Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 20 de 25
Filtrar
1.
Rev. Assoc. Med. Bras. (1992) ; 68(6): 853-859, June 2022. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-1387148

RESUMO

SUMMARY OBJECTIVES: This study aimed to compare heart rate variability indices in early and late postmenopausal women and assess their correlation and prognostic value to predict late postmenopausal. METHODS: An observational and retrospective study was performed with the medical records of patients from Hospital das Clínicas, Faculdade de Medicina da Universidade de Sao Paulo between 2018 and 2019. We selected medical records of women with menopause, over 40 years old, which were divided into two groups, according to postmenopausal time, i.e., early and late postmenopausal. RESULTS: We analyzed data from 123 women (55 in the early and 68 in the late postmenopausal group). RRtri (triangular index) was lower in the late postmenopausal group (8.68 vs. 7.15, p=0.040). There was a significant weak negative correlation in SDNN, RRtri, and SD2 and postmenopausal time. RRtri presented the potential to predict late postmenopausal. CONCLUSION: The increase in postmenopausal time decreases global heart rate variability indices. The geometric index RRtri was significantly lower in late postmenopausal women and presented the potential to predict late postmenopausal.

2.
Rev Assoc Med Bras (1992) ; 68(6): 853-859, 2022.
Artigo em Inglês | MEDLINE | ID: mdl-35584439

RESUMO

OBJECTIVES: This study aimed to compare heart rate variability indices in early and late postmenopausal women and assess their correlation and prognostic value to predict late postmenopausal. METHODS: An observational and retrospective study was performed with the medical records of patients from Hospital das Clínicas, Faculdade de Medicina da Universidade de Sao Paulo between 2018 and 2019. We selected medical records of women with menopause, over 40 years old, which were divided into two groups, according to postmenopausal time, i.e., early and late postmenopausal. RESULTS: We analyzed data from 123 women (55 in the early and 68 in the late postmenopausal group). RRtri (triangular index) was lower in the late postmenopausal group (8.68 vs. 7.15, p=0.040). There was a significant weak negative correlation in SDNN, RRtri, and SD2 and postmenopausal time. RRtri presented the potential to predict late postmenopausal. CONCLUSION: The increase in postmenopausal time decreases global heart rate variability indices. The geometric index RRtri was significantly lower in late postmenopausal women and presented the potential to predict late postmenopausal.


Assuntos
Registros Médicos , Pós-Menopausa , Adulto , Brasil/epidemiologia , Feminino , Frequência Cardíaca/fisiologia , Humanos , Estudos Retrospectivos
3.
Rev Assoc Med Bras (1992) ; 67(8): 1143-1149, 2021 Aug.
Artigo em Inglês | MEDLINE | ID: mdl-34669860

RESUMO

OBJECTIVE: The aim of this study was to assess cardiac autonomic modulation in postmenopausal women with and without dry eye syndrome (DES) and to identify associations between clinical and socioeconomic factors. METHODS: A cross-sectional study was carried out at the Institute of Ocular Surgery of the Northeast (ICONE), Brazil. Convenience sample of postmenopausal women, over 40 years old, who were divided into two groups: with and without DES. Clinical, sociodemographic, and ophthalmological characteristics of these women were assessed. Capture of RR intervals was performed using a cardio frequency meter. Differences between the groups were analyzed using the Chi-square test, the Student's t test, and the Mann-Whitney test. RESULTS: Women with DES were present in 60.4% (n=58), highest median age (63.5 years, 95%CI 62.0-67.9; p<0.001), median length of time menopause (19 years old, 95%CI 10.4-24.0; p<0.001). There was a difference in the standard deviation of all normal-to-normal index between the groups. However, when the differences were adjusted to the clinical model, no association was found between DES and heart rate variability (HRV). CONCLUSIONS: The analysis of cardiac autonomic modulation in postmenopausal women is similar in the presence or absence of DES. Clinical factors, time of menopause, and intensity of symptoms were not associated with HRV indices.


Assuntos
Síndromes do Olho Seco , Pós-Menopausa , Adulto , Sistema Nervoso Autônomo , Estudos Transversais , Feminino , Frequência Cardíaca , Humanos , Pessoa de Meia-Idade , Adulto Jovem
4.
Int. j. cardiovasc. sci. (Impr.) ; 34(4): 486-489, July-Aug. 2021. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS | ID: biblio-1286836

RESUMO

Abstract Swyer syndrome is one of the disorders of sexual differentiation. Previous studies have demonstrated increased sympathetic activity with heart rate variability (HRV) analysis with decreasing estradiol levels. One patient presented a pure 46, XY gonadal dysgenesis with female phenotype. Cardiac autonomic modulation was assessed through HRV analysis while at rest. This research analyzed linear and nonlinear indexes. HRV analysis showed reduced parasympathetic and global modulation with an apparent increase in sympathetic tone and a loss of HR fractal dynamics toward correlated behavior, characterized by low entropy and high determinism of time series.


Assuntos
Humanos , Feminino , Pessoa de Meia-Idade , Doenças Cardiovasculares/complicações , Disgenesia Gonadal 46 XY/complicações , Progestinas/uso terapêutico , Modelos Lineares , Dinâmica não Linear , Terapia de Reposição Hormonal , Estrogênios/uso terapêutico
5.
Rev. Assoc. Med. Bras. (1992) ; 67(8): 1143-1149, Aug. 2021. tab
Artigo em Inglês | LILACS | ID: biblio-1346986

RESUMO

SUMMARY OBJECTIVE The aim of this study was to assess cardiac autonomic modulation in postmenopausal women with and without dry eye syndrome (DES) and to identify associations between clinical and socioeconomic factors. METHODS A cross-sectional study was carried out at the Institute of Ocular Surgery of the Northeast (ICONE), Brazil. Convenience sample of postmenopausal women, over 40 years old, who were divided into two groups: with and without DES. Clinical, sociodemographic, and ophthalmological characteristics of these women were assessed. Capture of RR intervals was performed using a cardio frequency meter. Differences between the groups were analyzed using the Chi-square test, the Student's t test, and the Mann-Whitney test. RESULTS Women with DES were present in 60.4% (n=58), highest median age (63.5 years, 95%CI 62.0-67.9; p<0.001), median length of time menopause (19 years old, 95%CI 10.4-24.0; p<0.001). There was a difference in the standard deviation of all normal-to-normal index between the groups. However, when the differences were adjusted to the clinical model, no association was found between DES and heart rate variability (HRV). CONCLUSIONS The analysis of cardiac autonomic modulation in postmenopausal women is similar in the presence or absence of DES. Clinical factors, time of menopause, and intensity of symptoms were not associated with HRV indices.


Assuntos
Humanos , Feminino , Adulto , Adulto Jovem , Síndromes do Olho Seco , Pós-Menopausa , Sistema Nervoso Autônomo , Estudos Transversais , Frequência Cardíaca , Pessoa de Meia-Idade
6.
Rev Bras Ter Intensiva ; 33(1): 88-95, 2021.
Artigo em Português, Inglês | MEDLINE | ID: mdl-33886857

RESUMO

OBJECTIVE: To determine the prevalence of and risk factors for insufficient knowledge related to p-values among critical care physicians and respiratory therapists in Argentina. METHODS: This cross-sectional online survey contained 25 questions about respondents' characteristics, self-perception and p-value knowledge (theory and practice). Descriptive and multivariable logistic regression analyses were conducted. RESULTS: Three hundred seventy-six respondents were analyzed. Two hundred thirty-seven respondents (63.1%) did not know about p-values. According to the multivariable logistic regression analysis, a lack of training on scientific research methodology (adjusted OR 2.50; 95%CI 1.37 - 4.53; p = 0.003) and the amount of reading (< 6 scientific articles per year; adjusted OR 3.27; 95%CI 1.67 - 6.40; p = 0.001) were found to be independently associated with the respondents' lack of p-value knowledge. CONCLUSION: The prevalence of insufficient knowledge regarding p-values among critical care physicians and respiratory therapists in Argentina was 63%. A lack of training on scientific research methodology and the amount of reading (< 6 scientific articles per year) were found to be independently associated with the respondents' lack of p-value knowledge.


OBJETIVO: Determinar a prevalência e os fatores de risco para conhecimento insuficiente sobre valores de p entre médicos e terapeutas respiratórios atuantes em terapia intensiva na Argentina. MÉTODOS: Levantamento transversal on-line com 25 questões relativas às características dos participantes, autopercepção e conhecimento sobre valores de p (teoria e prática). Realizaram-se análises de estatística descritiva e regressão logística multivariada. RESULTADOS: Analisaram-se 376 participantes. Não tinham conhecimento a respeito dos valores de p 237 participantes (63,1%). Segundo análise de regressão logística multivariada, falta de treinamento em metodologia científica (RC ajustadas 2,50; IC95% 1,37 - 4,53; p = 0,003) e a quantidade de leitura (< 6 artigos científicos por ano; RC ajustadas 3,27; IC95% 1,67 - 6,40; p = 0,001) foram identificados como independentemente associados com a falta de conhecimento sobre valores de p por parte dos participantes. CONCLUSÃO: A prevalência de conhecimento insuficiente com relação a valores de p entre médicos e terapeutas respiratórios na Argentina foi de 63%. Falta de treinamento em metodologia científica e quantidade de leitura (< 6 artigos científicos por ano) foram identificados como independentemente associados com a falta de conhecimento sobre valores de p por parte dos participantes.


Assuntos
Cuidados Críticos , Conhecimentos, Atitudes e Prática em Saúde , Estudos Transversais , Humanos , Fatores de Risco , Inquéritos e Questionários
7.
Rev. bras. ter. intensiva ; 33(1): 88-95, jan.-mar. 2021. tab, graf
Artigo em Inglês, Português | LILACS | ID: biblio-1289053

RESUMO

RESUMO Objetivo: Determinar a prevalência e os fatores de risco para conhecimento insuficiente sobre valores de p entre médicos e terapeutas respiratórios atuantes em terapia intensiva na Argentina. Métodos: Levantamento transversal on-line com 25 questões relativas às características dos participantes, autopercepção e conhecimento sobre valores de p (teoria e prática). Realizaram-se análises de estatística descritiva e regressão logística multivariada. Resultados: Analisaram-se 376 participantes. Não tinham conhecimento a respeito dos valores de p 237 participantes (63,1%). Segundo análise de regressão logística multivariada, falta de treinamento em metodologia científica (RC ajustadas 2,50; IC95% 1,37 - 4,53; p = 0,003) e a quantidade de leitura (< 6 artigos científicos por ano; RC ajustadas 3,27; IC95% 1,67 - 6,40; p = 0,001) foram identificados como independentemente associados com a falta de conhecimento sobre valores de p por parte dos participantes. Conclusão: A prevalência de conhecimento insuficiente com relação a valores de p entre médicos e terapeutas respiratórios na Argentina foi de 63%. Falta de treinamento em metodologia científica e quantidade de leitura (< 6 artigos científicos por ano) foram identificados como independentemente associados com a falta de conhecimento sobre valores de p por parte dos participantes.


ABSTRACT Objective: To determine the prevalence of and risk factors for insufficient knowledge related to p-values among critical care physicians and respiratory therapists in Argentina. Methods: This cross-sectional online survey contained 25 questions about respondents' characteristics, self-perception and p-value knowledge (theory and practice). Descriptive and multivariable logistic regression analyses were conducted. Results: Three hundred seventy-six respondents were analyzed. Two hundred thirty-seven respondents (63.1%) did not know about p-values. According to the multivariable logistic regression analysis, a lack of training on scientific research methodology (adjusted OR 2.50; 95%CI 1.37 - 4.53; p = 0.003) and the amount of reading (< 6 scientific articles per year; adjusted OR 3.27; 95%CI 1.67 - 6.40; p = 0.001) were found to be independently associated with the respondents' lack of p-value knowledge. Conclusion: The prevalence of insufficient knowledge regarding p-values among critical care physicians and respiratory therapists in Argentina was 63%. A lack of training on scientific research methodology and the amount of reading (< 6 scientific articles per year) were found to be independently associated with the respondents' lack of p-value knowledge.


Assuntos
Humanos , Conhecimentos, Atitudes e Prática em Saúde , Cuidados Críticos , Estudos Transversais , Inquéritos e Questionários , Fatores de Risco
8.
Auton Neurosci ; 213: 23-33, 2018 Sep.
Artigo em Inglês | MEDLINE | ID: mdl-30005737

RESUMO

INTRODUCTION: Down syndrome (DS) results in many changes, including dysfunction in cardiac autonomic modulation. Heart rate variability (HRV) analysis evaluates the autonomic function and it is a predictor of adverse cardiovascular events. OBJECTIVE: To present results of a systematic review and a meta-analysis about heart rate variability in individuals with DS. METHOD: A systematic review was performed on PubMed, PubMed Central and Web of science databases. We included articles that exhibited all the terms: "Down Syndrome", "heart rate variability", "autonomic nervous system", "autonomic dysfunction" and "cardiac autonomic modulation". We conducted the meta-analysis to compare "DS" to "controls" during rest. Random effects models were used, as were appropriate tests for heterogeneity. RESULTS: From 271 studies, 13 were included in our review. These are conducted with volunteers from a wide age range, of either gender, and not taking medications. Meta-analysis displayed that there were no significant differences between the groups at rest, except the RMSSD, which revealed a significant (Z = -2.80, p = 0.005) main effect (Hedge's g = -0.55, 95% CI [-0.93; -0.16]), indicating difference in individuals with DS compared with controls. CONCLUSION: There is autonomic dysfunction in individuals with DS, which may or may not be expressed at rest, but it is usually demonstrated in an autonomic task. Meta-analysis specified that there was no significant alteration between DS and the controls during rest, except RMSSD index which was lower in DS than controls. PROSPERO: CRD42017068647.


Assuntos
Doenças do Sistema Nervoso Autônomo/fisiopatologia , Síndrome de Down/fisiopatologia , Frequência Cardíaca , Humanos
9.
J Bras Pneumol ; 44(1): 24-30, 2018.
Artigo em Inglês, Português | MEDLINE | ID: mdl-29538539

RESUMO

OBJECTIVE: To evaluate autonomic modulation in individuals with COPD, compared with healthy controls, via recurrence plots (RPs) and linear heart rate variability (HRV) indices. METHODS: We analyzed data on 74 volunteers, who were divided into two groups: COPD (n = 43) and control (n = 31). For calculation of HRV indices, heart rate was measured beat-by-beat during 30 min of supine rest using a heart-rate meter. We analyzed linear indices in the time and frequency domains, as well as indices derived from the RPs. RESULTS: In comparison with the control group, the COPD group showed significant increases in the indices derived from the RPs, as well as significant reductions in the linear indices in the time and frequency domains. No significant differences were observed in the linear indices in the frequency domains expressed in normalized units or in the low frequency/high frequency ratio. CONCLUSIONS: Individuals with COPD show a reduction in both sympathetic and parasympathetic activity, associated with decreased complexity of autonomic nervous system function, as identified by RPs, which provide important complementary information in the detection of autonomic changes in this population.


Assuntos
Sistema Nervoso Autônomo/fisiopatologia , Frequência Cardíaca/fisiologia , Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica/fisiopatologia , Idoso , Idoso de 80 Anos ou mais , Estudos de Casos e Controles , Feminino , Volume Expiratório Forçado/fisiologia , Humanos , Masculino , Pessoa de Meia-Idade , Estudos Prospectivos , Valores de Referência , Espirometria , Estatísticas não Paramétricas , Fatores de Tempo , Capacidade Vital/fisiologia
10.
J. bras. pneumol ; 44(1): 24-30, Jan.-Feb. 2018. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS | ID: biblio-893896

RESUMO

ABSTRACT Objective: To evaluate autonomic modulation in individuals with COPD, compared with healthy controls, via recurrence plots (RPs) and linear heart rate variability (HRV) indices. Methods: We analyzed data on 74 volunteers, who were divided into two groups: COPD (n = 43) and control (n = 31). For calculation of HRV indices, heart rate was measured beat-by-beat during 30 min of supine rest using a heart-rate meter. We analyzed linear indices in the time and frequency domains, as well as indices derived from the RPs. Results: In comparison with the control group, the COPD group showed significant increases in the indices derived from the RPs, as well as significant reductions in the linear indices in the time and frequency domains. No significant differences were observed in the linear indices in the frequency domains expressed in normalized units or in the low frequency/high frequency ratio. Conclusions: Individuals with COPD show a reduction in both sympathetic and parasympathetic activity, associated with decreased complexity of autonomic nervous system function, as identified by RPs, which provide important complementary information in the detection of autonomic changes in this population.


RESUMO Objetivo: Avaliar a modulação autonômica de indivíduos com DPOC, comparados com um grupo controle saudável, por meio do plot de recorrência (PR) associado a métodos lineares da variabilidade da frequência cardíaca (VFC). Métodos: Foram avaliados dados de 74 voluntários, os quais foram divididos em grupos DPOC (n = 43) e controle (n = 31). Para a análise dos índices de VFC, a frequência cardíaca dos voluntários foi registrada, batimento a batimento, por meio de um cardiofrequencímetro com os voluntários em repouso na posição supina por 30 min. Foram avaliados índices lineares nos domínios de tempo e de frequência, assim como índices obtidos por meio do PR. Resultados: No grupo DPOC, em comparação com o grupo controle, houve aumentos significativos em índices obtidos do PR, assim como houve reduções significativas nos índices lineares nos domínios de tempo e de frequência. Não foram observadas diferenças significativas nos índices lineares nos domínios de frequência em unidades normalizadas e na relação entre os componentes de alta e baixa frequência. Conclusões: Indivíduos com DPOC apresentam uma diminuição tanto da atividade simpática quanto da parassimpática, associada a uma redução da complexidade do sistema nervoso autônomo, identificada pelo PR, que fornece informações complementares importantes na detecção de alterações autonômicas nessa população.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Pessoa de Meia-Idade , Idoso , Idoso de 80 Anos ou mais , Sistema Nervoso Autônomo/fisiopatologia , Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica/fisiopatologia , Frequência Cardíaca/fisiologia , Valores de Referência , Espirometria , Fatores de Tempo , Estudos de Casos e Controles , Capacidade Vital/fisiologia , Volume Expiratório Forçado/fisiologia , Estudos Prospectivos , Estatísticas não Paramétricas
11.
Psychoneuroendocrinology ; 68: 57-68, 2016 06.
Artigo em Inglês | MEDLINE | ID: mdl-26943345

RESUMO

PURPOSE: In the current study, we aimed to review literature findings showing the clinical importance of cardiac autonomic modulation assessed by heart rate variability analysis in breast cancer (BC) patients and survivors. METHODS: We conducted a systematic review according to The PRISMA Statement in Medline, Scopus and Web of Science (_-2015) databases. The search was limited to articles in English language, published in peer-reviewed journals, and with adult age samples only (e.g., women, patients, or survivors, diagnosed with BC in any stage). We included observational studies and randomized trials. Detailed heart rate variability analysis (instruments, data collection protocol, and analysis methods) was required. Search terms included autonomic nervous system, heart rate variability, sympathetic and parasympathetic nervous system, autonomic dysfunction, vagal nervous and breast neoplasms, breast cancer and breast tumor. RESULTS: Twelve studies were included in this review. The clinical importance of cardiac autonomic modulation assessed by heart rate variability analysis in BC patients and survivors is demonstrated by association with effects of BC surgery, and treatments, and the adverse effects of surgery and treatments on survivors (e.g., cardiotoxicity, fatigue, and stress). LIMITATIONS: The strength of evidence of included studies is low: small samples size and heterogeneity, presence of confounders, and observational studies design. CONCLUSIONS: The heart rate variability analysis could be used as a complementary non-invasive tool for the early diagnosis and better prognosis of autonomic dysfunction, and survival in BC patients. There are many potential clinical applications of heart rate variability analysis in BC patients, and the employment of such approaches could lead to lower impairment of autonomic function in this individuals.


Assuntos
Neoplasias da Mama/fisiopatologia , Frequência Cardíaca/fisiologia , Adulto , Sistema Nervoso Autônomo/fisiopatologia , Feminino , Humanos , Sistema Nervoso Parassimpático/fisiopatologia , Sobreviventes
12.
Rev. bras. crescimento desenvolv. hum ; 26(2): 147-153, 2016. graf, tab
Artigo em Inglês | LILACS | ID: lil-797805

RESUMO

BACKGROUND: Attention deficit hyperactivity disorder (ADHD) is categorized by a lowered attention span, recklessness, and hyperactivity. Autonomic nervous system inequality has previously been studied using the same data by chaotic global techniques. We aim to compare the autonomic function of children with ADHD and controls by analyzing heart rate variability (HRV) METHODS: 28 children with ADHD (22 boys, mean age 10.0 years ± 1.9 years) and 28 controls (15 boys, mean age 9.9 years ± 1.8 years) rested in supine position with spontaneous breathing for 20 minutes. Heart rate was recorded beat by beat. HRV analysis was performed by Higuchi Fractal Dimension technique. RESULTS: ADHD promoted an increase in the Higuchi Fractal Dimension. The optimum value of Kmax was 10. CONCLUSION: ADHD significantly altered cardiac autonomic modulation as measured by the Higuchi fractal dimension of HRV. It can therefore be stated that ADHD has increased the complexity of the HRV signal through cardiac autonomic modulation.


INTRODUÇÃO: O transtorno de deficit de atenção e hiperatividade (TDAH) é caracterizado por um período reduzido de atenção, impulsividade e hiperatividade. O desequilíbrio na função do sistema nervoso autônomo (SNA) tem sido previamente estudado utilizando-se técnicas globais da teoria do caos. OBJETIVO: comparar a função autonômica de crianças com TDAH e controles por meio da análise da variabilidade da frequência cardíaca (VFC) MÉTODO: 28 crianças com TDAH (22 meninos, com média de idade de 10,0 anos ± 1,9 anos) e 28 controles (15 meninos, com média de idade de 9,9 anos ± 1,8 anos) permaneceram em decúbito dorsal, com respiração espontânea por 20 minutos. A frequência cardíaca foi registrada batimento a batimento e a análise da VFC foi realizada pela técnica de Dimensão Fractal Higuchi. RESULTADOS: TDAH promoveu um aumento na Dimensão Fractal Higuchi. O valor ideal de Kmax foi 10. CONCLUSÃO: O TDAH alterou significantemente a modulação autonômica cardíaca, como demonstrado pela Dimensão Fractal Higuchi da VFC. Assim, pode-se afirmar que crianças com TDAH apresentaram aumento das respostas caóticas neste tipo de análise da modulação autonômica cardíaca.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Criança , Adolescente , Transtorno do Deficit de Atenção com Hiperatividade , Sistema Nervoso Autônomo , Cognição , Frequência Cardíaca , Arritmias Cardíacas , Psiquiatria Infantil , Terapêutica
13.
Artigo em Português | Index Psicologia - Periódicos | ID: psi-65258

RESUMO

A literatura já demonstrou que a estimulação auditiva por meio de música influencia o sistema cardiovascular. Neste estudo, foi realizada uma revisão da literatura, a fim de investigar a relação entre os mecanismos auditivos e a regulação autonômica cardíaca. Os estudos selecionados indicaram forte correlação entre a intensidade do ruído e o equilíbrio simpatovagal. Além disso, foi relatado que a terapia com música melhorou a variabilidade da frequência cardíaca em pacientes com câncer de mama tratados com antraciclinas. Postula-se que a dopamina liberada no sistema estriatal, induzida por canções alegres, está envolvida na regulação autonômica. Estudos posteriores sãonecessários para adicionar novos elementos na literatura, para melhorar a novas terapias e para o tratar doenças cardiovasculares.(AU)


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Estimulação Acústica , Musicoterapia , Sistema Nervoso Autônomo , Sistema Cardiovascular , Doenças do Sistema Nervoso Autônomo
14.
Artigo em Inglês | Index Psicologia - Periódicos | ID: psi-56464

RESUMO

The literature has already demonstrated that auditory stimulation with music influences the cardiovascular system. In this study, we performed a literature review in order to investigate the relationship between auditory mechanisms and cardiac autonomic regulation. The selected studies indicated that there is a strong correlation between noise intensity and vagal-sympathetic balance. Also, it was reported that music therapy improved heart rate variability in anthracycline-treated breast cancer patients. It was hypothesized that dopamine release in the striatal system induced by pleasure songs are involved in the cardiac autonomic regulation. Further studies are necessary to add new elements in the literature to improve new therapies to treat cardiovascular disorders.(AU)


A literatura já demonstrou que a estimulação auditiva por meio de música influencia o sistema cardiovascular. Neste estudo, foi realizada uma revisão da literatura, a fim de investigar a relação entre os mecanismos auditivos e a regulação autonômica cardíaca. Os estudos selecionados indicaram forte correlação entre a intensidade do ruído e o equilíbrio simpatovagal. Além disso, foi relatado que a terapia com música melhorou a variabilidade da frequência cardíaca em pacientes com câncer de mama tratados com antraciclinas. Postula-se que a dopamina liberada no sistema estriatal, induzida por canções alegres, está envolvida na regulação autonômica. Estudos posteriores são necessários para adicionar novos elementos na literatura, para melhorar a novas terapias e para o tratar doenças cardiovasculares.(AU)


Assuntos
Estimulação Acústica/psicologia , Musicoterapia , Doença das Coronárias/terapia , Frequência Cardíaca , Revisão
15.
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-674929

RESUMO

A literatura já demonstrou que a estimulação auditiva por meio de música influencia o sistema cardiovascular. Neste estudo, foi realizada uma revisão da literatura, a fim de investigar a relação entre os mecanismos auditivos e a regulação autonômica cardíaca. Os estudos selecionados indicaram forte correlação entre a intensidade do ruído e o equilíbrio simpatovagal. Além disso, foi relatado que a terapia com música melhorou a variabilidade da frequência cardíaca em pacientes com câncer de mama tratados com antraciclinas. Postula-se que a dopamina liberada no sistema estriatal, induzida por canções alegres, está envolvida na regulação autonômica. Estudos posteriores sãonecessários para adicionar novos elementos na literatura, para melhorar a novas terapias e para o tratar doenças cardiovasculares.


Assuntos
Masculino , Feminino , Humanos , Estimulação Acústica , Sistema Nervoso Autônomo , Sistema Cardiovascular , Doenças do Sistema Nervoso Autônomo/terapia , Musicoterapia
16.
Arq. bras. ciênc. saúde ; 37(1): 30-35, jan.-abr. 2012. ilus, tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-639373

RESUMO

INTRODUÇÃO: A dor lombar é uma queixa comum na população em geral e é sintoma frequentemente relatado durante a gestação. OBJETIVO: Verificar a correlação entre a dor lombar e as alterações posturais em gestantes. MÉTODO: A amostra constituiu-se de 54 voluntárias, com faixa etária variando entre 20 e 30 anos, sendo 27 gestantes. As gestantes foram divididas em três grupos de acordo com o período gestacional: sete no primeiro trimestre (GI), 11 no segundo trimestre (GII), nove no terceiro trimestre (GIII); para ser analisada a incidência de dor ou desconforto relacionada a alterações posturais apresentadas no período gestacional. O grupo controle (GC) foi constituído por 27 voluntárias não grávidas. A análise das fotos foi realizada com o software de Análise Postural (SAPO), e a análise estatística foi feita através dos testes ANOVA e Regressão Linear Simples com nível de significância de 5%. RESULTADOS: Em relação à idade gestacional, a prevalência de dor lombar foi maior nas gestantes com até 13 semanas. Referente à intensidade da dor na região lombar, o GII foi o grupo que apresentou a maior média, com dor moderada, seguido dos grupos GIII, GC e GI, com uma dor leve. Com relação às modificações da curvatura da coluna lombar, não foi possível estabelecer correlação estatisticamente significativa das alterações posturais apresentadas com a presença da dor lombar durante a gestação por meio da análise postural de todas as mulheres. CONCLUSÃO: Não houve correlação entre a sintomatologia de dor lombar e as alterações posturais no período gestacional.


INTRODUCTION: Low back pain is a common complaint in the population as a whole and is a symptom frequently reported during pregnancy. OBJECTIVE: To verify the correlation between low back pain and postural changes during pregnancy. METHOD: The sample consisted of 54 female volunteers, ages from 20 to 30 years, 27 pregnant. Women were sub-divided into three groups according to pregnancy age: seven in first quarter (GI), 11 in the second quarter (GII), nine in third trimester (GIII); to analyze the incidence of pain or discomfort related to abnormal postural alterations during pregnancy. The control group (GC) consisted of 27 non-pregnant volunteers. The image analysis was performed with the Postural Analysis Software (SAPO) and statistical analysis through ANOVA tests and regression analysis with significance level at 5%. RESULTS: Regarding the gestational age, the prevalence of lumbar pain was higher among those with up to 13 weeks. Referring to the intensity of pain in the lumbar region, the GII was the group that had the highest average, with moderate pain, followed by GIII, GC and GI with mild pain. Regarding changes in the curvature of the spine, it was not possible to establish a statistically significant relationship of postural alterations with the presence of lumbar back pain during pregnancy based postural analysis of all women. CONCLUSION: There was no association between low back pain postural changes during pregnancy.


Assuntos
Humanos , Feminino , Gravidez , Adulto , Adulto Jovem , Dor Lombar , Gestantes , Postura
17.
Rev. bras. crescimento desenvolv. hum ; 21(2): 356-361, mai.-ago. 2011. ilus
Artigo em Português | CidSaúde - Cidades saudáveis | ID: cid-64160

RESUMO

O objetivo é verificar os efeitos da Shantala na interação entre mãe e criança com síndrome de Down. Utilizou-se por 60 dias, uma vez por semana, a técnica de massagem Shantala em três crianças com síndrome de Down, da instituição APAE, localizada em Itaquaquecetuba, SP, Brasil. Para a obtenção dos resultados foram aplicados dois questionários, um ao início, para se obter maiores informações sobre as crianças e outro ao final, para se verificar os resultados da técnica utilizada. Foi possível concluir que a Shantala beneficiou as crianças com síndrome de Down, proporcionando uma qualidade de vida melhor. Para as mães, a técnica permitiu uma melhor aceitação da doença e houve melhora no relacionamento entre as mães e as crianças(AU)


Assuntos
Humanos , Relações Mãe-Filho , Desenvolvimento Infantil , Síndrome de Down , Massagem/estatística & dados numéricos , Criança , Pesquisa Qualitativa
18.
Rev. bras. crescimento desenvolv. hum ; 21(2): 356-361, 2011. tab
Artigo em Português | Index Psicologia - Periódicos | ID: psi-55170

RESUMO

O objetivo é verificar os efeitos da Shantala na interação entre mãe e criança com síndrome de Down. Utilizou-se por 60 dias, uma vez por semana, a técnica de massagem Shantala em três crianças com síndrome de Down, da instituição APAE, localizada em Itaquaquecetuba, SP, Brasil. Para a obtenção dos resultados foram aplicados dois questionários, um ao início, para se obter maiores informações sobre as crianças e outro ao final, para se verificar os resultados da técnica utilizada. Foi possível concluir que a Shantala beneficiou as crianças com síndrome de Down, proporcionando uma qualidade de vida melhor. Para as mães, a técnica permitiu uma melhor aceitação da doença e houve melhora no relacionamento entre as mães e as crianças.(AU)


This study aimed to verify the effects of Shantala massage therapy on the interaction between mother and child with Down's syndrome. The methodology consisted in applying the massage technique "Shantala" for 60 days, once a week, on three children from APAE Institution, located at Itaquaquecetuba, SP, Brazil. At the beginning of the treatment we applied a questionnaire to obtain more information about the patient. At the end, it was applied another questionnaire to verify the results of the treatment. It was observed that Shantala benefited the kids with Down's syndrome, providing to them a better quality of life. For the mothers, the technique provided a better acceptability of the disease and an improvement in the relationship between mothers and kids.(AU)

19.
Rev. bras. crescimento desenvolv. hum ; 21(2): 356-361, 2011. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-603702

RESUMO

O objetivo é verificar os efeitos da Shantala na interação entre mãe e criança com síndrome de Down. Utilizou-se por 60 dias, uma vez por semana, a técnica de massagem Shantala em três crianças com síndrome de Down, da instituição APAE, localizada em Itaquaquecetuba, SP, Brasil. Para a obtenção dos resultados foram aplicados dois questionários, um ao início, para se obter maiores informações sobre as crianças e outro ao final, para se verificar os resultados da técnica utilizada. Foi possível concluir que a Shantala beneficiou as crianças com síndrome de Down, proporcionando uma qualidade de vida melhor. Para as mães, a técnica permitiu uma melhor aceitação da doença e houve melhora no relacionamento entre as mães e as crianças


Assuntos
Humanos , Criança , Desenvolvimento Infantil , Síndrome de Down , Massagem , Relações Mãe-Filho , Pesquisa Qualitativa
20.
Rev. bras. crescimento desenvolv. hum ; 20(2): 361-366, ago. 2010.
Artigo em Português | Index Psicologia - Periódicos | ID: psi-55267

RESUMO

A Epistemologia Genética defende que o indivíduo passa por várias etapas de desenvolvimento ao longo da sua vida. O desenvolvimento é observado pela sobreposição do equilíbrio entre a assimilação e a acomodação, resultando em adaptação. Assim, nesta formulação, o ser humano assimila os dados que obtém do exterior, mas uma vez que já tem uma estrutura mental que não está "vazia", precisa adaptar esses dados à estrutura mental já existente. O processo de modificação de si próprio é chamado de acomodação. Este esquema revela que nenhum conhecimento chega do exterior sem que sofra alguma alteração pelo indivíduo, sendo que tudo o que se aprende é influenciado por aquilo que já havia sido aprendido. A assimilação ocorre quando a informação é incorporada às estruturas já pré-existentes nessa dinâmica estrutura cognitiva, enquanto que a adaptação ocorre quando o organismo se modifica de alguma maneira de modo a incorporar dinamicamente a nova informação. Por fim, de um pensamento moderno que, buscando a síntese inusitada entre o biológico e o lógico-matemático, parece encontrar seus limites na desconstrução ainda mais inusitada a que tende sistematicamente todo o pensamento na atualidade: a de si mesmo se construindo de modo essencialmente esclarecido.(AU)


The Genetic Epistemology argues that the individual goes through various stages of development throughout his life. The development is seen by the overlap of the balance between assimilation and accommodation, resulting in adaptation. Thus, in this formulation humans assimilate the data they obtain from the outside, but once they already have a mental structure that is not "empty", they must adapt these data to the existing mental structure. The process of change itself is called accommodation. This scheme reveals that no knowledge comes from outside without suffering any change by the individual, and everything that is learned is influenced by what was learned. Assimilation occurs when information is incorporated into pre-existing structures in this dynamic cognitive structure, while the conversion occurs when the organism is changed in some way to incorporate the new information dynamically. Finally, a modern thought that seeking the unusual synthesis between the biological and logical-mathematical seems to find its limits in the deconstruction even more unusual that tends systematically all thought at present: the self developing in a essentially clarified way.(AU)

SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA
...