , Community Health Workers , Noncommunicable Diseases/prevention & control , Food Guide , Family Health , Sustainable Development , Obesity Management , Social Stigma , Healthy Lifestyle , Quality of Life , Canada , Brazil , United Kingdom
10.
Multimedia | Multimedia Resources | ID: multimedia-9693

ABSTRACT

O II Seminário Internacional de Alimentação e Nutrição na Atenção Primária à Saúde teve como objetivo disseminar informações técnico-científicas e promover trocas de experiências a partir de espaços de discussão e proposição de ações em conjunto com coordenadores estaduais e municipais de alimentação e nutrição, gestores e profissionais envolvidos no desenvolvimento destas ações nos territórios, além de pesquisadores, estudantes e demais interessados no tema. Esse contou com um público de 5 mil pessoas, residentes em mais de 50 países. Houve o lançamento de duas importantes publicações: Recomendações para o Fortalecimento da Atenção Nutricional na Atenção Primária à Saúde no Brasil e Matriz para Organização dos Cuidados em Alimentação e Nutrição na Atenção Primária à Saúde. Esses materiais foram desenvolvidos para dar apoio técnico aos gestores e profissionais na organização da atenção nutricional e na formulação de estratégias de cuidado nos territórios cobertos pela APS no Brasil, buscando reverter cenários de má nutrição.


Subject(s)
Primary Health Care , Nutrition Policy , Food Security , Food Insecurity , Health Personnel/education , Food and Nutrition Education , Health Promotion , Local Health Systems , Healthy Lifestyle , Quality of Life , Diet, Healthy , School Health Services , Nutritional Surveillance , COVID-19/epidemiology , Child Nutrition/education , Industrialized Foods , Noncommunicable Diseases/prevention & control , Food Publicity , Exercise , Feeding Behavior
11.
Multimedia | Multimedia Resources | ID: multimedia-9694

ABSTRACT

No Brasil, a alimentação é um direito constitucional, reconhecido como determinante e condicionante da saúde, que deve ser assegurado por meio de políticas públicas). A Lei Orgânica da Saúde determina que cabe à direção nacional do Sistema Único de Saúde (SUS) formular, avaliar e apoiar políticas de alimentação e nutrição; e inclui a Vigilância Alimentar e Nutricional (VAN) no rol de Vigilâncias em Saúde. Assim, a Política Nacional de Alimentação e Nutrição (PNAN), desde 1999, estabelece diretrizes para organização das ações de Alimentação e Nutrição (A&N) no SUS, e desde sua atualização em 2011, tem como propósito a melhoria das condições de alimentação, nutrição e saúde da população brasileira, com vistas à garantia da Segurança Alimentar e Nutricional. A atenção nutricional é compreendida como um conjunto de cuidados relativos à A&N voltados à promoção e proteção da saúde, prevenção, diagnóstico e tratamento de agravos, que devem estar associados às demais ações de atenção à saúde do SUS, para indivíduos, famílias e comunidades, contribuindo para a conformação de uma rede integrada, resolutiva e humanizada de cuidados. A prioridade da organização dessas ações deve estar no âmbito da Atenção Primária à Saúde (APS) por seu papel estratégico como porta de entrada e coordenação do cuidado em saúde.


Subject(s)
Nutrition Policy/economics , Healthy Lifestyle , Diet, Healthy , Obesity Management , Primary Health Care/economics , Local Health Systems , Health Care Rationing , Health Promotion , Brazil , Obesity/prevention & control , Patient Care Team/organization & administration
12.
Ars pharm ; 63(2)abr.-jun. 2022. tab, graf
Article in Spanish | IBECS | ID: ibc-202810

ABSTRACT

Introducción: La alfabetización en salud es una medida de la capacidad de los pacientes de leer, comprender y tomar decisiones en base a instrucciones médicas. La inadecuada alfabetización se asocia a un peor estado de salud en pacientes con enfermedades crónicas. El momento de la dispensación podría ser una oportunidad para evaluar esta condición por el farmacéutico de atención primariaEl objeto de este estudio fue evaluar la relación de alfabetización en salud y los valores de colesterol total y comorbilidades en personas con prescripción de hipolipemiantes atendidos en un centro de jubilados.Método:Se diseñó un estudio prospectivo donde se evaluó la relación de la alfabetización utilizando Short Assessment of Health Literacy for Spanish-speaking Adults y el valor de colesterol , medicamentos , factores de riesgo y comorbilidades. Todas estas variables se analizaron en forma integrada en un análisis multivariado. Resultados: Participaron 178 pacientes, 63% mujeres. El puntaje promedio de SAHLSA fue 43,4 ± 5,5. Se encontró una inadecuada alfabetización en 24%. pacientes El valor promedio de colesterol en estre grupo de pacientes fue 235,17mg/dl vs 193,53mg/dl quienes tenian adecuada alfabetización en salud.Se realizó un análisis multivariado que mostró asociación entre inadecuada alfabetización en salud, bajo nivel de educación y conocimiento del paciente . El número de internaciones y la aparición de eventos coronarios fueron significativamente mayor en los pacientes con alfabetización en salud insuficiente. Conclusiones: Se encontró relación directa entre el grado de alfabetización en salud y los valores de colesterol total en pacientes en tratamiento por hipercolesterolemia (AU)


Introduction: Health literacy is a measure of the ability of patients to read, understand and make decisions based on medical instructions. Inadequate health literacy is associated with poorer health in patients with chronic diseases. Time of dispensing could be an opportunity for the primary care pharmacist to evaluate this condition by the. The purpose of this study was to evaluate the relationship of Health literacy and the values of total cholesterol and comorbidities in people with a prescription of lipid-lowering drugs treated in a retirement center. Method: A prospective study was designed where the relationship of Health literacy was evaluated using Short Assessment of Health Literacy for Spanish-speaking Adults and the value of cholesterol, medications, risk factors and comorbidities. All these variables were analyzed in an integrated manner in a multivariate analysis.Results:178 patients participated, 63% women. The mean SAHLSA score was 43.4 ± 5.5. Inadequate HL was found in 24%. patients.The mean cholesterol value in patients with inadequate Health literacy was 235.17mg / dl vs 193.53mg / dl among those with adequate Health literacy.A multivariate analysis was performed that showed an association between inadequate Health literacy, the level of education and the patient’s knowledge of normal values of total cholesterol. The number of hospitalizations and the occurrence of coronary events were significantly higher in patients with insufficient Health literacy. Conclusions: A direct relationship was found between the degree of Health literacy and total cholesterol values in patients undergoing treatment for hypercholesterolemia (AU)


Subject(s)
Humans , Male , Female , Middle Aged , Aged , Aged, 80 and over , Health Literacy , Primary Health Care , Hypolipidemic Agents/therapeutic use , Cholesterol/blood , Hypercholesterolemia/drug therapy , Pharmaceutical Services , Prospective Studies , Risk Factors , Multivariate Analysis , Comorbidity , Educational Status , Cross-Sectional Studies
13.
J Natl Med Assoc ; 114(3S2): S20-S24, 2022 Jun.
Article in English | MEDLINE | ID: mdl-35654631

ABSTRACT

Patients with chronic kidney disease (CKD) are susceptible to infectious organisms in part due to the many facets of uremia-associated immune deficiency. Vaccination plays a crucial role in curbing vaccine preventable infection in patients with CKD and Kidney transplant recipients. Vaccination should be done early in the course of CKD or prior to kidney transplantation when possible. It is incumbent upon all healthcare providers to not only stay abreast of the rapidly evolving evidence and recommendations regarding this area but to also continue to update clinical practice regarding vaccines for long-recognized infectious threats, such as pneumococcal disease and chronic hepatitis B infection, to mitigate the burden of infectious diseases on this particularly vulnerable patient population.


Subject(s)
Kidney Transplantation , Pneumococcal Infections , Renal Insufficiency, Chronic , Humans , Primary Health Care , Renal Insufficiency, Chronic/complications , Vaccination
14.
J Natl Med Assoc ; 114(3S2): S10-S19, 2022 Jun.
Article in English | MEDLINE | ID: mdl-35688692

ABSTRACT

An estimated 37 million Americans have chronic kidney disease (CKD). Primary care providers (PCPs) have long played a critical role in detecting CKD and preventing disease progression, particularly in the early stages of the disease. With recent studies demonstrating substantial improvements in kidney outcomes with use of sodium glucose cotransporter 2 (SGLT2) inhibitors, PCPs have an even greater opportunity to improve care of individuals with CKD. Health disparities in nephrology have recently come to the forefront - again, PCPs will play a key role in efforts to reduce such disparities and ensure all patients receive high quality care. This review summarizes the latest guidelines for treatment of CKD and its complications, explores health disparities affecting patients with CKD, and highlights the role of the PCP in caring for this population.


Subject(s)
Nephrology , Renal Insufficiency, Chronic , Disease Progression , Humans , Primary Health Care , Quality of Health Care , Renal Insufficiency, Chronic/diagnosis , United States
15.
Cien Saude Colet ; 27(6): 2481-2493, 2022 Jun.
Article in Portuguese, English | MEDLINE | ID: mdl-35649034

ABSTRACT

The scope of the article was to characterize the process of regulation of care in Primary Health Care units in the city of Rio de Janeiro, with an emphasis on the outpatient dimension. A cross-sectional study was carried out in 2019, by means of a survey, with the participation of 114 local regulatory physicians. With respect to the profile of local regulators, there is a high percentage with training in Family and Community Medicine and the length of service of these professionals in the units is relatively satisfactory. For 52.6%, the infrastructure for regulation is adequate, but connectivity frequently presents problems. In the regulation system, the mechanisms and schedules for making vacancies available and accessing them elicit competition between the regulators of the units, with work overload and associated access inequities. There was major involvement of local regulators in activities of evaluation and management of waiting times. The majority reported that there was little or no interaction with specialized care. Although the decentralized regulation process still has some shortcomings, the study points to the feasibility and contribution of more intense participation of Primary Care in the regulation of access.


O artigo teve por objetivo caracterizar o processo de regulação assistencial realizado nas unidades de Atenção Primária à Saúde do município do Rio de Janeiro, com ênfase na dimensão ambulatorial. Foi realizado estudo transversal, por meio de um survey, com participação de 114 médicos reguladores locais, no ano de 2019. Quanto ao perfil dos reguladores locais, destacou-se o alto percentual com formação em Medicina de Família e Comunidade e o tempo de atuação relativamente adequado destes profissionais nas unidades. Para 52,6%, a infraestrutura para regulação é adequada, mas a conectividade apresenta problemas com frequência. No sistema de regulação, os mecanismos e horários de disponibilização de vagas produzem competição entre os reguladores das unidades, com sobrecarga de trabalho e iniquidades de acesso associadas. Observou-se importante envolvimento dos reguladores locais em atividades de avaliação e gestão de filas de espera. A maioria informou haver pouca ou nenhuma interação com a atenção especializada. Apesar do processo de regulação descentralizada ainda apresentar importantes limites, o estudo aponta a factibilidade e contribuição da entrada mais intensa da Atenção Primária na regulação do acesso.


Subject(s)
Outpatients , Physicians , Brazil , Cross-Sectional Studies , Humans , Primary Health Care
17.
Med Care ; 60(7): 496-503, 2022 07 01.
Article in English | MEDLINE | ID: mdl-35679173

ABSTRACT

BACKGROUND: Nurse practitioners (NPs) play a critical role in delivering primary care, particularly to chronically ill elderly. Yet, many NPs practice in poor work environments which may affect patient outcomes. OBJECTIVE: We investigated the relationship between NP work environments in primary care practices and hospitalizations and emergency department (ED) use among chronically ill elderly. RESEARCH DESIGN: We used a cross-sectional design to collect survey data from NPs about their practices. The survey data were merged with Medicare claims data. SUBJECTS: In total, 979 primary care practices employing NPs and delivering care to chronically ill Medicare beneficiaries (n=452,931) from 6 US states were included. MEASURES: NPs completed the Nurse Practitioner-Primary Care Organizational Climate Questionnaire-a valid and reliable measure for work environment. Data on hospitalizations and ED use was obtained from Medicare claims. We used Cox regression models to estimate risk ratios. RESULTS: After controlling for covariates, we found statistically significant associations between practice-level NP work environment and 3 outcomes: Ambulatory Care Sensitive (ACS) ED visits, all-cause ED visits, and all-cause hospitalizations. With a 1-unit increase in the work environment score, the risk of an ACS-ED visit decreased by 4.4% [risk ratio (RR)=0.956; 99% confidence interval (CI): 0.918-0.995; P=0.004], an ED visit by 3.5% (RR=0.965; 99% CI: 0.933-0.997; P=0.005), and a hospitalization by 4.0% (RR=0.960;99% CI: 0.928-0.993; P=0.002). There was no relationship between NP work environment and ACS hospitalizations. CONCLUSION: Favorable NP work environments are associated with lower hospital and ED utilization. Practice managers should focus on NP work environments in quality improvement strategies.


Subject(s)
Medicare , Nurse Practitioners , Aged , Chronic Disease , Cross-Sectional Studies , Emergency Service, Hospital , Hospitalization , Humans , Primary Health Care , United States
18.
BMC Health Serv Res ; 22(1): 740, 2022 Jun 03.
Article in English | MEDLINE | ID: mdl-35659215

ABSTRACT

BACKGROUND: Globally, registered nurses (RNs) are increasingly working in primary care interdisciplinary teams. Although existing literature provides some information about the contributions of RNs towards outcomes of care, further evidence on RN workforce contributions, specifically towards patient-level outcomes, is needed. This study synthesized evidence regarding the effectiveness of RNs on patient outcomes in primary care. METHODS: A systematic review was conducted in accordance with Joanna Briggs Institute methodology. A comprehensive search of databases (CINAHL, MEDLINE Complete, PsycINFO, Embase) was performed using applicable subject headings and keywords. Additional literature was identified through grey literature searches (ProQuest Dissertations and Theses, MedNar, Google Scholar, websites, reference lists of included articles). Quantitative studies measuring the effectiveness of a RN-led intervention (i.e., any care/activity performed by a primary care RN) that reported related outcomes were included. Articles were screened independently by two researchers and assessed for bias using the Integrated Quality Criteria for Review of Multiple Study Designs tool. A narrative synthesis was undertaken due to the heterogeneity in study designs, RN-led interventions, and outcome measures across included studies. RESULTS: Forty-six patient outcomes were identified across 23 studies. Outcomes were categorized in accordance with the PaRIS Conceptual Framework (patient-reported experience measures, patient-reported outcome measures, health behaviours) and an additional category added by the research team (biomarkers). Primary care RN-led interventions resulted in improvements within each outcome category, specifically with respect to weight loss, pelvic floor muscle strength and endurance, blood pressure and glycemic control, exercise self-efficacy, social activity, improved diet and physical activity levels, and reduced tobacco use. Patients reported high levels of satisfaction with RN-led care. CONCLUSIONS: This review provides evidence regarding the effectiveness of RNs on patient outcomes in primary care, specifically with respect to satisfaction, enablement, quality of life, self-efficacy, and improvements in health behaviours. Ongoing evaluation that accounts for primary care RNs' unique scope of practice and emphasizes the patient experience is necessary to optimize the delivery of patient-centered primary care. PROTOCOL REGISTRATION ID: PROSPERO: International Prospective Register of Systematic Reviews. 2018. ID=CRD42 018090767 .


Subject(s)
Nurses , Quality of Life , Delivery of Health Care , Humans , Primary Health Care , Systematic Reviews as Topic
19.
J Prim Care Community Health ; 13: 21501319221103416, 2022.
Article in English | MEDLINE | ID: mdl-35678247

ABSTRACT

INTRODUCTION/OBJECTIVES: Due to the risks associated with sedative hypnotic medications in older adults, our study evaluated the impact of a multidisciplinary approach to deprescribing in geriatric primary care clinics. METHODS: The study was a retrospective review of older adults at 2 academic, geriatric primary care clinics who were prescribed sedative-hypnotic medications. Patients were mailed an education packet of information that included working with the clinical pharmacy team, behavioral health team, or both in order to deprescribe their sedative-hypnotic medication. The study assessed the rate of discontinuation of sedative-hypnotic medications between the different intervention groups. RESULTS: The study included 93 older adults with a mean age of 81.3 years and 39.8% discontinuation rate of their medication. The number of falls decreased in patients who discontinued use compared to when previously using a sedative hypnotic medication. CONCLUSION: Patients are more likely to discontinue their sedative hypnotic medication with a multidisciplinary approach, specifically with primary care provider support.


Subject(s)
Deprescriptions , Hypnotics and Sedatives , Aged , Aged, 80 and over , Humans , Hypnotics and Sedatives/therapeutic use , Primary Health Care
20.
J Prim Care Community Health ; 13: 21501319221105248, 2022.
Article in English | MEDLINE | ID: mdl-35678264

ABSTRACT

PURPOSE: Evidence-based models of cancer survivorship care are lacking. Such models should take into account the perspectives of all stakeholders. The purpose of this integrative review is to examine the current state of the literature on cancer survivorship care from the cancer survivor, the oncology care team, and the primary care team perspectives. METHODS: Using defined inclusion and exclusion criteria, we conducted a literature search of PubMed, PsycINFO, CINAHL, and Scopus databases to identify relevant articles on the stakeholders' perspectives on cancer survivorship care published between 2010 and 2021. We reviewed and abstracted eligible articles to synthesize findings. RESULTS: A total of 21 studies were included in the review. Barriers to the receipt and provision of cancer survivorship care quality included challenges with communication, cancer care delivery, and knowledge. CONCLUSION: Persistent stakeholder-identified barriers continue to hinder the provision of quality cancer survivorship care. Improved communication, delivery of care, knowledge/information, and resources are needed to improve the quality of survivorship care. Novel models of cancer survivorship care that address the needs of survivors, oncology teams, and PCPs are needed.


Subject(s)
Cancer Survivors , Neoplasms , Humans , Neoplasms/therapy , Primary Health Care , Survivors , Survivorship
SELECTION OF CITATIONS
SEARCH DETAIL
...