Your browser doesn't support javascript.
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 3 de 3
Filtrar
Mais filtros










Base de dados
Intervalo de ano de publicação
1.
Rev. Bras. Saúde Mater. Infant. (Online) ; 18(4): 711-721, Oct.-Dec. 2018. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS | ID: biblio-1013113

RESUMO

Abstract Objectives: this study aimed to describe the epidemiological profile and prevalence of hepatitis B infection in pregnant women living in Rio Branco, Acre, Brazil. Methods: this was a cross-sectional study concerning the prevalence of Hepatitis B in a cohort of women who gave birth in Rio Branco from 2007 to 2015. Data were obtained through health information systems. Pregnant women presenting one or more serological markers or positive molecular biology examination were considered confirmed cases of infections. Infection prevalence, the odds ratio (5% significance) and sociodemographic, clinical, obstetric and neonatal variable frequency distributions were calculated. The student's t-test and Mann Whitney test were applied, as well as the chi-square test or Fisher's exact test, at a significance level of 5%. Results: a total of 62,100 pregnant women were identified for the study period. The prevalence of Hepatitis B in the group was of 0.38% (206 cases), and only 12,5% were diagnosed during the first gestation trimester. A significant difference (p=0.034) in the mean age of infected women was observed when compared to those without infection. The chance of an infected pregnant woman giving birth to a child with a 1st Apgar minute <7 was of 2.01 (CI95%= 1.09-3.71; p=0.995), higher than observed for healthy pregnant woman. Concerning infected patients, the most reported risk exposure was dental treatment (19.2%). Conclusions: the prevalence of Hepatitis B among pregnant women was lower than reported in other national studies. Low Hepatitis B detection during the first gestation trimester was identified, which reinforces the need to intensify early diagnosis during prenatal follow-up, especially due to the severity of the disease and the possibility of vertical transmission.


Resumo Objetivos: descrever o perfil epidemiológico e prevalência da infecção de hepatite B em gestantes residentes em Rio Branco, Acre. Métodos: estudo transversal da prevalência de hepatite B na coorte de mulheres que gestaram em Rio Branco de 2007 a 2015. Os dados foram obtidos através dos sistemas de informação em saúde. Foi considerado caso confirmado de para a infecção a gestante que apresentasse um ou mais marcadores sorológicos ou exame de biologia molecular. Foi calculada a prevalência da infecção, razão de chance (significância de 5%) e distribuição de frequências de variáveis sociodemográficas, clínicas, obstétricas e neonatais. Calculou-se o teste t de Student e Mann Whitney além do teste do qui-quadrado ou exato de Fisher, com significância de 5%. Resultados foram identificadas 62.100 gestantes no período de interesse. A prevalência de hepatite B no grupo foi de 0,38% (206 casos). Destas, apenas 12,5% foram diagnosticadas no 1º trimestre da gestação. Houve diferença significativa (p=0,034) na média de idade das infectadas quando comparadas às sem infecção. A chance de uma gestante infectada ter um filho com Apgar de 1º minuto <7 foi 2,01 (IC95%: 1,09-3,71; p=0,995) vezes maior que uma gestante saudável. Das pacientes infectadas a exposição de risco mais relatada foi o tratamento dentário (19,2%). Conclusões: a prevalência de hepatite B entre gestantes foi inferior à encontrada em outros estudos nacionais. Foi identificada uma baixa detecção de hepatite B no primeiro trimestre gestacional, o que reforça a necessidade de intensificar o diagnóstico precoce durante o seguimento de pré-natal, especialmente pela gravidade da doença e possibilidade da ocorrência de transmissão vertical.


Assuntos
Humanos , Feminino , Gravidez , Perfil de Saúde , Gestantes , Estudos Populacionais em Saúde Pública , Hepatite B/epidemiologia , Primeiro Trimestre da Gravidez , Diagnóstico Pré-Natal , Brasil , Biomarcadores , Distribuição de Qui-Quadrado , Estatísticas não Paramétricas , Transmissão Vertical de Doença Infecciosa , Notificação de Doenças , Detecção Precoce de Câncer
2.
Rev. bras. crescimento desenvolv. hum ; 28(1): 69-76, Jan.-Mar. 2018. tab
Artigo em Inglês | LILACS | ID: biblio-958509

RESUMO

INTRODUCTION: Pregnancy can be associated with health risks for both the mother and infant, and specialised care during the pregnancy, delivery and puerperium periods can help reduce complications for the mother-infant binomial. OBJECTIVE: To assess the demographic, social and reproductive aspects of delivery and the postpartum period in Rio Branco, Acre, Brazil. METHODS: A population-based cross-sectional survey was conducted via an interview with 552 mothers with children aged 0 to 5 years between 2007 and 2008. Cluster sampling of the population was performed in two stages (census sectors and domiciles. RESULTS: The majority of the 552 mothers were multiparous (79.6%). Around 70% of pregnancies occurred in teenage mothers. The proportion of caesarean section deliveries was 38.4% in mothers from urban zones and 28.5% in those from rural areas, and was higher in mothers who attended private clinics, who self-reported as being Caucasian, and who had a higher educational level. With regard to puerperal complications, mothers who underwent caesarean section had a higher prevalence of hypertension (71.1%) with an adjusted prevalence ratio of 3.90 (95% CI [2.00, 7.61]. CONCLUSIONS: The results revealed a high rate of teenage pregnancy, and arterial hypertension was the leading complication during the postpartum period experienced by women who had undergone caesarean section. These findings merit further attention, and should be used to improve the care provided to Rio Branco.


INTRODUÇÃO: A maternidade pode estar associada a riscos para a saúde da mulher e da criança, de forma que uma assistência especializada durante a gravidez, parto e puerpério contribuem para minimizar as complicações para o binômio mãe-bebê. OBJETIVO: Analisar as características do parto e pós-parto em Rio Branco em relação aos aspectos demográficos, sociais e reprodutivos. MÉTODO: Estudo transversal de base populacional realizado durante 2007-2008 através de amostragem populacional por conglomerados em duas etapas (setores censitários e domicílios), sendo entrevistadas 552 mães de crianças de zero a cinco anos. RESULTADOS: Das 552 mães entrevistadas, a maioria era constituída por multíparas (79,6%). Cerca de 70% das gestações ocorreram em menores de 20 anos de idade. A prevalência de cesarianas foi de 38,4% nas mães da zona urbana e de 28,5% nas que moravam na zona rural, sendo maior nas mulheres assistidas em instituições privadas, que se auto definiram como de cor branca e com maior nível educacional. Quanto às complicações do período puerperal as mulheres que foram submetidas a partos cesáreas apresentaram uma maior prevalência de hipertensão (71,1%), sendo observada uma razão de prevalência ajustada de 3,90 (IC 95%: 2,00-7,61) CONCLUSÃO: O alto índice de gestação na adolescência e a hipertensão arterial sendo a principal complicação no pós-parto cesárea, dados que merecem atenção e que devem ser observados na assistência prestada no município de Rio Branco.


Assuntos
Humanos , Feminino , Gravidez , Cesárea , Saúde Materno-Infantil , Estudos Transversais , Assistência Integral à Saúde , Período Pós-Parto , Estudos Populacionais em Saúde Pública , Parto Normal
3.
São Paulo; s.n; 2013. 148 p.
Tese em Português | LILACS | ID: biblio-912931

RESUMO

Introdução - A disfunção sexual é uma queixa comum, porém, ainda pouco valorizada no âmbito da saúde pública, acometendo indistintamente homens e mulheres e com potenciais reflexos negativos na sua qualidade de vida e bem-estar. Objetivo - Avaliar a prevalência de disfunções sexuais e seus possíveis fatores associados entre mulheres de meia-idade residentes na Região Norte do Brasil. Métodos - Estudo transversal e prospectivo, envolvendo 1.415 mulheres entre 35 e 65 anos atendidas no Ambulatório de Ginecologia do Hospital das Clínicas do município de Rio Branco - Acre - Brasil. Para avaliar a sintomatologia menopausal e a sua função sexual, foram aplicados a Escala de Classificação da Menopausa e o Índice da Função Sexual Feminina. Na análise dos dados, usou-se o pacote estatístico Stata 10, aceitando-se um nível de significância de 5 por cento . Na análise de proporções, usou-se o teste não paramétrico do Qui-Quadrado de Pearson. No estudo dos fatores associados às disfunções sexuais, recorreu-se à análise multivariada através de regressão logística múltipla. Resultados - A média etária das mulheres estudadas foi de 47,7 (+8,5) anos. A sua maioria era de baixa escolaridade (6,4+4,6) anos completos de estudo. A menarca, em média, foi aos 13,4 (+1,6) anos. A maioria referiu gestações anteriores (4,6+2,8). Cerca de 35,9 por cento eram pós-menopáusicas, tendo a menopausa ocorrido ao redor dos 48,3 (+4,9) anos. A autopercepção de saúde foi considerada pelas entrevistadas ruim/muito ruim em 54,6 por cento . A irritabilidade foi a queixa mais frequente (78,3 por cento ), seguida pelos problemas osteoarticulares (74,8 por cento ) e ansiedade (72,7 por cento ). A prevalência de disfunção sexual foi de 62,3 por cento . Ajustados os possíveis fatores de confusão, mostraram-se associados a disfunção sexual: baixa escolaridade (OR:1,70; [IC 95 por cento :1,31-2,19]; p<0,001); sedentarismo (OR:1,73; [IC 95 por cento :1,23-2,42]; p=0,001); autopercepção de saúde ruim/muito ruim (OR:1,99; [IC 95 por cento :1,55-2,57]; p<0,001); estado de ânimo depressivo (OR:1,16; [IC 95 por cento :1,05-1,27]; p=0,002); problemas sexuais (OR:2,50; [IC 95 por cento :1,96-3,20]; p<0,001); ressecamento vaginal (OR:1,49; [IC 95 por cento :1,33-1,66]; p<0,001) e a fase de pós-menopausa (OR:1,82; [IC 95 por cento :1,39-2,38]; p<0,001). Conclusão - Entre a população de mulheres da Região Norte Brasileira estudada, a prevalência de disfunção sexual encontrada foi elevada e a análise dos possíveis fatores associados a sua ocorrência revelaram a influência das condições socioeconômicas, estilo de vida, além da sintomatologia e do estado menopausal, desvelando uma multidimensionalidade de aspectos biológicos e não biológicos envolvidos na sua gênese.


Introduction - Sexual dysfunction is a common complaint, under-recognized by public health services, that affects both men and women equally and has potentially negative impacts on the quality of life and general well-being of sufferers. Objective - To assess the prevalence of sexual dysfunctions, and their possible associated factors, among middle-aged women from the Northern region of Brazil. Methods - A cross-sectional, prospective study was carried out involving 1,415 women aged 35-65 years attended at the Gynecology Outpatient unit of the Clinicas Hospital of Rio Branco city - Acre state - Brazil. Menopausal symptomatology and female sexual function were assessed by applying the Menopause Rating Scale and Female Sexual Index. The Stata 10 statistics package was used for all data analysis, adopting a level of statistical significance of 5 per cent . Pearsons Chi-squared nonparametric association test was used for proportions analysis. Multivariate analysis using multiple logistic regression was employed to study the factors associated with sexual dysfunctions. Results - Mean age of the women studied was 47.7 (+8.5) years. The majority had a low educational level averaging (6.4+4.6) full years of schooling. Mean age at menarche was 13.4 (+1.6) years. The majority reported previous gestations (4.6+2.8). Approximately 35.9 per cent were post-menopausal with menopause occurring at around 48.3 (+4.9) years. Self-perceived health among respondents was rated as poor/very poor by 54.6 per cent . Irritability was the most frequent complaint (78.3 per cent ), followed by osteoarticular problems (74.8 per cent ), and anxiety (72.7 per cent ). The prevalence of sexual dysfunction was 62.3 per cent . After adjusting for potential confounding factors, the following were found to be associated with sexual dysfunction: low educational level (OR:1.70; [95 per cent CI:1.31-2.19]; p<0.001); sedentarism (OR:1.73; [95 per cent CI:1.23-2.42]; p=0.001); poor/very poor self-perceived health (OR:1.99; [95 per cent CI:1.55-2.57]; p<0,001); depressive mood (OR:1.16; [95 per cent CI:1.05-1.27]; p=0.002); sexual problems (OR:2.50; [95 per cent CI:1.96-3.20]; p<0.001); vaginal dryness (OR:1.49; [95 per cent CI:1.33-1.66]; p<0.001) and the post-menopausal stage (OR:1.82; [95 per cent CI:1.39-2.38]; p<0.001). Conclusion - A high prevalence of sexual dysfunction was found among women from Brazils Northern region, where socioeconomic conditions, lifestyle, as well as menopausal symptoms and status, influenced its occurrence, revealing a multidimensionality of biological and non-biological aspects involved in its genesis.


Assuntos
Humanos , Feminino , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Disfunções Sexuais Fisiológicas/epidemiologia , Mulheres/psicologia , Envelhecimento , Brasil , Estudos Transversais , Estudos Prospectivos , Sexualidade/psicologia
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA