Your browser doesn't support javascript.
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 2 de 2
Filtrar
Mais filtros










Intervalo de ano de publicação
1.
Hygeia rev. bras. geogr. médica saúde ; 5(8): 29-45, jun. 2009. tab, mapas, graf
Artigo em Português | Sec. Munic. Saúde SP, CRSSUL-Producao, Sec. Munic. Saúde SP, Sec. Munic. Saúde SP | ID: sms-7062

RESUMO

As ações de vigilância em saúde na cidade de São Paulo são organizadas segundo a divisão geopolítica administrativa em 31 Subprefeituras. Visando compreender os fatores socioeconômicos e ambientais determinantes da infestação por roedores em cada Subprefeitura, realizou-se levantamento de infestação predial por roedores, onde foram visitados 23.606 imóveis selecionados por amostragem probabilística. Estimaram-se a taxa de infestação predial por roedores e a freqüência dos fatores ambientais, referentes à disponibilidade de alimento, abrigo e acesso. Classificaram-se as Subprefeituras em grupos homogêneos quanto às condições socioeconômicas e ambientais. Depois, estimaram-se modelos de regressão logística buscandoe ntender os fatores explicativos da infestação em cada grupo. As 31 Subprefeituras formaram 6 grupos homogêneos, onde as taxas médias de infestação por roedores variaram de 15,84% a 41,36%. Os modelos logísticos evidenciaram que em diferentes localidades distintas condições dirigem as infestações. Os resultados geram possibilidade de intervenção direta e dirigida pelo poder público nos fatores determinantes da infestação por roedores. (AU)


Assuntos
Saúde Ambiental , Controle de Roedores , Fatores de Risco , Reservatórios de Doenças , Análise por Conglomerados , Modelos Logísticos
2.
Hygeia (Uberlândia) ; 5(8): 29-45, jun. 2009. tab, map, graf
Artigo em Português | Coleciona SUS, CRSSUL-Producao, Sec. Munic. Saúde SP, Sec. Munic. Saúde SP | ID: biblio-945117

RESUMO

As ações de vigilância em saúde na cidade de São Paulo são organizadas segundo a divisão geopolítica administrativa em 31 Subprefeituras. Visando compreender os fatores socioeconômicos e ambientais determinantes da infestação por roedores em cada Subprefeitura, realizou-se levantamento de infestação predial por roedores, onde foram visitados 23.606 imóveis selecionados por amostragem probabilística. Estimaram-se a taxa de infestação predial por roedores e a freqüência dos fatores ambientais, referentes à disponibilidade de alimento, abrigo e acesso. Classificaram-se as Subprefeituras em grupos homogêneos quanto às condições socioeconômicas e ambientais. Depois, estimaram-se modelos de regressão logística buscandoe ntender os fatores explicativos da infestação em cada grupo. As 31 Subprefeituras formaram 6 grupos homogêneos, onde as taxas médias de infestação por roedores variaram de 15,84% a 41,36%. Os modelos logísticos evidenciaram que em diferentes localidades distintas condições dirigem as infestações. Os resultados geram possibilidade de intervenção direta e dirigida pelo poder público nos fatores determinantes da infestação por roedores.


Assuntos
Reservatórios de Doenças , Saúde Ambiental , Fatores de Risco , Controle de Roedores , Análise por Conglomerados , Modelos Logísticos
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA