Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 16 de 16
Filtrar
2.
Arq. bras. cardiol ; 115(4): 720-775, out. 2020. tab, graf
Artigo em Português | LILACS, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-IDPCPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: biblio-1131346
3.
Artigo em Inglês | MEDLINE | ID: mdl-32445607

RESUMO

OBJECTIVES: The aim of the study was to evaluate mid- to late clinical and echocardiographic outcomes after transcatheter aortic valve replacement (TAVR) with Acurate neo™ (Boston Scientific, Boston, MA). BACKGROUND: TAVR is an established treatment for aortic stenosis (AS). Few data exist on mid- to long-term outcomes and durability after new-generation valves. METHODS: All consecutive patients (n = 104) who underwent Acurate neo™ implantation from 2012 to 2018 were included. Follow-up was systematically performed at 1, 6, 12, and 24 months and yearly thereafter. Outcomes were reported according to VARC-2, and structural valve deterioration (SVD) or bioprosthetic valve failure defined accordingly to new definitions. RESULTS: Mean age was 82 ± 5.4 years, 56.7% were female and the Society of Thoracic Surgeons score for mortality was 5.9 ± 4%. Patients were followed for a median of 3 years (1,092 days; IQR 1.5-4 years), and the maximum follow-up was 7 years. All-cause mortality values at 1 and 5 years were 8.5% and 40.5%, respectively. No relevant changes in mean gradient and orifice area occurred (7.9 ± 3.8 mmHg and 1.9 ± 0.3 cm2 at 1 year; 6.6 ± 2.1 mmHg and 1.8 ± 0.3 cm2 at 5 years), and there was a significant rate of paravalvular leaks resolution at 1, 2, and 3 years (p = .004; p < .001; p < .001, respectively). None of the patients had leaflet thrombosis or endocarditis. One patient developed SVD at 84 months. CONCLUSIONS: Acurate neo™ was associated with sustained echocardiographic results. Reassuring mid- to long-term outcomes was observed in this cohort of elderly patients with severe AS.

4.
Catheter. cardiovasc. interv ; 97(1): 1-8, May. 2020. graf, tab, ilus
Artigo em Inglês | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-IDPCPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: biblio-1145584

RESUMO

Abstract Objectives: The aim of the study was to evaluate mid- to late clinical and echocardiographic outcomes after transcatheter aortic valve replacement (TAVR) with A curate neo™ (Boston Scientific, Boston, MA). Background: TAVR is an established treatment for aortic stenosis (AS). Few data exist on mid- to long-term outcomes and durability after new-generation valves. Methods: All consecutive patients (n = 104) who underwent A curate neo™ implantation from 2012 to 2018 were included. Follow-up was systematically performed at 1, 6, 12, and 24 months and yearly thereafter. Outcomes were reported according to VARC-2, and structural valve deterioration (SVD) or bioprosthetic valve failure defined accordingly to new definitions. Results: Mean age was 82 ± 5.4 years, 56.7% were female and the Society of Thoracic Surgeons score for mortality was 5.9 ± 4%. Patients were followed for a median of 3 years (1,092 days; IQR 1.5­4 years), and the maximum follow-up was 7 years. All-cause mortality values at 1 and 5 years were 8.5% and 40.5%, respectively. No relevant changes in mean gradient and orifice area occurred (7.9 ± 3.8 mmHg and 1.9 ± 0.3 cm2 at 1 year; 6.6 ± 2.1 mmHg and 1.8 ± 0.3 cm2 at 5 years), and there was a significant rate of paravalvular leaks resolution at 1, 2, and 3 years (p = .004; p < .001; p < .001, respectively). None of the patients had leaflet thrombosis or endocarditis. One patient developed SVD at 84 months. Conclusions: A curate neo™ was associated with sustained echocardiographic results. Reassuring mid- to long-term outcomes was observed in this cohort of elderly patients with severe AS.


Assuntos
Estenose da Valva Aórtica , Substituição da Valva Aórtica Transcateter , Ecocardiografia
5.
Artigo em Inglês | MEDLINE | ID: mdl-32301250

RESUMO

INTRODUCTION: Few data exist regarding the late clinical impact of the Selvester score prediction of myocardial fibrosis after transcatheter aortic valve replacement (TAVR). This study evaluated the predictive power of the Selvester score on survival in patients with aortic stenosis (AS) undergoing TAVR. METHODS AND RESULTS: Patients with severe AS who had preoperative electrocardiograms were included. Clinical follow-up was obtained retrospectively. The primary endpoint was all-cause mortality. Secondary endpoints were cardiovascular death and major adverse cardiac events (MACEs). Two-hundred twenty-eight patients were included (mean age, 81.5 ± 7.4 years; women, 58.3%). Deceased patients had a higher mean score (4.6 ± 3.2 vs. 1.4 ± 1.3; p < .001). At a mean follow-up of 36.2 ± 21.2 months, the Selvester score was independently associated with all-cause mortality (hazard ratio [HR], 1.65; 95% confidence interval [CI], 1.48-1.84; p < .001), cardiovascular death (HR, 1.59; 95% CI, 1.38-1.74; p < .001), and MACE (HR, 1.55; 95% CI, 1.30-1.68; p < .001). After 5 years, the mortality risk was incrementally related to the Selvester score. The involvement of the inferior wall of the left ventricle was a lower mortality risk factor (HR, 0.42; 95% CI, 0.18-0.98; p = .046). For a Selvester score of 3, the area under the curve showed 0.92, 0.94, and 0.86 (p < .001), respectively, for 1, 2, and 3 years. CONCLUSIONS: Elevated Selvester scores increase the risk of poor outcomes in patients with AS undergoing TAVR. The involvement of the anterior or lateral wall presents worse prognosis.

6.
Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo ; 30(2 Suppl. B): 194-194, abr-jun., 2020.
Artigo em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-IDPCPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: biblio-1117258

RESUMO

INTRODUÇÃO: A doença valvar é responsável por acometer mais de 100 milhões de pessoas no mundo e a substituição valvar em geral é o tratamento de escolha. As próteses biológicas são propensas à degeneração valvar estrutural (DVE), seja por um processo multifatorial mediado pela calcificação do tecido conjuntivo, ou pela deterioração do colágeno, o que leva a disfunção protética (estenose e /ou desgaste) e interfere na sua durabilidade. Os autores tiveram como objetivo avaliar o desempenho hemodinâmico da bioprótese EpicTM (prótese com terapia anticalcífica) em pacientes submetidos a cirurgia de troca valvar, bem como sua durabilidade e eventuais complicações como trombose, fratura e/ou disfunção. MÉTODOS: Foram analisados um total de 104 pacientes submetidos à troca valvar no período de 2002 a 2008, cuja média das idades foi de 38,9 anos±16,8 anos, sendo observada uma idade mínima de 9 anos e máxima de 73 anos. Os pacientes foram alocados em grupo de próteses sendo somente mitral (n: 38); somente aórtico (n:43); somente tricúspide (n:7) e mitro-aórtico (n: 16) e analisados conforme as caratéristicas pré e pós operatórias, além do seguimento pós cirúrgico. RESULTADOS: Dentro da amostra de 104 pacientes foi possível avaliar o seguimento em 99 pacientes. No grupo somente mitral encontramos um porcetagem maior de paciente do sexo feminino, com ritmo de FA/flutter e febre reumática. No grupo aórtico pacientes do sexo masculino, com hipertensão e ritmo sinusal. No grupo tricúspide os pacientes eram mais jovens e com ritmo de MP. O tempo médio livre de reoperação foi de 12,99 anos (IC 12,09-13,89). A curva livre de reoperação foi 98±1,4% em 3 anos, 95±2,2% em 5 anos 85±3,6% em 10 anos. Não foi observado nenhum óbito nos grupos avaliados. Reoperação foi realizada em 21 pts (5 por EI, 2 por VPP, 1 por trombose de prótese e 13 por disfunção estrutural da prótese). O tipo da disfunção foi estenose em 7pts e fratura do folheto em quatro pacientes Entre os 13 pacientes (12,5%) reoperados por disfunção da prótese, 2 eram mitrais, 7 aórticos, 3 tricúspides e 1 mitro/aórtico. Na análise multivariada observaos que os pacientes tabagistas tinham 10,6 vezes mais risco de evoluir com disfunção e a idade foi um fator protetor. CONCLUSÕES: Apesar da amostra estudada ter 78% dos pacientes com menos de 50 anos de idade a evolução tardia (13 anos) pós implante da prótese EPIC foi muito favorável, com mortalidade zero e curva livre de reoperação de 85±3,6 % em 10 anos. Disfunção estrutural ocorreu em 12,5% A incidência de reoperação foi maior nos pacientes mais jovens.


Assuntos
Falha de Prótese , Hemodinâmica , Bioprótese
7.
Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo ; 29(Suppl. 2b): 121-121, Jun. 2019.
Artigo em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-IDPCPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: biblio-1009295

RESUMO

INTRODUÇÃO: A estenose aórtica (EAo) constitui uma das principais valvopatias encontradas, estando associada a grande morbimortalidade ao iniciarem os seus sintomas. O implante de bioprótese aórtica transcateter (do inglês transcatheter aortic valve implantation ­ TAVI) constitui em modalidade mais recente no tratamento intervencionista da estenose aórtica, revolucionando a propedêutica de muitos pacientes antes considerados inoperáveis. Grande preocupação é dada as complicações de sangramento submetidos pós-TAVI. Objetiva-se avaliar a incidência e fatores clínicos associados ao sangramento tardio (≥ 30 dias) em pacientes submetidos a TAVI e analisar o impacto do sangramento tardio nesses indivíduos. Além disso, buscou-se correlacionar a ocorrência de sangramento com escores de risco já estabelecidos em outros cenários clínicos. MÉTODOS: Trata-se de pesquisa observacional e retrospectiva através de análise de banco de dados de um único centro composto de pacientes consecutivos submetidos a TAVI. A definição de sangramentos tardios foram baseados nos critérios definidos pelo Valve Academic Research Consortium 2 (VARC-2). O nível de significância adotado foi para valores de p < 0,05. RESULTADOS: De uma população de 371 pacientes, há um predomínio do sexo feminino (54%), com idade média de 67 anos, obtendo-se taxa de sangramentos tardios de 10%, valores semelhantes aos encontrados na literatura. Dentre os fatores associados, a presença de doença carotídea >50% (p=0,021), hipertensão pulmonar (p=0,023), refluxo aórtico (p=0,014), HAS-BLED (p<0,001), uso de anticoagulação oral (p<0,001), ácido acetilsalicílico (p=0,001), disfunção diastólica (p=0,032) e a ocorrência de fibrilação atrial/flutter seja de maneira paroxística (p<0,01) ou permanente (p<0,001) estiveram associados a maior ocorrência de sangramento tardio. De maneira semelhante a outros estudos na literatura, fatores como a terapia antitrombótica e até mesmo refluxo aórtico tiveram grande influência na ocorrência dos eventos de sangramento. CONCLUSÃO: A TAVI é um procedimento inovador e cada vez importante no tratamento da estenose aórtica. O conhecimento dos fatores relacionados ao sangramento tardio são de grande importância na redução de efeitos adversos em pacientes submetidos a TAVI, uma vez que estão associados a grande impacto na morbimortalidade desses doentes. (AU)


Assuntos
Humanos , Estenose da Valva Aórtica , Implante de Prótese de Valva Cardíaca , Hemorragia
8.
Arq. bras. cardiol ; 111(3 supl.1): 199-199, set., 2018.
Artigo em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-IDPCPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: biblio-1046105

RESUMO

INTRODUÇÃO: A insuficiência valvar tricúspide é frequentemente verificada em associação à valvopatia mitral, sendo denominada secundária. Outras etiologias como a endocardite, doença carcinoide e o trauma fechado de tórax são geralmente menos frequentes, e portando, motivo de publicações com pequenas séries. A regurgitação tricúspide traumática é uma complicação rara do trauma torácico fechado. Com o aumento do número de acidentes automobilísticos, a regurgitação tricúspide traumática tornou-se um problema importante. Tem sido relatado com mais frequência por causa de melhores procedimentos diagnósticos e melhor compreensão da patologia. O diagnóstico precoce é importante, pois a lesão tricúspide traumática poderia ser efetivamente corrigida com técnicas reparadoras, a operação precoce é considerada para aliviar os sintomas e prevenir a disfunção do ventrículo direito. A ecocardiografia pode revelar a causa e a gravidade da regurgitação. RELATO DE CASO: E.C.S.M., 43 anos, 73 kg, 158 cm, natural e residente em São Paulo, auxiliar de limpeza, solteira, antecedentes de hipertensão, história familiar de doença arterial coronária, miocardite aos 13 anos e com relato de queda de moto em 2014. Evoluiu com quadro de dispneia classe funcional II (NYHA) em 2015 com piora progressiva há 01 ano. Iniciou seguimento em hospital primária e após realização de ecocardiograma em 24/08/2016 com presença de função biventricular preservada associado a presença de insuficiência tricúspide moderada a importante foi encaminhada para seguimento em hospital terciário. Após investigação foi identificado insuficiência tricúspide importante com etiologia traumática já que não havia nenhuma condição nas câmaras esquerdas que justificassem o quadro. Realizou investigação com cineangiocoronariografia demonstrando coronárias normais e ressonância de coração que demonstrou apenas lesão em valva tricúspide. Foi submetido a cirurgia de valvar na tricúspide com anulopastia com pericárdio bovino e sutura de folheto anterior. Evoluiu estável e no 6º pós-operatório recebeu alta hospitalar sem sopros residuais em foco tricúspide. Retornou com um mês após a cirurgia no ambulatório com boa evolução sendo agendado seguimento anual. CONSIDERAÇÕES FINAIS: Embora as lesões valvulares após trauma torácico fechado sejam sabidamente uma complicação muito rara, a regurgitação tricúspide grave é a complicação cardíaca mais comum podendo ter seu diagnóstico atrasado como o caso em questão. (AU)


Assuntos
Humanos , Insuficiência da Valva Tricúspide , Contusões Miocárdicas
9.
Clin Cardiol ; 41(6): 837-842, 2018 Jun.
Artigo em Inglês | MEDLINE | ID: mdl-29671882

RESUMO

BACKGROUND: Hypertrophic cardiomyopathy (HCM), a genetically transmitted disease, is the most common genetic cardiovascular disease. Current strategies to stratify risk are expensive and concentrated in wealthy centers. Twelve-lead electrocardiography (ECG) is inexpensive, universally available, and can be readily used for Selvester QRS scoring, which estimates scar size. This study aimed to establish the relation between ECG scar quantification and myocardial fibrosis (extent of myocardial delayed enhancement) in multidetector computed tomography (MDCT). HYPOTHESIS: There is a significant association between ECG scar quantification and the extent of myocardial delayed enhancement in MDCT. METHODS: Seventy-five patients with HCM underwent a routine clinical evaluation and echocardiography, 12-lead ECG, and MDCT study. Patients with and without an implantable cardioverter-defibrillator were included. RESULTS: The estimated Selvester QRS score of myocardial fibrosis was correlated significantly (R = 0.70; P < 0.01) with the quantified MDCT fibrosis. Compared with MDCT, the QRS score had 84.8% sensitivity and 88.8% specificity. Myocardial fibrosis was present in 88% of these patients with HCM (fibrotic mass, 9.87 ±10.8 g) comprising 5.66% ±6.16% of the total myocardial mass seen on the MDCT images. The Selvester QRS score reliably predicted the fibrotic mass in 76% of patients, which estimated 8.44% ±7.39% of the total myocardial mass. CONCLUSIONS: The Selvester QRS score provides reliable quantification of myocardial fibrosis and was well correlated with MDCT in patients with HCM.


Assuntos
Cardiomiopatia Hipertrófica/diagnóstico por imagem , Cicatriz/diagnóstico por imagem , Eletrocardiografia , Tomografia Computadorizada Multidetectores , Miocárdio/patologia , Adulto , Cardiomiopatia Hipertrófica/patologia , Cardiomiopatia Hipertrófica/fisiopatologia , Cicatriz/patologia , Cicatriz/fisiopatologia , Feminino , Fibrose , Humanos , Masculino , Pessoa de Meia-Idade , Variações Dependentes do Observador , Valor Preditivo dos Testes , Prognóstico , Reprodutibilidade dos Testes , Índice de Gravidade de Doença
10.
In. Avezum, Alvaro; Pinto, Ibraim Masciarelli Francisco; Leal, Marcelo Garcia; Izar, Maria Cristina de Oliveira. Diagnóstico e tratamento baseados em casos clínicos. São Paulo, Atheneu, 2018. p.35-37, tab.
Monografia em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-IDPCPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: biblio-1084977
11.
Arq. bras. cardiol ; 109(2): 148-155, Aug. 2017. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS-Express | LILACS, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-IDPCPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: biblio-887914

RESUMO

Abstract Background: Mitral valve regurgitation (MR), present in up to 74% of the patients with severe aortic stenosis (AS), can be a negative prognostic factor when moderate or severe. The outcome of MR after percutaneous transcatheter aortic valve implantation (TAVI) and predictors associated with that outcome have not been well established in the literature. Objective: To assess the outcome of primary MR in patients submitted to TAVI and to identify associated factors. Methods: Observational study of patients with symptomatic severe AS submitted to TAVI from January 2009 to April 2015 at two specialized centers. Echocardiographic outcome was assessed with data collected before and 1 year after TAVI. Results: Of the 91 patients with MR submitted to TAVI and followed up for at least 12 months, 67 (73.6%) had minimum/mild MR before the procedure and 24 (26.4%) had moderate/severe MR. Of those with minimum/mild MR, 62 (92.5%) had no change in the MR grade (p < 0.001), while 5 (7.5%) showed worsening. Of those with moderate/severe MR, 8 (33.3%) maintained the same grade and 16 (66.7%) improved it (p = 0.076). Patients with moderate/severe MR who improved MR grade had lower EuroSCORE II (p = 0.023) and STS morbidity (p = 0.027) scores, as compared to those who maintained the MR grade. Conclusion: MR grades change after TAVI. This study suggests a trend towards improvement in moderate/severe MR after TAVI, which was associated with lower preoperative risk scores.


Resumo Fundamentos: A insuficiência valvar mitral (IM), presente em até 74% dos pacientes com estenose aórtica (EA) grave, pode representar um fator prognóstico negativo quando moderada ou importante. A evolução da IM após implante percutâneo de valva aórtica transcateter (TAVI) e preditores associados a essa evolução não estão bem estabelecidos na literatura. Objetivos: Avaliar a evolução da IM primária em pacientes submetidos ao TAVI e identificar fatores associados a essa evolução. Métodos: Realizou-se um estudo observacional em pacientes com EA grave sintomática, submetidos ao TAVI no período de janeiro de 2009 a abril de 2015 em dois centros especializados. Foram avaliados desfechos ecocardiográficos com dados antes e 1 ano após a intervenção. Resultados: Dos 91 pacientes com IM que realizaram TAVI e tinham acompanhamento de pelo menos 12 meses, 67 (73,6%) apresentavam IM mínima ou discreta antes da realização do procedimento e 24 (26,4%), IM moderada ou grave. Entre os com IM mínima ou discreta, 62 (92,5%) não apresentaram mudança no grau de refluxo (p < 0,001) e 5 (7,5%) tiveram piora. Entre os com IM moderada ou grave, 8 (33,3%) permaneceram na mesma classe e 16 (66,7%) tiveram melhora (p = 0,076). Pacientes com IM moderada ou grave que melhoraram o grau de insuficiência apresentavam menores valores de EuroSCORE II (p = 0,023) e STS morbidade (p = 0,027), quando comparados aos que continuaram na mesma classe. Conclusão: Observou-se mudança significativa no grau de IM após realização de TAVI. Este estudo sugere uma tendência de melhora da IM moderada ou grave após TAVI, o que se associou a escores de risco pré-operatórios menos elevados.

12.
Arq Bras Cardiol ; : 0, 2017 Jul 10.
Artigo em Inglês, Português | MEDLINE | ID: mdl-28700016

RESUMO

Background:: Mitral valve regurgitation (MR), present in up to 74% of the patients with severe aortic stenosis (AS), can be a negative prognostic factor when moderate or severe. The outcome of MR after percutaneous transcatheter aortic valve implantation (TAVI) and predictors associated with that outcome have not been well established in the literature. Objective:: To assess the outcome of primary MR in patients submitted to TAVI and to identify associated factors. Methods:: Observational study of patients with symptomatic severe AS submitted to TAVI from January 2009 to April 2015 at two specialized centers. Echocardiographic outcome was assessed with data collected before and 1 year after TAVI. Results:: Of the 91 patients with MR submitted to TAVI and followed up for at least 12 months, 67 (73.6%) had minimum/mild MR before the procedure and 24 (26.4%) had moderate/severe MR. Of those with minimum/mild MR, 62 (92.5%) had no change in the MR grade (p < 0.001), while 5 (7.5%) showed worsening. Of those with moderate/severe MR, 8 (33.3%) maintained the same grade and 16 (66.7%) improved it (p = 0.076). Patients with moderate/severe MR who improved MR grade had lower EuroSCORE II (p = 0.023) and STS morbidity (p = 0.027) scores, as compared to those who maintained the MR grade. Conclusion:: MR grades change after TAVI. This study suggests a trend towards improvement in moderate/severe MR after TAVI, which was associated with lower preoperative risk scores. Fundamentos:: A insuficiência valvar mitral (IM), presente em até 74% dos pacientes com estenose aórtica (EA) grave, pode representar um fator prognóstico negativo quando moderada ou importante. A evolução da IM após implante percutâneo de valva aórtica transcateter (TAVI) e preditores associados a essa evolução não estão bem estabelecidos na literatura. Objetivos: : Avaliar a evolução da IM primária em pacientes submetidos ao TAVI e identificar fatores associados a essa evolução. Métodos: : Realizou-se um estudo observacional em pacientes com EA grave sintomática, submetidos ao TAVI no período de janeiro de 2009 a abril de 2015 em dois centros especializados. Foram avaliados desfechos ecocardiográficos com dados antes e 1 ano após a intervenção. Resultados: : Dos 91 pacientes com IM que realizaram TAVI e tinham acompanhamento de pelo menos 12 meses, 67 (73,6%) apresentavam IM mínima ou discreta antes da realização do procedimento e 24 (26,4%), IM moderada ou grave. Entre os com IM mínima ou discreta, 62 (92,5%) não apresentaram mudança no grau de refluxo (p < 0,001) e 5 (7,5%) tiveram piora. Entre os com IM moderada ou grave, 8 (33,3%) permaneceram na mesma classe e 16 (66,7%) tiveram melhora (p = 0,076). Pacientes com IM moderada ou grave que melhoraram o grau de insuficiência apresentavam menores valores de EuroSCORE II (p = 0,023) e STS morbidade (p = 0,027), quando comparados aos que continuaram na mesma classe. Conclusão: : Observou-se mudança significativa no grau de IM após realização de TAVI. Este estudo sugere uma tendência de melhora da IM moderada ou grave após TAVI, o que se associou a escores de risco pré-operatórios menos elevados.

14.
J Bras Nefrol ; 36(2): 155-62, 2014.
Artigo em Inglês, Português | MEDLINE | ID: mdl-25055355

RESUMO

INTRODUCTION: A dysfunctional autonomic nervous system (ANS) has also been recognized as an important mechanism contributing to the poor outcome in CKD patients, with several studies reporting a reduction in heart rate variability (HRV). OBJECTIVE: Evaluate the sympathovagal balance in patients with chronic kidney disease on conservative treatment. METHODS: In a cross-sectional study, patients with CKD stages 3, 4 and 5 not yet on dialysis (CKD group) and age-matched healthy subjects (CON group) underwent continuous heart rate recording during two twenty-minute periods in the supine position (pre-inclined), followed by passive postural inclination at 70° (inclined period). Power spectral analysis of the heart rate variability was used to assess the normalized low frequency (LFnu), indicative of sympathetic activity, and the normalized high frequency (HFnu), indicative of parasympathetic activity. The LFnu/HFnu ratio represented sympathovagal balance. RESULTS: After tilting, CKD patients had lower sympathetic activity, higher parasympathetic activity, and lower sympathovagal balance than patients in the CON group. Compared to patients in stage 3, patients in stage 5 had a lower LFnu/HFnu ratio, suggesting a more pronounced impairment of sympathovagal balance as the disease progresses. CONCLUSION: CKD patients not yet on dialysis have reduced HRV, indicating cardiac autonomic dysfunction early in the course of CKD.


Assuntos
Sistema Nervoso Autônomo/fisiopatologia , Coração/inervação , Coração/fisiopatologia , Insuficiência Renal Crônica/fisiopatologia , Estudos Transversais , Feminino , Frequência Cardíaca , Humanos , Masculino , Pessoa de Meia-Idade
15.
J. bras. nefrol ; 36(2): 155-162, Apr-Jun/2014. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS, Sec. Est. Saúde SP | ID: lil-714667

RESUMO

Introduction: A dysfunctional autonomic nervous system (ANS) has also been recognized as an important mechanism contributing to the poor outcome in CKD patients, with several studies reporting a reduction in heart rate variability (HRV). Objective: Evaluate the sympathovagal balance in patients with chronic kidney disease on conservative treatment. Methods: In a cross-sectional study, patients with CKD stages 3, 4 and 5 not yet on dialysis (CKD group) and age-matched healthy subjects (CON group) underwent continuous heart rate recording during two twenty-minute periods in the supine position (pre-inclined), followed by passive postural inclination at 70° (inclined period). Power spectral analysis of the heart rate variability was used to assess the normalized low frequency (LFnu), indicative of sympathetic activity, and the normalized high frequency (HFnu), indicative of parasympathetic activity. The LFnu/HFnu ratio represented sympathovagal balance. Results: After tilting, CKD patients had lower sympathetic activity, higher parasympathetic activity, and lower sympathovagal balance than patients in the CON group. Compared to patients in stage 3, patients in stage 5 had a lower LFnu/HFnu ratio, suggesting a more pronounced impairment of sympathovagal balance as the disease progresses. Conclusion: CKD patients not yet on dialysis have reduced HRV, indicating cardiac autonomic dysfunction early in the course of CKD. .


Introdução: Um sistema nervoso autônomo disfuncionante tem sido relacionado a eventos cardiovasculares em pacientes com doença renal crônica (DRC), com vários estudos demonstrando redução da variabilidade da frequência cardíaca e o desenvolvimento de arritmias complexas nestes pacientes. Objetivo: Avaliar o balanço simpático-vagal em pacientes com DRC em tratamento conservador. Métodos: Em estudo transversal, foram avaliados pacientes com DRC estágios 3, 4 e 5 não dialítico pareados para indivíduos saudáveis. Todos os voluntários foram submetidos à monitorização contínua da frequência cardíaca durante, por 20 minutos na posição supina (período pré-inclinado), seguido de inclinação passiva a 70 graus por mais 20 minutos (período inclinado). A análise espectral da variabilidade da frequência cardíaca foi usada para se obter a baixa frequência normalizada (LF nu), indicativa da atividade simpática, e a alta frequência normalizada (HF nu), indicativa da atividade parassimpática. A razão entre essas duas variáveis (LF nu/HF nu) é representativa do balanço simpático-vagal. Resultados: Durante o período pré-inclinado, não houve diferença significativa da variabilidade da frequência cardíaca entre os pacientes com DRC e o grupo controle. No entanto, após a inclinação, os pacientes com DRC apresentaram menor atividade simpática, maior atividade parassimpática e menor balanço simpático-vagal quando comparados com o grupo controle. Comparados com pacientes em estágio 3, pacientes em estágio 5 apresentaram menor razão LFnu/HFnu, sugerindo piora do balanço simpático-vagal nos estágios mais avançados da DRC. Conclusão: Pacientes ...


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Pessoa de Meia-Idade , Sistema Nervoso Autônomo/fisiopatologia , Coração/inervação , Coração/fisiopatologia , Insuficiência Renal Crônica/fisiopatologia , Estudos Transversais , Frequência Cardíaca
16.
São Paulo; s.n; 2011. 133 p.
Monografia em Português | LILACS, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-IDPCPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: biblio-1079357

RESUMO

Buscar um preditor ideal de morte súbita (MS) e eventos cardiovasculares há tempos é um dos objetivos da cardiologia. Ferramentas com maior especificidade, excelente sensibilidade e mínima invasibilidade permitiriam ao cardiologista escolher a melhor sequencia de exames para auxiliar no manejo de cada condição cardiovascular específica. Durante a evolução dos métodos de aquisição, procesamento e interpretação do sinal eletrocardiográfico, as mudanças caminharam do simples eletrocardiograma...


Assuntos
Eletrocardiografia , Eletrocardiografia Ambulatorial , Frequência Cardíaca , Prognóstico , Teste de Esforço
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA
...