Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 3 de 3
Filtrar
Más filtros










Intervalo de año de publicación
1.
Bragança; s.n; 20240000. tab..
Tesis en Portugués | BDENF - Enfermería | ID: biblio-1527250

RESUMEN

O controlo da dor abarca todas as intervenções destinadas à sua prevenção e tratamento. Sempre que o enfermeiro preveja a ocorrência de dor ou avalie a sua presença, deve intervir na promoção de cuidados que a aliviem ou reduzam para níveis considerados toleráveis pela pessoa, gerindo ações farmacológicas e não-farmacológicas, para garantir o bem-estar físico, psicossocial e espiritual do indivíduo. Objetivo: Identificar as principais intervenções, sentimentos e limitações vivenciadas pelos enfermeiros de urgência de uma ilha de Cabo Verde, no que concerne ao controlo da dor da pessoa em situação crítica. Metodologia: Foi desenvolvido um estudo qualitativo com enfoque fenomenológico, de caráter exploratório e descritivo, numa amostra de 6 enfermeiros de um Banco de Urgência de uma ilha de Cabo Verde. Foram realizadas entrevistas por videochamada, conforme a disponibilidade dos participantes, recorrendo-se a um guião de entrevista semiestruturada, com 8 questões, sendo feita análise de conteúdo. Resultado: Os enfermeiros da amostra relataram um leque de sentimentos, uns negativos e outros positivos, relativamente às necessidades de intervenções para controlo da dor nos doentes críticos. Como negativos obtiveram-se: ansiedade, stress, desanimo, impotência, angustia, esgotamento físico, entre outros. Os sentimentos positivos percecionados foram a empatia, comunicação e humanismo. Verbalizaram utilizar medidas de enfermagem interdependentes e autónomas, para controlo da dor dos doentes críticos no SU. Todos recorrem às medidas farmacológicas, segundo prescrição médica. Foram reconhecidas algumas intervenções não farmacológicas, voltadas para a promoção do conforto, tais como adequação do posicionamento, aplicação de calor e frio e massagens. Das principais limitações apontadas surgiram como subcategorias: Défice ou falta de formação no controlo da dor e Carência de recursos humanos. Conclusão: O estudo revelou uma gama complexa de sentimentos nos enfermeiros de urgência da amostra, destacando alguns desafios emocionais e algumas estratégias farmacológicas e não farmacológicas no controle da dor em pacientes críticos. Os resultados apontam para a necessidade de abordagens abrangentes que promovam tanto o bem-estar emocional dos enfermeiros quanto ao aprimoramento das práticas no controlo da dor em ambientes de urgência. Para tal, urge reverter a escassez de recursos humanos, bem como promover a formação específica destes enfermeiros na gestão da dor.


Pain control encompasses all interventions aimed at its prevention and treatment. Whenever the nurse predicts the occurrence of pain or assesses its presence, he or she must intervene to promote care that alleviates it or reduces it to levels considered tolerable by the person, managing pharmacological and non-pharmacological actions, to ensure physical and psychosocial well-being. and spirituality of the individual. Objective: To identify the main interventions, feelings and limitations experienced by emergency nurses on an island in Cape Verde, with regard to controlling the pain of people in critical situations. Methodology: A qualitative study was developed with a phenomenological focus, of an exploratory and descriptive nature, on a sample of 6 nurses from an Emergency Bank on an island in Cape Verde. Interviews were carried out via video call, depending on the participants' availability, using a semi-structured interview guide, with 8 questions, and content analysis was carried out. Result: The nurses in the sample reported a range of feelings, some negative and others positive, regarding the need for interventions to control pain in critically ill patients. The following were negative: anxiety, stress, discouragement, impotence, anguish, physical exhaustion, among others. The positive feelings perceived were empathy, communication and humanism. They verbalized the use of interdependent and autonomous nursing measures to control the pain of critically ill patients in the ED. Everyone resorts to pharmacological measures, according to medical prescription. Some non- pharmacological interventions were recognized, aimed at promoting comfort, such as adjusting positioning, applying heat and cold and massages. Of the main limitations highlighted, the following subcategories emerged: Deficit or lack of training in pain control and Lack of human resources. Conclusion: The study revealed a complex range of feelings in the emergency nurses in the sample, highlighting some emotional challenges and some pharmacological and non- pharmacological strategies in controlling pain in critically ill patients. The results point to the need for comprehensive approaches that promote both the emotional well-being of nurses and the improvement of pain control practices in emergency environments. To this end, there is an urgent need to reverse the shortage of human resources, as well as promote the specific training of these nurses in pain management.


Asunto(s)
Humanos , Dolor , Servicio de Urgencia en Hospital
2.
Leiria; s.n; 16 Jan 2018.
Tesis en Portugués | BDENF - Enfermería | ID: biblio-1442664

RESUMEN

Objetivos: Nos vários serviços de internamento dos hospitais, e nos serviços de medicina em particular, a dor faz parte do quotidiano dos doentes e dos profissionais que os cuidam. Nas vivências dos processos complexos de doença, a dor é um dos sintomas quase sempre presente. Do ponto de vista da enfermagem, a avaliação e controlo da dor é objeto de preocupação, contudo nem sempre é fácil avaliar e controlar a dor nos doentes com a comunicação comprometida. Métodos: Este estudo descritivo-correlacional transversal que explorou e descreveu o fenómeno da avaliação da dor no doente com alteração da comunicação, com os objetivos: avaliar as atitudes, práticas, barreiras e conhecimentos dos enfermeiros na avaliação e controlo da dor no doente com alterações da comunicação verbal, no serviço de medicina. Para tal foi aplicado um questionário de avaliação a 64 enfermeiros e foram extraídos dados informatizados de 100 dos doentes com diagnósticos de comunicação ou consciência alterada limitadores à avaliação da dor. Resultados: Os enfermeiros, no geral, apresentaram atitudes positivas em relação à avaliação e controlo da dor. As atitudes menos positivas estão relacionadas com a utilização de opióides. É evidente que existem práticas a melhorar no que concerne à avaliação e controlo da dor. As barreiras identificadas pelos enfermeiros são relativas à avaliação da dor e administração de medicação. Não houve evidência da relação entre a experiência profissional e as atitudes e práticas na avaliação da dor, nem diferenças de acordo com a presença de formação específica. Conclusão: O estudo sugere a revisão e reformulação dos programas de formação dirigidos aos enfermeiros na temática da avaliação e controlo da dor, com abordagem específica das boas práticas nos doentes com alterações da comunicação.


Objectives: In the various inpatient services of hospitals, and in medical services in particular, pain is part of the daily lives of patients and the professionals who care for them. In the experience of complex disease processes, pain is one of the symptoms almost always present. From a nursing point of view, pain assessment and control is a matter of concern, but it is not always easy to assess and control pain in patients with compromised communication. Methods: This descriptive-correlational cross-sectional study explored and described the phenomenon of pain assessment in patients with communication impairment, with the objectives: to evaluate the attitudes, practices, barriers and knowledge of nurses in the assessment and control of pain in patients with verbal communication impairment, in the medical service. To this end, an assessment questionnaire was administered to 64 nurses and computerised data were extracted from 100 of the patients with diagnoses of altered communication or awareness limiting pain assessment. Results: Nurses overall showed positive attitudes towards pain assessment and control. The least positive attitudes were related to the use of opioids. It is evident that there are practices to improve regarding pain assessment and control. The barriers identified by nurses are related to pain assessment and medication administration. There was no evidence of a relationship between professional experience and attitudes and practices in pain assessment, nor differences according to the presence of specific training. Conclusion: The study suggests a review and reformulation of training programmes for nurses in pain assessment and control, with a specific approach to good practice in patients with communication disorders.


Asunto(s)
Humanos , Dimensión del Dolor , Comunicación , Rol de la Enfermera , Atención de Enfermería
3.
Viana do Castelo; s.n; 20130000.
Tesis en Portugués | BDENF - Enfermería | ID: biblio-1252777

RESUMEN

A dor é uma experiência pessoal, influenciada por vários fatores em que a perceção sensorial e emocional acrescenta dificuldades na sua avaliação. A avaliação e o controlo da dor é um dever do enfermeiro e tem como objetivos proporcionar conforto, dignidade e qualidade de vida. A sua intervenção na vigilância da dor é fundamental pois é capaz de prever um evento doloroso intervindo com estratégias que aliviem ou reduzam a dor para níveis considerados aceitáveis para a pessoa. Este estudo teve por finalidade contribuir para um conhecimento aprofundado sobre as estratégias e recursos, utilizadas pelos enfermeiros, na avaliação e controlo da dor no doente terminal e como objetivos identificar as boas práticas e as estratégias utilizadas pelos enfermeiros, na avaliação e no controlo da dor no doente terminal. Trata-se de um estudo de nível 1 exploratório descritivo no qual estiveram envolvidos 18 enfermeiros dum serviço de medicina; realizadas 18 entrevistas semi-estruturadas; 36 observações não participadas das passagens de turno e 36 análises documentais aos registos de enfermagem. Dos resultados das entrevistas realça-se que os enfermeiros utilizam como estratégias para a avaliação da dor a observação do doente, identificação de sinais somáticos e a utilização de escalas de avaliação. Para o controlo da dor utilizam medidas farmacológicas e não farmacológicas. Das passagens de turno sobressai que os enfermeiros apesar de fazerem referência ao fenómeno dor, não mencionam a estratégia utilizada na sua avaliação e nem sempre referem a estratégia utilizada no controlo da dor. Da consulta dos registos, verifica-se que apenas é registado a utilização das escalas da face ou numérica e que aplicam as intervenções físicas como o posicionamento e a massagem assim como a administração de medicação em SOS. Verificou-se ainda que o registo da avaliação da dor no doente terminal se encontra limitado aos doentes conscientes e orientados, ficando por esclarecer como é registada a avaliação da dor nos doentes inconscientes e sem resposta verbal. Este trabalho tem implicações para a prática dos cuidados, para a investigação e a formação, sendo que os resultados vêm reforçar a importância dos registos de enfermagem completos e a reflexão sobre da avaliação da dor nos doentes inconscientes ou sem resposta verbal.


The assessment and management of pain is not only a duty of the nurse but it also aims to provide comfort, dignity and quality of life. Its involvement in the monitoring of pain is essential since it can predict a painful event intervened with strategies to relieve or reduce pain to acceptable levels for the person. This study aims to contribute to a deeper understanding of the strategies and resources used by nurses in the assessment and management of pain in terminal patients as well as to identify the best practices and strategies. It is a level 1 study, exploratory and descriptive, in which 18 nurses of a medical service were involved; 18 semi-structured interviews were conducted, there was 36 observations not participated shift changes and 36 documentary analyzes of nurses' records. In the results of the interviews it is noted that nurses use as strategies for assessing pain the observation of the patient, identification of somatic signs and the use of rating scales. To control pain they use pharmacological and non-pharmacological measures.From the nurses' Shift changes stand that, despite making reference to the phenomenon pain, the nurses do not mention the strategy used in their evaluation and do not always refer the strategy used for pain management. From the consultation of the records, it appears that it is only recorded the use of the scales of the face or numerical and it is applied physical interventions such as positioning and massage as well as administration of medication in SOS. It was also found that the record of the assessment of pain in terminall patients is limited to patients conscious and oriented, not being clear how is recorded the assessment of pain in unconscious and no verbal response patients. This work has implications not only for nursing practice, but also for research and training, since the results reinforce the importance of complete nursing records and reflection on the assessment of pain in unconscious or no verbal response patients.


Asunto(s)
Dolor , Dimensión del Dolor , Cuidados Paliativos al Final de la Vida
SELECCIÓN DE REFERENCIAS
DETALLE DE LA BÚSQUEDA
...