Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 1 de 1
Filtrar
Mais filtros










Base de dados
Intervalo de ano de publicação
1.
Neotrop. ichthyol ; 5(2): 147-152, 2007.
Artigo em Inglês | LILACS | ID: lil-457671

RESUMO

The catfish yellow-mandi, Pimelodus maculatus, is a valuable sporting and commercial fish of inland waters of Southeast Brazil including Igarapava Reservoir. It is a short-distance migrant that needs shorter stretches of free-flowing river to spawn compared to other Neotropical migrants. Igarapava Reservoir is one the 13 hydroelectric reservoirs, arranged in a cascade fashion, impounding the 1,300 km-long Grande River, SE Brazil. In this paper, we examined reproductive features and recruitment of the yellow-mandi in Igarapava Reservoir. We also evaluated the role of the Igarapava Fish Ladder (IFL) built around Igarapava Dam on the sustainability of its fisheries. Female adult yellow-mandis that were gill netted (nets of 8-20 cm stretch-mesh) during the reproductive season of 2002/2003, showed adequate ovarian development, indicated by the gonadosomatic index (12.9 ± 2.1, at mature stage) and absolute fecundity (413,794 ± 206,259; range = 125,601-742,026), which were higher than those found in the literature. Postovulatory follicles present in ovarian tissue of 32 percent of the females examined showed that they possibly could have spawned in the reservoir area. Gill nets of 3-5 cm stretch-mesh aimed at capturing juvenile yellow-mandi were unproductive. These results indicated that Igarapava Reservoir and its reduced catchment area did not provide adequate conditions for recruitment of the yellow-mandi. This fish, the most abundant in the IFL, and those reaching the reservoir tended to remain there since no upstream passage mechanism is present. Thus, the IFL apparently was responsible for maintaining the Igarapava Reservoir stock of yellow-mandi


O mandi-amarelo, Pimelodus maculatus, é um peixe importante nas pescarias comercial e desportiva de águas continentais do Sudeste do Brasil, incluindo o reservatório de Igarapava. Ele é um migrador de curta distância que necessita de segmentos mais curtos de fluxos livres de rios para desovar do que outros migradores. O reservatório de Igarapava é um dos 13 reservatórios hidrelétricos, dispostos em cascata, que fragmentaram os 1.300 km do rio Grande, no sudeste do Brasil. Neste trabalho, examinamos aspectos reprodutivos e o recrutamento do mandi-amarelo no reservatório de Igarapava. Avaliamos também o papel da escada de peixes, construída em torno da barragem de Igarapava, na sustentabilidade da pesca desse peixe no respectivo reservatório. Fêmeas de mandis-amarelos adultas, capturadas durante o período reprodutivo, com redes de emalhar (tamanho de malha entre 8 e 20 cm, medido entre nós opostos), exibiram adequado desenvolvimento ovariano, indicado pelo índice gonadossomático (12,9 ± 2,1, no estádio maduro) e fecundidade absoluta (413.794 ± 206.259; amplitude = 125.601-742.026). Esses valores foram mais altos do que os registrados na literatura. Folículos pós-ovulatórios, presentes no ovário de 32 por cento das fêmeas examinadas indicaram que, possivelmente, elas poderiam ter desovado no reservatório. Redes de emalhar de 3-5 cm de malha (medida entre nós opostos), colocadas com o objetivo de se capturar juvenis, mostraram-se improdutivas. Esses resultados indicaram que o reservatório de Igarapava e sua reduzida bacia hidrográfica não teriam condições adequadas para o recrutamento do mandi-amarelo. Esta é a espécie mais abundante na escada de peixes de Igarapava e os indivíduos que atingem o reservatório de Igarapava tenderiam a permanecer ali em razão da inexistência de mecanismo de passagem para montante. Portanto, a passagem de mandis-amarelos pela escada foi, aparentemente, responsável pela manutenção de seu estoque no reservatório de Igarapava


Assuntos
Animais , Feminino , Migração Animal , Biodiversidade , Barragens , Fertilidade , Peixes
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA
...