Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 5 de 5
Filtrar
Mais filtros










Intervalo de ano de publicação
1.
Ciênc. rural ; 42(7): 1307-1313, jul. 2012. ilus, tab
Artigo em Inglês | LILACS-Express | LILACS | ID: lil-643665

RESUMO

The main problems observed in cooked hams are bad sliceability and excessive fluid loss after cooking. To reduce these problems the industry uses non-meat ingredients such as soy protein and carrageenan, but under Brazilian law, it is not allowed to add starch or modified starch in hams. Three ingredients were tested in the present research: modified starch (0 to 2.0%), gum guar (0 to 0.30%) and hydrolyzed collagen (0 to 2.0%), following a 2³ full factorial design with five repetitions in the central point. The guar gum produced low resistance to reheating, however in losses by cooling, the results were adequate. The hydrolyzed collagen tested did not give satisfactory results, showing low acceptance due to formation of gel in the ham and high losses. The developed products were not different from the commercial product in relation to texture (P>0.05). The formulation F6 (2.0% of modified starch) was the one with the best results and greater acceptance as detected by the tasters. Based on the results obtained it seems appropriate to propose the legal permission of starch in ham or the creation of a new class of product in which starch addition would be allowed.


Os principais problemas observados em presuntos são a má fatiabilidade e a perda excessiva de líquidos após o cozimento. Para reduzir esses problemas, a indústria utiliza ingredientes não cárneos, tais como a proteína de soja e a carragena, porém, segundo a legislação brasileira, não é permitida a adição de amido ou amido modificado. Neste trabalho, foram testados três ingredientes, em presunto cozido de peru: amido modificado (0 a 2,0%), goma guar (0 a 0,30%) e colágeno hidrolisado (0 a 2,0%), seguindo um delineamento fatorial completo 2³ com cinco repetições no ponto central. A goma guar apresentou baixa resistência ao reaquecimento, no entanto, nas perdas por resfriamento, os resultados foram adequados. O colágeno hidrolisado testado não proporcionou resultados satisfatórios, sendo que os produtos apresentaram baixa aceitação devido à formação de gel e a maiores perdas. Os produtos desenvolvidos não foram diferentes do produto comercial em relação à textura (P>0,05). A formulação F6 (2,0% amido modificado) foi a que obteve os melhores resultados e a maior aceitação por parte dos julgadores. Com base nos resultados obtidos, parece-nos adequado propor a permissão legal de amido em presunto ou a criação de uma nova classe de produto para a qual se permita a utilização deste ingrediente.

2.
Ciênc. agrotec., (Impr.) ; 35(5): 987-994, set.-out. 2011. graf, tab
Artigo em Inglês | LILACS-Express | LILACS | ID: lil-608490

RESUMO

Pectin methylesterase (PME) hydrolyzes methyl ester groups in pectin chains to form carboxylic groups, releasing methanol and H3O+. The aim of this study was to determine PME activity in samples of pectinases by UV-VIS spectroscopy, to measure the acid and methanol produced in the reaction of pectin with pectinase and to verify the thermal inactivation of exogenous PME in mango juice. The activity of PME in samples of pectinase was determined by potentiometry, UV-VIS spectroscopy, and by the action of alcohol oxidase. The reaction showed greater activity at pH 4.0 to 4.5 and at a temperature of 45° C. PME activity determined by UV-VIS spectroscopy with bromophenol blue indicator showed a good correlation with the activity determined by potentiometry and with alcohol oxidase. The results showed that bromophenol blue indicators can be used to determine PME activity in samples of pectinases where the optimum pH is located in the acidic range. The thermal inactivation of exogenous PME in mango juice occurred at 75° C for 20 min of exposure.


A PME hidrolisa os grupos metil éster na cadeia da pectina, formando grupos carboxílicos, liberando metanol e H3O+. Objetivou-se, com o presente estudo, determinar a atividade da PME em amostras de pectinases por espectroscopia Uv-vis para quantificar o ácido e o metanol produzido na reação da pectina com as pectinases e verificar a inativação térmica da PME exógena no suco de manga. A atividade da PME nas três amostras de pectinases foi determinada por potenciometria, espectroscopia Uv-Vis, e pela ação da álcool oxidase. A reação mostrou uma maior atividade em H de 4,0 a 4,5 e a temperatura de 45º C. A atividade da PME, determinada por UV-Vis com o indicador azul de bromofenol apresentou uma boa correlação com a atividade determinada por potenciometria e com a álcool oxidase. Os resultados mostraram que o indicador azul de bromofenol pode ser utilizado para determinar a atividade da PME em amostras de pectinases em que o pH ótimo situa-se na faixa ácida. A inativação térmica da PME no suco de manga ocorreu na temperatura de 75º C, por 20 min de exposição.

4.
Braz. arch. biol. technol ; 52(1): 177-185, Jan.-Feb. 2009. graf, tab
Artigo em Inglês | LILACS-Express | LILACS | ID: lil-511698

RESUMO

In Brazil, one of the top apple producing countries in the world, apple processing is an increasing activity, with pomace as the main by-product. To extract pectin from pomace, factors affecting process and product should be studied for optimization. A model to produce LMP directly from dried apple pomace was established observing the effects of HNO3 concentration and the time of reaction at 97ºC, analyzed from a statistical and practical point of view. The model for gravimetric yield (R² =0.9834) predicts the highest value of 20.07 g/100 g (126 mM; 14.07 min) of a pectin with a degree of esterification of 48.49 percent. The model for degree of esterification of extracted pectin (R²= 0.9797) predicts the lowest value of 43.73 percent (200 mM; 10.07 min) with a yield of 16.77g/100 g. The results using the central coordinates (100 mM; 10 min) for gravimetric yield were 19.01 g/100 g and for the degree of esterification, 50.79 percent.


No Brasil, um dos países com alta produção de maçã, o seu processamento é uma atividade em crescimento tendo o bagaço como principal sub-produto. Para extrair pectina do bagaço os fatores que afetam o processo e o produto devem ser otimizados. Um modelo para extrair LMP foi estabelecido observando os efeitos de concentrações de HNO3 e do tempo de reação a 97ºC, analisados estatística e praticamente. O modelo para o rendimento (R² =0,9834) prediz o mais elevado valor de 20,07 g/100 g (126 mM; 14,07 min) de pectina com grau de esterificação de 48,49 por cento. O modelo para o grau de esterificação de pectina extraída (R²= 0,9797) prediz o mais baixo valor de 43,73 por cento (200 mM; 10,07 min) com um rendimento de 16,77g/100 g. Os resultados usando as coordenadas do ponto central (100 mM; 10 min) para o rendimento foram 19,01 g/100 g e para o grau de esterificação, 50,79 por cento.

5.
Semina ciênc. agrar ; 27(4): 599-612, out.-dez. 2006.
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-464863

RESUMO

No processamento do suco concentrado de maçã, o bagaço residual da primeira extração é reidratado e prensado novamente a fim de aumentar o rendimento, tornando-se então a matéria-prima para a obtenção industrial de pectina. Neste trabalho os objetivos compreenderam estabelecer os protocolos de beneficiamento do bagaço e de uso de ácidos minerais e orgânicos no rendimento gravimétrico, usando o grau de esterificação, medido por técnicas espectrofotométricas e titulométricas como referencial de qualidade. A farinha de bagaço de maçã, com umidade de 12 apresentava 33,4 de açúcares redutores, e 40 de fibra alimentar e 10-15 de pectina, em base seca, com coloração própria. Os parâmetros do processo de extração das substâncias pécticas, 97ºC/10 minutos e proporção soluto: solvente 1:40 permitiram estabelecer a eficiência de cada ácido na concentração de 1 a 750mMol/L na solubilização da protopectina. Foram diferenciados dois tipos de comportamentos dos agentes ácidos: [1] liberação de pectina em baixas concentrações e destruição em elevados teores e [2] rendimento gravimétrico crescente, atingindo valores superiores aos possíveis, indicando uma agregação de grupamentos orgânicos na estrutura. O HNO, foi considerado o mais indicado para a extração de pectina, em concentração máxima de 100 mMol/L.


Assuntos
Resíduos Industriais , Ácidos Inorgânicos , Malus , Ácidos Orgânicos
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA
...