Your browser doesn't support javascript.
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 20 de 39
Filtrar
Mais filtros










Intervalo de ano de publicação
1.
Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo ; 29(Suppl. 2b): 221-221, Jun. 2019.
Artigo em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-IDPCPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: biblio-1010327

RESUMO

INTRODUÇÃO: A Síndrome de Brugada é uma cardiopatia de origem genética (autossômica dominante) que predispõe a arritmias ventriculares que podem ser fatais. É provocada geralmente por uma mutação do gene SCN5A. Tem especial prevalência em indivíduos adultos e do sexo masculino. Também ocorre com mais frequência em indivíduos de origem asiática. Pode provocar morte súbita (através de taquicardia ventricular polimórfica), principalmente em indivíduos em repouso ou durante o sono. Em raras descrições na literatura, há relatos de mutação do gene CACNA1C como causador da síndrome. DESCRIÇÃO: Indivíduo do sexo masculino, nascido em 1954, hipertenso, dislipidêmico, tabagista, histórico familiar rico em morte súbita (mãe, irmãos e tios maternos, todos durante o sono). Encaminhado ao serviço em 2009 para estratificação de risco de morte súbita. Apresentava dor torácica tipo angina. Coronariografia apenas demonstrou lesão de 20% em artéria circunflexa. Eletrocardiograma com padrão típico de Síndrome de Brugada (tipo 1). Submetido a Estudo Eletrofisiológico no mesmo ano, sendo induzida Fibrilação Ventricular com um único extraestímulo em ápice de ventrículo direito. Indicado então implante de Cardioversor Desfibrilador Implantável (CDI). Medicado para doença coronariana, manteve-se assintomático do ponto de vista cardiovascular e permanece desta forma até hoje. Em 2017 obtivemos sua análise genética, evidenciando mutação no gene CACNA1C (que é mais descrita como causadora da síndrome de QT Longo tipo 8 ou Síndrome de Timothy). Sua última avaliação ambulatorial foi em janeiro de 2019, onde se encontrava estável clinicamente, sem registros de terapias do CDI, mantendo eletrocardiograma típico de Síndrome de Brugada. CONCLUSÕES: Descrevemos um caso raro de Síndrome de Brugada causada pela mutação no gene CACNA1C. (AU)


Assuntos
Humanos , Síndrome de Brugada , Genes
2.
RELAMPA, Rev. Lat.-Am. Marcapasso Arritm ; 31(3)jul.-set. 2018. ilus
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-967659

RESUMO

Relato do caso de uma paciente de 39 anos de idade com síndrome de Mayer-Rokitansky-Küster-Hauser, apresentando doença do nó sinusal e necessidade de implante de marcapasso bicameral. Por se tratar de paciente jovem, sem outras causas secundárias de bradicardia, sugerese a hipótese de relação entre as duas doenças, visto que já há descrição de associação de síndrome de Mayer-Rokitansky-Küster-Hauser e cardiopatias estruturais, sem referências de relação com bradicardia até o momento


Case report of a 39-year-old woman with Mayer-Rokitansky-Küster-Hauser syndrome and sick sinus syndrome requiring a definitive pacemaker. As a young patient, without secondary causes of bradycardia, we suggest the possibility of a relationship between these two diseases, since there are reports of the association of Mayer-Rokitansky-Küster-Hauser syndrome and structural heart diseases, and no reports of a relationship with bradycardia until now


Assuntos
Humanos , Feminino , Adulto , Síndrome do Nó Sinusal , Anormalidades Congênitas , Vagina/anormalidades , Marca-Passo Artificial , Ecocardiografia/métodos , Eletrocardiografia/métodos , Teste de Esforço/métodos
3.
Am Heart J ; 198: 129-134, 2018 Apr.
Artigo em Inglês | MEDLINE | ID: mdl-29653634

RESUMO

BACKGROUND: Previous evidence suggests that acute treatment with statins reduce atherosclerotic complications, including periprocedural myocardial infarction, but currently, there are no large, adequately powered studies to define the effects of early, high-dose statins in patients with acute coronary syndrome (ACS) and planned invasive management. OBJECTIVES: The main goal of Statins Evaluation in Coronary procedUres and REvascularization (SECURE-PCI) Trial is to determine whether the early use of a loading dose of 80 mg of atorvastatin before an intended percutaneous coronary intervention followed by an additional dose of 80 mg 24 hours after the procedure will be able to reduce the rates of major cardiovascular events at 30 days in patients with an ACS. DESIGN: The SECURE-PCI study is a pragmatic, multicenter, double-blind, placebo-controlled randomized trial planned to enroll around 4,200 patients in 58 different sites in Brazil. The primary outcome is the rate of major cardiovascular events at 30 days defined as a composite of all-cause mortality, nonfatal acute myocardial infarction, nonfatal stroke, and coronary revascularization. SUMMARY: The SECURE PCI is a large randomized trial testing a strategy of early, high-dose statin in patients with ACS and will provide important information about the acute treatment of this patient population.

4.
JAMA ; 319(13): 1331-1340, 2018 04 03.
Artigo em Inglês | MEDLINE | ID: mdl-29525821

RESUMO

Importance: The effects of loading doses of statins on clinical outcomes in patients with acute coronary syndrome (ACS) and planned invasive management remain uncertain. Objective: To determine if periprocedural loading doses of atorvastatin decrease 30-day major adverse cardiovascular events (MACE) in patients with ACS and planned invasive management. Design, Setting, and Participants: Multicenter, double-blind, placebo-controlled, randomized clinical trial conducted at 53 sites in Brazil among 4191 patients with ACS evaluated with coronary angiography to proceed with a percutaneous coronary intervention (PCI) if anatomically feasible. Enrollment occurred between April 18, 2012, and October 6, 2017. Final follow-up for 30-day outcomes was on November 6, 2017. Interventions: Patients were randomized to receive 2 loading doses of 80 mg of atorvastatin (n = 2087) or matching placebo (n = 2104) before and 24 hours after a planned PCI. All patients received 40 mg of atorvastatin for 30 days starting 24 hours after the second dose of study medication. Main Outcomes and Measures: The primary outcome was MACE, defined as a composite of all-cause mortality, myocardial infarction, stroke, and unplanned coronary revascularization through 30 days. Results: Among the 4191 patients (mean age, 61.8 [SD, 11.5] years; 1085 women [25.9%]) enrolled, 4163 (99.3%) completed 30-day follow-up. A total of 2710 (64.7%) underwent PCI, 333 (8%) underwent coronary artery bypass graft surgery, and 1144 (27.3%) had exclusively medical management. At 30 days, 130 patients in the atorvastatin group (6.2%) and 149 in the placebo group (7.1%) had a MACE (absolute difference, 0.85% [95% CI, -0.70% to 2.41%]; hazard ratio, 0.88; 95% CI, 0.69-1.11; P = .27). No cases of hepatic failure were reported; 3 cases of rhabdomyolysis were reported in the placebo group (0.1%) and 0 in the atorvastatin group. Conclusions and Relevance: Among patients with ACS and planned invasive management with PCI, periprocedural loading doses of atorvastatin did not reduce the rate of MACE at 30 days. These findings do not support the routine use of loading doses of atorvastatin among unselected patients with ACS and intended invasive management. Trial Registration: clinicaltrials.gov Identifier: NCT01448642.


Assuntos
Síndrome Coronariana Aguda/tratamento farmacológico , Atorvastatina/administração & dosagem , Doenças Cardiovasculares/prevenção & controle , Inibidores de Hidroximetilglutaril-CoA Redutases/administração & dosagem , Intervenção Coronária Percutânea , Síndrome Coronariana Aguda/terapia , Idoso , Atorvastatina/efeitos adversos , Doenças Cardiovasculares/epidemiologia , Doenças Cardiovasculares/mortalidade , Método Duplo-Cego , Feminino , Humanos , Inibidores de Hidroximetilglutaril-CoA Redutases/efeitos adversos , Masculino , Pessoa de Meia-Idade , Cuidados Pré-Operatórios , Infarto do Miocárdio com Supradesnível do Segmento ST/tratamento farmacológico , Infarto do Miocárdio com Supradesnível do Segmento ST/terapia
5.
RELAMPA, Rev. Lat.-Am. Marcapasso Arritm ; 31(1): 23-26, jan.-mar. 2018. ilus
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-905746

RESUMO

Relatamos o caso de paciente do sexo masculino, com 23 anos de idade, portador de miocárdio não compactado e taquicardia ventricular monomórfica sustentada. O paciente foi submetido a implante de cardiodesfibrilador implantável após diagnóstico confirmado por meio de ressonância nuclear magnética cardíaca e mantido em tratamento clínico com medicação antiarrítmica, sem recorrência de arritmia ventricular no acompanhamento ambulatorial


We report the case of a 23-year-old male patient with noncompacted myocardium and sustained monomorphic ventricular tachycardia. The patient was submitted to mplantable cardioverter defibrillator after diagnosis confirmed by cardiac magnetic resonance imaging and was kept on clinical treatment with antiarrhythmic medication without the recurrence of ventricular arrhythmia in the outpatient follow-up


Assuntos
Humanos , Masculino , Adulto , Cardiomiopatia Dilatada/complicações , Cardiomiopatia Dilatada/diagnóstico , Miocárdio Ventricular não Compactado Isolado/diagnóstico , Taquicardia Ventricular/diagnóstico , Amiodarona/administração & dosagem , Morte Súbita , Ecocardiografia/métodos , Eletrocardiografia/métodos , Cardiopatias Congênitas , Frequência Cardíaca , Metoprolol/administração & dosagem
6.
Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo ; 27(3): f:238-l:242, jul.-set. 2017. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-875568

RESUMO

Os pacientes com doença renal crônica (DRC) têm tendências hemorrágicas e trombóticas e, por isso, a indicação de anticoagulantes é complexa nos indivíduos com fibrilação atrial (FA). A FA é a arritmia mais frequente na DRC, sendo o tromboembolismo e o ictus suas principais complicações. A introdução de novos anticoagulantes orais diretos (DOACs) tem se mostrado superior aos antagonistas da vitamina K, tanto na prevenção de tromboembolismos sistêmicos como no risco de sangramento. Contudo, devem ser prescritos com cautela nesse grupo de pacientes. Para os indivíduos com DRC e clearance renal entre 30 e 50 ml/min, as doses da dabigatrana e da rivaroxabana devem ser reduzidas, no caso de pacientes com elevado risco de sangramento, não havendo necessidade de reduzir as doses de apixabana e edoxabana. Em pacientes com clearance renal entre 15 e 29 ml/min o uso da dabigatrana é contraindicado, a rivaroxabana e a edoxabana não exigem ajuste terapêutico e a dose de apixabana deve ser ajustada. Nenhum dos DOACs é indicado em pacientes com clearance renal < 15 mg/min. Outro problema da terapêutica com os DOACs é o custo do medicamento, muito superior aos dos antagonistas da vitamina K, trazendo algumas implicações clínicas relevantes: suspensão terapêutica por restrições econômicas, que mesmo quando transitória, coloca o paciente em risco de eventos tromboembólicos devido à perda rápida de seus efeitos anticoagulantes e pela possibilidade de hipercoagulabilidade paradoxal. A maior parte da população é tratada em hospitais públicos e recebe os antagonistas de vitamina K. Por isso, enquanto a relação custo-efetividade dos DOACs não for esclarecida, a prevenção e o tratamento de pacientes com DRC e FA com os antagonistas de vitamina K estão consagrados e podem trazer benefícios para esse grupo de pacientes


Patients with chronic renal disease (CRD) have hemorrhagic and thrombotic tendencies, therefore the indication of anticoagulants is complex in individuals with atrial fibrillation (AF). AF is the most frequent arrhythmia in CRD, and thromboembolism and cerebral stroke are its main complications. The introduction of new oral anticoagulants (DOACs) has proven to be superior to vitamin K antagonists in preventing systemic thromboembolisms and bleeding risk. However, they should be prescribed with caution in this group of patients. For individuals with CRD and renal clearance between 30 and 50 ml/min, the doses of dabigatran and rivaroxaban should be reduced, in the case of patients with high risk of bleeding, and it is not necessary to reduce the doses of apixaban and edoxaban. In patients with renal clearance between 15 and 29 ml/min, the use of dabigatran is contraindicated, rivaroxaban and edoxaban do not require therapeutic adjustment, and the dose of apixaban should be adjusted. No DOACs is indicated in patients with renal clearance < 15 mg/min. Another problem with DOACs therapy is the cost of the medication, which is much higher than that of vitamin K antagonists, with some important clinical implications: therapeutic suspension due to economic restrictions, even if temporary, place the patient at risk of thromboembolic events due to the rapid loss of anticoagulant effects and the possibility of paradoxical hypercoagulability. Most of the population is treated in public hospitals, and receives vitamin K antagonists. Therefore, while the cost-effectiveness ratio of DOACs has not been clarified, prevention and treatment of patients with CRD and AF with vitamin K antagonists is consecrated, and can bring benefits for this group of patients


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Anticoagulantes/uso terapêutico , Insuficiência Renal Crônica/terapia , Fatores de Risco , Acidente Vascular Cerebral/complicações , Fibrilação Atrial/terapia , Dabigatrana/efeitos adversos , Dabigatrana/uso terapêutico , Eletrocardiografia Ambulatorial/métodos , Fator X , Fibrinolíticos/uso terapêutico , Hemorragia/terapia , Prevalência , Rivaroxabana/uso terapêutico , Tromboembolia/terapia , Varfarina/efeitos adversos
7.
In. Sousa, Amanda Guerra Moraes Rego; Timerman, Ari; Sousa, José Eduardo Moraes Rego. Tratado sobre doença arterial coronária. São Paulo, Atheneu, 2017. p.677-86, ilus, tab, graf.
Monografia em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-IDPCPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: ses-35332
8.
Artigo em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-IDPCPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: ses-36250

RESUMO

Os pacientes com doença renal crônica (DRC) têm tendências hemorrágicas e trombóticas


e, por isso, a indicação de anticoagulantes é complexa nos indivíduos com fibrilação


atrial (FA). A FA é a arritmia mais frequente na DRC, sendo o tromboembolismo e o


ictus suas principais complicações. A introdução de novos anticoagulantes orais diretos


(DOACs) tem se mostrado superior aos antagonistas da vitamina K, tanto na prevenção


de tromboembolismos sistêmicos como no risco de sangramento. Contudo, devem


ser prescritos com cautela nesse grupo de pacientes. Para os indivíduos com DRC e


clearance renal entre 30 e 50 ml/min, as doses da dabigatrana e da rivaroxabana devem


ser reduzidas, no caso de pacientes com elevado risco de sangramento, não havendo


necessidade de reduzir as doses de apixabana e edoxabana. Em pacientes com clearance


renal entre 15 e 29 ml/min o uso da dabigatrana é contraindicado, a rivaroxabana


e a edoxabana não exigem ajuste terapêutico e a dose de apixabana deve ser ajustada.


Nenhum dos DOACs é indicado em pacientes com clearance renal < 15 mg/min. Outro


problema da terapêutica com os DOACs é o custo do medicamento, muito superior aos


dos antagonistas da vitamina K, trazendo algumas implicações clínicas relevantes: suspensão


terapêutica por restrições econômicas, que mesmo quando transitória, coloca


o paciente em risco de eventos tromboembólicos devido à perda rápida de seus efeitos


anticoagulantes e pela possibilidade de hipercoagulabilidade paradoxal. A maior parte da


população é tratada em hospitais públicos e recebe os antagonistas de vitamina K. Por


isso, enquanto a relação custo-efetividade dos DOACs não for esclarecida, a prevenção


e o tratamento de pacientes com DRC e FA com os antagonistas de vitamina K estão


consagrados e podem trazer benefícios para esse grupo de pacientes.(AU)


Assuntos
Insuficiência Renal , Fibrilação Atrial , Tromboembolia , Acidente Vascular Cerebral
9.
RELAMPA, Rev. Lat.-Am. Marcapasso Arritm ; 29(1): 16-23, jan.-mar.2016. ilus, tab
Artigo em Português | LILACS, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-IDPCPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: lil-788820

RESUMO

Síndrome do QT longo congênito é uma síndrome arrítmica hereditária caracterizada por prolongamento do intervalo QT no eletrocardiograma de 12 derivações, torsades de pointes e maior chance de morte súbita cardíaca. A síndrome do QT longo congênito possui padrão autossômico dominante (síndrome de Romano-Ward), bem como padrão autossômico recessivo raro (síndrome de Jervell e Lange-Nielsen). Desde 1957, quando Jervell e Lange-Nielsen relataram os primeiros casos de síndrome do QT longo congênito familiarcom surdez congênita, a compreensão dos mecanismos genéticos e eletrofisiológicos dessa afecção melhorousignificativamente os métodos diagnósticos e os tratamentos. No entanto, tornou-se evidente que a síndrome do QT longo congênito nem sempre pode ser explicada pela mutação de um único gene. Esta revisão teve por objetivo resumir as características da síndrome do QT longo congênito (principalmente LQT1, LQT2 e LQT3) e descrever brevemente os mais recentes avanços no diagnóstico clínico e no tratamento da afecção...


Congenital long QT syndrome is an inherited arrhythmia syndrome characterized by a prolonged QT interval on the 12-lead electrocardiogram, torsades de pointes and a higher chance of sudden cardiac death. Congenital long QT syndrome includes an autosomal dominant pattern (Romano-Ward syndrome) as well as a rare autosomal recessive pattern (Jervell and Lange-Nielsen syndrome). Since 1957 when Jervell and Lange Nielsen reported the first familial long QT syndrome with congenital deafness, the understanding of genetic and electrophysiological mechanisms of long QT syndrome has significantly improved diagnostic methods and treatments. However, is clear that long QT syndrome cannot always be explained by a single gene mutation. This review is aimed at summarizing the characteristics of congenital long QT syndrome (mainly LQT1, LQT2 e LQT3) and briefly describe the most recent advances in long QT syndrome clinical diagnostics and treatment...


Assuntos
Humanos , Cardiopatias Congênitas , Morte Súbita Cardíaca/prevenção & controle , Síndrome do QT Longo/congênito , Antagonistas de Receptores Adrenérgicos beta 1/administração & dosagem , Arritmias Cardíacas/complicações , Arritmias Cardíacas/terapia , Desfibriladores Implantáveis , Eletrocardiografia/métodos , Síncope/complicações
10.
RELAMPA, Rev. Lat.-Am. Marcapasso Arritm ; 29(1): 16-23, 2016. ilus, tab
Artigo em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-IDPCPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: ses-33100

RESUMO

Síndrome do QT longo congênito é uma síndrome arrítmica hereditária caracterizada por prolongamento do intervalo QT no eletrocardiograma de 12 derivações, torsades de pointes e maior chance de morte súbita cardíaca. A síndrome do QT longo congênito possui padrão autossômico dominante (síndrome de Romano-Ward), bem como padrão autossômico recessivo raro (síndrome de Jervell e Lange-Nielsen). Desde 1957, quando Jervell e Lange-Nielsen relataram os primeiros casos de síndrome do QT longo congênito familiar com surdez congênita, a compreensão dos mecanismos genéticos e eletrofisiológicos dessa afecção melhorou significativamente os métodos diagnósticos e os tratamentos. No entanto, tornou-se evidente que a síndrome do QT longo congênito nem sempre pode ser explicada pela mutação de um único gene. Esta revisão teve por objetivo resumir as características da síndrome do QT longo congênito (principalmente LQT1, LQT2 e LQT3) e descrever brevemente os mais recentes avanços no diagnóstico clínico e no tratamento da afecção. (AU)


Assuntos
Síndrome do QT Longo , Morte Súbita , Arritmias Cardíacas
11.
In. Santos, Elizabete Silva dos; Trindade, Pedro Henrique Duccini Mendes; Moreira, Humberto Graner. Tratado Dante Pazzanese de emergências cardiovasculares. São Paulo, Atheneu, 2016. p.625-654, ilus, tab.
Monografia em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-IDPCPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: ses-33155
12.
São Paulo; s.n; 2015. 84 p. ilus, tab.
Tese em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-IDPCPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: ses-33862

RESUMO

A elevada prevalência da hipertensão arterial sistêmica e as reduzidas taxas de controle tensional obtidas com o tratamento farmacológico despertaram interesse por estratégias alternativas. A denervação simpática renal percutânea surgiu como perspectiva no tratamento de pacientes com hipertensão arterial resistente. As vantagens do cateter irrigado nas ablações cardíacas fomentaram a hipótese de que esse também poderia ser benéfico no contexto da denervação renal. Objetivos: Avaliar a factibilidade e a segurança da denervação simpática renal com cateter irrigado em pacientes com hipertensão arterial resistente. Métodos: O objetivo primário do estudo foi a análise de segurança do procedimento avaliada pela: 1) quantificação de eventos adversos vasculares (em sítio de punção e artéria renal) periprocedimento; 2) Comprometimento da função renal durante o seguimento; 3) ocorrência de estenose/aneurisma da artéria renal, seis meses após a intervenção. Os objetivos secundários foram avaliar: 1) o efeito da denervação renal no comportamento da pressão arterial (aferida em consultório e na MAPA) e no número de anti-hipertensivos, seis meses após a intervenção; 2) o efeito do procedimento na qualidade de vida, aos três meses de seguimento. As variáveis contínuas, ao longo do tempo, foram comparadas utilizando-se os testes t de Student pareado ou Wilcoxon. Para a análise dos dados, utilizaram-se os programas SPSS e STATA11 SE. Valores de p < 0,05 foram considerados estatisticamente significativos. Resultados: Vinte pacientes (idade 50 ± 9,8 anos, 75% mulheres) foram submetidos à denervação renal. As médias das pressões arteriais sistólica e diastólica aferidas no consultório foram de 194,8 ± 36,5mmHg e 112 ± 16,8mmHg, respectivamente. As médias das pressões arteriais sistólica e diastólica aferidas na MAPA foram de 168,4 ± 22,2mmHg e 101,3 ± 19,1mmHg, respectivamente. O número médio de antihipertensivos foi de 7,1 ± 1,5...(AU)


Assuntos
Simpatectomia , Hipertensão , Ablação por Cateter
13.
Arq. bras. cardiol ; 103(6): 460-467, 12/2014. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-IDPCPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: lil-732174

RESUMO

Background: The QRS-T angle correlates with prognosis in patients with heart failure and coronary artery disease, reflected by an increase in mortality proportional to an increase in the difference between the axes of the QRS complex and T wave in the frontal plane. The value of this correlation in patients with Chagas heart disease is currently unknown. Objective: Determine the correlation of the QRS-T angle and the risk of induction of ventricular tachycardia / ventricular fibrillation (VT / VF) during electrophysiological study (EPS) in patients with Chagas disease. Methods: Case-control study at a tertiary center. Patients without induction of VT / VF on EPS were used as controls. The QRS-T angle was categorized as normal (0-105º), borderline (105-135º) or abnormal (135-180º). Differences between groups for continuous variables were analyzed with the t test or Mann-Whitney test, and for categorical variables with Fisher's exact test. P values < 0.05 were considered significant. Results: Of 116 patients undergoing EPS, 37.9% were excluded due to incomplete information / inactive records or due to the impossibility to correctly calculate the QRS-T angle (presence of left bundle branch block and atrial fibrillation). Of 72 patients included in the study, 31 induced VT / VF on EPS. Of these, the QRS-T angle was normal in 41.9%, borderline in 12.9% and abnormal in 45.2%. Among patients without induction of VT / VF on EPS, the QRS-T angle was normal in 63.4%, borderline in 14.6% and abnormal in 17.1% (p = 0.04). When compared with patients with normal QRS-T angle, those with abnormal angle had a fourfold higher risk of inducing ventricular tachycardia / ventricular fibrillation on EPS [odds ratio (OR) 4; confidence interval (CI) 1.298-12.325; p = 0.028]. After adjustment for other variables such as age, ejection fraction (EF) and QRS size, there was a trend for the abnormal QRS-T angle to identify patients with ...


Fundamento: O ângulo QRS-T mostra correlação com prognóstico em pacientes com insuficiência cardíaca e doença coronariana, traduzido por um aumento na mortalidade proporcional ao aumento na diferença entre os eixos do complexo QRS e da onda T no plano frontal. Até hoje, nenhuma informação a este respeito foi obtida em pacientes com cardiopatia chagásica. Objetivo: Correlacionar o ângulo QRS-T com a indução de taquicardia ventricular / fibrilação ventricular (TV / FV) em chagásicos durante estudo eletrofisiológico (EEF). Métodos: Estudo caso-controle em centro terciário. Pacientes sem indução de TV / FV ao EEF foram utilizados como controles. O ângulo QRS-T foi categorizado como normal (0-105º), limítrofe (105-135º) e anormal (135-180º). As diferenças entre os grupos foram analisadas pelo teste t ou teste de Mann-Whitney para variáveis contínuas, e teste exato de Fisher ou qui-quadrado para variáveis categóricas. Valores de p < 0,05 foram considerados significativos. Resultados: De 116 pacientes submetidos ao EEF, 37,9% foram excluídos por estarem com dados incompletos / prontuários inativos ou pela impossibilidade de se calcular corretamente o ângulo QRS-T (presença de bloqueio de ramo esquerdo e fibrilação atrial). De 72 pacientes incluídos, 31 induziram TV / FV ao EEF. Destes, o ângulo QRS-T se encontrava normal em 41,9%, limítrofe em 12,9% e anormal em 45,2%. No grupo de pacientes sem indução de TV / FV, o ângulo QRS-T se encontrava normal em 63,4%, limítrofe em 14,6% e anormal em 17,1% (p = 0,04). Quando comparados aos pacientes com ângulo QRS-T normal, o risco de indução de TV / FV nos pacientes com ângulo anormal foi quatro vezes maior [odds ratio (OR) 4; intervalo de confiança ...


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Pessoa de Meia-Idade , Idoso , Doença de Chagas/fisiopatologia , Taquicardia Ventricular/fisiopatologia , Fibrilação Ventricular/fisiopatologia , Fatores Etários , Estudos de Casos e Controles , Doença de Chagas/complicações , Ecocardiografia , Eletrocardiografia , Estudos Retrospectivos , Medição de Risco , Fatores de Risco , Estatísticas não Paramétricas , Volume Sistólico/fisiologia , Taquicardia Ventricular/etiologia , Fatores de Tempo , Fibrilação Ventricular/etiologia
14.
Arq Bras Cardiol ; 103(6): 460-7, 2014 Dec.
Artigo em Inglês, Português | MEDLINE | ID: mdl-25590925

RESUMO

BACKGROUND: The QRS-T angle correlates with prognosis in patients with heart failure and coronary artery disease, reflected by an increase in mortality proportional to an increase in the difference between the axes of the QRS complex and T wave in the frontal plane. The value of this correlation in patients with Chagas heart disease is currently unknown. OBJECTIVE: Determine the correlation of the QRS-T angle and the risk of induction of ventricular tachycardia / ventricular fibrillation (VT / VF) during electrophysiological study (EPS) in patients with Chagas disease. METHODS: Case-control study at a tertiary center. Patients without induction of VT / VF on EPS were used as controls. The QRS-T angle was categorized as normal (0-105º), borderline (105-135º) or abnormal (135-180º). Differences between groups for continuous variables were analyzed with the t test or Mann-Whitney test, and for categorical variables with Fisher's exact test. P values < 0.05 were considered significant. RESULTS: Of 116 patients undergoing EPS, 37.9% were excluded due to incomplete information / inactive records or due to the impossibility to correctly calculate the QRS-T angle (presence of left bundle branch block and atrial fibrillation). Of 72 patients included in the study, 31 induced VT / VF on EPS. Of these, the QRS-T angle was normal in 41.9%, borderline in 12.9% and abnormal in 45.2%. Among patients without induction of VT / VF on EPS, the QRS-T angle was normal in 63.4%, borderline in 14.6% and abnormal in 17.1% (p = 0.04). When compared with patients with normal QRS-T angle, those with abnormal angle had a fourfold higher risk of inducing ventricular tachycardia / ventricular fibrillation on EPS [odds ratio (OR) 4; confidence interval (CI) 1.298-12.325; p = 0.028]. After adjustment for other variables such as age, ejection fraction (EF) and QRS size, there was a trend for the abnormal QRS-T angle to identify patients with increased risk of inducing VT / VF during EPS (OR 3.95; CI 0.99-15.82; p = 0.052). The EF also emerged as a predictor of induction of VT / VF: for each point increase in EF, there was a 4% reduction in the rate of sustained ventricular arrhythmia on EPS. CONCLUSIONS: Changes in the QRS-T angle and decreases in EF were associated with an increased risk of induction of VT / VF on EPS.


Assuntos
Doença de Chagas/fisiopatologia , Taquicardia Ventricular/fisiopatologia , Fibrilação Ventricular/fisiopatologia , Fatores Etários , Idoso , Estudos de Casos e Controles , Doença de Chagas/complicações , Ecocardiografia , Eletrocardiografia , Feminino , Humanos , Masculino , Pessoa de Meia-Idade , Estudos Retrospectivos , Medição de Risco , Fatores de Risco , Estatísticas não Paramétricas , Volume Sistólico/fisiologia , Taquicardia Ventricular/etiologia , Fatores de Tempo , Fibrilação Ventricular/etiologia
15.
Arq. bras. cardiol ; 103(06): 460-467, 2014. ilus
Artigo em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-IDPCPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: ses-30286

RESUMO

Fundamento: O ângulo QRS-T mostra correlação com prognóstico em pacientes com insuficiência cardíaca e doença coronariana,traduzido por um aumento na mortalidade proporcional ao aumento na diferença entre os eixos do complexo QRS e da onda Tno plano frontal. Até hoje, nenhuma informação a este respeito foi obtida em pacientes com cardiopatia chagásica.Objetivo: Correlacionar o ângulo QRS-T com a indução de taquicardia ventricular / fibrilação ventricular (TV / FV) em chagásicosdurante estudo eletrofisiológico (EEF).Métodos: Estudo caso-controle em centro terciário. Pacientes sem indução de TV / FV ao EEF foram utilizados como controles.O ângulo QRS-T foi categorizado como normal (0–105º), limítrofe (105–135º) e anormal (135–180º). As diferenças entre osgrupos foram analisadas pelo teste t ou teste de Mann-Whitney para variáveis contínuas, e teste exato de Fisher ou qui-quadradopara variáveis categóricas. Valores de p < 0,05 foram considerados significativos.Resultados: De 116 pacientes submetidos ao EEF, 37,9% foram excluídos por estarem com dados incompletos / prontuáriosinativos ou pela impossibilidade de se calcular corretamente o ângulo QRS-T (presença de bloqueio de ramo esquerdo efibrilação atrial). De 72 pacientes incluídos, 31 induziram TV / FV ao EEF. Destes, o ângulo QRS-T se encontrava normal em41,9%, limítrofe em 12,9% e anormal em 45,2%. No grupo de pacientes sem indução de TV / FV, o ângulo QRS-T se encontravanormal em 63,4%, limítrofe em 14,6% e anormal em 17,1% (p = 0,04). Quando comparados aos pacientes com ângulo QRS-Tnormal, o risco de indução de TV / FV nos pacientes com ângulo anormal foi quatro vezes maior [odds ratio (OR) 4; intervalode confiança (IC) 1,298–12,325; p = 0,028)... (AU)


Assuntos
Taquicardia Ventricular , Arritmias Cardíacas , Doença de Chagas , Eletrocardiografia
16.
In. Timerman, Ari; Sousa, Amanda Guerra de Moraes Rego; Fragata Filho, Abilio Augusto; Armaganijan, Dikran; Bertolami, Marcelo Chiara; Meneghelo, Romeu Sergio. Condutas terapêuticas do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia. São Paulo, Atheneu, 2 ed; 2014. p.21-41, ilus, tab.
Monografia em Espanhol | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-IDPCPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: ses-30712
17.
In. Timerman, Ari; Sousa, Amanda Guerra de Moraes Rego; Fragata Filho, Abilio Augusto; Armaganijan, Dikran; Bertolami, Marcelo Chiara; Meneghelo, Romeu Sergio. Condutas terapêuticas do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia. São Paulo, Atheneu, 2 ed; 2014. p.1147-1161, ilus, tab.
Monografia em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-IDPCPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: ses-30799
18.
In. Sousa, Amanda Guerra de Moraes Rego; Abizaid, Andrea Claudia Sousa; Amato, Vivian Lerner; Meneghelo, Romeu Sérgio; Sousa, J. Eduardo Moraes Rego. Nova Série Monografias Dante Pazzanese Fundação Adib Jatene. Rio de Janeiro, Elsevier, 2014. p.225-326, ilus, tab.
Monografia em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-IDPCPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: ses-28091

RESUMO

A hipertenção arterial sistêmica constitui importante problema de saúde pública e significativa causa de morbidade e mortalidade cardiovasculares. A despeito dos avanços na terapia farmacológica, apenas cerca de um terço dos pacientes atinge os alvos pressóricos preconizados. Ademais, cerca de 10 a 30% são considerados resistentes ao tratamento medicamentoso. Dados de estudos clínicos demonstram que o controle da hipertensão arterial reduz drasticamente os índices de acidente vascular cerebral, doença arterial coronária e insuficiência cardíaca. Mesmo a redução de pequenas cifras nas médias da pressão arterial sistólica cursa com diminuição significativa das taxas de óbito por acidente vascular cerebral e doença isquêmica cardíaca. Embasada na fisiopatologia da hipertensão arterial e no conhecimento da importância do Sistema Nervoso Autônomo Simpático em sua gênese, a denervação simpática renal surgiu como estratégia terapêutica adjunta no controle de hipertensos resistentes ao tratamento clínico...(AU)


Assuntos
Simpatectomia , Sistema Nervoso Simpático , Ablação por Cateter
19.
Einstein (Sao Paulo) ; 11(3): 291-5, 2013 Jul-Sep.
Artigo em Inglês, Português | MEDLINE | ID: mdl-24136754

RESUMO

OBJECTIVE: Chagas disease has become a global problem due to changing migration patterns. An electrophysiological study is generally indicated for assessing sinus node function, conduction through the atrioventricular node and His-Purkinje system, in addition to evaluating the mechanisms of arrhythmia. The aim of this study was to describe the characteristics of electrophysiological study findings in patients with Chagas disease. METHODS: A retrospective descriptive study of 115 consecutive patients with Chagas disease undergoing an electrophysiological study over the last three years in a tertiary hospital in Brazil. Baseline characteristics, electrocardiogram, echocardiogram, and 24-hour Holter monitoring findings were recorded and correlated with the electrophysiological study findings. RESULTS: The corrected sinus node recovery time and sinoatrial conduction time were abnormal in 6.9% and 26.1% of patients, respectively. Thirty-seven (32.2%) had abnormal atrioventricular conduction. Intraventricular conduction was abnormal in 39 (33.9%). Approximately 48% had induced sustained ventricular arrhythmias, most of which were monomorphic (83.6%). Right bundle branch block was the most common morphology (52.7%). Fifty-one percent were associated with symptoms/hemodynamic instability, 60% required electrical cardioversion, and 27.3% needed overdrive suppression. The most common site of origin was the left ventricular inferoseptal wall (18.2%), followed by the left ventricular posterobasal wall (11%). Patients with an ejection fraction<40% had a 1.94-fold increased risk of ventricular arrhythmias compared to those with an ejection fraction>60% (OR: 1.94; 95%CI: 1.12-3.38; p=0.01). The presence of complex ventricular arrhythmias on Holter did not predict inducible ventricular arrhythmias. CONCLUSIONS: Chagas patients with a low ejection fraction have an increased risk of inducible ventricular arrhythmias. Sinus node dysfunction, and atrioventricular node and His-Purkinje conduction abnormalities occur in about one-third of patients. Complex ventricular arrhythmias on Holter were not associated with an increased risk of inducible ventricular arrhythmias.


Assuntos
Doença de Chagas/fisiopatologia , Sistema de Condução Cardíaco/fisiopatologia , Ecocardiografia , Eletrocardiografia , Feminino , Humanos , Masculino , Pessoa de Meia-Idade , Estudos Retrospectivos
20.
Einstein (Säo Paulo) ; 11(3): 291-295, jul.-set. 2013. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-688631

RESUMO

OBJETIVO: A doença de Chagas constitui importante problema de saúde pública global devido às mudanças nos padrões migratórios. O estudo eletrofisiológico é usualmente indicado na avaliação da função do nó sinusal, condução pelo nó atrioventricular e sistema His-Purkinje e mecanismos das arritmias. O objetivo deste estudo foi descrever as características do estudo eletrofisiológico em pacientes com doença de Chagas. MÉTODOS: Estudo retrospectivo e descritivo de 115 pacientes consecutivos com doença de Chagas submetidos ao estudo eletrofisiológico nos últimos 3 anos em centro terciário no Brasil. Características basais, eletrocardiográficas, ecocardiográficas e de Holter de 24 horas foram avaliadas e correlacionadas aos achados do estudo eletrofisiológico. RESULTADOS: Os tempos corrigidos de recuperação do nó sinusal e condução sinoatrial foram anormais em 6,9% e 26,1% dos pacientes, respectivamente. Apresentaram condução atrioventricular anormal 37 (32,2%) pacientes. A condução intraventricular mostrou-se alterada em 39 (33,9%) pacientes. Em aproximadamente 48%, houve indução de arritmias ventriculares sustentadas, sendo a maioria monomórfica (83,6%). A morfologia de bloqueio de ramo direito foi a mais comumente observada (52,7%). Dentre as arritmias, 51% associaram-se a sintomas/instabilidade hemodinâmica, 60% necessitaram de cardioversão elétrica e 27,3% de estimulação rápida. O sítio de origem mais comum foi a parede inferosseptal do ventrículo esquerdo (18,2%), seguido pela parede posterobasal (11%). Pacientes com fração de ejeção<40% tiveram risco 1,94 vez maior de indução de arritmias ventriculares comparados àqueles com fração de ejeção>60% (OR: 1,94; IC95%: 1,12-3,38; p=0,01). A presença de arritmias ventriculares complexas no Holter não foi preditiva de indução de arritmias ventriculares. CONCLUSÕES: Chagásicos com fração de ejeção baixa apresentam maior risco de arritmias ventriculares induzidas. Disfunção do nó sinusal e anormalidades da condução...


OBJECTIVE: Chagas disease has become a global problem due to changing migration patterns. An electrophysiological study is generally indicated for assessing sinus node function, conduction through the atrioventricular node and His-Purkinje system, in addition to evaluating the mechanisms of arrhythmia. The aim of this study was to describe the characteristics of electrophysiological study findings in patients with Chagas disease. METHODS: A retrospective descriptive study of 115 consecutive patients with Chagas disease undergoing an electrophysiological study over the last three years in a tertiary hospital in Brazil. Baseline characteristics, electrocardiogram, echocardiogram, and 24-hour Holter monitoring findings were recorded and correlated with the electrophysiological study findings. RESULTS: The corrected sinus node recovery time and sinoatrial conduction time were abnormal in 6.9% and 26.1% of patients, respectively. Thirty-seven (32.2%) had abnormal atrioventricular conduction. Intraventricular conduction was abnormal in 39 (33.9%). Approximately 48% had induced sustained ventricular arrhythmias, most of which were monomorphic (83.6%). Right bundle branch block was the most common morphology (52.7%). Fifty-one percent were associated with symptoms/hemodynamic instability, 60% required electrical cardioversion, and 27.3% needed overdrive suppression. The most common site of origin was the left ventricular inferoseptal wall (18.2%), followed by the left ventricular posterobasal wall (11%). Patients with an ejection fraction<40% had a 1.94-fold increased risk of ventricular arrhythmias compared to those with an ejection fraction>60% (OR: 1.94; 95%CI: 1.12-3.38; p=0.01). The presence of complex ventricular arrhythmias on Holter did not predict inducible ventricular arrhythmias. CONCLUSIONS: Chagas patients with a low ejection fraction have an increased risk of inducible ventricular arrhythmias. Sinus node dysfunction, and atrioventricular node...


Assuntos
Arritmias Cardíacas , Doença de Chagas , Eletrocardiografia , Técnicas Eletrofisiológicas Cardíacas , Volume Sistólico
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA