Your browser doesn't support javascript.
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 3 de 3
Filtrar
Mais filtros










Intervalo de ano de publicação
3.
RBM rev. bras. med ; 60(11): 875-880, nov. 2003. tab, graf
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-359071

RESUMO

A hipercolesterolemia é importante fator de risco para a doença aterosclerótica, em particular naqueles pacientes com múltiplos fatores de risco. Vários estudos demonstraram a importância da redução dos níveis de LDL-coleterol, com vastatinas, na redução de eventos, tanto na prevenção primária como na secundária. O objetivo do presente estudo foi avaliar a segurança e eficácia da atorvastatina na redução LDL-c, de acordo com as metas da Diretrizes Brasileiras sobre Dislipidemias da SBC. Os autores avaliaram 219 pacientes (37,9 por cento homens, idade 58,2 +- 11 anos, 88,1 por cento da raça caucasiana)portadores de hipercolesterolemia tipo II A ou II B, em estudo mulicêntrico, prospectivo, aberto durante 16 semanas. Obtiveram-se valores do colesterol basal após 6 e 12 semanas de tratamento, com doses de 10 (81,3 por cento) e 20mg(18,4 por cento) , houve redução absoluta de 77,4 +- 2,6 mg/dl e 79,6 +- 3 mg/dl, respectivamente (p< 0,0001 para basal comparado a 6 e 12 semanas). Os objetivos das diretrizes foram atingidos em 51,9 por cento e sessenta nove por cento nos pacientes de prevenção primária com 0 ou 1 fator de risco ou 2 ou mais fatores de risco, respectivamente, e 33 por cento e 22,2 por cento nos grupos de prevenção secundária ou diabéticos, respectivamente. Seis pacientes ( 2,8 por cento) interromperam o tratamento por efeitos adversos. Não houve alterações renais e nenhum paciente foi excluído durante o tratamento por falha terapeutica. A atorvastatina se mostrou segura e eficaz nas doses utilizadas confirmando em nosso meio, os resultados da utilização em mais de 400.000 pacientes participantes de grandes ensaios internacionais. Os resultados deste estudo realizado com pacientes dislipidêmicos brasileiros são semelhantes aos resultados de outros estudos realizados em outros paises, sendo que o tratamento com a atorvastatina resulta em 95por cento de sucesso terapêutico no controle do colesterol elevado e constitui a melhor relação custo-benefício no tratamento do colesterol elevado. A atorvastatina é hoje considerada a esatina mais segura de sua classe, pelos dados de farmacovigilancia e pelos mas de 50 milhões de pacientes tratados em todo o mundo em mais de 5 anos de mercado em 74 paises , sem nenhum relato de protenúria ou microalbuminúria e sem contra indicações para pacientes com insuficiência renal.


Assuntos
Humanos , Anticolesterolemiantes/administração & dosagem , Anticolesterolemiantes/efeitos adversos , Anticolesterolemiantes/farmacologia , Anticolesterolemiantes/uso terapêutico , Arteriosclerose , Hipercolesterolemia , Sinvastatina
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA