Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 20 de 117
Filtrar
1.
Cien Saude Colet ; 26(10): 4373-4382, 2021 Oct.
Artigo em Inglês | MEDLINE | ID: mdl-34730629

RESUMO

The manuscript discusses interfaces between academic and practical fields of Global Health and Planetary Health, shedding light on some critical perspectives of cumulative and synergistic causes of global crises, and effects on health and food security, on human rights, on migration, and on environment. Concepts of Global Health and Planetary Health and the path for the Sustainable Development Goals -SDG in the context of the Syndemy of Global Crisis, in particular the COVID-19 pandemic, are presented. COVID-19 lessons highlight challenges of infectious diseases and pandemics of the crisis of food insecurity, and of climate emergency. The manuscript advocates for an innovative approach that simultaneously broader awareness of the interconnected problems and of their complex causes and calls for emancipatory knowledge to face urgent challenges for a transdisciplinary research agenda aiming to tackle enormous planetary problems brought by the Anthropocene. It calls for practical solutions, with examples of some nature-based. It highlights the need of a collective reflection on a viable path to promote changes for a more sustainable, equitable, and adaptive future, bridging gaps from Global and Planetary Health.


Assuntos
COVID-19 , Pandemias , Saúde Global , Humanos , SARS-CoV-2 , Desenvolvimento Sustentável
2.
Ciênc. Saúde Colet. (Impr.) ; 26(10): 4373-4382, out. 2021.
Artigo em Inglês | LILACS | ID: biblio-1345715

RESUMO

Abstract The manuscript discusses interfaces between academic and practical fields of Global Health and Planetary Health, shedding light on some critical perspectives of cumulative and synergistic causes of global crises, and effects on health and food security, on human rights, on migration, and on environment. Concepts of Global Health and Planetary Health and the path for the Sustainable Development Goals -SDG in the context of the Syndemy of Global Crisis, in particular the COVID-19 pandemic, are presented. COVID-19 lessons highlight challenges of infectious diseases and pandemics of the crisis of food insecurity, and of climate emergency. The manuscript advocates for an innovative approach that simultaneously broader awareness of the interconnected problems and of their complex causes and calls for emancipatory knowledge to face urgent challenges for a transdisciplinary research agenda aiming to tackle enormous planetary problems brought by the Anthropocene. It calls for practical solutions, with examples of some nature-based. It highlights the need of a collective reflection on a viable path to promote changes for a more sustainable, equitable, and adaptive future, bridging gaps from Global and Planetary Health.


Resumo O manuscrito discute as interfaces entre os campos acadêmico e prático da Saúde Global e da Saúde Planetária, lançando luz sobre algumas perspectivas críticas acerca das causas cumulativas e sinérgicas de crises globais e seus efeitos na saúde e segurança alimentar, nos direitos humanos, na migração e no ambiente. São apresentados os conceitos de Saúde Global e Saúde Planetária, e perspectivas para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) no contexto de uma sindemia de crises globais, em particular a pandemia de COVID-19, cujas lições lançam luz sobre os desafios relacionados às doenças infecciosas, crise de insegurança alimentar e emergência climática. O manuscrito defende uma abordagem inovadora que, simultaneamente, amplie a consciência dos problemas interligados e de suas complexas causas e fomente o conhecimento emancipatório para enfrentar os desafios urgentes de uma agenda de pesquisa transdisciplinar visando enfrentar os enormes problemas planetários trazidos pelo Antropoceno. Reforça a necessidade de soluções práticas, com exemplos de soluções baseadas na natureza, e de uma reflexão coletiva sobre um caminho viável para promover mudanças para um futuro mais sustentável, equitativo e adaptável, preenchendo as lacunas da Saúde Global e Planetária.


Assuntos
Pandemias , COVID-19 , Saúde Global , Desenvolvimento Sustentável , SARS-CoV-2
5.
Cien Saude Colet ; 25(12): 4723-4735, 2020 Dec.
Artigo em Português, Inglês | MEDLINE | ID: mdl-33295496

RESUMO

This article updates the previous text of the main author published in 2000, revisiting the scientific evidence that reaffirms the contribution of health to the quality of life of individuals and populations. More than the access to health services of any quality, it is necessary to face determinants of health in its entirety, which requires healthy public policies, an effective intersectoral articulation of public power and mobilization of the population. The authors revisit the emergence and development of health promotion, focusing on the analysis of the most promising health strategies for the increase in quality of life, especially in societies with high social and health inequalities, as in the case of Brazil, reinforced by the recent pandemic of COVID-19. Such strategies were concretized on healthy municipalities and intersectoral actions, in health and in all policies which confront social determinants, through their own foundations and practices that are closely related to innovations in public management for integrated and sustainable local development, in view of the 2030 Agenda and its Sustainable Development Objectives (SDG).


Este artigo atualiza o texto anterior do autor principal publicado em 2000, revisitando as evidências científicas que reafirmam a contribuição da saúde para a qualidade de vida de indivíduos e populações. Mais do que o acesso a serviços de saúde de qualidade, é necessário enfrentar os determinantes da saúde em toda a sua amplitude, o que requer políticas públicas saudáveis, uma efetiva articulação intersetorial do poder público e a mobilização da população. Os autores revisitam a emergência e o desenvolvimento da promoção da saúde, centrando sua análise nas estratégias mais promissoras para o incremento da qualidade de vida propostas pelo setor saúde, sobretudo em formações sociais com alta desigualdade sociosanitária, como é o caso do Brasil, reforçada pela recente pandemia de COVID-19. É no movimento dos municípios saudáveis e em ações intersetoriais, na saúde em todas as políticas e no enfrentamentos dos determinantes sociais da saúde que tais estratégias se concretizam, através de seus próprios fundamentos e práticas, que estão estreitamente relacionados com as inovações na gestão pública para o desenvolvimento local integrado e sustentável, "vis a vis" a nova Agenda 2030 e seus Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS).


Assuntos
Congressos como Assunto , Promoção da Saúde/história , Qualidade de Vida , Desenvolvimento Sustentável , Brasil , COVID-19/epidemiologia , Congressos como Assunto/história , Disparidades nos Níveis de Saúde , Disparidades em Assistência à Saúde , Programas Gente Saudável , História do Século XXI , Humanos , Pandemias , Saúde Pública , Política Pública , SARS-CoV-2 , Determinantes Sociais da Saúde , Fatores Socioeconômicos
6.
Rio de Janeiro; Fiocruz; dez. 14, 2020. 363 p. ^emapasgraf..(Série Informação para ação na COVID-19).
Monografia em Português | LILACS, BDS | ID: biblio-1140816

RESUMO

Organizada por Paulo Marchiori Buss e Luiz Eduardo Fonseca, coordenadores do Centro de Relações Internacionais em Saúde da Fiocruz, esta obra reúne as análises produzidas sobre as respostas do multilateralismo ao novo coronavírus. Dividida em três partes, a coletânea viabiliza o acesso do público a um panorama de ações internacionais promovidas para o enfrentamento da crise sanitária. A publicação engloba renomados pesquisadores das mais diversas áreas de saúde, diplomacia e relações internacionais, examinando as ações de órgãos e agências, como OMS, ONU e OCDE, além de iniciativas multilaterais, como G20 e países do BRICS. Os capítulos abordam ainda as respostas de diferentes países e regiões do mundo, incluindo Brasil, China, Estados Unidos, África, Oriente Médio, Europa, América Latina e Caribe, além de instituições financeiras internacionais,como FMI e Banco Mundial. Primeiro livro da série "Informação para Ação na Covid-19", que tem como objetivo reunir o conjunto de respostas, pesquisas e ações técnicas produzidas pela Fiocruz durante a pandemia causada pelo novo coronavírus. Publicada em coedição por Observatório Covid-19 Fiocruz e Editora Fiocruz, com apoio da Rede SciELO Livros, a série estará disponível exclusivamente em formato digital e acesso aberto.


Assuntos
Pneumonia Viral/prevenção & controle , Infecções por Coronavirus/prevenção & controle , Tecnologia Biomédica/economia , Recursos Financeiros em Saúde/economia , Diplomacia em Saúde/políticas , Agências Internacionais , Saúde Global , Vulnerabilidade em Saúde , Sindemia
7.
Ciênc. Saúde Colet. (Impr.) ; 25(12): 4723-4735, Dec. 2020. tab
Artigo em Português | LILACS, Coleciona SUS, Sec. Est. Saúde SP | ID: biblio-1142730

RESUMO

Resumo Este artigo atualiza o texto anterior do autor principal publicado em 2000, revisitando as evidências científicas que reafirmam a contribuição da saúde para a qualidade de vida de indivíduos e populações. Mais do que o acesso a serviços de saúde de qualidade, é necessário enfrentar os determinantes da saúde em toda a sua amplitude, o que requer políticas públicas saudáveis, uma efetiva articulação intersetorial do poder público e a mobilização da população. Os autores revisitam a emergência e o desenvolvimento da promoção da saúde, centrando sua análise nas estratégias mais promissoras para o incremento da qualidade de vida propostas pelo setor saúde, sobretudo em formações sociais com alta desigualdade sociosanitária, como é o caso do Brasil, reforçada pela recente pandemia de COVID-19. É no movimento dos municípios saudáveis e em ações intersetoriais, na saúde em todas as políticas e no enfrentamentos dos determinantes sociais da saúde que tais estratégias se concretizam, através de seus próprios fundamentos e práticas, que estão estreitamente relacionados com as inovações na gestão pública para o desenvolvimento local integrado e sustentável, "vis a vis" a nova Agenda 2030 e seus Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS).


Abstract This article updates the previous text of the main author published in 2000, revisiting the scientific evidence that reaffirms the contribution of health to the quality of life of individuals and populations. More than the access to health services of any quality, it is necessary to face determinants of health in its entirety, which requires healthy public policies, an effective intersectoral articulation of public power and mobilization of the population. The authors revisit the emergence and development of health promotion, focusing on the analysis of the most promising health strategies for the increase in quality of life, especially in societies with high social and health inequalities, as in the case of Brazil, reinforced by the recent pandemic of COVID-19. Such strategies were concretized on healthy municipalities and intersectoral actions, in health and in all policies which confront social determinants, through their own foundations and practices that are closely related to innovations in public management for integrated and sustainable local development, in view of the 2030 Agenda and its Sustainable Development Objectives (SDG).


Assuntos
Humanos , História do Século XXI , Qualidade de Vida , Congressos como Assunto/história , Promoção da Saúde/história , Política Pública , Fatores Socioeconômicos , Brasil , Saúde Pública , Infecções por Coronavirus/epidemiologia , Programas Gente Saudável , Disparidades nos Níveis de Saúde , Disparidades em Assistência à Saúde , Pandemias , Determinantes Sociais da Saúde , Betacoronavirus , Desenvolvimento Sustentável
10.
RECIIS (Online) ; 13(4): 923-934, out.-dez. 2019. ilus
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1047679

RESUMO

Este artigo apresenta um trabalho que consistiu no levantamento quantitativo das publicações sobre a Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável na América Latina, ou que foram escritas por autores afiliados às instituições da região, focando no tema saúde. Foram realizadas buscas em bancos de dados, para o período entre janeiro de 2009 e maio de 2017, e encontradas 127 publicações voltadas para o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 3 ­ Boa Saúde e Bem-Estar. A maior parcela dos resultados (92%) é constituída de artigos científicos que foram descritos segundo o ano e veículo de publicação, instituições de filiação dos autores e sua localização. Quase a metade das publicações (47%) foi feita sem a participação de organizações latino-americanas e em apenas 30% dos casos o primeiro autor pertence a uma organização latino-americana. Esse quadro se torna mais nítido quando se observa a concentração da produção latinoamericana em torno de organizações brasileiras: a produção científica sobre as resoluções da Agenda 2030 em relação à saúde ainda está ausente em grande parte do território latino-americano.


This article presents a work that consisted of a quantitative research about publications on Agenda 2030 on Sustainable Development in Latin America, or written by authors affiliated with institutions in the region, focusing on health. A search using databases on the subject for the period between January 2009 and May 2017 was made, and 127 publications focusing on Sustainable Development Goal 3 ­ Good Health and Well-Being. The majority (92%) of the publications were scientific articles and were described in relation to the year and vehicle of publication, authors' affiliation institutions and their location. Almost half of the publications (47%) were made without the participation of Latin American organizations and only 30% of cases have the first author who belongs to a Latin American organization. This picture becomes clearer when we see the concentration of Latin American production at Brazilian organizations: scientific production onAgenda 2030 regarding health is still absent in much of the Latin American territory.


Este artículo presenta un trabajo que ha consistido en el levantamiento cuantitativo de las publicaciones sobre la Agenda 2030 en América Latina o que fueron escritas por autores afiliados a instituciones de la región con el foco en salud. Se realizaron búsquedas en bancos de datos para el período entre 2009 y mayo de 2017. Se encontraron 127 publicaciones sobre el Objetivos de desarrollo sostenible 3 ­ Salud y Bienestar. Constituyen la mayoría (92%) artículos científicos que fueron descritos según el año y el vehículo de publicación, las instituciones de filiación de los autores y su ubicación. En casi la mitad de las publicaciones (47%) no hubo participación de organizaciones latinoamericanas y solamente en 30% de los casos el primer autor pertenece a una organización latinoamericana. Este cuadro es más nítido cuando observada la concentración de la producción latinoamericana en organizaciones brasileñas: La producción científica sobrela Agenda 2030 en el área de la salud todavía está ausente en gran parte de la América Latina.


Assuntos
Seguridade Social , Nível de Saúde , Comunicação Acadêmica , Desenvolvimento Sustentável , Bases de Dados Bibliográficas , Academias e Institutos , Atividades Científicas e Tecnológicas , Política de Saúde , América Latina
11.
São Paulo; s.n; 2019. 320 p.
Tese em Português | LILACS | ID: biblio-1150389

RESUMO

Esta tese de doutorado visa contribuir com um registro crítico de uma fração do tempo político (2012-2019) da presença da Agenda 2030 e dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) na agenda política e técnica da América Latina e do Caribe (ALC), que vai da Rio + 20 (2012) - ano no qual se inicia oficialmente o processo de definições da Agenda - às sessões do Fórum Político de Alto Nível do Desenvolvimento Sustentável (HLPF), condutor oficial do processo, em 2019, ano em que se encerra o primeiro ciclo de avaliações de todos os ODS pelo HLPF, razão pela qual foi escolhido como o limite final da periodização. Seu foco principal, neste contexto, é a saúde. Valendo-se da metodologia da análise de conteúdo, examina os principais documentos resultantes do conjunto de eventos e manifestações relacionados ao tema que ocorreram no período, no mundo e na região, reunindo governos de países, organizações multilaterais, organizações da sociedade civil, academia e setor privado, destacando os principais elementos comuns e os aspectos divergentes ao longo do processo, assim como entre os posicionamentos dos atores políticos envolvidos. O trabalho desdobra-se logicamente em cinco macroprocessos que guardam elementos comuns e divergentes, assim como influenciam-se mutuamente: 1) A Agenda 2030 e seus ODS no plano global; 2) A saúde na Agenda 2030 e seus ODS no plano global; 3) A Agenda 2030 e seus ODS na ALC; 4) A saúde na Agenda 2030 e seus ODS na ALC; e 5) A agenda 2030 e a saúde no Brasil, neste caso num balanço de menor intensidade. A análise apresenta a situação política, econômica e social da ALC, na qual se desdobra o processo da Agenda 2030 e seus ODS, bem como a situação de saúde e dos sistemas de saúde na região, palcos da implementação do ODS 3 e das metas dos demais ODS relacionados com a saúde. Examina também a cooperação Sul-Sul, pelo papel proeminente que lhe é atribuída no processo. Transcorrido o primeiro terço do tempo (2015-2019) para a implementação da Agenda até 2030, examina os sucessos alcançados, as dificuldades existentes e os desafios que estão presentes, tanto no plano global, quanto regional, para o alcance das metas dos ODS, concluindo que o contexto político é adverso neste momento do processo devido às barreiras que as forças conservadoras levantam à solidariedade internacional, aos direitos humanos e às alianças em prol do desenvolvimento que permearam, pelo menos retoricamente, as relações internacionais ao redor do ano 2000. Entre as principais barreiras encontram-se a recrudescência do neoliberalismo extremado na economia, as imensas desigualdades e inequidades entre países e no interior dos mesmos, a fragilização do multilateralismo e a emergência do unilateralismo xenófobo, entre outros elementos políticos. A tese conclui propondo que as governanças nacionais e global precisam ser transformadas com vistas à implementação de planos de desenvolvimento coerentes com a equidade e a inclusão social, num contexto de desenvolvimento econômico que preserve o meio ambiente e os recursos naturais ameaçados. Ademais, entende que é na redefinição do papel do Estado como provedor de direitos fundamentais como a saúde e outros ODS e no planejamento e ação intersetorial sob a égide do poder público, nos planos locais, nacionais e global, que se encontra a chave para o desenvolvimento sustentável e a consecução dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030.


This doctorate thesis intends to contribute to a critical record of a fraction of the political time (2012-2019) of the presence of the 2030 Agenda and of the Sustainable Development Goals (SDG) in the political and technical agendas of Latin America and the Caribbean (LAC), spanning from Rio +20 (2012), the year in which the process of definition of the Agenda was officially kicked off, to the sessions of the High-Level Political Forum of Sustainable Development (HLPF), the official conductor of the process, in 2019, when the first assessment cycle of all SDGs by the HLPF was wrapped up, which is why it was chosen as the final deadline for the periodization. In this context, its main focus is health. Using the content analysis methodology, it examines the main documents resulting from the ensemble of events and manifestations related to the theme that took place in that period, regionally and globally, bringing together country governments, multilateral organizations, civil society organizations, the academia and the private sector, highlighting the main common elements and the divergent aspects throughout the process, as well as between the positions of the political actors involved. The work is logically articulated into five macro processes that contain common and divergent elements that influence each other: 1) The 2030 Agenda and its SDGs on a global scale; 2) Health in the 2030 Agenda and its SDGs on a global scale; 3) The 2030 Agenda and its SDGs in LAC; 4) Health in the 2030 Agenda and its SDGs in LAC; and 5) The 2030 Agenda and health in Brazil, in this case in a less intense approach. The analysis presents the political, economic and social situation in LAC, in which the 2030 Agenda process unfolds with its SDGs, as well as the situation of health and health systems in the region, where the SDGs 3 and the goals of the remaining SDGs related to health are implemented. It also examines South-South cooperation, due to the prominent role it plays in the process. After the first third of the time (2015-2019) required to implement the Agenda by 2030, it examines the successes that have been achieved, the existing difficulties and the challenges, both globally and regionally, for the achievement of the SDG goals. It concludes that the political context is adverse at this moment of the process, due to the barriers that conservative forces have raised against international solidarity, human rights, and development-promoting alliances, which permeated, at least rhetorically, international relations around the year 2000. Some of the main barriers are the return of extreme neoliberalism in economy, the huge inequality between countries and within the countries themselves, the fragilization of multilateralism, and the emergence of xenophobic unilateralism, among other political elements. The thesis concludes proposing that national and global governances must be transformed in order to implement development plans that are coherent with equity and social inclusion, in a context of economic development that preserves the environment and natural resources under threat. In addition, it also understands that the key for sustainable development and the achievement of the Sustainable Development Goals of the 2030 Agenda lies in the redefinition of the role of the State as provider of fundamental rights such as health and other SDGs and the planning and intersectoral action under the State's leadership, locally, nationally, and globally.


Assuntos
Saúde Global , Desenvolvimento Sustentável
12.
Cien Saude Colet ; 23(6): 1881-1890, 2018 Jun.
Artigo em Português, Inglês | MEDLINE | ID: mdl-29972496

RESUMO

This paper addresses the role of health in Brazil's health diplomacy and international cooperation since the emergence of the Brazilian Unified Health System (SUS), focusing in particular on South-South cooperation, in line with the priorities of the country's international technical cooperation since its creation. It highlights the relationship with the Latin American and Caribbean Countries (LAC) and the Community of Portuguese Speaking Countries (CPLP), more specifically, with the Portuguese Speaking African Countries (PALOP) and East Timor. It emphasizes the roles of the Ministry of Health, through the International Advisory Working Group on Health (AISA) and the Oswaldo Cruz Foundation (Fiocruz), the Brazilian Cooperation Agency (ABC), the Ministry of Foreign Affairs, and the Pan American Health Organization (PAHO). The article points out that the TC-41 Co-operation Agreement is one of the main instruments for enabling cooperation. It presents the cases of the structuring networks of health systems, as well as the paradigmatic negotiations of the Framework Convention on Tobacco Control, the TRIPS Agreement and the establishment of UNITAIDS, in which Brazilian diplomacy had a predominant role.


O artigo aborda a presença da saúde na diplomacia da saúde e na cooperação internacional do Brasil, desde o surgimento do Sistema Único de Saúde (SUS), com ênfase na cooperação Sul-Sul e em linha com as prioridades da cooperação técnica internacional do país desde então, que enfatiza as relações com países da América Latina e Caribe (ALC) e da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), particularmente com os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) e Timor Leste. Ressalta os papéis do Ministério da Saúde, por meio da Assessoria Internacional em Saúde (AISA) e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), além da Agência Brasileira de Cooperação (ABC), do Ministério das Relações Exteriores, e da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS). Aponta o papel do Termo de Cooperação TC-41 como um dos principais instrumentos da viabilização da cooperação. Apresenta os casos das redes estruturantes dos sistemas de saúde, assim como as negociações paradigmáticas da Convenção-Quadro sobre Controle do Tabaco, do Acordo TRIPS e da criação da UNAIDS, nos quais o papel da diplomacia brasileira foi preponderante.


Assuntos
Atenção à Saúde/organização & administração , Diplomacia , Cooperação Internacional , Programas Nacionais de Saúde/organização & administração , Brasil , Humanos , Negociação
13.
Ciênc. Saúde Colet. (Impr.) ; 23(6): 1881-1890, jun. 2018.
Artigo em Português | LILACS, BDS | ID: biblio-952647

RESUMO

Resumo O artigo aborda a presença da saúde na diplomacia da saúde e na cooperação internacional do Brasil, desde o surgimento do Sistema Único de Saúde (SUS), com ênfase na cooperação Sul-Sul e em linha com as prioridades da cooperação técnica internacional do país desde então, que enfatiza as relações com países da América Latina e Caribe (ALC) e da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), particularmente com os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) e Timor Leste. Ressalta os papéis do Ministério da Saúde, por meio da Assessoria Internacional em Saúde (AISA) e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), além da Agência Brasileira de Cooperação (ABC), do Ministério das Relações Exteriores, e da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS). Aponta o papel do Termo de Cooperação TC-41 como um dos principais instrumentos da viabilização da cooperação. Apresenta os casos das redes estruturantes dos sistemas de saúde, assim como as negociações paradigmáticas da Convenção-Quadro sobre Controle do Tabaco, do Acordo TRIPS e da criação da UNAIDS, nos quais o papel da diplomacia brasileira foi preponderante.


Abstract This paper addresses the role of health in Brazil's health diplomacy and international cooperation since the emergence of the Brazilian Unified Health System (SUS), focusing in particular on South-South cooperation, in line with the priorities of the country's international technical cooperation since its creation. It highlights the relationship with the Latin American and Caribbean Countries (LAC) and the Community of Portuguese Speaking Countries (CPLP), more specifically, with the Portuguese Speaking African Countries (PALOP) and East Timor. It emphasizes the roles of the Ministry of Health, through the International Advisory Working Group on Health (AISA) and the Oswaldo Cruz Foundation (Fiocruz), the Brazilian Cooperation Agency (ABC), the Ministry of Foreign Affairs, and the Pan American Health Organization (PAHO). The article points out that the TC-41 Co-operation Agreement is one of the main instruments for enabling cooperation. It presents the cases of the structuring networks of health systems, as well as the paradigmatic negotiations of the Framework Convention on Tobacco Control, the TRIPS Agreement and the establishment of UNITAIDS, in which Brazilian diplomacy had a predominant role.


Assuntos
Sistema Único de Saúde , Diplomacia em Saúde , Cooperação Internacional , Cooperação Técnica , Brasil , Saúde Pública , Comunidade dos Países de Língua Portuguesa
14.
Rio de Janeiro; FIOCRUZ; 2017. 653 p. il.
Monografia em Português | LILACS | ID: biblio-983333

RESUMO

Do encontro entre saúde e relações internacionais se originam os conceitos e práticas contemporâneos da saúde global e da diplomacia da saúde. Mas tal encontro só se estabeleceu em função do processo de globalização. A crise econômica sistêmica e global, expondo as brechas estruturais do capitalismo global, aprofundou as desigualdades preexistentes e, desde então, só vem se ampliando, com consequências sociais, econômicas e sanitárias gravíssimas, particularmente para os países pobres e para os pobres de todos os países. A crise abateu-se sobre os países da América Latina, e muitos progressos alcançados estão agora ameaçados, inclusive as conquistas no campo da saúde, que vem sendo profundamente afetada. Este livro procura explicar a saúde no cenário global; o que a molda social e economicamente; como o global dialoga com o regional e o local; como a governança global exerce impacto sobre a saúde; como transcorre a governança da saúde global; e que papel desempenha a diplomacia aplicada em prol de uma situação de saúde mais equitativa. A complexidade internacional tem colocado novos objetos e desafios sobre os quais os autores desta coletânea buscam refletir, na perspectiva da América Latina e Caribe: as desigualdades sociais e sanitárias profundas entre países e no interior destes; as crises humanitárias relacionadas com conflitos armados em diversas partes do mundo; as correntes migratórias na América Latina; as transformações nos padrões culturais que desafiam a visão do 'normal' em medicina e saúde pública; o comprometimento ambiental em escala planetária; e a proliferação de instituições multilaterais que incluem os problemas de saúde entre seus programas de cooperação, sem entretanto solucioná-los.


Assuntos
Saúde Global , Mão de Obra em Saúde , Sistemas de Saúde , Cooperação Internacional , Dinâmica Populacional
15.
In. Schmitz, Guilherme de Oliveira; Rocha, Rafael Assumpção. Brasil e o sistema das Nações Unidas: desafios e oportunidades na governança global. Brasília, Ipea, 2017. p.345-375.
Monografia em Português | HISA - História da Saúde | ID: his-39778

RESUMO

Este capítulo tratará de discutir essa associação, tendo como objetivo apresentar elementos históricos, evidências e modelos associativos que permitam ao leitor uma visão panorâmica da relação entre a saúde e o desenvolvimento, assim como alguns elementos que poderiam contribuir para a contextualização dessa relação na Era do desenvolvimento sustentável. A segunda seção do capítulo trata de discutir alguns elementos históricos e contextuais que permitem, na terceira seção, o aprofundamento da discussão específica e atual da relação entre a saúde e o novo marco global: Agenda 2030 e seus Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). O texto é finalizado com algumas perspectivas par o setor da saúde nesse importante movimento global. (AU)


Assuntos
Cooperação Técnica , Saúde Global , Planejamento Social , Desenvolvimento Sustentável
16.
Artigo em Português | LILACS, BDS | ID: biblio-833248

RESUMO

O artigo apresenta as principais características da cooperação internacional em saúde realizada recentemente em contextos regionais, que se inscrevem no âmbito da cooperação Sul-Sul. Tal cooperação se desenvolve particularmente entre países da América do Sul, no contexto da Unasul Saúde, e entre os Palop (Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa), Timor Leste, Brasil e Portugal, no contexto do PECS/CPLP (Plano Estratégico de Cooperação em Saúde da Comunidade de Países de Língua Portuguesa).


Assuntos
Humanos , Diplomacia em Saúde , Cooperação Internacional , Comunidade dos Países de Língua Portuguesa , Cooperação Sul-Sul , União de Nações Sul-Americanas
17.
Cad Saude Publica ; 32Suppl 2(Suppl 2): e00046815, 2016 Nov 03.
Artigo em Inglês, Português | MEDLINE | ID: mdl-27828674

RESUMO

This text main objective is to discuss development and health from the perspective of the influence of global health governance, using as the tracer the dimension of research, development, and innovation policies in health, which relate to both important inputs for the health system, like drugs and medicines, vaccines, diagnostic reagents, and equipment, and innovative concepts and practices for the improvement of health systems and public health. The authors examine the two main macro-processes that influence development and health: the post-2015 Development Agenda and the process under way in the World Health Organization concerning research and development, intellectual property, and access to health inputs. The article concludes, first, that much remains to be done for the Agenda to truly represent a coherent and viable international political pact, and that the two macro-processes related to innovation in health need to be streamlined. But this requires democratization of participation by the main stakeholders - patients and the general population of the poorest countries - since this is the only way to overcome a "zero sum" result in the clash in the current debates among member State representatives. Resumo: O objetivo central deste texto é discutir desenvolvimento e saúde sob a ótica da influência da governança da saúde global, utilizando como traçador a dimensão das políticas de pesquisa, desenvolvimento e inovação em saúde, que se referem, de um lado, a insumos importantes para o sistema de saúde - como fármacos e medicamentos, vacinas, reativos para diagnóstico e equipamentos e, de outro, a conceitos e práticas inovadoras para o aperfeiçoamento dos sistemas de saúde e da saúde pública. Examina os dois principais macroprocessos que influenciam o desenvolvimento e a saúde: a Agenda do Desenvolvimento para o pós-2015 e o processo sobre pesquisa e desenvolvimento, propriedade intelectual e acesso a insumos em saúde em curso na Organização Mundial da Saúde. Conclui que muito há que ser feito para que a referida Agenda possa representar um pacto político internacional coerente e viável, e que os dois macroprocessos relacionados com a inovação em saúde precisam ser agilizados, mas para isto torna-se necessária a democratização da participação dos maiores interessados - os pacientes e, de modo geral, a população dos países mais pobres - pois só desta maneira será superada a "soma zero" em que se encontra o embate entre os representantes de Estados-membros nos debates atuais.


Assuntos
Difusão de Inovações , Saúde Global , Política de Saúde , Internacionalidade , Avaliação da Tecnologia Biomédica , Humanos
19.
Hist. ciênc. saúde-Manguinhos ; 23(2): 267-276, abr.-jun. 2016.
Artigo em Português | LILACS, BDS | ID: lil-783821

RESUMO

O artigo revisa a trajetória da cooperação internacional considerando os ajustes feitos a partir das principais conferências internacionais sobre o assunto (Buenos Aires, 1978; Roma, 2003; Paris, 2005; Acra, 2008; e Busan, 2011). Alinha essas novas orientações com as práticas que a Fiocruz vem adotando, como “cooperação estruturante em saúde”, uma abordagem diplomática que inclui diversos elementos sugeridos nas reuniões internacionais mencionadas, orientada ao apoio dos sistemas de saúde como um todo, não exclusivamente a doenças ou problemas de saúde, assumindo a saúde em seus determinantes biológicos, sociais e ambientais.


This article reviews the trajectory of international cooperation in the light of the adjustments made at the leading international conferences on the topic (Buenos Aires, 1978; Rome, 2003; Paris, 2005; Accra, 2008; and Busan, 2011). This article aligns these new approaches with the practices Fiocruz has adopted, such as “structural cooperation in health,” namely a diplomatic approach that includes various aspects raised at the aforementioned international conferences oriented towards supporting health systems as a whole. The new approach does not focus exclusively on specific diseases or health issues and addresses health from the perspective of its biological, social and environmental determinants.


Assuntos
Cooperação Internacional , Países em Desenvolvimento , Saúde Pública
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA
...