Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 20 de 22
Filtrar
4.
São Paulo; Instituto de Saúde; 2014. 205 p. il.
Monografia em Português | HISA - História da Saúde | ID: his-35127

RESUMO

Este livro é justa homenagem aos homens e mulheres que, nos 40 anos de história da Associação Paulista de Saúde Pública (APSP), trabalharam intensamente pela saúde pública do Estado e do país, pela consolidação do Sistema Único de Saúde e valorização dos profissionais de saúde, entre tantas frentes de luta e conquistas. Irá de acompanhar, por meio de excelente recuperação histórica realizada pelos organizadores, a evolução do movimento sanitário paulista e a atuação da APSP desde sua fundação, em 15 de dezembro de 1972. Pela linha do tempo exposta na primeira parte da obra, tem-se um panorama das mais relevantes atividades e ações da APSP, de cada uma das diretorias, sob o contexto dos principais fatos da saúde pública nos âmbitos estadual, nacional e internacional. Percebe-se em cada página a importância ad APSP como espaço de discussão, articulação e desenvolvimento da Reforma Sanitária paulista, e do apoio aos sanitaristas perseguidos pelo regime militar,e a reflexão e posições diante das mudanças ocorridas com a redemocratização do país. A segunda parte nos traz os depoimentos de diretores, membros e conselheiros da APSP que colaboraram na construção de um pensamento crítico e com ações voltadas à saúde coletiva e que ainda militam nesta seara. Finalmente, este livro-homenagem propõe uma discussão sobre o futuro, os próximos desafios e as tendências que APSP ira encontrar. O Instituto de Saúde, órgão da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, se orgulha de poder colaborar com esta edição e deseja fortemente continuar esta parceria tão profícia com a APSP nos próximos anos. (AU)


Assuntos
História do Século XX , Saúde Pública/história , Educação em Saúde , Política de Saúde , Reforma dos Serviços de Saúde , Brasil
6.
Saúde Soc ; 21(supl.1): 278-285, maio 2012.
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-640935

RESUMO

A gestão participativa foi um dos eixos de estruturação das políticas de saúde que orientaram a ação do governo municipal em Guarulhos, SP, no período de 2005 a 2008. Esse eixo estruturou-se em várias iniciativas, aqui destacada a que criou o Programa de Recursos Descentralizados na Saúde - PROREDE, criado pela Lei Municipal Lei 6.195 de 11 de dezembro de 2006. Com início em 2008, seu principal objetivo foi descentralizar a gestão de recursos financeiros para todas as unidades da rede municipal, a fim de serem utilizados na manutenção, conservação do imóvel e seus equipamentos, assim como para realização de atividades de promoção de saúde. A transferência de recursos financeiros próprios às unidades de saúde deu-se por meio de conta bancária específica em nome das associações de natureza civil e não lucrativa, criadas em cada equipamento da rede e compostas por usuários e trabalhadores dessas unidades. Um Plano de Ação e outro de Aplicação e controle dos recursos compunham o conjunto de documentos anexos aos convênios assinados pelas associações e pelo governo municipal. Além disso, o PROREDE objetivou descentralizar a gestão e incentivar a plena participação dos Conselhos Gestores, articulados com as associações recém-criadas, no processo de tomada de decisões, na implantação das ações planejadas, no controle e prestação de contas, e no processo de avaliação das melhorias das condições do atendimento e qualidade dos serviços prestados. Em julho de 2008, de um total de 103 Unidades Básicas de Saúde (UBS) no município, 21 tinham assinado o convênio e iniciado a gestão de recursos financeiros através do PROREDE.


Assuntos
Recursos Financeiros em Saúde , Gestão em Saúde , Participação da Comunidade
7.
Saúde Soc ; 21(supl.1): 278-285, maio 2012.
Artigo em Português | LILACS-Express | CidSaúde - Cidades saudáveis | ID: cid-65302

RESUMO

A gestão participativa foi um dos eixos de estruturação das políticas de saúde que orientaram a ação do governo municipal em Guarulhos, SP, no período de 2005 a 2008. Esse eixo estruturou-se em várias iniciativas, aqui destacada a que criou o Programa de Recursos Descentralizados na Saúde - PROREDE, criado pela Lei Municipal Lei 6.195 de 11 de dezembro de 2006. Com início em 2008, seu principal objetivo foi descentralizar a gestão de recursos financeiros para todas as unidades da rede municipal, a fim de serem utilizados na manutenção, conservação do imóvel e seus equipamentos, assim como para realização de atividades de promoção de saúde. A transferência de recursos financeiros próprios às unidades de saúde deu-se por meio de conta bancária específica em nome das associações de natureza civil e não lucrativa, criadas em cada equipamento da rede e compostas por usuários e trabalhadores dessas unidades. Um Plano de Ação e outro de Aplicação e controle dos recursos compunham o conjunto de documentos anexos aos convênios assinados pelas associações e pelo governo municipal. Além disso, o PROREDE objetivou descentralizar a gestão e incentivar a plena participação dos Conselhos Gestores, articulados com as associações recém-criadas, no processo de tomada de decisões, na implantação das ações planejadas, no controle e prestação de contas, e no processo de avaliação das melhorias das condições do atendimento e qualidade dos serviços prestados. Em julho de 2008, de um total de 103 Unidades Básicas de Saúde (UBS) no município, 21 tinham assinado o convênio e iniciado a gestão de recursos financeiros através do PROREDE.(AU)


Assuntos
Participação da Comunidade , Gestão em Saúde , Recursos Financeiros em Saúde
8.
Divulg. saúde debate ; (42): 80-89, abr. 2008. mapas
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-490915

RESUMO

Relata-se, aqui, o recente processo de construção e implantação das Regiões Intramunicipais de Saúde no município de Guarulhos, São Paulo, na ótica do Pacto de Gestão. Apresenta-se o método dessa construção, os eixos, diretrizes, princípios e resultados desse processo que o nortearam, além de referências que lhe serviram de base teórica para o desenvolvimento do trabalho em campo. Salienta-se a importância do processo participativo e o envolvimento das gerências de serviços, assim como uma construção ascendente a partir da leitura da demanda local por serviços de saúde, compondo com a oferta existente a informação essencial para definição de sistemas locais de saúde e sua organização intramunicipal na metrópole, sob a égide da descentralização.


The current article describes the recent process of construction andimplementation of the Intramunicipal Health Regions in the city of Guarulhos,São Paulo, Brazil, under the perspective of the Management Pact. The articlealso presents the method of this construction, the axis, guidelines, principles andresults of this process, as well as references that have served as theoretical base forthe development of the field work. The importance of the participation processand the involvement of service managers should be emphasized, as well as theascending construction through the interpretation of local demand of healthservices, which compose with the existent offer, the essential information forthe definition of local health systems and intramunicipal organization in themetropolis, under the aegis of decentralization.


Assuntos
Humanos , Política , Política de Saúde , Sistemas Locais de Saúde , Administração Municipal , Política Pública , Regionalização da Saúde
10.
Saúde Soc ; 12(2): 56-67, jul.-dez. 2003. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-402322

RESUMO

O Movimento Popular de Saúde do Município de São Paulo vem elegendo Conselhos Populares de Saúde desde 1979. A questão da formação política e capacitação técnica de lideranças sempre foi uma preocupação do movimento de saúde. Durante a gestão municipal de 1993 a 2000 a interlocução entre o governo local e a representação popular foi rompida e disto decorreu um período de refluxo dos movimentos sociais. Porém, no início de 1998, os movimentos organizados de saúde das regiões leste e sudeste conseguiram se articular para eleger conselheiros para os Conselhos Populares de Saúde. Foram eleitos 1.039 conselheiros.Após vários esforços isolados de capacitação de conselheiros optou-se por realizar um Programa de Capacitação Permanente de Conselheiros de Saúde como forma de envolver o conjunto de bairros e regiões.­ Por meio de um convênio entre o Ministério da Saúde e o Centro de Educação Permanente da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo foram realizados 52 cursos para 1.011 desses conselheiros eleitos. Neste trabalho, a partir de análise documental, os autores descrevem esse processo de capacitação, caracterizam o perfil sócio econômico dos conselheiros e analisam a avaliação dos participantes nos cursos de capacitação.


Assuntos
Agentes Comunitários de Saúde , Conselhos de Saúde , Tutoria
11.
Estud. av ; 17(48): 209-227, maio-ago. 2003. mapas, tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-364164

RESUMO

O artigo apresenta uma análise a partir da vivência dos autores do processo de implantação do Sistema Unico de Saúde - SUS - na cidade de São Paulo, Brasil. Aborda questões técnicas e políticas acerca da gestão e gerência pública do sistema municipal de saúde em uma cidade de grande proporção geográfica e populacional, desigual em sua organização territorial e em regime de transição para um modelo de assistência em saúde descentralizado. Narra e ilustra o processo de distritalização do sistema de saúde e apresenta a situação de saúde no município a partir de um índice sintético de saúde em distritos. Ao final, propõe uma agenda de desenvolvimento do SUS apontando questões essenciais a serem debatidas e equacionados com o fim de tornar o modelo de assistência e as políticas de saúde mais socialmente eficazes e politicamente perenes.


Assuntos
Estratégias de Saúde Nacionais , Previdência Social , Sistema Único de Saúde
15.
Saúde Soc ; 8(2): 109-23, ago.-dez. 1999.
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-272921

RESUMO

Os autores apresentam uma avaliaçäo do VI Congresso Paulista de Saúde Pública a partir de documentos de preparaçäo do evento e de avaliaçäo dos Congressistas. Comentam aspectos da organizaçäo e informa sobre a origem e categorias profissionais dos congressistas


Assuntos
Congresso/organização & administração , Saúde Pública , Saúde da População Urbana
16.
Saúde Soc ; 8(2): 109-23, ago.-dez. 1999.
Artigo em Português | CidSaúde - Cidades saudáveis | ID: cid-5202

RESUMO

Os autores apresentam uma avaliação do VI Congresso Paulista de Saúde Pública a partir de documentos de preparação do evento e de avaliação dos Congressistas. Comentam aspectos da organização e informa sobre a origem e categorias profissionais dos congressistas (AU)


Assuntos
Saúde Pública , Congresso , Saúde da População Urbana
17.
In. Associação Paulista de Saúde Pública. VI Congresso Paulista de Saúde Pública: Saúde na Cidade; livro de resumos. São Paulo, APSP, 1999. p.81.
Monografia em Português | CidSaúde - Cidades saudáveis | ID: cid-4851
18.
In. Associação Paulista de Saúde Pública. VI Congresso Paulista de Saúde Pública: Saúde na Cidade; livro de resumos. São Paulo, APSP, 1999. p.81.
Monografia em Português | CidSaúde - Cidades saudáveis | ID: cid-4852

Assuntos
Cidade Saudável
19.
São Paulo; s.n; 1999. 105 p. tab.
Tese em Português | CidSaúde - Cidades saudáveis | ID: cid-16036

RESUMO

Procura conhecer e caracterizar em qualitativos e quantitativos os indicadores de saúde que estão sendo utilizados em cidades paulistas. Investiga sobre indicadores de saúde em municípios paulistas entre 100 mil e 300 mil habitantes. Comenta sobre as fontes de origem desses indicadores e a amplitude de dispersão de informação resultante do uso desses indicadores no planejamento das ações de saúde nos municípios pesquisados. Aborda conceitos relativos à saúde, à qualidade de vida nas cidades, à mensuração dessa qualidade, às relações entre espaço urbano e saúde e sua importância sobre o planejamento das ações de saúde coletiva nas cidades. Faz um retrospecto histórico e conceitual acerca do movimento por Cidades Saudáveis. (AU)


Assuntos
Políticas, Planejamento e Administração em Saúde , Sistemas Locais de Saúde , Indicadores Básicos de Saúde , 16136 , Qualidade de Vida , Cidades , Saúde da População Urbana , Saúde Pública , Cidade Saudável , Brasil
20.
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA
...